Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas FIAT LANÇA NOVO UNO – Autoentusiastas

Depois de seis anos, chega o novo Uno. Apresentação foi ontem na unidade Fiat da Fiat Chrysler Automobiles Latin America (FCA), em Betim, na Grande Belo Horizonte.

Fora bons retoques de estilo, a grande novidade está nos novos motores batizados de Firefly, apresentados pela primeira vez mundialmente. São motores 3-cilindros de 999 cm³ e 4-cilindros de 1.332 cm³, de arquitetura comando de válvulas único no cabeçote com acionamento por corrente, duas válvulas por cilindro e injeção no duto. Flex, não tem sistema de partida a frio por injeção de gasolina. Todas as versões vêm com direção eletroassistida.

O 3-cilindros desenvolve 72 cv a 6.000 rpm com gasolina e 77 cv a 6.250 rpm com álcool, com torque de 10,4 e 10,9 m·kgf (G/A) a 3.250 rpm.

O 4-cilindros, 101 cv a 6.000 rpm e 109 cv a 6.250 rpm, com torque de 13,7 m·kgf  e 14,2 m·kgf, a 3.500 rpm.

O novo Uno chega em seis versões: Attractive 1,0, Way 1,0, Way 1,3, Sporting 1,3 e os dois últimos com câmbio Dualogic.

Preços vão de R$ 41.840 a R$ 53.690.

Estou saindo agora para dirigir os carros e amanhã (sábado) leia matéria completa. Há muitas outras novidades no novo Uno.

BS



Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

  • Marco, haverá vídeo nos testes “no uso”, para bem breve.

  • Francisco Júnior, bingo!

  • N., pelo jeito você acha que motor 1300 de aspiração atmosférica tem que ser mais potente do que um 1-litro. Não percebeu que não dá?

  • Christian, toda fabricante tem o direito de chamar seu produto como bem lhe aprouver. Concordemos ou não.

  • Corsário, não tem reservatório de gasolina do sistema de partida a frio. Escrevi isso.

  • Ilbirs, a cilindrada do 4-cilindros é exatamente a do JAC J3, só que com 75 x 75,4 mm no chinês.

    • Ilbirs

      Verdade, 1.332 cm³ para ambos, ainda que de formas bem diferentes. Vai ser interessante saber o quanto que vai contar no Firefly de quatro cilindros o fato de ele ser “muito superquadrado”, principalmente no padrão da curva de torque, em comparação ao “quase quadrado” da JAC, este último seguindo a fórmula mais usual dos dias de hoje, com quatro válvulas por cilindro e variador de fase, algo que normalmente costuma fazer um motor “esquecer” que tem mais peças para movimentar e ficar bem vivo não só em baixa quanto em alta rotação.

  • Marco Schneider

    Bob, qual sua opinião sobre a justificativa da Fiat para o motor ter apenas 2 válvulas por cilindro ser para “favorecer o torque em baixa”? Não caberia colocar 4 válvulas por cilindro e variação do tempo de abertura das válvulas para se ter o mesmo torque em baixa e ainda mais potência em alta?
    Abs.

    • Marco, para o desempenho que escolheram foi decisão correta. Quiseram colocar potência palpável em rotações mais baixas ( e não o “famoso torque em baixa” e o resultado é bom. Dirigi os dois. A tecnologia evolui.

  • Leônidas, vamos escrever de outra forma? “Os novos motores vêm dotados de sistema de aquecimento de álcool para partidas em baixa temperatura estando com álcool no tanque e dispensam gasolina para esse fim.” Esses nomes de sistemas em inglês é marketing intolerável.

  • Fernando, a diferença do ciclos está apenas nos tempos de distribuição. A vantagem é menor consumo ao custo de menor potência. Mas nesse caso FCA/Fiat não é a única novidade. Aguarde a matéria

  • al, a versão Evolution continua na Strada e no Palio.

  • Christian Sant Ana Santos

    Quando comprei meu Evolution, jan/2015, não pensei no start&stop, mas na transmissão mais longa que meu Attractive 2010 e mais longa até que o 1,4 Economy (esse não possuí), no novo gerenciamento da injeção (essa foi pelo Bob), computador de bordo. Trocamos o Uno por um Palio Essence agora (o Uno veio da troca pelo Essence anterior) e pretendo trocar o take up! por um Uno ou Mobi (quando sair com Firefly). Nos 35.000 km que rodamos no Uno, raramente o start&stop ficou ativado.

  • Eu adoraria ter um compacto 4×4, mas o custo seria proibitivo. Já é uma choradeira com os simples 4×2 sem nada a mais, imagina um diesel e 4×4.

  • Corsario, injetaria gasolina de onde???

  • Rafael, ainda bem que não se precisa pagar para especular!

  • Victor H, é claro!

  • Invalid pilot, pela enésima vez: motores como o VHC só apresentam detonação se estive com gasolina batizada com solvente. É uma breve e inofensiva detonação, pois a ignição logo atrasa para evitar que continue. E não se esqueça do “motorista hipocondríaco”, o

    • Douglas

      Bob, meu Sonic tem uma relação de compressão de apenas 10,8:1 e detona até na partida se colocar gasolina comum, minha mãe tinha um Fiat E.torQ e detonava também.
      Já coloquei gasolina em postos de todas as bandeiras e acontece sempre o mesmo.
      Já aluguei um Gol e também detonava.
      Estou usando álcool já por causa disso.
      E não é possível que a gasolina da vida toda esteja adulterada, pois já enchi o tanque em outro estado e detona.

      • Douglas, é impossível um motor com 10,8;1 de taxa detone, quanto mais com os oficiais 22% de álcool. É gasolina adulterada com solvente mesmo. Mas detona em termos, certo? Não fica detonando, só um sinal e para de detonar.

  • Rubergil Jr, certo.

  • Davi, de fato, seria uma oportunidade para um café e nos conhecermos pessoalmente, embora nesses eventos não sobre tempo. Não (respondendo porque já foi), consistiu dar a volta da Pampulha.

  • N., você fala como se a Fiat não soubesse o que faz.

  • Lorenzo Frigerio

    O motor não se chamava GSE? Mudou para Firefly?

    • Lorenzo, sim nova família Global Small Engines, rebatizada para Firefly.

  • Lorenzo Frigerio

    Motores V-8 americanos têm esse desenho de câmaras em formato de feijão, com câmaras pequenas e áreas de esmagamento para melhor queima, menor batida de pino e menor poluição. Cabeçotes aftermarket para Chevrolet e Ford como Trick Flow ou Edelbrock são assim. E no caso dos motores GM LT e LS, também. Não existem mais novidades em projeto de cabeçotes; é uma questão de especificação.

  • Luiz AG

    Nada errado, você pode ter um motor 2-válvulas com valores de potência e torque em rotações altas.
    A Fazer 250 tem 2 válvulas e valores máximos de torque a 6.500 rpm e potência a 8.000 rpm.
    Tudo depende da diagramação do motor.

  • ochateador, onde, não sei; só sei quando, que será quando o Brasil tiver um sistema tributário honesto. O atual é a própria extorsão oficial.

    • Comentarista

      A alíquota não subiu.

      • Comentarista, não falei de alíquota.

  • marco lima, qual a marca da sua bola de cristal? Meio estranha, ela…

  • Invalid pilot, eu tinha e ainda tenho um Celta VHC desse grupo que detonava. Nunca foi feito nada para “resolver” e nunca mais detonou. Está com 135.000 km. Mágica?

  • SergioJr, de fato não dá para entender com o real se desvalorizou tanto, como o custo da energia elétrica e dos combustíveis disparou, como é possível haver inflação…

    • SergioCJr

      De fato Bob…

      Mas, sem entrar no mérito da qualidade dos automóveis, ou dos motivos da crise (dólar alto, inflação, corrupção, alta tributação etc), o que pesa mais é como o brasileiro é um péssimo consumidor.

      Ele compra a ideia de que os preços exorbitantes são dependentes unicamente de fatores alheios à vontade das indústrias, mas tenha certeza que, o dólar pode voltar a ter paridade cambial, que a inflação pode voltar a patamares aceitáveis que, mesmo assim, os preços de carros, imóveis e combustíveis não cairá na mesma proporção, pois uma vez que a indústria percebeu (e já faz tempo) que o brasileiro paga o valor que ela pedir, contanto que caiba nas parcelas do carnê, por que ela iria baixar seus ganhos?

  • Lucas, o que determina desempenho é potência. Torque não nada a ver com isso isoladamente. O que importa é em que faixa está a potência.

  • Comentarista, claro.

  • Fat Jack, mas na rotação de torque máximo do 8-válvulas tem o mesmo torque. Caso do Renault 1,6 de 8 e 16 válvulas.

  • Daniel, corrigindo, desculpe, não é acerto do motor para torque, mas para oferecer potência considerável em rotações mais baixas. O que faz carro andar sempre é potência, que quanto mais cedo entrar, melhor.

  • Marcelo Junji, detonação na partida é que não é. Deve ser outra coisa.

  • Lucas, que feliz coincidência tê-lo conhecido pessoalmente! Valeu mesmo!

  • Mike, sim, no dia 3 de janeiro deste ano, excelente matéria do leitor Daniel S. de Araújo: http://www.autoentusiastas.com.br/ae/2016/01/torque-potencia-qual-interessa-mais-2/

  • Fat Jack, certamente. Mas é o torque combinado com a rotação que dá a potência.

  • Douglas, esqueça, não causa o menor dano ao motor.

  • Luiz AG

    É regra porque a abertura das válvulas é maior. Nada impede que um motor multiválvulas tenha um tempo de abertura menor para conseguir mais velocidade do ar na entrada com melhor enchimento. Vide comando variável.

    Atribuir potência em altas rotações a motores multiválvulas é mesma coisa que atribuir motores de boa potência em baixa rotação ao torque.

  • Mike, como sugestão leia a matéria “Apologia do Torque” no AE

  • Fat Jack, com relação aos motores Renault, o 16V a 2.850 rpm tem o mesmo torque do 8V em sua rotação de torque máximo. Tenho as curvas. Por isso reclamei tanto quando tiraram o 16V de linha, pois era um motor excepcional. Tinha baixa igual do 8V e berrava a partir de 4.000 rpm.

    • Fat Jack

      Perfeito!
      Gostaria muito de experimentar um Renault pequeno (Logan/Sandero) com esta motorização, tanto que penso em um Sandero com esta motorização para substituir futuramente meu Fiesta Street, e seu comentário demonstra a qualidade destes multiválvulas sem dúvida alguma.