Hoje, 22 de setembro, é o Dia Mundial Sem Carro, que o AUTOentusiastas, mantendo sua tradição, chama de Dia Mundial da Imbecilidade.

Esse dia é uma inquestionável e injustificável condenação a um veículo notável, o maior amigo mecânico do Homem e que meia dúzia de desmiolados e inconsequentes consideram um mal, a ponto de virem com essa maldita ideia de um dia sem ele.

O AUTOentusiastas repudia veementemente tal dia e conclama todos os seus leitores-amigos e população em geral a utilizar seu carros, mesmo os que não o fazem diariamente, o máximo de horas que puderem.

Vamos dar novamente um solene NÃO a esse dia de infâmia, a esse ataque a uma criação de homens notáveis que há mais de 100 anos deram seu suor e sua competência para que pudéssemos ter uma vida melhor.

Vida longa a sua excelência, o carro!

AE/BS

(112 visualizações, 1 hoje)


  • Renato Texeira

    A imbecilidade em torno deste dia é tanta que algumas das entidades que a promovem são as mesmas que mais financiam a aquisição de veículos novos.

  • JCQ

    Estou aguardando o dia mundial sem aviões e navios… (ironia)

  • É só ignorar essa data, assim como toda a população faz (nem fica sabendo, e quando fica, ignora).

    • Victor H, só ignorar não basta. Tem que repudiar.

      • Ok. Bom eu só vi menção a esta data aqui (belo paradoxo rsrs). Off topic: VW lança o Golf 1,0 Turbo de 125 cv por 75.000 reais. Um minuto de silêncio para o Fiesta EcoBoost, descanse em paz!

        • Maycon Correia

          Pensei o mesmo! Quem comprou deve estar se remoendo de raiva!

          Um de entrada, branco apenas com teto solar de opcional, ah e se quisessem mandar com rodas de aço e calotas, eu estaria amplamente feliz.

        • Victor H, por que o Fiesta EcoBoost deveria descansar em paz? Eu não diria isso. O Ford é de 125 cv e o VW, 116 cv, considerando gasolina.

  • Lorenzo, faz mal e muito mais do que se pensa. Mostra a faceta idiota das pessoas anticarro.

  • Thiago Amador, esqueça essa bobagem de bicicleta. Aqui não é Amsterdã.

    • Thiago Amador

      Não é, e nunca será. A questão é tentar tornar minimamente viável sem que prejudique os outros meios de transporte, pois nem todo mundo aqui (e eu me incluo nisso) tem dinheiro para gastar com um carro e, andar de transporte público não é agradável. Aqui em Salvador tem ciclofaixa da minha casa até à faculdade praticamente. Refizeram toda a avenida onde fica a faculdade já com uma ciclofaixa devidamente projetada (na guia, longe dos carros, como deve ser) porém a faculdade não tem instalações para suportar quem pretende usar bicicleta (banheiro, vestiário, local para guardar bicicleta). Agora lançaram um trabalho para os estudantes realizarem um projeto (Senai – cursos de engenharia) para tornar o uso delas adequado.
      Quanto mais gente de bicicleta, mais vagas sobram no estacionamento, menos trânsito e, por conseguinte, mais prazer ao dirigir!

  • Enildo, parabéns pela definição do automóvel nesse contexto. É um dos melhores comentários, se não o melhor, da história do AE.

    • Enildo

      Muito obrigado, Bob.

  • Perfeito, Marcus! Parabéns!

    • Christian Govastki

      Aproveitei para rodar mais e comprar as mangueiras da direção hidráulica, do circuito da água quente e as abraçadeiras para a minha Veraneio lá do outro lado da cidade. Sabadão ela volta às ruas com óleo ATF novinho em folha.

  • Daniel S. de Araujo

    O dia mundial anticarro faz parte de um contexto mais nefasto ainda, pois é o que prega as esquerdas de quererem acabar com o direito a individualidade, do ir e vir sem a tutela do Estado. É o dia de se reduzir o direito de se autodeterminar e decidir por si a nada, afinal o automóvel representa a individualidade, a liberdade e a responsabilidade para um indivíduo.

    Minha homenagem ao dia mundial sem carro será procurar um carro velho para comprar e reformar!!!!

  • Renan Becker

    Apoiado!!

  • Gostaria que todos que demonizam o carro, quando precisassem ir ao hospital que fossem à pé ou de bicicleta ao invés de ligar para o SAMU, quando fossem viajar, o fizessem no lombo do jumento ou à pé, por exemplo e em dias de chuva, fossem de bike para o trabalho (moto não vale, pois polui também).
    Se o carro fosse o grande vilão do meio ambiente, eu sequer falava algo, mas o grande vilão em relação a poluição causada pelos veículos é o próprio governo que insiste em regular limites de velocidade ridiculamente baixos, contribuindo para o aumento da emissão de poluentes pelos veículos, pois todos sabem que um carro consome e polui muito mais quando fica no para e anda ao invés de manter velocidade constante. Some-se isso, aos motoristas lerdos e “fiscais de velocidade” e temos aí a receita perfeita para culpar o carro pela poluição.

    Em tempo, rodo cerca de 200 km por dia e hoje, só de raiva, vou rodar mais uns 40 km. Pena que dar uns “zerinhos” é proibido pelo CTB, senão o faria só para comemorar (risos).

  • Paulo Ferreira

    Levei minha esposa ao trabalho e em seguida vim para o meu trabalho. Chegando aqui recebo uma ligação dela, dizendo que havia esquecido a leiteira no fogo. Voltei portanto até nossa casa e naturalmente estava tudo certo, nada de fogo na leiteira. Resultado, 45 quilômetros rodados – esta aí minha contribuição até agora he he.

    • Eduardo

      Acho que contribuí mais hehe. Aproveitei um dia de resolver coisas fora e fui com um carro até à Autozone de Osasco ver um peça para o outro carro, dei uma olhada nas novidades nas concessionárias da autonomistas, aproveitei para dar uma passada no shopping e na volta lavar o carro, pois já faz uns 40 dias que o pobre coitado só vê água quando chove. Se tivesse sabido de antemão teria marcado a quilometragem de hoje para saber da minha contribuição para esse dia.

      • Paulo Ferreira

        Bom trabalho colega, fechei o dia com pouco mais de 100 km. Fiquei sabendo de um posto com gasolina a preço promocional, não valeria exatamente a pena ir abastecer pela distância. Mas, como era um dia especial he he, dei uma passada lá e enfrentei a fila, antes de buscar a patroa.

  • Kar Yo

    E, para o delírio dos ecochatos, essa crise somada ao reajuste dos preços dos carros provocará um sucateamento da frota.

  • Marcelo R.

    É hoje essa palhaçada? Se soubesse tinha vindo de carro trabalhar…

  • Mr. Car

    Bob, estou rindo aqui, imaginando algum eco-histérico ou amantezinho de transportes “alternativos” lendo esta sua conclamação para o uso do carro, e fazendo carinhas & boquinhas de desprezo pelo seu ser, além de amaldiçoar toda sua descendência até o final dos tempos, he, he! No mais…estou no aguardo é da criação do “Dia Mundial Sem Campanhas Imbecis”.
    Abraço.

  • Kar Yo

    Opa! Aí é exagero. O que mais poluem os rios não são as indústrias. É o nosso esgoto mesmo! E quanto ao ar são nossos carros nas grandes metrópoles.
    Mas tentar corrigir isso penalizando os carros é como querer resolver o problema da saúde penalizando o cidadão por ficar doente.

  • WSR

    Oba, hoje é o dia de desregular o carburador, tirar o catalisador e dar umas voltinhas, rs.

  • Juvenal Jorge

    Estou saindo daqui a pouco de carro e à noite vou sair de novo. Uma delícia!!!
    Quem não gosta de automóvel tem problema mental, nem perco meu tempo falando com esse tipo de gente.

  • Juvenal Jorge

    E o Dia Mundial Sem PT, quando vai ser?

  • Racer

    Eu até quero que mais uns se “engajem” nesta lorota. Sobra mais espaço e tem menos maneta no trânsito.

  • Mr. On The Road 77

    Deixei meu carro ligado no estacionamento, com uma pedra no acelerador e com o ar ligado, só para ficar bem fresquinho para quando eu sair do trabalho, daqui a 5 horas…

  • Luís Carlos K.

    A data de hoje foi criada para colocar em pauta a dependência do automóvel e a falta de transporte alternativo de qualidade. Usar ou não usar o carro por 1 dia não faz a menor diferença, não muda o que acontece nos outros 364 dias. É somente um dia simbólico. O protesto não é contra o automóvel em si, mas contra o fato de estarmos refém desse único meio de transporte, visto que as formas alternativas não satisfazem a demanda com qualidade. Quem não entende isso prefere fazer esse tipo de campanha de boicote ao pseudo “dia-de-ódio ao automóvel” é tão infantil quanto quem pensa que não usar o carro por 1 dia, sem medidas concretas, irá fazer alguma diferença no futuro.

    • Luís Carlos K. , admira-me você dizer essa bobagem. Bobagem e infantilidade.

  • Bruno, besteirol de primeira grandeza o que você diz. A escolha pelo transporte coletivo cabe a cada um. Dirigir o próprio carro, mesmo sozinho, é um direito. Já ouviu falar disso?

  • Mr. Car, tem razão, que seja toda eternidade sem esse partido nojento.

  • Rodrigo, errado. Esses veículos têm de rodar todos os dias, como os carros.

  • Perfeito, Heitor!

  • Jr, na marra! Que filhos de mães que não têm ideia quem é pai!

  • Fat Jack

    Os “verdinhos” deliram com isso!
    Que tal o dia mundial de devolução dos tributos (taxas e impostos) pagos na compra de veículos só praa dar uma variada?
    Essa história idiota feita para demonizar o uso dos veículos é exatamente como aquele discurso batido e cansativo de que os congestionamentos são causados somente por excesso de veículos, enquanto do excesso de tributos pagos por eles e por sua utilização nenhuma “autoridade” se queixa ou a ele atribui inconveniência.

  • Luiz Antônio Robaina Severo

    É uma imbecilidade completa, sem dúvidas.
    Mas é um bom dia para quem gosta de dirigir.
    Basicamente quem adere a esse tipo de besteira é o pessoal que só enxerga o carro como um meio de locomoção, aquele pessoal que não liga a mínima para carros, logo, não se preocupa em entender a máquina, por tabela sendo um belo(a) roda-presa.
    São os seteiros, os pilotos de autorama, os que compram carro como compram celulares, se preocupando mais com a central multimídia do que com o conjunto do carro, são os alisadores de painel, são os que não passam da metade do conta-giros porque “estraga o motor” (!!!), são os lindões que se escondem atrás de sacos de lixo sem se importar com o básico (ver e ser visto), são os morcegos que andam com luzes azuis minúsculas ao invés dos faróis principais acesos durante a noite, são os que preferem suves a wagons (ok, peguei pesado aqui, mas…), são os que não saem da faixa da esquerda, enfim, são os que acreditam que bicicleta é o futuro (!!!!!), como já tive a infelicidade de ouvir.
    Eu concordo que essas pessoas abdiquem de seus carros. Não só um, mas VÁRIOS dias por ano não atrapalhem o trânsito e deixem as ruas para nós, que gostamos de dirigir e sentimos prazer nisso.
    Podem colocar qualquer nome nessa data, mas pra mim é o Dia Oficial do Autoentusiasta. Neste dia, faço questão de ir de carro até no bar da esquina. Não por necessidade, mas por prazer. E claro, para deixar evidente a qualquer esquerdopata utópico ou barbeiro inveterado que não liga a mínima pra carros que se ELES quiserem viver sem carro, na sua utopia, que vivam. Melhor para nós que gostamos de dirigir.

    • Luiz Antônio, apreciei seu comentário.

  • Obrigado, Bruno, seu comentário é dez!

  • Luciano, tenha em mente que em motores superalimentados a cilindrada física não conta. Com esse potência é como se fosse um motor de 2 litros.

  • João Lock, percebo o mesmo. Com tem que pessoas que fedem!

  • Luís Carlos K., totalmente dispensável. Ainda por cima esqueceram do conteúdo local nas autopeças, cujo controle é impossível.

  • Luís Carlos K, besteira pura o que você diz. Não precisa parar os carros por um dia e muito menos “símbolo” para essas discussões. É coisa de esquerdista idiota, como todos aliás.

  • Rod1970, medida tomada por quem cuja mãe não sabe quem é o pai.

  • Luís Carlos K.

    O ponto é EXATAMENTE esse, Marcelo. Em muitos países é assim, e até em algumas cidades do Brasil dá para fazer quase tudo sem depender de um carro. Gosto de dirigir, principalmente em rodovia. Agora pegar trânsito, demorar 40 minutos para atravessar 10 km… eu dispenso o carro nesses momentos (dispensaria se o transporte coletivo fosse eficiente).

  • Roberto Eduardo Santonini Ceco

    Fusca e GM Capivara nas ruas e estradas hoje! O 1600 do Itamar chegando ao máximo de potência possível na pista! A GM Capivara com a patroa e os gêmeos indo pra casa da vovó!
    Chupa essa, ecochatos!

  • Maycon Correia

    O meu adotado da vez é um Fusca prata 1995 que está em 61%
    Daqui uns 20 dias tem novidade.

  • Daniel S. de Araujo

    Opa! Pode deixar!!! Mas adianto, será aircooled!
    Um abraço!

  • Luís Carlos K, e a afirmação não é verdadeira, por acaso? Aqui é Londres?

  • David, então seu seu esconderijo móvel é “lindão”!

  • Eduardo

    E o tal político, com certeza não levou em consideração de que a caneta e a palavra são armas ainda mais mortíferas do que o automóvel. Perdeu uma grandiosíssima oportunidade de se manter calado.

  • kravmaga

    Eu moro na congestionada cidade do Rio de Janeiro e, apesar de ser autoentusiasta e ter um carro com 211 cv (um desperdício na visão da maioria), adoro andar de metrô. Adoraria só precisar tirar o carro da garagem para passear na estrada nos finais de semana. É chato ficar no engarrafamento andando a 10, 20 km/h e ainda ficando com medo de radares de 40, 50 km/h.

    Acho que todo autoentusiasta consciente deveria sim apoiar a criação de mais meios de transporte coletivo eficientes como o metrô, o uso de ciclovias para pequenos deslocamentos etc, justamente para que os carros sejam usados com mais prazer. Com isso, talvez sumissem as categorias de carros compactos com motores fracos e os carros voltassem a ter designs e motorizações mais atraentes, como acontecia nos EUA na década de 50.

    • kravamaga, apoiar ciclovias sim, mas em cidades de topografia plana e, no caso do Rio de Janeiro, que não matem por despencar, como ocorreu na av. Niemeyer.

      • BANDIDO BOM É INCINERADO

        Apoio o senhor e andei de RAM 2500 o dia inteiro aqui em Brasilia.

  • Calferr, você pode discordar o quanto quiser, mas você há de convir que é uma imbecilidade total, autêntica palhaçada de quem não tem o que fazer, coisa de vagabundos. Este site sempre terá essa postura nesse dia. Espere por 22 de setembro de 2017.

  • Enildo

    Obrigado. abraço

  • Mas, Rod1970, fazer o que você sugere dá um trabalho danado, e trabalhar não é com essa turma…

  • Gustavo, deixar passar em branco o dia 22 de setembro, Dia Mundial da Imbecilidade? Jamais! Não temos conhecimento do que você pergunta.