Em 1976 a Audi colocou à venda seu primeiro motor de cinco cilindros em linha, instalado no modelo 100. Tinha 2,1 litros e 138 cv. O ano seguinte viu a chegada do diesel com cinco cilindros e 71 cv. Em seguida, uma versão com turbocompressor instalado no motor a gasolina chegou ao mercado, e com 172 cv começou a deixar os entusiastas de antenas ligadas.

Mas o motor ficou famoso mundialmente apenas a partir de  1980, com o lançamento do Audi Quattro, que dito de forma curta e simples, foi o primeiro carro de rua com tração nas quatro rodas a funcionar corretamente o tempo todo, e fazer esse tipo de tração uma demonstração prática de domínio de tecnologia, gerando trabalho de muitas marcas para colocar seus all wheel drives no mercado.

Apesar de terem ficado por um período não tão difundidos dentro da linha da Audi, foram também aplicados em modelos da Volkswagen. Em 2009 o TT teve a versão RS adicionada à linha, chegando com o cinco-cilindros, e reavivou a dedicação da marca de Ingolstadt a esse sempre curioso motor.

Hoje, nesse modelo,  tem 405 cv e 49 m·kgf de torque máximo,  e um som magnificamente furioso quando se acelera para valer.

Audi-100-1976

Audi 100 de 1976

dt-beijing-audi-tt-rs-1-970x647-c

TT RS atual

JJ



  • Rogério, acredito que as bielas sejam de 144 mm, já que o curso dos pistões, 86,4 mm, é o mesmo do AP 1800.

  • VeeDub

    Em nosso primeiro Golf (1994 em diante), 2-L GLX, as bielas eram de 159 mm.

    • Rogério Ferreira

      Verdade, vou corrigir.

  • Gustavo73

    Quarenta anos mas com “corpinho-desempenho” de 18.

  • Mr. Car

    Quando a Audi lançou, creio que nem imaginavam que 40 anos depois, a “moda” seriam os motores 3 cilindros, he, he! E é bem interessante ver a semelhança que este Audi 100 (naturalmente) guarda com os Passat e Santana que tivemos por aqui. O DNA Audi estava fortemente presente neles.

  • Luciano Gonzalez

    O meu próximo projeto pessoal trata-se de uma Quantum GLS 88/91 com swap de motor, a instalação do 2,5 cinco-cilindros do Jetta na perua e com um belo escapamento dimensionado (de preferência em inox).. acoplado à uma caixa manual, isso deve berrar maravilhosamente. Até arrepia só de pensar! Vamos ver.

  • Holandês Louco

    Apesar de chamarem de V5/VR5 e de VR6, tecnicamente são motores em linha, com cilindros desalinhados.
    Não são motores em V propriamente ditos.
    Sim, isso é estranho, tanto quanto os V12 em 180 graus da Ferrari/Porsche/Alfa-Romeo, que apesar de serem “planos”, não são considerados do tipo boxer pelo formato do virabrequim, tal qual estes motores da VW não são V.

    • Holandês Louco, a diferença entre o motor boxer e o em “V” é que no primeiro cada biela tem seu munhão no virabrequim, enquanto no em “V” duas bielas são conectadas ao mesmo munhão.