O novo Ford Focus RS, esportivo que já passa de 8.200 pedidos desde o início da pré-venda na Europa, ganhou mais um atrativo: um kit de potência desenvolvido pela Ford Performance e a Mountune, empresa britânica especialista em carros de alto desempenho, especialmente os Fords. Com ele, o motor 2,3 EcoBoost ganha mais 25 cv e 4 m·kgf de torque, chegando a 375 cv e 52 m·kgf com o overboost, ou pressão de superalimentação adicional, por até 12 segundos. São 163 cv/litro.

A aceleração de 0 a 100 km/h também baixa para 4,5 segundos — mais rápido que um Porsche 911 Carrera com câmbio manual, que custa mais que o dobro do Focus RS. A velocidade máxima permanece em 266 km/h.

“A Ford tem orgulho da sua história de parceria com a Mountune para extrair ainda mais potência de nossos hatches esportivos e atender os fãs do alto desempenho”, diz Tyrone Johnson, gerente de engenharia da Ford Performance. “O Focus RS já é líder da categoria e com o aumento da potência para 375 cv fica ainda mais à frente.”

O kit da Mountune inclui filtro de ar de alta performance, duto de ar de liga especial com mangueiras de silicone, válvula de recirculação de ar atualizada e programa de gerenciamento do motor recalibrado.

Além do motor especialmente projetado, o Focus RS traz como principais novidades o sistema de tração integral com vetorização de torque, o modo de direção “Drift” que permite derrapagens controladas e controle de arrancada. Entre outros prêmios, ele foi eleito “Hot Hatch do Ano” pela Auto Express, no Reino Unido; “Carro do Ano 2016” pela revista Top Gear, do Reino Unido; “Carro do Ano 2016” no Vehicle Dynamics International Awards; e o engenheiro-chefe do seu projeto, Tyrone Johnson, foi escolhido como “Engenheiro do Ano”.

O AE e todos os fanáticos por veículos esportivos continuam aguardando a chegada desse modelo no Brasil.

JJ



Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

Publicações Relacionadas

  • Bispo

    “interessante” quando se fala… mais rápido (0-100) que carro N que custa múltiplos de X+… vejo como um superlativo relativo…

    • Thiago Teixeira2

      Vejo que se pode fazer igual ou mais por menos.

  • Estevan Dario

    O que dizer de um “brinquedo” desses? Simplesmente animal!!!!