O que mais se comenta sobre o Toyota Etios 2017 são as mudanças no painel — o anterior era bastante criticado, por mim inclusive —, os motores 1,3-L e 1,5-L, que já eram bons e foram modernizados, e a transmissão, cujo câmbio manual passou de cinco para seis marchas, além de agora haver também opção de câmbio automático epicíclico de quatro marchas para as duas motorizações, até mesmo na mais acessível versão X 1,3.

Já para mim a mudança que mais agradou foi o que menos se comenta: o novo acerto da suspensão. O rodar ficou mais confortável sem perder em comportamento e, de certa maneira, este até melhorou. As mudanças nada tiveram de substancial,  restringiram-se às buchas das suspensões dianteira e traseira e aos amortecedores dianteiros, que ganharam batente hidráulico no curso de distensão para evitar a desagradável pancada seca quando as rodas dianteiras “caem” ao transpor uma lombada mais rapidamente, e às molas, que tiveram sua constante alterada.

Todas mudanças benéficas, pois se a meu ver o Etios anterior não era merecedor do que chamo “carro realmente bom de chão”, agora passou ser um dos carros que mais me agradam dirigir — ou pilotar — entre os da sua categoria.

Novo acerto de suspensão lhe trouxe comportamento exemplar  NOVO TOYOTA ETIOS HATCH 1,3 MANUAL, NO USO DSC05525

Mesmo com altura de rodagem elevada, os acertos de suspensão lhe trouxeram comportamento exemplar

O Etios  avaliado é o hatchback X 1,3-L de câmbio manual, que ainda não o havia sido “no uso”. Seu comportamento na reta está como o de uma flecha, firme em qualquer velocidade. Nas curvas de baixa ou de alta feitas com vigor ele logo se apoia com igualdade sobre os eixos. Não há a tendência, comum à maioria dos carros de tração dianteira, a sair de frente. Não, logo após a entrada da curva sente-se que a traseira também vem um pouco para fora, apoiando-se e ajudando na aderência, com a carroceria mantendo-se firme, sem oscilações. O resultado foi que ele, que era o que eu menos gostava em curvas — faço questão de frisar que é minha impressão pessoal — passou a ser o que, a meu ver, mostra o melhor comportamento da categoria . As curvas saem como feitas a compasso.

Ambiente arejado. Ótima visibilidade. Leve de guiar  NOVO TOYOTA ETIOS HATCH 1,3 MANUAL, NO USO DSC05542

Ambiente arejado com ótima visibilidade e leve de guiar, além da excelente manobrabilidade com diâmetro mínimo de curva de 9,6 metros

E note que o 1,3 X vem com estreitos pneus 175/65R14 (Pirelli Cinturato P1). O Etios com motor de 1,5 litro vem com pneus mais largos, os 185/60R15, que também seriam bem-vindos no de 1,3 litro, mas certamente deram preferência aos mais estreitos visando maior economia de combustível, por seu menor atrito de rolagem. Mesmo com esses pneus estreitos ele se agarra feito um leãozinho ao asfalto e faz curva feito carro de corrida. E previsível, sem surpresas, sem chicotadas de traseira, nada.

Subir a vazia serra Bertioga–Mogi das Cruzes numa segunda-feira foi prazer a cada curva, com ele rápido nas trocas de apoio, estável, sempre na mão. Tudo dentro do seu agradável ambiente arejado devido à linha de cintura baixa em relação ao teto, com grande área envidraçada, painel baixo, posição perfeita de dirigir.

O trambulador de câmbio é excelente desde o lançamento, com curso de engate curto e preciso, com uma rapidez que “chupa” a alavanca. A embreagem é leve (agora é de acionamento hidráulico), freios têm ótima modulação, a direção eletroassistida é relativamente rápida (relação 18,6:1) e tem bom peso em qualquer velocidade.

Aliado a tudo isso há o motor de 1.329 cm³ contribuindo com animação. Com 98 cv (álcool, 10 cv menos com gasolina) tem potência de sobra para acelerar os 955 kg do hatch, daí que na serra logo se alcança a próxima curva e lá vem mais freada leve — já que é só uma subida rápida, nada de corrida —, redução de marcha, entrar na curva agarrado ao chão… e tome acelerada.

Quem diria, não? Os carros, em geral, andam melhorando muito. O autoentusiasta curte, saboreia as sutilezas do bom comportamento, e quem não é autoentusiasta ao menos sente “um carro seguro nas mãos”.

Motor agora modernizado e ainda melhor  NOVO TOYOTA ETIOS HATCH 1,3 MANUAL, NO USO DSC05546

Motor 1,3-L  evoluído ficou realmente melhor

O motor gosta de girar e ficou mais elástico, fruto de agora ter variador de fase na admissão e escapamento, além de novo coletor de admissão e taxa de compressão mais alta (ver detalhes na matéria do Bob quando do lançamento). O torque máximo mais alto agora, 13,1 m·kgf  (álcool, com gasolina 12,5 m·kgf), mesmo à aparente elevada rotação de 4.000 rpm, com a variação de fase se faz presente em rotações mais baixas. Daí que o temperamento do motor é de autoentusiasta: forte o bastante até essa rotação e a partir daí o giro sobe como um motor de corrida. Pena o corte ser a baixas 5.800 rpm, muito longe do que mostra ter condições de ir com segurança. Sua potência máxima é a 5.600 rpm e o corte só 200 rpm acima da potência máxima me parece um cuidado exagerado.

O câmbio está muito bem escalonado, sem “buracos” e adequado para o conjunto motor-carro, como mostra o gráfico “dente de serra”. A 6ª é marcha adicional às cinco de antes, com ajustes mínimos na relações de 1ª, 4ª e 5ª, e portanto é um 5+E. Por exemplo, vai-se em 5ª até 120 km/h (4.300 rpm)  e joga-se a 6ª para a rotação baixar para 3.100 rpm, e o motor que é suave e silencioso por si só segue quase inaudível nessa velocidade de viagem.

Dente Etios  NOVO TOYOTA ETIOS HATCH 1,3 MANUAL, NO USO Dente Etios

O “dente de serra” mostra escalonamento de marchas adequado

Talvez venham reclamações justamente dessa característica que o autoentusiasta aprecia, pois devido à última marcha longa, na estrada reduções são feitas com maior frequência do que se fosse um insosso câmbio de cinco marchas com 5ª de potência. Mas com certeza o leitor autoentusiasta há de gostar, mesmo porque trocar marchas no Etios é tão leve, fácil e rápido — mesmo trocas 5ª-6ª e vice-versa — que nem se percebe. E, claro, essa característica traz economia de combustível e conforto. Nota 10.

Com gasolina fez 10 km/l na cidade e 13,5 km/l na estrada. Na cidade é mesmo por aí, questão de trânsito, mas na estrada, sem as “exigências” de aceleração que uma avaliação requer, certamente ele fará algo acima dos 14 ou 15 km/l prometidos. Com álcool, na estrada, fez 11,2 km/l, melhor que o dado oficial. De qualquer modo, ele levou nota máxima nos testes do Inmetro, portanto econômico ele é.

Econômico.   NOVO TOYOTA ETIOS HATCH 1,3 MANUAL, NO USO DSC05526

Outro destaque do Etios é o grande espaço no banco traseiro, um dos melhores da categoria. Outro é a infinidade de porta-objetos, com aproveitamento de nichos, onde cada coisa tem seu lugar, um para o celular, outro para chaves etc. E outro, é que agora ele tem cinto de três pontos para o passageiro do meio do banco de trás, cuja ancoragem é no teto devido ao encosto rebatível. Ah! e agora tem Isofix para bancos de crianças.

20160420_093056  NOVO TOYOTA ETIOS HATCH 1,3 MANUAL, NO USO 20160420 093056

Ancoragem do cinto de segurança central-traseiro no teto

Os novos instrumentos, apesar de terem um desenho colorido e um pouco estranho ao gosto ocidental, ao menos são perfeitamente legíveis, há regulagem da intensidade da iluminação e, finalmente, o útil computador de bordo.

Ao menos está legível e tem regulagem de intensidade da luz, e computador de bordo  NOVO TOYOTA ETIOS HATCH 1,3 MANUAL, NO USO DSC05534

Instrumentos foram inspirados no híbrido Prius

Portanto, são bem-vindas as mudanças no Etios. Quem antes o dirigiu e não se enamorou, vale experimentar o novo, pois agora ele oferece muitos atrativos que lhe faltavam. Quem já se enamorava dele, se guiá-lo, principalmente numa boa estrada, muito provavelmente será fisgado. Ah, é nas estradas de terra ele também vai muito bem, pois a suspensão é robusta, silenciosa e macia.

AK

 

FICHA TÉCNICA ETIOS 1,3 HATCHBACK MANUAL 2017
MOTOR
Tipo4 cilindros em linha, duplo comando de válvulas no cabeçote, corrente, 16 válvulas,atuação indireta por alavancas roletadas com compensação hidráulica de folga, variador de fase admissão e escapamento, bloco e cabeçote de alumínio; transversal, flex
Cilindrada1.329 cm³
Diâmetro e curso72,5 x 80,5 mm
Taxa de compressão13:1
Potência88 cv (G) e 98 cv (A), a 5.600 rpm
Torque12,5 m·kgf (G), 13,1 m·kgf (A), 4.000 rpm
Rotação de corte5.800 rpm
Comprimento da biela149,21 mm
Relação r/l0,27
Formação de misturaInjeção no duto
TRANSMISSÃO
CâmbioTranseixo dianteiro de 6 marchas manuais, tração dianteira
Relações das marchas1ª 3,538:1; 2ª 1,913:1; 3ª 1,310:1; 4ª 0,971:1; 5ª 0,818:1; 6ª 0,700 ré 3,333:1
Relação do diferencial3,944:1
SUSPENSÃO
DIANTEIRAIndependente, McPherson, braço triangular, mola helicoidal e amortecedor pressurizado, barra estabilizadora
TRASEIRAEixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado, barra estabilizadora incorporada ao eixo
DIREÇÃO
TipoPinhão e cremalheira, eletroassisitida indexada à velocidade
Relação de direção18,6:1
Nº de voltas entre batentes3,8
Diâmetro mínimo de giro9,6 m
FREIOS
DianteirosA disco ventilado
TraseirosA tambor
RODAS E PNEUS
RodasAço, 5J x 14
Pneus175/65R14
DIMENSÕES
Comprimento3.777 mm
Largura1.695 mm
Altura1.510 mm
Distância entre eixos2.460 mm
PESOS E CAPACIDADES
Peso em ordem de marcha955 kg
Porta-malas270 litros
Tanque de combustível45 litros
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h11 s (estimada)
Velocidade máxima km/h172 km (calculada)
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL INMETRO/PBEV
Cidade12,6 km/l (G) e 8,6 km/l (A)
Estrada14,2 km/l (G) e 9,8 km/l (A)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
V/1000 em 6ª38,6 km/h
Rotação a 120 km/h em 6ª3.100 rpm
Rotação à vel. máxima em 5ª5.300 rpm
Alcance nas marchas (5.800 rpm)1ª 44 km/h; 2ª 82 km/h; 3ª 120 km/h; 4ª 161 km/h

Sobre o Autor

Arnaldo Keller
Editor de Testes

Arnaldo Keller: por anos colaborador da Quatro Rodas Clássicos e Car and Driver Brasil, sempre testando clássicos esportivos, sua cultura automobilística, tanto teórica quanto prática, é difícil de ser igualada. Seu interesse pela boa literatura o embasou a ter uma boa escrita, e com ela descreve as sensações de dirigir ou pilotar de maneira envolvente e emocionante, o que faz o leitor sentir-se dirigindo o carro avaliado. Também é o autor do livro “Um Corvette na noite e outros contos potentes” (Editora Alaúde).

Publicações Relacionadas

  • Paulo Júnior

    Gosto muito deste carro, o que me impediu de comprá-lo no passado foi o painel, uma vez que só tenho visão no olho esquerdo, pra mim a posição do painel era um desastre. Continua central, mas farei um test drive, quando for trocar de carro, para avaliar este novo modelo. O comando de câmbio dele é via cabo?

  • Gabriel Porfírio

    Alguma versão do Etios possui regulagem de altura do volante e do banco?

    • Gabriel, só altura do banco, todos

      • Bob, eles todos têm também regulagem de altura do volante. Não de distância.

  • kravamaga, 4 estrelas Latin NCAP.

  • Luís Carlos K., você conhece design mais polêmico que o Fusca? (pense em 1950).

  • edet

    Uma correção. Não são todos Etios 1,5 que vem com pneus 185/60R15, e sim somente a versão de topo, 1,5 XLS. A versão 1,5 XS vem com os mesmos pneus da versão 1,3 X.

  • Newbie, é por essas e outras que desconsidero totalmente o marketing das estrelinhas. Mudar protocolo é o fim da picada.

  • Luís Carlos K., feio é brasileiro achar o Etios feio, como se fosse um entendido de estilo.

    • ochateador

      E 99% das pessoas que falam que é feio nunca andaram em um Etios.

  • WSR, dirija esse com o novo conjunto de instrumentos e me diga o que achou.

  • Newbie, é desnecessária a dupla debreagem nas trocas ascendentes, basta efetuá-la mais devagar. O sincronizador deve, sim, efetuar seu trabalho.

    • Newbie

      Obrigado, Bob.

      Vou experimentar a dica quando tiver contato com o carro novamente.

  • Eduardo Edu

    Esse Etios 2017 me parece o preâmbulo de um compacto perfeito — quando a Toyota acertar o desenho.

    • Eduardo, ou quando o consumidor for um pouco mais racional e ver que não há nada de errado com o desenho do Etios. É apenas cisma.

  • Fernando

    Mesmo com todas essas qualidades não consigo imaginar ter um. Não gosto do design externo e nem do painel central. Questão pessoal de gosto.

  • Luís Carlos K., não seria o caso de o brasileiro ser minimamente racional, coisa que anda em baixa ultimamente?

  • Caio, o câmbio AT4 satisfaz a condição de rotação baixa em velocidade de cruzeiro, enquanto o MT5 não, daí terem lhe acrescentado mais uma marcha.

  • Claro que não, Caio, apenas aguardava moderação. Está publicado e com resposta.

  • Eduarduuu, você está certo, o projeto visou a Índia no início, mas nada impedia que viesse para o Brasil. É mais um caso de complexo de vira-lata que muitos brasileiros infelizmente ainda têm.

  • Mike, não adianta, não consigo ver feiura no Etios, não nada, nenhum ponto errado nele.

    • Oliveira17

      Também gosto do design do Etios, assim como o do up!, é discreto, coisa que me agrada muito.

  • Fantasma, procure dirigir um, vai ver como é fácil ver os instrumentos.

  • Tuhu, já ouviu falar em marqueteiro?

  • VeeDub

    Com todas estas mudanças positivas, principalmente o powertrain, dá para recomendar o Etios tranquilamente (antes eu não fazia isto nem sob tortura). Entre ele e o Logan/Sandero, fico com o Etios, pois em termos de motor e câmbio ele deixa a dupla francesa comendo poeira.
    O velho motor 8V do Logan/Sandeiro e aquele câmbio com varão eu não engulo.

  • Luís Carlos, o que mais custa num novo desenho são as ferramentas de estamparia. Investir só para ficar “bonitinho” não faz sentido. O Etios tem desenho honesto e muito funcional. Como vem escrito no maço do cigarro que passei a fumar, o Winston importado da Alemanha, “Acredite em quem você é.” e não dê bola par o que o vizinho que comprou outra marca do segmento vai achar.

  • VeeDub

    Arnaldo, o que achou da taxa de compressão 13:1, a mais elevada em um veículo flex? Batida de pino?

    • VeeDub. Não nada de detonação. Sem problema algum. A Toyota saber fazer motos

  • Arruda

    Gosto é gosto. Não compraria um HB20 justamente pelo design rebuscado. Coisa que daqui uns 15 ou 20 anos será considerado uma das aberrações dessa época. Aliás acho que a Hyundai anda perdendo a mão no estilo, não consigo gostar de seus carros atuais.

  • Alessandro Peres

    Nunca tive oportunidade de dirigi-lo, me baseio pelo fato do desvio de olhar ao consultar o painel e fator estético, mas é bom saber que na prática não provoca estranheza.
    Obrigado, por compartilhar sua experiência

  • CorsarioViajante

    Minha mãe também comprou o Etios exatamente por isso.

  • Oliveira17

    Acessível entre aspas, porque o poder de compra do brasileiro tem diminuído, mesmo quando se comparado com o valor dos concorrentes.

  • Tomtilt, você não é esquisito, apenas tem bom gosto.

  • Fernando, você disse tudo, o motorista é que não sabe aproveitar e/ou tem medo de rotação.

  • Mike, o que é pts? (rsrsrs)

  • Tenho duas amigas que têm Etios e dizem a mesma coisa, só trocam por outro. Uma delas, inclusive, está com problema grave no joelho esquerdo e estava preocupada porque teria que comprar um carro automático, e estava acima do que ela queria pagar, ou o modelo não agradava. Quando comentei com ela que o Etios automático havia sido lançado, ficou eufórica para comprar um.

  • Marcos Henz

    Enxergo o Etios como um possível sucessor do up! para quem busca um pouco mais de conforto e desempenho, destacando o comando por corrente, melhor suspensão e última marcha mais longa.
    Posso dizer que no meu caso não teria dúvida alguma se essa versão oferecesse controle automático de velocidade!

  • Fernando, exatamente. Daí que em muitos casos o câmbio automático ou robotizado ajuda muito, pois com eles basta o sujeito pisar fundo e boa. .

  • Luís Carlos K.

    Perfeito, Mike. Ia citar esse exemplo, mas você já o fez. O Logan era o patinho feio dos sedãs, várias pessoas descartavam logo de cara o modelo por causa do design, muitas vezes sem analisar os pontos positivos. Veja o que aconteceu após a atualização. Praticamente dobrou o número de vendas, enquanto boa parte dos concorrentes decresceu no mesmo período. Acredito que as despesas para um facelift profundo do Etios, independente do valor, será um investimento rentável.

    • Luís Carlos K, a Toyota não é maluca de mudar um carro aceito e que esta vendendo bem só porque tem gente que o acha feio — coisa que ele não é. Não é o mesmo caso do Logan.

  • Vitor, pronto, nesses dois estelares ninguém morre mais…

    • Vitor Medeiros

      Não foi isso que quis dizer, disse que em segurança, os dois foram aperfeiçoados em relação as gerações anteriores. Cuidado com a má interpretação, amigo Bob!

      • Vitor, não foi erro de interpretação, foi só comentário sobre as estrelinhas salvadoras.

  • Luke, não foi isso, mas ter achado que o brasileiro tinha evoluído, só.

  • Félix

    Mudou pouco, mas fez uma bela diferença na tocada. Agora eu compraria, mesmo ainda achando feio.

  • Gabriel, informação que espelhe comparação não é dada aqui no AE. O leitor tem os dados nos textos e pode chegar a conclusões. Mas o teste do Inmetro é plenamente confiável.

  • Vinicius, há quem ache o Etios bonito e estou nesse grupo. O brasileiro anda meio estranho ultimamente.