O suve Edge, da Ford, foi completamente renovado em sua segunda geração (lançado em 2006 no Salão de Detroit) . Só o bom motor Duratec V-6 de duplo comando de válvulas com variador de fase em ambos, 24 válvulas,  bloco e cabeçotes de alumínio, 3,5-litros, 284 cv a 6.500 rpm e 34,5 m·lgf a 4.000 rpm, foi mantido. Tem nova estrutura e nova carroceria, com linhas mais modernas, angulosas e com detalhes de design que refinaram e embelezaram o modelo. Fabricado em Oakville, Canadá, só virá para o Brasil a versão mais sofisticada e completa, a Titanium, cujos únicos opcionais são o teto solar (R$ 5.000) e telas de DVD no encosto de cabeça dianteiros, aquelas para distrair crianças difíceis (R$ 5.000). Com o preço sugerido de R$ 229.900, a Ford pretende disputar a categoria chamada premium, que envolve os suves alemães BMW, Audi, Mercedes; os suecos Volvo e ingleses Land Rover Range Rover.

DSC05886  NOVO FORD EDGE, EXCELÊNCIA NORTE-AMERICANA DSC05886

Amplitude interna e bom gosto marcam o Ford Edge

O objetivo é oferecer o mesmo por menos, tal qual conseguiu fazer com o Fusion, cujas qualidades, principalmente o quanto agrada dirigi-lo, lhe permitiram cativar clientes que só se satisfaziam com sedãs bem mais caros.

No interior do novo Edge nota-se maior esmero no design, que, menos rebuscado, mais “clean”, ficou mais chique. O conforto é digno de nota máxima para todos os ocupantes. Ótima ergonomia, bancos aconchegantes e nada de quinas que incomodem. Todos os contornos são arredondados e macios. É de notar que nada no painel é cromado, para evitar os incômodos reflexos.

Atrás espaço, conforto e ambiente arejado  NOVO FORD EDGE, EXCELÊNCIA NORTE-AMERICANA DSC05887

Atrás espaço, conforto e ambiente arejado; ‘pela largura, é o único que pode acomodar três bancos infantis, com engates Isofix para os três

Vem recheado de recursos eletrônicos de comodidade e segurança, como abrir o porta-malas de acionamento elétrico ao passar o pé por debaixo do para-choque traseiro, assistente de estacionamento, controle de velocidade cruzeiro adaptativo (diminui a velocidade caso o veículo à frente esteja mais devagar), assistente para permanência na faixa de rolamento. Inclusive tem uma câmera frontal com ângulo de abertura de 180º, que ajuda, numa saída de garagem, a ver se vem gente vindo pela calçada.

Os bancos dianteiros são aquecidos e refrigerados, mas os traseiros, só aquecidos. O freio de estacionamento é de acionamento elétrico, comodidade cada vez mais apreciada. Há os cintos de segurança traseiros infláveis, um detalhe de segurança adicional. O porta-malas de 1.110 litros é o maior da categoria, segundo a Ford.

DSC05874  NOVO FORD EDGE, EXCELÊNCIA NORTE-AMERICANA DSC05874

Linhas modernas que inspiram robustez

A apresentação foi em Campos do Jordão, cidade serrana de São Paulo, e houve um breve percurso de testes, com descida e subida de serra da rodovia SP-123 Floriano Rodrigues Pinheiro. Eram dois jornalistas por carro, minha vez foi subir. Gostei muito, a suspensão dianteira por triângulos superpostos e a traseira multibraço,  é primorosa. É macia porém firme, rola pouco nas curvas, na medida certa. Carros altos como os suves não devem inclinar demais, senão gera incômodo aos ocupantes. Faz curva muito bem, equilibrado, e no limite tende a sair igualmente com as quatro rodas, sempre em perfeito controle, previsível. Não houve necessidade do controle eletrônico de estabilidade intervir, pois o Edge é naturalmente equilibrado e além disso não exagerei.

As rodas são de 20 polegadas com 8″de tala e pneus 245/50R20, de 732 mm  de diâmetro total. Conjugados com a sexta marcha bem longa, 0,742:1, e o diferencial 3,39:1, a v/1000 é de elevados 54,8 km/h por 1.000 rpm, o que dá 2.190 rpm a 120 km/h reais. Coisa rara, a Ford informou a relação do conversor de torque, 1,8:1, mas nada quanto a desempenho e consumo.

Dados americanos informam aceleração 0-100 km/h em 8 segundos  e velocidade máxima de 235 km/h, bons números para os 2.040 kg de peso em ordem de marcha, com o tanque de 70 litros cheio. O consumo, segundo o procedimento de teste da EPA dos EUA, 7,6 km/l na cidade e 10,6 km/l na estrada, lembrando que o procedimento do órgão ambiental de lá é bem mais severo do que a um par de anos.

A tração é nas quatro rodas do tipo sob demanda, ou seja, o computador comanda conforme as necessidades do momento e envia torque para as rodas traseiras (a tração é predominantemente dianteira).  Os freios a disco nas quatro rodas são potentes e de fácil modulação.

Design esmerado  NOVO FORD EDGE, EXCELÊNCIA NORTE-AMERICANA DSC05873

Design ousado e esmerado

O câmbio automático epicíclico de seis marchas agrada pela trocas rápidas e suaves, é irrepreensível. No modo S, mais esportivo, ele segura marchas com maior rigor nas reduzidas.  E há borboletas no volante.  A direção eletroassistida é rápida. Peso bom, nem leve nem pesada demais, no ponto, e sua relação é variável, ficando mais lenta no centro e mais rápida com maior ângulo de esterçamento.

Haverá quem queira ainda mais em suves do que o novo Edge tem a oferecer?

AK

 

NOVO FORD EDGE 3,5 2017
MOTOR
Designação3.5L V6 Duratec 3.5 TiVCT 4V
DescriçãoV-6 com 4 válvulas/cilindro, duplo comando com variador de fase na admissão e escapamento, acionamento por corrente, transversal, gasolina comum
Material do bloco/cabeçotesAlumínio
Cilindrada3.496 cm³
Diâmetro e curso92,5 x 86,7 mm
Taxa de compressão10,8:1
Potência máxima284 cv a 6.500 rpm
Torque máximo34,5 kgf·m a 4.000 rpm
Rotação de corte6.850 rpm
Formação de misturaInjeção no duto
TRANSMISSÃO
TipoTranseixo automático epicíclico de 6 seis marchas à frente e uma à re
Relações das marchas1ª 4,484:1; 2ª 2,872:1; 3ª 1,842:1; 4ª 1.414:1; 5ª 1,000:1 (direta); 6ª 0,742:1; ré 2,882:1
Relação dos diferenciais3,390:1
Relação do conversor de torque1,8:1
SUSPENSÃO
DianteiraIndependente, triângulos superpostos, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora; subchassi
TraseiraIndependente, multibraço, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora; subchassi
DREÇÃO
TipoPinhão e cremalheira, eletroassistida, relação variável e indexada à velocidade
FREIOS
DianteirosA disco ventilado de Ø 343 mm
TraseirosA disco de Ø 315 mm
RODAS E PNEUS
RodasAlumínio, 8Jx20
Pneus245/50R20
CONSTRUÇÃO
TipoMonobloco em aço, utilitário esporte, 4 portas, 5 lugares
DIMENSÕES
Comprimento4.782 mm
Largura sem/com espelhos1.934/2.178 mm
Altura1.744 mm
Distância entre eixos2.850 mm
CAPACIDADES E PESOS
Porta-malas1.110 litros, 2.080 litros com banco traseiro rebatido
Tanque de combustível70 litros
Peso em ordem de marcha2.040 kg
Carga útill509 kg
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL EPA/EUA
Cidade7,6 km/l
Estrada10,6 km/l
CÁLCULOS DE CÂMBIO
V/1000 em 6ª54,8 km/h
Rotação a 120 km/h em 6ª2.190 rpm
Rotação vel. máxima em 5ª5.800 rpm

Sobre o Autor

Arnaldo Keller
Editor de Testes

Arnaldo Keller: por anos colaborador da Quatro Rodas Clássicos e Car and Driver Brasil, sempre testando clássicos esportivos, sua cultura automobilística, tanto teórica quanto prática, é difícil de ser igualada. Seu interesse pela boa literatura o embasou a ter uma boa escrita, e com ela descreve as sensações de dirigir ou pilotar de maneira envolvente e emocionante, o que faz o leitor sentir-se dirigindo o carro avaliado. Também é o autor do livro “Um Corvette na noite e outros contos potentes” (Editora Alaúde).

Publicações Relacionadas

  • Mr. Car

    Se fosse comprar um veículo do segmento, claro, faria um minuncioso comparativo entre ele e os concorrentes (como faria com carros de quaisquer segmentos que me interessassem), mas que ficou muito bonito e caprichado, isto ficou. E no meu tempo de criança não tinha este negócio de telinha de DVD para manter a petizada “difícil” dentro de padrões civilizados de comportamento. Bastava meu pai olhar feio para trás, e estava dado o recado: era para eu e minha irmã sossegarmos o facho. E a gente sossegava, he, he! No mundo “muderno” de hoje, com patrulhamentos como a Lei da Palmada, que coloca um peteleco no mesmo nível de um espancamento, os pais repreendem aos filhos e estes, não raro, os mandam tomar naquele determinado orifício. Se o repreendedor for um(a) professor(a) então, se não apanhar do aluno, já está no lucro. Ó tempos!
    Abraço.

  • Renato Amorim

    Tive um da primeira geração lançada aqui, e era maravilhoso, muito confortável e dinamicamente muito interessante! o único defeito é o consumo. Bem escola americana!

  • Diogo

    O Edge, assim como o Santa Fé, é um SUV a moda clássica: espaço abundante. motor V6 e muito conforto. E ambos são bem competitivos, principalmente em comparação com a Toyota SW4, que é menos equipada e, com a construção sobre chassis, tem comportamento dinâmico inferior.

  • Fat Jack

    Um legítimo “american style”, ficou de fato sinda mais agradável, gostei! AK, você não teria nenhuma imagem do painel de instrumentos dele?

  • Marcelo, o conversor de torque multiplica torque até determinada rotação do motor, algo entre 2.500 e 3.000 rpm. Essa multiplicação se dá por alavancagem hidráulica. Sai mais torque do conversor do que entra. A alavancagem hidráulica é feita por um elemento chamado estator, localizado entre a bomba, ligada ao motor, e a parte acionada chamada turbina, ligada ao câmbio.

    • Marcelo Almeida

      Então essa relação do conversor de torque é o quanto o torque de entrada é multiplicado por ele, no caso, 1,8 vezes. Muito obrigado.

  • Comentarista, estamos todos sujeitos a deslizes, e esses passaram batido por mim no meu trabalho rotineiro de edição. Já foi corrigido.

  • Matheus Ulisses P.

    Veículo muito bem desenhado e essa combinação de exterior vinho e interior claro bicolor ficou extremamente agradável!

  • Puxa vida, Comentarista! Vou arrancar o que me resta de cabelos!
    Está contente?
    Eu vejo o Edge como uma perua e nessas escapa, oras bolas. Que patrulhamento mais chato!

  • WSR

    Roqueiros entenderão o meu “slogan”: Fabricado na terra do Rush para encarar a hora do rush com estilo. ☺

  • Alexandre, boa essa!

  • Gustavo

    Belo carro. A julgar pela desvalorização da versão anterior, o possível comprador não deve se apegar ao seu patrimônio. Os anúcios dos Edge usados são tentadores.
    .

  • dncmotors, isso significa apenas que você não quer um Edge, ora.

  • Dieki

    A maioria das pessoas está comentando sobre a largura. Como ele compartilha plataforma com o Fusion, deve ter mais ou menos a largura deste, não?