Dois anos após a Nissan inaugurar o Complexo Industrial de Resende, no Estado do Rio de Janeiro,  inicia-se o programa de produção em série de automóveis para exportação. O Brasil, membro-chave para a estratégia de crescimento da Nissan na América Latina, passará a fornecer aos clientes dos mercados regionais, veículos especialmente feitos para eles. 

Em março, a empresa de origem japonesa iniciou a exportação de seus modelos nacionais para o Paraguai. Já nesta segunda fase, entre julho e agosto, a Nissan exportará automóveis também para Bolívia, Chile, Peru e Uruguai, e posteriormente, para a Argentina.

Os modelos exportados para os países vizinhos são os  dois produzidos aqui, March e Versa em diferentes versões com motor 1,6-litro de 4 cilindros com câmbios manual, automático e CVT. No ano fiscal de 2016, o Complexo Industrial de Resende iniciará a produção do totalmente novo crossover Kicks, cuja exportação também ocorrerá no futuro.

“Nosso time em Resende tem trabalhado duro nos últimos dois anos para estabelecer alguns dos mais elevados índices de qualidade da Nissan em todo o mundo. Esta qualidade nos dá a certeza de que os nossos automóveis produzidos no Brasil serão bem aceitos pelos clientes de toda a América Latina, o que reforçará nossa marca na região.”, afirma Hitoshi Mano, vice-presidente de Operações e Manufatura da Nissan do Brasil.

“A ambição da Nissan de ser a marca japonesa número 1 está vinculada ao fortalecimento e expansão da nossa base de manufatura. A combinação da produção de carros e crossovers na nossa fábrica de Resende e a futura produção de picapes na Argentina em 2018 vão gerar sinergias que vão beneficiar consumidores no Brasil e na região. É um momento único na história da Nissan do Brasil.”, afirmou François Dossa, presidente da Nissan do Brasil.

A linha de produção de Resende conta com 90 robôs, distribuídos ao longo de todo o processo de manufatura. Os carros e motores produzidos são 100% testados na pista de testes do Complexo Industrial da Nissan, assegurando a qualidade e tecnologias empregadas nos modelos de exportação.

O programa de exportação da Nissan do Brasil foi criado em 2015 com objetivo de levar toda a tecnologia produzida em Resende para os mercados da América Latina cuja demanda tem crescido ao longo dos meses. Desta forma, o Complexo Industrial de Resende passa a abastecer tanto o mercado interno do Brasil quanto os mercados dos países vizinhos, pouco tempo depois de completar seu segundo ano de atividade.

A fábrica de Resende foi inaugurada em abril de 2014 e tem capacidade para produzir 200 mil veículos e 200 mil motores por ano. Atualmente são produzidos os modelos March e Versa, e em breve, o crossover Kicks.

JJ

(41 visualizações, 1 hoje)


Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

Publicações Relacionadas