Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas BRISTOL RESSUSCITA E APRESENTA O BULLET – Autoentusiastas

A empresa britânica Bristol, que já foi comentada no AE, apresentou o Bullet, seu novo modelo que marca o reinício da produção, depois de seis anos desativada.

O carro é um roadster — carro projetado para não ter teto, diferente de um conversível — tem motor V-8 da BMW com cerca de 375 cv, câmbio manual de seis marchas, tração traseira, e será feito em um lote de 70 unidades. Depois disso, virão motores elétricos,  fruto de cinco anos de trabalho com a empresa de especialidade eletroeletrônica Frazer-Nash  (outra marca já conhecida dos leitores), com a URT, especializada em materiais compósitos, e a fábrica dos táxis londrinos Metrocab, que tem um modelo híbrido que atende a todas as normas de emissões de poluentes mais restritas.

O dono dessas empresas é a Kamkorp, de Kamal Siddiqi, empresário indiano que comprou a Bristol em 2011.

O carro marca os 70 anos da criação da fábrica de carros Bristol logo após a Segunda Guerra Mundial, quando ela já era conhecida por seus aviões há bastante tempo, e o nome Bullet (bala em inglês), é homenagem ao caça da Primeira Guerra Mundial.  Apesar do nome, terá velocidade máxima limitada eletronicamente de 250 km/h, com aceleração de 0 a 60 milhas por hora (96,5 km/h) em 4 segundos.

O carro mantém a tradição da entrada de ar para o motor com o mesmo formato de sempre, as pequenas aletas na borda dos para-lamas traseiros, e acabamento de padrão elevado, artesanal, com couro de primeira linha costurado à mão. Os exemplares estão sendo vendidos para colecionadores da marca, a um ritmo não revelado, e preço ao redor de 250 mil libras esterlinas (cerca de R$ 1.075.000 a preço de hoje), pois os materiais de acabamento são opção do cliente, e o preço varia de acordo.

Painéis externos e partes do habitáculo são de compósito de  fibra de carbono, com chassis de alumínio, em que os componentes são colados, suspensões de duplos triângulos superpostos nas quatro rodas, projetada pela Multimatic, mesma empresa que trabalhou com a Ford no novo GT, resultando em peso em ordem de marcha de apenas 1.130 kg, cerca de 250 kg a menos que um BMW Z4 com o mesmo motor.

As primeiras entregas começam no início de 2017.

JJ

Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

  • Mr. Car

    Está certo, é uma baita exclusividade, mas se eu tivesse dinheiro dos bons para comprar um esportivo, ia mesmo era em algo mais comum. “Comum” que eu digo é em termos de exemplares produzidos, já que eu não chamaria um Porsche, um Maserati, um Aston Martin, ou um Jaguar, de comum, he, he!

    • Raul Lopes

      Se for com câmbio manual concordo contigo!

  • RoadV8Runner

    Gostei do modelo, principalmente com esse interior caramelo. No meu, ficaria em dúvida se pediria com interior caramelo ou em bege. Mas uma coisa é certa: viria sem essa cobertura sem graça no motor… Se viesse com, eu mesmo me encarregaria de joga-la para bem longe do carro!
    Tem horas que é bom não dispor de R$ 1 milhão de reais, pois nos elimina alguns dilemas… Rsss!!!

  • Bera Silva

    Fantástico! O meu pode ser com o velho seis em linha mesmo. 1.130 kg, bem leve.

  • Essa combinação de cores ficou simplesmente sensacional, remete levemente ao padrão Gulf Oil.