Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas AUTOMÓVEL: CANELA, RS, GANHA O MUSEU DOS AZAMBUJA – Autoentusiastas

Conhecidos pela melhor coleção de automóveis nacionais, os irmãos Rogério e Róberson Azambuja, empresário e advogado, tomaram coragem e instalaram o Museu do Automóvel no limite entre as turísticas Gramado e Canela (foto acima). Noticiou a Coluna  em 1º de outubro de 2014, adquiriram o fechado Museu do Automóvel, Arte e Cultura, do também gaúcho Carlos Eduardo Warlich, ampliaram o espaço museal a 1.700 m² para exposição.

Proposta é exibir acervo próprio, alternando com estoque mantido em Passo Fundo no Museu do Transporte Nacional; fomentar o interesse e o turismo antigomobilístico; incrementando a realização de eventos com clubes de marca. O de Simca — www.simca.com.br —, por exemplo, antecedendo a inauguração, intenta fazer, próximo ano, seu III Encontro Nacional junto com o novo Museu.

Vizinha Gramado tem a mais movimentada exposição de veículos antigos, pelo Hollywood Dreams, exposição majoritária em Cadillacs e conversíveis, além de motocicletas Harley-Davidson, atraindo cerca de 1.000 visitantes diários.

O foco dos Azambuja é efetivamente de história e cultura fomentados pelo museu. Seus iniciais 40 veículos são expostos em alas temáticas, alguns em Dioramas – entorno localizando o veículo em cenário de época, ou reproduzindo foto de época. O IBAP Democrata – um dos dois exemplares remanescentes dentre quatro produzidos — está à frente de grande reprodução de foto tomada na praia de Copacabana.

Na primeira exposição, a partir de 15 de julho, muitas marcas representando dos anos ’20 aos ‘80: Clássico Marmon, Cadillac, Chevrolets Chevelle e Corvette, Buick, Pontiac, Rolls-Royce, Ferrari, e nacionais Puma, Simca, Brasinca 4200 GT, Karmann-Ghia, citado Democrata e quase tão raro Lafer LL.

Há memorabilia exposta, bombas antigas de gasolina, projeção de filmes, mais de 600 miniaturas, além de espaço infantil e loja de souvenirs.

Se as prefeituras de Gramado, Canela e São Francisco de Paula se entrosarem poderão fomentar turismo específico pela exposição em Gramado, o novo Museu em Canela, e pelo Museu em São Francisco de Paula — a 70 km.

 

Espelhos retrovisores, coisa do passado?

O órgão japonês de trânsito autorizou, a partir de 2017, licenciamento e circulação de veículos sem espelhos retrovisores internos e externos. Decisão se baseia na efetividade de resultados do desenvolvimento de tecnologia, e na segurança operacional de câmeras e monitores de TV. Apesar de ser requerimento antigo dos designers — afinal os espelhos são obstáculos à livre circulação do ar, aumentando consumo e emissões —, o argumento de maior peso foi incremento em segurança: a eliminação dos pontos cegos. Outro, a eliminação da influência das situações de claro e escuro variando de acordo com a iluminação do dia. Sistemas experimentais haviam sido tentados, o incremento das câmeras de ré e laterais deram a base tecnológica, e a busca mundial pela redução de consumo e emissões auxiliaram na decisão, a espraiar-se mundialmente. A tecnologia já existe.

Não é moda, mas tendência, e fabricantes de equipamentos eletrônicos e de automóveis disputam tecnologias e prazos para aplicação. Primeira variação, em caminhões, câmeras iriam num mastro. Telas grandes, aplicadas próximas ao volante – ou como no caso de Mercedes e Audi, onde se aplicam os instrumentos virtuais.

Foto Legenda 02 coluna 2916 -

Após décadas, saem espelhos retrovisores, entram câmeras

 

Roda-a-Roda

Marketing – Reveladas primeiras imagens da Aperta, versão conversível do LaFerrari. Produção limitada, preço elevado, grande lucro unitário. Não é ferramenta de deslocamento, apenas marketing sobre rodas. Mecânica idêntica ao GT: V-12, 800 cv, mais motor elétrico de 163 cv. Quantidade não revelada; pré-vendida a colecionadores; US$ 3,7M — o mais caro dos Ferrari.

Foto Legenda 03 coluna 2916 -Ferrari

P’ra Quê? – Brabus, preparadora alemã de veículos Mercedes-Benz tem nova versão, o utilitário esportivo GLE 63 Brabus 850. Evolução sobre o anterior pico de desenvolvimento, com 700 cv, 97,9 m·kgf de torque, atinge 300 km/h.

… ?, 2 – Ao 700 agregaram-se elementos de decoração em fibra de carbono e rodas em aro 23”. 850 cv é a potência, 148 m·kgf de torque, indo aos 100 km/h em 3,8 s — tempo para esportivos sérios. Tivesse etiqueta de preços, Stille, representante, marcaria R$ 2,7M. Dúvida irrefreável, quem dispõe de tanta capacidade econômica, terá competência proporcional para conduzir?

Foto Legenda 04 coluna 2916 - Brabus

Brabus GLE 850, camionete com ânimo de esportivo

Vizinhos – Maurício Macri, presidente da Argentina, foi à Alemanha fomentar parcerias com Volkswagen e Mercedes. Pré-anunciou novo produto VW — desmentido pela administração continental através da Coluna. Terá investimentos para revisão de linhas no picape Amarok; versão com motor diesel V-6; e reformulação do Suran, o SpaceFox.

Sem dúvida – Coluna antecipou produção de picape Mercedes-Benz GLT compartindo chassis e parte rolante com Nissan e Renault, em Córdoba, na antiga e pioneira fábrica da IKA e seus Jeeps, picapes e Rurais, depois comprada pela Renault, agora com espaço cedido à sócia operação Nissan.

Teorias – Órgãos da imprensa nacional indicaram produção do picape Mercedes na Espanha e exportação ao Brasil, maior comprador sul-americano. Tese desacorçoada por perda de competitividade. Em 2018, e motor próprio.

Evolução – Renaults Duster e o picape Oroch aditivados em versão 2017: equipamento regenerador de energia para aumentar a economia do motor 2,0 em mais de 11%, e caixa automática de 4 marchas.

Insólito – FCA, Fiat Chrysler Automobiles, mandou mensagem ao mundo: precisa da ajuda de hackers. Depois de ver a condução de um Cherokee assumida via notebook, chegou a vez de furtos de Jeeps pelo mesmo sistema. Pagará de US$ 150 a 1.500 por indicação de vulnerabilidade de seus sistemas.

Saída – Toyota já envia o Etios ao Peru, após Argentina, Paraguai e Uruguai. Quer compensar queda do mercado interno.

Ocasião – Quem deseja trocar de veículo, vento a favor. Para limpar pátios ante reduzir estoque, chegada dos modelos 2017, ou fazer recursos, revendas, fábricas e importadores oferecem descontos sensíveis sobre preços sugeridos.

Cautela – Confira ano de produção dos veículos — alguns ainda são 2015, flexibilizando negócios. Se você vai colocar usado no negócio, veja quem o aceita pela tabela Fipe.

Pesquise – Quase todas as marcas em promoção. Maior agressividade, Ford com sensíveis descontos; Subaru idem para modelos do ano passado; na Mitsubishi sedã Lancer 2,0 2016 a atraentes R$ 70 mil.

Utilidade – Anfavea, associação dos fabricantes de veículos, mostra face social: campanha para enfatizar segurança veicular. Julho, mês das férias, foca nas crianças para educar os pais a não utilizar o celular ao dirigir e a importância do uso dos cintos de segurança no banco traseiro.

Público – Em postos de combustível nas estradas paulistas, com profissionais caracterizados como patrulheiros, convidam as crianças a assistir vídeo educativo e ganhar um kit de Patrulheiro Mirim, incluindo talão de multas.

Varejo – Grupo PSA – Peugeot-Citroën, em recuperação econômica, entrará no mercado de Pós-Vendas Multi Marcas, fornecendo peças, 9.000 itens para diversas marcas. Oficinas em 13 países, 1M de clientes.

Quase – ZF de caixas de marchas fará no Brasil mecanismo automatizador para câmbio manual Ecomid 9-marchas. Atende à crescente demanda por caixas automáticas a menor custo e facilidade de manutenção.

Invenção – Engenheiros da Cummins Brasil, fábrica de motores diesel, criaram sala de testes de polias. Reduz tempo de avaliação de 12 peças/50 dias para 16 peças/25 dias.

Atração – Ferrari 365 GT 2+2, carroceria Pininfarina, primeiro civilizado para público extracorridas, atração no leilão Russo and Steele, nas festas da semana santa antigomobilística, os eventos de Pebble Beach, Califórnia,18 a 20 agosto.

Quase – Atração adicional ao automóvel contendo direção hidráulica, suspensão autoajustável, motor V-12, 4,4 litros, 320 cv, três carburadores duplos Weber, é proximidade com o agente 007: foi de Albert Broccoli, diretor da franquia, e apesar da direção à esquerda, tem licença inglesa, ARB 007.

Registro – 11 de julho marcou 20 anos do fim da produção do VW sedã, ou Fusca. Renascido para se integrar ao plano do então presidente Itamar Franco em criar carros baratos para fomentar mercado, teve períodos distintos no país.

Como foi – Montagem de 1950 a 1956 pela Brasmotor, então representante exclusiva; 1953 a 1958 pela Volkswagen em modestas instalações no bairro do Ipiranga; 1959 a 1986 pela VW na fábrica de São Bernardo; 1993 a 1996, VW, nas antigas instalações da Vemag, no Ipiranga. No total, crê-se em 3,3 milhões de unidades nos três endereços e nas três séries.

Gente – Marcos De Bari, 53, fotógrafo de automóveis da revista Quatro Rodas, passouOOOO Queda do equipamento de iluminação no estúdio onde fazia fotos. OOOO Márcio Stefani, jornalista, adequação. OOOO Novo editor de AutoData, com a saída dos outros sócios fundadores, seu irmão S. Stéfani e Vicente Alessi. OOOO José Roberto Generoso, academicamente preparado, novo Secretário de Transporte e Mobilidade Urbana, Ministério das Cidades. OOOO Domingos Boragina, diretor comercial da Peugeot, mudança. OOOO Diretor de Desenvolvimento de Rede da PSA. Tem experiência. Fazia isto na rede Citroën. Trabalho duplo. OOOO Depurar rede e atrair interessados é o desafio do cenário. OOOO Frederico Bataglia, diretor de marketing na Peugeot, novo titular comercial da marca. OOOO

 

Mercedes fará centro de vans e picapes na Argentina

Fábrica alemã informou a Maurício Macri, presidente da Argentina, grandes planos para operar nesse país o Centro de Competência Regional, 9º em atividade no mundo e primeiro na América do Sul. Considera a capacidade do mercado continental, e quer fazer desenvolvimento, produção e distribuição. Mercedes já produziu na Argentina mais de 280 mil Sprinter; desde julho de 2015 iniciou fazer o versátil Vito; e Volker Mornhinweg, presidente da Mercedes-Benz Vans, informou, em 2018 a operação incluirá picape da marca.

Operação será liderada por Roland Zey, executivo, ex-diretor de vendas, implantador da operação Sprinter na Argentina, depois presidente da Mercedes local. Transferido à Alemanha para planificar e desenvolver o negócio de vans, retorna à Argentina como diretor-gerente do Centro, e missão específica de superintender desenvolvimento, ampliar mercados e garantir serviços de pós-venda para América do Sul, Latina, Caribe, reportando-se diretamente à divisão na Alemanha. Joachin Maier continua presidente e encarregado de caminhões e ônibus.

A operação Mercedes na Argentina foi a primeira da empresa fora do país de origem, e sua ligação com o país é densa, incluindo a presidência ter sido exercida pelo ídolo Juan Manuel Fangio, pentacampeão mundial de F-1, e manter-se como principal patrocinadora do Museu montado pelo automobilista em Balcarce, sua terra natal.

Foto Legenda 05 coluna 2916 -

Macri (e) e Volker Mornhinweg, presidente da MB Vans

 

RN

A coluna “De carro por aí” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.


Sobre o Autor

Roberto Nasser
Coluna: De carro por aí

Um dos mais antigos jornalistas de veículos brasileiros, dono de uma perspicácia incomum para enveredar pelos bastidores da indústria automobilística, além de ser advogado. Uma de suas realizações mais importantes é o Museu Nacional do Automóvel, em Brasília, verdadeiro centro de cultura automobilística.

  • A FCA ainda não entendeu o mercado underground da internet. Ao oferecer US$ 150,00 a US$1.500.00 mostra que está dando pouco valor ao trabalho dos hackers. No mercado underground, o desenvolvimento de um exploit (programa que explora uma vuilnerabilidade de algum sistema ou programa) é muito mais valorizado. O craker leva tempo, esforço e conhecimento para achar a falha, aprender a explorá-la e fazer o exploit fácil de usar. Com o exploit, pode-se roubar carros em série com toda facilidade, e como é serviço muito qualificado, é valioso para máfias do mundo todo.
    É 100 vezes mais lucrativo trabalhar para as quadrilhas de roubo de carro do que dar a dica para a FCA.
    Ser um hacker de ponta demanda muito investimento pessoal, e não é assim que ela vai conquistar auxiliares fiés e competentes.

    • Mr. Car

      Pois é, Dantas. Isto é mais ou menos como pedir que um traficante abra uma lojinha de R$ 1,99, he, he!

  • Mr. Car

    Ó, Céus, por que estes museus abrem sempre tão longe de casa? De qualquer modo, é sempre bom ver que algum herói abriu um, nestas terras onde de vez em quando o (des)governo manda fechar um, não é, Nasser? Câmeras em lugar de retrovisores? Creio que pelo menos em São Paulo, os donos de carros não vão achar um boa idéia. O prejuízo vai ser grande, se é que me entendem. E…”prá” quê? Esta é uma pergunta que também me faço diante deste Brabus GLE, he, he!
    Abraço.

    • C. A. Oliveira

      Para mim é perto! Mr. Car, chegou a minha vez de escrever “he, he, he”!
      Venha visitar a Serra Gaúcha. Se não gostar, não precisa mais voltar.

  • Mr. Car

    Realmente, estou devendo uma visita ao Sul. Acredita que nunca fui? E por tudo que vi e li sobre lá na mídia, se for é capaz de não querer voltar, he, he! Se eu for para Pomerode (SC) por exemplo, tenho certeza que não vou querer voltar. Um primo diz que lá você se apaixona pela caixa do supermercado, pela balconista da farmácia, pela garçonete da lanchonete…He, he, he!
    Abraço.

    • Carlos

      Mr.Car, pelo seu “logo” penso que também seja de Brasília e pensar que perdemos o Museu do Automóvel, não tive a oportunidade de visitar, mas parecia ser ótimo.

      • Mr. Car

        Não sou, mas fui, e quero voltar a ser “de Brasília”. O avatar é minha homenagem à cidade da minha vida, pela qual sou absolutamente, loucamente, perdidamente apaixonado. Passei muitas e muitas tardes no Museu do Automóvel, onde inclusive fui apresentado ao Nasser por intermédio do Sr. Vicente, uma simpaticíssima figura que era quem, na época, recepcionava os visitantes, e com quem eu ficava batendo longos papos toda vez que ia lá. Lamentei profundamente o fechamento do Museu do Automóvel. Até hoje tenho vivas na memória as imagens dos carros que vi lá, inclusive uma interessantíssima picape Fiat Tempra, he, he!
        Abraço. E “abrace” Brasília por mim, he, he! Estive aí pela última vez em dezembro do ano passado, quando aproveitei para dar um pulinho em Pirenópolis (GO), e assistir um showzaço da banda “Quatro Estações”, cover da Legião Urbana.

  • Rodrigo, também achei estranho. Dirigi o VW XL1 com câmeras em vez espelhos e era perfeito. Veja em http://www.autoentusiastasclassic.com.br/2014/01/vw-xl1-visao-do-futuro-aqui-e-agora.html

  • C. A. Oliveira

    Bob, existe um pequeno equívoco no sétimo parágrafo. O nome correto do município vizinho a Canela é São Francisco de Paula e não São Francisco do Sul (que fica em Santa Catarina).
    Para quem não conhece, vale a pena visitar o acervo do Sr. Warlich. A criteriosidade da restauração dos veículos dele é algo indescritível.
    Quanto ao novo museu, um ótimo programa para o próximo sábado de sol. Minha moto que me aguarde!

    • C.A. Oliveira, obrigado, vou corrigir logo.

  • C. A. Oliveira

    O automóvel mais interessante que este local possui é sem dúvidas o Rolls-Royce Corniche 1974!

  • Eduardo Sérgio

    Enquanto a VW se esforçava para convencer o consumidor a adqurir o relançado Fusca, o Uno Mille era sucesso de vendas. Isso provocou um comentário irônico do então presidente da Fiat do Brasil, cujo nome não recordo: “Quando Itamar Franco sugeriu a fabricação de um ‘Fusca moderno’, a Volkswagen entendeu ‘Fusca’, e a Fiat entendeu ‘moderno'”.