Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas PARIS IRÁ BANIR VEÍCULOS PRÉ-1997 – Autoentusiastas

A prefeitura de Paris, junto com as autoridades de trânsito da cidade, anunciou que a partir de 1° de julho próximo os carros registrados antes de 1997 e as motos antes de 1999, não mais poderão circular pelo centro da cidade nos dias de semana.

Os carros serão divididos em seis categorias baseados na idade e nível de emissões de poluentes, e receberão um selo no para-brisa de acordo, para fácil identificação pelos fiscais. Os infratores receberão multas de 35 euros (equivalente a R$ 140), que serão ampliadas no próximo ano.

As novas regras, que afetarão segundo o jornal Le Monde 10% da frota circulante da cidade, foram oficialmente anunciadas para reduzir a poluição. Antes disso, já existia um rodízio conforme a placa e outras informações, similar ao que funciona em São Paulo, com os caminhões tendo sido banidos do centro já em 2015.

Todo esse pacote de leis se baseia em estudos da Organização Mundial de Saúde, que diz que 42.000 mortes por ano ocorrem na França decorrentes de doenças causadas pela poluição, com um custo para o país de 112 bilhões de euros.

Os grupos que se opõem à ideia argumentam que afetará principalmente as pessoas com menos recursos financeiros, sendo uma lei discriminatória, e que não há exceções nem mesmo para carros históricos, de coleção, ou que fazem parte da história da França, citando o Citroën 2CV como maior exemplo.

Curiosamente, esses grupos argumentam que o conjunto de normas não visa reduzir a poluição, pois não há uma boa explicação técnica para cada categoria, mas sim diminuir os congestionamentos, que são alvo de críticas constantes da população.

Lembramos que de Paris vieram algumas ideias ruins que foram implementadas na cidade de São Paulo, e que o que é ruim para a população é bom para os cofres públicos.

Fiquemos atentos.

JJ

Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

  • CorsarioViajante

    Vergonhoso. Se der tempo o Haddad ainda implanta esta idiotice antes de tomar um chute.

  • Davi, aqui como lá, isso dá um trabalho danado e não rende aos cofres públicos. O povo que elege essa corja? Ora, o povo…

  • Mr. Car, não é assustador o que tem de gente idiota nesse mundo e, pior, comandando a administração pública?

  • C. A. Oliveira, uma débil mental, essa prefeita.

  • Douwe, não deixe de fazer isso. Com um pouco de sorte você pode realizar seu sonho na Argentina. É uma experiência inesquecível.

  • Luiz, bem provável.

  • Piantino, ô, raça!

  • kyozuki, sempre vejo esses “estudos” com reservas, desconfio deles.

  • Talvez, Fernando.

  • Leônidas Salazar, sempre tenho desconfiança dos números da OMS.

  • Ricardo, nos EUA, nada disso.

  • Gustavo, e nem dizem poluição de quê.

  • André, tem parecido, da mesma escola, porque o PT é único, um partido sem ideário.

  • Douwe, estou torcendo para que dê certo!

  • Juvenal Jorge

    Muitos socialistas brasileiros que tentaram implementar essa bobagem foram exilados na França durante os governos militares brasileiros, então, é natural que a cultura socialista boba e ilusionista tenha sido aprendida e até hoje divulgada aqui. Um dos lugares onde isso ocorre é na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, FFLCH, onde Haddad dá aula, e Fernando Henrique Cardoso trabalhou. Ao lado fica a Faculdade de História e Geografia, outra área muito afetada. Entre ambos os prédios há um estacionamento onde houve conflito entre polícia e usuários de drogas há alguns anos, que culminou com protestos exigindo a proibição da Polícia Militar atuar dentro do campus.
    Alguns entenderam o que significa a besteirada socialista toda, como FHC, outros não, como Haddad e muitos outros infelizes.
    Como dizia a minha professora de Educação Artística da 6ª série: ” Não confunda liberdade com libertinagem”.

  • Juvenal, este é o exemplo perfeito de considerar só a média nas decisões. Sempre sobra para alguém, exceto, é claro, para o autor da medida.

  • Leônidas, atualmente a emissão do altamente tóxico monóxido de carbono (CO) é tão baixa que não se morre mais se deixar o motor ligado dentro de um ambiente fechado. O cangerígeno é o hidracarboneto (HC), mas suas emissões também são ínfimas, não causam dano aos seres vivos. O que tanto se fala a respeito, o dióxido de carbono (CO2) não ameaça a saúde, pois é o gás exalamos ao respirar. O que ele causa, dizem, mas há controvérsia, é se concentrar na troposfera e agir como capa térmica que evita a dissipação do calor da Terra no espaço, o chamado efeito estufa. O outro gás, que gerou todo o problema com os diesel da VW, são dois, o óxido de nitrogênio (NO) e o dióxido de nitrogênio (NO2). Esses apenas causam irritação das vias respiratórias.

  • Gustavo73

    Direcionamento intencional ou não em estudos e pesquisas é algo muito comum. Principalmente quando envolve política. E na ONU isso faz parte. Os carros sem dúvida tem sua parcela, mas são tantas áreas em que o homem atua e interfere direta ou indiretamente na natureza que acho pouco provável que uma única tenha tanta influência. Ainda tenho um olhar de quem fala sobre os oceanos. Ao contrário de muitas afirmações sobre as florestas eles tem uma grande influência sobre o clima e a produção de oxigênio (nesse caso o plâncton) alguns estudos sugerem que 50% do oxigênio teria essa origem. Olhando a dimensão do oceano não parece absurdo. Voltando a Paris afirmar que”x” número de motvem de uma única fonte de poluição é um chute pois não é possível fazer essa separação. Mas é óbvio que os carros tem sua pecela, mas novamente não dá pra separar se ela vêm de um carro novo ou velho.

  • Filipe W

    Caro Paulo César,
    lendo casos esdrúxulos como estes, me lembrei de uma vez, quando adquiri para minha mãe um computador HP, pensando que caso ela precisasse, teria uma boa assistência técnica.
    Pois bem, após 3 meses de uso, o dito cujo pifou e teve que ser trocado em garantia.
    Até aí nada de mais, o problema, ou melhor a bizarrice, apareceu na hora de marcar a entrega do novo computador, pois eles não agendavam a entrega !!!!! Eles simplesmente passam 3 vezes na casa do cliente.
    Caso não encontrem ninguém nestas 3 vezes, ai então é que eles ligam e marcam !!!!
    Fiquei de queixo caído, como uma empresa como a HP podia ter um protocolo desses.
    Até hoje fico imaginando o “jênio”, provavelmente com Phd, e outros samaleques no currículo que determinou uma idiotice dessas.