Depois do Peugeot 208 ano-modelo 2017 lançado no começo de abril, que trouxe a novidade do motor 3-cilindros PureTech flex de 1.197 cm³, nada mais natural que o C3, da mesma fabricante PSA, adotasse a mesma motorização, o que ocorreu ontem (20/6), no Instituto Mauá de Tecnologia, em São Caetano do Sul (SP).

Como no 208, o 3-cilindros marca o fim da versão 4-cilindros de 1,5 litro (1,45-L, para ser mais preciso), ligeiramente mais potente (89/93 cv contra 84/90 cv no 1,2), em troca de redução de consumo de combustível, o grande apelo do novo motor. O óbvio desempenho algo pior do que com o motor 4-cilindros (os pesos da versão Tendance são iguais, 1.110 kg) é retribuído com consumo bem atraente: cidade 14,8/10,6 km/l e estrada 16,6/11,3 km/l, contra cidade 11,8/8,0 km/l e estrada 14,6/10,0 km/l (números mais altos com gasolina).

20160620_122740

O motor 1,2 PureTech em mais uma “casa”

A Citroën não informou desempenho com o novo motor — até quando fabricantes no Brasil vão parar de brincar de esconde-esconde com coisa séria? — mas o do 208 Allure, que pesa 37 kg menos que o C3 Tendance, é 0-a-100 km/h em 14,3/12,8 segundos e velocidade máxima de 171/177 km/h (números mais baixos com gasolina). As aerodinâmicas finais do 208 e do C3 são exatamente as mesmas, área frontal corrigida 0,69 m², o Cx melhor do C3 (0,31, no 208 0,33) sendo contrabalançado pela maior área frontal (2,22 m² contra 2,09 m² do 208). Portanto, a marca do leão se sai melhor num eventual comparativo de aceleração e de consumo.

Pneus (195/60R15H), relações de marchas e de diferencial são as mesmas no Citroën e no Peugeot.

Versões

A de entrada é a Origine, por R$ 46.490. Vem com ar-condicionado, direção assistida elétrica, acionamento elétrico dos retrovisores externos e dos vidros dianteiros, computador de bordo, luz traseira de neblina, ajuste de altura do banco do motorista, banco traseiro dividido 1/3-2/3, ajuste de altura e distante do volante, travamento automático das portas e pneus de baixo atrito de rolamento 195/60R15H. Deve ser lembrado que por ser motor acima de 1 litro, o modelo recolhe Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de 11% e não 7%.

20160620_121951

No lado esquerdo da porta de carga, o emblema PureTech

Há a intermediária Attraction, por R$ 3.500 mais (R$ 49.990), que acrescenta áudio (rádio AM-FM, MP3, Bluetooth, entrada USB e Aux, com comando satélite no volante, faróis de neblina, luzes de uso diurno a LED, acionamento elétrico dos vidros das quatro portas com a do motorista um-toque e antiesmagamento, carcaça dos retrovisores externos na cor da carroceria, e rodas de alumínio 15″.

A versão-topo é a Tendance, de R$ 52.690, que integra os itens da duas versões acima mais o para-brisa panorâmico Zenith com ocultador manual, alarme volumétrico e sensor de obstáculos traseiro.

20160620_133410

Interior agradável, bons bancos

Todas as versões acima trazem bolsas infláveis frontais e ABS, este com distribuição eletrônica das forças de frenagem, mas nenhuma traz engates Isofix. Estranhamente, o estepe é 185/60R15H, de diâmetro 2% menor, mas não há recomendação de 80 km/h de velocidade máxima.

Continuam as versões 1,6 VTI 120 Tendance e Exclusive, exclusivamente com câmbio automático epicíclico de quatro marchas. O motor é o EC5M flex de 115/122 cv e nenhum C3 possui mais sistema auxiliar de partida a frio por injeção de gasolina.

Como anda

É o  mesmo conhecido e bom C3, mas com motor diferente, notando-se “o cilindro a menos” um pouco mais do que no 208. A saída de imobilidade é praticamente a mesma, como é a capacidade de se usar baixa rotação (1.500 rpm) sem atrapalhar o trânsito.  Como no 208, o corte de rotação (sujo) é a 6.500 rpm e a v/1000 é de 31,3 km/h, para 120 km/h reais a 3.830 rpm. A velocidade máxima é atingida em quinta marcha.

O rodar é correto na conciliação de conforto e estabilidade, com bons bancos dianteiros. O espaço no banco traseiro, que tem três cintos de três pontos mas só dois apoios de cabeça, nunca foi o forte do C3.

20160620_122703

Legibilidade do velocímetro é mediana, a do conta-giros é melhor

Tudo é agradável de tocar e olhar e o “para-brisa-teto” Zenith é mesmo um show de visão externa à parte, embora os para-sóis não tenham espelho e tampouco caiba haver a faixa degradê que tanto prezo.

A DRL é correta (dirigi a Tendance, a Attraction também a tem), em que as luzes traseiras permanecem desligadas.

Na apresentação do C3 PureTech a Citroën enfatizou baixo custo de manutenção e de cesta peças com exibição de tabelas comparativas com outras marcas (até com o 208 PureTech) e anunciou custo de manutenção  e combustível até 30.000 km de R$ 8.214, o mais baixo de todos entre 19 modelos (base álcool a R$ 2,59 por litro), 25,5% menos que o pior colocado.

O C3 PureTech, portanto, é mais um bravo contendor na disputa pelo comprador de carros compactos que prioriza baixo consumo de combustível.

BS

 

FICHA TÉCNICA CITROËN PURETECH 1,2 TENDANCE
MOTOR
Denominação PureTech 1,2
Tipo de motor, instalação Otto, arrefecido a líquido, transversal
Material do bloco/cabeçote Alumínio
Nº de cilindros e disposição Três, em linha
Diâmetro x curso 75 x 90,34 mm
Cilindrada 1.197,3 cm³
Comprimento da biela 145,6 mm
Relação r/l 0,31
Taxa de compressão 12,5:1
Nº de comandos/localização Dois, cabeçote, variador de fase admissão e escapamento
Acionamento dos comandos Correia dentada em banho de óleo
Válvulas por cilindro Quatro
Potência máxima 84 cv (G) e 90 cv (A), a 5.750 rpm
Torque máximo 12,2 m·kgf (G) e 13 m·kgf (A), a 2.750 rpm
Rotação-limite 6.500 rpm (corte “sujo”)
Formação de mistura Injeção eletrônica sequencial no duto
Combustível Gasolina e/ou álcool
SISTEMA ELÉTRICO
Tensão/bateria/alternador 12 V / 60 A·h / 120 A
TRANSMISSÃO
Rodas motrizes Dianteiras
Tipo Transeixo manual de 5 marchas + ré
Relações das marchas 1ª 3,636:1; 2ª 1,950:1; 3ª 1,281:1; 4ª 0,975:1; 5ª 0,767:a; ré 3,330:1
Relação de diferencial 4,692:1
Embreagem Monodisco a seco, acionamento hidráulico
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, McPherson, braço triangular, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira Eixo de torção, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora integrada ao eixo
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidade
Relação de direção n.d.
Diâmetro do volante 375 mm
Diâmetro mínimo de curva 10,3 metros
FREIOS
Dianteiros Disco não ventilado Ø 266 mm
Traseiros Tambor Ø 203 mm
Operação Servoassistência a vácuo, ABS e EBD
RODAS E PNEUS
Rodas Alumínio, 6Jx15 (estepe aço, 5,5Jx15)
Pneus 195/60R15H, de baixo atrito de rolamento (estepe 185/60R15H)
CONSTRUÇÃO
Tipo Monobloco em aço, hatchback 4-portas, 5 lugares; subchassi dianteiro
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx) 0,31
Área frontal 2,22 m²
Área frontal corrigida 0,69 m²
DIMENSÕES EXTERNAS
Comprimento 3.944 mm
Largura 1.708 mm
Altura 1.521 mm
Distância entre eixos 2.460 mm
PESOS E CAPACIDADES
Peso em ordem de marcha 1.110 kg
Peso rebocável sem freio/com freio 411 kg
Capacidade do tanque 55 litros
Capacidade do porta-malas 300 litros/com banco rebatido 1.000 litros
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h n.d.
Velocidade máxima n.d.
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (INMETRO/PBE)
Cidade 14,8 km/l (G) e 10,6 km/l (A)
Estrada 16,6 km/l (G) e 11,3 km/l (A)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
V/1000 em 5ª 31,3 km/h
Rotação a 120 km/h em 5ª. 3.830 rpm
Alcance nas marchas (6.500 rpm) 1ª 42,9 km/h; 2ª 80 km/h; 3ª 121 km/h; 4ª 160 km/h
(246 visualizações, 1 hoje)