Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas OS LINDÕES – Autoentusiastas

Caminhando do prédio onde moro até o banco, que é bem perto, 50~60 metros, eu estava com o celular e foi um tal de ver carro “lindão” com seus sacos de lixo nos vidros que não resisti e, clic — aliás, hoje o clic deu lugar ao agradável ruído do diagrama abrindo e fechando. Veja quantos lindões!

Olhe só o que este cegueta mandou colocar na traseira (mesmo carro da foto de abertura):

20160528_163539“Ponha respeito na traseira do seu carro” – o cegueta deve ter lido a frase no mostruário da fabricante de engates Berco-Plion e achou boa ideia; ficou “lindão”, na cabeça oca dele

20160528_163559

Outro Trash Bag Special (Saco de Lixo Especial), verdadeiro esconderijo volante, que seu dono pobre de espírito deve achar “lindão”

Eu não sabia mais para onde atirar — ops, apontar a objetiva — acho que foi a maior densidade de saco de lixo por metro quadrado que já vi:

A cada sete passos, mais saco de lixo:

20160528_163900

Esse aí estava do outro lado da rua, mas o zoom deu um jeito para trazer essa câmara escura ambulante — lindona! — para perto

Mas há quem tenha consciência, seja responsável, que deixa o carro “lindão” mas preserva a visibilidade lateral a partir do posto de condução:

20160528_163629

Pelo menos isso, vidros da condução sem os sacos de lixo; inteligente, o dono desse Logan Mk I

Tem até táxi lindão, por incrível que pareça;

20160528_163944

Sempre que desembarco em algum aeroporto e tenho de tomar um táxi, me divirto: exijo carro sem saco de lixo. Dá um tumulto danado, o fiscal fica falando no radinho de comunicação para vir um carro sem saco de lixo, os choferes na fila acham que a estão furando. Não ando em carro com saco de lixo mesmo! Me recuso. Dá aflição ficar naquela escuridão. Essa é mais uma da série “Morro sem entender”: como pode alguém num carro escuro por dentro?

Há algum tempo, num lançamento, tinha-se que ir do hotel até o local do evento e para isso havia uma divisão de vans para o traslado: todas com saco de lixo! Como eu disse que não andava em nada com saco de lixo, arranjaram um automóvel para me levar.

Mas nem tudo está perdido. Há pessoas conscientes, que fazem questão de ENXERGAR por onde estão dirigindo. Essas pessoas respeitam si próprios e os seus semelhantes:

20160528_164701

O que será que se passa com a cabeça das pessoas, para achar que os automóveis não podem ser como esse, sem sacos de lixo?

Se sacos de lixo fossem legais e apenas questão de gosto, eu reclamaria mas aceitaria. Só que todos os carros com saco de lixo mostrados aqui estão ilegais, e o que me dana é a autoridade trânsito não ver ou fingir que não vê. É omissa. Ou está cometendo crime de prevaricação.

Pena não termos um juiz Sérgio Moro no Ministério Público Federal para enquadrar o presidente do Denatran, os diretores dos departamento de trânsito estaduais e os comandantes de policiamento de trânsito nos âmbitos estadual e municipal por omissão. O brasileiros está dirigindo às cegas sem serem incomodados.

O que é mais incrível é a própria Polícia Civil do Estado de São Paulo andar em veículos policiais com sacos de lixo. Como pode? A polícia!!! Aliás, não tenho a menor ideia do por que carro de polícia no Brasil é “viatura”, nome que me recuso a usar por ser um substantivo e não um adjetivo. Vem do francês voiture, que é carro, automóvel.

Não sei se o leitor já notou que nas rodovias de pista dupla há retornos pelo canteiro central onde há placa de proibido dobrar à esquerda com o complemento  “exceto viaturas”. Se eu tivesse tempo pagaria para ver e viraria à esquerda ali só para ver no que ia dar.

BS

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

  • A. Shiga

    Bob, acho que tão ruim quanto usar saco de lixo é rodar a noite com lanterna. Eu fico imaginando quantos atropelamentos e acidentes devem acontecer a noite por causa disso…

  • Lemming, prevaricando na maior cara de pau. Já existe equipamento homologado pelo Denatran para obter a prova da ilegalidade, o medidor de transmitância luminosa Translux II, fabricado no Paraná.

  • Caio, correto!

  • Antonio, claro, mas ele provavelmente estava numa festa no salão do prédio e deve avisado ao porteiro que o chamasse se preciso. Era um sábado à tarde.

  • Rafael, você tem o direito de discordar de mim, mas absolutamente nada justifica dirigir sem plena visibilidade num campo de 180°. Por isso há limites mínimos de transparência nos vidros da condução. Isso é lei federal por estar integrado ao Código de Trânsito Brasileiro. Dizer que é para esconder seus equipamentos é o protótipo da desculpa esfarrapada. Materiais de trabalho podem ser ocultados no porta-malas. Assim, você provavelmente é mais um que acha que o carro fica lindão com os sacos de lixo.

  • Eduardo, nada justifica dirigir sem visibilidade plena. Seu carro está ilegal e ponto final.

  • Parabéns, Paulo Roberto.

  • Corsário, policial só é assassinado no carro se estiver distraído. Eles colocam para o carro ficar lindão e/ou se sentirem importantes.

  • Mr., parar na frente da garagem dos outros, quanto mais num sábado à tarde, não ameaça a segurança de ninguém, ao contrário dos sacos lixo. Mas é evidente que ele está errado, ora.

  • Real Power, claro que não, você é inteligente.

  • Juvenal, é isso mesmo!

  • guest. correto, só não vê isso quem acha que deixar o carro lindão é a coisa mais importante do mundo.

  • Davi, os vidros esverdeados de fábrica já estão no mínimo legal de transparência. Só cabe filme incolor.

  • Marcelo R., essa é mais uma da série “Morro sem entender”, alguém deliberadamente se privar da visibilidade só para o carro ficar lindão.

  • Christian, a sensação de segurança que sua esposa tem é mais falsa que uma note de quarenta reais. Também sou casado e minha mulher sempre dirigiu sem película. Se houver assalto, é indiferente haver película ou não no carro, com a agravante de, havendo sequestro, a vítima e os criminosos não serem avistados por ninguém, nem mesmo um policial. Esse caso que você contou pode ter várias interpretações, a mais provável em minha opinião serem assaltantes de primeiro assalto e terem ficado indecisos.

  • Fat Jack, não existe película no padrão permitido por lei. Se seu carro saiu de fábrica com vidros esverdeados e você mandou aplicar película, está em situação ilegal. Entenda que o mínimo de transparência não é o da película sozinha, mas vidro + película.

    • Fat Jack

      Bob, até onde eu sei existe sim, tanto que para poder efetuar uma autuação o oficial tem de ter o medidor de transparência, conforme a resolução 254/2007 do CONTRAN. No meu caso até onde sei meu citado carro – que não tem absolutamente nada no parabrisa – tem em todos os vidros a película com 75% de transparência. https://uploads.disquscdn.com/images/771815f7036b43063b823d004852ce998fc4d0c3304cc4544d27eba63349f293.jpg

      • Fat Jack, entenda, vou repetir: a transparência legal não é APENAS da película, mas do conjunto vidro MAIS película. O selos Insulfilm mostrados no desenho são intencionalmente enganosos. Seu carro está irregular.

  • Mr. Car, engate diminuiu 90% eu diria, praticamente sumiram. Ainda bem.

  • Roberto, antes fosse; é burrice mesmo.

  • Roberto, e nesse carro que pegastes lá não estava com o plafonier queimado, por acaso? (rsrsrs)

  • Felipe, quem sabe se não está? Confirmado, seria pior ainda se o carro dele estivesse com o sacos de lixo.

  • Junior, corretíssimo.

  • EJ, no Rio também era assim, embora menos. Essa hábito começou na França, em Paris, a cidade-luz, levando os motoristas a achar que as ruas eram iluminadas o bastante e não era necessário farol ligado.

  • BlueGopher, palavras de quem é inteligente. Parabéns.

  • Grim, apenas sensação, porque não há segurança de fato.

  • Christian, não existe parcimônia nisso, existe mínimo legal de transparência e não cabe discussão. E engano seu, nós não já tivemos carros com vidros esverdeados e outras tonalidades, nós TEMOS carros com vidros esverdeados, TODOS hoje. É justamente esse pretenso bom gosto que leva maioria deixar o carro ilegal só para ficar lindão, objeto desta matéria. Quanto aos comerciais em que aparecem carros com vidros escurecidos, é apenas santa ignorância do marketing das fabricantes e dos diretores de produção dos comerciais. A mesma santa ignorância de modelos dirigindo com braços retesados e, no caso dos modelos masculinos, com barba crescidinha.

  • Davi, 75% para-brisa, 70% vidros laterais dianteiros (até que aquelas janelinhas tipo quebra-vento) e 28% laterais traseiros e vidro traseiro.

  • José Everaldo, os carros saem de fábrica com os vidros já no mínimo legal de transparência, portanto o que for colocado neles já os deixa em situação irregular, mas os vidros laterais traseiros e o traseiro podem transparência mínima de 28%. Como a transparência é do vidro mais película, se for colocada película de 40% nos vidros laterais traseiros e traseiro, eles ficarão com dentro dos 28% regulamentares. E no caso de seus parentes terem ordem médica para não tomar sol, devem sentar-se no banco traseiro. Finalmente, o fato de películas serem instaladas pelas concessionárias não as tornas legais.

  • Rodolfo, na Europa é como nos EUA — e aqui também, mas os nossos agentes de trânsito fazem vista grossa criminosamente.

  • Eduardo, nem precisava da foto, sua palavra basta. Parabéns!

  • Fat Jack, certamente. No para-brisa o mínimo é 75%, nos laterais dianteiros, 70%, e nos laterais traseiros e traseiro, 28%. Atrás pode ficar bem escuro, que é como se usa nos EUA e Europa. Se você se lembra, no teste do JAC T5 o carro estava assim, pois pedi à JAC que tirassem as películas dos vidros laterais dianteiros (no para-brisa não colocam).

  • Marcus, lembre-se dentro da lei com 70% é sem película, porque os vidros esverdeados originais já são de 70%. A menos que os carros a que você se refira tivessem vidro sem nenhuma coloração e você tivesse mandado aplicar película de 70%.

  • braulio, é do Código de Trânsito Brasileiro, Art. 181, Inciso IX, portanto lei federal. Infração média, 4 pontos e R$ 85,12 de multa, além de o carro poder ser guinchado.

  • Daniel, exato, e esse poder ver o trânsito à frente é que levou à criação da terceira luz de freio montada em posição alta nos EUA em 1986, obrigatória nos carros vendidos lá e atualmente obrigatória no Brasil. Com essa luz o segundo carro atrás do que está freando sabe sabe que se iniciou uma freada do primeiro carro, o que contribui para evitar engavetamentos.

  • Brenno

    Curiosidade: existe algum vidro que se comporta como uma lente “Transitions”, que possa escurecer levemente quando o sol incide e ficar totalmente “limpo” de noite? Reparo bastante nas estradas que o pessoal coloca uma toalha no vidro para tentar minimizar o efeito do Sol que teima em aparecer, mesmo com o quebra sol deslocado para o vidro lateral, na frente. Atrás, não tem jeito não.

    • Brenno, se não me engano houve um tempo em que o Hyundai Azera tinha esses vidros. Vou verificar isso. Já outros carros, como Audi, têm cortinas que podem ser levantadas para proteção do sol ou para dar privacidade aos passageiros do banco traseiro.

  • Follmec, com os vidros esverdeados de todo carro atual tem-se adequada proteção da luz solar e dos raios UV. O resto fica por conta do ar-condicionado. Agora, não ter película no para-brisa e ter nos vidros laterais não é apenas estranho (também acho), mas deixa as pupilas doidas entre ver claro e escuro, pois elas não são rápidas o suficiente para a mínima adaptação. Como se olha mais para frente do que para os lados, acaba que uma consulta aos espelhos é deficiente, daí as fechadas que eu e muitos já tomaram.

  • Lucas dos Santos, procede, barram mais de 90% do raios UV.

  • Lucas dos Santos, esse “nada sofreu” em 95% dos casos pode se transformar numa desagradável surpresa para o dono do carro abalroado na primeira vez em que abrir o porta-malas.

  • Lucas, quando me mudei para São Paulo, em 1978, era muito comum reclamarem de mim mediante farolada alta.

  • lightness RS

    Adoro essa compreensão com o gosto dos outros, e principalmente, a privacidade, que o Sr. Sharp tem… respeito então… Sr. é a voz da experiência, um homem que merece respeito, mas as vezes pqp… expulsa mta gente do site. E ainda bem que tem outros escritores incríveis!!

    • lightness, admito que às vezes exagero, pois tenho sangue vermelho e não amarelado. Mas só às vezes, porque na maioria dos casos tenho consciência de que ajudo muitos, e isso me é muito prazeroso. Só não entendi o que você quis dizer com “principalmente a privacidade”. Ficaria grato se esclarecesse.

  • Rafael, somos dois os que morrerão neste caso.

  • Lightness, o enunciado é um pouco diferente no nosso caso, que é alinhado com EUA e Europa: “Aqui também é assim, vidros traseiros são permitidos mais escuros, mas os dianteiros têm de permanecer originais.”

  • Sérgio, nesse ponto a legislação europeia é igual à brasileira, vidros através dos quais se dirige (para-brisa e laterais dianteiros) não podem ser escurecidos ou, dito de outra forma, têm limite mínimo de transparência. Ocorre que os vidros atuais já estão nesse mínimo, o que significa dizer que não podem receber película. Aqui, quando começar a fiscalização vidros vai se ver muito carro parado nos postos da polícia rodoviária com seu proprietário arrancando as películas onde proibidas, ou ter o carro recolhido ao depósito, isso no meio de uma viagem. Quanto ao engate, o Contran errou feio ao não exigir o engate desmontável quando emitiu a resolução a respeito dos engates.

  • Renato, isso é inadmissível. Por isso eu disse na matéria que nos falta um Sérgio Moro para enquadrar essa gente.

  • Renato, exatamente!

  • Douwe, nada justifica ficar sem visibilidade lateral adequada, por isso existe mínimo legal de transparência. Sua menção velada à cidade de São Paulo foi ridícula. O “sol na cara” a que você refere não é mais o de maior intensidade, portanto sua alegação não procede e me faz ter certeza de que você é mais um dos que gosta dos sacos de lixo para deixar o carro lindão. Quanto aos furgões sem vidro traseiro, você não está querendo dizer que o número deles no trânsito é o mesmo de automóveis, está?

  • Rodolfo, concordo a sua opinião.

  • Júlio César, a transparência do vidro esverdeado original é 70%. Se essa película deixa passar 65% da luz visível, então a transparência total (vidro + película) é de 0,65 x 0,70 = 0,45, portanto seu carro está irregular.

  • Ilbirs

    Como já disse aqui em outra ocasião, é flagrante a diferença entre um vidro fumê de fábrica e outro transparente ou verde peliculado. Como a cor escura já está na formulação do vidro, dá para sossegadamente evitar a visibilidade de fora para dentro mas ao mesmo tempo ter grande visibilidade de dentro para fora. Em um fumê de fábrica você não precisa ficar abaixando a janela para, por exemplo, entrar em uma alça de acesso ou mesmo fazer uma mudança de faixa, uma vez que há esse cuidado na formulação em vez de uma película em cima.

    O problema é que brasileiro gosta de ser burro. Já tivemos opções de vidros fumê de fábrica (Gurgel Carajás, Fiats Linea, Punto e Idea), mas o pessoal insistia em sair da concessionária com os vidros normais e aplicar película neles.

  • Gustavo

    Eu detesto vidros escurecidos, os carros que tive a maioria não teve, mas o que uso atualmente infelizmente tem, eu queria retirar, mas tenho medo de estragar o desembaçador traseiro, de quebrar os filetes dele. Eu acho que quem bota isso conscientemente é aquele quer se omitir, fazer besteiras no trânsito sem que se consiga ver quem está guiando. Enfim odeio Insulfilm. E nesse que eu uso fiquei muito pau da vida, falei para o vendedor que eu não queria de jeito nenhum, aí quando cheguei para pegar o carro estão aquelas porcarias nos vidros e ainda por cima haviam retirado os adesivos de fábrica que eram colados no vidro traseiro, um da Elf e o outro sobre os 15 anos de produção da Renault no Brasil. Mesmo fazendo confusão acabei levando o carro porque precisava dele, e também porque tal qual falei no início eu tenho medo de destruir os filetes do desembaçador. Mas gostaria de poder fazer a retirada e encontrar os adesivos originais para colocar no vidro traseiro. Saudades do “aquário” girador anterior, o Logan 16v.

    • Gustavo, então tire o Insulfilm dos vidros laterais dianteiros e do para-brisa (caso tenha). Pelo menos você enxergará e seu carro ficará igual aos americanos e europeus.

    • Fuscao

      Não tem segredo quanto ao desembaçador, faço em todos carros que compro e já tirei tanto película nova quanto velha (mais de 10 anos) assim, é só ligar o desembaçador pouco antes de começar a remover, e ir tirando devagar, garanto que vai sair tranquilo.

      • Fuscao, boa e fácil dica, que ótimo!

  • Parabéns pela decisão, Carlos. Seu carro ficará outro, você terá prazer de dirigir ainda maior.

  • Marcelo, tudo bem, você tem consciência do problema. Mas se seu carro veio de fábrica com o vidros esverdeados, essa que você mandou colocar deixou o carro em situação irregular.

  • Roque, nada justifica não se ter a visibilidade necessária e andar com o carro ilegal, a não ser achar que o carro fica lindão. A sensação de segurança é exatamente o o que você disse: sensação. Só, porque ela não existe por causa dos sacos de lixo.

  • Lucas, boa ideia!

  • lightness, parece que você não entende o que lê: não existe película dentro das especificações. De novo: não existe película dentro das especificações. E você acabou de confessar estar entre os que acham que o carro fica lindão com os sacos de lixo. Lamentável.

  • Lightness RS, curiosidade: qual o disfarce que você usa quando está fora do carro, de modo que não possa ser reconhecido, assegurando assim sua privacidade?

  • smarca, fez muito bem em tirar essa coisa horrorosa do seu carro!

  • lightness, há muitos anos que todos os carros saem de fábrica com vidros esverdeados. Vinte pelo menos.

  • Ricardo, certo, mas no caso do Denatran é MPF.

  • Faz muito bem, Carlos A.

  • Milton, perfeitos os nomes dos kits! Isso mesmo!

  • Eduardo, mas é claro! É assustador como tem gente que não entende isso!

  • Gustavo73, imbecis completos.

  • Allan, nunca, mas em compensação já levei cada fechada e topei com carros saindo de estacionamento de prédios, que dá pare escrever um livro. Porém nos acidentes a perícia nunca faz essa avaliação, de modo que dificilmente se saberá se a causa do erro foi essa. Mas não ter toda a visibilidade à noite não é a mais inteligentes das decisões. Ou é?

  • Marco Antonio, nada mais sensato!

  • Lucas, nem eu. Para mim ficam horrorosas.

  • Júlio César, as porcentagens citadas estão invertidas. Janelas laterais dianteiras 70% e janelas laterais traseiras e vidro traseiro, 28%. A do para-brisa é isso mesmo, 75%.

  • Real Power. as coisas por aqui são incompreensivelmente difíceis mesmo.

  • Antônio do Sul, nesse caso, se um agente passar e multar, o dono do carro terá que recorrer com base de que o imóvel é dele, e mesmo assim vai depender do humor do analista da junta de avaliação deferir ou não o recurso. Ou então, por sorte, o dono do Civic notar que tem um agente lavrando a infração e tentar, na hora, explicar a situação.

  • ligthness, realmente você não está conseguindo entender o que lê. Para quê alterar o Código de Trânsito se ele está correto nessa questão das películas? E confirma-se o que que digo: você e outros colocam películas para o carro ficar lindão (gosto é gosto, mas fica um horror), deixando de lado o fundamental, que é a visibilidade. Depois dizem que o brasileiro é apaixonado por carro e que é um povo muito inteligente: está-se vendo. E para seu conhecimento, o Detran do Distrito Federal já usa o medidor de transmitância luminosa nas vistorias. É questão de tempo que outros Detrans o faça.

  • Fabio Ueda

    Bob, conforme respondi ao amigo Real Power, graças aos seus valiosos conselhos e esclarecimentos, meu atual veículo usa películas escurecidas da coluna B para trás. Além de ficar visualmente muito mais agradável, dirigir enxergando normalmente faz uma diferença tremenda. Na concessionária tive que deixar bem claro que não queria a “cortesia” da película. O vendedor ficou sem entender; “mas o senhor não vai ter custo nenhum, é de praxe…” Não muito obrigado, nem chorei desconto rsrs. Grande abraço.

  • Danniel

    Imagino que sejam as lonas do freio a tambor.

  • lightness, está tudo explicado. Terapia lhe é altamente recomendável.

  • Thales Sobral

    Também já tive, mas depois que retirei, nunca mais voltei. A visibilidade é muito melhor.

  • Christian Govastki

    Acredito que seja um efeito secundário (nefasto por sinal) dos painéis que acendem sozinho quando carro é ligado.

  • Thales Sobral

    Mas 70% já é abaixo do mínimo permitido, e se juntar com a transparência do vidro, aí cai mais ainda. Carros com vidros verdes já bloqueiam bastante a radiação solar.

  • Danniel, caso típico de demência ou burrice coletiva.

  • Davi Reis

    O sensor é caro, tem um recurso até mais simples. Nos carros da VW o painel de instrumentos tem um sensor de luminosidade como nos celulares, que aumenta a intensidade da luz sob sol forte e diminui quando está escuro, deixando só os ponteiros acesos. Se ainda assim a pessoa não notar, é melhor até tirar ela das ruas, rs.

  • Marcos Pastori, excelente ideia, a da burca!

  • Wilson, não havia visto, ainda bem que você me mandou. Até salvei a página, pois estou para escrever ampla matéria sobre lombadas para mostrar como o Brasil está doente e vou usar esta triste notícia. Muito obrigado.

  • Júlio César, no seu próprio benefício, que esse dia não demore a chegar.

    • Bob, hoje, sete dias depois de este nosso bate papo, retirei as películas. Fiquei pensando sobre isso desde a primeira vez que li este texto seu e, cada vez que precisei atravessar um cruzamento, uma esquina qualquer, e via diversos carros com vidros escurecidos me impedindo a visão, fazendo com que eu avançasse demais para além da faixa de retenção de modo a ter alguma visibilidade, maior se tornava a minha vontade de tirar. E, há meia hora, removi, sem choro nem vela, as películas do meu carro. Tirei um peso das costas, hahaha!

      • Parabéns pela sábia decisão, Júlio César!

  • Agnaldo, isso mesmo, bem lembrado, não se sabe o táxi tem passageiro ou não. Mais um aspecto do trânsito demoníaco no patropi abençoado por Deus.

  • Roberto Neves

    Essa atitude dos taxistas é criminosa. Se um dia eu utilizar os serviços do Uber, sentarei no banco da frente, para não “dar bandeira”. Aliás, quando ando de táxi, sempre sento na frente, pois sou deficiente auditivo e tenho dificuldade em me comunicar com o motorista se estiver no banco de trás.

  • Roberto Neves

    Também acho que o insulfilm reduz a segurança. Prefiro que um ladrão ou um policial me veja e saiba que o careca de óculos aqui não está armado e não oferece perigo. Acho que não saber quem está ao volante incentiva a atirar e depois perguntar.

  • Christian, inocência sua achar o que o cara podia lhe atender em algo tão simples. Má vontade absoluta. Depois dizem que o brasileiro é “um povo maravilhoso, gentil, amigo” e outros falsos adjetivos.

  • Pronto, detectado mais um que veladamente acha que o carro fica lindão com saco de lixo e inventa justificativa.

  • WSR

    A película degradê existia, pelo menos até o final dos anos 90 e era moda. Vi muito Omega com o degradê espelhado, o mais requisitado…

  • Meu Corolla não tem insulfilm nos vidros, e sou muito criticado por isso. Faz muitos anos que não coloco essa porcaria nos vidros e não sinto nenhuma falta. Aliás, nada como ter a perfeita visibilidade do que está acontecendo ao redor, seja de dia ou de noite.

  • Ricardo, fez muito bem.

  • Fernando, espanta-me também. Considero essa moda uma pandemia.

  • Fernando, como já houve, casos e casos.

  • JMZ, não respeito que usa saco de lixo no carro e ponto final. Quer privacidade, fique em casa. Mas isso vai acabar, espere e verá.

  • Renato, agradeço a informação, será muito útil.

  • Ricardo, já consultou a Keko Engates? Devem ter o tipo desmontável. http://www.keko.com.br

  • Client, sol no braço? Não acha que está exagerando?

    • Clint Eastwood

      Pode ser exagero, mas de fato sinto-me mais confortável em carro com insulfilme. Deve ser costume. Na minha próxima compra não vou colocar para ver o que acontece.

      • Clint, é porque você se acostumou às Trevas. No momento em que você voltar a ver a Luz vai ver como era ruim.

  • Leandro, cortinas só no espaço traseiro.

  • RoadV8Runner

    Quando comprei meu Focus, que está comigo até hoje, arranquei os sacos de lixo dos vidros no primeiro fim de semana após a compra. E deixei de comprar um que era um ano mais novo e R$ 1.000 mais barato por causa do engate na traseira. Eu não compro carro com engate de jeito nenhum. E, podendo evitar, nem com sacos de lixo nos vidros.
    E o táxi da foto é o típico exemplo de quem anda com sacos de lixo nos vidros: para o carro de qualquer jeito, ocupando duas vagas e boa. Mas e se alguém precisar estacionar ao lado? Azar…

  • Leandro, deixe de falar besteira. Existe mínimo de transparência legal. A próxima, corto-o daqui.

  • Ricardo, é tão melhor, não?

  • Diogo, é isso aí, acham que o carro fica lindão. Pobreza de espírito.

  • Luiz Antônio, concordo, era só ler o selo do instalador, que é mentiroso, e autuar. Nem precisa do medidor.

  • Roberto, é a luz interna!

  • Obrigado, Ricardo, informação bastante útil.

  • Caro Mattioli, como assim, sem nenhuma base? A transparência de vidros é regulamentada e tem força de lei! Ou não sabe disso? Estou muito, mas muito mais preocupado que um motorista não me veja escondido nos seus sacos de lixo e me apronte uma (como já passei por vários quases) do que com quem não paga IPVA ou cujo carro lance CO2 em excesso (todo carro de motor a combustão lança CO2 e elétricos, na fonte de geração se não de hidrelétrica). A segurança para o usuário é uma falácia e sobretudo desculpa para deixar o carro lindão. E desculpe, mas um hater de 15 anos não tem um centésimo da minha vivência e noção de responsabilidade.

  • Obrigado, Lucas.

  • Pronto, o leitor Filipe Bueno da Silva foi detectado como mais um dos que acha que carro com saco de lixo fica lindão. Desculpe, mas com esse seu enfoque nem vivendo três vidas você terá a minha experiência.

  • Cristiano, no caso isso é off-topic, você sabe disso.

  • Lucas dos Santos

    Muito interessante. Grato pela informação.

  • Lucas dos Santos, diante disso que está aí, tem ou não que mandar prender rápido o Jorge Ben Jor? Ninguém pode ficar contando mentira impunemente!

  • Renato Texeira

    E agora com o aumento da penalizaçao para quem usa celular, não duvido que terá gente colocando película no para-brisa para ter “privacidade”.

  • Félix

    Eu acho que NÃO usar a película aumenta a segurança no trânsito. Sempre achei bom poder enxergar o que se passa além do carro que está logo a minha frente ou do meu lado Por isso deixei de usar película. É uma questão de cidadania zelar pela segurança do próximo também.

    • Félix, você faz muito bem. É por fazer questão de ver tudo o que está minha volta, inclusive parado, é que não deixo colocarem saquinhos de bala no retrovisor enquanto parado no sinal. Se o cara teima e coloca, atiro no chão.

  • Ivalid, nessa questão não há o “meio-fora da lei”. Ou está conforme ou não está. Quanto a pedinte se aproximar, como você faz quando a pé e um se aproxima? Ponha na cabeça: tudo o que for abaixo da transparência mínima regulamentar, atrapalha. Sua vista não foi feita para ficar alternando entre transparência normal do para-brisa e vidro lateral escurecido. Isso é péssimo.

  • Fernando, idiotas completos.

  • Pedro, agradeço sua mensagem e a leitura do AE. Estamos à sua disposição.

  • Ilbirs, aqui nas imediações de onde moro está cheio dessas arapucas. Para dobrar à direita na av. Divino Salvador tem-se que fazer exatamente o que você diz, sair da faixa em uso em cima da esquina, pois é onde está a linha tracejada que permite cruzá-la. Não sei se é incompetência desses que se dizem engenheiros de tráfego, pois não são coisa alguma, ou intenção para gerar infração e arrecadação para a prefeitura.

  • Claiton, e você alguma vez viu o disfarce desse seu amigo para o caso de caminhar?

  • André, uso óculos escuros (Ray-Ban) desde os 14 anos e dirijo com eles sempre, só que não os uso de noite nem nos túneis. Além disso, vejo iguais os vidros laterais e o para-brisa, as pupilas ficam com um tamanho só. Repito, é injustificável usar películas só para o carro ficar lindão. É muita pobreza de espírito.

    • André

      Bom, usar só para ficar lindão é realmente uma pobreza de espírito. Pelo menos desse mal eu estou livre.

  • Douglas, as pessoas aí em cima não vão à praia nunca? Quando caminham sob sol sempre carregam uma sombrinha? Camisas, só de manga comprida? Só andam de carro quando o sol não está a pino ou próximo?

  • Douglas, também acho. Pena que crime doloso não leve a júri popular.

  • Invalid, responda: você andaria ou não num carro conversível com capota baixada?

    • invalid_pilot

      No dia a dia e trânsito de São Paulo: jamais.
      Em dia de lazer e totalmente a passeio: com certeza.

      • Invalid, mas a exposição à abordagem não seria a mesma?

        • invalid_pilot

          Bob,
          Sim, mas andaria de conversível o menor tempo possível aqui em SP Capital – daria passeio por outras cidades/regiões – quem tem a felicidade de morar na Serra Gaúcha por exemplo, pode desfrutar melhor de um carro desses.

          Infelizmente, ao meu ver, nesta “Selva de Pedra” é incompatível se ter conversível e moto com mais de 600cc justamente pela violência urbana.

  • Renato, o prefeito deve ter ido a Miami e viu as placas, por escrito, “No parking any time”. Um absurdo o que foi feito, essa placa com tal informação não é oficial. Sinalização é algo que tem ser uniforme no país inteiro.

  • Douglas, há quem vá à praia todo dia, como não? E não é todo dia que faz sol, há os nublados e os chuvosos.

  • Stark, lembre-se, já citei várias vezes nesses anos de AE, vi um mostruário de engates Berco-Plion onde se lia “Coloque respeito na traseira do seu carro.”

  • Stark, aguarde matéria sobre lombada, em preparação, mas já tem título: Brasil, um país doente”.

  • Derek, não dou a entender: sou contra por ser ilegal (exceto as incolores) e por afetar a visibilidade.

    • Derek

      Digo que dá a entender pois, no seu texto, você parece contra a qualquer tipo de película escura (mesmo as legais) e concorda com todos os comentários que claramente são contras qualquer tipo de película que escureça os vidros. E, para reforçar, estou sempre falando das legalmente permitidas.

      • Derek, no para-brisa e vidros laterais dianteiros não existe película escura legal. Tenha isso em mente.

  • Fernando

    Ser contra algo por questões de opinião pessoal sobre algo que não é proibido, é natural.

    Mas é realmente estranho ver tantos casos de pessoas querendo usar algo claramente proibido (película mais escura, em que não se dá para ver dentro do carro) com diversas alegações, se nem para própria segurança isso é uma verdade.

  • Christian, diga-me: não é ridículo ter que fazer isso para não ser incomodado numa blitz?

  • Vagnerclip, claro que estacionar onde a guia é rebaixada é infração. Mas ela ameaça a segurança de algum modo, ao contrário dos sacos de lixo?

  • Leonardo

    Achei que era o único que se incomodava com as linhas de cinturas altas, tenho um Fiesta Street e uma das coisas que sinto falta quanto dirijo um Onix ou HB20 da vida é a visibilidade excelente, apesar do interior ser bem apertado, as janelas grandes (sem sacos de lixo obviamente) deixam o interior arejado e agradável, soma-se a isso a boa posição de dirigir, a suspensão bem acertada e não consigo achar motivos para trocá-lo.

  • Leonardo

    Dois Omegas? Que sonho!! Já me contentaria com um GLS, verdadeiros carros de entusiasta, parabéns!!

  • Luciano, o bebê fica no banco traseiro, certo? Deixe com película só da coluna B para trás.

  • Ricardo, inacreditável, uma marca forte como essa não oferecer o engate correto!

  • Ricardo, estou em Brasília (novo Prius) e só volto amanhã. Aqui não tenho livro de endereços completo, mas na quarta vou falar com o pessoal da Mopar, tenho certeza de que eles têm o engate de lança removível. Aguarde-me.

    • Ricardo kobus

      Bob, nem se estresse, mas em todo caso obrigado e tenha uma boa viagem.

      • Ricardo, estresse nenhum, o diretor da Mopar é muito legal e competente.

  • leonardo

    Sem noção esse post, a pessoa que é proprietária do veículo sabe o que é melhor para si, não tenho carro blindado, então uma forma de segurança são os veículos com películas que tendem a inibir as ações da escória da humanidade (ladrões).

  • leonardo

    Colocou película de má qualidade.

  • Leonardo

    Então somos três!

  • Leo-RJ

    Nem vou repetir o que cansei de falar em outros posts. Nos sete anos que passei como funcionário do antigo Desipe-RJ, hoje SEAP-RJ (Secretaria Estadual de Administração Penitenciária). A bandidagem, quando mandava roubar carro no Rio, para o que quer que fosse, manda roubar com películas, pois sabia que lá dentro estava uma pessoa que morria de medo de ladrões… que botou aquilo para se proteger e classificava em 3 tipos, a seguir: a) playboy, b) mulheres medrosas, e c) pessoas medrosas, que se escondiam ali atrás. Assim, bastava apontar a arma. Bandido sabe que a pessoa — mesmo que supostamente esteja armada também —, está em menor número de armas (bandido não rouba carro sozinho, são sempre três ou mais, armados) sabem que apenas se for o Superman ao volante, que é a prova de balas, não vai sofrer nada.

    Mas, já até cansei de falar isso aos meus amigos, que acham que isso “espanta ladrão”… só rindo mesmo.

  • Rafael Sumiya Tavares

    Isso sempre foi fator de escolha num carro para mim. Painel alto e base das colunas A exageradas me espantam rápido. Deve ser por isso que não gostei de nenhum Fiat depois do Tipo e Mille, notadamente os últimos Fiats com ergonomia perfeita. Também não me apetece o posto de direção do Fox e Renegade, com ponto cego na coluna A gigante. Gosto muito dos carros japoneses justamente pela maioria ter base do para-brisa baixa!

  • Rafael, mas é evidente! Já notei isso. Como o dono do lindão blindado mostraria para os vizinhos que “eu tenho um blindado!”?

  • Agripino Leoncio

    Você tem razão, mas temos que levar em conta o medo. Com medo, as pessoas fazem coisas irracionais. Houvesse um mínimo de sensação de segurança no Brasil e tenho certeza que o número de veículos com essa película reduziria drasticamente. Com certeza a maioria não escolhe por ostentação, mas por (falsa) sensação de “segurança”.

    • Agripino, é para o carro ficar lindão, acredite.

  • Glaucio Lima, você não está dizendo a verdade, sinto muito. Você está enxergando mal o trânsito e praticamente sem enxergar à noite. Atrapalha a visão e muito, exatamente por isso são proibidas nos vidros de condução, que são o para-brisa e os laterais dianteiros, além de determinada transparência. O que você diz de proteção dos raios UV é uma falácia, os vidros esverdeados originais já o fazem. Quanto a sol torrar, sou carioca, não tem nada disso e o ar-condicionado dá conta do calor perfeitamente. Torço para que a fiscalização comece a apertar e você seja obrigado a retirar os sacos de lixo em plena rua ou, caso contrário, tenha seu carro recolhido do depósito do Detran ou da Polícia Rodoviária. Seu motivo de colocar os sacos de lixo, ou foi para se esconder ou para deixar o carro “lindão”. Ou as duas coisas.

  • Glaucio, ótimo que você nunca tenha batido, mas lembre-se que só há dois tipos de motorista, os que nunca bateram e os que já. Você infelizmente é candidato aos do segundo tipo. Só espero que não se machuque e nem terceiros por fazer questão de rodar com o carro irregular.

  • Claudia

    Eu sou favorável ao uso de veículos sem películas nos vidros. Apesar das leis estarem sempre sendo alteradas e nada ser definitivo, seja para proibir o uso de qualquer película, seja para permitir películas mais ou menos escuras, ou até mesmo películas transparentes, dirigir um veículo com todos os vidros sem nenhuma película é muito melhor, em termos de visibilidade do condutor, pois em algum momento, no decorrer de um período, o condutor acaba usando todos os vidros para ver as condições de trânsito ou outras. E eu soube que os vidros com as películas tendem a embaçar mais do que vidros sem as películas. Eu era a favor do uso de películas nos vidros, mas ao ponderar sobre o que o autor deste artigo colocou, além de ter lido os comentários abaixo, eu concluí que o melhor mesmo, em termos de visibilidade do condutor, é veículo sem películas nos vidros. Muitas pessoas alegam que os carros ficam lindos, que é para evitar abordagens de criminosos, para ter privacidade dentro do veículo, para evitar a radiação solar e/ou para evitar vandalismo, dentre outros motivos. Porém, dirigir à noite e/ou sob chuva ou neblina, o condutor tem a visibilidade muito prejudicada, devido à pelicula nos vidros. Quanto ao uso de engate nos veículos, creio que este deveria ser retrátil, seja para evitar acidentes com pedestres, pois muitos pedestres precisam passar por trás de um veículo e não enxerga o engate, por este se situar em uma posição baixa, seja para evitar danos aos outros veículos em manobras. Muitos proprietários usam os engates somente para evitar as encostadinhas dos outros veículos, em eventuais manobras, mas um veículo possui pára-choque que já prevê possíveis encostadinhas. Sendo assim, sou favorável ao uso de engates retráteis e somente para uso efetivo do engate.

  • Claudia

    Eu quero acrescentar algo, algumas pessoas falaram abaixo que o uso de películas escuras nos vidros em um veículo aumenta a segurança de seus ocupantes em relação à ação de criminosos. Se os criminosos querem se esconder, eles vão querer furtar ou roubar um veículo já com películas escuras, sendo assim, é um atrativo à mais para o criminoso, um veículo já com a película escura. Quanto aos ocupantes não ficarem visíveis aos criminosos que estão prestes a fazer uma abordagem, isso é fato, mas dependendo, pode não fazer nenhuma diferença a favor da segurança dos ocupantes de um veículo, podendo, inclusive, incentivar a abordagem dos criminosos. Em situações de sequestro por criminosos ou outras situações, quando um(uns) condutor(es) de um veículo com películas escuras nos vidros está acompanhado por criminoso(s), esses não ficarão visíveis às pessoas que estão fora do veículo, sejam policiais ou outras pessoas, o que irá facilitar a execução de um crime. Eu soube de situações específicas, por exemplo: um veículo com películas escuras que estava estacionado em uma via pública e sendo objeto de furto, e o criminoso já estava dentro dele, tentando fazer o veículo funcionar; e o condutor estava voltando de algum local para entrar no veículo e sair de lá com o veículo ; o condutor do veículo não enxergou o criminoso dentro do veículo, devido à existência da película escura, e ao abrir a porta do motorista, o condutor foi alvejado pelo criminoso com uma arma de fogo, sendo assim, não se deve afirmar que um veículo com película escura sempre irá aumentar a segurança de seu condutor e/ou ocupante(s) em relação à ação de criminoso(s), pois existem situações muito variadas, podendo tanto ajudar, quanto piorar a segurança em relação à ações criminosas. Outro ponto: na condução de um veículo, se muitos veículos estão com película escura em seus vidros, isso dificulta a visão do trânsito ou outras visões, por exemplo, em cruzamentos, se um veiculo vai passar por um cruzamento e há veículos com películas escuras estacionados ou parados pelos lados(esquerdo e/ou direito), o condutor do veículo não conseguirá enxergar as laterais(na esquerda e/ou direita) do cruzamento. Outra situação: veículos em vias públicas, seguindo por uma reta ou uma curva, seja em uma via com sentido único ou dois sentidos de circulação, se os outros veículos estão com películas escuras, o condutor não consegue enxergar os veículos que estão mais à frente, nem situações de trânsito ou outras situações, inclusive, não consegue enxergar o brake-light (terceira luz de freio) de veículos mais à frente. E são situações que podem causar acidentes ou até mesmo facilitar a prática de crimes, pois se, em um congestionamento de trânsito, há criminosos assaltando os ocupantes dos veículos mais à frente, o condutor do veículo não consegue enxergar a prática criminosa, e assim, poderá ser mais uma vítima de crime. Enfim, eu apenas quis ilustrar algumas situações que podem ocorrer, e até que já presenciei, por haver carros com películas escuras nos vidros. Eu era a favor de películas escuras nos vidros, e hoje, sou a favor de veículos sem nenhuma película nos vidros, seja ela ela escura ou não, pois eu soube que vidros com películas tendem a embaçar mais do que vidros sem películas. Conduzir um veículo com película escura nos vidros é como uma pessoa usar óculos de sol 24 h por dia.

    • Comentário rico e perfeito, Cláudia.