Já se fala no assunto há anos. Transformar o Corvette num carro de motor central-traseiro, tal como os supercarros europeus de preço muito superior, e como o criador do modelo, Zora Arkus-Duntov (1909-1996), quis que ele fosse desde o começo. O projeto tem inclusive o nome informal de “Zora”, numa homenagem ao engenheiro belga de ascendência russa.

Agora parece certo que em janeiro de 2018 ele chegará aos olhos do público no  Salão de Detroit como Corvette C8. A revista Car and Driver americana informou que o carro foi visto em um campo de provas da GM de Milford, em Michigan, e que não resta dúvida que não haverá mais o tradicional Corvette de motor dianteiro a partir de final de 2017. O novo modelo continuará, porém, com motor V-8 com comando de válvulas no bloco, com potência entre 450 e 500 cv, apesar de ser também quase certeza que motores com comandos no cabeçote estão sendo desenvolvidos para versões de topo.

O que não vai deixar muita gente satisfeita é que com a nova configuração a GM planeja elevar o preço do modelo básico dos atuais 60 mil dólares para perto de 80 mil, justificados pela arquitetura mais exótica e próxima de carros de corrida e supercarros europeus, além de distanciar o carro do Camaro no mercado, já que as atualizações pelas quais este passou nos últimos anos o colocaram muito próximo em preço e desempenho ao Corvette.

Para comemorar o fim do C7 de motor dianteiro, uma versão de desempenho extremo deverá aparecer no Salão de Detroit de 2017.

Na imagem, uma previsão de como o Corvette de motor central-traseiro deverá ser.

JJ

(185 visualizações, 1 hoje)