Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas HONDA APRESENTA XRE 190 AO MERCADO NACIONAL – Autoentusiastas

A novidade chega para reforçar a família XRE com novo modelo de trail urbano e baixa cilindrada, ideal para as cidades brasileiras. É a Honda XRE 190, modelo que passa a ser a porta de entrada para os fãs da linha XRE, consagrada no país pela versão com motor de 300 cm³. A nova integrante chega este mês à rede de concessionárias Honda como uma alternativa para consumidores que têm na versão de 300 cm³ um símbolo de estilo e sofisticação, mas que procuram também por um modelo mais econômico, fácil de pilotar, com design moderno e versátil. E ainda com mais uma grande vantagem, exclusiva da marca: a garantia de três anos, com troca de óleo gratuita em sete revisões.

Com a nova XRE 190 a Honda passa a oferecer aos consumidores um modelo inspirado na XRE 300, que vem complementar  a gama de modelos da Honda como uma nova opção para os motociclistas mais experientes, mas com uma proposta racional e mais acessível. Entre algumas das principais novidades da nova integrante da família XRE está o novo motor de 190 cm³; o design moderno e diferenciado, além do sistema de freios com ABS (antitravamento) de apenas um canal, tecnologia que mantém total eficiência e segurança do sistema tradicional, projetado com foco na facilidade de manutenção e baixo custo.

Personalidade e estilo

A nova Honda XRE 190 concilia o espírito aventureiro de suas linhas modernas e conceito de trail urbano a um estilo marcante e estilo imponente. Características como agilidade, versatilidade e ótima relação custo-benefício atendem perfeitamente as necessidades de proprietários de motocicletas de menor cilindrada, que buscam sofisticação e diferenciação e ainda desejam mudar de categoria, para melhor.

Entre seus principais atributos, destaque para o escapamento elevado, pneus para uso misto, além de para-lamas curto, com um conjunto de carenagens de linhas anguladas, modernas e imponentes. O conjunto óptico está equipado com lâmpadas mais potentes e econômicas, que oferecem maior segurança para o motociclista nos deslocamentos à baixa visibilidade. Na traseira, o modelo conta com lanterna e sinalizadores independentes, suporte de placa alto e alças em alumínio, integradas ao bagageiro em nylon de alta resistência.

O painel de instrumentos é totalmente digital e traz informações do marcador de combustível, conta-giros, velocímetro, hodômetros total e parcial, além de indicações para todo o funcionamento do modelo. A sela larga em dois níveis oferece total conforto para piloto e acompanhante nos deslocamentos urbanos ou mesmo para pequenas trilhas no fora-de-estrada. O tanque de combustível conta com capacidade de 13,5 litros (3,1litros de reserva) e tampa com desenho diferenciado e estilo esportivo.

Eficiência e desempenho

Com características dos modelos aventureiros da categoria on/off-road, a nova XRE 190 traz em sua ciclística e mecânica um conjunto eficiente com o máximo em desempenho, conforto e segurança. Seu projeto foi concebido de forma a oferecer ao mercado um modelo de conceito trail urbano, ideal para as cidades brasileiras, com um desempenho superior em seu segmento.

Seguindo este princípio, a Honda desenvolveu um motor inédito e exclusivo, com ótima economia e respostas em qualquer rotação. Trata-se de um monocilíndrico 4-tempos de 184,4 cm³ de comando de válvulas no cabeçote, arrefecido a ar e com sistema de injeção eletrônica PGM-FI. Com tecnologia FlexOne, oferece potência de 16,3 cv a 8.500 rpm com torque de 1,65 m·kgf a 6.000 rpm (G); e 16,4 cv a 8.500 rpm com torque de 1,66 m·kgf a 6.000 rpm (A)

honda2

O sistema de partida é elétrico e o câmbio de cinco machas com a transmissão secundária por corrente. As tampas laterais do motor têm acabamento na cor grafite, inspiradas nos modelos de maior cilindrada. A nova Honda XRE 190 já está totalmente em conformidade com a segunda fase do Promot 4 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares, fase 4), em vigor no Brasil desde o início do ano.

Na ciclística, a XRE 190 traz chassi do tipo berço semiduplo, produzido em tubos de aço, com ótimas respostas para o equilíbrio dinâmico. Outro ponto que privilegia a pilotagem é o baixo peso de todo o conjunto (127 kg); além da altura da sela (836 mm), menor em comparação com a XRE 300. Seu guidão com posicionamento mais alto permite que o piloto mantenha os braços mais elevados, evitando a fadiga principalmente em longos percursos.

A suspensão traseira monomola com curso de 150 mm é do tipo Pro-Link, totalmente ajustável e que proporciona pilotagem com ótima absorção de impactos em qualquer tipo de terreno. Na frente um garfo telescópico com longo curso de 160 mm assegura mais conforto de forma segura e eficiente.

Um detalhe que trouxe um ar diferenciado ao modelo está nas rodas raiadas com acabamento em cromo fumê, mais sofisticado neste tipo de acabamento e categoria. Nelas estão montados ainda pneus para uso de tipo misto na configuração 90/90-19M/C 52P (dianteiro) e 110/90-17M/C 60P (traseiro).

Os freios possuem sistema antitravamento (ABS) com disco de Ø 240 mm na dianteira e Ø 220 mm na trseira, para maior segurança e grande eficiência. Fabricada em Manaus (AM), a nova XRE 190 será oferecida em versão única com freios ABS (antitravamento) nas cores verde metálico, preto metálico e vermelho metálico e preço público sugerido de R$ 13.300. O valor tem como base o Estado de São Paulo, sem despesas com frete e seguro. Assim como já acontece com todo a linha da Honda no Brasil, a XRE 190 tem a exclusiva garantia de três anos, com a troca de óleo gratuita em sete revisões.

BS



Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

  • Luiz AG

    Moto perfeita para ciclo urbano. Mas preço salgado, difícil convencer alguém a deixar de pegar uma Yamaha Lander 250 por apenas R$ 1.000,00 mais com mais segurança nas estradas e mecânica durável e consagrada. A Honda não tem sido muito feliz na definição de seus preços de venda. Tanto que acima de 500 cm³, onde ela possui concorrência, não é líder em nenhum segmento.
    Será uma moto muito vista no interior, em cidades onde só a Honda possui concessionária.

  • Avatar

    Quando vi que se tratava de motocicleta, já imaginei um texto do Agresti. Que surpresa, Bob!

    • Avatar, não é texto meu, mas transcrição de notícia divulgada pela Honda. Por isso lê-se “Notícias” bem no começo.

  • Luiz AG

    Discordo. Estou na minha terceira Yamaha 250 e meu custo de manutenção é menor que as Honda. A pastilha da Lead custa 300 reais na concessionária. A da Fazer, 25 reais.
    Lenda urbana, assim como muitos ainda acham que a Yamaha só faz motos 2-tempos.

  • Luiz AG

    Sem falar que as Yamahas Lander/Fazer são conhecidas pelo mercado e mecânicos como indestrutível. Seu motor com revestimento cerâmico (nikasil) e pistão forjado dura 200 mil km lacrado.

  • Luiz, a Honda o admitiu formal e oficialmente?

  • FR

    Há também um problema crônico nas XRE de o motor apagar do nada seja em marcha-lenta ou em reduzidas. Tomara que tenha sido resolvido.

  • Leonardo Mendes

    Assino embaixo no que disse sobre o painel, acho péssimos esses digitais da Honda. Uma calculadora Dismac dos anos 80 tem um display melhor.
    Painel de moto bom mesmo era o analógico da Falcon, instrumentos grandes, grafismo adequado e iluminação correta.

  • Cristiano Reis

    Eu já tive uma Tornado 250 que vazava bastante óleo pela junta do cabeçote, e já reparei que várias CB 300 (XRE quase não vejo) com vazamento no mesmo lugar.

  • Curió, logo abaixo do título você lê que trata de notícia.

  • Thiago Teixeira2

    A diferença é na queda! manete, lanterna, retrovisor, tanque..

  • Ricardo kobus

    Mas o motor da Bros é totalmente novo, é praticamente a mesma arquitetura desse 190.

  • Marcio Ferrari

    Também tenho uma PCX. A minha é 2013 e está chegando a hora de trocar. Gosto da XRE 300 e essa XRE 190 também me agradou, mas acho que não vou abrir mão das facilidades do scooter: nada de embreagem e troca de marchas, e um espaço embaixo do banco para guardar o capacete e a jaqueta.