Da Automotive News Europe

O governo francês estuda a venda de parte dos 14% que detém do grupo PSA, já que as agências governamentais estão buscando alternativas para conseguir verbas para outras empresas estatais em problemas financeiros.

Como a PSA está com ganhos significativos, o valor de mercado aumentou muito e pode gerar um bom caixa ao governo caso sejam negociadas parte das ações. O valor da parte do governo chega a 1 bilhão e 600 milhões de euros, quase o dobro de dois anos atrás, quando a PSA esteve próxima da falência e recebeu investimentos do governo francês e de outros grandes investidores.

Um dos entraves ao negócio é que quando se definiu como 14% a parte do governo, foi feito de forma a igualar a parcela comprada pelo grupo chinês Dongfeng, e com isso a paridade deixaria de existir, diminuindo muito a capacidade de influenciar decisões dentro da PSA.

De qualquer forma, o executivo-chefe, o português Carlos Tavares, está muito bem cotado para prosseguir com planos de contínua recuperação e desenvolvimento da empresa, após o ótimo resultado de 2015, quando o lucro chegou a 1,2 bilhão de euros. De 2012 a 2104 a PSA teve prejuízo acima de 8 bilhões de euros, mas agora está de volta a uma situação saudável.

JJ