Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas CURSO DE MECÂNICA PARA MULHERES – Autoentusiastas

Do Museu, grátis, curso de mecânica para mulheres

Participando da 14ª Semana Nacional de Museus, promovida pelo IBRAM, Instituto Brasileiro de Museus, o Museu Nacional do Automóvel promoverá curso de esclarecimentos mecânicos destinado ao público feminino. Aprimora a iniciativa efetivada em edições anteriores para ensinar e tirar dúvidas sobre o funcionamento básico dos veículos.

Na prática, esclarece Roberto Nasser, Curador, “é uma conversa didática, conduzida por um especialista em mecânica, pedagogo por formação, para esclarecer questões sobre o funcionamento e manutenção de veículos. Desde o primeiro curso de mecânica, sentimos o acerto da iniciativa; as alunas não estavam interessadas em distinguir torque e potência, ou quantos quilogramas-força·metro de torque se aplica para apertar o cabeçote do motor. Queriam conhecer um pouco para saber, na recepção da oficina, se gastavam por serviços necessários. Querem a prática do automóvel”.

De acordo com o Curador (e colunista do AUTOentusiastas), embora o público feminino seja jocosamente associado ao descompromisso em conduzir ou entender a operação, a sua história útil do automóvel não começou com um homem. Ao contrário, foi uma mulher, Bertha Benz, quem demonstrou a confiabilidade, a utilidade da invenção e da patente obtida por seu marido, o engenheiro Carl Benz, considerado o inventor do automóvel. E hoje, lembra, a mulher é o agente econômico mais importante no segmento dos automóveis: entre compras próprias e influência para a aquisição do carro de família, significa mais de 2/3 do mercado.

O curso é gratuito, apresentado por Kefere Lúcio, pedagogo, ex-instrutor do Senai, diretor da Escola de Mecânica Automotiva Diferencial, colaborador do Museu, e terá uma turma por dia. 

4º Curso de Mecânica Básica para Mulheres
Local: Concessionária Kia Car Collection
SIA Trecho 4, Lotes 480-490
Brasília – DF

Dias: 6 a 10 de junho de 2016
Horário do curso – das 9h00 às 11h30

Informações – tel. (61) 3225-3000

Inscrições –  curador@museudoautomovel.org.br

JJ

Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

  • Mr. Car

    Tremenda maldade comigo, esta foto, he, he! Primeiro, por me lembrar que este lugar, onde estive tantas e tantas vezes, está fechado. Segundo, por cutucar minha ferida de não estar mais morando na minha adorada, idolatrada Brasília. Não tem a mulher da vida da gente? Pois Brasília para mim, é o equivalente em forma de cidade: é a cidade da minha vida. Mas já que a foto está aí, não custa perguntar: o Museu reabre, ou não reabre? Em que pé está este assunto?

  • Mineirim

    m.n.a.
    Verdade. Observo isso há décadas. A maioria dirige como se estivesse num videogame. Só que no jogo, sempre tem mais de uma vida…
    Isso não quer dizer que devemos “amarrar” o trânsito. Temos que sentir a máquina e ter consciência.

  • Mineirim

    A história da Bertha realmente é incrível. Ela e as crianças viajaram centenas de quilômetros com um veículo experimental, numa época em que nem existiam estradas direito, comprando combustível em farmácias pelo caminho!
    Ontem eu fiquei apavorado porque meu carro começou a falhar e acendeu a luz de injeção. Passei a noite analisando o manual de serviço. Só fiquei tranquilo hoje quando descobriram numa oficina que era uma bobina defeituosa e a trocaram.
    Detalhe: Bertha no interior da Alemanha; eu na Zona Sul de São Paulo…

  • Mineirim

    Durante décadas, viajei a trabalho para Brasília. Nunca soube do Museu e só fui ao autódromo uma vez, porque acordei no hotel ouvindo o ronco dos motores.