Roberto Agresti recomenda:

O Etios chega à metade do Teste de 30 dias do AE subindo vários degraus no meu conceito. Mais acostumado com suas características — a mais notada delas a simplicidade no acabamento (mesmo os relativos a esta supostamente requintada versão Platinum) — é obrigatório e justo ressaltar o quanto ele funciona bem.

Usado em cidade, enfrentando o sempre encrencado trânsito paulistano, o menor dos sedãs da marca vendido no Brasil surpreende principalmente por duas qualidades. A primeira é a sensação de facilidade com a qual se deixa levar, e o maior cúmplice desta boa característica é a elasticidade de seu motor. O quatro-em-linha de 1,5 litro “sobra”, especialmente se levado como se deve. E como se deve? Explorando o vigoroso torque que já a partir dos 1.500 rpm demonstra ser mais do que capaz de levar à frente a massa de cerca 1 tonelada do Etios.

Etios Platinum 02

O Etios sedã se desloca com facilidade

A receita é acelerar pouco e passar as marchas antes do usual. Esse é o conselho que eu daria a quem, vindo de outro sedã desta categoria, comprasse um Etios. Diferentemente do recém-avaliado Versa, cujo motor de 1,6 litro brilha em alta, quase pede para ser acelerado a fundo, exibindo vigor esportivo e 111 nervosinhos cavalos, o motor do Etios prefere se destacar em regimes de rotação mais baixos. Na ficha técnica a Toyota declara 92/96,5 cv (G/A), cifra quase 20% inferior ao do rival Nissan. No entanto, o torque de 13,9 m·kgf no Etios (G ou A) aparece a 3.100 rpm, regime inferior ao torque máximo do motor do Versa, de 15,1 m·kgf  (nem 8% superior) a 4.000 rpm. Apesar das cifras menores, ao optar por acalmar a cavalaria e deixá-la mais “gorda” em baixas rotações os técnicos da Toyota tornaram o Etios um carro muito agradável de se dirigir.

Nas saídas da tocada urbana, onde um pulo rápido no semáforo é geralmente seguido por um ritmo de procissão, de gado na manada, o Etios se mostra em casa. Como dito, usar 3ª ou 4ª marcha a menos de 40 km/h é possível e se caso haja necessidade de evoluir a 50 ou 60 km/h, afundar o pé no acelerador resulta em boa resposta — na verdade, nem é preciso afundar muito.

Outra feliz característica do carro é a maciez de comandos. Embreagem e acelerador são como devem ser, suaves, macios e de atuação precisa. A direção com assistência elétrica é um espetáculo de suavidade e o câmbio chega bem perto da nota máxima apesar de as vezes “engolir”a ré reclamando.

De fato, a principal impressão que o Etios transmite é que o motor o carrega sem fazer força, o carro é “solto” e isso associado ao caráter torcudo do motor resulta em bom consumo. Mesmo encarando as pirambeiras da zona oeste de São Paulo dia sim e outro também, rodando em horário de pico no para e anda infernal da pauliceia, o Etios fez perto de 9 km/l de gasolina o que, para tais condições, é bom.

Menos bom é, porém, a evidente leitura do piso ruim que as suspensões deste Toyota oferecem a quem ocupa a cabine. Não se trata de suspensões barulhentas, mas sim de suspensões que comunicam o que encaram de maneira evidente demais. Até mesmo o ruído de rolagem dos pneus (Pirelli Cinturato P1 185/60R15) e a ação das pastilhas de freio sobre os discos são notados de modo claro. Já o ruído do motor, por sua vez, não é incômodo a não ser se levado para passear perto da faixa vermelha coisa que não é quase nunca necessária em cidade.

Fazer supermercado, estacionar em vagas apertadas, meditar em congestionamentos… fizemos tudo isso com o Etios. O porta-malas amplo abriga compras encaixotadas e sacolas sem entrar em crise, faltam apenas ganchos para prender redes de contenção. Já a câmara de ré ocupa a tela colorida do centro do painel que, associada ao sinal sonoro, facilita a vida nas vagas de rua ou dos estacionamentos. E quanto a mofar no trânsito… há a TV! Sim, televisão a bordo, assim como rádio, navegador por GPS, CD player e duas portas USB escondidas no porta-luvas que podem servir para espetar um pen drive carregado de músicas e dar energia ao telefone celular simultaneamente. A TV não mostra imagens com o carro em movimento, como deve ser em prol da segurança, mas nas paradas basta puxar o freio de mão para que a imagem apareça. O navegador tem um grafismo razoável mas peca por não estar 100% atualizado, indicou ruas de sentido proibido um par de vezes. E quanto ao áudio, a Toyota foi sovina, pois há apenas quatro alto-falantes, dois situados na face superior do painel, dois nas portas dianteiras. Quem vai atrás ou não ouve bem, ou obriga quem ocupa os bancos dianteiros a colocar o volume nas alturas…

Como avisado na semana passada, o Etios enfrentou nossa tradicional viagem ao litoral norte paulista e, como três adultos a bordo mais porta-malas pela metade mostrou suas qualidades rodoviárias, assim como algumas lacunas. Ponto para a suavidade de rodagem, o tal do ir “soltinho” que permanece em uso a 100-120 km/h. Estabilidade direcional é outra qualidade assim como na serra, descendo ou subindo, a tocada comportada não resultou em nenhuma observação negativa digna de nota. A direção que é leve em uso urbano permanece leve, mas não transmite insegurança. Confortável? Sim. Os bancos oferecem bom apoio e mesmo não havendo regulagem de distância do volante, houve como encontrar  o lugar certo para dirigir ajudado nisso pela regulagem de altura do banco. Pecado mais do que comentado, o painel minimalista e central, não oferece leitura precisa e a noite a ausência de dimmer, o reostato que regula a intensidade de luz, faz muita falta. Já a tela da central multimídia pode, felizmente, ser apagada.

Etios Platinum 10

Quadro de instrumentos não tem reostato; já há notícias de que virão instrumentos de leitura digital

A melhorar é mesmo é o ruído interno. A 120 km/h pneus em atrito com o asfalto, um pouco de ruído de motor e o ar se esfregando na carroceria resultam na necessidade de elevar o tom da voz a um nível acima do normal para conversar com quem vai ao lado. Para comunicação com quem está no banco de trás, só berrando.

No litoral, estradas de terra, concreto e tudo junto e misturado revelou a boa atitude deste Toyota para encarar terreno ruim. A parte mais sujeita a contatos é a frente, a saia do para-choque dianteiro na parte central. Mesmo assim, é raro o Etios tocar o solo. Ainda bem, pois não há protetor de cárter. Rodando em piso de aderência baixa, enfrentando desníveis que facilmente geram perda de aderência, o Etios fez ver que mesmo não tendo controle de tração sua capacidade de jogar sua potência no solo sem escândalo é mais do que razoável.

O abastecimento no final da viagem revelou que para ir e voltar da praia, trajeto de cerca de 466 km, o Etios fez 13,5 km/l. Na ida o ar-condicionado esteve sempre ligado. Na volta, nunca. Boa marca, condizente com o “peso do pé” do motorista, apressado na ida, tranquilo na volta, e com o trajeto cumprido de maneira competente e segura, apesar das lacunas observadas, a maioria de caráter periférico, que não comprometem o julgamento da essência deste automóvel cujo projeto — lembrar é importante! — visa economia de exercício e essencialidade construtiva e técnica. Algo que nos faz crer que esta versão Platinum  é um tanto quanto incongruente se considerado o preço perto dos 60 mil reais. Como eu disse na 1ª semana, o Etios mais adequado para mim é o de entrada, que custa cerca de 45 mil e não esse topo da linha.

RA

TOYOTA ETIOS SEDÃ PLATINUM

Dias: 14
Quilometragem total: 1.009 km
Distância na cidade: 529 km (52,4%)
Distância na estrada: 480 km (47,6%)
Consumo médio: 10,35 km/l (gasolina)
Melhor média: 13,5 km/l (gasolina)
Pior média: 8,5 km/l (gasolina)

 

FICHA TÉCNICA ETIOS SEDÃ PLATINUM
MOTOR
Descrição 4 cilindros em linha, duplo comando de válvulas no cabeçote, corrente, 16 válvulas, atuação direta, instalação transversal, flex
Material do bloco e cabeçote Alumínio
Cilindrada 1.496 cm³
Diâmetro e curso 72,5 x 90,6 mm
Taxa de compressão 12,1:1
Potência 92 cv (G) e 96,5 cv (A) a 5.600 rpm
Torque 13,9 m·kgf (G e A) a 3.100 rpm
Formação de mistura Injeção eletrônica seqüencial no duto
Combustível Gasolina E22 e/ou álcool (flex)
TRANSMISSÃO
Câmbio Transeixo dianteiro de 5 marchas manuais, tração dianteira
Relações das marchas 1ª 3,545:1; 2ª 1,913:1; 3ª 1,310:1; 4ª 0,973:1; 5ª 0,804:1; ré 3,214:1
Relação do diferencial 3,944:1
SUSPENSÃO
DIANTEIRA Independente, McPherson, braço triangular inferior, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
TRASEIRA Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado e barra estabilizadora integrada ao eixo
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidade
Diâmetro mínimo de curva 9,8 m
FREIOS
Dianteiros A disco ventilado
Traseiros A tambor
Controle ABS e distribuição eletrônica das forças de frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas Alumínio, 5,5J x 15
Pneus 185/60R15
DIMENSÕES
Comprimento 4.265 mm
Largura 1.695 mm
Altura 1.510 mm
Distância entre eixos 2.550 mm
PESOS E CAPACIDADES
Peso em ordem de marcha 980 kg
Porta-malas 562 litros
Tanque de combustível 45 litros
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h 11,8 s (G) e 11,3 s (A)
Velocidade máxima (est., álc.) 173 km/h
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 5ª 34,8 km/h
Rotação a 120 km/h em 5ª 3.450 rpm
Rotação à vel. máxima em 4ª 6.000 rpm
GARANTIA 3 anos ou 100.000 km
TROCA DE ÓLEO 10.000 km ou 1 ano
REVISÕES 10.000 km


Error, group does not exist! Check your syntax! (ID: 7)

Sobre o Autor

Roberto Agresti

Experiente jornalista especializado em veículos de duas rodas e editor e publisher da revista Moto! desde 1994. Além de editor do AE também tem a coluna semanal Dicas de Motos no G1 e é comentarista da rádio CBN no programa CBN Moto, aos domingos às 11h50.

  • Marcelo R.

    “Pecado mais do que comentado, o painel minimalista e central, não oferece leitura precisa e a noite a ausência de dimmer, o reostato que regula a intensidade de luz, faz muita falta. Já a tela da central multimídia pode, felizmente, ser apagada.”

    Se for verdade, mesmo, pelo menos o maior problema do carro será resolvido:

    http://carplace.uol.com.br/vazou-etios-2017-tera-cambio-at-motores-mais-potentes-e-ate-painel-digital/

    • Mr. Car

      Gostei. Parece que vão mudar só o quadro de instrumentos, quando deveria ser o painel todo, mas já é uma melhora. Este quadro novo ficou mais agradável visualmente, e mais completo também, com marcador de temperatura, e computador de bordo.

    • braulio

      Um grande marcador digital, que permita saber a velocidade até se você estiver fora do carro! Parece que a Toyota aprendeu alguma coisa com a Citroën: se os instrumentos não podem ir para o lugar “certo”, que pelo menos sejam legíveis. Acho que isso reduzirá a rejeição.

    • Luiz AG

      Muuuuuuito melhor. Gostei mesmo.

  • Mr. Car

    Já andei em um como passageiro (táxi). O trajeto foi curto, de modo que não deu para ter grandes impressões, avaliar muita coisa, mas o motorista me disse estar satisfeitíssimo com o carro, e que, de tão econômico, nem pensava em colocar o kit-gás, que aqui no Rio está presente em onze em cada dez carros de praça.

  • EJ

    Muito será aproveitado desse teste, sem dúvida alguma, já que não houve mudança de geração alguma, porém a revisão nas duas motorizações, novos câmbios e (aí sim, menos relevante) mudança do quadro de instrumentos digital no lugar do analógico são mudanças significativas para quem irá comprar um Etios nos próximos meses (principalmente pelo fato do câmbio automático ter boa chance de emplacar na versão sedã).

  • Gustavo, se o Etios hatch em questão for o Básico, não tem assistência de direção, nesse caso a direção é mesmo lenta. Direção assistida elétrica só do Etios X para cima. Mas se for este o caso, a direção não tem nada de lenta. O que pode confundir com direção lenta é o fato de as rodas esterçarem muito, tanto o que o diâmetro mínimo de curva é bem pequeno, apenas 9,6 metros, o que dá o carro excepcional manobrabilidade.

  • Mike Castro, discordo. O único problema atual é a legibilidade dos instrumentos.

    • Ah Bob… gosto é gosto! Respeito o seu, mas eu acho esse carro muito feio. Não tem a ver com ser indiano, projeto de país emergente, nada disso. Só acho feio.

      Eu já andei nesse carro, viajei 900km com ele, bom de chão, econômico, motor dá e sobra, mas…

      Quando eu estacionava ele e saía andando, ao olhar pra trás, não conseguia me imaginar sendo dono de um desses…

      Já quando olho o meu pejozinho de 11 anos de idade, toda vez penso: “Uau, que carro lindo!”

    • Rubergil Jr

      Eu vejo 3 problemas no painel do Etios:

      – Legibilidade, muito bem colocado pelo Bob.
      – Posicionamento, ter que virar os olhos ou o pescoço ligeiramente para o lado.
      – Má colocação dos difusores de ar centrais.

      De resto, considero o Etios um bom conjunto, e a avaliação tem mostrado isso.

  • Davi Reis

    Acho uma pena quando um fabricante opta por entrar na guerra da cavalaria e se preocupa mais em arrancar números máximos altos do que uma linearidade de funcionamento. Nesse sentido, ponto para a Toyota, pois esse motor do Etios é mesmo de uma elasticidade de dar gosto. Agora com os motores 1,3 e 1,5 Dual-VVTi chegando, com maior potência, vamos ver se essa boa característica vai sobreviver. E mais interessante ainda, câmbio manual de 6 marchas e um painel central digital!

  • Davi Reis

    O Etios é que está caro ou o C3 Picasso que está muito barato? Os dois pelo mesmo preço é até um pouco chocante.

    • CorsarioViajante

      Acho que não. O C3 Picasso hoje é o Aircross, que tem versões na tabela abaixo de 50.000, enquanto o Etios tem versões acima. Ou seja, se sobrepõem em vários aspectos.
      Mas o que pesa aí mesmo é que quase qualquer um encara um usado japonês, já da Citröen é bem menos gente que confia.

  • Gustavo, posso estar enganado, mas acho que não é tudo isso de voltas entre batentes, não. De qualquer maneira vou pedir ao Agresti que conte as voltas. Relembro que as rodas esterçam muito e esse fator entra no número de voltas citado; não é só a relação de direção que conta. Não acredito que Toyota alterasse a relação de direção depois de lançado o carro.

  • Carlos Alberto, o número de voltas não é suficiente para definir se uma direção é rápida ou lenta, depende do quanto as rodas esterçam. Já dirigi bastante Etios e a direção dele não é lenta.

    • Roberto Alvarenga

      O Etios X da empresa em que trabalho tem uma direção normal, nem rápida, nem lenta: adequada. Não sei quantas voltas se dá de batente a batente, mas acho o carro fácil de manobrar. Só acho a direção um pouco “molinha” demais em velocidades altas.

  • Gustavo, vou pedir ao Agresti que conte as voltas. Nessa matéria de Quatro Rodas o jornalista fala nas voltas e no diâmetro de curva, mas não faz a devida associação desses dois pontos.

  • João Lock

    Bacana! Mas… alguem sabe me dizer, que praia é aquela da foto da materia?

  • Kaue Salvador

    parabens pessoal do autoentusiastas , conheci o site a pouco tempo , (conheci pelo canal do youtube) e to curtindo muito as postagens , ja entro todo dia (e até deixei de seguir uns manés que fala besteira rsrs) , as avaliações de voces são realmente muito boas , e mostra que carro num é so uma ficha tecnica , como o resto acha .
    eu realmente gosto do etios , gosto do seu painel estranho que ao meu ver ganha pontos por sair do lugar comum , gosto da mecanica excelente para a proposta . mas…. o design , o hatch até da pra encarar , mas o sedã… , custa muito fazer um projeto decente ? a traseira é horrivel denunciando que é só uma adaptação ao um hatch (o que eu odeio ) . seria um forte candido a meu proximo carro , mas vai ficar dificil encarar muito tempo esse visual na minha garagem .

    • Alex N.

      Então cara, eu fui nessa de design e comprei um Ka+, hoje leio matérias sobre o Etios com lágrimas nos olhos! Ainda mais agora com a evolução mecânica e o novo câmbio..

  • MyLife

    Não é carro mais bonito, mas o conjunto é muito bom.

  • Luiz AG, concordo plenamente. É, de longe, a melhor iluminação de painel que existe.

  • João Lock

    Alguém sabe dizer quando esse carrinho vai começar a ser oferecido, com câmbio CVT?

    • Marlon Machado

      Ano que vem, com câmbio tradicional automático 4-marchas advindo do antigo Corolla Brad Pitt.

      • João Lock

        Negativo. Começa ser vendido dia 28/04. Modelo 2017 é claro. Sobre o câmbio, ainda tenho dúvida se é um CVT ou um AT4

        • João, é automático epicíclico de quatro marchas.

          • João Lock

            Obrigado Bob.

  • Frank BassSinger

    Logo que o Etios foi lançado choveram comentários criativos na internet comparando o polêmico painel à tradicional balança Filizola (hehe, e o pior é que, bem de longe, até que lembra um pouco sim…). Como ri horrores com um comentário de um forista do CarPlace, achei conveniente trazer aqui para os amigos do AE. Em suma, o pessoal está dizendo que o painel atual http://static.mercadoshops.com/balanca-filizola-pequena_iZ186XvZxXpZ3XfZ56454723-480884589-3.jpgXsZ56454723xIM.jpg a se confirmar esses “vazamentos”, terá evoluído para esse fantástico painel aqui http://mlb-s2-p.mlstatic.com/balanca-filizola-bp15-capac15kg-div5g-6767-MLB5108179676_092013-F.jpg

  • Frank, até Celta.

  • Frank, num carro você olha para fora ou para dentro?

  • Luiz AG

    Fiat Idea não esterça nada, fiquei impressionado ao fazer uma baliza no de um familiar.

  • Luiz AG

    Perceba nos paineis que coloquei avermelhado como a cor agride menos quando se olha. Olha o azul celeste e veja como agride a visão. Imagina andar a noite com isso na cara.

  • Frank BassSinger

    Sensacional!! E o cara depois desfilando com a geringonça que ele criou….

  • João Lock

    Ok. Obrigado!