A empresa FEV North America está mostrando no Congresso da SAE em Detroit um motor de compressão variável que deverá entrar em produção em cerca de três anos.

Há protótipos em testes de rua tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, disse  Dean Tomazic, vice-presidente executivo da empresa.

O sistema usa um excêntrico na cabeça da biela, variando o comprimento desta a partir do movimento deste de um lado ao outro, melhorando a eficiência de queima, o consumo e a emissão de poluentes em números entre 3% e 6 %.

Diferente do sistema testado pela Saab no ano 2000,  que era infinitamente variável, o projeto da FEV alterna entre duas posições, que permite variar a compressão em 9:1 ou 13:1, no motor que está em testes.

A solução é perfeita para motores movidos a mais de um combustível como os flexíveis que temos no Brasil, bem como nos motores a gasolina e gás, variando a taxa de compressão para a menor no uso do combustível com maior poder calorífico, como a gasolina em relação ao álcool.

O sistema da FEV usa um interruptor que controla uma válvula de 3 vias para alterar o caminho de óleo dentro da biela, que possui dois pequenos pistões internos, atuando com pressão da explosão sobre a cabeça do pistão para empurrar a biela para a condição de menor taxa de compressão, enquanto que o vácuo no cilindro puxa a biela para a posição de maior taxa. O que trava a biela para as duas taxas é a pressão de óleo, mantida pela válvulas em uma ou outra posição.

A ilustração abaixo mostra o interior da biela com os dois pistões e as linhas de óleo, e o excêntrico dentado em azul mais escuro, na cabeça da biela.

FEV VCR

JJ

(236 visualizações, 1 hoje)