Da Automotive News

Depois de ter apresentado há alguns meses seu primeiro suve, o F-Pace, a Jaguar informa que as peruas ou station wagons não mais farão parte da linha de produtos da marca, já que mesmo na Europa, o maior mercado para esse tipo de carro, as vendas estão diminuindo muito nos últimos anos.

Ian Callum, o diretor de Design da Jaguar disse que é triste dizer isso, mas que o mercado de peruas é muito difícil de justificar, já que foi enormemente diminuído com as ofertas cada vez mais numerosas de suves, de marcas já tradicionais e das que estão agora iniciando suas ofertas.

No ano passado, quando o novo sedã XF foi lançado, a versão perua já havia deixado de existir. A foto mostra a versão esportiva, XF-R, de 2013. Antes dela, havia também a versão no X-Type, que foi o único station wagon vendido nos EUA.

Os mercados em que as vendas da Jaguar aumentam consistentemente, como China e o Oriente Médio, não refletem saúde na venda de peruas, e a decisão foi concentrar esforços nos suves, agora que o F-Pace já está à venda.

Um carro menor nessa crescente categoria está sendo desenvolvido, e deverá ser similar em muito da parte estrutural, mecânica, elétrica e eletrônica aos Land Rovers, já que as empresas pertencem ambas ao grupo indiano Tata.

Não é uma notícia agradável para os adeptos das peruas, mas uma realidade de mercado irrefutável para a maior parte dos fabricantes.

JJ



  • Corsário, sério que a VW já chamou a Parati de suve??? Endoideceram.

    • CorsarioViajante

      Sim! Já no fim da vida dela, no “monte o seu”, aparecia como SUV… Lamentável.

      • Corsário, é devido a essa burrice desenfreada e alarmante que estamos vendo o Brasil se esfarelar. Veja essa história de “golpe”, veja a ciclovia que desabou no Rio, veja o pensamento generalizado de que as cidades grandes brasileiras são como Amsterdã e toca a forçar o uso de bicicleta (e todo mundo com aquele capacete horroroso que deixa o crânio com formato de dolicocéfalo…)

  • Júlio César, não é nada disso do que você disse. As pessoas estão comprando suves com prova (para os outros) de ascensão social, e tem que ser automático. A sigla SUV exerce um fascínio enorme, tanto que alguns leitores reclamaram de o AE chamar SUV de suve.

  • Braulio, perua = biscoitos Tostines: não vende porque não tem ou não tem porque não vende?

  • WSR, correção: suve automático (rsrsrs). É a classe média chegando ao Paraíso.

    • WSR

      Perfeito! rs

  • Mr. Car

    Não é por nada não, mas para mim, nunca foi opção, se é que me entende, he, he!
    Abraço.

  • Eduardo Sérgio

    De fato, Leo-RJ, a nova geração européia da Mégane Grand Tour manteve o bom gosto já apresentado na versão anterior. Infelizmente não será oferecida aqui no Brasil pela Renault.

  • Luís H, outra vantagem das peruas sobre os sedãs é o conforto de quem vai no banco traseiro, nunca receber sol por trás.

  • Júlio César, o Clarkson gosta de bancar o espirituoso. Nada a ver isso que ele disse.

  • Leo-RJ

    Acyr, como dois! Desde moleque eu as curtia! Adorava a Parati e a Ipanema. Logo cedo tive minha primeira Ipanema, ainda duas portas, que meus amigos chamavam de “rabecão”, por sua traseira reta. Só eu achava esses modelos bonitos… rs.

  • WSR

    A maior vantagem que vejo na perua é ser derivação de um hatch. O 147 gerou o Oggi, a City e a Panorama, por exemplo, a perua mais barata da época. Isso, supostamente, ajuda a perua ter um preço bem menor que um suve, que por sua vez gera, no máximo, uma picape.

    Tudo bem se a modinha do ‘suve para impressionar’ pegou (certas pessoas pessoas precisam de algo grande para preencher o vazio do coração ou da cabeça), mas o ruim é a perua ser uma opção a menos (as que sobram ficam caras por falta de concorrência), assim como os carros de duas portas, que andam sumidos porque são ruins na hora da revenda. Pior que isso só o sujeito que coloca uma capa no banco para valorizar o carro na hora da revenda. Talvez essa seja o ponto ruim de ver as peruas sumindo. Quem pode, paga alto para impressionar (o cara que pulou para o suve) e quem gosta ou precisa, não tem como arcar com o alto preço das sobras de mercado (Palio Weekend?).

  • WSR

    Agora saquei que estava falando do Jaguar. Eu já estava para dizer que uma Palio Weekend usada nem é tão cara… rs

  • Maurilio Andrade

    Lamentável. A dinâmica de uma SW, e muitas vezes espaço interno e porta-malas, é bem melhor que a de um suve. Sinceramente, não vejo razão lógica para as pessoas preferirem suves em detrimento das SWs.
    Será que somente entusiastas gostam de SWs hoje em dia?
    Parem o mundo que eu quero descer!

    • Maurílio, suve é status, símbolo de ascensão social. SW, assim como câmbio manual, virou coisa de pobre.