Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas MITSUBISHI CRIA SITE PARA REPARADOR INDEPENDENTE – Autoentusiastas

Uma notícia ótima para as oficinas e mecânicos caseiros. A Mitsubishi Motors oferece o site Reparador Mit (www.reparadormit.com.br), onde, mediante um cadastro simples e rápido, o interessado  tem acesso a catálogos de peças originais, promoções e literatura técnica dos veículos.

“Estamos ampliando o relacionamento com os reparadores independentes, oferecendo facilidades e descontos”, garante Julio Fiorin, diretor de pós-venda da Mitsubishi Motors.

Pelo portal, os mecânicos  têm acesso a um vasto portfólio de peças, manual de instruções, dicas técnicas e de manutenção dos veículos Mitsubishi, além de vídeos que podem auxiliar nas principais dúvidas.

As oficinas independentes poderão adquirir peças originais Mitsubishi com desconto e retirar diretamente em uma concessionária da marca, o que torna o processo muito mais rápido e vantajoso. Lá também é possível realizar uma consulta facilitada ao catálogo de peças, o que proporciona um atendimento rápido e personalizado ao reparador.

“As cotações de peças podem ser feitas online, agilizando os negócios. Temos 98,5% dos pedidos atendidos a pronta entrega”, afirma Fiorin. “Além dessa praticidade, o reparador terá a tranquilidade de contar com peças originais Mitsubishi para os veículos de seus clientes e todo o auxílio de nossa equipe técnica”, explica.

277015_581788_reparador2

JJ



Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

  • Alessandro Peres

    Jogada de mestre, vão abrir um leque gigantesco de oficinas para atender o cliente.
    Espero que os outros fabricantes imitem esta atitude louvável rápido, pois vai dar a oportunidade do cliente fugir do péssimo atendimento e da incompetência do pós-venda de muitas concessionárias.
    Meus parabéns a Mitsubishi e ao Juvenal Jorge!

    • Ricardo kobus

      Que sirva de lição as outras, isso só agrega valor à marca.

      • Lucas Vieira

        A Fiat já disponibiliza também um site para o reparador, são ideias ótimas!

  • Ilbirs

    Se há algo que me impressiona na operação brasileira da Mitsubishi é o tanto de acertos que vem conseguindo nos últimos tempos. Considerando o fato de enfrentar a dureza que é ter de lidar com modelos de uma marca que no exterior está bastante estagnada e o fato de a operação brasileira não ter assim tanta infraestrutura quanto as marcas maiores, estão conseguindo tirar leite de granito, só para pegarmos uma pedra bem dura.
    Imagine o que o pessoal faria se a operação mundial da marca dos três diamantes não tivesse decidido por estagnar a si própria. Essa para o reparador independente é uma bela sacada, ainda mais considerando o tanto que as marcas japonesas aqui instaladas costumam segurar as informações ou mesmo a distribuição de peças.

    Considerando o tanto de entraves que há vindos da operação estrangeira, estar aqui com Lancer e ASX nacionalizados e inclusive com motores sendo fabricados localmente é só mais um feito naquela base do “não sabia que era impossível e por isso foi lá e fez”, que se junta às nacionalizações de L200 anteriores, a reestilização extensa do Pajero TR4 e a fabricação local do Pajero Dakar. Vou dizer que a Mitsubishi brasileira de hoje está em uma situação equivalente à da Willys-Overland de nosso passado, considerando aí as devidas proporções.
    Não sei o que vai acontecer com a Mitsubishi mundial até o fim desta década. Tenho cá uma intuição de que ela irá se juntar à FCA e passar a ser um grupo chamado FCMA por diversas razões, mas uma eventual fusão dessas marcas por aqui só seria uma soma das boas de cabeças pensantes preciosas, uma vez que seria o encontro dos milagreiros de Catalão com o pessoal de Betim que manteve a Fiat como marca respeitável e de grandes vendas por aqui mesmo quando no exterior ela se encontrava em situação extremamente delicada.

  • Paulo Ferreira

    Parabéns aos responsáveis pela iniciativa!!

  • contratudoisto

    Tarde demais para mim. O carro que mais gostei até hoje foi meu Galant 2,5 V-6 2000! Andava legal, bebia pouco, charmoso, confortável, que carro!! Abandonado pela MIT, sem peças nos EUA, aqui, na Europa e nem no Japão, era um modelo em extinção. Parto de égua conseguir peças e quem o consertasse. Triste fim de um clássico japa da melhor qualidade!!!!E triste fim da marca para mim.