A Ford anunciou que seus veículos Police Interceptor, para uso policial nas versões sedã e utilitário, basicamente o Taurus e a Explorer, vão oferecer blindagem com nível de proteção contra munição perfurante de rifle. Serão os primeiros veículos de perseguição dos Estados Unidos equipados de fábrica com proteção balística de Tipo IV, segundo o padrão do Instituto Nacional de Justiça dos EUA, testada contra balas perfurantes de calibre .30.

Embora o número de confrontos entre a polícia e criminosos com o uso de rifles de munição perfurante e alta potência seja baixo, esse tipo de armamento está se tornando mais comum.

“O fato de projetarmos nossos Police Interceptors com base nas necessidades dos policiais é o que tornou a Ford líder desse segmento. Os agentes nos disseram globalmente que precisavam de blindagem contra munição perfurante e adicionamos essa proteção ao produto. Isso é inovação contínua”, diz Arie Groeneveld, engenheiro-chefe do Ford Police Interceptor.

A Ford tem uma divisão para engenharia de veículos de polícia nos EUA, que trabalha intensamente para atender a esse importante mercado. Uma das características notáveis é o fato que mesmo o Taurus tem sempre tração nas quatro rodas para uso policial, confirmando as características superiores de dirigibilidade e segurança desse tipo de tração.

A blindagem de Tipo IV é uma opção adicional à proteção balística já oferecida pela marca. A blindagem do Tipo III, já usada por órgãos policiais dos Estados Unidos, oferece proteção contra todas as balas de revólver e munição não perfurante até calibre .30. Ela faz parte da longa lista de equipamentos de proteção do Ford Police Interceptor, como a célula de segurança com reforço estrutural.

Em caso de colisão, sua tecnologia avançada com zonas de deformação estrategicamente colocadas na carroceria ajuda a absorver energia e dirigir as forças de impacto para fora do habitáculo. O uso de materiais inovadores, como alumínio, plásticos avançados e aço boro, também contribui para a resistência. O Ford Police Interceptor conta ainda com proteção contra impacto traseiro a até 120 km/h, suspensão e freios especiais, rodas de aço, interior exclusivo e vários itens opcionais.

Os detalhes desses carros feitos de forma a serem muito robustos e de ótima dirigibilidade estão no site www.ford.com/fordpoliceinterceptor, que tem um grande número de informações.

2015 Ford Police Interceptor  FORD DE POLÍCIA TEM BLINDAGEM TIPO IV 2015 Ford Police Interceptor

JJ

Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

Publicações Relacionadas

  • Christian Govastki

    Enquanto isto, no Brasil, se adesiva um carro e diz que ele virou viatura de polícia.

    Ou ainda pior, as viaturas da PM de Goiás são carros alugados. Palios, Gols etc.

    Ou pior do pior, os Pajero da PM do Distrito Federal que capotam à toa. Sexta foi engraçada a cara dos policiais quando passei com a minha Veraneio ao lado da Pajero deles pensando “Essa ai não capota à toa.”

  • Muçouçah

    Só nos resta admirar. Isso é seriedade. Fazer bem feito o que precisa ser feito. Impossível comparar com nossa realidade. No Brasil é um caos, uma vergonha. A única saída é: administração pública parar de roubar e investir em soluções reais, como as apresentadas no artigo.

  • Luiiiano,
    suas denúncias de atitude dos policiais ao volante são bem embasadas, menos uma, a de estarem sem usar o cinto. Em que isso atrapalha os demais motoristas?

  • Luciano Ferreira Lima

    Sr Ramalho, agradeço seu comentário, e, mesmo que não tenhamos idéias em comum sua opinião agrega sabedoria e discernimento. Eu a muito perdi a confiança de fazer denúncias, já o fiz algumas vezes, (acho que duas) e nada aconteceu, não tão graves mas o fiz. Hoje prefiro ser um alienado passivo do que expor minha posição em relação a atos lúgubres como este, este foi apenas um desabafo singular não se repetindo tão cedo. Fui carreteiro e se saí da estrada ano passado agradeço e muito a PM de vários estados, vi muitas covardias com amigos caminhoneiros colegas e mesmo eu cumprindo rigorosamente a velocidade de 80km/h, andar de cinto até com o veículo parado, manter impecável os equipamentos de minha scania R440, placa bem legível não esperei para ser eu e minha esposa que sempre viajava comigo sermos as próximas vítimas a levar tapa na cara em locais ermos das estradas do Brasil, principalmente BA,RJ e toda região norte aonde não existem policiais mas sim bandidos de farda.

  • Luciano,
    desculpe-me contrariá-lo, mas você querer que outros usem cinto porque há que se cumprir o Código e falar em “ser arremessado”do veículo, é se meter com a vida alheia. Tem um quê de patrulhamento nessa sua opinião.

  • Luiciano,
    qua atitude nojenta desse PM!