Agora que a produção do Defender terminou, a Land Rover estuda onde produzir o novo modelo, que deverá estar à venda ao final de 2019 ou começo do ano seguinte. Pode se tratar de uma informação estranha, já que as empresas trabalham com planejamentos avançados, e saber onde será fabricado um modelo é fundamental para qualquer programa, mas essa é a informação conseguida pela revista britânica Autocar.

Segundo a revista, há correntes a favor de uma manufatura fora do Reino Unido, com a intenção clara de ter um produto de mais baixo custo do que os fabricados na Inglaterra. A fábrica na Eslováquia é forte candidata, mas nós brasileiros ficamos sempre imaginando que podemos ser os escolhidos, já que a fábrica da Jaguar Land Rover em Penedo, RJ, deve começar a funcionar ainda este ano.

O volume de produção do novo modelo, de apelo mais amplo a consumidores mais normais, deverá ser ao redor de 100 mil unidades por ano, ante as 20 mil do modelo que deixou de ser fabricado. Segundo as informações obtidas pela Autocar, o diretor de Design Gerry McGovern já sabe como será o novo carro, mas o público não deverá vê-lo até 2018. Também há a certeza que não será como o conceito DC100, mostrado em 2011, mas terá dimensões muito semelhantes ao modelo descontinuado.

O maior volume que tornará o produto economicamente viável significa também que deverá ser homologado para os Estados Unidos, voltando ao mercado com seu modelo de entrada depois de quase três décadas fora.

A capacidade fora-de-estrada deverá no mínimo ser igual ao clássico que deixou saudade, e opções de chassis e carrocerias diferentes de acordo com os diversos usos será mantido. Definir um novo Defender é uma das tarefas mais complicadas desse setor, já que sendo muito tradicional e tendo uma legião de admiradores, se for por demais diferente não agradará a muitos.

Falta a direção de empresa mostrar o caminho a seguir. Nós já estamos esperando pela apresentação do novo modelo no Brasil.

JJ

 

Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

Publicações Relacionadas

  • Ze Brasileiro

    A valorizadíssima libra esterlina não facilita a fabricação de automóveis na Inglaterra.

  • Lemming®

    Vai entender como um veículo que é produzido na escala dos 20 mil é inviável…