O Gol e o Voyage 2017, ainda em sua 5ªgeração e  que completa oito anos em julho — a 6ª só deve chegar em 2018 — acabam de receber modificações importantes, anunciadas ontem pela VW.  As versões de 1 litro ganham o motor de 3 cilindros EA-211,  representando fim de carreira para o 4-cilindros EA-111 na linha Gol, e foram aportadas algumas modificações na carroceria, principalmente internas. Estas estão no painel de instrumentos completamente redesenhado, em sintonia com os tempos atuais, uma mudança oportuna e sobretudo necessária para os olhares voltarem ao ex-rei do mercado brasileiro, reinado que durou 27 anos (1987-2013).

O visual externo recebeu retoques, deixaram as linhas mais agradáveis que prontamente identificam o ano-modelo.

O Gol teve mudanças externas maiores que o Voyage, especialmente o desenho da porta de carga, que passou a ter a base do vidro reta, como era no primeiro Gol de 1980.

Gol_Highline_34_Tras_Amb_Estatica_Lagoon c r

No Gol, a maior mudança foi no vidro raseiro (foto divulgação)

O Gol e o Voyage juntos vistos de traseira:

Mas a grande mudança foi no interior, internamente o Gol e o Voyage são outros carros. Comparando o novo e o antigo percebe-se a enorme diferença:

Na foto do novo aparece no centro do painel aparece o suporte para telefone móvel, uma ótima solução que é disponível com um dos dois pacotes de infotenimento.

Agora ficou com esse visual

O três-cilindros

No caso das versões 1-litro do Gol e do Voyage, Trendline e Comfortline, houve nítida adição de valor com a aplicação do EA-211 tricilíndrico, um motor incomparavelmente mais moderno que o anterior. A potência é maior, passou de 72/76 cv (sempre gasolina antes, “norma” do AE) a 5.250 rpm para 75/82 cv a 6.250 rpm. Com gasolina o torque ficou igual, mas a rotação de pico baixou de 3.850 para 3.000 rpm e segue num platô até àquela rotação superior. Mas com álcool o torque caiu de 10,6 para 10,4 m·kgf, com o mesmo comportamento de rotações de com gasolina. Ou seja, houve aumento de potência à custa de rotação e aumentou a elasticidade devido ao torque máximo ocorrer em rotação mais baixa agora, havendo mais potência em giro baixo.

Dirigindo-os percebe-se melhora nítida  em acelerações e retomadas, apesar de ter havido alongamento de todas as marchas mantendo a mesma relação de diferencial. Veja na tabela abaixo, considerando a maior medida dos pneus, 175/70R14, raio dinâmico 292 mm (as medidas  185/65R14 e 195/55R15 têm raio dinâmico de 289 mm, 1% menor):

EA-111 4-cilindros EA-211 3-cilindros
Marcha Diferencial v/1000 Marcha Diferencial v/1000 Dif. + %
4,167 4,929 5,360 3,769 4,929 5,926 10,6
2,300 4,929 9,710 2,095 4,929 10,660 9,8
1,433 4,929 15,585 1,281 4,929 17,434 11,9
0,975 4,929 22,906 0,927 4,929 24,092 5,2
0,776 4,929 28,780 0,740 4,929 30,180 4,9

Veja o gráfico “dente de serra” dos dois câmbios:

Dente de serra Gol x GolObs: Como os dois motores têm rotações de potência máxima diferentes, foi tomada a do 3-cilindros, 6.250 rpm (4-cil, 5.250 rpm)

A aceleração 0-100 km/h era feita em 14,4/14,1 segundos e agora é em 12,6/12,3 segundos, um ganho apreciável. Melhorou também a velocidade máxima, que passou de 158/160 km/h para 168/170 km/h (álcool), outro ótimo ganho. A diferença de área frontal corrigida entre o antigo é o novo é pequena, era 0,702 m², é 0,693 m² agora, informa a fábrica, diferença de 1,3% (os Cx são iguais, a diferença é na área frontal, 2,01 m² ante 2,03 m²). É pouco mas sempre ajuda, como também contribuem os pneus de baixo atrito de rolamento.

Com o alongamento das marchas, o motor, quando o carro está na sua velocidade máxima, agora fica aquém da rotação de potência máxima em 650 rpm, a 5.600 rpm. Antes, ultrapassava-a em 300 rpm, a 5.550 rpm. Com a alteração das relações das marchas, que antes era 4.170 rpm a 120 km/h em 5ª marcha, agora é quase 4.000 rpm.  Como já sentido no up!, a suavidade de funcionamento desse motor faz 4.000 rpm parecer menos. Continua a impressionar a voracidade para subir de giro, chegando ao corte limpo a 6.500 rpm bem antes do que se espera.

Dirigi o Gol e Voyage numa apresentação prévia de imprensa no dia 3 de agosto realizada na Fazenda Capuava, próximo a Indaiatube (SP).  Claro, é diferente do andar nas vias normais como ruas e estradas, mas com um pouco de atenção pode-se avaliar o caráter dos dois carros com o  novo motor.  Claro, depois do trabalho vem a “happy hour”, que é aproveitar a ocasião para dar uma voltas em regime de competição e avaliar o lado entusiasta de andar no limite, outro lado importante de qualquer avaliação.

Há um quê de estranho, escutar “um som de up!” num Gol ou Voyage, já que é uma novidade na linha. Senti o mesmo ao dirigir o Fox BlueMotion com o 3-cilidros em 2013, o que já não ocorreu com o up! por se tratar então de um produto inédito. Estranho, mas nada ruim, pelo contrário, trata-se de real vida nova aos dois VW, como ocorreu com o Fox BlueMotion. Nos próximos dias teremos o Gol Comfortline 1,0 para um teste “no uso”.

A fábrica não informou o consumo com o novo motor, mas afirmou que estão até 11% mais econômicos e que mantêm a nota “A” do Programa Brasileiro de Etiquetagem Velcular segundo a metodologia do Inmetro.

De resto, o Gol e o Voyage são como vinho, estão cada vez melhores de andar. A sensação de robustez que passam é notável, assim como precisão da direção, o funcionamento suave de todos os comandos, o rodar firme sem ser duro, tudo leva a acreditar estarem esses dois no melhor de sua forma. após esses quase oito anos.

O “estarem como vinho” reflete-se também na impressão de boa fabricação e montagem, fora a qualidade de pintura que impressiona de tão perfeita.

App-Connect, a novidade

O App-Connect é o novo sistema de infotenimento da Volkswagen, uma tecnologia global que equipa também o novo Passat. O sistema permite o espelhamento de smartphones na tela tátil com as plataformas MirrorLink, Apple CarPlay e Google Android Auto. As telas são de alta definição em cores e de 6,33 polegadas para máxima visualização e interatividade, além da leitura de mensagens de texto (SMS, short message service) do telefone celular por meio dos alto-falantes. Além disso, é possível responder a mensagem por comando de voz, que enviada em formato SMS. Outro benefício do AppConnect é se poder parear dois celulares ao mesmo tempo, uma facilidade que traz grande benefício.

Para registrar a chegada do Gol mais conectado de sua história de 36 anos, foi criado o pacote “Gol Connect”, uma série especial exclusivamente na cor azul Lagoon, de grande jovialidade. A cor está na carroceria bem como no painel e nos exclusivos tecido dos bancos.

O Gol Connect vem com central multimídia Discovery Media, a topo de linha, que além do espelhamento traz um sistema de navegação integrado. A versão pode ser equipada com a novidade que é suporte para celular posicionado no centro do painel em posição elevada, de perfeita visibilidade, para um dirigir mais seguro e também interativo. A série inclui adesivos pertinentes a ela, um pacote elétrico, sensor de estacionamento traseiro e exclusivas rodas de aro 15 com pneus 195/55R15 de baixa resistência de rolagem.

Preços

Os preços do novo Gol e Voyage ficaram assim:

 Gol:

1-litro
Trendline: R$ 34.890
Comfortline: R$ 42.690

1,6-litro
Trendline: R$ 40.190
Comfortline: R$ 47.490 (I-Motion + R$ 3.300)
Highline: R$ 51.990 (I-Motion + R$ 3.300)

 Connect
1,0 manual R$ 45.190
1,6 manual R$ 49.990 (I-Motion + R$ 3.300)

Preços do Voyage:

1-litro
Trendline :R$ 40.990
Comfortline: R$ 46.590

1-6-litro
Trendline :R$ 44.590
Comfortline:   R$ 49.790 (I-Motion + R$ 3.300)
Highline:  R$ 55.290 (I-Motion + R$ 3.300)

Durante a apresentação  a VW explicou que na formação dos preços abriu mão da margem de modo a contê-los. Por exemplo,  tomando como base o Gol Special anterior  com todos os opcionais, de  R$ 38.790, o preço do novo, um Trendline com mesmo nível de opcionais, subiria para R$ 39.600. Mas foi abatido R$ 1.910 desse preço, baixando-o para R$ 37.690.

Foi mostrado um interessante quadro mostrando a evolução do Gol ao longo  de 37 anos:

Evolução Gol editado

O Gol e o Voyage partem para nova fase, com ênfase nas versões 1-litro. A importante mudança não deveria se restringir a estas, uma vez que a Volkswagen tem motor 1,6-L superior ao EA-111, o EA-211 de configuração próxima à do 3 cilindros, como duplo comando de válvulas com variador de fase no de admissão e quatro válvulas por cilindro.  Inclusive, já é usado na família Gol, na Saveiro Cross. Insistir com o 1,6 EAA-111 no Gol e no Voyage tem um sabor de serviço incompleto.

BS

(1.283 visualizações, 2 hoje)