Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas GOL E VOYAGE 2017 TRAZEM MUDANÇAS IMPORTANTES – Autoentusiastas

O Gol e o Voyage 2017, ainda em sua 5ªgeração e  que completa oito anos em julho — a 6ª só deve chegar em 2018 — acabam de receber modificações importantes, anunciadas ontem pela VW.  As versões de 1 litro ganham o motor de 3 cilindros EA-211,  representando fim de carreira para o 4-cilindros EA-111 na linha Gol, e foram aportadas algumas modificações na carroceria, principalmente internas. Estas estão no painel de instrumentos completamente redesenhado, em sintonia com os tempos atuais, uma mudança oportuna e sobretudo necessária para os olhares voltarem ao ex-rei do mercado brasileiro, reinado que durou 27 anos (1987-2013).

O visual externo recebeu retoques, deixaram as linhas mais agradáveis que prontamente identificam o ano-modelo.

O Gol teve mudanças externas maiores que o Voyage, especialmente o desenho da porta de carga, que passou a ter a base do vidro reta, como era no primeiro Gol de 1980.

Gol_Highline_34_Tras_Amb_Estatica_Lagoon c r

No Gol, a maior mudança foi no vidro raseiro (foto divulgação)

O Gol e o Voyage juntos vistos de traseira:

Mas a grande mudança foi no interior, internamente o Gol e o Voyage são outros carros. Comparando o novo e o antigo percebe-se a enorme diferença:

Na foto do novo aparece no centro do painel aparece o suporte para telefone móvel, uma ótima solução que é disponível com um dos dois pacotes de infotenimento.

Agora ficou com esse visual

O três-cilindros

No caso das versões 1-litro do Gol e do Voyage, Trendline e Comfortline, houve nítida adição de valor com a aplicação do EA-211 tricilíndrico, um motor incomparavelmente mais moderno que o anterior. A potência é maior, passou de 72/76 cv (sempre gasolina antes, “norma” do AE) a 5.250 rpm para 75/82 cv a 6.250 rpm. Com gasolina o torque ficou igual, mas a rotação de pico baixou de 3.850 para 3.000 rpm e segue num platô até àquela rotação superior. Mas com álcool o torque caiu de 10,6 para 10,4 m·kgf, com o mesmo comportamento de rotações de com gasolina. Ou seja, houve aumento de potência à custa de rotação e aumentou a elasticidade devido ao torque máximo ocorrer em rotação mais baixa agora, havendo mais potência em giro baixo.

Dirigindo-os percebe-se melhora nítida  em acelerações e retomadas, apesar de ter havido alongamento de todas as marchas mantendo a mesma relação de diferencial. Veja na tabela abaixo, considerando a maior medida dos pneus, 175/70R14, raio dinâmico 292 mm (as medidas  185/65R14 e 195/55R15 têm raio dinâmico de 289 mm, 1% menor):

EA-111 4-cilindros EA-211 3-cilindros
Marcha Diferencial v/1000 Marcha Diferencial v/1000 Dif. + %
4,167 4,929 5,360 3,769 4,929 5,926 10,6
2,300 4,929 9,710 2,095 4,929 10,660 9,8
1,433 4,929 15,585 1,281 4,929 17,434 11,9
0,975 4,929 22,906 0,927 4,929 24,092 5,2
0,776 4,929 28,780 0,740 4,929 30,180 4,9

Veja o gráfico “dente de serra” dos dois câmbios:

Dente de serra Gol x GolObs: Como os dois motores têm rotações de potência máxima diferentes, foi tomada a do 3-cilindros, 6.250 rpm (4-cil, 5.250 rpm)

A aceleração 0-100 km/h era feita em 14,4/14,1 segundos e agora é em 12,6/12,3 segundos, um ganho apreciável. Melhorou também a velocidade máxima, que passou de 158/160 km/h para 168/170 km/h (álcool), outro ótimo ganho. A diferença de área frontal corrigida entre o antigo é o novo é pequena, era 0,702 m², é 0,693 m² agora, informa a fábrica, diferença de 1,3% (os Cx são iguais, a diferença é na área frontal, 2,01 m² ante 2,03 m²). É pouco mas sempre ajuda, como também contribuem os pneus de baixo atrito de rolamento.

Com o alongamento das marchas, o motor, quando o carro está na sua velocidade máxima, agora fica aquém da rotação de potência máxima em 650 rpm, a 5.600 rpm. Antes, ultrapassava-a em 300 rpm, a 5.550 rpm. Com a alteração das relações das marchas, que antes era 4.170 rpm a 120 km/h em 5ª marcha, agora é quase 4.000 rpm.  Como já sentido no up!, a suavidade de funcionamento desse motor faz 4.000 rpm parecer menos. Continua a impressionar a voracidade para subir de giro, chegando ao corte limpo a 6.500 rpm bem antes do que se espera.

Dirigi o Gol e Voyage numa apresentação prévia de imprensa no dia 3 de agosto realizada na Fazenda Capuava, próximo a Indaiatube (SP).  Claro, é diferente do andar nas vias normais como ruas e estradas, mas com um pouco de atenção pode-se avaliar o caráter dos dois carros com o  novo motor.  Claro, depois do trabalho vem a “happy hour”, que é aproveitar a ocasião para dar uma voltas em regime de competição e avaliar o lado entusiasta de andar no limite, outro lado importante de qualquer avaliação.

Há um quê de estranho, escutar “um som de up!” num Gol ou Voyage, já que é uma novidade na linha. Senti o mesmo ao dirigir o Fox BlueMotion com o 3-cilidros em 2013, o que já não ocorreu com o up! por se tratar então de um produto inédito. Estranho, mas nada ruim, pelo contrário, trata-se de real vida nova aos dois VW, como ocorreu com o Fox BlueMotion. Nos próximos dias teremos o Gol Comfortline 1,0 para um teste “no uso”.

A fábrica não informou o consumo com o novo motor, mas afirmou que estão até 11% mais econômicos e que mantêm a nota “A” do Programa Brasileiro de Etiquetagem Velcular segundo a metodologia do Inmetro.

De resto, o Gol e o Voyage são como vinho, estão cada vez melhores de andar. A sensação de robustez que passam é notável, assim como precisão da direção, o funcionamento suave de todos os comandos, o rodar firme sem ser duro, tudo leva a acreditar estarem esses dois no melhor de sua forma. após esses quase oito anos.

O “estarem como vinho” reflete-se também na impressão de boa fabricação e montagem, fora a qualidade de pintura que impressiona de tão perfeita.

App-Connect, a novidade

O App-Connect é o novo sistema de infotenimento da Volkswagen, uma tecnologia global que equipa também o novo Passat. O sistema permite o espelhamento de smartphones na tela tátil com as plataformas MirrorLink, Apple CarPlay e Google Android Auto. As telas são de alta definição em cores e de 6,33 polegadas para máxima visualização e interatividade, além da leitura de mensagens de texto (SMS, short message service) do telefone celular por meio dos alto-falantes. Além disso, é possível responder a mensagem por comando de voz, que enviada em formato SMS. Outro benefício do AppConnect é se poder parear dois celulares ao mesmo tempo, uma facilidade que traz grande benefício.

Para registrar a chegada do Gol mais conectado de sua história de 36 anos, foi criado o pacote “Gol Connect”, uma série especial exclusivamente na cor azul Lagoon, de grande jovialidade. A cor está na carroceria bem como no painel e nos exclusivos tecido dos bancos.

O Gol Connect vem com central multimídia Discovery Media, a topo de linha, que além do espelhamento traz um sistema de navegação integrado. A versão pode ser equipada com a novidade que é suporte para celular posicionado no centro do painel em posição elevada, de perfeita visibilidade, para um dirigir mais seguro e também interativo. A série inclui adesivos pertinentes a ela, um pacote elétrico, sensor de estacionamento traseiro e exclusivas rodas de aro 15 com pneus 195/55R15 de baixa resistência de rolagem.

Preços

Os preços do novo Gol e Voyage ficaram assim:

 Gol:

1-litro
Trendline: R$ 34.890
Comfortline: R$ 42.690

1,6-litro
Trendline: R$ 40.190
Comfortline: R$ 47.490 (I-Motion + R$ 3.300)
Highline: R$ 51.990 (I-Motion + R$ 3.300)

 Connect
1,0 manual R$ 45.190
1,6 manual R$ 49.990 (I-Motion + R$ 3.300)

Preços do Voyage:

1-litro
Trendline :R$ 40.990
Comfortline: R$ 46.590

1-6-litro
Trendline :R$ 44.590
Comfortline:   R$ 49.790 (I-Motion + R$ 3.300)
Highline:  R$ 55.290 (I-Motion + R$ 3.300)

Durante a apresentação  a VW explicou que na formação dos preços abriu mão da margem de modo a contê-los. Por exemplo,  tomando como base o Gol Special anterior  com todos os opcionais, de  R$ 38.790, o preço do novo, um Trendline com mesmo nível de opcionais, subiria para R$ 39.600. Mas foi abatido R$ 1.910 desse preço, baixando-o para R$ 37.690.

Foi mostrado um interessante quadro mostrando a evolução do Gol ao longo  de 37 anos:

Evolução Gol editado

O Gol e o Voyage partem para nova fase, com ênfase nas versões 1-litro. A importante mudança não deveria se restringir a estas, uma vez que a Volkswagen tem motor 1,6-L superior ao EA-111, o EA-211 de configuração próxima à do 3 cilindros, como duplo comando de válvulas com variador de fase no de admissão e quatro válvulas por cilindro.  Inclusive, já é usado na família Gol, na Saveiro Cross. Insistir com o 1,6 EAA-111 no Gol e no Voyage tem um sabor de serviço incompleto.

BS

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

  • Silvio

    Falando em Gol da GM… http://tvuol.tv/bsdx50

  • TDA

    Deveriam ter mudado pelo menos as lanternas do Voyage, mancada da VW. Já no Gol a traseira ficou mais inspirada no Polo europeu, principalmente quando olhamos para o vidro (base reta) e as lanternas.

  • Piero Lourenço

    Mudança importante ? Opa.. o multimídia! Ficou claro entender “porque” a VW perdeu a liderança….

    • Piero Lourenço,
      esta certo, mudança de motor é uma alteraçãozinha da nada….

  • Lucas dos Santos

    Muito bom. As mudanças estéticas foram bastante sutis, mas a vinda do motor 3 cilindros para esse modelo foi a mais importante.

    Gostei também da mudança das relações de marcha. Seria legal poder visualizar isso em um gráfico dente-de-serra, comparando os dois câmbios.

    E Bob, como ficou o peso desse novo Gol em relação ao anterior? Alguma mudança?

    • Lucas dos Santos,
      a faixa de peso agora é 901 a 998 kg. Antes, 842 a 971 kg.. As relações diferentes resultaram em razões entre marchas com pouca diferença, mas amanhã coloco os dois dentes de serra superpostos.

      • Lucas dos Santos

        Obrigado, Bob!

        • Lucas dos Santos e todos os leitores,
          o gráfico “dente de serra” foi colocado em seguida à tabela com as relações de marcha.

          • Lucas dos Santos

            Grato pela atenção, Bob.

  • Caio Ferrari

    O motor 3 cilindros era esperado. Vir com o 1.6 8V é uma surpresa negativa. Acredito que toda concorrência está um com motor mais moderno.
    O EA111 é bom, mais o tempo corre///

    • Aldous Huxley

      Estavam com medo da goleta canibalizar o Golfao Dilma, vulgo MSI

  • Ricardo Carlini

    A qualidade do acabamento do gol é sofrível. Em jul do ano passado tive um acidente com meu 307 ano 06 e precisei ficar com um carro da seguradora (o meu dilmou). Pois bem, o carro cedido pela seguradora foi um gol 1.0 2015 com uns 10mil km, esse carro tinha absurdamente mais barulhos de grilos que meu carro 9 anos mais velho. A qualidade do tecido do banco absurdamente pior que a de um fiesta rocan 2002 que tive no passado. De bom, a agilidade do carro, até os 120kmh nem parece ser um 1.0, não devendo nada para um fiat 1.4 que sou acostumado a dirigir.

  • Lorenzo Frigerio

    O painel ficou muito bom, tipo o novo Fox. Mas o câmbio continua absurdamente curto. Diferencial de 4,929, o que é isso? O 147 da minha mãe tinha diferencial 53/12 (4,41) e tinha metade da potência desses carros. Absurdo.

  • Lorenzo Frigerio

    Gol bom era o “bolinha” original, com motor 1.8. Além do mais era muito mais bonito que esses aí. Francamente, a coluna “C” dos Gols com motor transversal é definitivamente fuleira, e isso não tem reestilização que resolva. Aliás, cadê as duas portas?.

    • Ricardo kobus

      Principalmente na versão GL com bancos aveludados.

  • Lorenzo Frigerio

    Desista de VWs “Ind. Bras.”. Eu não tomo conhecimento. Absolutamente não compensam. Se você não puder ter um de uma faixa mais alta, no mínimo um Jetta 1.4 TSi, procure outras alternativas.

    • Aldous Huxley

      Talvez o up TSI, se ainda estiver a 44k Bolivarianos, seja uma das poucas opcoes com custo beneficio mais “acessiveis” da VW tupiniquim

  • marcus lahoz

    Eu também prefiro.

  • João Martini,
    pode ser, mas nos carros que dirigi era a 6.500 rpm. Pode ser questão de instrumento. Infelizmente são raras as fábricas que fornecem essa informação.

  • Ricardo,
    o importante é a mudança, o motor é detalhe.

  • Leonardo Mendes,
    não mesmo? Se motor melhor e interior mais agradável não diz nada, então não entendo mais nada.

    • Lorenzo Frigerio

      O problema é que isso será cobrado; ah, se será! E continuará a ser um carro ponta-de-vila “Ind Bras.”, só com uns luxinhos, custando tanto quanto um carro de faixa superior. Eu só fico pensando quanto custará o novo Gol Rallye.

  • Não vejo motivos, Korona. A Volkswagen está com capacidade de produção ociosa… Segundo David Powels, há 400 funcionários “sobrando”… Então, se disponibiliza e começa a vender (e eu imagino que tudo o que se espera, é isso, não é?), capacidade pra entregar, a VW tem de sobra…

  • Antonio Pacheco

    Tenho um gol chamado na rua de g6 1.6. Bom carro, mas tenho ressalvas: A suspensão dele é dura, podia ser mais macia. Rodando em ruas e estradas boas, o que praticamente não existe aqui no interior de Minas, pode até ser, mas na vida real, qualquer remendo é transmitido para o motorista e passageiros, tornando qualquer viagem incômoda. Não sei se essa nova versão mudaram algo na suspensão, mas acho pouco provável. Outra coisa, essa vem do projeto, é a ausência de porta objetos. O espaço nas portas não cabe nada, sequer um óculos. Outros porta objetos são pequenos, apenas um ao lado do volante e sob o rádio.Em época de se andar com smartphone, chave de casa e do trabalho, acaba faltando espaço.
    Por último, sempre achei os números de desempenho divulgados pela VW um pouco otimistas. Está certo que o 1.0 3 cilindros é um ótimo motor, mas fica difícil acreditar que faça o 0 a 100 em pouco mais de 12 segundos, sendo que o 1.6 faz pouca coisa abaixo desse número.

    • Lorenzo Frigerio

      A suspensão dura aguenta melhor a buraqueira, às custas do seu traseiro. Infelizmente não é possível fazê-la mais macia mantendo a robustez, pois para isso ela teria que ter um curso maior.

      • Lorenzo,
        basta apelar para molas de constante variável e caprichar na carga de compressão dos amortecedores.

  • Fórmula Finesse

    Modificações bem interessantes a nível de interior (ficou bem melhor pelo que as fotos mostram) e de motorização do começo da gama – mas também lamento a falta do melhor motor 1600cm3 da fabricante nos modelos mais caros.
    O carro não canibalizaria o Golf MSI, e certamente o motor 16v não é tão mais caro de produzir em escala – isso foi um gol contra da VW!

  • Luis Felipe Carreira

    A 5.250rpm — rotação de potência máxima do EA111 1-L — quantos cavalos tem o EA211 1-L 3cilindros?

    • Luís Felipe Carreira,
      64 cv (G) e 70 cv (A).

  • Luiz Felipe Carreira,
    tudo isso que você disse vale, não fosse um detalhe: a luta hoje é contra o atrito interno, daí a corrida para os três cilindros. Eles não os fariam por moda ou diletantismo, o que aliás não se restringe aos 1-litro. Já há um BMW/MINI 1,5 litro que é excelente. Não ficou clara sua afirmação de que o 4 é ou seria mais elástico que o 3, se o pico de torque deste está bem abaixo do de 4 cilindros, mesmo tendo 4 válvulas por cilindro. E a diferença de cursos dos pistões 70,6 e 76,4 mm não é significativa a ponto de diminuir durabilidade. Quanto ao Fiat TwinAir, já o dirigi e a aspereza nem passa perto, além de só emitir 92 g de CO por km.

    • Lorenzo Frigerio

      Acho que esse 3 cilindros também tem uma relação r/l mais favorável.

  • dncmotors

    Insistir com o 1,6 EAA-111 no Gol e no Voyage tem um sabor de serviço incompleto.

    BS

  • Lorenzo Frigerio

    Sim, dá para passar aquela lombada em 4ª, sem ter que reduzir.

  • Lorenzo Frigerio

    Com o câmbio do Polo e Fox BlueMotion dando sopa, o que custa oferecer uma versão com ele?

    • Lorenzo,
      o problema é o Custo Brasil: uma versão diferente tem que passar novamente por todo o processo de homologação no Denatran para obter o nº Renavam. Não sai por menos de R$ 1 milhão e por menos de seis meses. É um pesadelo para as fábricas.

  • Eu prefiro o painel antigo com as saídas de ar circulares, pois além de serem mais práticas são simétricas e não são disformes. Além disso a tampa do porta-luvas do modelo anterior tem a abertura centralizada e a parte superior dela é reta e não parece que está quebrada.

  • Newton (ArkAngel),
    Daihatsu Cuore? Prepare seu coração para os próximos dias, vem aí o doJosias.

  • Eduardo

    Parece que os faróis deixaram de ter duplo refletor para foco baixo e alto, certo?

    • TDA

      Eu nem tinha atentado a esse detalhe, lamentável. Equipe de depenação trabalhando a todo vapor para garantir os empregos em plena crise rsrs

    • Lucas Mendanha

      ja o formato externo é o mesmo.. logo, logo veremos goletas “g7” com farol duplo de “g6” por ai..

  • Aldous Huxley

    Com suspensão preparada e ajustada de fábrica e 150 cv acho que não ia levar pau nem na reta, o que dirá em curvas

  • Aldous Huxley

    Isso é o que a VW diz, aguardemos testes de outros.

  • Aldous Huxley

    Não que seja absolutamente importante, mas o upinho tem mais chance de proteger a sua vida no caso de uma batida. Emprega aços de alta resistência em pontos estratégicos. Para alguns, isso é mais importante

  • Aldous Huxley

    O cx aumenta aqui em funcao da levantada geral que dao em todos os projetos tropicalizados.

  • TDA

    Se fosse nesse Polo então…

  • Bruno Passos,
    de 3 a 5 cv.

    • Bruno Passos

      Obrigado!

  • WSR

    Um ótimo motor que vive dando defeito, rs. Um amigo meu, instrutor de autoescola, contou que o Gol dele deu defeito aos 5.000 km e teve o motor reparado na concessionária. Foi assim com o outro Gol da mesma autoescola. E ele ainda comentou que outras autoescolas tiveram problemas similares com o Gol. Deve ser por isso que o carro perdeu a liderança.

  • JJ Neves

    Se eu pudesse, já tinha um Jetta 1,4 TSI aqui na garagem. Na moralzinha. Mas não dá. Então eu sonho com ele e com o GTI. haha É só a VW do Brasil querer. Mas eu duvido, ainda mais com o Dieselgate…

  • Gustavo73

    Você deve odiar o painel das atuais MB e Ferraris.

    • Fabio Toledo

      Saídas circulares vão de encontro com a identidade VW. Prefiro as novas também.

  • Paulo Júnior,
    nos dos casos trata-se de trabalho mecânico realizado pelo motor do carro e os números tendem a a ser parecidos. Mudam muito as necessidades de carro para carro, um mais leve requer menos assistência de direção e um menor, menos capacidade de resfriamento do interior. Mas não sou especialista nesse assunto e não posso dar números exatos. Seu interesse prende-se a algum motivo em particular?

    • Paulo Júnior

      Bob, é mais curiosidade mesmo.
      Lá em casa temos 2 up! (Um Imotion e um Aspirado) e um Gol 2012/2013 1.0, e tínhamos um Gol 1.6 Power 2013 também, e notei uma diferença no funcionamento do Ar nestes carros, sendo no Gol 1.0 então, caso você exija carga do motor, ele chega a desligar (ou aliviar, não sei) o compressor por um breve momento. Já no caso dos up! eles não chegam a desligar, nem sentem tanto o peso do compressor como o Gol 1.0, e o Gol 1.6 já nem percebia que o Ar estava acionado, por isso a curiosidade…

  • Kiko L

    Bob, soberba matéria!!! Análise aprofundada, um deleite aos olhos e ao cérebro. Nos livra dos textos simplórios que vemos nas outras publicações “especializadas”. Muito obrigado por compartilhar sua competência conosco e a custo zero.
    Muitos discordarão, mas ao ver essas relações de marcha, as rotações de torque e potência máximos, tenho certeza de que o velho Mille Fire flex é mesmo o rei dos 1,0 aspirados. E esses números de 0-100? Acho absurdamente otimistas. Talvez na configuração mais básica, no nível do mar, em dia frio, seco e com piloto de 45 kg. Talvez…
    Pelo menos a VW resolveu reequipar o carro com 5 marchas. Para mim v/1000 rpm menor do que 30 km/h é relação de 4ª marcha de carro de rua. Já viajaram em carro com câmbio curto assim ” sem quinta”? É antiautoentusiasmo!!! Abraços!!!

  • Fórmula Finesse

    O Rally não custa muito mais que um Highline completo; por isso – malgrado os recursos desse motor – ele não seria tão mais caro no final da linha de produção.

  • Agnaldo Timóteo,
    sem esperança. Assim como o Brasil é a “pátria educadora”, conforme disse a gorda fecal, eu digo que o Brasil é “pátria do suve”.

  • Agnaldo Timóteo,
    olhe as fotos de novo e note que a base do vidro do vigia, ou vidro traseiro, é reta, quando antes era curva, tinha uma “barriga”.

  • Eduardo Alvim

    Eu tenho um palpite. Com a futura chegada do Novo Gol, em 2017, a VW quer fazer desse modelo atual o que fizera com o Gol G3 e o bolinha: Manter um bom carro para ser a entrada de linha e com isso somar-se às vendas nominais do modelo “Gol”. Resultado provável: Retomada da liderança.

  • marcio pessoa de faria neto

    Um aumento no espaço entre eixos desses modelos seria muito bem-vindo!