Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas NOVO DS5 ESTÁ AINDA MELHOR – Autoentusiastas

A Citroën apresentou, através de sua marca premium DS, o novo DS5, com preço a partir de R$ 137.990,00.

As letras provém do modelo DS19, lançado em 1955 e que era uma autêntica nave espacial diante de carros de outras marcas. Essa tradição inovadora é o que fez a Citroën a criar a marca irmã com esse nome.

O DS5 vem com mudanças de estilo externo e interno, melhorias mecânicas e área de conectividade e informação mais modernas.

Os faróis combinam as tecnologias LED e bixenon a novas luzes deslizantes indicadoras de direção também em LED.  Trazem também a iluminação de cruzamento, clareando para os lados quando de liga a seta (pisca).

Há três aberturas no teto que permitem passar luz, onde também há um console. Sobre o painel atua um display projetado no parabrisa, o volante tem a parte inferior retilínea, que ajuda na entrada e saída das pernas do motorista.

No setor eletrônico de comunicação e entretenimento, nova tela tátil colorida de 7 polegadas. Este sistema oferece acesso facilitado a todas as funcionalidades do carro (navegação, música, configuração do carro, computador de bordo etc.) e simplifica a ergonomia do espaço interno, já que substitui 12 botões no console central.

Com a chegada desta tela de nova geração, o Novo DS 5 terá mais possibilidades de conectividade: o Mirror Link (Android) e o CarPlay (iOS). Com esta funcionalidade, os aplicativos de seu smartphone são disponíveis imediatamente na tela do carro com toda segurança: basta conectar o aparelho (desde que compatível) por meio de um cabo USB.

Os bancos tem massageadores, úteis em viagens de longa duração.

O motor é o já conhecido  THP associado a uma  caixa de câmbio automática com troca sequencial de 6 marchas, da marca japonesa Aisin. Há comando para trocas esportivas, em rotações mais elevadas do que para uso normal. Graças à injeção direta de gasolina e ao uso de turbocompressor com trocador de calor ar-ar, são 165 cv de potência máxima a 6.000 rpm. O torque máximo é de 24,5 m·kgf e já aparece a 1.400 rpm, permanecendo constante até 4.000 rpm.

As suspensões e direção foram definidas para permitir ótima informação para o motorista do que se passa entre o carro e o solo. A direção tem assistência do tipo eletro-hidráulica, e se beneficia de uma calibragem específica para retransmitir sensações fiéis ao motorista.

Os freios tem discos de 301 mm de diâmetro na frente e 268 mm atrás, e além do obrigatório ABS, o DS5 vem com controle de estabilidade, de tração, auxílio à frenagem de emergência com repartição eletrônica de força e o assistente de partida em rampa, que evita volta para trás em subidas quando se sai da imobilidade.

O interior tem couros em três tipos, de acordo com o local de aplicação, buscando riqueza visual e tátil. Os metais são empregados nos emblemas DS nas portas e no console de assoalho, além de molduras de acabamento metalizado.

O carro vem com  3 anos de garantia contratual e 12 anos de garantia anticorrosão perfurativa. Outro ponto importante é o plano de manutenção com preços fixos, programa de pós-venda para as revisões em intervalos regulares de 10.000 km.
JJ



Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

  • Milton Evaristo

    Já há pseudo entusiastas falando que falta motor…

    • Diogo

      Para a proposta do carro, falta motor. Ainda mais sabendo que existe uma versão do DS5 com esse mesmo THP com 200cv…

  • Piero Lourenço

    Se falar que falta motor é porque nunca dirigiu um….

  • Matheus Ulisses P.

    No modelo pré-facelift existia o interior caramelo como opcional. É simplesmente surreal de tão belo. Só vi um até hoje, tempos atrás à venda no Webmotors, lá em Curitiba.

  • Piero Lourenço

    Interior caramelo tem no Brasil.. poucos.. mas tem.

  • agent008

    O propósito de uma “barca” destas não é ser carro esporte, como o do DS3. Enfatizo o que já falaram, quem critica não andou. Ou se andou não entendeu a proposta do carro. Aliás, se for para comparar com outros modelos premium – é aproximadamente a mesma motorização de um Mercedes C180 (1.6 sobrealimentado, por volta de 160cv) e um pouco mais que um Audi de motorização 1.4 TSI…

    • Ricardo

      Discordo… a proposta desse carro não é a mesma do C180 ou do Audi A3/A4. O design arrojado e as linhas futuristas remetem à esportividade. Sua suspensão espelha esse conceito. Nada mais natural que possuísse um desempenho à altura desses elementos. Para um uso normal, até que atende. Mas quem compra uma “barca” dessas, como você mesmo qualificou, quer fugir do “normal”. Portanto, penso que a motorização poderia ser retrabalhada. Só uma opinião.

  • Se o 408 com mesmo drivetrain e 1510 kg anda bem, por que o DS5 não andaria?

    • Ricardo

      Não sei, talvez o câmbio não esteja muito bem afinado para esse carro. Só sei que o único teste de desempenho que encontrei na internet do modelo anteior, que não mudou a mecânica, apontou um 0-100 em 10s e retomada de 60-120 em 9,9s. Isso é desempenho pior que de um Corolla, que na mesma revista acelerou em 9,7s e retomou em 8,9s. Quem olha um carro desses quer algo a mais que um Corolla, em termos de vigor. Esse não é um carro lento, mas certamente carece-lhe de uma certa dose de vitalidade. Se tivesse um desempenho próximo do C4 THP, que acelera e retoma melhor que o próprio 408, aí talvez fosse mais interessante.