A Volkswagen do Brasil anunciou oficialmente hoje o lançamento do Golf fabricado no Brasil. Virá em três versões:

  • Comfortline 1,6 MSI, câmbio manual de cinco marchas ou automático de seis;
  • Highline 1,4 TSI, câmbio manual ou automático, ambos de seis marchas ;
  • GTI 2,0 TSI, câmbio robotizado de duas embreagens e seis marchas

Os preços são:

VERSÃOPreço
Comfortline 1,6 MSI manual 5 marchasR$   74.590,00
Comfortline 1,6 MSI automático 6 marchasR$   79.990,00
Highline 1,4 TSI manual 6 marchasR$   91.290,00
Highibne 1,4 TSI automático 6 marchasR$   96.690,00
GTI 2,0 TSI robotizado dupka-embreagemR$ 117.690,00

Enquanto o 1,4 Highline TSI e o 2,0 GTI TSI já são conhecidos aqui, importados da Alemanha, o 1,6 MSI é novidade, não existe na linha alemã. Esse motor, novo no Grupo VW, é da nova família EA-211, é produzido na fábrica de motores da VW do Brasil em São Carlos (SP) e já está no Fox Highline, SpaceFox Highline, Gol Rallye e Saveiro Cross. Portanto, todos motores conhecidos, a única diferença sendo 10 cv mais no 1,4, apesar de 0,5 ponto menos na taxa de compressão, 10:1 agora.  Motores conhecidos mas desempenho, não.

Golf16 3  GOLF NACIONAL É ANUNCIADO PELA VW Golf16 3

O Golf volta a ser fabricado no Brasil (foto divulgação)

Embora possa parecer regressão um Golf de 140 cv e turbo passar a 120 cv aspirado e com bem menos torque — de 25,5 m·kgf a 1.500 rpm para para 16,8 m·kgf (álcool) a 4.000 rpm — minha experiência anterior com esse 1,6 me permite prever desempenho longe de ser decepcionante, principalmente ao se considerar tratar-se da versão de entrada. Esse 1,6 pesa 1.213 kg, 7 kg menos que o 1,4.

Os dados de desempenho divulgados são 0-100 km/h em 10,9/10,4 segundos (G/A) com câmbio manual e 12,3/11,6 segundos com câmbio automático. As velocidades máximas são, na ordem, 186/182/184/179 km/h.

O 1,4 TSI realiza essas mesmas provas em 8,3 s (G e A) e 209 km/h.

É evidente que será necessário usar mais o câmbio no 1,6, como mostra a retomada 80-120 km/h em 5a marcha, 18,1/18,6 segundos. Melhora com o automático devido à propriedade de redução de fim de curso do acelerador (kickdown): 12,3/11,9 segundos. Não informado consumo de nenhum dos três Golfs.

O 1,6 MSI e o 1.4 TSI têm eixo traseiro de torção, mas no GTI foi mantido a suspensão traseira multibraço.

Dotação de equipamentos

O Golf Comfortline vem com sete bolsas infláveis (o sétimo é o de joelhos do motorista), cintos de três pontos para os cinco ocupantes, controle de tração, controle de estabilidade, bloqueio eletrônico do diferencial, vetorização de torque, faróis de neblina com luz de conversão estática, engates Isofix e fixação superior para bancos de criança e freios com atuação automática pós-colisão.

Quanto aos itens de conforto e comodidade, direção com assistência elétrica, ar-condicionado, acionamento elétrico um-toque de todos os vidros, sistema de infotenimento “Composition Media” com tela tátil de 5,5″, travamento central por controle remoto, rodas de alumínio de 16 polegadas, freio de estacionamento com assistente de partida em rampa, sensores de aproximação dianteiro e traseiro,  ajuste elétrico dos espelhos externos, que têm aquecimento e repetidoras de seta, e orientação para baixo do espelho esquerdo ao dar ré.

Mas o interessante mesmo  será dirigir esse Gol 1,6 de aspiração natural, o que ocorrerá na semana que vem. Começando pelo manual.

BS

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas

  • Carlos

    No Gol o motor será uma grata surpresa, no Golf, bem, acho que não só um fã da carroceria do Golf vai comprar por esse preço, já que tecnicamente o carro se torna inferior à concorrentes de preço similar.

    • Gustavo73

      Ford Focus 1.6 SE 1.6 76 mil reais.

      • CorsarioViajante

        Nas versões 1,6 o Golf até está melhor que o Focus SE Plus, pois este último custa até mais caro e, acho, oferece menos (apenas quatro airbags se não me engano, para citar um exemplo). Mas daí para a frente o Focus oferece mais por menos. Se tivesse opção de focus 2.0 manual poderia ter ainda mais mercado ocupando um espação entre a 1,6 SE Plus e a 2.0 powershift.

        • Gustavo73

          Uma coisa que me chamou a atenção é o gap de preços entre o 1.6 e o 1.4, tem espaço para mais duas versões ali.

  • Félix

    Imagino que o desempenho será suficiente, mas o custo/benefício foi para o buraco.

  • Lorenzo Frigerio

    Preços absurdos, especialmente nesta época. Um Jetta Comfortline com “Boratec” e Tiptronic 6 deve ser mais negócio.

  • Oswaldo Bustani Jr

    Preço absurdo , abusivo, caro demais , não vale e não anda…

  • Paulo

    Tenho o Fox highline e o motor é muito bom, têm potência de sobra em baixa e sobe de giro bem rápido, mas o Fox pesa 108 kg a menos.. Pro Golf não vai faltar fôlego mas também não deve sobrar.

  • WSR

    Um 5+E deveria ficar interessante no MSi. Acho que o um MSi 6 marchas seria mais interessante que o TSi de 6 marchas, olhando os dados fornecidos…

    • WSR
      Sabe que desta vez acho que a VW acertou a mão? A v/1000 em 5ª é 37,4 km/h,, o que significa que a 120 km/h reais (cerca de 125 km/h indicado) o motor está a 3.200 rpm. A 5ª ficou longa para chegar à velocidade máxima de 182/188 km/h (gasolina e álcool), mas têm-se quarta para chegar à velocidade final a 6.450 rpm (182 km/h) e a 6.660 rpm (188 km/h).

  • Fat Jack

    Mamãe…, começa em R$ 75k?
    Depois de ler outra matéria aqui no AE sobre o carro, com uma série de atitudes da empresa visando a economia de produção eu esperava menos, cerca de uns R$ 10k a menos…
    Pra mim a VW está tentando se aproveitar do bom nome e reputação do carro para lucrar uma gorda fatia deste bolo…
    Uma pena, mais uma vez a VW lança um carro moderno, interessante e até (por que não dizer) esperado no mercado, só que cobrando muito por isso…, aí vem a chiadeira de que o brasileiro não sabe comprar, etc…, e depois do “encalhamento” deles ou manda as concessionárias concederem descontos “por baixo dos panos”, ou segura um tempo maior que o normal para aumentar o seu preço.
    (Isso me lembra uma certa estratégia implantada num subcompacto que tentaram vender como “descolado”, só que acima do valor que o mercado estava disposto a pagar, resultado? Vendeu muito menos que se esperava…)

    • CorsarioViajante

      Sabe o que é duro? Entrar no site da VW (que ainda não está atualizado) e ver que o Comfortline 1,4 TSI custava R$ 76.760. Ou seja, você agora leva suspensão pior e motor pior por uma diferença de menos de R$2.000 a menos…
      E o Highline, que antes partia de uns 86.000 agora pulou para quase 92.000. Sério, pagar quase 100.000 reais num carro comum para classe média é doideira. Lembrando que ainda tem que colocar no mínimo o pacote Elegance de 5.000 para ter coisas básicas como controle de cruzeiro!

      • Fat Jack

        Eu não poderia exemplificar melhor… Perfeito!

        • CorsarioViajante

          Perfeito seria o GOlf 1.4 TSI por uns 50.000! rs

          • WSR

            Corsário, não espere muito de um país onde conseguem vender facilmente um fusca velho (podre) e rebocado com massa plástica por 4 mil reais.

          • CorsarioViajante

            Isso só mostra como o Brasil ainda tem um potencial reprimido IMENSO por carros. É como eu digo, os fabricantes querem vender seus carros e os consumidores querem comprar, mas existe “algo” entre eles que impede: o famoso “Custo Brasil”, que vai desde os impostos, altas tarifas até gargalos logísticos e instabilidade jurídica.

  • CorsarioViajante

    Por um lado é bom ver que equipamentos de segurança foram preservados em todas as versões.
    Por outro, é inegável que empobreceram a suspensão e o câmbio com a desculpa de serem opções mais robustas e confiáveis.
    Quanto aos preços, estão mais ou menos alinhados com os do Focus hatch na versão aspirada, o que confirma que os hatches médios estão caros demais, o que até ajuda a explicar porque o segmento vem vendendo tão pouco. Pagar em torno de 75.000 num Focus ou Golf 1,6 aspirado sem grandes diferenciais é osso. Mas, ao mesmo tempo, tem gente pagando muito mais em compacto disfarçado de SUV, então tem que colocar em perspectiva.
    O duro aí é o salto IMENSO para a versão Highline TSI, realmente cobrar 90.000 (!!!!!!) num Golf intermediário é doideira. Neste caso levamos mesmo gato por lebre pois antes tínhamos o Comfortline TSI por praticamente o mesmo preço do recém-lançado 1,6.
    Finalmente, acho que o motor 1,6 16v não vai ser o horror que alguns acham, mas pelos números podemos imaginar que o desempenho e talvez consumo vão jogar muito contra, especialmente num carro que a VWB gosta de trabalhar como sendo sua “vitrine”. Mas, de novo, o mesmo ocorre com o Focus na versão 1.6 – e a vantagem do Golf é poder (pelo menos AINDA) levar o 1,4 TSI MANUAL!
    Aguardo o teste com curiosidade.

  • Fat Jack

    Não é questão de reduzir se mantivesse já estaria aceitável, veja o comentário do “Corsário Viajante” a respeito dos preços das versões… é a VW sendo a VW (e chorando depois)…

  • Daniel Pessoa

    Lembro de uma avaliação feita pelo Bob Sharp com o Highline manual, aqui no Autoentusiastas mesmo, na qual era recomendado “comprar logo, antes que vire nacional e flex”. Profético.

    Fico chateado principalmente pela suspensão traseira. Pode ser boa, pode ser bem acertada, mas é retrocesso, não há argumento que me convença o contrário.

    De parabéns, ao menos como o CorsarioViajante citou, ainda podermos comprar um motor que empurra bem com câmbio manual.

  • CorsarioViajante

    A resposta para o “miolo” que cita tem nome: Polo. Eu tenho um Polo e não consigo trocar de carro. Ou são grandes, sofisticados e caros demais (golf, focus, etc) ou são pequenos e simples demais (fox, fiesta, etc). Realmente espero que nas novas gerações do Gol / Fox a VW tome jeito e melhore bastante os produtos, pois atualmente você descreveu bem: o Up TSI é legal mas muito pequeno, e o Golf é sempre muito caro. Falta uma ponte aí para as famílias normais.

    • João Guilherme Tuhu

      A VW está mercadologicamente pisando na bola há muito tempo.

  • O empobrecimento dos veículos médios quando abrasileirados, refletem o cuidado com os fabricantes nacionais no quesito apresentação dos produtos. Vai vender. O VW Sedan 1200 ou Fusca, foi vendido em uma pré-série no Brasil custando três vezes mais e vendeu tudo, antes da implantação da VW no país. Ou seja, nada de novo na filosofia tupiniquim – “Muito por pouco”. Think small.

  • Ze Brasileiro

    Aproveitem que ainda há golfs confortline 1.4t DSG na faixa de 73.000.

  • Rochaid Rocha

    75 mil reais em um ” Gol anabolizado” ? Pra mim não passa disso. Agora, tem quem compre. Brasil é Brasil. Compram carro pela história.

  • iCardeX

    Enquanto isso, os azarados, celebram o consumo desses motores TSI que outrora foram amaldiçoados e apedrejados…. (vide foto A)

    Enquanto isso esperamos tão prometida “quebra do motor”, mesmo depois de 17 horas de trabalho severo…. (vide foto B)

    Enquanto isso “estamos” na lama… (vide foto c)

    Suspiro e tristeza… o Brasil finalmente terá o Golf que merece…..

  • João Guilherme Tuhu

    O Golf nacional está como o Mastercard. Não tem preço. Virará sapato.

  • iCardeX,
    O limite estabelecido pelo fabricante do carro deve ser observado sempre. Para prever o desgaste até chegar ao limite, faça uma regra de três. Se em 85.000 km gastou tantos milímetros (necessário saber a espessura do disco novo), em ‘x’ mil quilômetros gastará 1 mm.

  • VeeDub,
    lembre-se, número de marchas de um câmbio tanto serve para atender às necessidades do motor, quanto para dar status ao proprietário. Quando os câmbios em sua maioria eram de três marchas, quatro era um assombro. No Opala foi um acontecimento a chegada do câmbio de quatro marchas, mesmo qua primeira e a terceira do de três marchas fossem iguais à primeira e à quarta do de quatro. Ao se dirigir i Opala, especialmente o 4100, de quatro marchas era patente que tinha marcha sobrando. Já cinco, então, era coisa de “carro esporte”. Seis marchas agora virou um “must”, tem que ter ou então é carro de pobre. Mais ou menos na linha do câmbio automático. E o mais curioso é que as pessoas querem ter um monte de marchas no câmbio, mas tem preguiça de trocá-las… Não precisar usar muito o câmbio virou atributo. É a “Síndrome da Lombada em Terceira”, daí as fabricantes estabelecidas no Brasil adotarem câmbios mais curtos que os dos mesmos modelos nos países de origem.

  • Alexandre não-o-rei,
    Lembre-se que parte desse preço deve-se às babás eletrônicas que todo mundo quer. Não existe almoço grátis.

    • Alexander NotTheKing

      Concordo, foi só choro de pobre mesmo Bob, na atualidade os preços estão fugindo do meu alcance como uma Ferrari abre distância de um… Corolla.

      • AlexanderNotTheKing,
        Você não está sozinho nisso. Volta e meia me pego indagando como ainda se vende carro no Brasil.

        • Jáder Bezerra

          Bob, o preço do Golf não se justifica pelas babás eletrônicas…mas não é só o Golf que se enquadra nisso, mas que é caro é

  • Rodrigo Mendes,
    essa sensação só ocorreria se o comprador do Golf fosse levado a erro pelo vendedor ou se não tivesse o cuidado de analisar o desempenho do Golf 1,6 antes de fechar negócio. Informação hoje é o que não falta, não acha?

  • Eduardo Edu,
    foi igualzinho quando chegou o Tipo 1,6 de 82 cv, os tais “testes de imprensa” malharam o carro sem dó, para em alguns meses ele estar entre os três mais vendidos, sendo foi o mais vendido carro no Brasil durante dois meses. Para melhor juízo, aguarde a nossa opinião, teremos o carro na semana que vem, começando pelo manual.

  • iCardeX

    A crítica toda reside no corte de tecnologias sem corte de valores. O Golf MSI seria uma opção racional, se partisse custando os R$ 55.000,00, porque é apenas isso que ele vale.

    • iCardeX
      Valor de qualquer produto é o que nós queremos, mas não funciona assim. Seria ótimo se funcionasse.

      • iCardeX

        Quando o consumidor começar a demitir o alto escalão da VW, simplesmente gastando o dinheiro no concorrente imediatamente mais próximo… talvez a história mude o enredo.

  • CorsarioViajante

    Sério, não entendo este tipo de comentário. Qual o problema de dar passagem para um carro mais barato?

    • Corsário,
      Eu raramente dou passagem, não preciso. Em 98% do percurso há uma faixa à minha esquerda para quem quiser ir mais rápido…

  • CorsarioViajante

    Sim, com certeza. Sò falei do Focus porque a meu ver caberia muito bem uma versão 2,0 manual, por exemplo. Mas no Focus ficou uma doideira mesmo, ainda mais porque este 1,4 TSI seria fabricado aqui não? Pelo visto é um motor que aos poucos vai ser deixado de lado.

  • Alexander NotTheKing

    Eu não fui claro na minha ironia. Todos sabem que o Golf alemão é melhor que o nosso, por isso questiono o “NOVO”. Mesmo aconteceu com o Fiesta.

  • VeeDub
    Nunca os motores foram tão elásticos como hoje, mesmo os aspirados, a apesar disso, tome marcha. Marcha e marketing começam com ‘m’… Lembro-me de ver na Argentina Peugeot 504 com emblema 5V nas colunas traseiras — 5 velocidades. Já tem carro com10 marchas. Melhor um CVT logo.

  • CCN1410,
    precisaria ver revistas da época. Os 5-marchas,, com certeza, a 5ª era adiciona l (0,84:1) mantendo a mesma relação de diferencial. Poderia ser conseguido o mesmo efeito alongando o diferencial e reescalonando as três primeiras marchas para manter a rampabilidade em primeira. Já nos 3 e 4 marchas, em que tudo era igual nas últimas marchas, não há motivo para ser mais econômico.

  • CCN1410,
    quando o Santana foi lançado na Alemanha havia uma versão 1300…

  • IcardeX,
    empurrar goela abaixo, só quando a compra de um produto é obrigatória.

  • CorsarioViajante

    Estragando também o MEU prazer, pois é um dos carros que mais gostaria de ter.

    • Alexander NotTheKing

      Golf GTI é meu objetivo, mas com toda certeza na hora de fechar negócio eu vou ponderar mil coisas e não vou levar.

      Então nem entro na concessionária.

  • Corsáriio,
    ou uma quinta tão longa quanto uma sexta.

  • iCardeX

    Ooops! Me desculpe! Não é o Gol… é o Golf Pug-In!

    A revista da VW me foi entregue no começo do mês, porém não a tenho mais.

  • Cris Dorneles

    Sabemos as origens dele.

    • Gustavo73

      A origem é o motor MD-70 lançado no Passat em 83, e substituído pelo AP em 1985. O do Golf IV deriva do EA837 lançado em 95 no Golf III.

      • Cris Dorneles

        EA 827 (AP) e EA 113 compartilham muitas coisas… até o som é o mesmo. Qualquer criança sabe disso.

  • Cris Dorneles,
    são todos EA-827, as nomenclaturas são comerciais apenas.

  • iCardeX

    O problema é que o dinheiro que se “pede” não existe mais com a mesma facilidade. A falta de crédito no mercado deveria propor valores, a vista, mais agressivos e realistas. O sujeito que chega a concessionária com R$ 15.000,00 para dar entrada no Golf, em 48x, deve pagar mais R$95.000,00 para saldar a dívida.

    Eu digo que as vendas do Golf ficarão em cerca de 300 unidades (ou menos) por mês. O i30, que um dia já foi o líder do segmento está aí para comprovar que essa história não vinga… https://uploads.disquscdn.com/images/772e6cdc63771e0d26cdb196436c6b5eb3de9f22bfa086e4c79200e824f47dcb.png

  • iCardeX

    E se te disserem que o motor TSi, pode alcançar, frequentemente, médias de consumo de combustível na ordem de 18km/L, mesmo equipando um Golf com 2 adultos, se vc preferir guiá-lo de maneira completamente natural? Quando eu era proprietário o G5 1.6, e seus 900 quilos, não teve um tanque que eu tenha fechado com média de consumo de combustível superior a 13,2 km/L. Com o motor 1.4 TSI, já quase ultrapassei os 950km de autonomia com o tanque de 50L, no DF, e sem qualquer esfoço..

  • iCardeX

    Em 2013 eu fiz 6 testes drivers no Focus. Seis. Isso mesmo seis! Eu era apaixonado pelo veículo, mas naquela época, R$ 72.000,00 para o 1.6S, era uma falta de consideração e respeito com o consumidor brasileiro. O 2.0 Titanium na casa dos R$ 95.000,00 e cheio de pecados no acabamento. O i30 R$ 78.000,00, com 2 airbags apenas, “melhor do mundo”, e o cambio automático mais lerdo que eu já tenha experimentado. Um I30 indecente eu levaria por R$ 97.000,00.

    Em 2013, em 1 único test-drive , fiquei convencido de entregar os R$ 68.000,00 para a VW, e sem remorso. Ela oferecia “mais por menos”. Foi uma compra absolutamente técnica e com justa-troca.

  • iCardeX

    A 6a. marcha do Golf TSi é impressionanete: “arrasta”, sem frescuras, o veículo de 60km para cima, com aceleração manual ou no piloto automático. De Brasília para Foz, em 1683km, o que ficou fatigado (de cansaço da viagem) foi o meu polegar esquerdo, justamente porque ele fica em cima do piloto automático. Parece brincadeira de joystick. É o primeiro veículo que eu eu posso afirmar: do jeito que ele desce, ele sobe, e sem necessidade de trocas de marchas.

  • CorsarioViajante

    Já eu acho que o sinal da VW foi claro: esqueçam tecnologia, esqueçam soluções inovadoras, sinal disso é aposentarem a suspensão traseira multibraço, aposentarem a DSG e colocar um preço altíssimo no 1,4 TSI.

  • Eduardo Edu

    Bom para você que encontrava emoção em 100 cv.

  • iCardeX
  • kravmag,
    Esse testador é o próprio “bração”, viu os braços esticados?

  • vidgal

    O maior erro feito pela VW do Brasil foi ter tirado da versão Comfortline o motor 1,4 TSI, que era o que vinha nessa versão quando importado para o Brasil, dando assim ao consumidor a oportunidade de ter esse belo motor no Golf, sem a necessidade de ter que pular para a versão bem mais cara Highline…
    Deixando então, esse motor 1,6 MSI para aqueles que não ligam em prazer ao dirigir ,performance…
    Esse motor é mais adequado para carros como o Fox, Gol, que são uns 100 kg ou mais leves…e principalmente, para aqueles que não são muito de pegar estradas nos fins de semana , ainda mais com o carro levando a família e algumas bagagens…a segurança em ultrapassagens, subidas de serra, e outras situações, ficam comprometidas e cansativas com esse motor mais indicado para um uso urbano.
    Errou feio VW do Brasil!!!

    • vidagl,
      Desculpe, mas você considerar o Golf com esse motor 1,6 de 110/120 cv inadequado para a estrada, para ultrapassar etc, evidencia que você precisa rever seus conceitos.

      • vidgal

        Bob, este comentário foi enviado, mas não apareceu!

  • Rubergil Jr

    Acredito que o Autoentusiastas deverá publicar notícia sobre o Jetta 1,4 TSI nacional. Mas eu não podia deixar de notar algo muito importante:

    O Jetta é o único carro nacional com 2 opções de motor (1,4 e 2 litros) e que AMBOS NÃO SÃO FLEX! Inacreditável no Brasil.

    Gostei muito VW! Tomara que o 1,4 mono do Jetta (que tem a mesma potencia do 1,4 flex de Golf e A3) tenha um rendimento mais adequado pra gasolina, sendo assim mais econômico.

    • Rubergil Jr.,
      Vamos dar notícia do Jetta 1,4 TSI amanhã, andei no carro hoje, voltei há pouco. Por que é inacreditável não serem motores flex? Acho isso ótimo, tanto que aconselho todos a comprar o 1,4 TSI antes que vire flex.É muito mais sensato. Econômico ele é, com câmbio automático, 10,4 km/l cidade e 13,8 km/l estrada, dados Inmetro..