Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas DEZ PICAPES MAIS LEGAIS DE TODOS OS TEMPOS – Autoentusiastas

Picapes originalmente foram criadas para serem veículos de trabalho, comerciais leves. Mas uma olhada nas ofertas disponíveis hoje nos mostra claramente que este objetivo inicial, embora ainda válido, já ficou em segundo plano. Já há algum tempo vêm tomando a missão de carro de passeio, mesmo que a capacidade para trabalhar ainda exista.

Mas não é para menos. Picapes são veículos versáteis, que se prestam a um sem-fim de utilizações. Também podem ser configuradas de várias maneiras, sendo freqüentemente disponíveis em várias motorizações, cabines, transmissões…num mundo onde os carros tem cada vez menos variações possíveis, personalizar o seu veículo como acontece nas picapes é algo muito interessante.

Os americanos já perceberam isso há muito tempo, e com isso colocaram suas enormes picapes full-size (leia-se enormemente grandes) no topo dos gráficos de venda. Faz muito tempo o carro mais vendido do mundo é a picape Ford, seguida de perto pelas Chevrolet/GMC. Na verdade, por mais que digam o contrário, o gosto dos americanos por carros enormes com motor V-8 nunca morreu, apenas migrou dos automóveis para as picapes.

Os EUA são realmente uma pátria de picapes, mas em muitos outros lugares elas são populares, na Ásia principalmente, se bem que em tamanho menor. No Brasil, temos picapes pequenas derivadas de automóveis, e que são até hoje bem populares. Os australianos tem suas utes — eles abreviam tudo, ute é abreviação de utility, utilitário), também derivadas de automóveis, mas com tração traseira e maiores.

 

Pampa

Ford Pampa

Por causa desta imensa variedade, esta é uma lista difícil de fazer. Picapes já foram um pouco de tudo, de jipe a carro de luxo, de besta de carga até, pasmem, super-esportivo. Tentei colocar um pouquinho de tudo, mas muito ficou de fora. O leitor, é claro, pode mencionar nos comentários as minhas mais fragorosas omissões.

Em ordem cronológica:

1) Ford modelo A pickup (1929)

 

Ford modelo A pick-up (hemmings.com)

A Ford modelo T pode ter vindo primeiro, mas a picape americana como conhecemos hoje começou aqui. Por ser tão bela quanto o carro, acabou sendo usada também como veículo de passeio, levando os produtos da fazenda ao mercado durante a semana, e a família à igreja no domingo. Ainda hoje, 85 anos depois, se constroem hot rods com base nela, principalmente na interessantíssima versão conversível.

 

2) Chevrolet Cameo Carrier (1955)

 

Chevrolet Cameo Carrier

Chevrolet Cameo Carrier

O estilo das picapes Chevrolet para 1955 já era bem diferente: com pára-brisa panorâmico curvo, cabine maior, pára-lamas e capôs emulando os automóveis da marca e um interior bem desenhado, marcou uma mudança de foco. A indústria começava a olhar as picapes não apenas como veículos comerciais, mas também um veículo de passeio. Era realmente muito bonita, e um passo adiante do que se tinha então. Aqui no Brasil, recebeu o apelido de “Martha Rocha”, a baiana Miss Brasil 1954, então referência nacional de beleza, e de que se diz ter perdido o título de Miss Universo por ter umas polegadas a mais na parte de sua anatomia preferida por nós.

Mas o principal expoente desta intenção da Chevrolet foi a versão Cameo Carrier. Efetivamente a primeira picape de luxo (tudo é relativo; o luxo de 1955 é hoje definitivamente espartano), esta picape foi um fracasso de vendas, principalmente pelo seu alto preço de venda, mas é extremamente influente.

 

1955-chevy-cameo-carrier-rear

Chevrolet Cameo Carrier

Idéia do então jovem designer Chuck Jordan, o design era a principal diferença: querendo continuar as linhas da cabine sem interrupção até o fim do veículo, criou a caçamba moderna, sem os pára-lamas destacados. As laterais eram em plástico reforçado com fibra de vidro, montados por cima da caçamba, e por este motivo o preço acabou alto. Além disso, oferecia o novo V-8 de bloco pequeno como opcional, câmbio automático, e tinha estofados e cromados então nunca vistos na categoria. Foi um fracasso comercial, mas a partir de 1958 foi substituída por uma caçamba similar em aço estampado, bem mais barata, chamada de Fleetside. Logo, caçambas como essa, sem pára-lamas aparentes, se tornaram padrão na indústria.

 

3) Chevrolet El Camino SS 454 (1970)

Uma picape pode ser também um clássico muscle car americano. A El Camino, nascida em 1959 como uma versão picape do Chevrolet Impala (para competir com a pioneira Ford Ranchero), nesta época era versão picape do médio Chevelle, e herdava dele as versões e motorizações.

 

EL CAMINO

Chevelle SS 454

Assim, um dos mais fantásticos muscle cars desta era, o Chevelle SS 454, teve também uma versão picape. E como não podia deixar de ser, a sua mais marcante característica é o V-8 debaixo do capô.

Chamado de LS6, o motor deste carro é um monstro. Ninguém sabe a sua potência real, o único consenso é que deve ser bem maior que os 450 hp (SAE bruta) declarados. O V-8 de bloco grande MkIV (chamado também de “porco-espinho”, ou semi-hemi devido aos ângulos diferentes entre suas válvulas) deslocava 7,4 litros, taxa de compressão de 11,25:1, válvulas de maior diâmetro, pistões especiais forjados, e um enorme Holley de corpo quádruplo. Fazia o carro original, saído da concessionária, fazer o quarto de milha na casa dos 13 segundos, o que é impressionante até hoje.

Chevy muscle

Chevy muscle

4) Mazda REPU (Rotary Engined Pick-Up, 1974)

A japonesa Mazda planejava, no fim dos anos 1960, amarrar todo seu futuro no motor rotativo criado pelo Dr. Felix Wankel para a NSU. Foi a única empresa que conseguiu uma durabilidade decente, e caminhava para colocar o motor em toda sua linha. Mas chegaram os anos 1970, e com eles a legislação de emissão de poluentes, que junto com a primeira crise do petróleo praticamente matou este motor.

 

Mazda REPU

Mazda REPU

A principal prova das intenções da Mazda é esta picape, vendida nos EUA de 1974 a 1977. O Wankel sempre foi um motor mais ligado aos carros esporte, produzindo sua alta potência específica em rotações altas, e portanto, inadequado para um veículo de carga.

O que a Mazda acabou fazendo foi criar a primeira picape esportiva. O motor era decididamente nervoso: o famoso 13B, um bi-rotor alimentado por um carburador de corpo quádruplo, e 111 cv (SAE líquida). Na leve e pequena picape Mazda, era um veículo decididamente rápido: recentemente uma revista testou uma e conseguiu fazer o 0-96,5 km/h em apenas 8,6 segundos, o que, para uma picape compacta dos anos 1970 é quase inacreditável.

Poucas foram vendidas, e se provou um beco sem saída. Mas, definitivamente, é uma das picapes mais legais de todos os tempos!

 

5) Dodge Lil’Red Express (1978)

Sem catalisador ou qualquer sistema antipoluição a não ser a baixa taxa de compressão, usava a versão de polícia do V-8 360 (5,9 litros) de bloco pequeno, aqui nosso velho conhecido na versão 318 (5,2 litros), em nossos Dodges nacionais. Com carburador quádruplo (Carter Thermo-Quad), oferecia 225 cv (SAE líquida).

Era o carro mais veloz dos EUA de zero a 100 milhas por hora (160 km/h) segundo a revista Car & Driver, o que mostra como as coisas andavam mal com os carros naquela época. Nos anos 1970, os amantes do carro americano tradicional lentamente se moviam para as caminhonetes, já que elas continuavam a oferecer a maioria das coisas que gostavam em seus carros: tamanho, vasto torque, e uma infinidade de opções de configurações.

Em 1978, a maioria dos muscle cars americanos tinha perdido sua potência ou morrido, fruto das legislações antipoluição e da subida dos preços dos seguros de carros deste tipo. Usando um veículo de carga como base, a Chrysler conseguiu burlar o sistema e criar um novo tipo de muscle car.

Esta série especial era marcante também pela decoração externa: vendida apenas em vermelho, rodas largas, com escapamentos cromados que pareciam saídos de um Kenworth, e apliques de madeira. Meio cafona visto de hoje, mas uma das mais carismáticas picapes já criadas e mais um passo na direção de tornar as picapes o substituto natural do carro grande americano.

 

6) Ford Pampa (1982)

Para mim, até hoje a mais bem pensada picape pequena nacional. Entreeixos aumentado, feixes de mola e eixo rígido atrás, caçamba grande, e ainda assim bem legal de andar em estradas sinuosas. Além disso, contou com versão 4×4 interessantíssima (com dois tanques de combustível), e até motores 1,8 litro VW. A mais legal desta espécie, criada por nós, brasileiros.

 

Ford Pampa

7) Land Rover Defender 110 pickup (1982)

A versão picape do tradicional jipe Land Rover está aqui porque tenho uma tara danada por uma branquinha que um dono de ferro-velho tem aqui perto de casa. Existe pouca coisa tão espartana e básica quanto um Land Rover, mas talvez por isto mesmo seja genial.

Uma picape para ir a qualquer lugar, um jipe de carga. Como a picape Jeep da Willys, como a Dodge Power Wagon de 1946, um veículo quase agrícola, militar, mas por isso mesmo de uma utilidade imensa. Pode não ser rápido nem confortável, mas é uma inquebrável mula de carga que não pára nunca.

 

Land Rover Defender -vert

 

8) Dodge Dakota Shelby / Dodge Dakota Conversível (1989)

 

Dakota conversível

Dakota conversível

A Chrysler lançou a Dakota como uma picape “média” em 1986, categoria supostamente inventada por ela mesmo, posicionada entre a picape “pequena” Mitsubishi (que vendia como Ram 50, na verdade o antecessor direto de nossas L200), e as grandes Ram.

Em 1989, a Dodge tentava ir mais além no conceito de picape como carro para diversão, e não de carga, por mais que a enorme caçamba fosse uma óbvia negação deste conceito. A Dakota Shelby era uma esportiva que usava o nosso conhecido Dodge V8 318 (5,2 litros), com 177 cv (SAE líquida) e suspensão avalizada pelo conhecido piloto e construtor Carroll Shelby, única picape que recebeu seu nome.

 

Dakota Shelby 1989

Dakota Shelby 1989

Mas mais interessante ainda foi a versão conversível: baseada na cabine simples, fazia lembrar as antigas Ford modelo T e A, mas desta vez era direcionada a um público totalmente diferente. Apesar de interessantíssima, foi um fracasso, e a última vez que vimos um bicho do gênero, infelizmente.

 

9) GMC Syclone (1991)

Juntando um motor desenvolvido para um Corvette que nunca existiu, o câmbio automático do Corvette, o sistema de tração nas 4 rodas permanente das picapes GM, regulagem de suspensão, pneus, rodas e freios para carro esporte, a GM criou uma das mais ilógicas e ao mesmo tempo, mais legais picapes de todos os tempos.

 

GMC Syclone

GMC Syclone

Talvez a mais interessante picape esportiva de todas, acelerava como um Ferrari contemporâneo, e carregava 227 kg de carga apenas. Seu V-6 a 90° de 4,3 litros turbo provavelmente produzia muito além dos 284 cv (SAE líquida) declarados, e era decididamente um carro sério. Talvez o melhor carro esporte com caçamba já criado.

 

10) Ford F150 SVT Raptor (2010)

Uma grande idéia da Ford, e de grande sucesso. Uma picape fora-de-estrada, mas para andar rápido fora da estrada. Nada de subir morros devagarzinho no meio da mata, esta picape é calcada nas competições de deserto, é para rodar rápido em terreno acidentado. Para andar em dunas, para tirar as 4 rodas do chão. Obviamente, um balde de diversão.

MAO

Esta matéria foi publicada originalmente no blog AUTOentusiastas em 19/06/2014, antes dos lançamentos recentes.
AE Classic – as matérias da categoria AE Classic são reedições de matérias publicadas entre 2008 e 2014, quando o AE ainda era um blog. Vamos aos poucos reeditar as principais delas. Se você tem uma matéria preferida que não está disponível no novo site, por favor deixe um comentário.

 



Sobre o Autor

Marco Antônio Oliveira

Engenheiro mecânico automobilístico de formação e poeta de nascimento, tem uma visão muito romântica do mundo, sem perder a praticidade, e nos conta a história do automóvel e seus criadores de maneira apaixonante. Também escreve sobre carros atuais sempre abordando aspectos técnicos e emocionais.

  • Glaukin

    Achei que comentariam sobre a SSR, aquela picape conversível de teto rígido e construída sobre a plataforma do Corvette. Retrô, bonita e com um belo V8.

    Ainda acho que merecia mais destaque por parte da própria Chevrolet.

  • Luiz Vitorio Roman

    Não sei se alguém ia ou irá comentar sobre isso mas a pickup da mazda eu fiquei conhecendo uma semana atras através desse programa https://www.youtube.com/watch?v=XuHIemMF4kY e devo dizer que eles deram uma incrementadinha na questão do motor. Hehehehe.

  • Só picape bacana! Minha sugestão fica pra Dodge, que conseguiu fazer a Ram parecer pequena…

    http://www.everymantri.com/.a/6a00d83451b18a69e20162ff56a195970d-pi

    • Opa, reencarnação do Viper! Ou seria o contrário?

  • Daniel S. de Araujo

    Senti falta da F-150/250 americanas, verdadeiros sucessos de vendas. No caso da 250, ela ainda vinha com a opção do motor Powerstroke 7,3L, um dos motores a diesel com o som mais bonito que conheço!

    Aqui poderiamos citar a 250 nacional e seu Cummins ISBe3.9, um motor potente 202cv – bastante para a cilindrada – robusto (é uma derivação de um motor de caminhão) e suave e sem vibrações (parece um motor de ciclo otto. Até para desligar é suave).

    • Danniel

      Nunca dirigi a 250 com Cummins, mas com o MWM foram duas (três, se contar a Silverado DL que as antecedeu). Minha diversão de adolescente era levar o motor às 3.200 rpm só para ver as rodas patinando no cascalho.

  • Rubem Luiz

    Não sei se tem “A” melhor, mas sendo pickup já é melhor que todo o resto 🙂

    Inclusive defendo a transformação de qualquer coupe, hatch, sedan ou o que for, em pickup 😛 🙂

    E eu lembraria a robustez da Toyota Bandeirante, não foi sem motivos que ficou décadas em produção.
    (Diferente de pickups pra exposição, tipo Saveiro, Fiorino, Strada, que mudaram ao sabor da moda)

  • Fernando

    Eu acho bonitas as Dodge Ram SRT e F-150 Lightning.
    Aqui eu só vi a Saveiro TSI 2.0 e a Fiat Strada Sport que me chamaram atenção, o resto é o conceito básico de diesel e cabina dupla.
    Sei que é fora do tópico, mas alguém me resposta. Por que o dono compra uma caminhoneta dieses e cabina dúbla e rebaixa ela, não perde a funcionalidade das caminhonetas que é não se preocupar com condição do asfalto.

  • RoadV8Runner

    A lista poderia incluir somente 10 modelos, mas um que gosto muito (e os americanos também) são as Chevrolet Z-71. É impressionante a quantidade desses modelos que se vê pelas ruas de lá. E, em geral, estão equipadas com escapamentos que permitem ouvir o belo ronco dos grandes V-8 sem miséria…

  • Fat Jack

    Não tem jeito…, quando penso em picape legal penso em Syclone (poderia constar no dicionário como sinônimo), apesar de gostar muito da El Camino e também da Ranchero.
    Entre as nacionais a coisa é mais complicada um pouco… (principalmente se referindo as derivadas de carros de passeio), gostaria muito de experimentar a dinâmica da Pampa 1.8S, pois acho que a motorização “by Gol GTS” deve ter tornado o carro bastante interessante e aquele interior típico dos Ford dos anos 80/90 era muito bem cuidado.
    Deixo também a menção honrosa à Courier, cujas qualidades só foram assimiladas pelo público com o oferecimento do motor Rocan 1.6, tanto que mesmo bastante defasadas em design era muito bem conceituadas por quem procurava a picape para trabalho no seu fim de carreira.

  • V12 for life

    Desculpe faltou essa.

  • Lorenzo Frigerio

    A Renault está marcando bobeira de não lançar uma Sandero R.S. pickup. Iria vender mais que a versão hatch. E com o alívio de peso, o desempenho ficaria poderoso.

  • carlosvr6

    Há uns meses atrás apareceu uma Syclone para fazer revisão na oficina que eu costumo levar meus carros. Fiquei impressionado com o tamanho dela. Tinha uma Saveiro Cross dessas novas parada do lado e elas possuem tamanhos similares!

    A Syclone é linda demais! Pena que a caixa automática não colabora muito. A GMC deveria ter lançado ela com a caixa manual do Corvette!

  • Lemming®

    Fiquei impressionado no Box54 com as picapes antigas.
    1 – Não tinha economia no aço. A tampa da caçamba deve pesar uns 50 kg…hehe
    2 – Espaço na cabine não existe. Quem reclama do up! precisa conhecer estas.
    3 – Altura da cabine também é bem reduzida. Qual seria a estatura média na época?
    4 – O desenho delas realmente é demais! Muito bonitas!

  • H_Oliveira

    Só do MAO deve ter uns 15 textos que gostaria de ver reeditados. De cabeça: Sete Sevens, Por uma vida menos complicada e O VW polo, a estrada e um certo Ismael. Entre outros! Fora os dos outros editores! Vocês são fantásticos e esses textos antigos tem que ficar disponíveis, pois, não sei quanto a outras pessoas, mas eu costumo voltar a eles de vez em quando em busca de inspiração!

    • Sinatra

      Totalmente apoiado. Dia destes tive de fazer uma peripécia enorme para achar o texto da teoria da força dos pequenos (do André Dantas). Que texto genial e fora da curva: explicou de forma simples e concisa um conceito de enorme importância para o estudo dos motores.

    • Douglas Dias

      Fiquei curioso sobre o texto do Polo, procurei e não consegui encontrar. Por acaso você tem?
      Obrigado!

      • H_Oliveira

        Nossa! Achei que pelo menos no Google ainda achava… Uma pena esses textos mais antigos não estarem disponíveis. Achei um link QUE NÃO SEI SE É CONFIÁVEL, mas que consegui acessar aqui. Caso não queira arriscar, só teria salvo em arquivo do Word mesmo… Segue aí o link: autoentusiastas.web1015.kinghost.net/2011/02/o-vw-polo-a-estrada-e-um-certo-ismael

  • Fat Jack

    Por falar em picapes legais, não consegui passar sem postar estas fotos tiradas no Parque da Luz domingo passado (há um encontro de antigos lá todo primeiro domingo do mês no período da manhã)… É legal ou não é?? https://uploads.disquscdn.com/images/4807b1b30f7b538c29ebd9fc33d35b21ddfe8cb82c6189985ee41927a36de514.jpg https://uploads.disquscdn.com/images/6b02f84ea099fa4da01c07e6153085917c62b3d0a1c31febaf108c8fcd791e05.jpg

    • Christian Govastki

      Fat Jack

      Esta C10 corresponde a 90% do que pretendo fazer com a minha Veraneio (Sim!! Consegui comprar uma.)

      Se eu estiver correto, o dono optou pelo caminho mais fácil de colocar um motor de Dodge nela.

      Como sou purista, pretendo seguir a relação 350 pol³/350 cv + câmbio automático, mas isto é a etapa 2 do projeto.

      O rebaixamento também ficou excessivo, eu rebaixaria menos, até mesmo para não haver interferência das rodas nas caixas de roda.

      De qualquer forma o carro está bonito. Parabéns ao proprietário.

      • Fat Jack

        O que eu posso lhe afirmar é que o proprietário manteve o acionamento câmbio na coluna, ela é toda original por dentro, não há nenhuma menção das alterações mecânicas.
        Eu também sou purista na questão da motorização, não sou radical, mas dou preferência a manutenção de componentes da fabricante…
        E se você acho bonita, caso visse a caçamba (no melhor estilo do “feito à mão) com madeiramento 0-km, certamente ficaria (da mesma forma que eu) babando…

  • Guilherme VN

    eu teria uma Syclone.

  • Douglas Dias

    Deu certo! Valeu! Não sabia dessa opção “em cache”, muito boa, salvei o texto.

  • Douglas Dias

    Sim! Achei muito legal ele contar sobre o Polo porque eu tenho um modesto Polo 1.6 hatch e já fiz muitas viagens longas com ele também, andando em velocidades próximas à máxima do carro com segurança, sem passar sustos.

    Os textos do AE são muito diferentes, fazem você entrar na história como um livro.

  • Marcos Pinto Bastos,
    há mesmo gosto para tudo!

  • Washington Souza

    Senti a falta da RAM com motor de Viper.