Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas NOVO PASSAT CHEGA AO BRASIL – Autoentusiastas

O novo Passat, em sua 8ª geração, chegou ao Brasil. Lançado no último Salão de Paris, em setembro de 2014, recebeu retoques de estilo  e está com estrutura monobloco inteiramente nova, construída sobre a mais recente plataforma de motores transversais do Grupo VW, em que uma de suas qualidades é a elevada rigidez torcional, 30.000 N·m/°, 2.000 N·m/° mais em relação ao monobloco anterior, que já era bom. Novo Passat é comercializado nas versões Comfortline (R$ 144.500) e Highline (R$ 151.300), com as opções Premium (R$ 4.900, Highline somente) e teto solar panorâmico (R$ 5.400, ambas a versões).

O pacote Premium consiste de controle de cruzeiro adaptativo (ACC), assistência dianteira com frenagem de emergência (Front Assis), quadro de instrumentos digital programável, assistente de estacionamento (Park Assis 3.0),  assistente lateral, proteção ativa dos ocupantes,  sistema de infotenimento Discover Pro, com navegador, e sistema de áudio premium Dynaudio Confidence.

O motor é o 2-litros turbo EA888, de dupla injeção (direta e no duto), de 220 cv entre 4.500 e 6.200 rpm, com torque de 35,7 m·kgf de 1.400 a 4.400 rpm. O câmbio é o DSG, robotizado de seis marchas com dupla embreagem em banho de óleo, com trocas seqüenciais pela alavanca seletora ou pelas borboletas atrás do volante. O percurso de teste oferecido foi de São Paulo ao km 102 da rodovia Castello Branco, portanto em autoestrada apenas. Mas deu para sentir como está o Passat, modelo lançado na Alemanha em 1973 e no ano seguinte no Brasil, sendo aqui fabricado até 1988. O novo Passat é produzido na fábrica VW de Emden, a que foi construída só para produzir o Fusca para os EUA e Canadá no tempo de sua alta demanda nos anos 1960.

Além das suas conhecidas características de espaço interno — seu entreeixos é de 2.791 mm — o aporte  de tecnologia é apreciável. Há novos sistemas de assistência ao motorista, de infotenimento e de comodidade, tornando o rodar ainda mais seguro. Há uma nova geração do controle dinâmico do chassi, com cinco modos de condução e amortecedores com controle eletrônico. Tecnologias como assistência dianteira com frenagem de emergência na cidade e alerta de tráfego traseiro foram incorporadas. As duas versões contam com a função desliga-liga motor nas paradas no trânsito.

 

O dono do show é mesmo o painel virtual

No Passat 2016 o dono do show é mesmo o painel virtual

Uma notável mudança é o quadro de instrumentos totalmente virtual e programável (opcional), já visto no Audi TT,  que é um show à parte. Além da precisão de leitura e sem nenhuma paralaxe, o mapa do GPS pode ser colocado entre o conta-giros (à esquerda) e o velocímetro, proporcionando consulta ideal. No velocímetro há uma pequena janela na parte de baixo mostrando a velocidade em dígitos, muito útil.

Anda muito bem, inclusive o berro do motor parece-se com um V-6, sem nenhum artificialismo. O ponto de corte é 6.800 rpm, limpo. Acelera com disposição,  o 0-a-100 km/h é em 6,7 segundos e atinge 246 km/h. O Cx é baixo, 0,28 e a área frontal corrigida é interessante, apenas 0,630 m². O carro pesa 1.499 kg, apenas 30 kg mais que o anterior.  A 125 km/h indicados, 2.000 rpm.

 

"Eu atrás de mim", espaço de sobra no Passat

“Eu atrás de mim”, espaço de sobra no Passat

O motor tem variador de fase na admissão e no escapamento, mais levantamento variável em dois limites neste último. O acionamento dos dois comandos é por corrente e a bomba de óleo é de pressão variável, sob demanda, controlada eletronicamente. O bloco é de ferro fundido e o cárter usa solução híbrida (como no Golf) de parte superior em alumínio estrutural, parte inferior em plástico.

O câmbio DSG tem comportamento mais “civilizado” que no Golf ou nos Audi, com acoplamentos de embreagem mais suaves.  Está mais para epicíclico do que robotizado de dupla embreagem.

Vamos programar um teste “no uso” com esse novo Passat e explorar todo os seus recursos noturnos, como a assistência dinâmica dos faróis. Há muito mais o que falar sobre ele.

BS

Nota: galeria acrescentada às 14:00 e correção de informação do painel.

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

  • Belíssimo!

  • Danniel

    Muito bonito este interior cinza!

  • Claro! Já acertei para o Bob. Ele me disse que fez isso apenas para ver se estavam prestando atenção! 😉

  • Rubergil Jr

    Olha, fantástico carro, mas como pode a VW que está investindo nas peruas (com a Golf) não trazer a Variant?

    Minha suspeita: não canibalizar a A4 Avant, que custa praticamente o mesmo.

    • VW e Audi tem organizações comerciais totalmente distintas, assim como Renault e Nissa. Cada uma tem a sua estratégia. A questão é mesmo de mercado, que prefere suves. Mas não se espante se a VW trouxer a Passat Variant em alguns meses.

  • Thiago Teixeira

    Creio que por uso de “microturbina” com arco geométrico variável o torne possivel

    • Domingos

      A microturbina dá um backpressure gigantesco nessas condições, que chega a causar problemas de durabilidade, tal como nos diesels (potência máxima em 3700 +/-, com corte a 5 mil RPM, se for usar até o limite de giros o tempo todo acaba com o motor e a turbina).

      Porém não é para usar isso o tempo todo. É só para ter margem de corte de giro.

      • Thiago Teixeira

        Caso realmente tenha geometria variável, acredito que controle esse “problema” de giro.

  • Dieki

    A despeito do valor um tanto salgado, ele vale os 26 mil a mais em relação ao Fusion Titanium AWD? Fiquei apaixonado, é indiscutivelmente uma obra de arte da VW!

    • Valor é algo que pode variar de pessoa para pessoa. Há consumidores que nem consideram os concorrentes.

    • Domingos

      Me perdoe a franqueza, mas o Fusion não é um carro que honra o seu desenho e sua imagem, ao menos para mim. Tem molejos excessivos em curvas e frenagens/acelerações, além do desempenho não ser nada do que promete. Também é excessivamente grande.

      Sim, vale. Não tem comparação inclusive no espaço interno. O Passat é muito mais carro, mesmo falando das duas últimas “gerações” (a penúltima foi mais uma reestilização).

      • Thiago Teixeira

        Na categoria do Passat é o Taurus.

    • Domingos

      Complementando: quando quero dizer molejos, pense num carro bem antigo e macio.

  • Sandro Mazerino Sobral

    Caros Bob e Paulo… enquanto autoentusiasta e dono de uma Passat Variant 2013 estou extremamente decepcionado com a VW que ira perder um consumidor para a Audi! A Variant tem sido importada consistentemente desde 1994 e dado as semelhancas de pecas com o sedã, me parece um equivoco de estrategia nao traze-la… sugiro pressao total de voces na fabrica!!

    • Se depender de nós vamos salvar as peruas. Já estamos inclusive solicitando uma Golf manual para teste. Eu acredito que a VW vá trazer a Passat também, mas que a massa prefira os suves.

      • RoadV8Runner

        Esperando ansiosamente pelo “no uso” com o Golf Variant manual!

        • pkorn

          Apoiado, Golf Variant manual no uso, please!

          • CorsarioViajante

            Mais um no aguardo!!

  • m.n.a.

    O tacômetro e velocímetro não estão demasiadamente afastados entre si, sendo sua visualização encoberta pelo volante ?

    • David Diniz

      Também pensei o mesmo, mas pode ser apenas impressão.

    • m.n.a.
      Parece, mas se enxerga muito bem os dois.

  • Lucas Mendanha

    Tava vendo a noticia do lançamento da Golf Variant 1.4 manual, e a penca de comentarios questionando o fato do cambio manual ao inves do automático em um carro de 83k.. é incrivel como o povo nunca está satisfeito.

    • Lucss Mendanha,
      É que pode haver gente que comprou com DSG e agora está com medo de desvalorizar. Lembre-se, estamos na gersonlândia. A minha impressão é que vai vender muito.

      • Roberto Alvarenga

        O Golf Variant manual é o carro que eu quero, pelo preço que não posso pagar… perfeito: espaçoso e bom de guiar (câmbio manual padrão VW, motor espetacular, tudo como deve ser). Se a dona Dilma não tivesse esculhambado a economia…

  • caique313131

    Quando li que o carro acelerava de 0 a 100 km/h em 6,7s me surpreendi. Vocês que mediram isso ou a fábrica é que afirma? Acho meio dúbio.

    • caique313131
      Dado de fábrica. Para medir é preciso piso de declividade zero, nível do mar no caso de motores aspirados e ausência total de vento. Não há por que questionar os números divulgados.

      • Augusto

        Será que essa medição foi com a gasolina nacional? Está parecendo que é medição na Europa. O Golf GTI no Brasil, com o mesmo motor, torque e potência, pelos testes de revistas nacionais obteve resultados entre 6,8 a 6,5s, sendo menos pesado.
        Estou curioso para ver os testes no Brasil.

        • TSI

          Menos pesado sim, mas nem tanto…. Ademais, como o Bob disse, para chegar a números precisos precisamos respeitar as variáveis. Será que as revistas respeitam? Em relação ao Up TSI já vi medições com o mesmo combustível de 9,2 a 9,6 s

        • Augusto,
          Apesar de eu achar que gasolina deve ter no máximo 10% de álcool, o fato é que com mais o motor ganha potência devido à mistura ar-combustível ficar mais densa por ocasião da vaporização do álcool a mais, que rouba calor. Além disso, em termos do que interessa para potência, a octanagem, não devemos absolutamente nada a qualquer gasolina de Primeiro Mundo. Portanto, números de Europa pelo menos se igualam aos daqui.

  • Sandro Mazerino Sobral

    Dieki, quis dizer que existe compartilhamento com o Sedã, ou seja, o custo de importar o sedan e a perua junto eh minimo em termos de logistica de pecas, etc.

  • VeeDub

    Bob, podemos dizer que esta parte superior do cárter de alumínio é o sub-bloco ?
    Nesta dupla injeção, a indireta trabalha em que momento ?

    • VeeDub
      Sim, o cárter aparafusa-se na carcaça de embreagem, portanto é estrutural. Na partida e cargas altas, injeção direta; em carga parcial, indireta.

  • Rafael Malheiros Ribeiro

    Mesmo com toda a decepção em torno das fraudes nos motores Diesel da VW, nunca admirei tanto a linha VW como nos últimos tempos. Em quase todas as categorias de produtos, tem um carro que seria minha primeira ou segunda opção. desde o pequeno up! (principalmente o Tsi) até a Amarok. Golf Variant seria a escolhida dentre todos mas, não fosse o momento econômico desfavorável… O Passat veio para complementar a gama com louvor.

  • Lorenzo,
    Bem, o pico de potência é a 6.200. Daí a 6.800 é um piscar de olhos.

  • Thiago,
    Nunca vi tal medição, mas pode ser tanto por CAD quanto submetendo carroceria a um torque num certo ponto e ler num goniômetro quanto de torque é necessário ela para torcer 1 grau. Só pode ser por aí.

    • Domingos

      Tem um maquinário específico para isso, de fato a carroceria é como se fosse pega por duas mãos gigantes de um aparelho e torcida em cada um de seus lados a sentidos opostos.

      A Fiat soltou uma foto disso em algum lugar, talvez numa revista, há um bom tempo.

  • Roberto Alvarenga

    O Passat é um sedã perfeito. Pode parecer bobeira minha (ou é porque não há nada de ruim ou de bom pra comentar sobre o carro, que é precisamente perfeito), mas o que mais me atrai no Passat é o relógio analógico no centro do painel. Acho muito charmoso.

    • Domingos

      Os Fords da década de 90 com esse detalhe eram realmente um charme também. Adorava o relógio em estilo ao mesmo tempo clássico e moderno que tinha nos Escorts, algo que infelizmente depois se perdeu com a introdução do computador de bordo e a transformação dele num relógio digital bem feio.

      O Passat combina bem com esse item. Meio que completa a proposta dele ser um carro seguindo ainda bem o normal de um carro, quase que parando nos anos 90 mas de uma forma completamente gloriosa.

  • RoadV8Runner

    Nem tudo está perdido!!! Agora posso sonhar em ter um Golf Variant manual.

    • CorsarioViajante

      Pois é, só falta uma coisa agora para eu ter uma Golf Variant manual: o dinheiro! rs

  • RoadV8Runner

    Esse novo Passat ficou muito bonito. O modelo Variant então… Dona Volkswagen, favor trazer o Passat Variant também, por favor! Positivo o peso do Passat, pois 1.499 kg, nos dias atuais, para um carro desse porte, é bem razoável. E aceleração de 0-100 km/h em 6,7 segundos, mais a velocidade máxima de 246 km/h, é desempenho para deixar qualquer um feliz!

  • Gustavo73

    Quando a VW lançou o novo GTI reclamaram que tinha que ter a opção manual e 3 portas…

    • CorsarioViajante

      Não faço questão das 3 portas, mas do manual… Hm! Nada contra o DSG mas eu preferia com o manual. Mas não é por isso que vou dizer que como uma galera sem noção que é um “lixo”!

      • Gustavo73

        Sim o manual seria mais barato e interessante para alguns, eu me incluo nessa. Mas é só para mostrar que quanfo onteressa criticam qualquer coisa. E muitas vezes são os mesmos que falaram do GTI e agora da Variant

  • Gustavo73

    MQB para motores montados na transversal e MLS para motores montados na longitudinal.

  • Augusto

    Muito interessante esse Passat. Muito completo, tecnologia de primeira.
    Só está faltando a opção com tração integral.

    • André Baptista

      Reservam tração integral e v6 ao passat cc

      • André Baptista,
        Só para você ter a informação correta, não existe mais Passat CC, agora é Volkswagen CC.

        • André Baptista

          É, eu lembro, só não aceito. Assim como não aceito SRT Viper e BMW M4, rs

  • Domingos

    Os BMW e Mercedes que custavam o mesmo que o Passat custava nada mais eram que carros para novos-ricos com mal gosto. Versões fracas em desempenho, de peso inexplicável, espaço ruim por vezes até na parte da frente e tirando uma das gerações da Classe C, desenho cheio das ostentações.

    Manutenção cara e todo o fardo ao comprador de uma marca premium para basicamente ter um carro que depois de 3 anos você troca no modelo novo para continuar podendo falar que “subiu de classe” – com um 4 cilindros que não emociona ninguém.

    O Passat é bem mais objetivo, sendo um bom sedan e um bom carro com tudo no lugar certo e ótimo desempenho. Essa versão nova continua me passando essa impressão, só espero que não esteja tão dura ao passar em buracos. Porém o preço aumentou um bom tanto, agora de fato já se pode pensar numa BMW ou Mercedes que valem a pena ter.

    Também já está no território dos sedans japoneses V6, que embora menos acertados em desenho possuem todas as qualidades do Passat – não serem cafonas, serem bons carros, terem muito espaço, excelente motorização e câmbio – ainda adicionam verdadeiros canhões que cantam bonito como um Alfa e andam como gente grande mesmo.

  • Domingos

    O Lancer Evolution vai a 8200. Necessário mesmo não é, mas existem situações em que é cômodo ter o limite alto. No caso, reduções de marcha ou não ter que mudá-la bem no fim de uma ultrapassagem ou ladeira.

    Como o limite dos turbos costuma ser meio curto, para não dar o efeito de “motor diesel” (pouco giro de limite = ter que trocar de marcha em momentos inapropriados), esticam o limite até alguma coisa melhor.

    De fato, se for simplesmente acelerar em reta, com o DSG e o torque plano a troca ideal deve ser a pouco mais dos 6200 – se é que não nos 6200 mesmo.

    Sobre o Passat: desde as 2 últimas gerações é um sedan praticamente perfeito mesmo. E tem cara de carro, o que por si só já vale o elogio.

    • CorsarioViajante

      Cara de carro por fora e por dentro. Na Ford por exemplo acho os carros lindos por fora, mas aquele interior demasiado futurista me incomoda.

  • Domingos

    O painel digital seria a única coisa questionável para mim nesse carro. Mas seria de se ver ao vivo, já que parece não ser artificial/infantil/inútil.

    Porém como é opcional acho que agrada a todos.

    • CorsarioViajante

      Eu acho muito bacana… Se for fazer uma viagem pra um lugar desconhecido, programo como na foto, com o GPS no meio. Se for andar na cidade, velocímetro bem grande para evitar multas, se for viajar para local conhecido, enfoque em velocímetro / conta-giros, e assim por diante. Acho muito útil.
      Ah sim, esqueci: e para mim neste caso podia permitir que se removesse a enorme central multimídia do painel central, isso sim seria ótimo, deixando o painel central mais leve, limpo e com mais espaço. Afinal, acho sem sentido duas telas que se repetem.

  • Domingos

    Bob, o carro conta com protetor de cárter? As Mercedes classe B com cárter em plástico sofrem sérios problemas no Brasil pelo uso desse tipo de solução.

  • Domingos

    Placa legal!

    • Edu Sardinha

      Muito legal mesmo! Por isso nunca esqueci dela. Abs~

  • Mauro Luz

    A VW está com uma linha para todos os gostos e bolsos. Esse Passat traz a vantagem dos alemães com a discrição de um VW, a maioria vai achar que é um Jetta.

  • CorsarioViajante

    POis é, seria bacana salvar as configurações dos mostradores, quem já usou programas da Adobe como Photoshop sabe como é util poder salvar vários “workspaces” de acordo com cada trabalho. Na resposta acima ao Domingos dei alguns exemplos práticos.

    • Gustavo73

      Sem dúvida seria muito interessante, se tem ajustes dinâmicos de comportamento, esse seria mais fácil. Eu li a resposta.

  • Gustavo73

    Vindo do México seria fácil já que lá acho que tem 2p. Mas não seria apesar dos preços a versão mais vendida.

  • Luiz Otávio Rujner Guimarães

    Jetta e Passat. É impressão minha ou ultimamente estes carros estão ficando cada vez mais parecidos com seus primos mais caros, inclusive na sofisticação?

  • TSI

    Sim.. ambos MQB

  • TSI

    Lógico que não… dá couro no Fusion! hehehehe

    • Eduardo Edu

      Se vc está falando isso é porque não tem nenhum dos dois. Para sanar a sua dúvida, faça o que qualquer engenheiro faria, pesquise a relação peso/potência e tire as conclusões.

  • Eduardo Edu

    Como vc vai chamar um carro que faz de 0 a 100 em 7 segundos de lento? Os mais beginners deixam o controle de tração ligado, daí faz em 15 segundos mesmo. Golf? Se não for o GTi dá até dó.

    • Domingos

      O controle de tração faz tanta diferença assim? A versão que andei era a AWD, não vejo motivo para o controle matar tanto o carro.

      O que quero dizer é que não me passou em nada a sensação que faria o 0-100 nos tais 7 segundos. Não é um carro lento de forma alguma, mas me passou essa sensação. Simplesmente não parecia ter 240 cavalos ou ser um carro de 7 segundos. 8 ou mais até para 9 dependendo da situação foi o que ele passou.

      O GTi perto dele parecia andar o dobro. Mas se o controle corta tanto ele assim, estaria respondido o mistério. Algo que não acontece no S60…

  • Duzinfa,
    Pois não. O corte de rotação atual se dá mediante corte de fornecimento de combustível ao motor. Esse corte pode ser deixando os injetores de funcionar ou reduzindo a abertura da borboleta de aceleração (no caso de o carro ter acelerador elétrico com controle eletrônico). No primeiro caso a interrupção é brusca, o motor “reclama” tranqueando, é o corte “sujo”. No segundo é como se o motorista levantasse um pouco o pé do acelerador, o motor apenas pára de crescer em rotação, ou seja, corte “limpo”.

  • Eduardo Edu

    Vc está misturando tudo. Quem tinha velocidade limitada em 180 era o V6. Do Ecoboost é 240. De onde vc tirou esse 0 a 100 em 10,4? Isso é do aspirado 2.5 de 173cv. UP TSi??? Na boa brother, vai procurar a sua turma…

  • Thales Sobral

    Classudo como sempre. Adorei o interior “clean”, bem similar ao da geração passada.

  • Lorenzo,
    Notou que não falei em plataforma MQB no texto, embora seja? A plataforma não é um elemento físico, mas um projeto básico tanto quanto a plataforma Boeing 737, por exemplo, em são vários tamanhos de modelos, 100, 200, 300, 500 e 800. Esse Passat foi dado como sendo 2.000 N·m/° mais rígido torcionalmente que o anterior e certamente não é devido à “plataforma”, mas à estrutura do monobloco como um todo. Fabricantes adoram falar marqueteiramente em plataforma para simbolizar evolução.

  • Café Racer
    Isso mesmo.

  • CorsárioViajante
    Sim, imagino-me assistindo a uma queima de fogos de réveillon! Já pedi um para teste.

  • Thiago Teixeira

    Acho o corte sujo mais vocal. OS F1 e F2 GM mais antigos fazem uma sinfonia muito bonita.

  • Thiago Teixeira

    Eu não disse….

  • Otavio Marcondes

    Autódromo é uma coisa, vida real é outra…
    Tem mais, o NOSSO up! TSi passa vergonha perto da tecnologia embarcada num Fusion AWD ( que por sinal não é flex), isso num carro de 3 anos de mercado já. Quanto a suspensão ser macia, isto é lógico num carro desta categoria, pois o propósito dele não são os track days. Por sinal ele não é tão macio de suspensão assim não.
    O grande defeito do Fusion sempre foi a frente longa e agora a altura do solo baixa para o pavimento da terra brasilis.

    • TSI

      Amigo, se leu tudo, deve ter observado quatro coisas como um bom entendedor que espero que seja:
      1. O up! foi ironia, brincadeira, até pela diferença de categoria. Agora falando sério, a diferença de tecnologia de motor…. Sei não …
      2. A conversa era sobre o FWD
      3. O Jetta TSI deixa o Fusion EcoBoost para trás sim
      4. Não dá para comparar Passat com Fusion, aliás, ultimamente, tirando o Fiesta, não dá para comparar Ford com VW.
      Grande abraço

      • Thiago Teixeira

        Principalmente depois das fraudes, não é?
        Sou seguidor de Ford, Chevrolets, volks e BMWs..
        Não creio em absolutismo.

  • André Baptista

    Vi num site gringo que ele tem assistente de engarrafamentos, até 60km/h. Tem no vendido aqui?

    • André Baptisa
      Já vi muito assistente nessa vida, mas de engarrafamentos, nunca. De que se trata?

      • André Baptista

        Chama-se Traffic Jam Assist e pelo que entendi controla todo o anda e para do transito. Algo bem simples para um computador e chato para um ser humano. Acho até que demorou muito a inventarem.

        http://www.greencarcongress.com/2014/05/20140527-passat.html

        • André Baptista
          Ok, obrigado, ainda não havia visto este. Mas acho que se é para evitar batidas quando o tráfego pára, deveria agir em qualquer velocidade. Pode ser que desenvolvam.

      • André Baptista

        Tem um video demonstrativo da VW aqui:

    • Paulo Henrique

      Deve der o E ACC. Ness caso, ele mantém uma distância segura do carro a frente. Se o carro parar, o seu para, se ele andar, o seu anda, até os 60km/h.

      O impagável Jeremy Clarkson fez um teste desse sistema no Top Gear, no teste de lançamento de um Mercedes classe S.

      • Domingos

        Tem no pacote pro Brasil? Muito útil e ainda não é nada de “autônomo”. Deveria ser a solução padrão.

        • Paulo Henrique

          Tem sim. Até o golf tem…

  • André Baptista

    Pois é um carro desse preço com um pacote tão bom e tão barato, das duas uma, ou o pelado não vai vender nada, ou vai ser mico na hora de revender

  • Paulo Henrique,
    Quem gosta da marca, provavelmente gostará “de um desses”, e não faz (porque certamente não precisa) a menor questão de ostentar. Respondido?

  • Sardinha,
    O meu foi um L 1974. Sabe por que L e não o LS? Afinal, eu era concessionário VW e poderia escolher depois de analisar bem um e outro. O que definiu foram os bancos, iguais aos do alemão, baixos e mais envolventes, com um belo plástico, de linda textura, ao passo que no LS já era o “tropicalizado”, um tecido estranho, meio aveludado e parecia que eu estava sentado sobre uma esfera alta…

    • Edu Sardinha

      Incrível Bob! Você é um Autófilo, se é que existe essa palavra!! O Meu era um L também, acho que foi a última série com farol redondo. abs!

  • André Baptista

    Passat é maior e mais equipado que esses caras.

    Olha as dimensoes, todos da geração atual:
    Passat B8:
    Length 4,767 mm (187.7 in)
    Width 1,832 mm (72.1 in)
    Height 1,456 mm (57.3 in) (saloon)

    Mercedes W205:
    Length 4,686 mm (184.5 in)
    Width 1,810 mm (71.3 in)
    Height 1,442 mm (56.8 in)

    BMW F30:
    Length 4,624 mm (182.0 in)
    Width 1,811 mm (71.3 in)
    Height 1,429 mm (56.3 in)

    Além disso chama muito menos atenção. Ficaria impressionado em como as pessoas valorizam isso no Rio de janeiro por ex. (em geral ricos de berço escolhem o Passat e novos ricos os premium, mesmo correndo mais risco)

  • André Baptista

    Exatamente, existem poucos mesmo.

  • Lucas Sant’Ana
    Já andei em carros assim, não me lembro quais agora. Primeiro vem o tranco do corte de injeção e depois fecha a borboleta. Considero o ideal, pois se é avisado que chegou ao limite de giros.

  • Domingos

    Quem quer um carro e não um negócio feito para ser ostentação de terceiro mundo. É – ou era, porque aumentou os preços, mas não deve ter sido só do Passat – um carro que o equivalente seria ao menos as melhores versões do C e do série 3.

    De qualquer forma, mesmo as melhores versões desses carros são hoje inteiramente voltadas a esse público – basta ver o desing, que na C está cada vez mais coreanizado por exemplo. Cada geração que passa, piora.

    Na verdade equivalente mesmo seria Classe E e Série 5. E aí você fala em diferenças de preço gigantescas.

  • Domingos

    Etios é um.

  • Augusto

    Eu compraria. O custo benefício do Passat é melhor.
    Se for ágil, se obtiver um desempenho bom no Brasil (0 a 100 em até 7s e retomada de 80 a 120 km/h em até 4s) eu compraria sim.

  • Cadu

    Quem quer desempenho, conforto, itens de série, conveniência, segurança e opcionais, nem sonhados nesses carros que você citou
    Um 320 não tem teto, não tem sensor de estacionamento dianteiro
    O Passat até estaciona sozinho!
    Agora, se você procura status e pagar 1000 reais a cada troca de óleo, vai fundo na BM

  • Cadu

    Sensacional! Para o meu uso atualmente é só um pouco grande! Mas em termos de tecnologia embarcada, tanto no interior quanto no trem de força, é um baita carro! Não há carro nessa faixa de preço que se aproxime do Passat nessa questão.
    Para se ter algo semelhante precisaria gastar 200 ou 250 mil num outro importado!