Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Quem paga o pato? – Autoentusiastas

 

Não bastassem todas as maracutaias do governo no nosso combustível, ele acaba de confessar não estar fiscalizando sua qualidade.

 

 

A gasolina não teve aumento durante anos, pois a presidente queria conter a inflação. Além disso, o imposto sobre derivados do petróleo (a Cide, Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) foi eliminado para reduzir seus preços. Até a reeleição de Da. Dilma, o brasileiro abasteceu com preços artificialmente contidos na gasolina, álcool e diesel. Mas o governo não pode cometer descalabros a vida inteira, pois um dia a conta chega. Quando chegou, quem pagou o pato foi o consumidor. Que teve seu bolso duplamente onerado no posto: pelo preço da gasolina que subiu apesar do custo internacional do petróleo ter despencado. E pelo óbvio retorno da “contribuição” Cide. Não bastasse, Da. Dilma prometeu para os usineiros, durante sua última campanha eleitoral, o aumento da mistura do álcool na gasolina. Mais uma continha para o bolso do motorista, pois ele paga por um litro de gasolina mas recebe 27% de álcool, que tem menor valor energético: quanto maior sua proporção na mistura, maior o consumo do motor. E problemas de oxidação no automóvel.

Nossa gasolina é de muito boa qualidade, entre as melhores do mundo em termos de octanagem e teor de enxofre. Entretanto, falta resolver dois problemas:

1- o primeiro é a aditivação, estabelecida como obrigatória em todo o país desde janeiro de 2014. Mas, como se trata de uma operação que exige entendimentos entre a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), refinaria, distribuidoras e fabricantes dos aditivos, as partes não se entenderam e a medida foi adiada para julho deste ano. Mais discussão entre os envolvidos e a ANP voltou a adiá-la por mais dois anos. Se nestes 24 meses chegarem todos a um acordo, somente em julho de 2017 nossa gasolina será aditivada.

2 – o segundo é a fiscalização. Cabe à ANP zelar pela qualidade do combustível nacional. Proteger o consumidor contra as distribuidoras e postos desonestos que aumentam os percentuais de álcool na gasolina, de água no álcool, de biodiesel no diesel… só o GNV, por suas características físicas, escapa da adulteração.

A ANP não tem infra-estrutura nem fiscais suficientes para controlar a qualidade nos quase 40 mil postos do país. Estabeleceu então um convênio com laboratórios de institutos técnicos e universidades para o monitoramento dos combustíveis. A partir deste controle se realiza a fiscalização no posto. Mas, com o corte generalizado de verbas federais, a ANP foi também punida e o cidadão brasileiro volta a pagar a conta (ou o pato…), pois ela não teve condições de renovar os contratos que venceram este ano. A rigor, combustíveis fornecidos em 20 estados brasileiros correm maior risco de estarem adulterados. Se o motorista já se sente roubado por ter que engolir quase 1/3 de álcool na gasolina, pode se preparar, pois postos desonestos fazem o combustível “flex” por conta própria, adicionando ainda mais álcool em proporções que podem superar os 50%. Acrescentam também mais água no álcool, muito além dos 7% previstos pela legislação. A análise de amostras de álcool colhidas em postos no litoral revelou até a presença de sal proveniente de água do mar.

O resumo da ópera é que poderíamos ter uma das melhores gasolinas do mundo, mas sofremos com a irresponsabilidade do governo federal que manipula seus preços, adiciona álcool em percentuais muito acima do padrão, não tem capacidade técnica para estabelecer sua aditivação e, agora, confessa não ter verbas para fiscalizar sua qualidade. E quem paga o pato, como sempre…

BF

Boris Feldman, jornalista especializado em veículos e colecionador de automóveis antigos, autoriza o Ae a publicar sua coluna veiculada aos sábados no jornal Hoje em Dia, de Belo Horizonte (MG).
A coluna “Opinião de Boris Feldman” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.

Sobre o Autor

Boris Feldman
Coluna: Opinião de Boris Feldman

Boris Feldman é engenheiro elétrico formado pela UFMG, também formado em Comunicação, jornalista especializado em veículos e colecionador de automóveis antigos. Além da coluna Opinião de Boris Feldman no AUTOentusiastas, é colunista do jornal Hoje em Dia, de Belo Horizonte, e do jornal O Povo, de Fortaleza e tem o programa de rádio Auto Papo, na emissora Alpha FM, de São Paulo, e em mais 38 emissoras pelo país, com três edições diárias.

  • Elizandro Rarvor

    É inacreditável como o ser humano é corrupto. Dono de posto adulterar combustível é coisa de um marginal sem caráter e como o crime compensa no Brasil, segue a vida.

    • Comentarista

      Conheço alguns cidadãos que já tiveram relações com donos de postos. Mafia pura! Quem não se enquadra tem que sair por vontade própria ou saem com ele. Meu pai foi contador de 4 postos durante alguns anos. Ele ficou doente. Largou tudo e olha que 80% do rendimento do escritório vinha dos postos. De tanto os donos ficarem na cola dele para serem feitas “maracutaias” contábeis pra pagar menos ou nada pagar de impostos! Ele não agüentou a pressão. Preferiu ver os rendimentos caírem drasticamente e dormir sossegado. Olha que ele nem abastecia nos postos da rede! Será por quê?! Isso 25 anos atrás!

    • CCN-1410

      Realmente é um absurdo Elizandro Rarvor, e o que dizer daqueles que adulteram leite?

      • Elizandro Rarvor

        E merenda escolar e remédios???

        Estes nem se fala, mereciam ser enforcados.

  • CCN-1410

    Culpa do governo e também do povo. Se o brasileiro fosse um pouquinho mais honesto…

    • Cristiano Reis

      Realmente, o pior é que o cidadão comum, se tiver a oportunidade, bota pra descer também.

  • Átila Baeza Palerosi

    Boris, acredita que a aditivação obrigatória da gasolina seria uma solução viável, tecnicamente falando? Sempre ouço opiniões diamentralmente opostas a respeito.

    • Domingos

      Com esse combustível lixo, é que nem comprar gasolina aditivada de posto ruim. Não adianta nada.

      Viável é, mas não vai ajudar em nada.

  • Marcos Zanetti

    Não entendi… Você no início do texto afirma que temos uma das melhores gasolinas do mundo e no final diz que poderíamos ter uma das melhores. Temos ou não?

    Acho que o problema de textos como esse é a sanha de se atacar o governo federal por ser do PT. E a discussão que poderia ser mais profunda se torna superficial.

    • Paulo Roberto de Miguel

      Poderíamos ter se fôssemos bem governados. Que dúvida mais você tem?

  • Lemming®

    27% se o posto ou distribuidor for muito bonzinho pois como já postei por aqui mandei fazer o teste em uma amostra quando de suspeita de adulteração e o resultado foi 29.3%. Isso de uma grande distribuidora e uma rede de hipermercados. Imagina o posto sem bandeira do zé da esquina (pode ser que sim, pode ser que não. Mas não tem nome a zelar.).
    Tem é de ter muita fé neste país…pois as instituições já foram ralo abaixo…

    • Marco

      Há uns 6 anos eu tive um Escort RS, somente a gasolina, evidentemente. Na época, eu tinha por hábito abastecer somente em postos de supermercado (Carrefour e Extra, ambos perto de minha casa). Durante a manhã, o carro emitia muita fumaça branca, chegava a ser vergonhoso, pois muita gente ficava olhando…

      Levei numa oficina. O mecânico perguntou onde eu abastecia e disse para gastar aquele combustível e abastecer num outro posto, pois a fumaça provavelmente era sinal de muita água misturada com o combustível.

      Passei a abastecer em outro posto – local que abasteço atualmente – e a fumaceira acabou.

      Ou seja, os “centavinhos” a menos cobrados no supermercado eram por conta a água que eu estava comprando…

      • Carlos A.

        Curioso mesmo…um amigo relatou o seguinte: bastecia sua Chevy a álcool no Carrefour aí ja ficava estranha no funcionamento, marcha lenta e partida a frio. Fez isso uma vez aí ele abasteceu num posto de combustível….voltou a colocar outro tanque de álcool do Carrefour e o problema voltou! Logicamente nunca mais abasteceu lá. Em outro relato uma parente abastecia seu Celta Flex no Pão de Açucar com ‘gasolina’ mas o motor estava ‘batendo’ em algumas condições de carga. A concessionária soltou a solução ou “pérola técnica” para resolver o problema: coloque uns 10 litros de álcool junto com a gasolina ao completar o tanque!! Pior que ela – primeiro carro, nova de carta, e sem conhecimento acatou como sendo natural e necessário o procedimento – eu dei a solução mais simples: vá abastecer num posto de combustível confiável, resultado problema resolvido carro com motor ‘suave’ com gasolina!
        Resumo da ópera: obviamente, não valem os centavos da ‘pseuda’ economia, e outra, cá entre nós só o liga-desliga e anda e pára na fila de carros para chegar na bomba de combustível desses postos de supermercado…será que valeria tanto a pena assim?

      • CharlesAle

        Eu abastecia algumas vezes no Carrefour Taboão, e notava que, no escapamento do meu prisma, ficava muita água pingando, mesmo com gasolina no tanque(rodo pouco, então não abasteço com álcool)..Foi só passar a abastecer em posto de Bandeira BR perto aqui de casa, que quase zerou a pingação de água!! Nunca mais voltei no Carrefour..

      • Lemming®

        Carrefour fazendo história…
        Em São José dos Campos também se envolveu em escândalo de adulteração de combustível…hehe
        Realmente difícil encontrar posto confiável e pelo menos por aqui a diferença de preço entre alguns postos chega a ser bem mais que centavos…o que não comprova que o mais caro seja efetivamente melhor.

    • Ilbirs

      Aliás, já notei uma coisa do E27: o consumo do veículo fica mais ou menos inalterado se a cidade estiver fluindo normalmente. Depois de mais velocidades haddadianamente baixas sendo aplicadas nesta cidade com o intuito de fazer as pessoas se envergonharem de produzir testosterona e, portanto, induzir votação no atual prefeito paulistano, eis que na última vez que fui abastecer descobri que a média de consumo foi de 6,2 km/l, contra os 9 da penúltima.
      Tenho certeza absoluta de estar ligado a esse TOC dos 50 km/h demonstrado pelo alcaide da maior urbe do Hemisfério Sul, pois muitas foram as vezes nesse tanque que me deparei com as seguintes situações tipicamente geradas por velocidade baixa:

      1) “Paredão” de carros trafegando a essa velocidade e impedindo que as pessoas mudem de faixa para ultrapassar;

      2) Integrantes do Rivotril Driving Team andando em velocidades ainda mais baixas do que aquelas em que andavam e segurando uma fila de gente daquelas atrás deles;

      3) A velocidade diminuiu e, com isso, é mais provável que você tenha de frear subitamente porque o semáforo passa a fechar quando você está no final do quarteirão;

      4) Ainda em relação a semáforos, também ficou mais comum vermos integrantes do Rivotril Driving Team freando de leve antes de passar o cruzamento, o que por vezes faz com que quem esteja atrás também tenha de pisar mais bruscamente no freio para não bater no navalha a quem você deseja encarecidamente que ganhe um Tesla Model S com AutoPilot no Natal;

      5) Motores passam a não mais ficar tanto tempo na faixa ótima de torque, obrigando o motorista a reduzir marchas e, consequentemente, não conseguir manter uma marcha mais alta que pode fazer uma velocidade maior até mesmo ser mais econômica que uma mais baixa. Em meu caso tenho notado que tenho chegado menos vezes à última marcha;

      6) Velocidades menores diminuem o tempo em que o veículo fica em cut-off nos declives. Exemplo disso é a Rebouças no sentido bairro, que a 60 km/h ainda permitia razoavelmente bem, quando vazia, que se deixasse o carro na última marcha e caso fosse necessário reduzir a velocidade, bastando reduzir para penúltima ou antepenúltima, significando aí longos períodos sem encostar o pé naquele pedal mais à direita ou no freio, uma vez que o tráfego seguia com certa fluidez. Agora que reduziram para 50 km/h, naquele declive mais acentuado perto das Clínicas o motorista já tem de ir segurando um belo tanto em vez de deixar o carro rolar como fazia outrora;

      7) Como a velocidade é irreal, vias que tinham certa fluidez passam do nada a ficar congestionadas, com o agravante de ser aquele congestionamento que anda e para. Logo, mais combustível é queimado e mais poluentes são jogados na atmosfera.

      Para variar um pouco, volto a deixar aquelas dicas que também valem para quem quiser economizar combustível:

      1) Não votar em ninguém do PT nem em quem for de outros partidos ligados ao Foro de São Paulo (PSB, PDT, PC do B, PCB, PPS, PPL);

      2) Não votar em nenhuma linha auxiliar do Foro de São Paulo (PSOL, PSTU, PCO, Rede);

      3) Prestar muita atenção a manobras políticas aparentemente de ruptura com o Foro de São Paulo. Nada é mais estranho do que Marta indo para o PMDB;

      4) PSDB é o PT que fala “por obséquio”, sendo a outra lâmina de uma estratégia das tesouras gramscista, vide Fernando Henrique defendendo Dilma;

      5) Preocupar-se com candidatos aparentemente oposicionistas de fato, mas que podem ser candidaturas “cristianizadas”, que existem propositadamente para perder, mas não sem antes dividir a base dos eleitores contrários ao PT e ao Foro, de maneira a conseguir levar pelo menos um candidato da patota ao segundo turno, na pior das hipóteses para eles, ou mesmo as duas lâminas da tesoura. Tenho cá minhas suspeitas que o Datena entrando no PP e possivelmente sendo candidato, sabendo-se que ele já elogiou o Lula, seja essa tal candidatura divisionista;

      6) Não cair nem deixar os outros caírem no conto das passeatas “espontâneas” e “apartidárias” que pedem “mais amor”, pois essas são ferramentas fora do ambiente da política partidária para promover campanha de assassinato de reputação de algum candidato que esteja à frente de algum do Foro de São Paulo e depois recebem em troca alguma contrapartida (vide o pessoal do Existe Amor em SP, que organizou passeatas contra o Russomanno, ganhando uma cadeira no Conselho da Cidade);

      7) Desconfiar totalmente de pesquisas, ainda mais se apontarem uma subida meteórica de candidato do Foro de São Paulo. Pode ser que essas pesquisas estejam na prática servindo para criar um cenário que confirme o que urnas da Smartmatic queiram dizer;

      8) É importantíssimo também o voto para vereador, uma vez que a Câmara pode bloquear projetos absurdos vindos do Executivo municipal tal qual o Congresso tem feito com projetos que agradam o Foro de São Paulo. Para vereador também são válidas as alíneas 1, 2, 3, 4 e 5.

      Vale lembrar que circularam rumores de que aquele de nível municipal cujo nome não deve ser pronunciado estaria pensando em ir para a Rede, o que apenas comprova o que a alínea 2 dizia sobre certos partidos “oposicionistas”.

      • Domingos

        Pelo menor valor energético, o álcool se apresenta com maiores variações do consumo justamente em situações de maior exigência mesmo.

        É isso aí.

      • CharlesAle

        Sim. Há um certo tempo não saia do ABC, onde moro, rumo a capital.E meu deus do Céu..o trÂnsito simplesmente não anda! Que raiva ver pessoal “engatinhando” em uma Ricardo Jafet,larga e bem segura para se andar até a 80 tranquilamente, mas não..Todos a passos de tartaruga….

      • Lemming®

        Já que os ecochatos se preocupam tanto com a poluição gerada pelos veículos mortais e assassinos, só que não, poderiam fazer protesto contra o maluco já que o consumo de combustível vai aumentar e bastante…
        E coitado daquele que estiver em uma situação de urgência ou emergência pois agora não é possível escapar de congestionamento…

    • Domingos

      Nos últimos 5 anos a MELHOR gasolina que eu conseguia comprar, e álcool também, com as melhores médias de consumo e melhor desempenho, era em posto de supermercado.

      Era melhor que Podium. Agora, no entanto, que o cinto apertou, a tendência é que apenas certos postos bem de referência e com preço mais acima se mantenham sinceros.

      Os outros vão maracutear mesmo.

    • Lemming®

      Não há relação. Graças a canetada da dilmais que permitiu 27% com variação de +-2% o que esperar… Descontando o .3% está dentro da lei…
      A vergonha é ter este rabo de galo legal e homologado para beneficiar usineiro.

  • Maycon Correia

    Estamos pagando por quem acreditou que o grevista ia ajudar alguém que não a si mesmo!

  • Totiy Coutinho

    Se vivemos em um país em que produtores de leite sentem-se no direito de misturar água, ácido, urina, entre outras impurezas, destinado ao consumidor e sua família, o que farão com combustíveis então? E a responsabilidade de atos criminosos passa a ser das “autoridades irresponsáveis”?

    • WSR

      Inclua aí as toneladas de venenos que despejam nos alimentos, de qualquer maneira, há anos! E sem fiscalização justamente por falta de gente para tal…

    • Paulo Roberto de Miguel

      A única função intransferível do governo é fiscalizar e garantir o bem estar e os direitos da população. Se falha em fazer isso, a culpa é dele sim.

  • Thiago Teixeira

    Postos desonestos.. na verdade transportadores desonestos. São eles que fraudam o combustível. Mas claro, em conivência com os postos.
    Alguém já tem algum caso de carro a gasolina prejudicado pelo aumento de álcool? Eu estava resistindo à gasolina premium com os 25% na fórmula. Mas depois do novo aumento não está dando para suportar.

  • Mineirim

    O consumidor sempre perde.
    Aqui em SP Capital, sempre abastecia com álcool, por causa do preço vantajoso e do rendimento no motor de meu carro (entre 75 e 80% da km/l da gasolina).
    Nos últimos meses o litro da gasolina subiu cerca de 20 centavos e o do álcool… 40 centavos! Por isso, venho abastecendo ultimamente com Podium ou Racing. Se é para pagar caro, que seja com melhor rendimento e qualidade.

    • Marco

      No ABC, idem.

      Pagava no litro da gasolina aditivada R$ 3,30. Agora, está R$ 3,50.

      O álcool custava R$ 2,10. Com o aumento da gasolina foi para R$ 2,30 e, dois dias depois, para R$ 2,40.

    • André Castan

      Gostou da Racing? Percebe-se alguma diferença em relação a Podium?

  • Marcos Zanetti,
    Se você não entendeu, leia o texto de novo que você acaba entendendo. O “problema” a que você se refere não é problema, mas patriotismo e dever de todos que querem o bem para o nosso país. “Ou o Brasil acaba com o PT, ou o PT acaba com o Brasil”. Aliás, esse partido sem ideário já cumpriu sua missão. Com louvor.

    • Gabriel Bastos

      Ninguém está atacando o PT, estão narrando fatos, agora se isso incrimina o PT e outra coisa. Nossa gasolina tecnicamente e perfeita porém a burocracia e a corrupção a fazem um desastre com misturas maléficas ao motor e falta de fiscalização por parte do ente governamental que sustentamos.

    • Mr. Car

      Campanha “Por Um Natal Sem Dilma”. Eu já aderi.

      • CCN-1410

        Meu receio é uma revolução violenta e a dilaceração do país.
        Tudo pode acontecer e isso é a última coisa que eu quero.

        • Mr. Car

          A dilaceração em si já está aí. Quanto à revolução violenta, se houver, sabemos bem por parte de quem vai começar. Quando o Collor tomou um pé no traseiro, não teve revolução violenta.

        • Lemming®

          Não acredito em revolução e muito menos violenta a não ser que venha por mãos de marginais.
          O povo está tão anestesiado e ainda acredita que o problema é a classe média coxinha e burguesa que não quer abrir os bolsos que é inacreditável para uma pessoa sã…
          Toda a culpa é de quem tem dinheiro e de quem tem carro e não da roubalheira e da falta de competência nunca antes vista na história deste país!
          Só querem saber de oba oba e se pudessem estariam lá para tirar uma lasquinha…vergonhoso.

    • Marcos Zanetti

      Bob Sharp, o patriotismo poderia ser observado por se respeitar a decisão da maioria do povo brasileiro que elegeu esse governo, aliás assim tem sido por doze anos seguidos. Se corretamente, eu nao sei. Mas essa é a regra do jogo. Quem tem maioria leva… Não se pode admitir que uma minoria contrariada e mimada queira avacalhar tudo.

      Em tempo, quero dizer que não sou petista.

      • Marcos Zanetti
        Imagine-se se você fosse petista então…Todo mundo sabe que essa votação foi fraudada, era certa a eleição do Aécio. Na hora em que apareceu o painel às 19h30 mostrando liderança da Dilma, até o experiente William Bonner ficou sem palavras. Maioria matemática, pois jamais um presidente brasileiro foi vaiado e jamais um presidente brasileiro precisou se esconder atrás de muros no desfile de Sete de Setembro, jamais um presidente brasileiro deixou de se dirigir à Nação em rede de tevê no Dia Mundial do Trabalho, jamais um presidente brasileiro disse que impeachment é golpe e, para reavivar sua memória, jamais um presidente brasileiro disse que quem era contra a CPMF era sonegador (molusco nove-dedos em dezembro de 2007). Portanto, seja patriota e queira o bem para o seu país. Como nós no Ae queremos.

        • Domingos

          Perfeito, Bob. E ainda mais: nunca o próprio partido “dos trabalhadores” tinha deixado de fazer alguma manifestação de maior porte no Dia do Trabalho.

        • CCN-1410

          30 de novembro de 1979. Florianópolis (SC)
          “Após ser recepcionado no Palácio Cruz e Sousa, Figueiredo dirigiu-se ao “Senadinho”, tradicional ponto de encontro no centro da cidade. Neste pequeno trajeto entre o Palácio e o café, Figueiredo foi hostilizado e dispôs-se a discutir. Na praça 15 de Novembro, Figueiredo foi recepcionado por uma manifestação estudantil, com cerca de 4 mil pessoas, organizada pelo Diretório Central dos Estudantes daUniversidade Federal de Santa Catarina. A manifestação foi abafada pela Polícia Militar, resultando em muita confusão e violência e na prisão de sete estudantes que foram indiciados pela Lei de Segurança Nacional”.

      • Domingos

        90% desaprova e é mais que óbvio que você é petista, defendendo o PT em todo tópico onde sequer o mesmo é mencionado diretamente.

        Aliás, seria bom lembrar que você também defendeu o Haddad da “difamação”.

        É estratégia de todo petista, que é um pessoal sem muita coragem, apelar ao “sou isento, não sou petista” numa época com 90% de desaprovação.

      • Paulo Roberto de Miguel

        Mimado e contrariado… Está falando de você mesmo né?

      • RoadV8Runner

        E quem disse que patriotismo pressupõe aceitar bovinamente uma decisão da maioria? Patriotismo significa querer o bem da nação como um todo. Fico espantado como ainda aparecem alguns para defender esse (des)governo que está aí, mesmo com números alarmantes de desemprego, queda na produção e serviços, cortes homéricos em orçamentos etc. etc. etc.
        E quem avacalhou com o Brasil não é essa minoria contrariada e mimada como você diz, mas sim a gangue que está lá na ilha da fantasia há mais de 10 anos.

        • Domingos

          Gangue que ainda por cima tem na melhor das hipóteses 10% de aprovação e ainda finge ser máxima representante do “interesse nacional”.

      • Vinicius

        Patriotismo é votar com consciência, e não por cabresto. Prática nefasta deste partido e de seus eleitores, população beneficiada pelas políticas sociais.

        Resumindo: compra e venda de votos.

  • Rodrigo Bruschi

    A aditivização é tecnicamente possível e viável, porém comercialmente as distribuidoras estão empurrando, pois irão perder o ganho absurdo – mais de R$0,15/l, em relação aos líquidos “normais”. Caso todo combustível seja aditivado não existiria o apelo comercial e a possibilidade de preço maior.

  • Viajante das orbitais

    Não é à toa que estão liberando os ciclomotores, a coisa está feia.

  • RoadV8Runner

    Vale aquela máxima, desgastada, mas ainda pertinente: podemos dizer que o Brasil é um país sério? Se já não bastasse o absurdo que é adulterar combustível, agora o (des)governo pára de fiscalizar…

  • Cristiano Reis

    Estamos caminhando para o caos, daqui algum tempo a situação vai estar totalmente fora de controle.

    • CCN-1410

      Nós já estamos…

      • Cristiano Reis

        CCN, ainda tenho esperanças que as coisas voltem pros eixos, não é possível que a classe política tenha tamanho descaso pela população, como alguém pode ser tão egoísta a ponto de prejudicar um país inteiro? Como alguém consegue dormir sabendo que milhões de família estão passando necessidade?

        Quando tenho que despedir alguém, mesmo que com razão, o faço com o coração na mão, e mesmo assim apenas após se esgotarem as possibilidades de tentar manter o colaborador, por isso não entra na minha cabeça como são tão mesquinhos dessa forma.

        • Domingos

          Gente doente sequer liga para isso, não duvide. E geralmente são os que mais discursam que ligam.

          Mas sim, existe um espírito bom tomando conta. Nossa legislatura já tem refletido isso.

  • Cristiano Reis

    É verdade que a gasolina na Europa tem cheiro de algodão doce? Uma vez vi um comentário do Geraldo Simões a respeito disso.

  • Carlos A.

    Carro mais antigo prefiro abastecer com gasolina Podium, antigamente era entre outros fatores além da qualidade e só 30ppm de enxofre e por não formar borras no carburador. Atualmente as demais gasolinas tem só 50ppm de enxofre, mas 27% de álcool na mistura…então volto na Podium que ao menos tem ‘só’ 25% de álcool (e ainda comprovo em casa no teste da proveta!!). Pode parecer besteira, mas 2% já faz diferença num carro que deveria rodar com muito menos álcool misturado a gasolina.

    • Domingos

      O álcool até é mantido em níveis melhores na Podium, mas ainda mais com esses preços sempre existe a chance de pegar combustível velho.

      As aditivadas o próprio pessoal de posto fala que se estiver faltando, eles misturam no tanque do posto – o reservatório – com comum mesmo.

      Terrinha complicada a nossa. Merecemos.

      • Carlos A.

        Domingos, de fato isso pode ocorrer, mas onde abasteço é um tanto curioso, o posto é o mais caro da cidade, mas tem clientela cativa e parece que mesmo o preço elevado do combustível em si, não faz com que os clientes parem de usar a Podium. Por esse motivo imagino que o estoque se mantenha regular em tempo. Outro detalhe é a durabilidade em si dessa gasolina maior que as demais chegando a 1 ano em perfeitas condições segundo a Petrobrás me informou. Lembrando que, atualmente com a redução drástica de enxofre nas demais que passou de 800 ppm para 50 ppm a durabilidade desses combustíveis deve ter melhorado muito.

        • Domingos

          Raridade ver posto onde a Podium tenha clientela constante, mas se é seu caso, aí realmente torna-se uma boa “alternativa” – apesar do preço!

  • guilhermecvieira

    Marcos Zanetti, está bem óbvia a sua dificuldade de entendimento. Nesse caso e em outros.

  • Fernando

    Coincidentemente vejo nos postos de mercado os valores mais baixos de combustíveis. Nada a suspeitar, até muita gente que conheço começar a ter problemas.

  • motstand01

    E o pior é que, embora todos protestem contra a dilma e poupem o resto dos ladrões, não vejo uma figura sequer que seja capaz de “salvar a pátria”. Só ver a quantidade de barbaridades que foram aprovadas na câmara nos últimos dias. Isso pra não citar esferas municipal e estadual, que também não trazem esperança nenhuma em lugar algum. Fala-se muito disso há anos, mas o brasileiro nunca votou tão mal como em 2014…

    • Domingos

      Nunca vi alguém “de direita” defender corrupção. Existe um movimento fortíssimo contra o PSDB, por exemplo, seja pela omissão seja pelos envolvimentos.

  • Douglas

    A Podium tem um cheiro bem agradável, ele é mais fraco e doce.
    Será esse o cheiro da gasolina europeia?

  • Mineirim

    A Racing tem rendido melhor do que a Podium. Usando qualquer uma das duas, sinto que o carro anda quase como se estivesse com álcool, com respostas mais rápidas.
    Mas a quilometragem por litro da Podium nem sempre me satisfazia. Com a Racing tenho conseguido médias melhores na cidade. Inclusive a marcha lenta acusa menor consumo no computador de bordo.

    • André Castan

      Obrigado pela resposta Mineirim. Vou fazer um teste com a Racing.

  • CCN-1410

    Eu acho que com o Collor foi diferente porque a grande maioria das pessoas se revoltou contra ele. Mas no caso atual sabemos que o PT é forte e não creio que deixem passar o impeachment em brancas nuvens. Os petistas são fortes e perigosos.
    Veja a coragem dessa mulher: https://www.youtube.com/watch?v=8zMFDfneD_Q

    • Mr. Car

      Com o Collor foi diferente pois ele era de direita, não tinha um projeto de perpetuação no poder apoiado por setores ditos “progressistas” e organizações criminosas como o MST e afins, e a própria direita reconheceu e aceitou como justo o pé que ele tomou, sem criar caso. Já com a Dilma e o PT, a situação é outra. Esquerdistas se acham acima do bem e do mal, e não admitem ser alijados do poder, por mais justas e evidentes que sejam as razões para isto. E já que falou no caso Celso Daniel…isto daria uma belíssima “Comissão da Verdade”.

  • Daniel Pessoa

    Thiago, meu carro é flex, mesmo assim o consumo piorou uns 6% desde o aumento do álcool pra 27%.

  • Daniel Pessoa

    Onde moro, um desses postos de supermercado é conhecido por não ser confiável.

  • Milton Evaristo

    Foi bom você falar da qualidade de nossa gasolina. Desde 1 de janeiro de 2014 nossa gasolina comum virou Podium, exceto pela aditivação (que a comum também pode ter) e pela insignificante diferença de 20 ppm de enxofre (antes eram 800 contra 30) e 2% de álcool. Nem para tanquinho de partida a frio a Podium ou qualquer outra premium é necessário. Pior que tem muita gente do ramo que ainda bate no peito e diz que só usa Podium…

    • Cadu

      As gasolinas são diferentes
      A podium tem mais octanas, menos álcool e sempre leva aditivos.

  • Rodolfo Feijó

    É muito claro que a gasolina aditivada só traz benefícios ao motor. Ela limpa todo o sistema de alimentação e até as válvulas e a câmara de combustão. Não entendo qual é a dificuldade de se obrigar o seu uso.
    Eu uso a gasolina aditivada desde 2010, e com isso o meu carburador demora muito mais para ter que ir limpar e regular. Já fazem mais de 10.000 km que não mando limpar e regular o carburador.

  • Domingos

    Ainda existe a diferença de octanagem e formulação. A Podium ainda é uma gasolina vastamente superior, mas de fato a comum ficou – deveria ficar, na verdade – muito melhor.

  • Domingos

    Exatamente. Perfeito.

  • Grim

    Já fiz uma denúncia de um posto que vendia claramente gasolina adulterada, e? Ou a fiscalização nem sequer foi, ou alguém foi embora com a mão molhada.

  • Ezequiel Favero Pires

    Não me recordo da útima vez que vi fiscais em algum posto fazendo testes…

  • CorsarioViajante

    É o sucateamento na prática. O Estado vai se tornando um fim em si mesmo.