Como o passado refletiu no futuro de meus amigos Fuscamaníacos

 

Todos os anos, na semana que antecede o Dia das Crianças, a tradição de alterar as fotos do perfil do Facebook por fotos dos tempos de infância traz uma nostalgia muito bacana a esta rede social e em especial ao meu círculo de amigos por lá. Passando de amigo em amigo, fui encontrando um material precioso que remete à convivência de muitos destes amigos com veículos Volkswagen arrefecidos a ar.

Sejam veículos em si, sejam brinquedos, há uma ligação direta entre os respectivos passados e o presente que também está ligado a estes carros, não só por nostalgia, mas também pelo amor refletindo no hobby atual de muitos deles. Lembrança dos tempos quando Fuscas e Kombis, bem como seus descendentes diretos, dominavam as ruas e estavam presentes em milhares de casas. Eram os “Anos Dourados do Fusca no Brasil” que agora voltam à evidência nas fotos feitas anos atrás.

Como muitas das fotos são antigas, algumas delas não estão com qualidade atual. O mesmo se aplica ao tamanho de outras, mas o que vale neste caso é resgatar os momentos e o que cada uma delas pode trazer de lembranças para todos nós. As informações que recebi para algumas das fotos as acompanham nesta matéria.

Com isso surgiu uma ótima oportunidade de fazer um levantamento de exemplos destas fotos históricas e carregadas de significado e emoção. Feita a solicitação para o uso das fotos, vieram dados delas e alguns relatos. É um material muito rico e certamente muitos de nossos leitores irão se identificar com esta ou aquela foto. Isto contagiou até o Fernando Barenco que, ao ver a foto do Fusca a pedal do Luiz  Kessler, lembrou que teve um igualzinho, até da mesma cor! Pronto, lá veio uma enxurrada de emoções, lembranças e sentimentos de um período lindo de sua vida.

E você, leitor, tem uma foto parecida? Poste aqui nos comentários para que possamos aumentar a coleção de “Fuscamaníacos Mirins” do passado!

 

O Fernando Barenco, do Portal MAXICAR, com seu Fusquinha amarelo em 1969 quando tinha cinco anos de idade

 

Com alegria eu reporto que, também neste trabalho, contei com a ajuda do Alexsander Schuquel, que garimpou material de seu círculo de amizades lá do Rio Grande do Sul e obteve a correspondente liberação para a sua publicação aqui. Os exemplos apresentados não seguem uma ordem específica, seja alfabética ou cronológica, serão apresentados de uma maneira aleatória, assim como apareceriam no dia-a-dia do Facebook.Vamos começar com uma amiga de muitos anos e Fuscamaníaca desde bebezinho. Trata-se da Nélia de Paula de Recife, PE, hoje a caminho de ser mãe pela terceira vez. Na foto tirada em Olinda, no Carnaval de 1973, ela tinha somente seis meses.

 

A Nélia de Paula com seis meses numa cadeirinha que originalmente era usada presa ao banco do carro e na foto mostra um uso alternativo

 

O Luiz Kessler tem o Fusca por hobby que ele materializa através da coleção de milhares de fotos de grande qualidade que ele bate em eventos que visita no Brasil e em vários países do mundo; aliás, estivemos juntos em Bad Camberg este ano.  Na foto abaixo era ele que estava “pilotando” o Fusca,  tinha cinco anos, morava em Jacarepaguá, Rio de Janeiro, RJ. Ele estava com a sua prima e seu irmão que são seus padrinhos. A casa era antiga e tinha sala de estar e sala de jantar ligados por um longo corredor que logo virou a sua Autobahn, na qual ele passava horas indo de uma sala para outra.

 

O Luiz Kessler e o seu “flamante” Fusca amarelo, numa pausa de suas voltas pelos corredores do casarão antigo

O Jason Vogel é um companheiro de longa data, vinha do Rio de Janeiro com seu Fusca para participar de eventos no Autódromo de Interlagos nos meus tempos de presidente do Fusca Clube do Brasil. Colaborou com material para o meu primeiro livro e está sempre presente quando necessário. Hoje em dia ele é um dos exemplos mais significativos de alguém que faz profissionalmente o que realmente gosta, pois ele é um dos mais importantes jornalistas do jornal O Globo para os setores indústria automobilística e economia!

 

Jason Vogel, com um ano, ao volante de uma Variant, foto tirada em 1971

 

Na sua foto, o destacado desenhista Dan Palatnik, criador de um verdadeiro museu cibernético com a incrível recriação digital de vários tipos de veículos — cuidadosamente modelados e renderizados, com ênfase nos automóveis, aparece segurando a sua Kombi de brinquedo. O Dan é, também, um grande conhecedor de automóveis e pesquisador na área e volta e meia ela passa links interessantíssimos de sites com informações sobre automóveis antigos. A foto foi tirada em 1966 ou 1967 na Fazenda da Prata em Teresópolis, RJ.

 

Dan Palatnik e sua Kombi

 

O Bruno Beleza, do Portal do Fusca, um grupo muito ativo que reúne amantes do Fusca de Belo Horizonte, MG, escolheu para ser sua foto de perfil uma tirada em 1982, quando ele tinha cinco anos. Ela mostra como ele se divertia a bordo de um Fusca num carrossel do tradicional Parque Guanabara, em Belo Horizonte.

 

O Bruno Beleza curtindo o Fusca de um carrossel de parque de diversões em 1982, mostrando uma condução à inglesa

 

A foto que o Gilson Costa colocou no Facebook apresenta uma interessante curiosidade: ela foi tirada na frente de um Fusca que tinha três faróis, o terceiro instalado no centro do capô dianteiro. A foto foi tirada em 1967 durante umas férias em Campos do Jordão, SP.

 

Na foto do Gilson Costa, uma curiosidade: o Fusca tem três faróis, um adicional foi adaptado ao capô dianteiro

 

O Luciano Zamoski, de Castro, PR, não deixou por menos, colocou duas fotos na sua página. Na da esquerda ele está a bordo de um Fusca a pedal que recebeu de presente de sua madrinha Elenita Zamoski em 1985, quando tinha três anos. Na foto da direita ele mostra que gosta de Fusca desde pequeno. Nela ele está junto ao Fusca 1977 de sua mãe; ele tinha a mesma idade e a foto foi feita em sua casa também.

 

 

Hoje o amigo Roberto Hypólito Caldeira Braga mora em Guarapuava, PR, e é um ativo antigomobilista, com ênfase nos Fuscas e derivados. Mas a foto que ele postou no Facebook foi tirada em 1981 em São Paulo, onde ele morava. Ele tinha quatro anos de idade. A Brasília ano 1979 era do pai dele, que trabalhava na Hoechst do Brasil (hoje Aventis) e por seu cargo de gerência (gerente de Auditoria) ele tinha direito a um carro da empresa. A foto foi tirada logo que eles mudaram para Santo Amaro, Zona Sul de São Paulo. O pai do Roberto tinha acabado de comprar a casa, que ainda pertence à família.

 

O Roberto Hypólito Caldeira Braga com a Brasília de trabalho de seu pai em São Paulo, SP, em 1981

 

O Humberto Horta  é um grande amigo. Hoje mora em Manaus, AM, e é presidente do Clube do Fusca da Amazônia. Na foto que ele colocou no Facebook ele tinha entre dois e três anos e foi tirada em Barra de São João, no município de Casimiro de Abreu, RJ. Lá era a casa onde a avó dele morava e onde a família se reunia nos fins de semana. Ele estava ao lado de um dos Fuscas que o pai dele teve. Ele conta que foram muitas viagens a bordo dos Fuscas do pai. Quando mais velho, ele e seu primo brincavam no Fusca fingindo que estavam dirigindo. Incorporaram taxistas, policiais, pilotos… E os Fuscas, mesmo parados, ganhavam vida em suas imaginações.

 

O Humberto Horta perto do Fusca de seu pai

 

Na foto do João Ferraz ele está no centro, seu irmão Celso, sem camisa, está à esquerda e do lado direito está a sua irmã Maiaty. Esta foto foi tirada na Praia do Suarão, no Município de Itanhaém, SP, por volta de 1968. O Fusca era um 1959 do seu pai. O João tinha sete anos, seu irmão quatro e a, irmã seis. O Fusca nunca teve as “bananinhas”, pois já estava equipado com lanternas traseiras maiores do 1300 e pisca-pisca nos pára-lamas dianteiros. Obviamente, isto foi adaptado, tanto que a chave de seta era meio tosca e ainda não tinha retorno automático. O carro tinha rádio AM/OC valvulado. Este carro ficou na família até o fim dos anos 70 e acabou sendo vendido, pois tinha acumulado muita ferrugem. Como o pai dele já havia comprado um Corcel 73 zero-quilômetro, o dinheiro obtido com a venda do Fusca foi empregado na compra de um Fusca 1300 vermelho ano 74, que está com o João até hoje.

 

O João Ferraz com seus irmãos na Praia de Suarão por volta de 1968

 

Em 1981, quando esta foto foi tirada, o Marcos Tucillo tinha entre seis e sete anos. O Fusca azul era ano 1974 e a foto foi tirado no posto de gasolina A Gruta, da rodovia Presidente Dutra, e eles estavam a caminho de Aparecida do Norte.

 

O Marcos Tucillo num posto de gasolina da rodovia Presidente Dutra, a caminho de Aparecida do Norte, em 1981

 

O Fábio de Cillo Pagoto, que já teve uma revista, a Collectors Magazine, é autor de vários livros e reconhecido palestrante e consultor — especialista em automóveis de qualquer idade. Nós nos conhecemos há muitos anos e ele postou uma foto com seu Fusca a pedal e depois enviou outra para completar a visão de seu primeiro carro.

 

A foto que segue é de 1979 e o Leandro Moura tinha três anos. O Fusca ano 1976 é do pai dele. A foto foi tirada na garagem da casa dele no Tatuapé, em São Paulo, SP. Hoje ele mora em Sorocaba, SP. Segundo o pai, ele se preparava para lavar o carro e neste momento o tio do Leandro tinha acabado de chegar com uma máquina fotográfica. Como o Leandro já estava dentro do Fusca ele tirou esta foto. Uma coisa que o Leandro lembra muito bem era quando o pai terminava a limpeza do Fusca ele borrifava desodorante Pinho Campos do Jordão dentro do Fusca e eles iam dar umas voltas no quarteirão.

 

Ai o registro do Leandro Moura no Fusca de seu pai em 1979

 

Nesta foto está o Fabiano Reis, que na época tinha cinco anos, era o início dos anos 80 e ele estava na casa em que morava no bairro da Pompeia, em São Paulo, SP. Ele gostava de brincar com seu Fusca.

 

O Fabiano Reis mostrando o seu brinquedo preferido

 

Aí está o Matheus Lobo, pilotando o seu Fusca a pedal. A foto foi tirada em 1998, em Florianópolis, SC, quando ele tinha um ano de idade.

 

O Mateus Lobo não largava o seu Fusca de pedal

 

Outro que gostava de brincar com seu Fusca é o Neto Spina, que postou uma foto que foi tirada do monitor de televisão onde passava um vídeo em VHS que o pai dele tinha filmado no Natal de 1985. Naquela época o Neto tinha dois anos de idade.

 

O Neto Spina também gostava de brincar com seu Fusca

 

Para os amantes da “Velha Senhora” temos a foto que o Gabriel Mueller, de Buenos Aires, Argentina, usa como avatar. Trata-se de seu filho Tomas, que na época da foto tinha dois anos e estava “pilotando” a Kombi que o Gabriel definiu com sendo uno Microbus Standard de Noviembre del 62 que tinha entrado em processo de restauração recentemente. A foto foi tirada há seis anos.

 

O Tomas, filho do Gabriel Mueller, então com dois anos brincando de pilotar o “Microbus Standard” ano 1962

 

Chegou a vez do meu amigo e parceiro de pesquisas Alexsander Schuquel. Na foto que ele usou ele tinha dois anos de idade, tirada em 1989. Tratava-se de um Fusca 1300 L, que pertencia ao pai dele.

 

Com dois anos de idade o Alexsander Schuquel já convivia com Fuscas

 

Seguem fotos de amigos do Alexsander que complementam esta matéria, que certamente é uma interessante amostragem sobre o assunto e que mostra a influência que os carros VW arrefecidos a ar tiveram por muitos anos nas famílias de muitos brasileiros.

 

 

Pai, filho e um VW TL, uma interessante curiosidade. À esquerda o Vicenzo Campana, ainda menino, em São Paulo, SP, numa foto de 1997 em frente a um TL personalizado de fábrica da década de 70.  E à direita a foto do pai do Vicenzo,  o Giovani Campana, numa foto tirada em 1980 em frente do mesmo TL em São Paulo também. Uma tradição que foi de pai para filho.

 

É isso, boas recordações dos amigos, vê-los crianças e tomando contato com o Fusca e até com a Kombi. Agradeço a todos pela liberação das fotos e pelas informações prestadas e, em especial, ao Alexsander Schuqel pelo material enviado.

Desejo  um Feliz Dia das Crianças para todos que, hoje adultos, participaram desta matéria,  bem como para seus filhos e todas as crianças que venham a ler este artigo e, quem sabe, se inspirem e se tornem Fuscamaníacos do futuro.

AGr

 

Nota do Autor: este material foi originalmente publicado na minha coluna “Volkswagen World”, do Portal Maxicar (www.maxicar.com.br), e esta publicação ocorre de comum acordo com o meu amigo Fernando Barenco, gestor do MAXICAR, companheiro de muitos anos de trabalho em prol da preservação dos veículos VW históricos e de sua interessante história. O conteúdo foi revisado, ampliado e atualizado. O seu conteúdo é de interesse histórico e representa uma pesquisa bastante aprofundada do assunto. Pesquisas complementares na internet. Ilustrações: pesquisa na Internet.
A coluna “Falando de Fusca” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.

 

(259 visualizações, 1 hoje)


Sobre o Autor

Alexander Gromow
Coluna: Falando de Fusca & Afins

Alemão, engenheiro eletricista. Ex-presidente do Fusca Clube do Brasil. Autor dos livros "Eu amo Fusca" e "Eu amo Fusca II". É autor de artigos sobre o assunto publicados em boletins de clubes e na imprensa nacional e internacional. Além da coluna Falando de Fusca & Afins no AE também tem a coluna “Volkswagen World” no Portal Maxicar. Mantém o site Arte & Fusca. É ativista na preservação de veículos históricos, em particular do VW Fusca, de sua história e das histórias em torno destes carros. Foi eleito “Antigomobilista do Ano de 2012” no concurso realizado pelo VI ABC Old Cars.

Publicações Relacionadas