Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas EDITORIAL: INFECÇÃO – Autoentusiastas


Ontem o Ae recebeu uma informação à imprensa (press release) que nos deixou perplexos. Foi distribuído pela Printer Press Comunicação Corporativa, a assessoria de imprensa da Tenneco, uma das maiores fabricantes e fornecedoras de sistemas de controle de emissões, de amortecedores e de componentes para suspensão do mundo, com sede em Lake Forest, no estado do Illinois, nos EUA, com filial no Brasil.

Por que a perplexidade do AUTOentusiastas? Leia a transcrição da peça de informação da Tenneco:

“Padronização da velocidade em São Paulo ajuda a preservar o carro

Novo limite padronizado em 50 km/h diminui o impacto da suspensão e aumenta a vida útil do carro

A redução da velocidade em algumas das principais vias da cidade de São Paulo tem dividido opiniões em relação às vantagens e desvantagens de trafegar em até 50 km/h. Criada com o objetivo de prevenir novos casos de acidentes com vítimas fatais, o fato é que a exigência ajuda a preservar o bom estado do veículo, aumentando sua vida útil. Segundo informações da fabricante mundial de amortecedores, Monroe, o novo limite diminui o trabalho da suspensão.

O coordenador de Treinamento Técnico da empresa, Juliano Caretta, explica que a regra atual provoca a diminuição da intensidade de absorção dos choques e vibrações. “O impacto de passar em um buraco ou lombada a 50 km/h é menor do que a 70km/h, o que prolonga a durabilidade da suspensão”, informa Caretta. “Em baixa velocidade também haverá uma parada mais curta e um trabalho um pouco mais suave dos componentes do freio”.

De acordo com o especialista, a redução da velocidade também promove a diminuição do consumo de combustível. Porém, é importante salientar que congestionamentos, a pressão dos pneus, a rotação do motor, as constantes trocas de marcha, o uso do ar condicionado e, até mesmo, rodar com as janelas abertas diminuem essa economia.

Outras ações como revisar o veículo periodicamente, seguindo as instruções da fabricante, abastecer com combustível de qualidade e instalar peças com o selo do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), também ajudam na conservação do veículo e segurança do motorista e passageiros.”

 

Como fica patente, a irracionalidade, o abuso de poder e o desrespeito à população automobilista de São Paulo por parte do prefeito de São Paulo, o petista Fernando Haddad, e do secretário municipal de Transportes e chefe da CET, o também petista Jilmar Tatto,  conseguiram infectar a mente da administração superior da Tenneco, o que o Ae considera lamentável.

Como também lamenta uma empresa desse porte e importância no cenário automobilístico mundial se prestar ao papel ridículo  de endossar a condenável medida do prefeito e do secretário municipal de Transportes e presidente de CET, que vai de encontro aos legítimos interesses dos proprietários e motoristas de veículos automotores, ou seja, da população brasileira em geral e da paulistana, em particular, para aproveitar o fato e dar mensagem publicitária travestida de “conselhos”.

Bob Sharp
Editor-chefe
AUTOentusiastas

 

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

  • F A

    Fim dos tempos

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Desculpe, mas onde estão as razões objetivas para contrapor e criticar uma entidade que segundo o próprio blog é referência mundial em sistemas de controle?

    • Davi Reis

      Referência em sistemas de controle, mas se nota que não em controle de tráfego. Do mesmo jeito que pessoas gabaritadas podem soltar uma bobagem sobre um assunto que não dominam, o mesmo pode ocorrer com grandes corporações, quando se aventuram em territórios completamente fora de seu domínio.

    • Domingos

      Mostrar a incongruência entre o que ela fala e o que ela vende e ainda o uso de um esquema nefasto como forma de atrair publicidade.

      Essa é a razão.

    • Newton ( ArkAngel )

      Talvez estejam dentro da própria empresa, so que não no departamento de RP…que tal consultar os engenheiros?

  • m.n.a.

    …então preservaria mais ainda se não existissem buracos….nem lombadas !

    • Christian Bernert

      Lembrei agora de uma famosa frase de para-choques de caminhão: “Velocidade Limitada Pelos Buracos da Prefeitura”

  • Christian Bernert

    “Passar em um buraco ou uma lombada a 50 km/h”. Rolando de rir.
    Que palhaçada sem limites. Eles deveriam ter vergonha de se expor a tamanho ridículo. A Dilma também ajudou a redigir o comunicado?

    • Domingos

      Imagina o nível das redações do Enem de uma geração que tem a Dilma como “referência”…

      A idéia é baixar o nível mesmo.

  • RMC

    Bob
    Incrível mesmo!
    Quando as pessoas vêm com argumentos tipo “a velocidade mata” costumo rebater com uma observação: “Concordo! Aliás, carro parado não mata, não provoca acidentes e não polui o ambiente. Basta utilizarmos o teletransporte estilo Jornada nas Estrelas, que está disponível para todos a custo zero…”
    Não sei como, mas temos que fazer uma campanha em prol das pessoas que precisam se deslocar por necessidades diversas (trabalho, saúde, lazer) e não querem/não podem utilizar o transporte público (aliás, de excelente qualidade, pelo menos aqui em Brasília…). Temos que conseguir barrar estas medidas estilo hipócrita/populista/obaoba desse povo que não tem o que fazer e ocupa o tempo buscando meios de dificultar a vida dos outros. Quem trabalha mais de 8 horas por dia não vai, se puder, se expremer num transporte público sujo, conduzido por pessoas despreparadas, após uma espera inaceitável. Será que os “especialistas em trânsito”, que têm proliferado de maneira assustadora, se sujeitam a utilizar o transporte público? Apontar restrição para os outros cidadãos é fácil, quando você está a bordo de um carro confortável, conduzido por um motorista particular, lendo calmamente as notícias do dia.
    Paro por aqui, para tomar um remédio para o fígado…
    RMC

  • Lemming®

    Essa bateu recorde de imbecilidade. Como uma empresa pode ser maria vai com o governo dessa maneira??!!
    Alguém sabe a lista de produtos fornecidos por esta empresa??
    Procurarei fazer o boicote! destes produtos!
    Quer dizer então que se cair no buraco a 20 km/h o dano será menor e proporcionalmente se o dono do veículo pegar uma corda e puxar o mesmo não haverá dano nem gasto de combustível não é??

  • Mingo

    A pavimentação das ruas e avenidas de São Paulo e cidades vizinhas está tão horrorosa, um verdadeiro lixo, repleta de buracos, valetas, desníveis, costelas de vaca e lombadas, que mesmo nessa velocidade de tartaruga, às vezes dá dó do carro, de tanto trabalho que a suspensão e freios tem que fazer para que o pobre veículo não se desintegre em movimento…

  • Luciano Ferreira Lima

    Quando ia carregar amortecedores Monroe nessa empresa e levar para Camaçari BA a uns 12 anos atrás se não me engano em Jundiaí fui sempre muito bem tratado, cordialidade era a palavra chave desde o faxineiro até a hierarquia mais alta, chá de erva doce a vontade e até minha esposa podia entrar na empresa desde que respeitasse a política e não saísse da cabine do cavalo. Boas lembranças… Pena que ela tenha adotado essa política nefasta em relação a essa infecção que pelo jeito está generalizando.

  • AlexandreZamariolli

    Por que cargas d’água alguém que ganha dinheiro fabricando e vendendo amortecedores defenderia uma medida que faz os amortecedores durarem mais?

    Ao enfatizar que a redução de velocidade “tem dividido opiniões” e “foi criada para prevenir novos acidentes com vítimas fatais”, a empresa não deixa dúvidas: o texto foi encomendado pela máquina de propaganda petralha, a serviço da prefeitura idem.

    Esse Caretta deveria tratar de coisas sérias com um pouco mais de Tatto.

    • Domingos

      É só para criar polêmica e chamar mais atenção a essa peça de marketing – não passa disso esse negócio, tal como as atitudes da prefeitura na verdade.

      Se você colocar uma polêmica, dá mais atenção e ainda parece que a empresa “defende vidas”.

      Falta homem no ocidente.

  • Alessandro Peres

    Absurdo…em breve estaremos todos andando de bicicleta, ao menos a velocidade está quase compatível!

    • Fabrizio Paes

      Já tem um vídeo na net de um cara sendo passado por uma bike na Marginal Tietê, estando a 50 km/h. É lindo de ver.

    • CCN-1410

      É o que eles querem, só que quando ninguém mais comprar carros, eles fingirão não saber o porquê.

  • Daniel S. de Araujo

    Desculpe-me Bob, isso dai não é infecção e sim falta de vergonha e do mínimo de noção de quem escreveu tamanhas barbaridades.

    Ninguém passa a uma lombada a 70 km/h. Muito menos a 50! Então arguir que os “danos serão menores” por si só já mostra que quem escreveu ou não tem noção ou escreveu de má fé mesmo. Andar a 70 km/h é algo que somente era possível nas marginais em São Paulo e em algumas avenidas, todas de trânsito rápido (e sem lombadas!), dessa maneira, como o texto está escrito no press, parece que São Paulo é a extensão de Interlagos!

    Endossar as barbaridades do trânsito impostas pelo Haddad por si só já demonstra incapacidade de discernir o certo do errado, o certo do duvidoso.

  • Acyr Junior

    Bob, avise que se deixar o carro na garagem os benefícios serão ainda maiores. Em todos os sentidos !!! Emissão de poluentes, congestionamentos, consumo de combustível, gasto de pneus e uma série de benefícios. É de chorar …

    • guest

      Aí ninguém vai trocar amortecedores e o sujeito vai perder o emprego… mas o prefeito-pincel não lhe dará um cargo, tenha certeza.

  • Lemming®

    Mandei e.mail para a Tenneco USA. Vamos ver se tem resposta.
    Que esculhambação…

  • Carlos Miguez – BH

    Ano que vem tem eleições, fim de papo !!!

  • Fernando Bento Chaves Santana
    Essa foi a piada do dia. Parabéns!

    • Fernando Bento Chaves Santana

      Foi uma pergunta honesta.

      • Paulo Roberto de Miguel

        Então eu vou tentar responder, se me permitir: veja os casos em que ele aponta que a redução é benéfica, passar em lombadas, frear repentinamente. Passar em lombadas rápido e frear repentinamente parecem atitudes de quem dirige bem? Então o que preserva o carro é a boa condução e não velocidade inexplicavelmente baixa. Não lhe parece uma ação de relações públicas disfarçada, ou você acha que isso não acontece?

    • Acyr Junior

      Não sei não Bob, mas acho que ele é daqueles que acredita que a nossa “chefa” estoca vento …

  • Avatar

    Cada vez que leio uma notícia dessas fico mais desanimado com o mundo em que vivemos. Essa lógica simples aplicada a esse tema é de dar vergonha. Oras, que tal reduzirmos a velocidade para 40 km/h, pois o impacto nesta velocidade é menor do que a 50 km/h… Melhor ainda: 30 km/h, pois certamente o impacto será menor do que a 40 km/h… Pensando bem, melhor não usarmos veículos automotores, assim ninguém se machuca e a Tenneco não precisa ficar produzindo auto-peças…
    Mas aí o governo e prefeitura de SP terão que criar um “IPVA” para as bicicletas e emplacá-las, pois terá matado sua grande fonte de receitas.

  • francisco greche junior

    Que eles ganham com isso? Adeptos a marca, adeptos imbecis ou quê?

    • Domingos

      Ambos. O consumidor hoje é imbecil mesmo, a população ocidental virou burra. É o tipo de gente que lê essa matéria e ainda passa a “respeitar essa empresa” mesmo com a clara falsidade de tudo isso aí e o mero jogo de marketing.

  • Uber

    Que nojo! Parei de ler no título deles.

  • Leister Carneiro

    Isto é assédio

  • Uber

    Chá de erva doce?! Já começa por aí a explicação para a atitude submissa dessa empresa…

  • Roberto Alvarenga

    Que loucura. Por essa lógica, um carro que só rode nas Marginais esburacadas e sucateadas, a 50 km/h, sofre menos desgaste do que um carro que só rode nas Rodovias dos Bandeirantes ou dos Imigrantes, a 110 km/h, com asfalto perfeito. Ou pior, que um carro que só rode numa Autobahn alemã, a 160 km/h. Parem o mundo que eu quero descer.

    • João Martini

      Laranjas com laranjas né, a comparação foi entre velocidades diferentes na mesma via. Mas eu concordo que essa redução foi patética e essa publicação desnecessária. Mas de fato eles não estão errados.

  • Fat Jack

    O mais preocupante é quanto mais “especialistas” se juntarem a este coro, maior a pressão futura que os motoristas sofrerão. Pior é que eu não tenho dúvidas de que essas medidas de redução de velocidade, ciclofaixas e interdições de avenidas aos domingos são “vias de mão única”, sem a menor possibilidade de serem revertidas mesmo pelo mais ferrenho opositor ao sistema petista.
    Por isso mesmo, quando não mais necessitar permanecer na capital devido ao fator profissional me mudarei, pois a situação para mim já está no status “inaceitável”.

  • Nora Gonzalez

    Como jornalista e relações públicas que já trabalhou em diversas empresas e em agências de comunicação sei muito bem o que é “cavar pauta”, isto é, buscar um ângulo diferente e tentar inserir na mídia notícias do cliente, pegando carona em assuntos do momento. Mas temos de manter nossa perspectiva e, principalmente, o senso do ridículo. Os leitores merecem respeito.

    • Domingos

      Pareceu isso aí mesmo. Além do senso do ridículo, falta o senso de vender a alma também.

    • Lorenzo Frigerio

      Minha mãe era amiga de um fotógrafo do Diário Popular. Ele uma vez fez uma “pauta fantasma” para encher a primeira página do jornal. Minha mãe aparecia baixando gasolina do tanque do Fuscão dela, para “estocar” em casa, para não faltar no fim de semana. O mais incrível é que a cantora Maysa morreu naquele dia, e a reportagem fajuta com minha mãe saiu muito maior na primeira página.

    • CCN-1410

      Apesar de nunca ter atuado na área, sou formado em RP e sei perfeitamente o que dizes.

  • Diogo

    Não usar o carro preserva mais ainda os amortecedores. E aí a empresa que publicou o press release não vende mais nada e fecha. A lavagem cerebral pegou forte essa molecada dos departamentos de marketing, estão produzindo informes publicitários que depõem contra o próprio negócio dos seus clientes apenas para não perderem a onda “progressista”. Ao quererem aderir a esse novo processo de demonização do automóvel se esquecem que o cliente precisa vender para pagar os seus salários. Mais espantoso ainda é que a empresa tenha aprovado a divulgação dessa pérola.

    • Domingos

      É exatamente isso. E é exatamente esse o estratagema para destruir o ocidente: confundir tanto as coisas que uma hora pais entregam filhos às drogas e empresas se sentem culpadas pelo mero ato de vender produtos.

      Eu demitia na hora a equipe de marketing e ainda estaria arriscado quem aprovou isso aí. Mesma coisa faria com os responsáveis pela infame propaganda “Meu primeiro 4G” da Vivo, que basicamente incentiva pedofilia usando a figura da própria MÃE da menina como agente apoiador/incentivador e aprovador.

  • Maycon Correia

    Estamos sustentando cavalos a milho

  • contratudoisto

    Isto é tudo culpa nossa! Nós os elegemos e os colocamos lá. Nós pagamos o salário de cada patife deste para nos ferrar. Nós, seus chefes, aceitamos a inversão de valores e em vez de mandarmos neles, eles mandam em nós. O dia que nas empresas os empregados mandarem nos patrões, os filhos mandarem nos pais, o capim comer o boi, o rabo balançar o cachorro, igual acontece com os funcionários públicos e políticos, o mundo acaba. E antes que eles acabem com a gente precisamos acabar com eles. E Bob: concordo com tudo que vc falou MENOS com este ranço seu contra o PT. Não sou PT. Abra os olhos porque são todos eles, inclusive o PT. E se tivermos a infelicidade de cairmos nas mãos de um Aécio Neves nós vamos ter que abandonar o barco ( quem puder….).

  • fred

    Ok, mas sem partidarismo político influenciando a discussão: um veículo a uma velocidade maior, quando passa por buracos ou desníveis força mais o amortecedor? E do mesmo modo, uma redução de velocidade pode ser favorável à durabilidade dos amortecedores?

    • Rafael

      Claro que andar mais devagar desgasta menos. Mas daí a obrigar todo mundo a andar devagar é um absurdo. O limite deveria ser realista, 80 ou 90 km/h, e quem quisesse andar devagar e desgastar menos a suspensão que fique à vontade, mas não me proíbam de andar numa velocidade decente.

      • Fred

        Rafael, mas em que parte do meu comentário eu apoiei a redução de velocidade?
        A meu ver o texto é uma nota técnica, emitida por uma empresa tradicional, afirmando um benefício da baixa velocidade. Ir além disso – afirmar que eles são petistas ou estão recebendo grana de governo, por exemplo – é, como minha vó lá no interior dizia, “procurar chifre na cabeça de cavalo”…

        • RoadV8Runner

          O problema é esse press release apresentar que a redução de velocidade gera maior vida útil nos componentes de suspensão e freios. Isso é óbvio, uma simples “conta de padeiro” comprova isso. Porém, se as ruas fossem perfeitamente conservadas, como deveriam ser, esse comunicado seria ainda mais inútil do que foi. Não é procurar chifre em cabeça de cavalo, não, é pegar a onda de uma estupidez para se autopromover.

        • Domingos

          Porque a confusão entre a intenção e as palavras, e os fatos usados de maneira enviesada de forma a “justificarem” uma falsidade, são o próprio petismo e uma repetição quase que palavra por palavra – intenção por intenção – da dialética da prefeitura.

    • Paulo Roberto de Miguel

      A escolha de passar pelo buraco rápido é sua, daí nada tem a ver com limites de velocidade. “Ah, mas as vias são esburacadas”. Então esse é outro problema que o desgoverno nos traz e não faz sentido dois erros constituírem um acerto.

    • Lemming®

      Tipo assim…o buraco veio de onde? Má conservação das vias não existe?
      É OBRIGAÇÃO do poder público fazer com que as vias estejam em impecável estado de conservação e conseqüentemente a falácia do buraco ou desníveis vai pelo…ralo…

    • jr

      Sua pergunta está errada… a questão é que a presença de buracos desgasta muito mais a suspensão etc do que não ter buracos!
      A rua NÃO DEVERIA ter buracos, desníveis, etc.

  • Christian Bernert

    Produtos Monroe caindo no meu conceito…

  • Carlos A.

    Que declaração estranha principalmente pela origem. Acabei de abrir o site dos amortecedores MONROE (www.monroe.com.br) para quem quiser verificar, existe um material publicitário (entrem em ‘campanhas’ no site da empresa) que é exatamente o mesmo publicado em revistas como a QuatroRodas. No material, a empresa afirma: ” Quando os amortecedores chegam aos 40.000km já completaram mais de 104 milhões de movimentos. Esta é a hora de checar se eles ainda estão em condições de garantir seu conforto e segurança.”
    Observem que no próprio material publicitário da empresa, não existe qualquer relação entre a velocidade com que foram rodados esses 40.000km. Se essa informação passada nesse comunicado a imprensa, e publicado aqui no Ae não for a piada do ano, no mínimo a publicidade seria enganosa.

    • Paulo Roberto de Miguel

      Fora que esses 40 mil também são balela. Veja as diferenças entre os sites brasileiro e norte-americano da empresa, como já foi discutido aqui no Ae.

    • GTO

      Mas rodar 40.000 km a 50 Km/h leva mais tempo do que a 60 km/h. Portanto a Tenneco está certa: seu veículo vai durar mais! (rs)

  • V_T_G

    Logico. A aceleração dos componentes é dada pelo tempo em que se transpõe o obstaculo.

  • Fabrizio Paes

    Diminuição do gasto de combustível? Como, se faz-se um anda-e-pára em primeira, segunda e terceira marchas, que, quanto mais curtas, mais aumentam o consumo de combustível? Isso só valeria em um híbrido, e olhe lá!

    Pior: o maldito projeto de diminuição de velocidade já está se expandindo para Sorocaba também! Como fazê-los voltar atrás desse atraso? Me sinto impotente como cidadão.

  • Mr. Car

    Como dizem por aí…mitou! He, he, he!

  • Lemming®

    Pegadinha do Malandro? Certo?

  • Fabio Toledo

    Alguma “facilidade” rolou com certeza! OOOOOoopa se rolou!

  • P500

    Interessante, nos EUA, as velocidades em rodovias, são muito maiores que aqui, e mesmo assim, as peças de suspensão, e o carro em geral, tem durabilidade infinitamente superior.
    Ahh, é claro, lá não tem buracos.
    Arrumar os buracos dá trabalho por aqui…

    • Davi Reis

      Imagine na Alemanha então, com as Autobahnen…

    • Mauro Schramm

      Não andei muito por rodovias por lá, mas pelo que sei os limites de velocidade são bem baixos nos EUA.

      • RoadV8Runner

        O limite típico de velocidade nas rodovias dos EUA é de 65 mph (105 km/h). Algumas estradas possuem limites de 55 mph (88 km/h), em especial em trechos com maior número de pessoas ou de mão-dupla, mas encontra-se alguns trechos de rodovias com limite de 75 mph (121 km/h). Portanto, velocidades comparáveis com as nossas. Na prática, é difícil ver alguém abaixo de 70 mph (113 km/h), só quando há viaturas da polícia por perto, e olha lá.

        • Domingos

          No Texas e acho que mais alguns estados, com a tolerância o limite ficava em 150 km/h aproximadamente.

          Existia um mapa disso, talvez até colocado aqui. Ou que eu achei num site sobre radares por lá, não lembro ao certo.

          Mas com a tolerância nenhum ficava abaixo das 70 milhas mesmo.

  • WSR

    Acho que este sujeito está subestimando quem entende de carro, só pode. E o pior, dá aval aos buracos de São Paulo. Quanto será que a Tenneco está levando nessa?

    Fico pensando na maneira como ele apresenta-se aos clientes:

    “Olá, meu nome é J. Caretta, mas podem me chamar de Idiotta.”

    Sinceramente, se eu pudesse, não voltaria mais para o Brasil. Estou absurdamente preocupado com o futuro do país, caso aumente o número de idiotas eleitos por idiotas. Será que existe freio para isso?

  • Mauro Luz

    É um show de horrores, cada dia parece que as pessoas ficam mais idiotas. Rolou alguma vantagem, com toda certeza.

  • Fórmula Finesse

    A imbecilidade caminha impávida por todos os setores…até parece mentira; mas basta cinco minutos futricando as redes sociais para percebermos que o pensamento humano está se deteriorando na imensa maioria dos usuários – era questão de tempo que organizações ditas ou consideradas como sólidas entrassem no gradual processamento de emburrecimento que assola a nação!

    • André K

      “A maior desgraça da democracia, é que ela traz à tona a força numérica dos idiotas, que são a maioria da humanidade.”

      “O grande acontecimento do século foi a ascensão espantosa e fulminante do idiota.”

      Nelson Rodrigues (ambas)

  • Paulo Roberto de Miguel

    Para mim é uma simples ação de relações públicas. Alguém da comunicação da prefeitura tem contatos nessa empresa.

    • Lorenzo Frigerio

      Eu diria mais… não são só contatos… acho que são CONTRATOS.

      • Domingos

        É bem possível.

  • Costa

    Não querendo gerar intriga, mas algumas partes do press release estão corretas sim no meu ponto de vista.
    Meus anos andando de bicicleta me comprovam facilmente que o impacto na suspensão passando em um buraco com velocidade alta é muito maior que em velocidade mais baixa, meus braços que o digam.
    Sobre o desgaste dos componentes do freio a mesma coisa, isso não tem como negar.
    Acho que a neura com a redução de velocidade nas vias de SP está chegando a um ponto já afeta até a noção dos fatos.
    É preciso tomar cuidado com isso pois qualquer coisa que se levanta de benefício está sendo criticada, mesmo ela sendo obvia.

    • Paulo Roberto de Miguel

      Quem escolhe a velocidade e desviar dos buracos? Se você passou no buraco rapidamente é provável que tenha sido falta de atenção ou falta de habilidade sua, somado à má conservação da via. Então é legítimo reduzir a velocidade absurdamente para nos poupar dos malefícios da má conservação ou da falta de habilidade/atenção? Um erro para consertar outro? O que o limite de velocidade tem a ver com isso? Assumir a responsabilidade da condução é uma das etapas para dirigir bem, não lhe parece? Nada de neura ou falta de noção dos fatos.

    • Newton ( ArkAngel )

      Eu preferiria que não houvessem buracos na cidade. Um amigo meu que mora nos EUA e trabalha em oficina me diz que amortecedores duram lá mais de 100.000 km.
      Quanto aos freios…ora, parece obvio que para manter velocidades mais baixas é necessário usar-se mais os freios.

  • André Stutz Soares

    Descobriram a roda! Vamos ensinar outra pra eles, então: parado o carro gasta ainda menos suspensão, pneus, e freios. Acho que é esta a intenção, dá-lhe lei da bandeira vermelha.

  • Vinicius

    Só se a velocidade padronizada nestes limites absurdos facilite a transposição das crateras das vias. Que asneira!

  • Davi Reis

    Ok então, já que é para entrar na brincadeira, é hora de abolirem o uso dos carros, certo? Afinal, carro que não anda, não deve estragar… Além disso, andar de janelas abertas pode aumentar o consumo, certo. Mas até 50 km/h?! A diferença só surge a partir dos 70~80km/h, não? Quanta bobagem, pelos céus.

  • Costa,
    Seu comentário mostra que você tem um longo caminho pela frente para entender o automóvel, a começar por dizer que esse redução de velocidade representa benefício, como se as velocidades de antes fossem excessivas. Leia mais o Ae que você acaba aprendendo, isto é, se quiser aprender.

  • Newton ( ArkAngel )

    Realmente, a velocidade de 0 km/h preserva integralmente o veiculo e evita 100% os atropelamentos…melhor do que consertar as ruas.

  • Viajante das orbitais

    A dúvida é : imbecilidade ou sem-vergonhice ($) ?

  • Jorge Diehl

    Podiam reduzir custos também de caixas de transmissão. Bastaria dotar os carros com somente duas marchas, ao invés de cinco. Pra que cinco marchas se não vai se passar da segunda?

    • Lorenzo Frigerio

      Pois é, vamos trazer as Power Glide de volta. Com turbo e curva plana de torque, dá pro gasto.

  • Andre Sousa

    Depois de ver isso, bem como várias reportagens com o título: “Ministério Público multa a prefeitura de SP por abrir a Av. Paulista para pedestres e ciclistas” (uma delas, com uma foto de uma mãe com um bebê de colo, escrito embaixo – “prefeitura foi multada por permitir isso”), eu me sinto sem esperanças de ver alguma reversão no atual quadro de histeria…

  • Roberto

    Querem ficar mais chocados? Hoje saiu em um jornal do Rio Grande do Sul que a redução do número de acidentes em 2015 se deve ao aumento do número de multas, principalmente aquelas relacionadas ao “excesso” de velocidade. Pior que tem muita gente (principalmente as tais “autoridade” e especialistas”) aplaudindo a medida e achando que é a principal solução para os problemas do nosso trânsito. Segue abaixo o link da notícia:

    http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/transito/noticia/2015/10/com-recorde-de-multas-numero-de-mortes-no-transito-do-rs-cai-12-8-em-2015-4887791.html

    • jr

      Assim como a melhora no trânsito (a suposta melhora). É a crise, povo está indo trabalhar andando, nem grana para o ônibus, quanto menos para andar de carro…

  • Costa,
    Tenho acompanhado testes de durabilidade durante vários anos de engenharia, trabalhando no Campo de Provas da Ford em Tatuí e posso lhe garantir o seguinte: as pistas especiais com buracos, valetas etc somente são efetivas com o veiculo a uma determinada velocidade estabelecida. Explicando melhor, alguns eventos,como paralelepípedos desencontrados por exemplo, em velocidades maiores do veículo os esforços médios ficam minimizados.
    É assim

    • Davi Reis

      Também já notei isso. Até o andar do carro se torna mais confortável dependendo do caso.

      • Davi, uma vez surpreendi o BS por conta disso.
        Íamos ver um pessoal e ele passou em casa com um Nissan Livina. Aí passamos por uma avenida esburacada e o BS chamou a minha atenção para a excelente calibração da suspensão do carro.
        Concordei porque tendo uma velha Ipanema com suspensão dura (preferência pessoal) sei como o carro pula ali.
        Mas mostrei para ele o viés disso.

        Como o carro tem boa calibração de suspensão, o motorista não sente a buraqueira e não poupa o carro. Quando se anda com um carro duro demais, se sente demais a buraqueira e o motorista respeita mais.
        Isso tem um efeito negativo sobre o dono de um Livina: a suspensão não aguenta o castigo e logo precisa de manutenção severa. Aí, o que diz o dono? Que o carro não presta e que a suspensão é muito delicada.

        Yin e Yang. O que pode ser muito bom de um jeito pode ser muito ruim de outro. No caso, o carro leva uma fama indevida por ser bom demais.

        • Davi Reis

          Exatamente. Não sei se é exatamente isso que acontece (a explicação técnica com certeza é mais correta), mas na minha cabeça, a suspensão assim é tão macia que trabalha mais pra absorver impactos e acaba durando menos, naturalmente. Tudo tem seu preço.

          • Domingos

            Mas aí haveria um ganho interessante de durabilidade na estrutura do carro, fora as peças de acabamento.

            Compensa muito mais do que poupar componentes facilmente substituíveis, que inclusive possuem opções de várias marcas na hora da troca – ao contrário de uma peça de acabamento fazendo barulho após ser fadigada.

            O que acho que acaba acontecendo é o motorista andar muito mais rápido sobre buracos e nem perceber, o que aí sim pode trazer danos maiores relevantes em menos tempo.

        • Newton ( ArkAngel )

          Exatamente, André. No caso específico da Livina, um problema recorrente é o desgaste prematuro das buchas do quadro de suspensão, que chega a roçar no monobloco, ocasionando um ruído bem alto. Já os amortecedores duram bastante. O problema é que a Nissan só vende o quadro completo com as buchas, ao custo de quase 2.000,00…

          • Caio Azevedo

            Meu sogro teve um Grand Livina e rodou uns 150.000 km. Os preços das peças eram bizarros.

    • V_T_G

      Meccia,
      você fala no viés estrutural e está absolutamente certo sobre isso. No entanto, para os componentes da suspensão, quanto maiores as velocidades maiores as solicitacões. O comunicado é torto mas tem fundamento em relação a isso.

      • Domingos

        Você deve ler a intenção do comentário. É óbvio que jogar seu carro numa vala a 100 km/h é pior que a 50.

        Mas não é isso que o texto almeja.

    • Fernando

      Eu percebi bastante isso quando viajava por estradas de terra. Às vezes via um carro de alguém que não costumava passar por lá e passava muito devagar pelos “tubos” que apareciam conforme escorria água do outro lado da rua, e não entendiam nada como eu os ultrapassava e o carro não estava pulando como o deles.

      Pior ainda quando alguém resolvia o chacoalhar diminuindo a velocidade, a suspensão entrava em ressonância e só parava de pular quando o cidadão parava o carro e saía de novo hehehe

  • pkorn

    Acho que deveriam tapar os buracos e retirar as lombadas, e não reduzir a velocidade das vias. Apples and oranges…

  • Ilbirs

    É preciso entender que o gramscismo inspirou sua condução da economia naquela do fascismo ou do nazismo: existem empresas privadas, mas elas são poucas e ficam altamente ligadas ao governo, por vezes conseguindo vantagens no adesismo. Provavelmente a Tenneco deve fornecer produtos para a manutenção dos veículos das repartições públicas e uma carta ao público como essa meio que soa como uma média com um grande comprador do setor público, no caso a prefeitura paulistana.

    • Domingos

      Aí entra a educação construtivista também, com seu espírito marqueteiro e sua falta completa de noção do que é verdade.

      Daí uma empresa de amortecedores querendo que você use menos seus produtos – falta de sentido, falta de verdade – e querendo ainda se apoiar “nas mais novas causas” – falta de verdade, propagandismo.

  • Roberto Neves

    Bob, uma pergunta do seu admirador aqui: a quantos processos judiciais você já responde, com sua atividade incansável de denunciar absurdos? O jornalista Ricardo Boechat, a quem também estimo e admiro, responde a vários. Um abraço!

    • Davi Reis

      Ricardo Boechat é um verdadeiro defensor da razão e bom senso no nosso país. Quando cursava direito (não tive sangue frio pra continuar) tinha um professora que esculhambava ele, por considerar que ele pouco entendia do que falava, que era “metido a penalista”. Isso me esquentava o sangue, não vejo problema no que ele faz. Cutucar a ferida sempre dói em alguns…

      • marcus lahoz

        Davi sabe que hoje acho o Boechat esquerda demais, não ouço mais o que ele tem a dizer sobre economia. Agora sobre a roubalheira eu concordo com ele, cadeia para todos. Mas na verdade ai concordo mais com o Sargento Faur, bandido bom é bandido morto e enterrado de pé para ocupar pouco espaço.

        • André K

          Também acho ele esquerda demais. Hoje em dia, os que considero esquerdistas, nem consigo mais ver/ler/ouvir.

        • Davi Reis

          Tempos difíceis que vivemos. Ouço mais os comentários dele sobre a roubalheira, sobre economia, ou não me lembro ou acabo deixando passar.

        • Roberto Neves

          Marcus, eu nunca concordo em tudo com ninguém, nem mesmo com Mohamdas Karamchand Gandhi, o Mahatma, um dos meus poucos ídolos. Nem mesmo com o Bob Sharp, sequer com Ricardo Boechat! Isso não me impede de admirá-los. Abraço!

        • Renato

          Em minha opinião, o Ricardo Boechat assumiu uma postura populista, que lhe garante um bom Ibope.

      • Marco

        É que o Boechat utiliza argumentos muitas vezes desprovidos de qualquer lógica jurídica. Ele gosta de “jogar para a galera”. Isso ele faz muito bem.

        Mas quando se mete a falar de direito, ele costuma dizer muita bobagem.

        Gosto dele no jornal televisivo, não na Band News. Prefiro ouvir o ranzinza do José Paulo de Andrade na Bandeirantes, que faz contagem regressiva para o Haddad deixar a prefeitura.

    • Roberto Neves
      Virgem!

    • guest

      Como é que você admira um sujeito que fez ISSO com um coitado de um Twingo???

  • Marco Antonio

    A Tenneco abre falência em menos de 6 meses…. será que não existe nesta empresa alguém que tenha QI suficiente para avaliar pronunciamentos da sua área de marketing e assessoria de imprensa?

  • joao

    Era uma vez um país que queria voltar a ser uma roça…

  • Marco Aurélio Strassen Murillo

    Carecem de fundamentos técnicos, absolutamente, impensável para uma organização desse porte.

  • joao

    Ou seja, a 50 km/h, quem passa em buracos e lombadas preserva o carro em relação a quem passa a 70 Km/h. Dessa forma, os buracos e lombadas são sagrados para nós, praticamente objeto de culto, tal como as vacas em outros países, e onde eles se instalam, ninguém pode fazer nada, somente prestar a reverência com a cabeça, batendo ela no teto do carro, ou se espatifando com a bicicleta no chão. Esse é o país de todos! Santa Pátria Educadora, bátima!

  • Diego

    Tendo em vista a “enxurrada” de escândalos envolvendo o PT e desvio de dinheiro público, não acharia estranho que a Tenneco tenha fechado um contrato milionário com a Prefeitura de São Paulo…

  • jr

    kkkk, o negócio é deixar o carro na garagem então. Bom, então para que ter carro? Bom, então para que serve a Tenneco? kkk.

  • Danilo Grespan

    É absurdo mesmo… mas pelo menos tem algo que considero uma evolução acontecendo:

    Governo ZERA imposto de carro a hidrogênio e elétrico, e taxa a ATÉ 7% veículos híbridos:
    http://g1.globo.com/carros/noticia/2015/10/governo-zera-imposto-de-importacao-para-carro-eletrico-e-hidrogenio.html

  • EJ

    Para mim o mais nocivo de press-releases como esses, são que artigos como esse vão para telejornais, propagandas institucionais da prefeitura, apresentações na câmara, e “legitimam” o que sabemos bem que não é correto, pelo naipe da instituição que o redigiu. Uma pena, lamentável… mais do mesmo que a cidade de São Paulo vem sofrendo em relação a “criminalização do automóvel”.

  • Carlos A.

    Paulo Roberto de Miguel, sim já foi discutido aqui que não dá pra definir uma quilometragem-limite para esse componente. Li relatos sobre isso e conheço que rodou muito mais que esses 40.000km, embora atualmente eles indiquem que deve-se fazer uma verificação e não troca com essa km. Antigamente acho que a Cofap afirmava que eles deveriam ser trocados com uma km determinada. Sem dúvida isso é mito!

    • Mr. Car

      Eram 30.000 km.

      • Carlos A.

        Mr. Car, obrigado por lembrar da km indicada na época pela Cofap.

      • Lorenzo Frigerio

        Na verdade eram 29000 km. Porque com 30 eles viravam pó.

  • marcus lahoz

    Bacana, então seguindo este raciocínio se todos trafegarem a 20 km/h não será mais necessária nenhuma conservação das vias. Realmente no Brasil o poste urina no cachorro.

  • David

    Olha, com tanto buraco,valetas e costelas de vaca até concordo mas que é um absurdo isso é.

    Ah, sim, um aviso ao Bob Sharp e aos autoentusiastas que moram aqui em Sâo Paulo: Se um dia vocês verem um Honda City Cinza 2015 andando em zigue-zague na rua não fiquem assustados, pois não é o carro que precisa de alinhamento ou o motorista que está bêbado, é apenas eu tentando preservar a suspensão e demais componentes do meu carro na buraqueira infernal dessa cidade.

  • Lauro Agrizzi

    Que mancada Tenneco

  • Fórmula Finesse

    Os “benefícios” são dúbios perante o enorme mal que essas velocidade ridículas (talvez ótimas para bicicletas) proporcionam…

  • erlanbiker1 .

    Eu achava que o correto era acabarem com os malditos buracos e não criarem medidas que paliativas, desviar de um buraco a 50 km pode causar um acidente tão grave quanto a 70 km ! cair em um buraco de 5 cm ( o que não dificil de se encontrar em algumas lugares) certamente já causa algum dano a suspensão ,mesmo que pequeno .

  • Fernando

    É realmente de chorar, pois quando esperamos que a opinião de quem “entende do assunto” pudesse ir contra e derrubar essas canetadas, justamente faz o contrário.

    É para não ter esperança de que os que podem fazer com que os problemas sejam corrigidos realmente estejam querendo colaborar(e pior é que isso não é uma manobra política, mas despreparo técnico mesmo).

  • Fernando

    A passos largos!

  • Felipe

    Genial! Vou até começar a andar a 60 km/h na rodovia dos Bandeirantes para conservar melhor o meu carro… Ou melhor, não vou nem dirigir mais o meu carro para conservá-lo.

  • Fernando

    Mostrar que até eles podem ecoar uma informação no mínimo duvidosa.

  • V_T_G
    Pelo jeito não foi só a Tenneco que foi infectada, ninguém está livre disso. Cuide-se e pronta recuperação.

    • V_T_G

      Olha, sou engenheiro e não politico. Cuidado que o ódio afeta o julgamento.

      • Domingos

        A falsa imparcialidade também, visto que não é nem de longe o primeiro comentário onde vejo que você tenta encontrar justificativas “técnicas” para cada uma das medidas da prefeitura…

        • V_T_G

          O site só comenta sobre prefeitura de São Paulo…
          As vezes, embora sejam pessoas inteligentes e cultas, as vezes vocês parecem aquelas torcidas organizadas. Se não tá com “nois ” tá com eles.
          Já disse, pra mim eles são todos iguais. O que me importa são os atos. Aqui em minha terra tem um ótimo prefeito que é do DEM. Quase tudo que ele faz é fundamentado e bem feito. Voto nele com certeza. Se ele fosse do PT e fizesse o mesmo tipo de governo, votava tb…

  • RoadV8Runner

    Meeeeeu Deus! Foi difícil acreditar no que meus olhos leram… O Brasil está completamente sem rumo. Com podem escrever (e publicar!!!) tamanho impropério desses? Não seria mais lógico eliminar os buracos e lombadas para aumentar a vida útil dos componentes de suspensão?! E a Tenneco vive da venda desses componentes, como pode?!!!

  • V12 for life

    Isso sim que uma empresa séria, seriamente preocupada com os benefícios de apoiar uma péssima administração.

  • CharlesAle

    É óbvio que a Tenneco queira fazer um “agrado” para o pior prefeito de SP..Haddad, além de suas transloucadas decisões, sem rigor técnico nenhum(aliás, para baixar ou aumentar o limite de vel. de uma via, não merecia todo um exame técnico para justificar a mudança???)deixou a cidade toda abandonada e sem manutenção.. Com buracos e tudo mais a torto e a direito. Com isso, a tenneco vende mais componentes de suspensão…Em tempos de pixuleco para tudo, temos de ficar atentos a estes fatos..

  • Nando

    O mundo está mesmo de pernas para o ar… Outro dia um amigo, que se formou comigo na USP, é pós graduado e tudo, disse que apóia incondicionalmente as ciclovias, mesmo aquelas que vivem às moscas. Segundo ele, a principal função da ciclovia não é servir de via para as bicicletas, mas sim acabar com as vagas de estacionamento nas ruas, pois “não se pode ocupar espaço público com bens privados”. É ou não coisa de louco?

  • Marco

    1. Imaginava que a melhor forma de preservar a suspensão de um veículo seria uma pavimentação de qualidade.

    Segundo o raciocínio do imbecil que criou o comunicado, as vias não precisam mais de recapeamento. Mais simples colocar uma placa com um baixo limite de velocidade. Imagine só aquelas crateras que vemos aos montes por aí. Consertar? Deixa disso, basta reduzir a velocidade do trecho.

    2. Tenho trafegado pouco por SP, sendo um dos principais motivos justamente o inferno que se tornou o dirigir um veículo na cidade.

    Portanto, não tenho como dizer sobre o gasto de combustível, mas arrisco a dizer que nas vezes que vou à cidade, o consumo aumentou.

    Alguns declives – Av. dos Bandeirantes, por ex. – que eu dirigia a 60km/h e em quarta marcha, tenho utilizado a terceira para não ultrapassar os perigosíssimos 50km/h nos radares, de modo que a rotação fica mais elevada. Consumo, idem.

    3. Vou mais além. Não tenho estatística, mas certamente muitos dos problemas causados aos veículos decorrem dessa pavimentação nojenta que temos no Brasil. Até mesmo os famigerados barulhos que incomodam a quase todos, e que costumam ser motivos de visitas às concessionárias, boa parte deles ocorrem devido à buraqueira.

    A Anfavea deveria fazer uma campanha ou algo do tipo, nesse sentido.

    4. A discussão aqui gira em torno de veículos. Mas evidentemente, nós, leitores do AE, temos profissões diversas, e todo dia nos deparamos com textos de nossas respectivas áreas de atuação no mesmo nível deste informativo.

    Infelizmente, a bestialização é recorrente. E a tendência é não nos surpreendermos mais com tantas bobagens que são ditas.

  • André Castan

    Eu não li isso. Estou dormindo e tendo um pesadelo.

  • Newton, se você reparar, defendo essa velocidade limite “inteligente e segura” há tempos no Ae. Garanto que a 0 km/h ninguém mais será atropelado. Aí o perigo passam a ser as bicicletas…

    • Newton ( ArkAngel )

      Cada vez mais as soluções da prefeitura paulistana lembram a história do amante no sofá…

  • Marco

    Em meados da década de 90 meu pai trabalhava na Associação dos Concessionários Toyota. Foi na época em que começou a importação do Corolla.

    O pessoal do Japão não entendia o porquê de se trocar tantos amortecedores, pois era um componente que “ia com o carro até o fim”.

    • Newton ( ArkAngel )

      Sei bem disso…nessa época eu trabalhava justamente em uma concessionária Toyota.

  • Daniel S. de Araujo

    Então quer dizer que veículo que só anda em rodovia a 120km/h (asfaltada e boa, importante salientar) gastará mais componentes de suspensão que outro que só anda a 50km/h na capital de asfalto patch-work, porque quanto maior a velocidade maior o desgaste? Isso é teoria Haddadiana?

    • V_T_G

      Como engenheiro você sabe que a carga gerada pelos amortecedores varia com a velocidade (a ponto de haver praticamente calço hidráulico a certas velocidades). Evidentemente falo isso considerando as mesmas condições da via.
      Sobre Haddad, não me importa o partido, pois pra mim o sistema todo é péssimo. O que importa são os atos e, na minha opinião, é deles que devemos discordar ou concordar. Fora isso pra mim é ódio irracional e ódio não gera nada de bom.

  • V_T_G, concordo parcialmente com você.
    Quanto maior a velocidade, as acelerações e energias de impacto aumentam ao quadrado da velocidade. Nisso você está certo.
    Entretanto, o colega Meccia está certo num ponto: componentes mecânicos suportam bem sem sofrer limitação de vida útil a até determinada energia de impacto.
    Pensa num motor elétrico de 1 cv. Tanto faz se a árvore de saída do motor tem 10 mm ou 1000 mm. A árvore vai resistir do mesmo jeito, provavelmente até mais que a vida útil do próprio motor.
    Existem critérios de dimensionamento para isso e que é uma das coisas mais cabeludas com que engenheiros mecânicos tem de lidar. Mas funcionam.

    • V_T_G

      Graças a deus alguém que esqueceu um pouco politica! Obrigado por sua resposta. O problema,
      caro André, é que os amortecedores sofrem muito com velocidades excessivas de haste (lembre-se que a carga de amortecimento depende diretamente da velocidade) a ponto de haver flambagem da haste em casos extremos.
      Não justifica a redução do limite de velocidade (cada um deve saber de si) mas tem fundamento.

      • V_T_G, aqui no meu bairro eu tenho que andar devagar, e mesmo assim tenho que reformar a suspensão a cada 3 anos. Mas porque? Porque aqui o terreno tem características lunares de planicidade. Não basta os buracos, tem as valetas dos cruzamentos onde sempre se raspa o protetor de carter, entre outros obstáculos. Não tem articulação da suspensão que aguente.
        Só que defender baixa velocidade por isso é defender matar a vaca para acabar com o carrapato.

  • Rafael Castelo

    A infecção é mundial. Não é a primeira opinião/release que eu vejo com teor similar.

  • Lucas dos Santos

    O que eu entendi disso tudo era que o objetivo seria dar uma dica ao motorista de como usar a redução de velocidade das vias a seu favor, aquela coisa de “fazer dos limões uma limonada”. Só que quem redigiu o press release acabou sendo totalmente infeliz na tarefa e acabou produzindo essa pérola.

    Os efeitos disso, porém, serão os piores possíveis, já que agora os defensores da redução de velocidade irão utilizar isso para fundamentar os seus argumentos.

    Se a empresa realmente tem um nome a zelar, ela deveria se retratar com urgência, se não quiser ter sua imagem arruinada justamente em uma comunidade de autoentusiastas, que têm o poder de influenciar as pessoas a comprarem ou não os seus produtos.

    Isso, obviamente, assumindo que tenha sido realmente um erro. Se foi intencional, então trata-se de um verdadeiro atestado de burrice!

  • Antonio

    A prefeitura de São Paulo resolveu abaixar a velocidade, simplesmente pq não consegue oferecer um planejamento e uma infra-estrutura adequada.

    • Antonio
      Não foi nada disso, esse Haddad é simplesmente um nojento que não quer que ninguém tenha prazer em andar de carro, só isso. Tem raivinha de automóvel.

      • Roberto Alvarenga

        Raivinha de automóvel e amor à arrecadação das multas, né…

  • Davi Reis

    Muitas vezes, mas não chego a achar que ele faz isso com más intenções. O que me irritava mesmo era essa professora, de um curso de direito, achando que seria certo calar ele. Será que ela já tinha ouvido falar de liberdade de expressão (risos)?

    • Marco

      Também acredito que não seja por má intenção. Gosto dele, parece ser um sujeito “boa praça”. Mas ele não é um recém formado, é jornalista tarimbado. Então, ao emitir uma opinião – notadamente em rádio ou televisão, que atinge um público muito grande – deveria tomar mais cuidado e evitar falar bobagens sem sentido. Ele não está num boteco batendo papo com os amigos.
      E digo mais, com os contatos que certamente ele tem, conseguiria num simples telefonema para algum jurista renomado, um “cursinho rápido de direito penal”.
      Mas se ele fala bobagem ou não, é problema dele e de seu empregador. Se o ouvinte não concorda, basta trocar de emissora. Não sei quantas existem, mas emissoras de rádio não faltam. Tem para todos os gostos (exceto pra quem ouve rock, que só sobrou a Kiss….hehe).

      A maioria esmagadora dos processos movidos contra ele tem origem numa crítica que ele fez à PM, que fazia uma blitz às 8h em frente ao aeroporto de Congonhas, gerando um trânsito imenso por “bobagem”.
      Aí, todos os PMs daquele e de outro batalhão passaram a processá-lo por danos morais, numa ação orquestrada e visando constrangê-lo. Isso sim foi uma tentativa de calá-lo.

  • Fórmula Finesse

    Palavras cada vez mais atuais!

  • Coisa louco não! Não ofenda os loucos!

    Isso é coisa de bicho-grilo petista que anda com camisa do Che Guevara.

  • CorsarioViajante

    A melhor forma de preservar o carro é não rodar em SP.
    Texto bobo, típico de quem acha que o rabo abana o cachorro, invertendo a situação: dizer que a medida é boa porque passar rápido no buraco é como falar que a redução é boa porque evitar que os moradores do canteiro central sejam atropelados. Ou seja, pega o verdadeiro problema, transforma ele em um fato imutável e cria-se uma “solução” que só cria mais um problema.

  • Danniel

    A ANFAVEA é outra com o rabo preso, vide os desdobramentos da operação Zelotes dessa semana.

  • Danniel

    Fala pro seu amigo não sair de casa, pois senão estará ocupando um espaço público também..

    • Nando

      E a bicicleta também ocupa espaço público.

  • Marcelo Alonso

    Costa, também sou ciclista e concordo com o aumento da força de impacto com o aumento da velocidade, mas o que devemos realmente discutir é a existência dos buracos e não a diminuição da velocidade, nos focar no problema e não em sua consequência.

  • Marcelo Alonso

    Pois é, em vez de informar que um piso sem imperfeições, que deveria ser padrão ajuda a conservar a suspensão, se alinha a redução de velocidade. Sugestão: que tal não comprar mais as peças de reposição dessa empresa?

  • Viajante das orbitais

    Vocês já viram o que estão querendo fazer em Oslo na Noruega ? O mundo está perdido.

    • CorsarioViajante

      Proibir carros no centro da cidade? Em SP isso já é realidade no centro velho faz tempo, com um ótimo resultado: destruíram o centro velho.

      • Domingos

        Bem lembrado. E sobre os escandinavos, é legal ver eles tendo que pagar para que os locais tenham filhos, já que faz parte do pacote “sem carro” também ser emasculado/depredada como mulher e querer passar a vida sem sequer ter filhos.

        Mais duas gerações e eles acabam, servindo para exemplo e justiça do que é o socialismo. Espero que virem colônia de muçulmanos.

  • AlexandreZamariolli

    O carro ideal para a São Paulo de 2015 só tem duas marchas e mal passa dos 60 km/h.
    É o Ford T 1908.

  • CorsarioViajante

    Eu fico pensando como o nível editorial caiu. Antes a Paulista era fechada aos pedestres e ciclistas? Lamentável.

  • Armen Loussinian

    Faltou o técnico Sr. Caretta dizer que se o veículo for deixado na garagem, após a sua compra, o desgaste de todas as peças será “zero” e sua a vida útil será eterna.

  • Antonio Castro Junior

    Absurdo imaginar que eu tenha que me arrastar na via pra conservar as suspensões incólumes. Patético!

  • Antonio Castro Junior

    Bob, outra coisa estúpida que eu li recentemente, foi na edição deste mês da revista superinteressante, da editora abril. Na página 18, há um infográfico justificando as reduções de velocidade em São Paulo para reforçar a segurança. Eles afirmam, baseados em sei la o quê, que um carro precisa de 110 metros para estancar vindo a 70Km/h, e outros tantos( eu não me lembro o número exato, mas era ridículo) para parar a 50Km/h.
    Enviei um e-mail para a redação, e nele utilizei os dados de frenagem da S10 e do Up! testados na edição de outubro da 4 rodas…
    Olha, o Brasil atolou de um jeito no mar de lama, na burrice política, que tenho minhas dúvidas se isto não deixará sequelas para o resto de nossos tempos!

    • CorsarioViajante

      Superinteressante devia chamar “supersensacionalista do senso comum”.

    • Roberto Alvarenga

      E era só consultar o colega da sala ao lado para desmentir os dados: Quatro Rodas e Superinteressante são da mesma editora!

    • Domingos

      Revista do grupo Abril sobrou a Veja e olhe lá, porque sempre foi infestada de liberais e até alguns esquerdas recentemente tiveram colunas por lá.

      Sempre foi um grupo de interesses ideológicos. Olhe o discurso deles sobre nudez com a situação da Playboy. Entre outras coisas, querem mirar no mercado de “maiores de 13 anos”!

  • Domingos

    USP… Já cortei amizade com meus dois amigos formados lá, ambos viraram petistas e isso aí que você falou é pouco.

    Para eles funk é “libertação da classe oprimida” e alguns apóiam até rolezinho. Todos votaram Haddad e continuariam votando, mesmo depois da reprovação absurda…

    • Nando

      Opa, não generalize! rsrsrs

      Sou ex-aluno e totalmente anti-PT e especialmente anti-Maldad

      • Domingos

        Suponho que você tenha se formado por lá até a metade dos anos 2000 no máximo, não?

        Claro, não é todo mundo que sairá de lá assim. Mas infelizmente é a esmagadora maioria que sairá ou como verdadeiro agente do esquerdismo ou bastante simpatizante das idéias.

  • André Andrews

    O triste desta “cinquentização” das velocidades são os que andam a 40 km/h e ainda freiam em baixo da câmera. O limite imposto já é anti-natural nestas vias, e o pessoal por medo injustificado ou ignorância, vai mais devagar ainda.

    A falta de atenção é tamanha que mesmo fora do horário e dias das faixas exclusivas, quase ninguém as usa, fica todo mundo amontoado nas demais faixas e aquelas livres.

  • Juvenal Jorge

    O consumo dos carros de casa aumentou, e uso freio mais do que com limites maiores, fora o maior risco de todo mundo andar muito perto devido às velocidades que travam o trânsito.
    Incrível especialistas em autopeças não perceberem isto.

    • Domingos

      O que já vi de batidinha por todo mundo ficar andando perto…

      Uma única delas não compensa que seu amortecedor dure pífios 1 ou 2 mil km a mais no final das contas.

  • ochateador

    “abastecer com combustível de qualidade”

    Onde encontro isso no Brasil sem ser assaltado ?

  • ochateador

    Só dar uma SpaceFox para esse relações públicas aí, qualquer lombada por menor que seja se você passar a mais de 20 KM/h é garantia de pancada nos parachoques, a 50 ? Ganhe uma visita ao funileiro + médico.

  • Daniel S. de Araujo

    Realmente eu estou com ódio mesmo. Ódio do que o PT transformou esse pais e as demagogias que vivemos.

    Quanto aos amortecedores, esse é o erro. O que você falou esta certo contudo faz parte do projeto rodar rapidamente em vias de bom asfalto (as marginais não são ruins). E os amortecedores são feitos para isso. Certamente o ganho de durabilidade em termos de componentes de suspensão será marginal porque não é a velocidade que provoca desgaste de amortecedores na capital e sim o número de ciclos a que são submetidos, devido ao belo asfalto das vias paulistanas (as ruas mesmo, não as avenidas). E esses ciclos ocorrerão no momento que o carro for colocado em movime to.

    • Domingos

      Exatamente. Pior ainda que agora o pessoal corre nas vias residenciais, justamente as mais esburacadas, para depois ter que andar devagar nas vias com melhor asfalto – como as avenidas e marginais.

      Na verdade é capaz que, na média, se gaste MAIS em componentes de suspensão!

    • V_T_G

      Quanto a durabilidade, tens toda a razão quanto a relação aos ciclos mas lembre-se que defeitos em válvulas e hastes também abreviam a vida do componente.

  • Fabrizio Paes

    E aí vão reclamar que a indústria não está empregando, e está indo embora do país. Bom, isso não está longe de acontecer – tanto o não empregar por motivos de automação quanto o fugir do país, por não ser competitivo. Mas a indústria automobilística ainda é tratada como se fosse a maior empregadora e o maior orgulho nacional – queria entender como se não temos nenhuma indústria nacional de fato.

  • Nora Gonzalez

    CCN-1410, Lorenzo Frigerio, Domingos, vocês gostarão então de ler “Nada mais que a verdade”, o livro que conta a história do jornal Notícias Populares. Mesmo para quem não é do ramo, vale a pena. Está cheio de causos imperdíveis e ajuda a entender muita coisa sobre a imprensa, mesmo que de outra época.

  • Domingos

    Quando isso acontecer vão criar uma infinidade de impostos sobre produtos e serviços, como já acontece em Londres ou Nova York.

    Aí você, além de não poder andar de carro, ainda vai pagar 10 contos numa xícara de café – mas aí tudo bem, porque os emasculados colocam uma foto “legal” no Instagram e fica tudo “cool” (exatamente como com o fechamento da Paulista).

    Não se acanhe com a capacidade da “democracia” e dos governos marxistas em criar impostos até para o ar que se respira.

    Mesmo com altas cargas eles não têm vergonha de chegarem a mais de 50% de taxação. E inventarem taxas como de TV, do lixo, do aquecimento, da compra de produtos descartáveis…

    A mutreta com isso não é só aqui. A complicação e enorme número de impostos é intencional e internacional.

  • Paulo Ferreira

    Baixa velocidade média = maior probabilidade de parar, e portanto sair mais vezes da inércia = maior desgaste de peças em geral = maior lucro na reposição de peças e “recalibrações para testes de emissão”. Difícil achar alguma empresa ou entidade que leve o Brasil a sério, mas de certa forma esse povo se esforça em fazer por merecer este tratamento. Somos a fazenda do mundo, de fazer dinheiro pros outros.

    • Thales Sobral

      E o governo querendo, com o INOVAR-AUTO, melhorar o consumo dos carros. Eu dou uma boa dica: Removam as lombadas e estudem melhor os limites de velocidade estabelecidos (passo por estradas onde o limite fica variando entre 60 e 100 o tempo inteiro, sem que haja motivo para tal), pois quanto menos reaceleração dos carros, menos consumo de combustível. Além de menos stress nos motoristas, o que invariavelmente auxilia na segurança.

  • Particularmente acho uma pena: uma declaração tão imbecil vir oficialmente de uma empresa que tanto admiro (como tantas outras). Só me resta pensar que o “relações públicas” da Tenneco não reflete a seriedade da empresa, caso contrário ela não seria tão boa.

    E o que dá para concluir dessa mensagem? Uma empresa que fabrica componentes de suspensão (ótimos por sinal) lançando os seguintes dizeres:

    “Comprem meus produtos, mas não os coloquem para trabalhar. Eles devem trabalhar e funcionar o mínimo possível.”

    Triste mesmo. A “acefalite” pegou.

  • CorsarioViajante

    Infecção chegando em Campinas:
    http://brasilcampinas.com.br/pista-interna-da-lagoa-do-taquaral-em-campinas-vai-ter-bloqueio-durante-horario-de-verao.html
    Esta avenida circunda a Lagoa do Taquaral. Vale notar que ninguém caminha dentro da Lagoa por ser perigoso. Então, ao invés de melhorarem a segurança dentro, proíbem os carros de circularem ao redor. É o cúmulo da idiotice.

  • Nando

    Formado em 2001! Mas na escola que cursei (Faculdade de Administração e Economia) 95% dos alunos são anti-PT

    • Domingos

      Agora até essa está cheia de petistas, entre eles um de meus amigos.

      Acho que até 2005 foi o máximo que as faculdades públicas, em especial a USP, resistiram ao aparelhamento.

      O cara que passa por elas e não vira esquerdista hoje é porque é firme mesmo!

      • Humberto

        Eu saí em 2014. Não vi essa maioria petista que você afirma ter. Acontece é que eles são a minoria, fazem muito barulho e a imprensa dá muito destaque por motivos que todo mundo sabe. Quem realmente foi da USP sabe bem disso.

  • V_T_G
    O Ae é sediado em São Paulo. Ficaria muito estranho falar de outras prefeituras, não acha?

    • V_T_G

      Perfeitamente compreensível e não estou reclamando de forma alguma sobre isto. Apenas estou respondendo o colega que me falou que sou parcial. Ora, como o assunto é recorrente ora concordo ora discordo e francamente quando concordo não vale nem a pena comentar pois muitos aqui já o fazem automaticamente para tudo que o sr. fala. Admiro sua trajetória e respeito bastante o sr. mas isso não me faz perder meu senso crítico.

  • FocusMan

    Por isso que sou fã do Bob!