“É para evacuar o prédio. Já.”

 

Young woman driving car

 

Eu sempre digo que na minha vida tem de tudo menos tédio. Bom, dentro dessa teoria, a sexta-feira passada foi como outra qualquer. Só que não. Fomos acordados pelo interfone pouco depois das seis e meia da manhã para ouvir um rápido: “Dona Nora, os bombeiros mandaram todo mundo sair. É para evacuar o prédio. Já.” Meio sonolenta por uma curtíssima noite de sono, insisti. É sério? É para sair agora mesmo? Que aconteceu?. “Um acidente. Temos um vazamento de gás. Saiam já”. Senhor, sim senhor, pensei eu. Voltei para o quarto correndo para repetir a ordem para o meu marido.

Ao abrir a porta de serviço, o forte cheiro de gás não deixou dúvidas. Descemos correndo pela escada, só pensando em chegar ao térreo antes que tudo fosse pelos ares. Lá embaixo, vimos um monte de gente sonolenta, dois helicópteros, bombeiros paramentados como se esperassem uma explosão nuclear, policiais, Comgás, CET… e aí entendemos tudo. Um carro todo arrebentado, de lado, contra a mureta do prédio, bem na entrada de água e gás do edifício.

Estamos entre os primeiros moradores do prédio, há oito anos. Já não sei quantas vezes e quantos síndicos pediram providências à CET para a rua. O percurso é sinuoso, com subidas e descidas, asfalto (hein? Nem dá para chamar o que há nesta pista de off-road de asfalto) em péssimas condições, curvas mal feitas que brigam com as forças centrípeta e centrífuga e insistem em jogar os veículos para fora do traçado. Toda essa incompetência faz com que tenhamos pelo menos um acidente por mês, de maior ou menor gravidade. Um com morte há alguns meses. As árvores que dividem as pistas já foram repostas não sei quantas vezes e ainda assim faltam mais de 50% delas, assim como as luminárias. As do meu prédio então… os jardineiros não param de repor coqueiros e outros espécimes que não conseguem vingar. Coitadinhos, na mais tenra idade falecem de fraturas múltiplas e expostas ou mesmo decapitações.

 

Gas Nora 1

Uma supermobilização – sem falar nos transtornos e no perigo – por causa de um irresponsável ao volante e outros nos gabinetes

As respostas das autoridades aos diversos apelos chegam a ser kafkianas. Ao pedido de colocação de lombada eletrônica disseram que não porque há uma a menos de 2 km. Quanta à utilidade da outra, ou remanejamento dela, nenhuma reposta. Pedido de mudança do local do ponto de ônibus, que fica exatamente onde o carro capotou semana passada por ser obviamente um local extremamente vulnerável. “Não há linhas de ônibus nessa via”. Ora, as duas que vemos todos os dias passarem por ali e onde eu mesma desci várias vezes seriam clandestinas? Mas estão no site da SPTrans! Ao pedido de se tomar “alguma medida”, a resposta foi de que “não há volume de acidentes significativo” que justifique a adoção de medidas na via. E tudo isto foi por escrito, portanto não é fruto de alguma alucinação ou mal entendido. Ora, 76 mortes num ano, na marginal Pinheiros fizeram a CET baixar o limite de velocidade para 70 e 50 km/hora em toda a marginal mesmo com o volume gigantesco de veículos que circulam por lá, mas acidentes todos os meses com vários graus de gravidade não? Um prédio com umas 200 pessoas que poderia ter ido pelos ares não é suficiente? Ah, e esqueci da escola que fica ao lado e deve ter uns 3.000 alunos. Mas por ser particular deve ser considerada de “coxinhas” e então, literalmente, que se exploda…

O motorista deste furdúncio todo fez o teste do bafômetro no local que acusou 0,35 mg/l, segundo me disse um dos policiais. O toque tragicômico ficou por conta da esposa que disse que ele bebeu a noite inteira e que ele fazia isso sempre, e que apesar de ser um homem maduro se comportava como moleque. Ele foi levado ao hospital e provavelmente vai pagar multa e perder a CNH por um ano. Eu tenho minha CNH desde os 19 anos e nunca, nunca, me foi pedida. Ela me é mais útil como documento de identidade do que para qualquer outra coisa. Não seria o caso de se exigir de pessoas que provocam acidentes provem que estão realmente em condições de voltar a dirigir com exames práticos mais rigorosos e talvez uma habilitação temporária até que conquistem o direito de uma definitiva se não houver novos acidentes?

 

Gas Nora 2

O motorista conseguiu sair sem um arranhão. Já o muro…

Claro que as condições de minha rua são horríveis, mas o que dizer dos nossos motoristas? Tenho certeza que cerca de 30% não passariam num exame minimamente rigoroso — e outros 30% dos veículos que circulam por aí também seriam reprovados. E me refiro às condições dos veículos, não à documentação, que embora possa estar irregular não tem a ver com segurança.

Para não parecer que estou exagerando, apenas no dia anterior a este incidente (recuso-me a chamar algo tão previsível como isto de acidente) havíamos trocado o portão da outra garagem pois outro carro havia capotado na outra entrada apenas 12 dias antes. As marcas de pneu na parede não me deixam mentir. Por mais imbecis que haja na cidade, duvido que todos eles resolvam sair para dirigir na minha rua. Deve ter alguma coisa errada com o traçado e a manutenção dela, não? Quando saio para caminhar corro até entrar no parque a uns 50 metros de casa pois tenho medo de ser atropelada na calçada. E, sinceramente, faz quase um mês que não vou apesar de ser um dos meus passeios prediletos pelo mesmo motivo. É ridículo correr na calçada para caminhar no parque. As pessoas normais costumam fazer ao contrário.

 

Gas Nora 3

No dia anterior havíamos trocado o outro portão, “atropelado” 12 dias antes

Não sei se vai mudar alguma coisa, mas desta vez apareceram um monte de jornalistas e houve (mais uma vez) cobrança às autoridades por alguma providência. Como a rua ficou interditada um tempão nos dois sentidos, o trânsito travou até o raio-que-o-parta. Veio rádio, TV, tudo. Eu fui entrevistada e apareci na televisão, em duas emissoras e na rádio. Aliás, é impressionante como tem gente que vê o noticiário do meio-dia e o da tarde – ou como eu tenho amigos, sei lá. Passei boa parte da tarde respondendo e-mails e WhatsApp.

Como nestes oito anos nem a CET, nem a Prefeitura nem a subprefeitura fizeram absolutamente nada, eu preparei uma lista das coisas que já sei farei da próxima vez, baseada na minha experiência da semana passada. Afinal, eu sim aprendo com os erros e extraí algumas lições:

– deixarei um terninho Louis Vuitton ao lado do criado mudo que vou comprar hoje, já, agora, assim como uns sapatos mega lindos Louboutin. Não quero que a imprensa me pegue novamente de tênis, calça de ginástica e a primeira camiseta que encontrei na gaveta – OK, do Barça, e legítima, paguei 85 euros, mas ainda assim.

– idem para a maquiagem. Assim, de cara lavada e despenteada, nunca mais!. De chuquinha no cabelo? Daqui para frente, escova e linda, sempre.

– não deixarei que me filmem de perfil. É meu pior ângulo. Agora sei disso. E é verdade que a câmara de TV nos aumenta 5 kg. E tinha umas duas apontadas para mim. Tenho certeza disso.

– óculos de sol, sempre! por isso os famosos não os tiram nem à noite. O sol estava batendo no meu rosto e eu não parava de piscar durante as entrevistas.

– fazer alongamento de hora em hora, mesmo à noite. Aliás, acho melhor nem dormir. Descer 14 andares assim, de supetão, me deu um baita estiramento na panturrilha direita que ficou dolorida por dois dias.

Mudando de assunto: Alonso reclamar já faz parte do “combo”. É como o número 1 do McDonald’s: sanduíche Big Mac, batata frita e refrigerante. A gente pede uma coisa e vem tudo junto. Mas que cansa, cansa. Ele é bom piloto, ninguém nega, mas quer tudo pronto. E usar o rádio para dizer que a McLaren tem motor de GP2 em Suzuka propositadamente, para todo mundo ouvir quando o salário dele é pago pela Honda é de uma indelicadeza ímpar. Afinal, foi ele quem foi pedir emprego lá — e ainda tem o maior salário entre todos os pilotos deste ano, com 35 milhões de euros. Podia pagar umas aulinhas de boas maneiras com isso.

NG

Foto da abertura: huffingtonpost.com
Fotos da matéria: autora
A coluna “Visão feminina” é de total responsabilidade de sua autora e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.


Error, group does not exist! Check your syntax! (ID: 7)
  • Apesar da situação desagradabilíssima, o seu relato foi incrível e magnético, não foi possível parar de ler… Parabéns Nora Gonzales…
    Por falar em “autoridades” de trânsito, faz tempo que a SET deixou de ser um “benchmark” para assumir a triste posição de “trapalhões abobalhados títeres dos petralhas” que estão na prefeitura de Sampa.
    As outrora boas soluções técnicas deram lugar a “ciclofaixas” no centro de avenidas e coisas muito piores. Para mim não há mais engenharia de trânsito coerente por aqui e isto é causa de muitos e muitos problemas.
    O exemplo de sua rua é típico do que está ocorrendo por aqui!!!

    • Nora Gonzalez

      Alexander Gromow, obrigada por suas palavras. Como disse meu amigo Luiz Carlos Secco, em vez de me arrumar para ficar bonita para as entrevistas deixarei pronto um kit macacão antichamas, luvas, capacete e protetor cervical. Certamente será mais útil, pois medidas de correção para minha rua… veja bem…

  • Marcos Namekata

    Pra CET tomar alguma atitude, tem que ter algum tipo de benefício financeiro, não basta apenas melhorar a segurança viária. Aliás, $ET…

  • Lucas

    Ai, ai, Nora, você me fez rir com essa tragédia (a CET é uma tragédia para vocês aí de São Paulo).

    • Nora Gonzalez

      Lucas, até meu quase interminável bom humor está no fim com esta novela mexicana. Quando você soma motoristas despreparados com autoridades idem e ruas mal traçadas e pior conservadas não há o que se salve.

  • CCN-1410

    Esses acidentes mostram o despreparo dos motoristas brasileiros.
    Quem sabe dirigir, o faz até em estradinhas para carroças.

    • CCN-1410
      É exatamente o que venho chamando de “Escola Brasileira de Idiotas”: se não houver lombada o significado é “Oba, não tem lombada, posso acelerar à vontade!”

      • Lucas dos Santos

        Bob,

        O mesmo vale para boa parte das placas de sinalização de regulamentação. Já reparou na quantidade de placas que temos por aí, cuja única função é apenas “lembrar” o motorista das regras gerais de circulação, estabelecidas pelo CTB? Os motoristas dependem tanto delas que não sabem o que fazer quando elas estão ausentes!

        Tempos atrás, em minha cidade, houve uma colisão em um cruzamento, em que um dos carros chegou a capotar. No cruzamento não havia sinalização regulamentando a preferência de passagem. Disseram os bombeiros, após atender as vítimas, que o acidente fora causado “pela falta de sinalização no cruzamento”, isentando a responsabilidade dos motoristas!

        Se os motoristas conhecessem um pouco do Código de Trânsito – o qual eles têm o dever de conhecer – saberiam que a lei obriga a reduzir a velocidade ao se aproximar de cruzamento não sinalizado – com multa prevista para quem não o fizer – e que, nesse caso, tem a preferência quem vem pela direita. Logo, se houve colisão e capotamento é porque não fizeram nem uma coisa nem outra!

        Idem para outras sinalizações de regulamentação, que deveriam ser utilizadas somente quando houvesse necessidade de se regulamentar algo diferente do que prega o Código de Trânsito.

      • francisco greche junior

        Diversas se não todas as ruas tem curvas e alças de acesso que jogam para o lado errado ou ainda diminuem seu raio no meio do caminho. Ainda assim as coisas vão, iam fluindo. Mas com essa burrificação obrigatória vai piorar. Concordo com vocês que esses excessos de limites, radares e lombadas deseducam os motoristas e capam as chances de ele se tornar mínimamente habilidoso e capaz de julgar a velocidade adequada a circunstâncias.

        • Domingos

          Já viu como está o motorista paulistano? Depois de tanta baboseira e redução de velocidade, até em rua/avenida de bairro fora de horário de pico dirigem como lesmas, invadem faixa, ficam bloqueando, entrando na contra-mão com uma parte do carro etc.

          Dá raiva. Chegar a qualquer lugar, mesmo já bem de noite, leva pelo menos 30 minutos de tão lixo que estão dirigindo.

          Ainda por cima nem liberam caminho.

    • Nora Gonzalez

      CCN-1410, é uma soma de incompetências: dos motoristas que são despreparados, dos que projetam ruas com curvas mal feitas que lançam os carros para fora da pista, com asfalto de má qualidade e péssima conservação e com “otoridades” que acham que colocando uma lombada resolvem o problema.

      • Mingo

        Vocês esqueceram do principal. A maior parte desses asnos do volante estava sob efeito de álcool ou drogas. Quando a imperícia, despreparo e arrogância se juntam ao pó, manguaça e erva, temos aí acidentes garantidos.

  • Amanha eles irão colocar um radar aí, de 30km/h,

    • Nora Gonzalez

      Mike Castro, até parece que os imbecis que capotaram se preocupam com multas. E como se isso resolvesse o problema. Refazer um traçado mal feito e fazer e manter um asfalto em condições é que dá trabalho e requer um mínimo de conhecimento e de inteligência. Mas como sabemos, certos adjetivos na mesma frase que CET são tecnicamente impossíveis de permanecerem juntos, né?

    • petrafan

      30 km/h?

      mas como você é coxinha e Zé Rodinha!

      só pensa em correr com seu carro individual para expressar sua autoafirmação individual do seu próprio indivíduo!

      onde já se viu, pensar que a Cia de Enganaria de Tráfego deixaria uma velocidade absurda dessa, tão estadunidense e tão fascista, ser regulamentada na rua dos coxinhas!

      o Haddar que será colocado aí será de 10 km/h, afinal, a 10 km/h a gravidade dos ferimentos é menor do que a 30 km/h.

      futuramente, será colocado o Haddar de 0 km/h, pois nessa velocidade a gravidade dos ferimentos é muito menor do que a qualquer outra!

      • CorsarioViajante

        Petrafan, se atualize: esquerdista odiava os EUA até NY virar a “capital da bike”, agora os EUA viraram um exemplo!

        • Domingos

          Além da bike não nos esqueçamos da maconha!

          Esquerdista relativiza tudo, logo parece adolescente eterno. Como não se baseia no princípio da verdade, um dia está criticando algo como se fosse a morte e no outro está elogiando.

          Gente falsa.

  • CorsarioViajante

    Um bom retrato do Brasil: o governo erra quando faz a rua e as pessoas erram mais ainda quando usam a rua. Lamentável. De bom aí só seu divertido relato Norma!

    • Lucas dos Santos

      Norma? Não é Norma, é Sogra, digo, Nora! hahahaha!

  • Thiago Teixeira

    Nora, sem querer afastar a responsabilidade da prefeitura, a irresponsabilidade do motorista, a falta de sorte das árvores, o preço da gasolina (que deixa todo motorista nervoso)… não poderiam os condôminos já terem providenciado um reforço ou proteção para aquela área por onde passam as tubulações de gás?!
    Eu vi o vídeo do acidente e aquela parede está parecendo quase um “tiro ao pato”, um alvo.
    Reparou um pedestre que por pouco não aumentou a estatística de vitima fatal?!

    • Nora Gonzalez

      Thiago Teixeira, por incrível que pareça, não podemos. Segundo nossa assessoria jurídica, se colocarmos aqueles toquinhos de reforço e alguém bater com um carro e morrer, seremos processados e considerados culpados. O síndico já havia tentado isso há algum tempo (não por esse motivo) e por diversas vezes essa foi a resposta que ele obteve. Não sou advogada e não tenho como contestar, mas quando se trata de leis brasileiras nada me surpreende.

  • Marcos Massaki

    Nora, sou seu vizinho. Esta rua é muito perigosa com curvas na subida e descida. Cansei de ver acidentes e atropelamentos. Juntando a isso irresponsáveis que bebem durante a madrugada só pode dar problema. Espero que ouçam as suas palavras e tomem providências.

  • Uber

    E quase houve uma morte, a pessoa escapou por pouco:
    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/09/video-mostra-homem-escapando-por-um-triz-de-atropelamento-no-morumbi.html

    Ficou demonstrado que está certa em correr pela calçada, Nora…

  • Lemming®

    E não rola processo do condomínio sobre o motorista? Fazer pagar os danos materiais e se couber os danos morais desta trapalhada!
    Deveria ser obrigado a pagar também todo esse aparato público que foi mobilizado.

  • Mineirim

    Nora,
    Chama o Bernie Ecclestone. Ele vai mandar fazer uma chicane e uma grande área de escape de asfalto pintado de verde. Vai também determinar a área para ativar e desativar o DRS.
    Perigo é terem que demolir os prédios em volta…

  • Aldo Jr.

    Nora: entendo perfeitamente sua postura, como moradora do local preocupada com o alto índice de acidentes, reivindicar uma lombada eletrônica e outras providências dos orgãos competentes(?). Com certeza é a solução mais imediata. Porém, como você mesmo diz, qual é a qualidade do motorista que trafega em nossas ruas, avenidas e rodovias, para que andar na calçada se torne um risco? Para que não sobrem árvores de pé em um canteiro central? Para que seu condomínio tenha que trocar seguidos portões de garagem? Como bem diz o Bob, a proliferação de radares e lombadas eletrônicas fez surgir toda uma geração de motoristas que, simplesmente, não consegue calcular uma velocidade segura para trafegar. Como disse o CCN-1410, quem sabe o faz em qualquer lugar. A existência de curvas e o asfalto em mau estado, não justificam tantos acidentes, muito menos a “lambança” que o cidadão fez no prédio. Mais preparo e maior rigor nos exames são urgentes para melhorar nosso trânsito, e não esses limites neuróticos de velocidade, como querem nos fazer crer. Lamento pelo ocorrido. Abraços;

    • Arruda

      Conheço a rua e passo com frequência por lá. Apesar de estar longe de ser um exemplo de engenharia, para bater o carro ai, só mesmo estando bêbado… ou dirigindo como um.
      Não é uma reta ou descidão que “de repente” chega a curva. A rua é toda sinuosa desde a saída da Marginal Pinheiros. Nada que se faça para consertá-la será capaz de deter os imbecis.

      Bom… fora isso podemos incluir na lista de incompetências a engenharia do prédio que colocou a tubulação de gás justamente na “área de escape”, hehehe.

  • Mingo

    CET = Cia de Engarrafamento de Trânsito, Cabide de Empregos no Trânsito ou Céus, Estamos Travados…

  • Francisco Passarini Junior

    Sexta feira passada estava almoçando e quando eu olhei para TV pensei, “nossa, conheço essa moça, é a Nora do Ae”, pensei, pegaram a pessoa certa para entrevistar, bjos Nora.

  • BlueGopher

    No Brasil a palavra “autoridade” nos faz imaginar uma entidade vaporosa, inatingível, supostamente poderosa, com pequena capacidade de raciocínio e alta capacidade de criação de argumentos falaciosos, e a quem cabe tomar decisões finais e irrecorríveis sobre assuntos que interessam profundamente a todos e a cada um de nós.
    A questão é, como dito pela Nora, que estas decisões são baseadas em fatos supostos e não fatos reais, e em “achismos”, e não em argumentos técnicos.
    Parece sempre que a ordem superior é evitar qualquer despesa, por mais necessária quer seja, e, por outro lado, “enfiar a mão” no bolso do cidadão de qualquer maneira.

    Também seria bem melhor que cargos públicos fossem sempre ocupados por pessoas com competência para tal, e não por indicados políticos, promovidos por tempo de serviço, “reizinhos” departamentais etc, etc.

    • Acyr Junior

      É, ” nós pega o peixe” … E pra ele (Malddad) e ela, a chefa, “nós paga o pato” !!!

  • Nora Gonzalez

    Aldo Jr. é exatamente isso. É uma soma de muitas incompetências que deu no que deu.

  • Nora Gonzalez

    Lemming, acho que nosso síndico, assim como a do prédio em frente, já estão escolados nisso, mas vou conferir. A estas alturas do campeonato, acho até que cabe um processo por prevaricação por parte das autoridades (CET e prefeitura/subprefeitura) pois não é por falta de aviso. E incluiria aí as custas da fisioterapia para minha perninha…

    • ochateador

      Nesse caso vale a pena meter um processo para que o motorista repare os danos e indenize os moradores.
      Acordar 6 e meia da manhã no desespero por que o gás pode explodir o prédio devido ao abuso de 1 pessoa não é nada legal… (fora os traumas que alguns moradores devem ter adquiridos temporariamente [ou permanentemente]).

  • c4vitesse

    Um absurdo. Eu sinceramente não sei aonde toda essa incompetência do poder público (no caso, a prefeitura) vai parar.

    Aliás, deviam esquecer os radarzinhos e atuar mais fortemente contra a direção imprudente e embriagada destes tipos – por exemplo, estou certo que são eles os culpados pelos tantos acidentes que acontecem na marginal. Óbvio que mandar a pessoa que quer seguir as leis andar a 50km/h não vai fazer nenhuma diferença, só vai facilitar assaltos.

  • Mingo

    Já que tocaste no tema “novela mexicana”, acho que apenas um cara nesse planeta teria capacidade de acabar com esses caras que (des)governam a cidade de São Paulo. Seu nome: Machete Cortez!

    • petrafan

      Machete kills!

  • CorsarioViajante

    Que eu saiba, cada colunista do Aetem seus próprios pontos de vista, vide inclusive as polêmicas em torno de airbags e tal.

  • Thiago Teixeira

    As físicas que parecem barreiras de atletismo, as em vias de 200 km/h que faz você passar a 18km/h e de repente, sem aviso e sem motivo, as ruas com 1342 lombadas por quilômetro, as que são apenas caça- níquel, as que são sem estudo adequado e coladas sem critério. As que danificam o carro, as que arrastam quando passamos etc desse tipo.

    A coluna “Visão feminina” é de total responsabilidade de sua autora e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas”.

  • jr

    Nora, entendo sua revolta. Mas acho que temos de olhar por outro ângulo para entender o que (não) acontece. Os governernantes nem se lembram que sua obrigação mais elementar é a de servir ao cidadão, em particular o pagador de impostos. Simples assim. Vivemos no Brasil uma ditadura imposta por mandatários eleitos regularmente.
    Ou seja, não acho que é uma questão apenas de incompetência. Há também esse fator, mas acho que o principal é que não se importa com o cidadão. Simples assim. A não ser quando há uma clara vantagem em agir de forma espalhafatosa e populista.

  • pkorn

    Atrase qualquer imposto, caríssima, e conhecerás a eficiência estatal.

  • Leonardo Mendes

    Eu vi essa matéria no Datena, lembrei dela na hora que vi a primeira foto.

    Nora, o caso da sua rua é idêntico ao que tínhamos aqui em Santos há um bom par de anos atrás: o famigerado Curvão do Canal 1, uma parte da Av. Sen. Pinheiro Machado onde era praxe os motoristas entrarem com tudo e via de regra acabarem dentro de algum quintal.
    Nem as defensas de concreto instaladas ali amenizaram o problema, que só foi devidamente resolvido com a instalação de um radar de 50 km/h em 2004. 10 anos depois o radar foi removido por ter se tornado dispensável, visto que o número de acidentes caiu a quase zero.

    Para dar uma ideia aos convivas de como é o local, segue o link:
    http://wikimapia.org/8004504/pt/Curv%C3%A3o-do-Canal-1

    • Domingos

      Pois é. Isso não é só no Brasil. A doença de restrição e perseguição aos motoristas é dialética, é a mesma que procura criminalizar a família normal com pai, mãe e filhos.

      Nunca, NUNCA vi radar em trechos de serra/montanha/curvas extremos. São trechos de menor movimento e velocidade média onde um radar arrecadaria pouco, logo não existe.

      Esse radar aí é a mesma coisa. Seria um a se manter para sempre. Como não funciona para arrecadar ou incomodar, é retirado.

  • Juvenal Jorge

    Nora,
    conheço a rua, é um autêntico perigo para quem não tem a mão treinada, o motorista quer fazer um traçado, mas o asfalto horroroso o joga para outros caminhos.
    Esperar alguma melhoria provinda da CET Haddadizada e Tattozada é sonho. Esses dois só mesmo indo embora para o Pólo Norte, e sem agasalho.
    Espero que nosso próximo prefeito enfrente os problemas da cidade, e não seja mais um maquiador como esse Fernando.

    • Nora Gonzalez

      Deus te ouça, Juvenal. Pensei em convidar uma das duas autoridades a passar uma temporada em casa para ver quanto sofremos, mas não acho que não aguentaria.

  • Lucas dos Santos

    Complicado esse tipo de coisa, Nora. O que mais me surpreendeu nessa história toda foi não reconhecerem a rua como linha de ônibus. Isso é o retrato da desorganização. Como pode isso?!

    Quanto ao Alonso, eu já acho que foi excepcionalmente – e estranhamente, eu diria – paciente por todo o início da temporada. O Button já havia perdido a paciência muito antes dele. Mas concordo que críticas em público não ajudam em nada a situação.

    • Vinicius

      Eu já acho má vontade mesmo em não reconhecer.
      Que nem aqui no Rio de Janeiro. Na baixada fluminense, várias ruas não possuem calçamento e asfalto; mas, milagrosamente, no cadastro da prefeitura constam como asfaltadas…

  • Rafael_Alx

    Minhas observações depois de ver o link da reportagem que postaram:
    – A Nora foi modesta, estava bem no vídeo. E acho um barato quando a pessoa tem um “resquício” de sotaque ao falar, principalmente língua espanhola ou italiana;
    – De longe esse não foi o motivo do acidente, mas o veículo era um Suve (um “primor” em curvas);
    – Se eu fosse o cara que estava correndo e escapou por pouco, meu coração teria saído pela boca…

    • Nora Gonzalez

      Rafael_Alx, gentileza sua dizer que estou bem no video, mas depois de ter jantado paella em comemoração com a família, dormido três horas e ser acordada desse jeito, ter conseguido juntar lê com crê mesmo com algum sotaque (que não costumo ter) é um milagre.

      • Vinicius

        Impressionante é jantar paella e descer 14 andares três horas de sono depois. rs.

    • Agnaldo Timóteo

      E eu evacuado, mas não no sentido de sair do prédio…

  • Milton Evaristo

    Faça como eu, encha a caixa de correio deles de reclamação: http://sac.prefeitura.sp.gov.br/

  • Nora Gonzalez

    jr, a expressão “servidor público” parece que tem outro sentido para os políticos, não? Eles deveriam, justamente, servir ao público.

  • Lucas

    Em outro comentário, alguém falou em colocar reforços para proteger as instalações do prédio. A Nora respondeu que a assessoria jurídica desaconselhou isso. Talvez o melhor mesmo seria mudar esse gás todo de lugar, pro outro lado.
    Aí nessa parede que sobrar coloca daqueles softwall da Formula 1. heheh

    • Nora Gonzalez

      Lucas, o outro muro do nosso lado também já foi atropelado outras vezes, inclusive há duas semanas. Do outro lado da rua, no outro prédio, também já houve atropelamentos de coqueiros e outros. Levitação de encanamentos, talvez?

    • Domingos

      Mas já começaram com esse papo jurídico invertendo papel (a prefeitura, digo)? Se colocar reforços estão meramente protegendo dezenas de moradores de um incêndio contra quem no fim cometeu um erro.

      Era só o que faltava um bêbado morrer por causa dos reforços e ainda querer/ganhar com processo.

  • Nora Gonzalez

    Thiago Teixeira, se a questão são lombadas (eletrônicas ou físicas) quem solicitou foi o síndico, que já não sabe o que pedir como providência, não eu. Eu quero outras coisas: que corrijam as curvas mal feitas da rua, que melhorem o asfalto, que fiscalizem os motoristas e as condições dos veículos… Lombada é como aspirina – baixa a febre, mas não trata a infecção. Mas essa é minha opinião pessoal.

    • Thiago Teixeira

      Nora, era uma resposta a um comentário que foi apagado. Ficou sem sentido isso ai escrito.

  • Agnaldo Timóteo

    Vi, uma vez em um filme, que o cara, depois de sofrer um acidente desse tipo acendia um cigarro, ainda dentro da carro…

    Ainda bem que a vida ainda não imitou a arte…

    • Domingos

      Enquanto o cheiro não chega e com o cara bêbado, é uma possibilidade bem real.

      Muita gente acende cigarro após momentos de estresse. Tudo precisa de um pouco de sorte ou de ajuda divina…

  • braulio

    Não sei se cabe como elogio, mas você parece muito melhor na entrevista que na foto da avaliação do Lexus…
    Não pude deixar de notar que os dois carros que perderam o controle tinham eixo traseiro rígido, sendo que um não deveria estar em condições de correr (o Opala, que me cortou o coração ver mais um indo para o ferro-velho…) e o Mitsubishi que pode ser ótimo, mas certamente, a despeito da potência do motor, não foi feito para correr!
    Talvez os condutores não estivessem mesmo em condições de dirigir e ponto final. Mas fico me perguntando se eles conheciam as peculiaridades dos carros que conduziam, a facilidade com que eles perdem contato com o solo numa rua em más condições, se estavam cientes que em bairros residenciais, mesmo de madrugada, é possível encontrar idosos, crianças e animais na rua, se já fizeram a elucidativa experiência de jogar videogame quando bêbados para perceber que a perda de reflexos é muito maior que se imagina (recomendo a quem nunca fez que faça!).
    Pergunto-me, também, de que adianta ter limites de velocidade que até atrapalham a fluidez do trânsito, se notavelmente, quando alguém está muito acima desse limite, não há esforços para impedir que essa pessoa cause prejuízos e mortes. Seria apenas para mostrar o quanto pessoas honestas são tratadas como idiotas?
    Quanto ao asfalto e a curva, julgo que pelo imposto arrecadado a prefeitura de qualquer cidade deveria ter o dever de executar uma manutenção coerente com a via utilizada. Não que a prefeitura daqui esteja melhor: Hoje, num intervalo de poucas horas, três caminhões foram tragados por buracos no asfalto que se abriram na mesma quadra da mesma avenida. Um de lixo, outro, que levou o trator que retiraria o primeiro, e um terceiro com materiais de construção para tapar os dois primeiros buracos. Por conta desses amadorismos com nosso dinheiro que julgo ser caro o imposto que pago…
    O Alonso já nasceu reclamando, e fica pior quando percebe que passou mais uma temporada inteira sem conseguir brigar nem com as médias. Ele é excelente, mas está ficando velho e certamente gostaria de ter mais troféus e campeonatos como lembrança dos tempos em que corria.

    • Nora Gonzalez

      Braulio, para dizer a verdade sou terrivelmente não fotogênica, portanto nunca saio bem em fotos. Fecho os olhos, faço caretas, sei lá. No vídeo sou menos pior, mas ao vivo é quando pareço mais eu – não que isso seja um elogio, mas pelo menos é mais perto da realidade.

  • Domingos

    “não há volume de acidentes significativo”

    Pois é, ia justamente falar das marginais. Os acidentes por lá são todos de motoristas muito acima do limite, durante a madrugada e com outras irregularidades onde nada adianta redução de velocidade.

    Mas logo estavam lá dezenas de novos radares, a redução e a campanha “salvemos o mundo” típica dos psicopatas fora da normalidade e que, como o capiroto, adoram passar por Jesus Cristo – numa versão “mal compreendida” e injustiçada.

    Na minha rua passa gente na contra-mão e moto passa a mais de 60 Km/h, mais rápido que na Marginal. Por Deus nunca vi um acidente aqui.

    Existem no entanto hoje vários trechos da cidade que a própria polícia sabe ter altas taxas de acidentes, geralmente do mesmo tipo – o caso da sua rua.

    Se morrer alguém, ora, que se dane. Isso não vai dar votos nem aumentar arrecadação e nem dar à esquerda os poderios de manipulação social e eleitoral – que é TUDO o que ela almeja no fim das contas.

    Uma prefeitura que mandou para fora dos abrigos os que possuem problemas mentais, pois esses não votam e não reclamam, para receber gente do Haiti que vem aqui já com Bolsa Família e Título de Eleitor na mão – um absurdo inaceitável um não residente/refugiado fabricado poderem votar imediatamente – é DOENTE e PSICOPATA.

    Para cada árvore que o Haddad planta por causa de “uma morte a menos” na Marginal, pode ter certeza que espiritualmente ele acendeu uma vela preta esperando que tudo e todos os que não lhe são úteis literalmente MORRAM.

  • Vinicius

    Se o asfalto é ruim e as “otoridades” não tomam providência, mesmo assim, nós, motoristas, devemos redobrar a atenção. No caso do brahma aí do acidente, é lamentável. Já não havia atenção para redobrar.

  • RoadV8Runner

    Nora,
    Só mesmo você para manter o bom humor diante de uma situação dessas. A lista de providências ao final ficou genial!
    Eu sou muito radical nesses casos de motoristas que chapam o coco, saem para dirigir e fazem meleca grave, como essa ocorrida no acidente (por sorte sem maiores conseqüências): cassação definitiva da CNH, sem choro ou possibilidade de tê-la novamente.
    Não conheço o local, mas por mais perigoso que seja, há que se ter um pouco de bom senso e dirigir conforme as condições que a pista oferece. Porém, o crítico dessa situação é que ela se prolonga há anos, há diversos casos de acidentes graves e o os (ir)responsáveis pelo trânsito de São Paulo nada fazem. Aí é querer contar com a sorte, verdadeiro absurdo, surreal mesmo. Se até morte já ocorreu, querem mais o quê para fazerem algo?

  • WSR

    Petrafan da banda Petra, por acaso?

    • petrafan

      Yes! There’s a higher place to go!

  • Lucas dos Santos
    Perfeito. Mas para mim não existe placa-lembrete mais absurda do que a “Cruzamento perigoso”, como se todo cruzamento não o fosse.

  • Vinicius

    1/2 off. Aqui no RJ aumentaram o IPVA para carros com mais de 2 mil cilindradas ou 150HP para 4,5%. Hoje, na surdina.

    E querem aumentar para 6% os carros que custarem mais de 120k.

    http://extra.globo.com/noticias/rio/alerj-aprova-aumento-de-ipva-ate-para-carros-de-luxo-17660799.html

    • Domingos

      Interessante como o RJ parece a França às vezes. Não é a toa que é como é…

      Interessante também que, tal como na França, isso é jogo de cena. A maioria dos ricos lá, inclusive os próprios políticos que aprovam essas coisas, possuem conta fora do país.

      Já os carros mais caros são quase sempre emplacados no Sul, onde pagam “apenas” 2% ao ano.

      Sinceramente, 4% já é altíssimo. Não se paga isso na maioria dos países Europeus, que já são países sobretaxados.

      Querer arrecadar ainda mais, seja de rico ou de gente normal, é insanidade mesmo. E não vai funcionar.

  • Lucas

    Mas que farra!!

  • Lucas dos Santos

    Off topic:

    Mais uma da série “Aberrações viárias” (em Ponta Grossa, no Paraná):

    http://i.imgur.com/3IIGfZZ.jpg

    • Lucas

      Deve haver algum tipo de disputa secreta entre prefeitos para ver quem é o mais surreal…..