Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas KIA APRESENTOU OS NOVOS SORENTO E GRAND CARNIVAL – Autoentusiastas

A Kia Motors apresentou ontem na sua sede em Itu (SP) os novos Sorento crossover e Grand Carnival minivan, ambos em sua terceira geração com assinatura de estilo do alemão Peter Schreyer, vice-presidente de Design do grupo. Mesmo com ambiente de vendas desfavorável e o dólar nas alturas, a importadora paulista, atuante no Brasil há 23 anos e tendo criado uma frota circulante de mais 350.000 unidades, mantém sua estratégia de trazer produtos atualizados.

 

O Sorento custa R$ 183.900, vem completo e não tem opcionais, enquanto a Grand Carnival  sai por R$ 244.900, também completa. São dotados do mesmo motor V-6 a gasolina 3.342-cm³ de duplo comando com acionamento corrente de 4 válvulas por cilindro, e variador de fase a admissão e no escapamento. Desenvolvem 270 cv 6.400 rpm e 32,4 m·kgf a 5.300 rpm e ambos têm câmbio automático epicíclico (fabricação “caseira” Hyundai/Kia) de seis marchas com trocas seqüenciais pela alavanca (sobe marcha para frente), ambos de tração dianteira.

 

Sorento Smart Object-1

O espaço interno dos dois é dos melhores, com capacidade para 5 ou 7 lugares no Sorento e 8, no Grand Carnival, motorista incluído nessa contagem. Os entre-eixos de 2.780 (mais 80 mm) e 3.050 mm, respectivamente, respondem por todo esse espaço. O porta-malas do Sorento é de 258 litros com sete ocupantes e de 1.045 litros com cinco. Já o Grand Carnival é de 960 litros, mas com a terceira fileira rebatida — não foi informado volume com configuração 8-lugares, mas a olho nu é de cerca de 200 litros.

 

Carnival -2

A porta de carga no Sorento possui abertura elétrica, como na Grand Carnival, e nesta as duas portas laterais contam com esse cômodo acionamento.

O Sorento cresceu 95 mm no comprimento para 4.780 mm, a largura passou para 1.890 mm ( mais 5 mm), para ficou 15 mais baixo, medindo 1.690 mm agora. A Grand Carnival não teve mudanças dimensionais, mas a Kia informa novo monobloco, com maior rigidez, mas sem precisar quanto. A minivan mede 5.115/1.985/1.740 mm (comprimento/largura/altura).

 

Carnival Painel

O Sorento de 5 lugares pesa 1.959 kg, e o Grand Carnival, 2.155 kg. Números de desempenho não foram informados, mas segundo o confiável catálogo anual da Automobile Revue suíça o Sorento acelera de 0 a 96,5 km/h em 9 segundos e alcança 215 km/h. A Grand Carnival não consta da publicação, só a versão americana denominada Sedona, com o mesmo motor porém 10 cv mais potente, é tida como 0-100 km/h em 8 segundos e 220 km/h, que me parece exagerado. Pelo peso deve acelera algo menos que o Sorento e a velocidade máxima deve ser parelha.

Carnival -1

As suspensões são McPherson/multibraço  dianteira/traseira nos dois Kia, os freios são a disco nas quatro rodas e os pneus, 235/60R18 em ambos, mas as rodas do Sorento são 7Jx18 no crossover e 6,5Jx18 na minivan. Nesta a assistência de direção é hidráulica, elétrica no Sorento.

O consumo de combustível também não foi informado, mas para se ter uma idéia a Automobile Revue diz ser de cidade/estrada 7,6/11 km/l (Sorento) e 7,6/10,2 km/l (Grand Carnival).

Ambos mostram interiores caprichados e de muito bom-gosto, evidenciando a constante evolução da indústria automobilística sul-coreana, além de rodarem com elevada dose de conforto e bem pouco ruído a bordo.

Faremos testes “no uso” com ambos proximamente e também com o pequeno Picanto.

BS

 



Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

  • Lemming®

    Sério mesmo que uma minivan está saindo por 244K? Sem AWD? Tem de ter air bag até para as malas por esse preço…
    Surreal demais esses preços para a Banânia.
    Curioso pela avaliação do Picanto.

  • Lorenzo Frigerio

    Se uma Carnival está 245 mil, quanto custará uma Town & Country? Para comprar esses carros hoje em dia, com o dólar a 4,20, só tendo muito dinheiro. Quem trabalha para ganhar um dinheiro desses não vai dar metade disso para o governo. É muito. Infelizmente, para o Gandini, o espetáculo não pode parar… ele não tem opção. Uma meia-dúzia de cada, terá que trazer.

  • Teu verdadeiro pai

    250 mirréis num Kia….o cara tem que ser valente…

    • Lorenzo Frigerio

      São 250 CONTOS de réis.

  • Danilo Grespan

    Cada dia é menor o meu receio de ter um coreano, é visível a evolução destes e a maior consideração por nosso mercado. Tenho apenas pé atrás com a Hyundai, diante de acabamento e espaço ruim dos seus carros menos caros, além de algumas mentiras e enrolações (vide o último processo milionário por propaganda enganosa, e as constantes reclamações do grupo Caoa/problemas fora do país), porém admiro o belo design externo dos seus produtos. Conheço bastante gente feliz com a mecânica dos coreanos, é algo que considero bem importante, já que não é algo tão “visível” quanto ver lata, acabamento, etc. Quem sabe daqui há algum tempo estarão tão bem respeitados e inseridos no nosso mercado quanto os japoneses.

    • TDA

      Carros feitos para o mercado americano são produtos de qualidade. Eu não teria nenhum receio de adquirir um Kia feito para o “primeiro mundo”. Realmente o problema é o preço muito elevado.

    • CorsarioViajante

      É importante lembrar que a Hyundai no Brasil tem “duas cabeças”, uma que é da matriz, que fabrica HB20 e derivados, e outra que é da CAOA, que importa e tal. Não sei quando nem como vão resolver isso, mas certamente é algo que confunde e, a meu ver, prejudica a marca. De qualquer forma me parece que a parte CAOA é menos séria que a parte HMB.

    • FR

      Aproveitando seu comentário sobre Hyundai, meu irmão tem um i30 2012, o carro está com uma roda com uma pequena trinca, rodas com trinca são rodas condenadas, ele então foi procurar a tal roda, aqui em Belo Horizonte a mais barata que ele encontrou foi R$ 2000,00 uma única roda, em uma outra autorizada eles estavam cobrando R$ 3000,00 por uma roda.

  • Alemão M

    Sem entrar no mérito de preço, são ótimos autos, embora algo parrudos em demasia, bastante ao estilo/garagens/vias americanos. Se na geração anterior e com motor de 4 cilindros que tive a oportunidade de dirigir o desempenho já era bem razoável – além do ótimo câmbio – e havia conforto de sobra, imagino neste V-6.

  • CorsarioViajante

    Com certeza estes carros devem se sentir bem mais à vontade nas largas ruas dos EUA que na maioria das estreitas ruas (e vagas) do Brasil. São muito grandes!
    O desenho deles, porém, pareceu bem sem-graça, mas as fotos podem enganar devido ao porte, provavelmente ao vivo a impressão possa ser outra.

  • Mineirim

    Gostava mais do painel anterior do Sorento. O novo ficou com jeito do Sportage. Enfim, é a padronização.

  • Milton Evaristo

    Toda vez que vejo essa pujança da Kia/Hyundai, fico pensando em nós. O país dos “apaixonados por carros”, não ter e nunca ter tido uma marca de projeção internacional e alta escala de vendas. Isso dá depressão em palhaço!

  • Celso Fernando Ferrer Singh

    Olá, pessoal do Ae, primeiramente desculpe por fugir do tema, entretanto tenho uma denúncia sobre o Inimigo Número 1 de São Paulo. O Prefeito estava ante ontem (23) no começo da noite por volta das 19 horas na avenida dos Bandeirantes, sentido marginal Pinheiros trecho entre as pontes da avenida Rubem Berta ( 23 de maio ) e avenida Santo Amaro, faixa da esquerda, quando reparo que na minha frente estava um carro preto de placa preta com brasão da prefeitura escrito secretário municipal (caracterizando carro oficial). Mantive-me atrás desse carro no trecho entre os viadutos das avenidas. Moreira Guimarães e Santo Amaro, e seguindo o fluxo atrás dele raparei que o carro à minha frente não só excedeu a velocidade diversas vezes ficando muito acima do limite de velocidade (estimo 40% a 50% acima, já que cortou absolutamente todos os carros até se perder de meu campo de visão) e alguns trechos até mais que isso. Por eu estar mantendo o limite de velocidade regulamentado, não consegui acompanhar o carro oficial, que estava muito rápido. Já mais para frente o semáforo da saída para a rua Ribeirão Claro, na Vila Olímpia, fechou e pude parar ao lado do carro oficial, que estava “insufilmado” com películas escuras em todos os vidros, inclusive no pára-brisa, literalmente parecendo o carro dos “manos”. Não fiz fotos, pois estava sozinho e não utilizo celular quando estou dirigindo, mas gostaria de pedir se alguém aqui vir algum carro oficial desrespeitando as leis de trânsito que tirem fotos e encaminhem a algum jornal ou ao Ae, pois achei um absurdo um carro oficial literalmente ignorar o limite de velocidade regulamentado e também a fiscalização, e ainda estar irregular com vidros muito escuros, inclusive o da frente. Desde já agradeço o espaço e desculpem os leitores que não são de São Paulo.

    • Domingos

      Considerando que ele queria faixas exclusivas para o pessoal da prefeitura, no melhor estilo China comunista, não é surpresa.

      Eita saudade do tempo que isso aí daria um “golpe”.

  • Acho uma baita chatice ficar comparando os carros, mas dessa vez não aguentei.

    ME pareceu que o conjunto frontal desses carros e o do Fiat Aegea beberam da mesma fonte, não?

    Sei lá, achei parecido demais…

  • Agnaldo Timóteo

    Legal!

    Espero ansioso as avaliações “no uso” dos três veículos.

    Alguma previsão dos estranhos Ssangyong?

    Obrigado

  • Tem que levar num especialista pra ver se essa roda está mesmo “condenada”

  • Davi Reis

    A Sorento anterior já era um carro de belas linhas, e o novo modelo conseguiu manter o alto nível. Ficou belíssimo, um veículo de porte que não parece ser um verdadeiro trambolho.