Vou dizer por que esse cara e petista (só podia) é o Inimigo Público nº 1 de São Paulo.

A frota paulistana é de 7 milhões de veículos e a população do município, 12 milhões. Isso significa que são 1,7 habitantes por veículo.

Se considerarmos que nesses 12 milhões encontram-se pessoas que não têm automóvel ou não dirigem, como crianças, adolescentes e idosos, cerca de 3 milhões, temos em torno de 9 / 7 = 1,3 habitantes por veículo de taxa de motorização.

Portanto, esse cara está ferrando a população da cidade de  São Paulo

As medidas que esse cara está promovendo, dificultando o uso do automóvel de todas as maneiras, mais a redução dos limites de velocidade que constituem inequívoco abuso de poder, permite-me afirmar, sem errar que esse sujeito  é o Inimigo Público nº 1 do paulistano e, por extensão, dos brasileiros que nos visitam.

O festival de redução de velocidade atinge raias do inacreditável, como a seção expressa doo eixo norte-sul, as avenidas 23 de Maio e Rubem Berta terem o limite baixado hoje de 70 km/h para 60 km/h.

É de causar espanto que o Ministério Público Estadual fique de braços cruzados diante dos abusos desse cara.

BS

Foto: goias24horas.com.br


Error, group does not exist! Check your syntax! (ID: 7)

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

  • Luiz Leitão

    O cara é mesmo de amargar. Essas malditas ciclovias tiram o espaço de uma pista em ruas que, na maioria, já estavam saturadas. Agora, reduz ainda mais a velocidade máxima. Não bastasse isso, quer encher de prédios a Rua Estados Unidos. Fora!

  • Marcelo Alonso

    Pobres de nós Bob, não adianta, o Ministério Público até tenta, mas temos um Tribunal de Justiça que pensa diferente, em 27 de março, o presidente do TJ-SP derrubou a liminar em primeira instância e outro desembargador definitivamente agora. O segundo link, apesar de fora de escopo, serve para ilustrar que algo que é legal pode ser imoral, veja o salário, com esse tipo de funcionários públicos, eu não vejo muita saída para a população, em todos os níveis. Depois não sabem o porquê do país estar indo para o buraco…
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/07/1660964-justica-confirma-decisao-que-da-respaldo-para-ciclovias-em-sp.shtml
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/08/1675401-presidente-do-tj-sp-recebe-r-96-mil-em-junho-mas-nao-paga-custas-de-acao.shtml

    • CCN-1410

      Não gostei do que escreveste, mas é verdade.

    • Marcelo Alonso

      Não Bill, nas democracias, o judiciário é o órgão de governo que garante os direitos individuais e coletivos do cidadãos, de acordo com as leis e a constituição do país. Só em pseudo-democracias e democracias muito incipientes é que se tem a idéia de que porque alguém foi eleito pode tudo. E não, o juiz não pode intervir no poder executivo por iniciativa própria, pode e deve se provocado por alguém que acredita que teve seus direitos prejudicados e deve julgar de acordo com as leis e, no caso de improbidade administrativa, normalmente é o Ministério Público que oferece denúncia ao judiciário contra o administrador.

  • Juvenal Jorge

    E para piorar, o motorista mediano, que não sabe utilizar o velocímetro, anda mais ou menos a uns 10 km/h abaixo do limite das placas. Resultado: um monte de gente atravancando a vida das outras.

    Como pode ninguém fazer nada e acabar com esses abusos de poder? Como pode? Quem estará comprado a ponto de ficar quieto?

    Não sou eu: Haddad, vá para o inferno! E bem rápido!

    • Celso Fernando Ferrer Singh

      Cara juro , é IMPOSSIVEL andar a 50km/h na avenida dos bandeirantes e a 60km/h na avenida 23 de maio , isso é uma palhaçada , vc sai de um semáforo aplica o pé com delicadeza no acelerador sem chegar a apertar nem 20% do pedal e ,quando você ve você ja esta acima do limite de velocidade , é muito complicado andar de carro , do jeito que esta ficando a cidade , e ainda digo mais quem defende esse cara é Falso moralista que tem a carteira até cassada , ou é moralmente desonesto , nós vamos ter 15 milhões de multas aplicadas esse ano para uma frota de 8 milhões de veículos , eu utilizo muito o carro a noite por precisar ir para faculdade em um lugar aonde o transporte publico para a região onde moro é precário , isso sem falar e entrar nos méritos da segurança publica aonde nós temos a 50km/h grandes probabilidades reais de ser facilmente assaltado nessas vias a noite , já que o justo que seria não medir a velocidade instantânea e sim atuar quem dirige de maneira irresponsável ( ja que irresponsabilidade ao volante mata e velocidade não ) é impraticável pela mentalidade desse país , pelo menos mantenham os limites “altos” ,coloquei entre aspas porque de fato não seriam limites altos mas sim a velocidade que a via foi projetada para suportar , 80km/h na avenida dos bandeirantes e 90km/h na 23 de maio,túnel ayrton senna e demais pistas expressas ,radial leste e etc o resto da cidade 70km/h como sempre foi , lembrando que ninguém é obrigado a andar na máxima , e dificilmente conseguiríamos andar por excesso de veículos , mas pelo menos a noite ou de madrugada poderíamos andar em velocidades razoáveis. não sei se vcs do AE notaram mas vcs viram que misteriosamente os semáforos estão sendo dessincronizados ao invés de sincronizados ,e tem rua virando contra mao com o único intuito de piorar ainda mais o transito , isso sem falar nas faixas que não cabem o carro por serem estreitas de mais

      • Marco

        Essa dos semáforos dessincronizados, me recordo de certa vez, ao assistir o SPTV, o representante da CET na ocasião, ainda durante o governo Kassab (acho…), questionado sobre a falta de sincronia, disse que era proposital, para segundo ele os veículos não desenvolverem velocidade e assim aumentar a segurança.

        Dá vontade de esmurrar um inútil desse.

    • Fat Jack

      Fato, passo por isso uma vez por semana trafegando pela Marginal Pinheiros as 5:30hs da manhã e digo mais 10km/h abaixo (em todas as faixas, destaque-se) você ainda está sendo gentil…, tartarugas mancas com câimbras em câmera lenta conseguem ser mais rápidas.

  • Leister Carneiro

    Me passa a impressão que a cidade perdeu sua personalidade e não reage mais. Não só a cidade mas o país

    • Lorenzo Frigerio

      SP chegou ao fundo do poço. E vai continuar assim, pois novos prédios serão construídos, para abrigar mais e mais pessoas. A vida delas passará a ser meramente virtual, via What’s App.

      • Leister Carneiro

        Triste isto , eu pessoalmente não consigo levar este tipo de vida. Mas ao que parece, tem quem goste.

    • Andre Sousa

      Exatamente. Cada vez mais se vê aberrações e tudo vai para a frente, de um jeito ou de outro. Os órgãos competentes parecem não ter força para derrubar isso tudo. Basta ver as dificultades que:

      1-) a OAB está enfrentando no caso das marginais (e é bem provável que perca, pois o executivo municipal tem autoridade para estas medidas, ainda que o abuso esteja claro). Sem falar que nesse caso, com tanto problema mais sério, essa questão ridícula da velocidade das marginais paulistanas vai ser julgada em esfera federal, ou seja,um assunto ridículo, com tudo para acabar em pizza, vai onerar a mais alta corte do país (como se não houvesse casos mais sérios).

      2-) o Ministério Público e associação Paulista Viva enfrentam em impedir o fechamento da Paulista, ainda que tenha sido firmado um Termo de Ajuste de Conduta em 2007.

      • Leister Carneiro

        Concordo com você e vejo um excesso de autoridade do executivo em fazer coisas que atrapalham, mas não hora de beneficiar a população se valem da burocracia do estado para não fazer. Estamos perdidos

  • Claudio Antonio Cesario Dasilv

    São Paulo não merecia um prefeito como este .Na verdade eu temo pelo futuro de São Paulo por que os prefeitos estão sempre querendo tirar os caminhões da cidade agora a alvo é o Ceasa , mas se esquecem que o caminhão leva progresso e dinheiro e a prefeitura precisa deste dinheiro que vem em forma de imposto para se manter . Aí eu pergunto .Quais as vantagens de transformar São Paulo em uma enorme cidade dormitório?

    • Domingos

      A “vantagem” é quebrar São Paulo, abrindo caminho para que ganhem a população daqui com qualquer esmola ou qualquer medida pequena e barata que alivie um pouco o desespero.

    • Lafayette Veiga

      Me desculpe, mas a populacao elegeu, agora que pague pelas suas escolhas. O mesmo vale para o Brasil e Dilma.

      • RoadV8Runner

        Comentário simplista e muito superficial, desculpe o desabafo e a franqueza. O problema são os milhões de brasileiros que, como eu, não elegeram essa que está lá em Brasília e são obrigados a se sujeitar aos desmandos de um bando hipócrita e burro, que levou uma nação inteira à derrocada total.

      • Eurico Junior

        Penso o mesmo. Votaram nele, agora agüentem.

      • Diego

        Tem uma ressalva, ele foi eleito? Sim.

        Tem direito a cumprir seu mandato? Com certeza.
        Pode abusar do poder? Não.
        O fato de ter sido eleito não é um “vale faça tudo que quiser por 4 anos”.

    • Leonardo Mendes

      Santos está na mesma situação… já restringiram o acesso e estacionamento dos caminhões na área urbana, agora fizeram o mesmo na área portuária.

    • CCN-1410

      O caminho talvez, seria o de criar enormes depósitos nos arrebaldes da cidade para então transportar as mercadorias em picapes e caminhões de até quatro toneladas, para o centro. Mas aí tem o custo que provavelmente será altíssimo.

  • Leo-RJ

    O pior é que isso gera o chamado “eco-arrecadatório”, ou seja, as demais prefeituras passam a copiar isso como forma aumentar a arrecadação.

  • carlos alexandre noriler

    Esse é o Brasil petista, aqui na minha cidade estão enviando as crianças para escola cada vez com menos idade (2, 3 anos), para assim poder sobrar vagas nas creches que estão lotadas. Esse é o PT, eles arrumam alguém ferrando outrem.

  • francisco greche junior

    Fiquei uma semana fora de São Paulo, dai vou rodar na Av. dos Bandeirantes, velocidade 50 km/h… Falar o que desse cara.

  • Lorenzo Frigerio

    Já dei um “so long” a São Paulo 5 anos atrás. Autoentusiasta que é autoentusiasta, em São Paulo, é como um leão numa jaula.
    Infelizmente, as pessoas ali acham que a Cidade é o único lugar do Brasil para se viver e ganhar dinheiro. Lá se ganha, lá se gasta, lá se vive uma vida de m…
    Ou alguém acha que pedalar no Minhocão e na Paulista de fim de semana, ou passear no Shopping, é programa?

    • Zelig

      Na série matemática The Code da BBC tem uma explicação para as pessoas se reunirem em cidades grandes. Não se formaram por acaso. Ninguém vem para grandes centros à toa, do mesmo modo que também não saem deles.

      • CCN-1410

        Eu sempre morei em cidades pequenas e abomino as grandes. Cidade grande só serve para passear eventualmente. Para que eu vou morar no inferno se posso morar no paraíso?

    • Domingos

      Uma coisa é certa: eu só saio depois que São Paulo finalmente eleger um prefeito que enterre o esquema do foro de são paulo.

    • Fat Jack

      Adoraria ter uma “válvula de escape” para sair da capital, mas com todo efeito colateral da “marolinha” que virou tsunami, quem sabe daqui há uns 3 anos, antes disso é atitude de alto risco, e eu não estou podendo…

  • Lorenzo Frigerio

    Você sabe para que serve o TJ? Você sabe qual o maior réu no Poder Judiciário? Os governos municipal, estadual e federal.
    Você sabe como um juiz se torna desembargador, e como um desembargador se torna ministro do STJ?
    Então… você sabe para que serve o TJ?

    • Marcelo Alonso

      Lorenzo eu entendo tudo o que você está falando e também sei que a muito tempo os nossos funcionários públicos dos três poderes se uniram para se perpetuarem no poder e manterem suas regalias. Será que nosso regime de governo é uma democracia ou uma burocracia?

    • SergioCJr.

      São coisas bem distintas Lorenzo… Para os TJs, os desembargadores, excetuando o 5º Constitucional reservado ao MP e OAB, mesmo que indicados, são magistrados de carreira.

      A indicação e exigências para ministros do STJ e STF são outras e dispostas na CF88, não sendo um prerrequisito ter sido desembargador.

      E, com as devidas ressalvas, já que não necessariamente vincula-se unicamente a improbidade, cabe ao TJ verificar se, dentre os atos praticados pelo ente estatal e contestado por um cidadão ou coletivo, os princípios básicos (moralidade, legalidade, etc) foram observados.

      Desta forma, em sendo legal o ato, havendo competência (legal) pra fazê-lo, sendo observados os pressupostos da Lei Orgânica do Município (no caso de ato municipal) e Constitucionais (Estadual e Federal), pouco resta ao TJ para invalidá-lo.

  • Lorenzo Frigerio

    Desde os tempos de Prestes Maia, Faria Lima e Maluf, quando SP era “a cidade que mais cresce no mundo” (como se isso fosse elogio), os prefeitos têm todos sido paus-mandados do SECOVI. O Kassab, aliás, foi cassado por ter recebido doações eleitorais de uma entidade de fachada daquela instituição, como “jeitinho” para driblar a legislação que proíbe entidades de classe de fazer essas doações… talvez a turma já tenha esquecido, pois o nosso “glorioso” TJ (ou talvez o TSE) imediatamente revogou a cassação… para isso, a justiça é rápida como um raio.
    Malddad me lembra Brizola… tudo pode. Baderna total.

  • Andre Sousa

    Bob,

    Mande ver nas reportagens contra os abusos desse imbecil. São poucos os canais que têm se posicionado com essa constância (o que, particularmente, acho importante e é o que grupos com MBL e Revoltados On-line vêm fazendo com outros assuntos). O MP e OAB-SP em algum momento dissem que poderiam entrar com outra ação, além daquela referente às marginais. Espero que sim.

    Embora este camarada nitidamente se esforça empinando o traseiro à procura de um chute, me espanta a passividade da população. Não reeleger este cara não pode ser a única resposta para tanto abuso.

    A Av. Bandeirantes e Complexo Viário Maria Maluf (que também é um bom trecho de via expressa) foram esta segunda para 50 km/h. E outras avenidas com 4, 5 pistas também estão indo para 50 km/h.

    Outro fato que é importante destacar: só este ano me parece que já foram 12 milhões de multas, ou seja, 1 multa para cada habitante.

    Eu vi uma foto de um carro circulando com uma faixa escrita: “Haddad, o maior imbecil que já passou por SP”. Estou estudando seriamente as possíveis implicações e, conforme for, irei fazer o mesmo.

    Depois do mensalão, temos agora o MULTALÃO na capital paulista. Estive na Flórida este ano e passei por uma cidadezinha onde, por muito menos, imbecis com ideias semelhantes tiveram de se acertar com a justiça e foram destituidos do cargo …Vejam:

    http://policestatedaily.com/infamous-speed-trap-town-may-loose-police-dept-illegal-ticket-quota-scandal/

  • Rafa F

    Bob, está tudo muito triste ! Não da mais pra morar aqui !
    Vendi meu carro, minhas coisas e estou caindo fora desse barco.

  • Roberto

    Um assunto “off topic”: nesta semana foi divulgado que está sendo encaminhado para o senado um projeto de lei que obriga o uso de faróis baixos nas rodovias. O problema é que o tal projeto (PL 5070/2013) não menciona nada sobre as luzes diurnas (DRLs). Desta forma, se for aprovada do jeito que está e se for levada ao pé da letra, mesmo quem tem luzes diurnas será obrigado a manter os faróis ligados durante o dia. Ao meu é mais uma lei, como tantas outras que temos, que já nasce com seus “furos”…

    • CCN-1410

      Pior mesmo vai ser aguentar os carros com faróis desregulados que trafegam em sentido contrário. Antes de promulgar a lei, seria responsável orientar a população para que mantenham seus sistemas de iluminação regulados.

    • Fat Jack

      Vou aproveitar “a brecha” do assunto e mencionar um trecho de um outro post do Ae:
      “…Os EUA, com a maior frota de veículos do mundo e depois de longos estudos, recusaram a proposta…”
      Pois aqui em terra brasilis simplesmente se bate o carimbo: “Cumpra-se” sem nenhum tipo de estudo e ainda há quem aplauda tal atitude.

  • CharlesAle

    Haddad é um simbolo do que é o lulismo. Irresponsável, intolerante.. Além de ser um péssimo exemplo de prefeito já eleito pelo povo..A cidade, abandonada, esburacada, etc..pede socorro aos seus cidadãos de bem para que , no ano que vem, não cometa um erro tão grave como foi eleger essa criatura abjeta…

  • Ilbirs

    Recentemente a av. Pacaembu teve sua velocidade máxima reduzida para 50 km/h para fins de agradar os hipsters envergonhados de produzir testosterona que tanto apoiam o Luís Boça AKA Fernando Haddad:

    http://f.i.uol.com.br/folha/poder/images/12247468.jpeg

    http://i4.ytimg.com/vi/FFUULOZffR4/hqdefault.jpg

    http://www.diariosp.com.br/diariosaopaulo/upload/noticia/1349647304haddad_pt370x211.jpg

    https://pbs.twimg.com/profile_images/420175038/boca_400x400.jpg

    Minha pilotagem só ficou mais tensa porque o GPS havia endoidado um pouco e lia em vez de velocidade de 0 km/h uma inicial de 41 km/h, o que fazia apitar o alarme de velocidade muito cedo, mas houve uma hora em ele se consertou e voltei a ter aquela dobradinha com o Waze me dizendo onde estão os radares. Tendo sido em um domingo essa constatação, a pista não estava cheia, mas era perfeitamente imaginável saber como estaria em dia útil de semana com aquela grande quantidade de integrantes do Rivotril Driving Team. Uma pequena amostra disso tive quando deparei com um Fit à minha frente, modelo esse que sempre me faz presumir, e dificilmente errar, que seu motorista seja um barbeiro letárgico daqueles, sendo que dificilmente erro tal presunção. Imagine então um monte de Fits com o típico motorista deles fazendo das suas, mais o resto dos pouco habilidosos que guiam outros modelos que não o compacto da Honda.
    Como já disse em ocasião anterior, não me surpreenderei se uma operação Lava Turbo-Hélice (só para que o pessoal tenha uma noção de escala levando em conta a Lava Jato) descobrir que essas reduções de velocidade têm alguma função arrecadatória que não aquela mais clássica. Observe-se que isso está acontecendo depois de desbaratados Mensalão e Petrolão e pode se intensificar se abrirem a caixa-preta do BNDES. Aliás, não me surpreenderei se o ídolo dessa gente que se envergonha de produzir testosterona baixar uns limites ainda mais baixos e vir com aquele papinho de que é o que se faz em cidades europeias. Como sabemos, envergonhados em produzir testosterona olham muito para a Europa, continente onde um homem médio de lá produz em seus testículos e glândulas adrenais menos testosterona que uma mulher daqui produziria só com suas adrenais. Se falarem que tomar veneno é a última tendência na Europa, os tais envergonhados em produzir testosterona tomarão acriticamente.

    Logo, se você não tiver vergonha de produzir testosterona, esse hormônio que todo ser humano produz independente de sexo ou sexualidade e que se do qual for privado terá surtos de irritabilidade, cansaço fácil e fragilidade corpórea, seguirá os seguintes passos:

    1) Não votar em ninguém do PT;

    2) Não votar em ninguém de partidos que façam parte do Foro de São Paulo (PT, PSB, PDT, PPS, PC do B, PCB, PPL);

    3) Não votar em ninguém de partidos que sejam linha auxiliar do Foro (PSOL, PSTU, PCO);

    4) Lembrar que PSDB não é oposição de fato, mas a outra lâmina da tesoura gramscista, sendo na prática um PT que diz “por obséquio”;

    5) Prestar muita atenção a candidaturas aparentemente contrárias ao PT e ao Foro que na realidade são “cristianizadas” (jargão eleitoral brasileiro para candidaturas feitas propositadamente para perder), mas que dividem o eleitorado e acabam permitindo que no segundo turno só haja candidatos de esquerda. Como já disse, tenho minhas desconfianças em relação à candidatura do Datena;

    6) Prestar atenção também ao voto para vereador, pois uma câmara contrária ao PT e ao Foro pode inviabilizar boa parte da agenda que nos querem impor. Faça aí analogia com o que estamos vendo no Congresso atualmente.

    Por ora é possível que não tenhamos a Marta, uma vez que ela está inelegível por três anos. Por ora fala-se dela no PMDB, podendo aí ser um disfarce de manobra calculada do Foro de São Paulo em que ela teria saído do PT aparentemente brigada e originalmente iria para o PSB. Se inelegível, não poderá concorrer a qualquer cargo no ano que vem, o que deixa a coisa mais difícil para que a tal entidade supranacional consiga seguir governando esta cidade. Porém, não custa continuarmos a prestar atenção e, principalmente, votar com o mínimo possível de emoção, sendo a intuição a única permitida, uma vez que capaz de captar pressentimentos que muitas vezes acontecem de fato.

    • Domingos

      E agora o Malafaia também vai ser candidato. Tenho certeza que vai ser lotada de candidatos polêmicos essa eleição justamente para que, no fim, o Haddad consiga ir para o segundo turno.

      • Domingos

        Perdão pelo erro: É o Feliciano que vai ser candidato. O resto continua a se aplicar…

    • André Andrews

      Me exclui desses donos de Fit. Uso sempre 10 km/h de velocímetro acima de qualquer limite, e somente na hora de passar por baixo da câmera ou lombada eletrônica. Depois, é à moda, se os donos da esquerda e outros donos de Fit permitirem rsrsrs

      • Ilbirs

        Tudo bem, considere-se excluído, mas que toda vez que vejo um Fit presumo que há um barbeiro (não o inseto nem o profissional assim conhecidos) entre o banco e o volante e dificilmente erro, isso é verdade. Coisas que já vi acontecer envolvendo gente a bordo do referido Hondinha:

        1) Virando uma alça de retorno semaforizada, vejo na minha frente um cara em um Fit de segunda geração vermelho. Era daquelas alças em que se anda reto e faz-se uma cotovelo acentuado que, devido à baixa velocidade, contorna-se com o pé no acelerador. O que o infeliz me faz? Ao atingir o ápice da curva, pisa no freio e me obriga a frear para não bater na traseira. Para a trollagem ficar pior, é claro que o sinal ficou vermelho justo na hora em que eu iria reacelerar;

        2) De madrugada, na esquina da Rebouças com a Pedroso de Morais, abre-se o sinal da Pedroso para mim e lá estou acelerando para ingressar na Rebouças. Um Fit cinza de segunda geração freia fortíssimo, arrasta rodas e quase me atinge no lado do motorista. Olho para a motorista, faço aquele gesto de ma che cazzo? com os dedos reunidos na testa, aponto o sinal verde para mim e saio acelerando;

        3) Na Consolação, perto do cemitério, um cara em um Fit de primeira geração na faixa mais à esquerda antes da interna, que é corredor, sai da referida e fecha as duas outras faixas em uma manobra radical que poderia gerar um engavetamento daqueles (talvez a associação Fit-barbeiragem já esteja no imaginário popular e outros já haviam se preparado mentalmente);

        4) Certa vez estou para estacionar na praça Francisco Mattarazzo Jr., perto do Allianz Parque, quando o prefeito preferido dos que têm vergonha de produzir testosterona não mandou colocar placas de proibido estacionar no referido logradouro. Estou para embicar de ré em uma vaga que estava perfeita para mim e… alguém em um Fit de segunda geração preto fica postado de um jeito que, se eu continuasse a manobra iria encher a frente do carro em questão. Como pelo posicionamento eu não teria como continuar a manobra de estacionamento, toca abortar o procedimento e procurar outra vaga;

        5) Quando o sinal fica verde e tem alguém com um Fit, à minha frente, já calculo mentalmente uns dez segundos de tempo de reação de quem dirige o Hondinha e dificilmente erro.

        E aqui só estou puxando aquilo que mais marcou minha vida após aquele 2003 em que a Honda lançou o referido automóvel, pois são tantos, mas tantos barbeiros usando esse veículo que tenho a nítida impressão de que a fama pode até mesmo estar prejudicando suas vendas em uma série histórica e o recente esculacho construtivo da terceira geração (sem palheta flat-blade, sem pintura no cofre, vedação piorada e sem aquelas borrachas duplas perimetrais nas portas etc.) pode ter somado resultantes para o desempenho de vendas pior de agora.
        Vamos dizer que é daquele tipo de associação que faço por minha própria segurança, tal qual presumir que um pit-bull vai morder, alguém com blusa de moletom com capuz vai assaltar ou que mulher gorda com cabelo curto raspado na lateral é uma feminista das mais chatas que possa existir: é claro que pode haver exceções, mas a experiência mostra que um determinado conjunto de características visuais em geral vai dar aquela impressão reforçada pela repetição de um padrão. Logo, se vejo um Fit, não tenho como saber se quem o dirige foge da barbeiragem que via de regra acomete quem guia tal modelo.

        Aliás, adoro o Fit e teria um. Talvez fosse um seguro contra outros barbeiros, pois iriam presumir que eu sou barbeiro e iriam dar uma distância segura…:-)

  • Domingos

    Ele está provocando não só os motoristas como crise!

    Saí no último final de semana a passeio e não pretendo mais fazer isso a não ser em necessidade ou muita vontade, pois ir a algum estabelecimento mais longínqüo ou lugar mais longínqüo se tornou um martírio. Você se arrasta mesmo sem transito nenhum e tem gente andando a menos de 40 km/h nas marginais para não tomar multa!

    Resultado: se gastava um tanto a cada saída, agora gastarei o mesmo tanto cada dois ou três meses no lugar de apenas 1.

    Os negócios estão desesperados, todos te ligando para você aparecer ou comprar algum produto/serviço.

    E se alguém sugerir cruzar a cidade num domingo de tarde de ônibus, já fica aqui meu xingamento.

    • Marco

      Estou nessa. Moro no ABC e costumo ir a São Paulo com certa freqüência, a trabalho. Por costume, quase sempre que preciso comprar algo (seja um sapato, roupa, eletrônico qualquer etc), vou a São Paulo durante os finais de semana.

      Agora, só vou a trabalho. Quando preciso comprar alguma coisa, fico pelo ABC mesmo.

      • Domingos

        Exatamente. O pior é que a medida acabou fazendo o contrário do que seria algo que teria tido algum efeito positivo, pois no final de semana o trânsito ainda não era um problema e ficou muito bom.

        Já de semana, ficou ruim como sempre e ainda por cima o comércio deve estar horrível. Todos os horários as pessoas só pensam em voltar para casa mesmo e no final de semana passaram a se deslocar muito menos.

  • Domingos

    Não copiem isso. O comércio vai CHORAR. De fato, poucas pessoas têm circulado de final de semana em São Paulo.

    Só é bom para a prefeitura arrecadar e mais ninguém.

  • RoadV8Runner

    Pior que isso é um amigo meu comentar que basta querer para andar devagar, não existe nada demais para respeitar os limites de velocidade, pois ele mesmo nunca (faz-me rir…) anda fora dos limites estabelecidos, por mais baixos que sejam. Chegou ao despropósito de chamar de “canalha” quem anda acima dos limites de velocidade. Só não mandei ele para aquele lugar em respeito aos anos que nos conhecemos. Mas, depois dessa, já não o tenho mais como amigo de fato. É ser muito leviano um tipo de comentário desse, para ficar no bom Português.

    • Diego

      Você é de fato alguém bem educado, eu teria mandado àquele lugar bem conhecido com a entonação do saudoso Alborghetti

    • Domingos

      Ser leviano e falso assim merece mesmo no mínimo um afastamento. E um bom xingo em caso de insistência.

      As velocidades atuais são tão baixas que mesmo motoristas ruins em carros pouco potentes possuem grande dificuldade em respeitá-la, fazendo um monte de frenagens inconstantes e aleatórias.

    • Lemming®

      Perdeu a oportunidade de mandar o fulano para aquele lugar pois não pode ser normal o ser me falar que isso que está acontecendo está certo. A confusão mental tem de ser extrema e caso de hospício!

      • Rochaid Rocha

        Não teria a mesma paciência. Não tenho. Se alguém vem me defender esse tipo eu mando àquele lugar mesmo.

    • Celso Fernando Ferrer Singh

      Isso é falso moralismo, essas pessoas que defendem a medida do inimigo número 1 de são Paulo, é a mesma mentalidade de um sujeito que estava conversando, e justificava que os limites não poderiam ser muito altos (estávamos conversando sobre aumentar em 15% ou 10% os limites das rodovias paulistas), pois segundo o sujeito havia muitos velhos ao volante que dirigem mal, fiquei mais surpreso ainda quando o sujeito me falou que anda a 180 km/h nessas rodovias, quer dizer então que ele julga ter uma capacidade melhor de pilotagem que os outros? Ele pode e os outros não? Aliás, os limites baixos são até um risco porque vão ter pessoas que vão ficar atravancando o fluxo com medo de tomarem multas e a maioria não vai respeitar por se tratar de um limite muito baixo e desconfortável (para não falar impossível) de se transitar. O resultado será um numero maior de acidentes pois a diferença de velocidades nos veículos será altíssima. Imagina você na faixa da esquerda a 50km/h (já que na direita estão andando a 40) e vem alguém a 80 km/h e está no direito dele de andar mais rápido, já que não esta oferecendo perigo para a sociedade e aquela via foi projetada para isso, e quando ele se depara com você a 50km/h tem frear bruscamente. Um lapso de desatenção e a besteira esta feita. Voltando à historia do sujeito que andava a 180 km/h na rodovia e ainda defende que os limites devem ser baixos , é o que eu digo é falso moralismo, a rodovia em questão que estávamos debatendo era a dos Bandeirantes, quem conhece sabe que não seria nenhum absurdo 130 ou 140 km/h como velocidade máxima , o sujeito acha que deve reduzir pois “velhos dirigem mal” (exatamente isso que ele falou) , mas ele quer continuar andando a 180 km/h. Vai entender a lógica, pior que esta mesma lógica que enche as ruas de lombadas e justifica o abuso de poder e a falta de respeito do poder publico (sr. Raddard ) com a população de bem trabalhadora quer já da um duro danado de pagar três vezes o valor do carro para tê-lo .

  • RoadV8Runner

    É simplesmente pavoroso manter velocidade de 50 km/h em avenidas que foram projetadas para se trafegar a 80 km/h (no mínimo…) com toda segurança. Meu carro (um Focus 1,8-litro) “sofreu” a cerca de duas semanas atrás para manter os 50 km/h, em terceira marcha, pois uma leve acelerada a mais e o carro subia para 60 km/h. E o mais bacaninha de tudo isso é que o consumo de combustível vai para as alturas, pois ao invés de se usar uma marcha mais longa, você se vê obrigado a usar marcha mais reduzida, senão é o “plim-plim” na caixa registradora do desgoverno.
    Portanto, é um demente quem defende velocidade baixa desse jeito e, ainda mais demente, quem decide implantar um despropósito desses e ainda tenta fazer mágica com os números para justificar que a medida trouxe benefícios para a população. Exatamente o que fazia o Partido no livro 1984 de George Orwell. Outra semelhança é que o PT quer o poder pelo poder, não importa o bem estar da população.

    • Domingos

      Fora a distração. Dirigindo a essa velocidade você começa a olhar até a paisagem.

      Não é à toa que está tendo um monte de freadas bruscas no meio do nada.

      Os acidentes vão aumentar, como até já colocaram algumas indicações aqui onde de fato aumentaram fora do horário de pico.

    • Uber

      É muito incômodo isso, o carro se comporta como aqueles cachorros afobados que ficam te puxando quando você os leva para passear.

    • Zelig

      Dá pra rodar a 60 de velocímetro. O disparo da câmera é só a 58 km/h reais.

  • Eurico Junior

    Estou me ferrando junto, mas acho pouco para os milhões de otários que elegeram esse sujeito. Que se danem! Felizmente, parece que o povo acordou e brindou o Padilha (“petista com cara de tucano”, segundo o Brahma) com uma votação pífia.

    • Domingos

      O Padilha faz papel de adolescente palhaço na internet para tentar tirar dele essa imagem de “tiozão”, que aparentemente ofende o eleitorado maloqueiro do PT.

      Além do ridículo que passa, teve mesmo uma eleição onde se tivesse 2º turno ele sequer teria passado!

    • Mingo

      O jeito, pessoal, é aumentar a dose de Gardenal e aguardar os meses que restam para tirar esse dejeto da Prefeitura. E rezar para que não entre outro dejeto pior, o que também é altamente provável…

  • Eurico Junior

    Esse néscio foi eleito graças à farra do crédito fácil (classe C endividada até o pescoço manda um abraço) e ao apetite do eleitor paulistano por “novidades” (Erundina, Pitta, Kassab, etc).

    • Fat Jack

      Eu só gostaria que o eleitor se lembrasse que se nenhum deles se reelegeu ou elegeu sucessor foi por um motivo, aliaram “lambança” a incompetência, e eu ainda incluiria na sua lista a futura candidata Martaxa, digo, Marta Suplicy…

  • Uber

    E se espalha como um câncer! Av. Brig. Faria Lima, velocidade reduzida para 40 km/h!
    Calma que isso foi em outra cidade, o companheiro dele, prefeito de Guarulhos, depois de ferrar o orçamento da cidade e não ter dinheiro para gastar, também está apelando para esse papo de redução de velocidade para reduzir acidentes. E ainda criou uma faixa de ônibus apenas no sentido centro para atrapalhar mais, pois a avenida guarulhense é o oposto da avenida paulistana.

  • Cezar Rodrigo Lopes

    Hadadd, Hadadd, Hadadd. Esteja certo ou errado, sempre se fala no Haddad. Tenho utilizado mais as estradas de São Paulo para ir até o sul de Minas, uma vez por mês nos últimos 4 meses. Nesses meses foram cinco multas por excesso de velocidade. Coisa de 81, 91, 103 km/h (segundo a margem de erro dos radares). Todas dentro dos 20%. Todos de radares móveis ou dos novos brinquedinhos da PM Rodoviária que são as pistolas-radares. Todas em trechos com constantes e inexplicáveis mudanças de velocidade da via. Uma inclusive, poucos metros antes de uma placa que ditava exatamente a velocidade que eu estava (está na foto da multa!), uma verdadeira “pegadinha”. Se o Haddad é o inimigo n.º 1 do paulistano, o Alckmim é o inimigo perpétuo do autoentusiasta paulista; as viagens de cerca de 300 km tem sido cada vez mais tensas e cansativas, dada a preocupação com as mudanças de velocidade, tem durado cada vez mais tempo, e ainda sim vem a multinha 15 ou 20 dias depois. Quando teremos um editorial sobre isso? Quando teremos sobre os abusos dos caminhoneiros que constantemente ocupam as faixas da esquerda para fazerem ultrapassagens sem condição, e sem fiscalização da PM Rodoviária?

  • marcus lahoz

    Bob aqui o comuna do Gustavo Fruet vai colocar o limite de 30km/h em todo o centro da cidade. A estupides se espalha rapidamente.

  • Lucas

    E quando o feitiço se vira contra o feiticeiro?
    http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2015/09/02/em-discurso-lula-brinca-com-reducao-da-velocidade-e-ciclovias-de-haddad.htm

    O Mula, ops, quero dizer, Lula, tirando sarro do Haddad por ter se atrasado (ou nem ter ido) a um evento.

    • Fat Jack

      Adorei!
      Enfim uma boa notícia que eu leio a respeito do assunto, e como sabe fazer muito bem nessas situações ele “não se pronunciam”, seria para rir, se não fosse para chorar…

  • Marcelo R.

    Eu só espero sanidade do próximo prefeito e que todas estas sandices, da atual administração, caiam por terra.

  • Avatar

    Caso o MP ou a OAB se interessem em nos defender, vale lembrar que os limites hoje impostos na cidade de São Paulo são até mesmo menores do que diz o CTB:

    Art. 61. A velocidade máxima permitida para a via será indicada por meio de sinalização, obedecidas suas características técnicas e as condições de trânsito.

    § 1º Onde não existir sinalização regulamentadora, a velocidade máxima será de:

    I – nas vias urbanas:

    a) oitenta quilômetros por hora, nas vias de trânsito rápido:
    b) sessenta quilômetros por hora, nas vias arteriais;
    c) quarenta quilômetros por hora, nas vias coletoras;
    d) trinta quilômetros por hora, nas vias locais.
    O absurdo chega a tanto em São Paulo que a Av. Rubem Berta/23 de Maio (que é claramente uma via de trânsito rápido) está com limite 20 km/h menor!!
    O duro é que não tenho esperança de uma próxima gestão voltar atrás com os desmandos desse louco que assumiu a prefeitura. Gostaria muito de ver algum candidato em 2016 propagandeando uma volta aos limites pré-Kassab, mas até mesmo minha esperança já morreu junto com o prazer ao dirigir na cidade de São Paulo…

    • Fat Jack

      Procurei essa informação para tentar alertar aos defensores que os limites até então existentes não haviam sido estabelecidos “ao acaso”.

    • Lucas dos Santos

      Esses limites são apenas onde não houver sinalização. Ao sinalizar a via, valem os critérios estabelecidos pelo Manual Brasileiro de Sinalização, que levam em consideração a largura da via.

      O próprio manual, porém, abre uma brecha para limites mais restritivos do que o recomendado caso determinado trecho seja considerado “perigoso”. Utilizando-se desse argumento, na prática, a autoridade de trânsito se vê livre para estabelecer o limite que bem entender, sempre se utilizando de uma desculpa “esfarrapada” como justificativa.

  • Francisco Passarini Junior

    Bob, a população de SP pede socorro, mas ninguém escuta, a alguns dias atrás, assistindo ao noticiário da famosa Rede G…. de Alienação, o excelente repórter Cesar Tr…….., fez o infeliz comentário de que o aumento do número de multas aplicadas na cidade de São Paulo, é decorrente do grande número de infrações de trânsito cometidas pela população e que a fiscalização deve ser intensificada, em nenhum momento falaram sobre a industria de multas que foi implantada em nossa cidade.

    O que eu tenho percebido nas redes sociais, é que mesmo assim, existe um grande número de pessoas que aprovam tais atitudes, talvez em decorrência de serem alienadas através do péssimo sistema e televisão brasileiro.

    Acredito que o final dos carros está cada vez mais próximo na cidade de São Paulo, e quero ver qual vai ser o prefeito que vai ter coragem de retomar os antigos limites de velocidade e de desmanchar as ciclovias e faixas exclusivas irregulares da cidade de São Paulo, eu acredito que isso não deverá acontecer.

    • Celso Fernando Ferrer Singh

      Eu teria essa coragem, porém não sou candidato. Acredito que não só se deve voltar aos limites antigos da época pré-Kassab, como também rever os limites de algumas vias que atualmente se tornaram um pouco baixos devido ao aumento da segurança nos carros e que também pelo fato de terem sido estabelecidos na época um pouco abaixo do ideal devido a se poder beber um pouco e dirigir. Então podemos regulamentar um limite coisa de 10% maior em algumas vias como, por exemplo, a av. 23 de Maio que poderia ser bons 90 km/h (anteriormente era 80); a av dos Bandeirantes que poderia ser bons 80 km/h (70 antes). as marginais do Pinheiros e do Tietê, vias expressas, que poderiam ser de 100 km/h como o Bob já disse. Mas concordo que se voltarmos os limites antigos da era pré Kassab; se as faixas forem alargadas; se os corredores de ônibus forem reduzidos a somente onde é realmente necessário e houver espaço para os mesmos; se os semáforos forem sincronizados; e as vias forem repavimentadas, acabando com as crateras e as “depressões” ou valetas para escoamento da água da chuva – o problema destas valetas é que o pára-choque do carro bate nelas e estraga inteiro – ou se elas forem corrigidas, já seria um grande passo e ouso dizer que o prefeito seria reeleito em primeiro turno.

  • Lauro Agrizzi

    O prefeito é muito devagar anda a no máximo 50 km/h. Isto quando pega.

    • Celso Fernando Ferrer Singh

      Imagine, ele anda de helicóptero, primeiro ele ferra o trânsito depois compra um helicóptero, esquerda é assim, incoerente, eles podem e ninguém mais pode.

  • Haddad, vai tomate crú?????

    E para acrescentar um pimentinha no assunto, acabei de ler que o mais renomado membro do 1º. comando da capital, um tal de Jilmar Tato, teve a brilhante idéia de aumentar os combustíveis e utilizar o dinheiro arrecadado para subsidiar e assim congelar o preço das passagens de ônibus.
    Veja que o desgraçado nem fala em abaixar o preço da passagem, apenas em congelar, e que tal falar em abaixar a ridícula margem de lucro dessas empresas??? Se bem queeee… daí de onde tirariam o dinheiro para financiar a campanha do ano que vem??? Só no Brasil mesmo para ter um cara desses mandando no transporte público de sua maior cidade.

  • SuzukaDriver90

    Populismo 2.0!

  • agent008

    Socorro! A imbecilidade e o complô contra o automóvel estão atingindo nível global!

    http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2015/09/02/nova-york-restringe-curva-a-esquerda/

  • Antonio Amaral

    Eu não consigo entender a maioria desses comentários abaixo.
    Todo mundo reclama de congestionamento em São Paulo, aí a prefeitura tenta melhorar a situação ao diminuir a velocidade máxima das vias de alto fluxo, assim diminuindo a distância de circulação entre os carros para que com isso caiba mais carros em velocidade de fluxo no mesmo espaço, além de tentar com essa menor velocidade diminuir o numero de tempo com as vias interditadas por causa de acidentes e o pessoal reclama! CARAMBA.
    Sabe se vocês são tão especialistas em trânsito dêem uma idéia prática de como melhorar o trânsito da capital sem políticas que visem diminuir o número de veículos nas ruas e adensar o máximo possível o número de carros em velocidade constante? Não estou defendendo o Haddad, mas sim tentando entender isso de maneira técnica.

    • Marco

      Não precisa ser especialista em trânsito para constatar que a intenção da prefeitura não é a de melhorar o fluxo de veículos e a segurança. É a de arrecadar, pura e simplesmente. Ninguém aqui defende dirigir em alta velocidade dentro da cidade, mas sim de acordo com
      a condição da via. E os baixos limites adotados pela atual (má) administração vão de encontro à velocidade natural de muitas avenidas.

      Adotar limites de 50km/h em vias como a av. dos Bandeirantes, 23 de Maio e Marginal é uma medida hipócrita
      e arrecadatória. Tente trafegar por tais avenidas com o trânsito relativamente livre e veja se é possível manter essa velocidade. Qualquer “triscada” no acelerador, você ultrapassa o limite e um radar (ah, isso não falta nessa
      cidade carente de tantas outras coisas) está lá para te flagrar.

      Dizer que agora cabem mais veículos nas vias chega a ser ridículo. A seguir esse argumento, todos deveremos andar “colado” no veículo à frente, incentivados pelo governo municipal.

      Existem diversas medidas que podem contribuir para melhorar a fluidez. Sincronia de semáforos, acabar com
      muitas conversões proibidas, que fazem com que o cidadão precise dar a volta no quarteirão para chegar ao outro lado da rua, pavimentar a via decentemente, acabar com lombadas fora de especificação e construídas sem prévio estudo, acabar com valetas, etc.

      O fato é que a atual administração elegeu os motoristas como os vilões de todos os males da cidade e está tornando a vida do usuário de transporte particular um verdadeiro inferno,
      sem dar em troca um transporte público de qualidade.

      E especialista por especialista, o secretário de transporte de São Paulo também nada entende de trânsito. É formado em história (nada contra, aliás) por uma faculdade pífia. Ele entende sim é de máfia de transporte, com quem suas relações sempre foram bastante nebulosas.

      • Lucas dos Santos

        Sobre as proibições de conversões à esquerda em vias de mão dupla, obrigando o que chamam de “loop de quadra”, isso está começando a ser implantado na minha cidade e apontado como “a solução definitiva” para melhorar a fluidez do trânsito.

        Estão fazendo isso em cada vez mais cruzamentos. Como as pessoas não estão respeitando as proibições e não há efetivo suficiente para fiscalizar, estão colocando obstáculos em determinadas vias, impedindo o cruzamento. A população tem reclamado bastante,mas é tachada de “individualista” e convidada a “pensar na coletividade”.

        É dose…

        • Marco

          Em muitos lugares, obrigar o cidadão dar uma volta imensa gera mais trânsito, mas desde quando os departamentos de trânsito têm cabeças pensantes?

          Em São Bernardo do Campo, passo todos os dias por uma avenida e em alguns cruzamentos era permitida a conversão à esquerda. Inclusive, por conta da largura da pista, haviam pintado faixas tracejadas amarelas sendo que a distância entre elas era superior à largura de um carro. Então, você chegava, posicionava o carro ali e, quando possível atravessava. Sempre funcionou. Passo no local todos os dias e nunca vi/soube de nenhum acidente. Até que um dia – não faz muito tempo – algum imbecil colocou placas (sim, pois eles adoram colocar duas ou três placas onde uma só basta) proibindo a conversão.

          Todo mundo continua a fazer conversão ali, como se a placa inexistisse, inclusive os carros de polícia, pois há delegacia na esquina.

          Mas em outros locais da cidade colocaram esses tachões.

          Mas pior que proibir virar à esquerda (pois podem alegar que você “corta” a frente de outro carro), é proibir virar à direita sem qualquer motivo. Em São Bernardo do Campo há lugares assim. Evidentemente, quase todos ignoram.

          • Lorenzo Frigerio

            Outra coisa que gera mais trânsito e está intimamente associado a “fazer balão” são as vias de mão única. É totalmente ilusório que essas medidas melhorem a fluidez.

    • Domingos

      Bom, vou responder em uma frase: se você acha que dirigir ainda mais próximo é benéfico e que se ganha alguma coisa em comparação a 50% mais velocidade da via, você não sabe fazer conta.

      E ninguém está procurando solução ao trânsito, algo que aliás nunca vai acontecer e que ninguém pediu. Só pedimos para não atrapalhar mesmo.

    • Mazini

      E juro ter pensado ser brincadeira o que você estava dizendo..
      Pelo amor de Deus será que você não tem um mínimo de formação ou de informação?!
      Desde quando baixar a velocidade fará com que carros andem mais perto um do outro??
      Será que para você é tão difícil imaginar um cano com água por exemplo? Imagine que este cano tenha uma vazão “x” com a água passando por ele a certa velocidade. Quando se diminui a velocidade do fluxo de água, a vazão também diminu1, menos água sairá do cano..
      e o pior de tudo é que este cano já teve sua polegada diminuída por ciclofaixas e corredores exclusivos..

      • Antonio Amaral

        Desde de sempre amigo! Isso se deve ao fato de naturalmente as pessoas andarem mais distantes entre si quanto maior for a velocidade da via. Acho que essa matéria de velocidade e taxas de ocupação das vias é a terceira aula de planejamento urbano que você tem! O fluxo urbano funciona de maneira completamente diferente de um cano de água.
        Alem disso é bom lembrar que a maioria da área das faixas exclusivas para ônibus e bicicletas (que também fazem parte do sistema de transporte de uma cidade então também devem ter seus trechos prioritários), vieram de estacionamentos públicos, quase não afetando as faixas para automóveis já consolidadas.

        • Domingos

          Não, na verdade já mostraram aqui vídeos de estudos japoneses por exemplo onde mostram que o trânsito na verdade flui de forma extremamente ao fluxo de água sim.

          Inclusive, é possível causar trânsito de maneira similar ao que seria gerar um refluxo numa tubulação.

          Sobre as faixas em áreas de estacionamento: são aquela piada feita para contar quilômetros de faixa.

          Perto da minha casa existem algumas. TODAS elas passaram a funcionar com horários reduzidos e, depois de um tempo, agora só funcionam de manhã por poucas horas.

          Claro, a maioria era faixa redundante – ainda mais num sistema de transporte público que aumenta a malha para cortar linhas, com visão no lucro das empresas de ônibus.

          Outra coisa: em área onde está tendo construção, as construtoras dão um jeitinho com a prefeitura para que as faixas tenham seus horários reduzidos a 1/4 do original de forma que não atrapalhe as centenas de novas construções autorizadas pelo prefeito.

          Não havia excesso de espaço entre os carros em São Paulo, a prefeitura busca cada vez mais desculpas esfarrapadas.

          No mais, é só acessar seu perfil e ver sua preocupação com causas propaganda da esquerda (como “mulheres nos quadrinhos”) que meio que nem tem o que discutir sobre o seu isentismo aqui.

          Nem sei se você sequer é de São Paulo, pois caso contrário saberia que agora o que aconteceu foi o trânsito se juntar em “bolinhos” que se seguem muito próximos um do outro e ficam freando do nada para os radares.

          Cada 500 metros é uma evitada de colisão traseira.

          Se você acha que isso vai melhorar o trânsito, bom, melhor ficar falando de quadrinhos.

        • Newton (ArkAngel)

          Tanto as faixas de ônibus quanto as ciclofaixas estão ociosas. Faltam ônibus, e as ciclofaixas só beneficiam meia-dúzia de “cicloativistas” que se acham acima da lei só porque seus veículos não poluem.
          Para quem teoricamente deseja melhorar o trânsito, estas atitudes vão na contramão. Até hoje, em qualquer lugar do mundo, a melhor política de transporte urbano é o transporte coletivo.

        • Mazini

          ok, mas a distância segura fica aonde?!
          o certo é andar devagar e todos juntinhos entao?!

          e, queridinho, eu não tenho aula de planejamento urbano não, eu apenas penso por mim mesmo..
          e aliás, eu penso.

          e se comparei com um cano d’água, foi apenas para mastigar para que você entendesse

    • Fat Jack

      Cada um acredita no que quiser, acredita também nos 170 m (alegados quando da apresentação do plano de redução) necessários para a frenagem de veículos a 90 km/h?
      Quanto a ideia prática que você solicitou, que tal reinvestir os pesados impostos na melhoria e ampliação da malha viária (somente o óbvio)?

  • Fat Jack

    Interessante que os apoiadores das medidas são os mesmo que não são capazes de avaliar quaisquer informações fornecidas pela (absolutamente manipulada) CET, as aceitando como “verdade universal”.
    Da mesma forma apoiam o fechamento de avenidas para lazer aos domingos sob a alegação de que já “há carros demais” na cidade (sem fazer a mínima ideia de que tipo de complicação haverá com as medidas, e de que forma contorná-las), mas o maior contrassenso quanto as reduções de velocidade é ver que a maioria que defende essas medidas ou não trafega diariamente nestas vias (e aí é fácil), ou comentam serem a imprudência e a indisciplina as maiores causas de acidentes para justificar as medidas (e não as velocidades anteriormente utilizadas), ou seja, argumentam contra si próprias.

  • Fat Jack

    “…Juiz deve dar ordem em administrador?…”
    – Para sua informação, cabe ao Poder Judiciário, garantir que os atos do Poder Executivo esntejam nos princípios constitucionais administrativos da Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência.
    – Levando-se em conta seu comentário o STF jamais poderia condenar qualquer um eleito “pelo povo”

  • Rochaid Rocha

    Como estou curioso para ver quantos votos essa sujeito vai ter ano que vem se o Brasil ainda existir. Quero mesmo ver quantos prefeitos do PT vão ser eleitos. Minha cidade é pequena, tem apenas 50 mil habitantes, tínhamos um prefeito aqui, do PT. Foi cassado esse ano por improbidade administrativa. Normal, não? Nossas ruas parecem a Lua.

    • Marco Schneider

      Rapaz, eu tenho até medo desse cara se reeleger. Tem MUITO acéfalo apoiando esse prefeito, é inacreditável. Sem falar que grande parte da população é facilmente influenciável, estão sofrendo durante 4 anos graças à esse prefeito, mas assistem uma propaganda política bem feitinha (e mentirosa), e caem na armadilha para votarem novamente nesse cara.

  • Rochaid Rocha

    Eu vi isso. E o mais importante na lei é que terá MULTA para quem for flagrado com os faróis baixos apagados.

  • Antonio Amaral
    Todos argumentos furados da prefeitura e imagino se você a tivesse defendendo o que você teria escrito… Vamos lá:
    1. As velocidades antes praticadas nada tinham de absurdas, pelo contrário, eram absolutamente normais.
    2. O que se ganha em espaço ao diminuir a velocidade é história da carochinha, especialmente em razão do que foi dito no item nº 1. Se fosse assim, deveria se baixar o limite mais ainda e toda a questão de volume de trânsito estaria resolvida.
    3. De novo em referência ao primeiro item, é como se necessariamente os acidentes fossem diminuir ao baixar a velocidade daquela natural e adequada para uma absurdamente baixa.
    4. Mais uma aula da EBMI, a Escola Brasileira de Motoristas Idiotas, ensiná-los – e estimulá-los – a andar mais perto do carro da frente, de resultados “maravilhosos” quando pegarem a estrada ou forem dirigir no exterior.
    Você, pelo nível do seu comentário,não tem idéia do que é velocidade natural da via. Então vou lhe dizer o que é. ´É a velocidade de uma pessoa caminhando, 4 km/h. Abaixo disso numa calçada normal você está forçando a sua natureza de ser humano. Aprendeu agora? Esse Haddad é o mais perfeito exemplo de idiota. Está tornando vida em Sâo Paulo um inferno.

    • Domingos

      Bom exemplo de velocidade natural, Bob. A velocidade atual é como andar a 2 km/h numa calçada, extremamente incomodo e ainda atrapalhando todos os outros.

    • Antonio Amaral

      Obrigado pela resposta Bob.
      Eu entendo muito bem o conceito de velocidade natural e que nos trafegamos sempre a uma velocidade que consideramos segura. Esse conceito é tão valido que nas autobahns (Que acho um conceito extremamente valido e digno de ser pensado) as velocidades médias mudam de maneira interessante de acordo com os trechos e horários mesmo sem um limite estabelecido.

      Porem tem uma coisa, quando se trata de fluxo urbano a coisa muda um pouquinho de figura, a marginais por exemplo tem um perfil de circulação completamente diferente de uma Autobhan, tendo momentos com diferenças extremas dessa velocidade natural durante o dia e a quantidade de trafego.

      A ideia da prefeitura de São Paulo pelo que entendi é de que por causa dessa enorme diferença de velocidade durante o dia, o conceito de velocidade natural nos melhores momentos se tornam mais diluído (Os próprios alemães usam esses conceitos em alguns lugares) e portanto seria mais interessante limitar a velocidade limite através da ideia de maximizar a quantidade de veículos que pudessem trafegar na via sem perdas significativas no fluxo. O que é uma justificativa técnica válida.

      Porem acho que a grande diferença entre nos dois nesse assunto (Pois acho as suas avaliações de carro excelentes) é de que eu parto do principio de que São Paulo já é um inferno! E que as políticas de transito da cidade nos últimos 30 anos eram extremamente anacrônicas (Vida a expansão da Marginal Tiete que foi um desaste a médio prazo) e portanto qualquer um que pense em adequar as politicas de transporte da capital para alem desse anacronismo tem o meu beneficio da duvida.

      OBS: Eu fiquei um tanto chateado nen tanto com você pois você tem um embasamento e justificativas de uma corrente de pensamento técnico no que diz, mais sim com um monte de comentários abaixo que simplesmente repetem sensos comuns e não se preocupam em pensar a cidade onde vivem nen um pouco que seja (Ou de ler a justificativa da prefeitura mesmo podendo não concordar com a abordagem).

      Abraços e bom trabalho.

      • Domingos

        “…tendo momentos com diferenças extremas dessa velocidade natural durante o dia e a quantidade de trafego”

        Nos momentos de trânsito a velocidade natural se ajusta automaticamente.

        Se a intenção da prefeitura fosse otimizar isso, teria implementado limites variáveis no lugar de dobrar o número de radares e trocar pela 2ª ou 3ª vez no mandato QUASE TODAS as placas de velocidade da capital.

        “O que é uma justificativa técnica válida”

        Você acharia válida a “justificativa técnica” da ressuscitação da medida das sacolinhas dos mercados, enterrada por nossa câmera em 2011 depois de ser experimentada e refutada e agora imposta à força com o pedido do representante dos varejistas.

        Não teve UMA justificativa técnica da prefeitura que tenha sido realmente técnica e que tenha sido verdadeira até agora.

        ” E que as políticas de transito da cidade nos últimos 30 anos eram extremamente anacrônicas”

        Todas as cidades bem organizadas possuem um anel viário e digo mais: muitas delas trabalham com limites acima de 100 km/h e não são “cidades anacrônicas”.

        Ademais, não fossem as faixas extras da marginal, não teria sido possível fazer o corredor exclusivo de ônibus na mesma.

        Não foi desastre nenhum.

        “um monte de comentários abaixo que simplesmente repetem sensos comuns e não se preocupam em pensar a cidade onde vivem nen um pouco que seja”

        Acuse-os do que você é, faça o que você fala para eles não fazerem – Antonio Gramsci.

        Quem se usa do senso comum que melhor velocidade é sempre melhor e mais seguro é a prefeitura.

        No mais, novamente, ninguém pediu para “repensar a cidade” e gostaria que ela ficasse ruim do jeito que é no lugar de pior ainda.

        “Repensar a cidade” é meramente uma dialética para implementar medidas marxistas aqui, voltadas a AUMENTAREM os problemas – e não solucioná-los.

        São Paulo, cidade que aliás nem é sua ou dos seus para que você queira mandar algo aqui, tinha uma população de rua bastante contida para uma cidade de 3º mundo com mais de 10 milhões de pessoas.

        O pessoal do “repensar a cidade” infestou a cidade de moradores de rua, dando preferência nos abrigos aos importados do Haiti e outros lugares – esses dão voto!

        Enquanto isso, dinheiro que poderia ser usado ao menos para expandir os abrigos é dado a pessoas que por meramente se declararem transexuais ganham 1 salário mínimo da prefeitura.

        Repensar São Paulo seria em primeiro lugar dividí-la e limitar o número de habitantes por área, como em QUALQUER grande cidade essa é a ÚNICA solução.

        O resto é esquema para enfiar mais gente no mesmo lugar, recolhendo mais impostos e tendo mais controle.

        Nesse processo, claro que o carro tem que ir embora. Assim como sua qualidade de vida, a sanidade da cidade e mesmo sua moradia – que passa a ser um cubículo de 30 m² construído com apoio do governo e cobrando por ele 200, 300 mil Reais.

        Repense sua cidade, por favor. A nossa só não atrapalhar é o que pedimos.

  • cepereira2006

    Tenho pena dos paulistas. Em vez de aumentar e melhorar a malha do metrô, que solucionaria o problema pela raiz, ficam sacrificando ainda mais a população com essas idiotices.

  • Cezar
    Você tem razão, vai merecer matéria criticando o governo estadual nessa questão de velocidade nas estradas, aliás mais uma, já falamos sobre isso várias vezes aqui no Ae. Ontem mesmo fui a Tuiuti e vi absurdos de variação de velocidade. Mas você há de convir que o Alckmin não faz disso uma bandeira como o Haddad faz e os limites de algumas estradas, embora baixos, não o são tanto quanto os da cidade de São Paulo que vêm sendo implementados ultimamente. Permita-me lhe lembrar que os tais 20% que você citou não tem relação com as multas que lhe foram aplicadas.Significa apenas que você não excedeu o limite em mais que 20%, o que classifica as suas quatro infrações como médias, 4 pontos e R$ 85,13. Esse foi o grande legado do presidente do Contran Alfredo Peres da Silva, que promoveu alteração mediante resolução do órgão tirando o grau de grave (5 pontos e R$ 127,69) por ultrapassar o limite até 20%. Quanto aos caminhões ultrapassando, recomendo que faça o que venho fazendo há bastante tempo: facilite-lhes a ultrapassagem tipo deixando-os ultrapassar assim de que derem seta. Eles retribuirão acelerando e voltando o mais rapidamente possível para faixa em que iam. Experimente, vale a pena. No mínimo você não terá mais esse estresse.

    • Cezar Rodrigo Lopes

      Tem razão, o Alckmin não faz alarde ou levanta bandeira, não torna a questão um embate ideológico. Faz quietinho, por isso ninguém percebe. Usei os 20% apenas para esclarecer o grau da infração e mostrar que não interessa cassar carteiras, mas dar mais oportunidades de novas arrecadações. Tenho usado velocidades cada vez mais baixas, dentro do limite de paciência que Deus me deu, ainda assim o número de multas tem aumentado, em razão dos graus de variação constantes de limites de velocidade. Vivemos monitorados por câmeras, radares, etc, apenas para sermos extorquidos, no entanto esse mesmo monitoramento não nos garante o mínimo de proteção. E o projeto dos radares que funcionariam por média de velocidade nas estradas paulistas? Imagina se isso passa! Quanto aos caminhões, dou-lhes sempre a passagem quando posso, o problema está nas fechadas abruptas que tem sido constantes, fora os que ocupam as faixas da esquerda, se arrastando, para ultrapassar outros ainda mais lentos. É natural na imigrantes por exemplo, ver caminhões ocupando todas as 3 faixas, retendo o tráfego de veículos mais rápidos. Nunca vi qualquer fiscalização sobre isso. Ser autoentusiasta nesse país, e principalmente em São Paulo, onde há estradas boas (que nós custam muito) com limites de velocidade totalmente incompatíveis, é um martírio.

  • Marco Schneider

    Você já andou no trânsito de São Paulo? Desde quando o condutor daqui respeita a distância segura de circulação do carro da frente? Nunca, são raros os que respeitam, e quando fazem isso já chega alguém para entrar naquele “buraco” da distância segura. A diminuição causa mais trânsito na prática.

    • Domingos

      O cara comenta no site da carta capital e, pelo visto, não é de São Paulo e sim do interior.

      É bem típico desse pessoal dar opinião prejudicial à São Paulo como se fosse a cidade deles.

      • Marco Schneider

        Pois é, é só esse tipo de gente que elogia as medidas do Haddard. Ou não vivem em São Paulo, ou não tem carro. É o mesmo tipo que acredita nas pesquisas falsas da CET, inclusive aquela que disse que um carro a 90 km/h precisa de 140 m para parar. Falta bom senso nessas pessoas, raciocínio lógico zero.

  • Mazini

    Sabe, gente. É tão fácil e prático fazer as coisas certas..
    Eu tomo como exemplo a cidade de Jaú, vizinha á minha, no interior de São Paulo. Lá a rodovia Comandante João Ribeiro de Barros passa pela área urbana e só existe um RADAR em todo este trajeto pela cidade, posicionado em uma descida, e com velocidade máxima de 90 km/h que é compatível com a velocidade natural da via.
    E como forma de evitar que as pessoas continuassem a atravessar a rodovia, mesmo existindo diversas passarelas, eles colocaram grandes e altas placas de metal em cima da mureta que divide as pistas, ficando impossível alguém atravessar.
    Simples assim pessoal.
    Nada de colocar mais radares ou baixar a velocidade.

  • Agnaldo Timóteo
  • Roberto

    Segundo o deputado autor da lei, poucos permanecem com os faróis ligados de dia nas estradas. Olha, eu viajo bastante por conta do meu trabalho, e pelo menos nas estradas que costumo circular, eu diria que em torno de 50% dos veículos viajam com faróis ligados (o que não é muito, mas também não é pouco). Pelo jeito este deputado não viaja muito ou só o faz de helicóptero ou avião.

  • Domingos

    Até o final da prefeitura ele acaba com São Paulo. Depois, claro, o próximo prefeito deve tirar esse dejetos de obras no primeiro dia de mandato.

    Espero que façam, enquanto isso, muitas dessas obras nos bairros onde votam PT independente de terem sido alertados de como seria o governo do “nois pega o peixe”.

  • francisco greche junior

    Boa! (rs) A propósito concordo sobre os pilotos Fit …

  • Guilherme

    Ação popular com pedido liminar.

  • Andre Sousa

    Cara, que nojo desse SPTV!!!
    Literalmente, abaixando a cabeça e fazendo uma propaganda doutrinadora. Quem tiver com dificuldade para vomitar, assista essa reportagem narrada por dois playmobils…
    Felizmente, a posição do Professor Marco Antônio Villa sobre este assunto, na rádio Jovem Pan, em seu pingo final, no jornal da manhã, foi bem mais lúcida. Vamos ter que ver mais gente morrendo e o trânsito piorando.
    Revoltante, o que esse imbecil está fazendo com a cidade!!!!!

    • Domingos

      Eu ainda aposto que a lei de faróis acesos durante o dia vai ser a próxima farra. Convenhamos que, apesar de útil, contra o sol muitas vezes é difícil ver se os faróis estão acesos ou apagados.

      Isso, junto com as cotas de multa, devem dar ao CET uma enorme fonte de arrecadação.

      E, claro, o SPTV veio no pacote de compra individual e coletiva da Globo pelo PT. Não esqueçamos que há muitos anos essa pega dinheiro do BNDES e por isso mesmo esse deve ser um dos escândalos maiores e mais difíceis de saírem do papel.

      Mas, vai que acontece um anos 80 de novo e a Globo decide mudar de lado… Milagre acontece.

  • Domingos

    Claro que ele brinca, eles são sádicos, sabem muito bem que essas medidas são para atrapalhar. Aqui é terceiro mundo, a coisa é mais debochada.

    Lá fora que se preocupam em treinar todos os macacos.

    Nos eleitorados principais do PT pelo país eles nem pensam em fazer esse tipo de coisa, sabem que perderiam votos e perderiam com razão.

  • Sérgio Afonso

    Caro Bob, acho que nem da justiça podemos esperar mais alguma coisa, com exceção de poucos, feito um tal de Sérgio Moro, por exemplo. Se somos em número tão grandioso assim, devíamos nos unir, como por exemplo criar uma associação e tomarmos as atitudes que devam ser tomadas. Devíamos exigir por exemplo que, só
    com excelente pavimentação uma determinada via poderia receber radares. Surgiu um buraco e não consertou, desliga o radar. Mas
    onde encontrar juízes que tenham aquilo roxo? Só sei de uma coisa: “NÃO DÁ MAIS PRA SUPORTAR DIRIGIR EM SÃO PAULO”

  • Edson Almeida

    São Paulo está perdida na mãos desses vagabundos, agora vão aumentar o preço da gasolina para subsidiar o aumento da passagem , ou seja eles aumentam a gasolina para não aumentar em R$ 0,10 a passagem de ônibus. Fala sério, todo mundo sabe que a receita para melhorar o transporte em massa é investir em metrô. O de Londres por exemplo é um dos melhores do mundo e não custa o preço que custa aqui no Brasil. Mesmo aumentando o preço do combustível qual será o motorista de carro que irá deixar ele em casa para economizar R $0,10 centavos e vai andar igual sardinha em lata?

  • Lucas Souza

    Bob, estou aguardando as próximas eleições, as medidas do MP não serão tão eficazes. Mas ainda há bastante tempo para esse senhor fazer suas sandices. Complicado é quem disputará contra a reeleição desse sujeito.
    Já em outro assunto, o senhor que é especialista nesta área, por acaso tem algum livro de legislação de trânsito publicado ou saberia me indicar alguma doutrina específica? Como o do Oficial da PM Julyver, do comando de policiamento de trânsito?
    Att