VW UP! TSI, NO USO

uso up 2

Muito já falei do up! TSI, mas nada como usar um carro no dia-a-dia – no uso,  como cunhamos aqui no Ae. Especialmente quando esse carro traz algo de muito novo não em termos absolutos, mas em termos relativos. Estamos habituados aqui no Ae a dirigir todo tipo de carro como motor superalimentado por turbocompressor, mas não um pequeno com motor de 999 cm³. É aí que entra o relativo.

Quando adolescente lia muito a revista francesa L’Automobile e gostava dos testes do jornalista Claude Vogel. Ele era bom de técnica e de caneta, sua redação tornava a leitura a coisa mais agradável desse mundo. Um termo que ele gostava de usar e que se aplica à perfeição nesse up! é souplesse, elasticidade. Usamos bastante essa palavra em português para descrever o comportamento dos motores dotados de faixa de funcionamento útil ampla, mas souplesse vai um pouco além, indica elasticidade com graça, graciosa, como a de uma hábil bailarina e seu elástico corpo. Pois é exatamente o que encanta nesse up! TSI, não só a notável elasticidade do pequeno motor, mas como ele a executa.

 

uso up 1

Notável também a diferença entre o MPI de aspiração atmosférica e esse turbo, parecem carros completamente diferentes, em marcas até. É uma transformação profunda, uma completa surpresa ante a expectativa desde quando se ouviu dizer que a VW iria lançar o up! turbo. Sabia-se, claro, que seria grande e bem-vinda novidade, mas quanto, difícil de imaginar.

O carro tem um ímpeto para acelerar que confunde nossos sentidos. A resposta do pedal da direita é sempre imediata, não importa em que marcha esteja. O carro apenas obedece ao pensamento, como se estivesse permanentemente de prontidão. É uma sensação de poder em teoria incompatível com a cilindrada do motor.

É daqueles carros que dá pena estacionar na garagem, deixá-lo. A vontade que dá é dirigi-lo sem rumo e sem parar, de tão agradável e cativante.

 

red up! TSI (3)

Foi abastecido na fábrica com gasolina, a potência é 4 cv menor do que com álcool, embora o torque não se altere. Quando foi preciso reabastecer coloquei álcool para experimentar, percebe-se nitidamente o ganho, tudo fica amplificado. Andando normalmente na cidade o computador de bordo sempre ficou entre 9,5 e 10 km/l, dentro do informado conforme padrão Inmetro. Com gasolina passava sempre de 14 km/l.

O Paulo Keller usou-o para um bate-e-volta ao Guarujá, sem se preocupar em gastar o menos de combustível (gasolina) possível e obteve 23 km/l na ida (descida de serra) e 18 km/l na volta. Média? 20,5 km/l.

Tomando emprestado da Jeep o correspondente homófono da marca, G.P., general purpose, uso geral, o up! TSI é um G.P. na sua essência. Perfeito para a cidade, pequeno (3.645 mm de comprimento) e manobrável (diâmetro mínimo de curva 9,8 metros), muito ágil no “limpar o tráfego à frente”, e perfeito para a estrada, com seu desempenho exuberante, um silêncio a bordo admirável mesmo a 160 km/h em quinta, motor a 3.900 rpm, podendo-se conversar sem precisar mudar o nível de voz, nenhum ruído aerodinâmico. E uma suspensão que atende prontamente a todos os comandos de direção sem reclamar ou mostrar qualquer estranheza.

No trânsito urbano pode-se esquecer a quinta marcha, brincando dentro do “H” básico. Aliás, quem dirigir o up! TSI deve fazer de conta que o carro tem duas quartas, uma para cidade, outra para estrada. Não tem cinco marchas. Procedendo dessa maneira, nada de reduzir de 5ª para 4ª numa ultrapassagem típica de autoestrada, mas para 3ª. Analogamente, numa estrada de pista dupla, de tráfego mais lento, use-se a segunda, que vai até 100 km/h indicado no velocímetro quando o motor é levado ao corte a 6.500 rpm. E quando vier uma boa estrada de pista dupla, de limite 120 km/h,  motor sussurrará a 2.900 rpm. Céu.

Tudo isso por R$ 3.100 sobre o preço de versão equivalente com motor aspirado (menos no take up!), considero um presente da VW.

BS

Video: Paulo Keller; foto do interior, divulgação

Veja o vídeo:

 

 

FICHA TÉCNICA VOLKSWAGEN UP! TSI
MOTOR
Instalação Dianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçote Alumínio
Configuração / N° de cilindros / n° de mancais Em linha / 3 / 4
Diâmetro x curso 74,5 x 76,4 mm
Cilindrada 999 cm³
Aspiração Forçada por turbocompressor BorgWarner
Pressão de superalimentação 1,2 bar
Taxa de compressão 10,5:1
Potência máxima 101 cv/105 cv (G/A\ a 5.000 rpm
Torque máximo 16,8 m·kgf a 1.500 rpm (G/A)
N° de válvulas por cilindro 4
N° de comandos de válvulas /localização / acionamento 2 / cabeçote / correia dentada, variador de fase na admissão (50º) e escapamento (40º)
Formação de mistura Injeção direta a 250 bar
Gerenciamento do motor Bosch MED 17.5.21
Rotação de corte 6.500 rpm
ALIMENTAÇÃO
Combustível Gasolina e/ou álcool
TRANSMISSÃO
Câmbio / rodas motrizes Transeixo manual / dianteiras
N° de marchas 5 à frente e uma à ré
Relações de transmissão 1ª. 3,769; 2ª. 2,095:1; 3ª. 1,281:1; 4ª.0,927:1; 5ª 0,740:1; ré 3,182:1
Relação do diferencial 3,625:1
FREIOS
De serviço Hidráulico, duplo circuito em diagonal, servoassistido, ABS
Dianteiros Disco ventilado, Ø 256 mm
Traseiros Tambor Ø 200 mm
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, McPherson com subchassi, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira: eletroassistida
Diâmetro mínimo de curva 9,8 metros
Relação de direção 15,5:1
N° de voltas entre batentes 2,9
RODAS E PNEUS
Rodas Alumínio, 5Jx14 ou 5,5Jx15
Pneus 175/70R14 ou 185/60R15
PESOS
Em ordem de marcha 1.000 kg
Carga máxima 410 kg
DIMENSÕES
Comprimento 3.645 mm
Largura sem / com espelhos 1.645/1.910 mm
Altura 1.504 mm
Distância entre eixos 2.421 mm
Bitola dianteira/traseira 1.423/1.424 mm
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx) 0,367
Área frontal 2,08 m²
Cx x A 0,763
CAPACIDADES
Porta-malas 285 litros
Tanque de combustível 50 litros
DESEMPENHO
Velocidade máxima 182 km/h (G), 184 km/h (A)
Aceleração 0-100 km/h 9,1 s (G), 9,3 s (A)
Aceleração 0-1.000 m 31 s (G), 30,7 s (A)
Retomada 80-120 km/h, 5ª 13,8 s (G/A)
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (INMETRO)
Cidade 13,8 km/l (G), 9,6 km/l (A)
Estrada 16,1 km/l (G), 11,1 km/l (A)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
Velocidade por 1.000 rpm em 4ª/5ª 32,9/41,2 km/h
Rotação a 120 km/h em 4ª5ª 3.650/2.900 rpm
Rotação à velocidade máxima. 4ª 5.600 rpm
GARANTIA
Termo 3 anos integral, 5 anos para perfuração de chapa
MANUTENÇÃO
Revisões (km) 10.000 km
Troca de óleo do motor (km/tempo) 10.000 km/6 meses

 

(4.688 visualizações, 2 hoje)