Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Quando conforto e segurança andam juntos – Autoentusiastas

Quando conforto e segurança andam juntos

 

Young woman driving car

 

Já mencionei aqui que carrego no carro um sapato direito para dirigir mais confortavelmente. Quando não tinha carro automático, levava o par completo. Sei lá, é uma questão de conforto, mas também de segurança. Uso diariamente salto alto e uma sapatilha firma melhor meu pé nos pedais, sem correr o risco de escorregar e, claro, supremo fetiche feminino que eu também curto, sem marcar meus lindos sapatos. Acho que ele também serviria para quem dirige de sandália tipo rasteira — não é o meu caso, pois não uso fora de casa. E não venham me dizer que é porque sou baixinha que não é verdade. Só não gosto do contato do meu pé com as coisas que encontro na rua. Por isso da porta para fora só sapato fechado ou sandália de salto, que mantenha meus dedinhos longe da calçada e dos objetos sólidos ou líquidos que nela estão. E mesmo assim, sandália raramente, mesmo que em casa ande descalça a maior parte do tempo.

Acho que conforto é fundamental na vida em geral, mas no carro tem também a ver com segurança. Já tentei dirigir vestindo blazer ou casaco, mas na primeira chance que tenho paro o carro e o coloco no encosto do banco. Não consigo me sentir confortável, preciso poder me mexer e especialmente os braços, mesmo que não faça como ainda fazem algumas pessoas na Argentina que em vez de usar o espelho interno viram a cabeça antes de fazer uma conversão ou mudar de faixa. Ai então, seria uma tortura total.

Lembro que meu pai tinha um cabide no carro para o casaco do terno e quando tirei minha carteira de motorista percebi o porquê. Por mais frio que esteja o dia, o casaco vai para o banco. Qualquer coisa, ligo o ar-condicionado no quente e pronto.

Também não gosto de andar com o carro fechado. Ou abro um pouco as janelas (pouco, que eu moro em São Paulo e não posso dar bobeira) ou, se não puder, ligo o ar. Tenho um conhecido que não faz nem uma coisa nem a outra e o carro dele é a mais perfeita explicação do que seria o chamado “efeito estufa”. Quando chove, então, é uma tortura. Anda com os vidros embaçados! Supremo horror. Incômodo e superperigoso. Já falei várias vezes, mas não adianta. Sem mencionar que dirigir assim dá um sonhinho… de novo, eu e minha neura com segurança no trânsito.

E o que dizer do banco? Como vocês já sabem, sou um pouco prejudicada verticalmente — ou seja sou baixinha, o que tem lá suas vantagens. Ainda consigo me acomodar na cada vez mais espremida classe econômicas dos aviões quando a maioria das pessoas tem de se dobrar feito um origami. Por isso aplaudi quando fizeram vários tipos de ajuste nos bancos do carro. Tem para o assento, a lombar, pode-se deixar o banco mais alto, mas baixo, mais reclinado, mais vertical. Acredito que seria capaz de passar uns 10 minutos pilotando o banco de um carro de luxo, sem nem sair do lugar. Apenas mudando de direção e de sentido. E ainda tem os que esquentam o banco.

 

Espelho interno

Ajustar corretamente banco, volante e espelhos é fundamental para uma condução segura (foto decaronacomelas.com.br)

Alguns modelos, supremo conforto, têm memórias para os ajustes do banco. Tenho uma amiga que mora nos Estados Unidos e deve medir mais ou menos 1,60. Já o marido passa dos 2 metros. Mas o Lexus deles resolveu essa diferença. Ela senta, vira o comando para uma das posições e pronto, tudo se ajusta na medida do que ela já “gravou”.  E quando é a vez dele assumir o volante, a mesma coisa. Maravilha. No meu caso, é manual mesmo, e tenho que acertar cada coisa, mas ajuda. Sem mencionar que se pode mexer também na altura do volante. Ou seja, não há desculpa para andar em posição incorreta ou sem total visibilidade. Claro que bancos como o do Citroën 2CV estão fora dessa categoria. Como já contei, eles são extremamente desconfortáveis para uso urbano, mas para a praia ou num piquenique até que dão pro gasto.

E os espelhos? Tem coisa pior do que espelhos apontando para o chão ou para as nuvens? Tem gente que deve achar que eles servem de contrapeso, tamanho o desalinhamento deles. Mas não adianta colocar o espelho interno na posição certa e depois mexer no banco. Eu não raramente mexo no ajuste do retrovisor ao longo do dia, conforme passa o tempo e me acomodo de forma diferente para dirigir.

 

Espelho direito

Espelhos sempre na posição correta. Nada de usá-los como contrapeso (foto transitoweb.com.br)

É claro que eu não poderia deixar de ter um “causo” para contar a esse respeito. Como boa autoentusiasta não gosto de deixar meu carro com manobrista — mas às vezes é inevitável. Certa vez passava um período de estresse acima do normal e fui fazer uma sessão de shiatsu para relaxar a musculatura, especialmente dos ombros e pescoço. Depois de terminada, fui buscar meu carro no estacionamento do estabelecimento. Peguei a chave com o manobrista e entrei no carro. Não deu outra: os espelhos fora de lugar e o banco esquisito. Do banco nem reclamo, pois entendo que uma pessoa mais alta pode não conseguir manobrar meu veículo sem recuar o assento. Mas tinham mexido em tudo, até na altura do volante. Engoli a raiva e fui embora. Na semana seguinte, nova sessão. Ao sair, entro no carro e começo a arrumar tudo. Pensei que ainda tinha mais umas sessões e seria muito desgastante fazer todos os ajustes então ou conversava com o manobrista e pedia gentilmente para não desarrumar tudo ou agüentava.

Enquanto me questionava o que devia fazer, lembrei que naquele dia não tinha deixado a chave, pois encontrara um lugar contra a parede e tranquei o carro, com o consentimento do manobrista. E agora? Que alguém tivesse esbarrado nos espelhos externos (nos dois?) vá lá, mas como poderiam ter mexido no retrovisor? Será que eu encostei nele ao entrar? Difícil, mas poderia ser. Mas, e o banco? Aí comecei a rir sozinha. Só tinha uma explicação: o shiatsu realmente funcionava e eu estava mais relaxada e “esticada.” Saio até mais alta quando vou lá. Bem, nem tanto, que o pessoal é muito bom mas não faz milagre…

Mudando de assunto: acredito que não somente muitos motoristas mas muitas autoridades de trânsito desconhecem o Código de Trânsito Brasileiro. Se não, como explicar como pintam faixa branca contínua praticamente ao longo de um quarteirão inteiro e pontilhada apenas alguns pouquíssimos metros antes da esquina? Por acaso meu carro tem dobradiça e faço curva a 90 graus? E quem diz que quem vem pela direita vai me deixar entrar? Acho que eles não sabem que não se deve mudar de faixa com linha contínua – só pode ser isso.

NG

Foto de abertura: huffingtonpost.com
A coluna “Visão feminina” é de total responsabilidade de sua autora e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas

Sobre o Autor

Nora Gonzalez
Coluna: Visão Feminina

Nora Gonzalez é jornalista, foi repórter (inclusive de indústria automobilística) e editora da Gazeta Mercantil e de O Estado de S. Paulo durante muitos anos. É fã de carros desde pequena, especialmente de Fórmula 1.

  • Nora, eu e minha esposa temos esse problema! Semana passada, mesmo, peguei no pé dela, porque estava com “preguiça” de arrumar os retrovisores! Humpf !!!

    • Larga a mão de ser pão-duro, compra um carro para ela, rsrsrr

      Brincadeira, hein!

      • Mike, ela tem!!! Melhor que o meu, ainda!!! Ela estava testando o meu, nesse dia… 😉

  • Marido de mulher baixinha sofre. A minha usava o banco na primeira posição, e eu na última. Antes de entrar no carro, afastava o banco, pois nem entrava. Resolvi da melhor maneira: troquei de mulher…rsrsrsrs
    Quanto ao calçado, depois que fiquei com a havaianas presa entre o pedal e o tapete, só dirijo com sapatos fechados.

  • Leonardo Mendes

    Sandália rasteirinha devia ser proibida.

    Grosso modo, é como se a mulher calçasse uma esteira de praia… fico me perguntando que tipo de conforto há no uso desse calçado.

  • Davi Reis

    o que é isso, Nora! Bom mesmo é dirigir com o banco recuado a ponto de ter que escorregar as nádegas para conseguir se pressionar o pedal da embreagem e com o encosto praticamente deitado, muito confortável. E claro, retrovisores regulados apenas para que o motorista possa ver seu próprio rosto e admirar sua beleza.

    Brincadeiras à parte, é uma pena que muita gente não leve esse assunto a sério. Uma boa postura ao volante é extremamente importante, assim como a maneira que você segura o volante e até lida com ele. Vi num filme de comédia uma vez, que devemos manejar o volante como manejamos uma bela mulher: com suavidade, mas decisão. Nada de titubear ou mão mole.

  • REAL POWER

    Nora.
    Belo texto, como sempre.Tanto eu como minha esposa dirigimos com os vidros sempre fechado. Se é frio, ar quente, se é quente o ar-condicionado resolve. Assim poeira, barulho não entra. Praticamente eu abro os vidros quando estamos em passeios por estradas isoladas e com temperatura ambiente confortável, nesse momento sentir o ar fresco de uma estrada ao meio de muito verde é bom. Eu uso um ionizador de ar ligado a tomada 12 V que ajuda e muito na purificação do ar interno, me impressionou positivamente, realmente funciona. Eu não consigo entender pessoas que não fazem uso do ar-condicionado estando ele em perfeito funcionamento. Mesmo com calor sufocante, estão de vidros abertos. Tenho inclusive amigos que fazem isso em seus carros com sacos de lixos nos vidros.. O que passa pela cabeça dessa gente, pois abrem mão de conforto e por que não segurança para economizar algumas moedas em combustível!
    Vejo muitas pessoas não usando o desembaçador do vidro traseiro, outra questão a ser estuda por cientistas. Bancos com encosto praticamente na horizontal e bem afastado é coisa de mano que me faz chorar, pior se ele dirige com apenas a mão direita sobre o volante na posição 12:00 h. Retrovisores são apenas para dar uma arrumada no visual. De vez em quando me deparo com pessoas que sequer sabem que seus carros tem ajuste de altura do banco motoristas, da altura do volante etc. Não sabem posicionar o banco de forma correta e tão pouco onde posicionar as mãos no volante. Não sendo apenas questão de conforto, mas de segurança, pois bem posicionado um motorista tem menos fadiga e pode ter melhor reação, como,por exemplo, desviar de um animal na pista sem perder o controle do carro. Fica até a dica para o Ae fazer uma matéria a respeito de postura ao volante, caso não tenha sido feita.
    Aí poderemos espalhar via net para amigos e conhecidos. Aos poucos, poderemos “salvar algumas almas”

  • Mr. Car

    Já eu, Nora, faça sol ou chuva, calor ou frio, gosto de andar com o carro todo fechado, e ar ligado. E de dirigir descalço, embora raramente o faça. Acho uma delícia dirigir descalço, além de seguro também. Mudando de assunto: muito bem lembrado seu “mudando de assunto”, he, he! Este povo parece que nunca dirigiu, e não sabe que a menos que seja de madrugada, não se vai dobrar sem que isto já venha sendo preparado “lá de trás”, passando com antecedência para a pista da direita. Mas como passar, se é proibido? Te obrigam a fazer a manobra praticamente em 90 graus mesmo, de forma brusca, cortando a frente de quem venha, e tem que ser rápido, para que este “quem venha” não te acerte. Resumindo: incentivam a imprudência na forma de uma manobra perigosa.

    • Uber

      Mudando de Assunto: e na minha cidade onde pintam as faixas nas esquinas e o resto dela fica sem pintura? Economia de tinta! Fazem muito isso nos bairros distantes do centro.

    • Lucas

      Já que nosso amigo Mr. Car comentou sobre dirigir descalço, eu nunca sei se está permitido, se está proibido. Há uns tempos atrás ouvia dizer que isso ficava mudando com certa freqüência. Alguém sabe dizer o que vale?
      Tomara que seja permitido, pois também adoro dirigir descalço.

    • Leonardo Mendes

      Rapaz, eu devo ser um dos poucos aqui que é filiado ao SCF – Sindicato do Calçado Fechado.
      Só dirigi descalço uma vez na vida, e detestei… pilotar moto, então, nem pensar, fiz isso numa Ténéré para nunca mais.

      • Leonardo Mendes
        Também não entendo como pode alguém gostar de dirigir descalço. Acho péssimo. O pé não tem desenho nem estrutura para operar pedais confortável e corretamente. É uma omissão acidental do Art. 252 do CTB, em que o legislador não achou que se dirigisse descalço – eu também a teria cometido.

      • Nora Gonzalez

        Leonardo Mendes, idem ibidem. Sem falar na neura de que não sei por onde andaram os sapatos que pisam no pedal do meu carro…e eu vou pôr meus pezinhos aí? Never!

    • Diplo86

      Também gosto de andar com o carro todo fechado. Me incomoda muito o ruído do vento. E nas viagens longas geralmente dirijo descalço para relaxar os pés. Nessas ocasiões faço questão de colocar o chinelo ou tênis no assoalho atrás do banco para evitar que numa freada eles possam correr para os pedais bloqueando seu uso.
      Voltando ao assunto do ruído do vento, uma das poucas reclamações que tinha do up! é o vazamento do vento pela borracha da porta em velocidades maiores (por volta de 100 km/h). Demorou mas trocaram na garantia. Alguém mais teve esse problema?

  • CorsarioViajante

    Nossa, achei que eu era o único que acha insuportável dirigir com casacos ou roupas apertadas!

    • Lucas

      Em 2007, quando comprei o Passat Pointer 85 que tive, uma das primeiras coisas que fiz foi arrumar o ar quente dele, que tinha sido isolado do circuito de arrefecimento do motor, justamente por causa de dirigir com muitos casacos. Dispensaria o ar-condicionado mas não o ar quente.

  • CCN-1410

    Quando disponibilizaram um Fusca para serviços externos, na minha vez de dirigi-lo, o banco sempre estava na parte mais posterior possível. Para a minha segurança, eu o colocava bem à frente.
    Certo dia, ao tentar colocá-lo à frente, notei que ele não se deslocava. Ao olhar o porquê disso, verifiquei que o banco estava amarrado com arame.
    Ao retornar vi algumas pessoas a rir, inclusive um dos proprietários. Bem sério e no alto dos meus 18 anos lhes encarei, e disse que se eu provocasse algum acidente devido ao banco muito distante dos pedais, eles seriam os responsáveis e que o que fizeram foi uma palhaçada e não coisa séria.
    Não fui demitido.

  • Diogo

    Essa parte do “desajuste” quando estamos relaxados acontece comigo de manhã. Se pego o carro poucos minutos após acordar, o retrovisor interno sempre me parece muito baixo. Acho que ao dormir ficamos mais relaxados e esticados, mas poucos minutos depois vou encolhendo e volto à posição normal. Parece história de pescador, mas é verdade.

    • Diogo
      Não é história de pescador, mas a pura verdade. Tem tudo a ver com a coluna vertebral, que “estica” ao dormirmos e “encolhe” ao longo do dia.

    • Davi Reis

      Acontece exatamente o mesmo comigo, mas sempre me pareceu natural presumir que se deva a nossa postura mudar durante o dia, ainda mais no trânsito pesado.

  • Lucas
    E permitido dirigir descalço, O que não pode é usar calçado inadequado, como sandália de dedo. Interessante, acho péssimo dirigir tanto descalço quanto calçando tênis. Para mim, mocassim de sola normal, fina, é o ideal. Quem também gosta de dirigir descalço é o Arnaldo Keller.

    • Vinícius

      Não uso sapatos, mas a primeira coisa que cuido ao comprar calçados é a sola, tem que ser plana e fina para dirigir, tênis daqueles de caminhar e correr, nem pensar. All-Star é um dos meus preferidos, rs.
      Também gosto de dirigir descalço, desde que a embreagem não seja pesada demais.

    • Lucas

      Bacana, Bob. Eu acho ótimo dirigir descalço. O que não gosto mesmo é dirigir com calçado com sola muito larga ou grossa. Calçado fechado ideal tem que ser aquele bem justinho, sola fina, praticamente um pouco mais do que uma meia grossa.

    • Davi Reis

      Descalço eu gosto bastante, mas tênis, só se for de sola reta. Tênis de academia ou corrida são terríveis pra dirigir.

    • David

      Eu prefiro dirigir descalço também é mais confortável e melhora consideravelmente a sensibilidade nos pedais.

  • Corsário,
    As fabricantes analisam as dificuldades de idosos ao dirigir simulando a falta de flexibilidade por meio de roupas que tolham os movimentos. Qualquer blusão, paletó, onorak atrapalha. Agasalho, no máximo um suéter ou pulôver.

  • Cristiano Reis

    É incrível como não acho posição confortável para dirigir no Duster, ou fico com as pernas encolhidas ou fico com os braços esticados…

    • Lucas

      Para mim é assim na Fielder do meu pai.

    • César

      Cristiano,

      Sofro do mesmo mal no meu Logan…

      • Me acomodo perfeitamente no meu Logan, mesmo com 1,90 m de altura. Não o troco por nenhum outro!

  • jr

    Nora, aqui em Curitiba a faixa branca contínua segue pelos cruzamentos!!! Tem lugar que não tem onde virar. Começaram pintar faixas exclusivas para ônibus (em alguns lugares colocaram sobre a faixa aquelas tartarugas perfeitas para matar motoqueiro ou arrebentar com as rodas e suspensão). Também tem um pedacinho pontilhado, para vc. entrar na faixa antes de chegar à esquina. Óbvio que é a maior confusão, muitos ainda não entenderam. E o legal é faixa exclusiva onde os ônibus têm de tomar todas as faixas!!! São eles que provocam o congestionamento aqui perto de casa, não os carros!

  • André Andrews

    Esse pessoal da CET rasga as regras de trânsito na cara dura.

    Por exemplo, faixa contínua que separa faixa de ônibus no mesmo sentido, não pode ter tachão. Adivinha o que ocorre num trecho da Av. Aricanduva? Veja: https://goo.gl/maps/z6LJX

    E tem mais esta, tachão como redutor de velocidade, que o Bob gentilmente fez questão de publicar: http://autoentusiastas.com.br/2012/12/outra-da-cet/

  • jr

    Também odeio. Sempre que dá tiro e jogo no banco de trás. E ligo o ar-condicionado para não morrer de frio…

  • jr

    Uma curiosidade sobre as faixas (contínuas ou não). Há anos vinha notando que as faixas estavam sendo renovadas aqui em Curitiba com tinta fosca, completamente fosca. Após o anoitecer a iluminação pública não era suficiente para as faixas serem visíveis, com chuva na prática não havia faixas.
    Bom, como não ouvia mais ninguém reclamar já estava achando que estava ficando cego, sei lá, algum tipo de cegueira noturna.
    Mas esses dias atrás que choveu muito passei por uma rua perto de casa e … estranhei que estava vendo as faixas perfeitamente! Ao longo das semanas as ruas próximas de casa foram se iluminando à noite, aos poucos.
    Óbvio, repintaram as faixas com tinta correta!
    Pelo menos pude tirar sarro dos amigos que estavam me chamando de cegueta. Eles perceberam a mudança para melhor…

    • Nora Gonzalez

      jr, tem placas de velocidade em algumas ruas de São Paulo pintadas com não sei o quê mas à noite só dá para ver o círculo em volta, não o que está escrito dentro. Vai ver que é a mesma tinta de Curitiba!

  • César e Cristiano Reis
    Experimentem deixar o encosto menos inclinado que esse problema acaba como num passe de mágica.

    • Lucas

      Eu juro que tentei isso na Fielder, Bob. Não deu certo.

  • RoadV8Runner

    Nora,

    “…quando a maioria das pessoas tem de se dobrar feito um origami” foi ótimo!

    Mas pior que retrovisor mal ajustado são os retrovisores do lado esquerdo do tipo plano, regra nos EUA. Só depois de duas semanas dirigindo por lá é que fui entender por que raios virava e mexia tomava um “susto” ao mudar de faixa e, de repente, me deparar com um carro colado à minha traseira, sem que o tivesse visto pelo retrovisor esquerdo ou o tivesse notado pela visão periférica. Aí que me lembrei que a meleca do espelho esquerdo era do tipo plano. Não sei onde eles estão com a cabeça de proibir espelho convexo do lado esquerdo…

    • Cara, eu já passei pelo inverso: Meu Monza tinha o espelho plano, dos dois lados.

      Aí, peguei o 206, convexo, e vivia dando fechada nos outros, até acostumar com o tamanho menor dos objetos, rsrsrs

  • Nora Gonzalez

    REAL POWER, talvez seus amigos que têm carro “filmado” andem com os vidros abertos para poder enxergar. Já tive de fazer isso pois a visibilidade é muito prejudicada. E ainda colocava a cabeça para fora da janela, como um cachorrinho tomando ar…

  • Ricardo Hartemink

    Por isso que esse tipo de calçado é proibido (: