20150708_135636

Quem tiver um pouco de autoentusiasmo (não precisa muito) vai se encantar ao dirigir o up! O que o pedal da direita entrega é mesmo notável. Só para ter uma idéia: levando o motor ao corte limpo, 6.500 rpm, a primeira atinge, pelo velocímetro, 60 km/h; segunda, 100 km/h; terceira, 160 km/h. Leu bem? E não é esperar um eternidade, não, o motor turbo engole essa rotação muito rápido. Isso num carrinho pequeno que todo mundo já conhece, de apenas 3.645 mm de comprimento, com um motor igualmente pequeno de 999 cm³. Arranca sorrisos.

Em velocidade real, 52,5 km/h em 1ª. 94,5 em 2ª, e 154 em 3ª, não menos espetacular.

E em 4ª e 5ª, como fica a coisa? As v/1000 delas são, respectivamente, 32,9 e 41,2 km/h. Isso significa que a velocidade máxima de 184 km/h (com os 105 cv com álcool; com gasolina cai para 101 cv) é atingida com uma ou outra marcha, com uma diferença mínima — 1% segundo a VW — em favor da 4ª. Portanto, tecnicamente é um 4+E, embora o conceito  não tenha sido dito na apresentação técnica. E por ser um câmbio dessa definição tem o meu aplauso de pé.

Seguindo o que a engenharia da VW estabeleceu, à velocidade máxima em 4ª o motor está a 5.600 rpm, enquanto em 5ª essa velocidade cai para  182 km/h, 4.170 rpm.

O gráfico “dente de serra” (quem me ensinou a fazê-lo foi o Carlos Meccia) mostra isso bem:

 

Dente de serra up! TSI II

Muitos motoristas terão que aprender, ou reaprender, a dirigir carro com essa configuração de escalonamento, se abstendo de “buscar” a 5ª marcha sempre. Na cidade é fazer de conta que o carro é de quatro marchas, embora o torque máximo do motor a 1.500 rpm (16,8 m·kgf) signifique se dispor de 35 cv.

Vindo na estrada em 5ª a 100 km/h, por exemplo, nada de reduzir para 4ª, mas para terceira. O truque é você  se conscientizar que está dirigindo um carro de 4 marchas com um 5ª marcha de economia.

O mais notável também é que mesmo com um primeira tão longa, o lançamento do carro é de como outro carro qualquer, sem a menor sensação de preguiça para arrancar.

As cinco marchas têm as mesmas relações do 1-L de aspiração normal, a alteração foi na relação de diferencial, que passou de 4,929:1 para 3,625:1, alongamento de nada menos que 26,4%, brutal.

O resultado de motor eficiente e um câmbio “que não atrapalha” só poderia ser um: baixo consumo. Na cidade 13,8/9,6 km/l, estrada 16,1/11,1 (gasolina/álcool), padrão Inmetro. Segundo a VW, é consumo mais baixo da indústria, 1,44 megajoules por quilômetro.

Como se sabe, após medidos os consumos sobre uma correção de 22% para o de cidade e 29%, para o de estrada. Por isso computador de bordo mostrava números incríveis na Rodovia do Bandeirantes hoje, com 19,7 km/l de gasolina a 120 km/h reais e com ar-condicionado ligado.

 

DSC02960

O motor

 

motor 1.0 TSI Total Flex 2 r

A Volkswagen deixa bem claro: não se trata do motor MPI (aspiração natural) que recebeu um turbocompressor, mas do MPI reformulado para ter o dispositivo e com isso assegurar a essencial durabilidade. Por falar nisso, o turbocompressor arrefecido a água tem vida útil prevista de 800.000 km e dispensa aguardar-se um tempo para desligar o motor.

– o interresfriador (intercooler) obrigou a se criar espaço para ele na dianteira e com isso o up! ficou 40 mm mais comprido, sendo agora de 3.645 mm.

– o virabrequim é totalmente novo, de aço forjado em vez ferro fundido nodular (pesa 0,5 kg mais), e os colos de biela foram enormemente aumentados, além de rearranjo dos contrapesos:

 

20150707_135218

Note os contrapesos deslocados no virabrequim do MPI (à esquerda) e alinhados no TSI

— as bielas foram reforçadas, com haste mais grossa e eliminação da bucha de bronze no pé, para o pino de pistão poder ser de maior diâmetro:

 

20150707_135650

A biela do TSI é a da direita, note a diferença de diâmetro do colo da biela e a ausência da bucha de bronze no pé

— Os pinos de pistão receberam tratamento superficial DLC (diamond-like carbon, carbono com dureza de diamante:

 

20150707_140440

O novo pino de pistão é o da esquerda

— Os  pistões têm agora a canaleta do anel superior em aço para maior resistência a desgaste, o que elevou sua altura. Isso obrigou a uma biela 1 mm mais curta, de 141 para 140 mm. mas a relação r/l continua adequada, passou de 0,271 para 0,277. A cabeça dos pistões tem agora quatro cavidades para espaço das válvulas quando abertas, pois os dois comandos passam a ter fase variável, num campo de 50º para admissão e 40º para escapamento. A saia passa a ser assimétrica, para redução de atrito.

 

A canaleta do anel superior agora tem um inserto de aço

– O peso do motor está 20 kg maior.

– Os coxins do motor passaram a ser hidráulicos e o braço inferior limitador de movimento foi redimensionado, em razão do torque do motor 61,5% maior.

 

20150707_140812

Veja no pistão da direita a cabeça com quatro cavidades

— O cabeçote é diferente no sentido de contar agora com o furo rosqueado para a montagem da válvulas de injeção direta:

 

20150707_143528

Os furos da válvula de injeção estão no cabeçote da direita, entre as duas válvulas de admissão (as maiores)

– Por falar em válvulas, elas diminuíram de tamanho para como parte das medidas para obter o torque e sua baixa rotação desejados. As de admissão têm diâmetro  1 mm menor (28,5 mm) e as de escapamento, 2 mm a menos (25 mm).

— Ainda no cabeçote, as velas de dupla platina (NGK) têm vida prevista de 60.000 km e, fato incrível, sempre param na mesma posição após serem torqueadas, em função do alvo da injeção direta.

– A bomba da injeção direta é acionada pelo comando de admissão e sua pressão máxima de 250 bar é controlada pelo ECM (módulo eletrônico de comando). Para comparação, a pressão de injeção no duto do motor de aspiração atmosférica é de apenas 4,2 bar.

– A válvula de alívio do turbocompressor é comandada eletricamente sob gerenciamento da ECM, não mais por uma câmara de pressão.

 

Válvula de alívio elétrica

– Só no TSI, há sensor de combustível na linha que identifica instantaneamente qual o combustível  que está alimentando o motor, ajuste imediato da quantidade injetada quando houver troca parcial ou total do combustível no tanque. O sensor de oxigênio continua para monitorar a composição dos gases de escapamento.

– No sistema de arrefecimento há um radiador auxiliar com bomba elétrica.

– A cobertura do motor não é enfeite, é o próprio filtro de ar.

 

detalhe da tampa do filtro de ar r

– A embreagem é reforçada, disco de Ø 220 mm, contra Ø 190 mm no motor MPI.

– As polias da correia dentada mantêm o mesmo desenho (triovais) e continua igual a quilometragem de troca, 120.000 km ou 4 anos e meio.

– O volume do óleo do cárter aumentou 0,75 litro, 4 litros agora.

 

FSI cuvas

Curvas de torque e potência exemplares; linha tracejada, o up! aspirado

Mais novidades no up!

Só para a versão TSI, há controle de tração (não de estabilidade) com estranho nome de M-ABS e que não pode ser desligado, e também o controle de, nas reduzidas, fazer abrir ligeiramente o acelerador para eliminar qualquer possibilidade de o efeito frenante do motor naquele momento afetar a estabilidade (o que não ocorre quando se dá aceleração interina isolada ou simultânea à frenagem, por meio doo punta-tacco).

Além das versões  conhecidas do up!, a Volkswagen lançou a speed up. com diferenciação no visual de modo a invocar a esportividade de modelos como o Gol GT/GTI. A cor única é a branca (branco Cristal) e, na dianteira, a área central do pára-choque é em preto Ninja e os aros dos faróis de neblina vêm em efeito-cromo.

 

speed up! (4)

Speed up!

Nas laterais, retrovisores e faixas exclusivas em azul transmitindo tecnologia e velocidade e há também as discretas minissaias na cor da carroceria.

A versão turbo do up! é disponível do move up! (intermediário) para cima, inclusive o cross up! e o speed up!, e o preço é sempre R$ 3.100 sobre as versões de aspiração atmosférica.

Assim,  o TSI “básico” move up! TSI custa R$ 43.490 e traz, de série, direção eletroassistida, ar-condicionado, acionamento elétrico dos vidros dianteiros e travas elétricas.

O motor desenvolve 101/105 cv a 5.000 rpm e 16,8 m·kgf a 1.500 rpm, nessa caso indiferente se com gasolina ou álcool. A aceleração 0-100 km/h é em 9,3/9,1 segundos e a velocidade máxima, 182/184 km/h.

Uma coisa é certa: quem dirigir um up! turbo vai gostar e muito. Quem não vai gostar é quem ver a porta de carga preta ir encolhendo na frente…

BS

Fotos: autor e divulgação

P.S.: Amanhã, dia 25 de julho,  eu, o PK, o JJ e o Wagner Gonzalez estaremos no Rali de Regularidade com um up! TSI.

 

Preços do up! 1,0 TSI
move up! R$ 43.090
high up! R$ 48.040
cross up! R$ 47.030
black/white/red up! R$ 48.690
speed up! R$ 49.990

 

FICHA TÉCNICA VOLKSWAGEN UP! TSI
MOTOR
Instalação Dianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçote Alumínio
Configuração / N° de cilindros / n° de mancais Em linha / 3 / 4
Diâmetro x curso 74,5 x 76,4 mm
Cilindrada 999 cm³
Aspiração Forçada por turbocompressor BorgWarner
Pressão de superalimentação 1,2 bar
Taxa de compressão 10,5:1
Potência máxima 101 cv/105 cv (G/A\ a 5.000 rpm
Torque máximo 16,8 m·kgf a 1.500 rpm (G/A)
N° de válvulas por cilindro 4
N° de comandos de válvulas /localização / acionamento 2 / cabeçote / correia dentada, variador de fase na admissão (50º) e escapamento (40º)
Formação de mistura Injeção direta a 250 bar
Gerenciamento do motor Bosch MED 17.5.21
Rotação de corte 6.500 rpm
ALIMENTAÇÃO
Combustível Gasolina e/ou álcool
TRANSMISSÃO
Câmbio / rodas motrizes Transeixo manual / dianteiras
N° de marchas 5 à frente e uma à ré
Relações de transmissão 1ª. 3,769; 2ª. 2,095:1; 3ª. 1,281:1; 4ª.0,927:1; 5ª 0,740:1; ré 3,182:1
Relação do diferencial 3,625:1
FREIOS
De serviço Hidráulico, duplo circuito em diagonal, servoassistido, ABS
Dianteiros Disco ventilado, Ø 256 mm
Traseiros Tambor Ø 200 mm
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, McPherson com subchassi, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira: eletroassistida
Diâmetro mínimo de curva 9,8 metros
Relação de direção 15,5:1
N° de voltas entre batentes 2,9
RODAS E PNEUS
Rodas Alumínio, 5Jx14 ou 5,5Jx15
Pneus 175/70R14 ou 185/60R15
PESOS
Em ordem de marcha 1.000 kg
Carga máxima 410 kg
DIMENSÕES
Comprimento 3.645 mm
Largura sem / com espelhos 1.645/1.910 mm
Altura 1.504 mm
Distância entre eixos 2.421 mm
Bitola dianteira/traseira 1.423/1.424 mm
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx) 0,367
Área frontal 2,08 m²
Cx x A 0,763
CAPACIDADES
Porta-malas 285 litros
Tanque de combustível 50 litros
DESEMPENHO
Velocidade máxima 182 km/h (G), 184 km/h (A)
Aceleração 0-100 km/h 9,1 s (G), 9,3 s (A)
Aceleração 0-1.000 m 31 s (G), 30,7 s (A)
Retomada 80-120 km/h, 5ª 13,8 s (G/A)
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (INMETRO)
Cidade 13,8 km/l (G), 9,6 km/l (A)
Estrada 16,1 km/l (G), 11,1 km/l (A)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
Velocidade por 1.000 rpm em 4ª/5ª 32,9/41,2 km/h
Rotação a 120 km/h em 4ª5ª 3.650/2.900 rpm
Rotação à velocidade máxima. 4ª 5.600 rpm
GARANTIA
Termo 3 anos integral, 5 anos para perfuração de chapa
MANUTENÇÃO
Revisões (km) 10.000 km
Troca de óleo do motor (km/tempo) 10.000 km/6 meses

 



Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas

  • Renan V.

    Speed Up!, meu novo sonho de consumo.

  • $2354837

    3.100 a mais que o aspirado? Vale a pena pagar… Pela reportagem a VW fez um belo trabalho no motorzinho. Gostei mesmo. Vou dizer que há anos não vinha nada que me estimulasse a tirar o escorpião do bolso. Esse me animou realmente. Sinto como estivesse em 1989 assistindo o lançamento do Gol GTI. Não é barato, mas está razoável para um lançamento. Gostei do acabamento externo do Speed Up! de muito bom gosto.
    Finalmente a VW parece que acordou. Parabéns ao carrinho. Que muitos outros venham. O consumidor agradece.
    Pergunta, terá versões de câmbio manual e robotizado?

    • Luis Felipe Carreira

      O I-Motion usado no up! aspirado só gerencia até 12 mkgf, acho que esse foguetinho merecia um robotizado melhor calibrado que o atual para ser mais rápido nas trocas.

    • Gustavo73

      Explicação do amigo @JoãoMartini.
      “O up europeu manual usa a caixa MQ100, com limitação de 12 kgfm. O Imotion do up é a robotização dessa caixa com atuadores elétricos (SQ100). O Up! brasileiro usa o MQ200 (Sim, o câmbio do nosso Up é melhor que do Europeu, que recebeu algumas críticas pelos engates um pouco secos). Já a robotização do MQ200 (SQ200) não cabe no Up!”

  • Alexandre Cruvinel

    Bob, já deu vontade. Achei o carro ótimo no domingo (aspirado) e essa configuração de turbo e caixa longa deve ter ficado soberbo. Pretendo comprar um, deve ser quase imbatível no trânsito. E frugal no consumo. Viva a tecnologia.

  • Lucas Pereira

    Esse carro entrou definitivamente no meu radar. Li que a suspensão nas versões TSI também virão recalibradas. A diferença é muito grande? Os suportes hidráulicos do motor amenizaram as vibrações do mesmo, que é uma queixa de alguns?

  • Marcus Dias

    Legal de mais! E obrigado pelos dados técnicos e informações que outros canais de informação não passam.

    Tenho um novo Ka 1.0 e agora não vejo a hora de fazer um testdrive neste daí!

  • Daniel

    Esta versão deu um UP! em um carro que pouco me interessava. O que eu mais temia era o câmbio… agora não mais. Preciso dirigir um!

    • Daniel,
      Garanto que você vai ficar impressionado.

  • Eduardo Silva

    Que bom, bonito esse trabalho cuidadoso da engenharia. O mercado nacional agradece a “consideração”, normalmente só vemos essas mini belezinhas serem lançadas na Europa (Fiat 500 2 cilindros, para ficar em um só exemplo), enquanto aqui nos restam as versões GT’s de mentira e crosover’s, way’s, stepway’s, etc.

  • Rafael Hessel

    A versão Speed-Up! – ou GTI-Up!, porque não? – poderia ter a relação do diferencial da versão de aspiração natural e somente duas portas. Imagino que assustaria donos de Golf TSI. Eu gostaria muito!

    • Domingos

      Acho que devem estar esperando o carro ser bem aceito para virem com um GTI ou algo do tipo com relações mais próprias de um carro esportivo.

      Ou pelo menos espero isso. Seria legal uma versão com 0-100 nos 8 segundos!

  • Bruno Passos

    Não tem como chamar esse motor de “milzinho”, parabéns à VW pelo excelente produto!!!
    Aguardo ansiosamente pelo “No Uso” com este up! TSI!
    Parabéns também ao site pelas informações detalhadas sobre as alterações mecânicas.

    • Bruno,
      Já está no uso. Quando recebemos carro no lançamento é assim. Caso do novo Logan e do novo Sentra.

      • Gustavo73

        Excelente. Ansioso pelas próximas matérias.

      • Fabio Toledo

        Ansioso para ver as impressões depois da prova de hoje.

  • G. Vilchez

    Interessante a informação sobre as velas de ignição, quando rosqueadas, ficarem sempre em uma posição.
    Pela foto parece que a intenção é manter a haste do eletrodo massa da vela no lado oposto do jato lançado pelos bicos injetores.

    • $2354837

      Nâo entendi como é feita a garantia do eletrodo sempre na mesma posição. Há uma trava na rosca?

  • Lucas Rodrigues de Souza

    O coletor de escape é integrado no cabeçote? Não seria mais apropriado um câmbio de 6 marchas?

    • Lucas Mendanha

      Tomando como exemplo a Kangoo Express que ja tive, que tinha um motor torcudo e a caixa bem curta ficaria um pouco cansativo o uso, até um pouco arisco…Tanto que nela nao passava de 150 pq atingia o limite da 5°, e frequentemente arrancava de segunda para nao disparar tanto na saida..

      Agora, que um 6 marchas ficaria bem legal numa versão esportiva, isso eu nao tenho duvidas..hehehe

    • Lucas Rodrigues de Souza,
      Sim, coletor integrado ao cabeçote, como já era no MPI. As cinco marchas dão e sobram. O motor é muito elástico, é impressionante.

    • Gustavo73

      Literalmente não tem espaço.

      • $2354837

        Espaço tem, muitas motos tem câmbio de 7 marchas em motores 125. Nâo tem necessidade.

    • $2354837

      Não, com boa potência disponível em baixas rotações, a 6-marcha só serviria para atrapalhar.
      Motos tem câmbio de 5,6 e 7 marchas. As de 7 marchas são geralmente as 125 2T com picos de potencia acima de 11 mil rpm, como no caso da Cagiva Mito, mais de 30 cv a 12 mil rpm, e absolutamente nada abaixo de 8 mil rpm. Portanto se quiser andar o giro sempre tem que estar lá em cima. Enquanto isso uma “torcuda” CB 1300 tem o cambio de 5 marchas.

  • Domingos

    Houveram mudanças em freios e suspensão?

    No mais, incrível mesmo o trabalho feito. Motor opcional a preço justo em todas as versões, câmbio correto para um carro multi-uso (talvez façam uma versão encurtada com proposta esportiva, penso) e um grande trabalho no motor para assegurar dirigibilidade e durabilidade.

    Velas com centelha saíndo para um lugar específico são coisas vindas de motores de competição!

    Basicamente se tornou um carro perfeito. Com o preço do básico, hoje, nem pensaria em comprar o pobre Etios que ainda por cima não tem essa maravilhosa economia de combustível – embora deveria.

    Uma versão van monovolume desse carro com esse motor seria avassaladora. Compraria se custasse até 45/46 mil no ato do lançamento e pegaria fila de espera se necessário.

    Finalmente um carro entusiasmante. Só não pode ter inflação forçada nos preços.

    • Lucas Pereira

      Li em outras matérias que o disco de freio é maior e a suspensão também é outra.

      • Domingos

        Uma pena que não sejam, como confirmado pelo Bob.

        Talvez reservem isso para a versão esportiva. O carro sobra, mas disco nas 4 faria a alegria ficar completa mais até do que diâmetro maior na dianteira.

        • Lucas Pereira

          Acho que freio a disco na traseira é dispensável para um carro de menos de mil quilogramas.

          • Domingos

            Nunca é dispensável. O equilíbrio do carro ao frear, tal como a sensação com os discos em todas as rodas é vastamente superior.

            Em espaço de frenagem num carro leve às vezes nem muda muita coisa mesmo. Porém é muito grande a diferença em prazer – fora que a manutenção de discos é muito mais facilitada que a de tambores.

  • Fat Jack

    Eu não sou dos ultra-fan do Up!, sempre achei que o acabamento que ele oferecia destoava dos valores cobrados por ele, o que não me impede de respeitar o carrinho, pelas suas qualidades (dinâmicas e de proteção aos ocupantes por exemplo) e não tenho restrições quanto ao seu design.
    Eu achei muito interessante todas as informações (e peças) que a VW disponibilizou na apresentação do modelo (Renault: faça o mesmo com o Sandero RS, por favor!), louvável! Eu confesso que me surpreendi muito positivamente com a diferença de valor acrescido pela motorização TSI, honestamente, R$3.100,00 é menos do que eu esperava (algo na casa dos R$5.000,00).
    Particularmente achei absolutamente dispensável a versão Speed Up! (questão de gosto gente, se é pra ele existir, deveria ter exclusividade da motorização na minha opinião), achei também interessante a questão se escalonamento do câmbio, há tempos não víamos um 4+E no mercado (e creio que agradará a grande maioria). Gostaria de deixar ao Bob 4 perguntas:
    – “…mas do MPI reformulado para ter o dispositivo e com isso assegurar a essencial durabilidade…”, teria sido essa uma atitude buscando apagar qualquer lembrança do finado Gol 1.0 Turbo?
    – “…Vindo na estrada em 5ª a 100 km/h, por exemplo, nada de reduzir para 4ª, mas para terceira….”, isso indica que a 5.a é bastante longa ou que o motor tem pouca “pegada” em baixa (ou ambas, ou nenhuma delas)?

    – Comparando seus números com os do antigo Gol Turbo, vi que ele tem menos potência, maior torque (ambos em rotações menores) e o uso de uma mesma pressão (havia lido uma menor em outra fonte: 0,9 kg), e maior taxa de compressão. Esses benefícios estão diretamente ligados ao uso da injeção direta?
    – Direto Bob, ao volante: Up! TSI ou Ka 1.5?
    Excelente post! Parabéns a todos os envolvidos!
    E essa motorização no carrinho foi capaz de fazer eu coçar a cabeça e pensar nele como uma futura opção…

  • Marco Antonio

    Aguardando no uso, excelente carro!

  • Gabriel Porfírio

    Simplesmente fantástico, tem que aplaudir de pé a VW por abrir a porta para o mercado com downsize inteligente, primeiramente no VW Golf Mk7, agora no VW Up!. Isso vai acordar outras montadoras que já possuem essa tecnologia fora do Brasil a trazerem para cá, isso é uma vitória para o consumidor em todos os sentidos. A Ford deve estar se descabelando para trazer o motor 3 cyl ecoboost que equipa o Fiesta nos EUA. Esse carro é genial, e um preço que com certeza surpreendeu a todos, pois a especulação geral era de bater nos 60 mil reais.

  • Danol

    Sensacional, matéria muito completa, obrigado e parabéns pessoal do AE pelo profissionalismo

  • Antônio do Sul

    Levando-se em conta o comportamento dinâmico e a tecnologia empregada no motor TSI (com todo o trabalho de desenvolvimento e com o maior custo de produção que lhe são inerentes), esses R$ 3.100,00 de diferença, em relação à versão aspirada, são troco de pinga.

    • Franklin Weise

      E tem mais: para quem roda bastante, chuto que a diferença de preço se paga (via economia de combustível) nuns 2 anos fácil, fácil.

      • Antônio do Sul

        Com certeza. O meu único lamento é não haver a opção do motor TSI na versão mais simples, a Take up!.

  • Otavio Marcondes

    Gostei e o preço condiz com o mercado atual.

  • Mineirim

    Bob, valeu esperar pelo post. Você trouxe informações técnicas e impressões que não apareceram em qualquer outro site.
    O up! TSI é surpreendente.

    • Bruno Passos

      Esse é o diferenciador do Autoentusiastas! Tanto é que aqui nem existem leitores brigando por marca como se fossem torcedores fanáticos de algum time de futebol! Aqui existem leitores até argumentando entre si, mas de maneira construtiva e técnica!

      Isso também se estende ao Best Cars!
      E sim, o up! TSI é surpreendente mesmo! Não tanto pelo desempenho isoladamente, mas pelo (muito) bom desempenho aliado ao baixo consumo!

      • Fabio Toledo

        E mesmo se tivesse desta vez ficou difícil de jogar areia na VWB, como muitos gostam de fazer.
        Aliás não é de hoje né…

      • Anderson Lemos

        Cara do céu!!! Nem cite nomes aqui… vai que aparecem por aqui também!!

    • Mineirim,
      Eu gostaria de ter publicado às 17h00, mas era um texto complexo e demorado. Errei na minha estimativa de tempo de compilação. Hoje na volta de Campinas o pessoal dos carros de motor maior, 1,8 e 2 litros, não acreditavam que um up! fosse capaz de acelerar tanto…Eu estava retido por tráfego à frente e um desses grudou, seta esquerda ligada tipo “ei, que ultrapassar”. Aí livrou à frente…

      • Uber

        Por mim, está perdoado!
        Prefiro demorado e bem feito a algo apressado e mal feito.

  • Leonardo

    Fantástico, a Volkswagen acertou em cheio nessa, o preço podia ser um pouco menor mas eu compraria mesmo assim, não vejo nada tão interessante nessa faixa de preço.
    Em relação as versões, vai ter 2 portas?

    • Leonardo,
      Nada foi falado e não adianta perguntar, porque não dizem. Mas não duvido que haja o 2-portas daqui a algum tempo.

      • Gustavo73

        Um 2 portas com o mesmo ajuste do 1.0 tsi do Golf Bluemotion europeu e teriamos um Up GTi, nada mal.

    • Gustavo73

      Hoje só o Take Up (versão de entrada) tem opção de 2 portas. Mas quem sabe um GTi.

      • Essj

        Semana passada vi um 2 portas, com placas verdes. rodando perto de Campinas

        As rodas em aço, pretas e tinham algum tipo de instrumento de teste com cabos levando ao interior. Eram aparentemente maiores do que 15”, talvez 16″ e tive a impressão do pneu ser mais largo que o atual 185. No interior havia um enorme manômetro instalado e outros equipamentos.

        Sera que não vem por ai uma versão realmente esportiva? Um GT up! 2 portas? Talvez com um motor mais potente.

  • João Martini

    Escalonamento do câmbio irrepreensível. Só sei de uma coisa: quero!

  • Diney

    Ola Bob, empolgante a máquina , estará disponível para versões automatizadas?

    • Richard

      Não.

  • Lemming®

    Posso estar falando bobagem mas a perfeição estaria no uso de corrente ao invés de correia dentada pois tenho a impressão de que é muito motor para as concessionárias prestarem bom serviço…
    Descontando este detalhe com certeza será meu próximo carro quando for trocar…
    E claro…parabéns ao Ae pela avaliação e por uma matéria tão esclarecedora!

    • CorsarioViajante

      O perigo é no futuro a bagunça de peças, aquelas oficinas sem noção vão misturar um monte de peças porque “é o mesmo motor, só muda que um tem turbo”.

      • Domingos

        Aconteceu com o Fiesta Supercharger também.

      • Lemming®

        Exatamente. Tem de escolher bem a oficina e estar atendo na troca…

  • carlos alexandre noriler

    Em relação ao câmbio, meu pai tinha (tirou zero na época) um Fiesta CLX 1.4 16v que segundo o manual a velocidade máxima era obtida na quarta marcha e era muito prazeroso dirigir aquele carro. Agora falando do Up Tsi com certeza será um ótimo carro, única coisa que me decepciona é aquele conta giros minúsculo no painel, eu tinha um Fox 2007 e jamais me acostumei com esse detalhe (era desanimador), O Up por ser turbo deveria o conta giros ser grande no meio do painel e o velocímetro menor no canto.

    • Fat Jack

      O CLX 1.4 sempre foi um carro que me deu uma imensa curiosidade de dirigir, tive um “Endurinha” 1.0 e mesmo assim era um carro muito gostoso, em estradas planas e sinuosas, usando bem a caixa de câmbio andava junto com gente “bem maior”…, com 88 cv então… só não me invoquei de comprar pela fama desse motor não dar retífica, o que até hoje eu não sei se é verdade ou lenda…, há muita gente que defende ambas as teses…

      • carlos alexandre noriler

        Quando meu pai chegou com o CLX na cor laranja (na época não se via essa cor em outros carros), logo pensei, que porcaria, mas a impressão da feiura do carro ficou no momento que pus as mãos nele. Meu pai trocou um Ford Versailles GL 2.0 no Fiesta CLX e o CLX me deu muitas alegrias, tinha muita estabilidade e um motor louvável. Quanto a retífica,também não sei sobre essa informação.

        • Domingos

          Adorava essa cor! Com pára-choques roxos ainda por cima!

          Pena que sumiram…

  • Eduardo Pinetti

    Quero, Quero, quero³³³³³

  • Estevan Dario

    Deve ser um foguetinho.

  • Diplo86

    Parabéns para Volkswagen! Poder proporcionar um carro de R$43000,00 e que atinge 160km/h de 3ª é um feito inovador. Quero muito que seja meu próximo carro, pena que “só” tá faltando o dinheiro. Parabéns ao AE por nos dar a notícia fresquinha, mas descobri que sofro de ansiedade. Sei que devem ter se esforçado ao máximo para postar a matéria com rapidez, mas foi difícil esperar.

  • CorsarioViajante

    Acho que este motor dará novo fôlego ao up!, assim como o Gol só emplacou quando mudou de motor. Realmente não tem o que falar, ficou tentador.

  • Luis Felipe Carreira

    Que motor é esse?! Magnífico! Não foi apenas colocar um turbo — só iria impressionar pelos números —, mas retrabalharam com foco em elasticidade e durabilidade. Os turbocompressores da Borg Warner são muito bons, nenhum problema até agora no biturbo (também dessa fabricante) da sprinter 415cdi 2012 com 505.000km rodados, só o intercooler que está meio melado, chegando até a pingar às vezes.

  • Luis Felipe Carreira

    Agora as vendas do up! decolam.

  • Emerson Dias Levandoski

    Gostei da materia. Esse carrinho promete. Agora quero um test drive para avaliar se adquiro um desses para o trabalho.

  • João Guilherme Tuhu

    Um típico alemão. Alta eficiência, tecnologia ímpar. Só não compro porque acho feio. Mas sem dúvida um belo lançamento. Esse motor fará sucesso em carrocerias mais palatáveis.

  • RoadV8Runner

    Será que a VW, para lapidar o up! TSI, se inspirou nos comentários aqui do Ae, quando da apresentação do up! aspirado? Pois o carro ficou exatamente como todos gostariam, ou seja, um motor forte, embalado por peso comedido e câmbio longo, do tipo 4+E. Para ficar melhor ainda, só faltou oferecer a versão speed up! em tom amarelo ou laranja e com opção por duas portas.
    E 16,8 mkgf a míseros 1500 rpm, num carro pesando 1000 kg, deve fazer um estrago mais ou menos! Entendo o porquê do controle de tração não poder ser desligado. Simplesmente surpreendente o consumo desse motor, mesmo consumindo nossa gasolina alcoolizada. Com o tanque de 50 litros abastecido com gasolina, praticamente dá para fazer São Paulo-Rio-São Paulo sem reabastecer!
    Agradeço pelo texto bem detalhado sobre as mudanças que foram introduzidas no motor. De fato, do MSI ficou somente a semelhança externa, pois são bem diferentes por dentro.

    • Lemming®

      O 4+E foi para atender ao Bob…rs
      Perfeito!

  • Diogo

    De aplaudir de pé o trabalho de engenharia da VW e tudo isso custar apenas R$ 3.100,00 a mais que as versões aspiradas. Isso faz soarem ainda mais ridículos alguns modelos específicos em que uma versão pode custar R$ 10.000,00 a mais que outra só por causa de um kit multimídia ou teto solar.

  • Fabiano Veiga

    São matérias como essa que fazem desse site a melhor fonte de informações para os apaixonados por carros. Parabéns ao AUTOentusiastas e, em especial, ao grande Bob Sharp pelo excelente texto, repleto de detalhes técnicos que só encontramos aqui.

    Quanto ao carro, eu sempre gostei dele. Agora então…

  • Lucas

    Legal. Bem legal mesmo.

    Se esse conjunto motor/câmbio pintasse no Voyage, eu batia na porta da VW no dia seguinte!

    • Sandoval Quaresma

      Genial. Chegaria perto dos 200 reais

      • Domingos

        Fico pensando que no Voyage e Gol esse limite de 16,8 do torque possa ser quebrado por uma caixa mais resistente, tal como também poderia ainda se ganhar talvez alguns cavalos a mais.

        Ficaria muito bom mesmo, porém mataria o 1,6 (o que também já estava na hora… poderia ficar para uma versão de trabalho).

  • P500

    Senti falta de alguma coisa a ser falada sobre freios e suspensão, mas como sempre, a melhor abordagem sobre o assunto em si, e mais detalhada no que importa, o motor.
    Estou vendo que meu Fusca 1800 com dupla Weber 40 vai ter trabalho com esses carrinhos hehehe

    • P500,
      Nada mudou em suspensão e freios, que “sobravam” no aspirado, por isso nos concentramos no que era de fato novidade.

  • Mr. Car

    Há pouco mais de um ano andei querendo pegar um New March SV 1.6. Pensei, pensei, meu carro tinha uns 20.000Km, estava inteiraço, nunca tinha me dado dor de cabeça, me servia muito bem, não havia a real necessidade de trocar…a razão ganhou a briga com a emoção, e desisti. Agora ele está com 25.000Km, continua inteiraço, continuou não dando dor de cabeça, continua me servindo muito bem, e continuo sem real necessidade de trocar. Mas não tem jeito: vai rolar (aliás, já está rolando) dentro de mim o combate “Razão x Emoção, a revanche”, he, he! Quem ganhará desta vez? Um Move up! TSI com pacote rodas liga aro 14, sensor de estacionamento, e faróis de neblina, já me satisfaz plenamente. Agora o up! tem aquilo que eu mais queria ver nele, que é o desempenho de um bom motor 1.6. Está barato? Não, mas agora, inclusive por conta dos recentes rearranjos de equipamentos de série e com este motor, está parelho, brigando de igual para igual com carros que antes tinham minha preferência, em uma comparação direta com o up! Parabéns, VW! Agora o carrinho tem tudo para atingir as previsões iniciais de vendas que nunca se concretizaram, ou ao menos se aproximar bem mais delas.

    • Curió

      Mr. Car, o pneu 185 da versão High Up!, sendo 10mm mais largo que da Move Up! (175), não te faz querer comprar a versão de topo por razões de estabilidade e comportamento? Ou será que não faz diferença?

      • cepereira2006

        Foi a minha decisão. Optei pela Cross por este motivo. A roda e o acabamento em geral também ajudaram.

    • Anderson Lemos

      Nossa!! no último ano já tive este combate 2x e a emoção ganhou todos. Resultado: gastei tudo, já perdi uns 10 mil e agora não posso me dar ao luxo…kkkk

    • Bera Silva

      Eu te entendo Mr. Car, he he he. Desde que ouvi falar no Up turbo fiquei impaciente. Desde a matéria no Flat Out e agora esta do Bob, estou mais inquieto ainda. Já estava contando os cobres para encarar a compra, mas eis que surge, neste sábado chuvoso e após uma visita à oficina do meu amigo um Chevette tubarão único dono com 62.000 km… Resumindo, não sei se caso ou compro uma bicicleta.

      • cepereira2006

        Cara, essa dúvida entre um Chevette velho e um up! turbo zerado eu nunca teria. Bem que me dizem “uns gostam dos olhos, os outros da remela…” Por coincidência, estou vendendo uma Montana 2007 com a mesma quilometragem, mas completa. Acho bem mais negócio que o Chevette. Diz aí. rsrs

  • Lucas Mendanha

    Antes de pegar o Focus semi-novo, dei uma boa olhada no Up! e me impressionei bastante…não sou fan de VW, mas era o compacto que teria caso essa categoria tivesse sido minha escolha…de preferencia a quase extinta versão 2p.

    Talvez seja essa a receita para uma versão esportiva TSi 2p com o diferencial do MSi. o que vc acha Bob? Por ter andado nos dois num curto intervalo, acha que ficaria bem esperto?

  • Rafael Sumiya Tavares

    Bob, a pergunta que não cala, aproximaram o freio do acelerador para um belo punta tacco? Confesso que estou felicíssimo em ver o resultado que o time de engenharia da VW obteve, esse entrou pra lista dos carros que mais desejo!

    • Diplo86

      Assim como o Bob já frisou, prefiro os pedais no estilo do Grand Siena para o Punta-tacco, mas no Up! também é possível fazer, porém de uma maneira diferente: pisando no freio com o meio da planta do pé e acelerando com a ponta. No começo estranhei mas com o tempo acostuma-se.

  • Vitor Facciolli Pinto

    Bob, foi uma honra conhecer todos vocês no passeio da semana passada, sensacional! não sei oque me impressiona mais, a qualidade da sua matéria, ou a construção do up tsi! (brincadeira a matéria é melhor, rs..) Obrigado por esta aula sobre o carro!

  • Carlos Alexandre Norlier,
    Também prefiro conta-giros maiores. O do Fox era muito ruim, quando passou a “Wolfsburg” mudou o jeito do carro.

    • Humberto Riveron

      Se o modelo tiver o ‘Maps and More’ é possível deixar um conta giros de verdade e também a temperatura da água do radiador (ou então temperatura externa).
      Pode-se optar por 2 das 3 opções no monitorzinho, e ai o conta giros fica num tamanho justo de se ver.

  • Cafe Racer

    Incrível ! Deve ser uma delícia de se dirigir.
    Eu já gostava bastante do up!, agora então …
    Bastante razoável os $ 43.000 da versão move up! .
    Acredito que a procura vai surpreender a própria VW! Espero que a oferta seja grande e não haja sobrepreço no modelo…

  • Corsário,
    Conselho: não o dirija, senão você vai arranjar um problemão… (rs)

    • Lemming®

      Depois da matéria vai ter muita gente procurando este problema…hehe

    • CorsarioViajante

      Se fosse uns anos atrás sem dúvida. Mas hoje, com a família crescendo, não rola.

    • Anderson Lemos

      Carro nostálgico !!!!
      Remete a minha infância e a angustia por um brinquedo novo.

  • Lucas,
    Não são.

    • Lucas Pereira

      Vixi, desculpas. É porque tem sites por aí dizendo que são…

    • Lucas Pereira

      Bob, desculpe a insistência, mas vi uma entrevista no YouTube com o gerente de desenvolvimento de produto, José Loureiro, e ele disse que os discos foram aumentados e a suspensão recalibrada. Está confuso isso. O up! realmente já vinha com discos de 256 mm de diâmetro.

  • Cruvi,
    Fora que o carro é todo certo — menos para fazer punta-tacco…

    • Thiagusss

      A posição dos pedais é ruim?

  • Luiz_AG,
    Nada se falou sobre robotizado, mas devem estar penando nisso.

  • João Martini

    Também sofro desse mal. Depois das 17:00 atualizei a página a cada 5 minutos. rsrs

    • Fat Jack

      Acho que a maioria de nós, não é?

  • Domingos

    A VW tem no mundo inteiro trabalhado para ganhar a simpatia das seguradoras, pois é um ponto crítico da marca.

    Já li de um comprador dos primeiros Golfs novos aqui do Brasil que o carro conta até mesmo com bloqueio de ignição após quebra de um dos vidros.

    O Golf GTI conta com todo aquele aparato tecnológico pelo mesmo motivo: o seguro dele caiu pela metade em alguns mercados por causa disso.

    No caso do up!, estão fazendo aquele esforço em que o turbo não fique com imagem unicamente esportiva. O controle de tração não desativável deve ter esse motivo.

    Sinceramente, não faz falta que possa ser desativado. Não tem nada a ver com pilotagem esportiva, em especial em um tração dianteira.

    • RoadV8Runner

      Esse é um drama que considero inadmissível aqui nesta terrinha, o preço do seguro de alguns carros irem nas alturas, na maioria das vezes por conta de alguns modelos serem os preferidos dos gatunos. E a VW tem essa sina a tempos, os amigos do alheio gostam muito dos modelos da fábrica germânica… Aí obriga os fabricantes serem cada vez mais criativos para criarem meios de seus carros não serem furtados facilmente. Não sei até que ponto os modelos esportivos são estatisticamente, de fato, mais propensos a se envolverem em acidentes. Isso me cheira mais a oportunismo do que números reais…

      • $2354837

        Road, no meu mundo de consultor de TI nômade já trabalhei em algumas seguradoras. Existe um complexo cálculo feito para chegar ao valor final proposto do seguro, contando histórico de roubos, custo de reparabilidade e até ocorrência de guinchos de determinado modelo.
        Só para ter idéia, o pára-brisa do 207 eleva o custo do seguro por causa do custo de reposição.
        E sim, estatisticamente carros esportivos são mais propensos a acidentes, estamos falando de uma base de milhões de carros segurados.

      • Domingos

        Não é só aqui esse problema da marca, assim como na questão dos esportivos também.

        Aparentemente existem certos modelos de esportivos que “passam batido” e cujo seguro custa pouco, porém os mais conhecidos são todos mais caros mesmo.

        Talvez porque a taxa de roubo seja maior, já que viram objeto de desejo. A taxa de acidentes com eles novos realmente não deve ser tão alta assim.

        O compartilhamento de peças do grupo VW faz com que sejam carros “bons de roubar” pelo mundo todo, infelizmente.

    • Anderson Lemos

      Creio que este seja o foco principal da VW; Tirar da cabeça oca dos brasileiros o sinônimo entre turbo e esportividade!!! Tomara que consiga, pois todos ganharemos.

  • m.n.a.

    isso mesmo, motor tem que girar….não é porque tem 5 marchas que “precisa” usar até a quinta ! !

    é mania dos “não entusiastas” andarem na última marcha a 50 por hora na cidade…e afundar o pé sem reduzir pra “fazer andar”…e achar que estão economizando…

    na cidade onde o limite máximo é 60 km/h, raramente engreno uma “tomada direta” (4a) no Chevette 5 marchas…uso até 3a….

    aqui em Curitiba existe “uma única” avenida mais rápida cujo limite é 70 km/h….nessa até vai uma 4a….

    (pra não ficar tão “off-topic” falar de carro velho perto dessa modernidade toda, segue o DENTE DE SERRA hand-made a lápis que acabo de fazer do Chevette…lembrando que a 5000 rpm já parece que vai explodir, hehehe…com a equação que utilizo para o diâmetro teórico da roda, não sei se é a mesma que o pessoal do Ae usa…)

  • Diplo86

    Ou eu não entendi o gráfico dente de serra ou tem alguma coisa errada. O eixo horizontal é a velocidade? Se for a primeira não teria que ir até 52,5 km/h?

  • Gustavo75

    A versão Speed foi decepcionante. Apenas branco, teto preto (opcional ou de série?), retrovisores azuis, adesivos laterais… Que mau gosto!

  • Antonio Ancesa do Amaral

    Bob só para variar belo post e bem informativo. Que vontade de sair dirigindo um. Poderia por gentileza explicar-me qual a diferença entre o i-motion (anterior) e o i-motion tiptronic (atual) do Up!

  • André Castan

    Bob, não sei se li corretamente o gráfico, mas as velocidades apontadas no mesmo diferem das informadas no texto como velocidade máxima em cada marcha. Há realmente uma divergência?
    Parabéns pelo ótimo texto e realmente parece ser um carro muito interessante mecanicamente. Agora só falta a VW melhorar o acabamento interno para que se torne uma opção de compra para mim.

  • Guest

    Prezados, parece-me que o gráfico está conflitante com os dados apresentados no segundo e terceiro paragráfos. É como se as linhas ascendentes estivessem com inclinação maior do que deveriam.

  • V12 for life

    Excelente matéria, ansioso para ver esse motor em algo que me atenda melhor( porta-malas) espero que seja uma opção na próxima geração do Voyage.

    • Diplo86

      Um dos motivos que me impedem de trocar meu carro por um Up! Tsi é o pequeno porta-malas. O outro motivo é a falta de dinheiro. Quando resolver o segundo motivo acho que a emoção vai falar mais alto e vou escolher espremer as bagagens. Mas a sensação que eu tenho é que a graça do Up! está em ser um carro leve e pequeno e embora esse motor turbo consiga empurrar de forma honesta carros maiores, acho que vai perder um pouco da diversão.

      • V12 for life

        Acho que, claramente é baseado na versão de 95 cv do Polo europeu, ainda tem a de 115 cv do Golf que acredito ser a que será utilizada na família Gol e Fox, e considerando o mesmo aumento que o up! teve, deve atingir cerca de 120 a 125 cv com gasolina e álcool respectivamente, e o torque também é maior, 20,7 mkgf se não me engano.

      • marcus lahoz

        Ele tem o mesmo torque que o 2.0 do Jetta, e ainda começa mais cedo e mantém a linearidade por mais tempo. Este motor atende um Jetta fácil.

  • Newton(ArkAngel)

    Não há muito a acrescentar ao que todos já disseram.Minha impressão é uma só: um carro honestíssimo. Parabéns à VW.

  • Lorenzo Frigerio

    Vê-se que os contrapesos do virabrequim também são maiores. É estranho a diferença ser de apenas 1/2 kg, já que o aço forjado também é mais pesado.
    A bomba d’água elétrica deve ser o que possibilita desligar o motor imediatamente sem se preocupar com a turbina.
    Também se nota que o posicionamento dos orifícios para injeção direta eliminou uma das áreas de esmagamento do cabeçote.
    3100 reais sobre as versões de aspiração atmosférica parece pouca diferença. Pelo visto, a VW quer popularizar a versão a ponto de acabar com a aspirada. Fico curioso agora em relação à próxima linha Gol, acho que terão que subir o nível do carro.

    • Jose Nunes

      No Golf TSI há o mesmo sistema? Porque sempre que chego em casa já desligo o motor imediatamente.

    • V_T_G

      A densidade de ambos é similar, no entanto o processo de forjamento adensa o material. Esta pequena diferença de densidade é mais do que compensada pelo aumento da resistência da peça de modo que as peças forjadas, se bem projetadas tendem a ser mais leves que as fundidas, levando em conta os mesmos esforços solicitantes.

    • Domingos

      Uma hora ou a VW acaba com o trio confusão nos compactos ou isso acaba com ela…

      O Gol, por mim, deveria substituir de vez o Fox. Ou então que venha um Fox com base nova e o substitua, porém seria o caso de como uma confusão que já dura 12 anos acabou com a maior marca da VW no Brasil.

  • Andre Mondino

    Simplesmente sensacional! Excelente matéria como sempre e com alto nível técnico de informação! Gostei bastante da nova versão Speed Up!, adoraria ter um desse para meus múltiplos deslocamentos diários. E, o mais bacana disso tudo foi que boa parte deste post eu ouvi pessoalmente de Bob Sharp de uma maneira muito “Autoentusiasta” durante o almoço no passeio de domingo passado, pois tive o prazer de sentar à mesa bem perto dele.

  • Francisco Passarini Junior

    Nossa, não vejo a hora de ler as impressões do up! TSI no autódromo de Interlagos, se já sou apaixonado pelo meu up! Aspirado, imagino o que vai acontecer com a minha cabeça ao dirigir o turbo kkkkk.

    Bob, de fato estão dizendo que a carga de amortecedorés e molas foram modificadas, assim como a dimensão dos freios, mas que estranhamente declaram ter discos de 256mm, ou seja, a mesma dimensão dos discos da versão aspirada, acabei de assistir o vídeo oficial da VW que afirma sobre as mudanças, mas infelizmente, eu não consegui colar o link do YouTube.

  • Gustavo73

    Suspensão e freios recalibrados.

  • Lorenzo Frigerio

    O ideal seria que fizessem isso no próximo Gol. A proposta do up! não é essa.

    • Lemming®

      Gol tem de morrer…fazendo hora extra…

      • Davi Reis

        Morrer eu acho que não precisa, mas que ele está em apuros, isso está. Troquei de carro recentemente, e já tive um Gol Power 1,6 2013, gostava muito do carro. Tinha em mente pegar um Rallye 16V agora, mas o Fox embolou o jogo todo. O Fox Highline, praticamente completo (menos tela multimídia e teto solar), me saiu mais barato do que o Gol Rallye “básico” sairia! Parece que agora na linha 2016 corrigiram essa distorção, mas ainda assim, quem chega na concessionária atrás de um Gol olha para baixo (up!), depois olha para cima (Fox) e fica sem motivos pra levar o Gol. Gosto muito do Gol, mas até um grande fã, como eu, fica tentado a partir para algum dos dois irmãos.

        • WSR

          Olhando apenas preço e equipamento, tudo bem, o Fox pode até convencer mas em termos de dinâmica/dirigibilidade, prefiro o Gol novo. Já dirigi alguns modelos de Fox, inclusive o Cross, e não gostei muito.

    • Domingos

      Também é uma boa idéia, quem sabe aí colocando uma versão dos seus 110 a 120 cv para compensar o maior peso.

  • WSR

    Nossa, o diferencial é mais longo que o do Santana 2,0 manual. Fico me perguntando o motivo de a VW não ter lançado o gol GTi 89 com câmbio e/ou diferencial mais longo, já que os dados técnicos são levemente parecidos (não sei quanto de torque o Gti entregava entre 1500 e 3000 rpm). Meus parabéns para a VW pelo up! turbinado.

    • Lorenzo Frigerio

      Esse 1.0 TSI provavelmente tem mais torque e o carro tem menos peso que o GTi. Além do mais existe uma crença que carro esportivo tem que ter diferencial curto – se não me engano, o Kadett GSi era assim. Sem contar que fabricantes europeus têm a mania do câmbio curto. Até hoje é assim nos Renault e nos Fiat. e nos Peugeot com 5 marchas.

      • WSR

        Mas o Santana era menos leve que o primeiro GTi e usou o diferencial mais longo aliado ao câmbio curto em alguns modelos 2,0. Bastava a VW ter mantido o diferencial e colocado apenas a caixa PS no GTi. O primeiro GTi não era tão pesado. Tinha menos de 1 tonelada sem o ar-condicionado opcional. E o Kadett acabou tendo o câmbio alongado após algum tempo.

    • Ilbirs

      Se formos comparar up! com Santana, tem a curiosidade de as portas traseiras dele serem mais longas e com ângulo de abertura melhor que aquelas do Santana que cresceu depois de 1991.

  • Manoel Nunes

    O único defeito do meu carro – a falta de um câmbio manual no Golf GTI – acaba de ser solucionado. Turbo, baixo peso e câmbio manual: combinação perfeita!

    • Manoel Nunes,
      Mais perfeita do que você imagina, acredite.

  • Marco de Yparraguirre

    Perfeito Bob.

  • Diplo86 e demais leitores,
    Havia mesmo erro no gráfico. Quando o coloquei na primeira vez, ainda durante a edição, fiz o limite de rotação a da potência máxima, então resolvi mudar para a rotação de corte, para ficar coerente com o texto. Nesse momento o Sr. Murphy entrou em cena e, adivinhe, nos dados o diferencial ficou o de um outro gráfico, 4,059:1 em vez do correto 3,625:1. Agradeço-lhe e aos demais leitores pelo toque, já corrigi o gráfico.

    • Diplo86

      Obrigado pela correção Bob. Estes pequenos deslizes acontecem e acredito que sua ansiedade em nos proporcionar a matéria ainda ontem deve ter contribuído. Agora uma outra questão: minha esposa possui um Take Up! e gosto mais de dirigir o carro dela do que o meu (apesar de ser um 1.6 16V). Parafraseando você, é realmente de arrancar sorrisos! Mas eu tinha a expectativa do Up! Tsi ultrapassar os 200 km/h (pelo menos no velocímetro) o que realmente deve ser uma sensação muito gostosa em um 1.0 (só autoentusiasta me entende). Será que com uma quarta mais curta isso não aconteceria? Será que VW fez isso de propósito por segurança ou visando lançar mais tarde uma versão realmente nervosa?

      • Diplo86,
        Para chegar a 200 km/h seriam necessários 135 cv. Mexer em câmbio como você sugeriu não adiantaria, pois a 4ª já está um pouco curta, passando 600 rpm do pico à velocidade máxima de 184 km/h. O que poderá vir, não é impossível, é uma versão mais potente. Lembre-se que o Gol/Parati turbo, de injeção no duto, comando variável só na admissão e só a gasolina, já tinha uma versão pronta e validada de 130 cv (original de 112 cv) quando a VW decidiu encerrar o programa em 2002.

        • AGM

          Bob,
          Você poderia por gentileza nos informar qual a equação que utilizo para calcular a V/1000 de um veículo?

      • Humberto Riveron

        Tem vídeo de YouTube com velocímetro chegando a 202, mas devia ser descida.

  • Jairo Evaristo

    Muito bom!

  • Beta Romeo

    Bob, o mostrador digital do up! tem a função velocidade instantânea? Pergunto isso porque quando o dirigi percebi a mesma coisa que o Arnaldo Keller relatou no post dele, ao ajustar o volante uma parte do velocímetro fica obstruído. Se achatassem a base do círculo para abaixar o velocímetro já ficaria bom!
    No restante o up! é agradável, o motor gira bem sem aparentar esforço, a direção tem respostas rápidas e suspensão bem calibrada. Como esse carro é cativante!

  • Perneta

    Eu adoro quando a primeira frase começa pela conclusão! Isso livra da ansiedade de chegar logo ao fim do texto e me permite saborear a leitura ao máximo.

    • Perneta,
      Gostou, não é? Tinha que começar por onde comecei, já que a escolha dessa transmissão foi surpresa maior do que o excelente motor em si.

  • Beta Romeo,
    Sim, tem o digital, fica no mesmo lugar onde na foto aparece o consumo médio. Trocam-se as indicações por botão na extremidade da alavanca do limpador.

    • Manu

      Olá Bob! Belíssima matéria e excelente carro. Você acredita que um câmbio de 6 velocidades traria ainda melhores resultados ou é desnecessário? Abraço!

  • guest

    Se fosse possível trazer o Casari de uns 50 anos atrás para pilotar um Carcará com esse motor…

  • jrgarde

    Candidato a próximo carro da minha mulher! Que geralmente é o meu carro de final de semana!

  • João Martini

    PK, se possível faça um vídeo do TSIzinho no autódromo. Agradecemos rsrs.

  • Marcelo R.

    Bob,

    Fiquei encantado com essa maravilha! Excelente o trabalho feito pela VW no motor. Parabéns para a fábrica! Mas, como nem tudo é perfeito, eu acharia muito melhor se ele fosse assim, me fazendo lembrar do saudoso Uno 1.5R, com a tampa do porta-malas preta e as calotas de disco telefônico, com o qual eu sonhava em minha adolescência:

    http://i39.photobucket.com/albums/e195/aquattro/gtup_frente.jpeg

    http://i39.photobucket.com/albums/e195/aquattro/gtup_traseira.jpg

    http://i39.photobucket.com/albums/e195/aquattro/gtup_interior.jpg

    Acho que eu até esqueceria que o sr Haddad existe (rsrs)… Se bem que a primeira chegando a 60 km/h, a segunda chegando a 100 km/h e a terceira chegando a 160 km/h, eu ia lembrar dele rapidinho (grrr)… Por acaso esse carro tem algum alerta de limite de velocidade no computador de bordo?

    Um abraço!

    • WSR

      Faltou apenas a lanterna fumê na traseira para fechar o pacote.

  • Curió

    O carro acelera algo próximo de um Civic, faz 20 km/l e custa o mesmo que um Uno. É até apelação!

  • Caio Ferrari

    Desde o lançamento deste carro, considero-o o melhor compacto do mercado nacional. Sua pontuação do Latin NCAP denotam, além de um carro seguro, uma estrutura muito moderna e bem feita. Seu motor, parece um espetáculo. E agora lançam essa versão turbo!

    Bob, não sei se você se lembra, mas possuo um Uno Mille Fire – que decidi comprar há 7 anos atrás depois de um texto seu para o Best Cars. Você se lembra?
    Eis que tudo está acontecendo de novo, com o up!

    É uma pena que seja tão impossível agendar um test drive neste carro. Se bem que uma volta no quarteirão não me bastaria.

    • Davi Reis

      Quando o carro chegar nas lojas, a VW deve enviar unidades para test-drive. Dirigir o carro vai ser o principal argumento de vendas.

  • Franklin Corcino

    Fantástico, e como sempre tudo rico em detalhes. Isto serve para os que pensam que é só pendurar o caracol (apelido do turbo compressor). Tudo foi revisto, outro motor…
    Está nova safra de motores nos carros de baixa cilindrada, me faz sentir vontade de adquirir um. Pensamento que há anos nem passa por a minha cabeça perturbada.

  • Rafael Ribeiro

    Notável o capricho da VW, tanto tecnicamente quanto comercialmente. Promover tantas modificações e manter uma diferença de preço honestíssima vai conquistar muitos clientes. Pessoalmente gostaria de ter uma versão 2 portas à disposição, e não gostei muito do pacote estético do Speed. Só espero que a provável forte demanda não traga ágio.

    Parabéns à VW pelo belo trabalho, e ao Ae pelo texto mais técnico sobre o lançamento.

  • Marcio

    Sei que o Autoentusiastas não se põe a fazer comparativos, mas fico aqui me perguntando: up! TSI ou Sandero R.S.? Na expectativa de um teste do Renault…

  • Uber

    Bob, esse seu entusiasmo no texto é melhor que muita propaganda, deu vontade de comprar um!
    Os R$ 3.100,00 eu tenho, só me falta o resto…

    xD

  • marcus lahoz

    Espetáculo de motor, hein. E olha por 3000 reais é mais barato que mandar turbinar por fora. Agora imagina este motor no Golf ou no Jetta com cambio de 7 marchas DSG, vai vender um monte se conseguir baixar o valor da casa de 60 mil reais. #ficaadicavw

    Quanto tiver a oportunidade vou testar este up turbo!

  • marcus lahoz

    Turbo com refrigeração a água é coisa antiga, no Tempra já tinha. E no intercooler não vai água. Somente ar.

  • Leandro Daminelli

    Alguém poderia explicar melhor o parágrafo abaixo?

    “Como se sabe, após medidos os consumos sobre uma correção de 22% para o de cidade e 29%, para o de estrada. Por isso computador de bordo mostrava números incríveis na Rodovia do Bandeirantes hoje, com 19,7 km/l de gasolina a 120 km/h reais e com ar-condicionado ligado.”

  • daniel

    Este motor será um divisor de águas no mercado brasileiro , desempenho e consumo assombrosos !

  • BlueGopher

    Só uma observação, me parece que na foto dos virabrequins, o do TSI (forjado) é o da direita, e não o da esquerda (fundido) como está citado na foto.

  • D.S.

    Há mais de 30 anos o Gol patinho feio com motor “a ar” patinava e era considerado um grande erro da VW. Quando colocaram o motor arrefecido a agua, engrenou e em pouco tempo assumiu a liderança do mercado.
    Estamos num mercado completamente diferente naquela época mas acho que a VW adota a estratégia certa, creio que esse TSI vai puxar as vendas até da versão aspirada e a médio prazo vai estar entre os Dez Mais.

  • Ilbirs

    Esse é um carro que gostaria de ter, uma vez que gosto de veículos com boa reserva de força no motor e curva de torque bem plana. Porém, como sempre martelo por aqui, seria bom que tivesse alguns ajustes (some aí uma regulagem de altura de cinto que dispense parafusos e memória mecânica nos modelos de duas portas, conforme comentários abaixo do meu original). O carrinho acabaria ficando sem maiores objeções de compra. Se alguém da VW estiver lendo este comentário, que olhe com atenção para as sugestões que estou fazendo, pois são perfeitamente exequíveis, algumas podendo ser adicionadas em viradas de ano-modelo e outras podendo ser reservadas para uma reestilização (de repente ano-modelo 2017). Sou potencial comprador de um carrinho desses, mas há essas questões que me irritam.

  • Navegador

    O mesmo motor é usado no Golf 7 europeu, bem poderiam aproveita-lo aqui também! (a faixa de IPI é menor)

    É pena que nenhuma versão do up tenha controle de estabilidade. Ah, e um equipamento de segurança fácil de implementar mas que julgo fundamental na era do smartphone: controles de áudio no volante!

  • Ilbirs

    Olho essa postagem do Bob, vejo esse motorzinho e já começo a maquinar algumas coisas em minha cabeça. Uma hora ou outra alguém vai fazer besteira e dar perda total em um up! TSI, o que significa que vai sobrar uma sucata boa para extrair peças. Aí vejo que seu motor é tricilíndrico e imediatamente passo a pensar em um tricilíndrico do passado que tem alguns exemplares abandonados por aí:

    https://autosorfaos.files.wordpress.com/2009/06/asia-towner-vila-marieta-anderson-b-miguel.jpg

    Já vi que alguns adaptaram motores mais compridos nesse veículo e precisaram de certas adaptações que o EA211 parece-me dispensar, mas que permitem tirar algumas lições:

    Como seria um belo acréscimo de força, não queremos que aconteça isto:

    Ou isto:

    http://srv2.betterparts.org/images/asia-motors-towner-07.jpg

    Logo, seria necessário pensar em alguma forma de jogar peso atrás para ter uma distribuição mais assemelhada à de certos modelos feitos em Munique. Como pensamos em uma marca de lá que não é a MAN, ainda que estejamos falando de um veículo utilitário e com construção assemelhada à de um caminhão cara-chata no que tange a ter motor embaixo da fileira dianteira, chassi de longarina e eixo rígido atrás, podemos também fazer algumas alterações que lhe permitam melhor comportamento dinâmico. Aí olharemos para um certo arquipélago que faz fronteira marítima com a Coreia do Sul e do qual veio o projeto originalmente feito na península, mais especificamente para outra marca mestra em fazer carros dessas especificações tão restritas:

    http://diversion.deadbored.net/img/cutaway_cappo.gif

    Dele extrairemos o esquema básico de suspensão traseira, aqui com a vantagem de se poder fazer com tubos soldados ou mesmo impressão 3D de metal. Dá para pensar em umas buchas de MOPU só para não ficar aquela coisa rangendo de tempos em tempos e que tenha maciez para uma vida toda sem cair no problema da borracha. Também dá para pensar em reposicionar alguns órgãos mecânicos, como o tanque de combustível passando a uma posição central. De repente até mesmo aquele de 50 l do up! TSI com perda total serve para o propósito. Mas ainda assim alguns irão continuar se perguntando como fazer para baixar o centro de gravidade de algo tão alto. Eu acabei lembrando de uma suspeita que houve em uma edição das Mil Milhas vencida pelo Fábio Sotto Mayor com um Opala muito bem acertado: a de que a equipe tivesse posto lastros no oco das longarinas do carro para que ele ficasse mais assentado, ainda mais considerando-se o quão molenga e propenso a rolagem excessiva em curvas é esse clássico brasileiro da Chevrolet em especificação original de fábrica. Como a pista aqui será a das ruas, não precisamos nos preocupar com regulamentos tão estritos.

    Ficaríamos mais pela questão de arrumar uma transmissão longitudinal capaz de suportar bem 16,8 kgfm de torque, ainda que aqui a resposta praticamente seja dada pela adaptação do conjunto motriz de Chevette e o fato de sua transmissão ser a mesma do Opala de quatro cilindros. Alguns mais malucos poderiam pensar em um tubo de torque jogando força para uma transmissão montada atrás, pegando aí um conjunto do Carajás como espelho mas montando uma transmissão VW longitudinal de cinco (ou, vai saber pela doideira de quem estiver lendo, alguma de seis marchas de algum Audi com perda total). Ao menos essa última maluquice teria a vantagem de facilitar sobremaneira uma distribuição de peso que faria gente em Munique sorrir e evitando aquele episódio do vídeo com a prateadinha de noite, além de deixar espaço livre entre os eixos para que se montasse um tanque longitudinal entre as longarinas, como vemos em pick-ups médias e facilitar também a questão da suspensão traseira independente (além de livrar espaço no cofre).

    Ficaríamos pela questão de como transmitir essa força ao chão e como freá-la. Aqui também poderíamos pensar naquele mesmo up! TSI com perda total e ao menos transplantar seus discos dianteiros, podendo aí adaptar discos traseiros de algum outro veículo. Creio eu que rodas aro 15 sejam mais que suficientes para o tipo de uso que estamos querendo. Quem optar por uma estética mais street rod poderá inclusive procurar algum modelo que se pareça com as originais de liga leve de aro 12:

    http://auta5p.eu/katalog/asia/towner_01c.jpg

    De minha parte, prefiro rodas de ferro pintadas de tinta prateada fosca e provavelmente deve existir algum modelo de 15 polegadas que se assemelhe ao do veículo que estamos falando:

    http://mlb-s2-p.mlstatic.com/vendo-towner-roda-de-ferro-aro-12-com-pneu-14620-MLB3099553411_092012-F.jpg

    Depois disso também dá para pensar no interior. Como era um furgãozinho que no passado já tinha quatro janelas que desciam, podemos pensar em eletrificá-las, pegando aí até mesmo os botões de outro veículo da mesma marca para manter a estética interna:

    http://mlb-s1-p.mlstatic.com/interior-paineis-en-pecas-carros-12897-MLB20068129632_032014-Y.jpg

    Outros poderão pensar também em retrovisores elétricos. Cheguei a dar uma pesquisada e vi que há um retrovisor da Piaggio Porter elétrico que serviria perfeitamente, uma vez que é o mesmo carro com mudanças. Também dá para pensar em ar-condicionado e outros detalhes que permitiriam seguir levando sete pessoas em apenas 3,36 m, mas mais rapidamente.

  • Fabio Toledo

    ” Quem não vai gostar é quem ver a porta de carga preta ir encolhendo na frente… ”
    Gostei da conclusão! Hehehe

    Pena que ainda não está nas concessionárias… Fui agora e posso dizer que eles estão dispostos a negociar (de verdade!).

    Um diz que é feio, o outro queria que fosse mais forte para andar junto com o Golf (e a VW é burra então?)… Eeita! A coisa não está fácil, hein! Povo já aderiu o clima da crise mesmo. Acredito que já no mês que vem vai ficar ainda melhor para fechar negócio!

  • Totiy Coutinho

    No Golf alemão esse motor desenvolve 115 cv, então para quem gosta de um veneninho desse mato saem mais cavalos . . .

  • Lucas Sant’Ana

    Creio que up! aspirado com o mesmo diferencial (3,625:1) alongado do up! TSI o faria tão econômico quanto o turbo, a VW poderia fazer uma versão BueMotion do up! inclusive com a distância do solo do up! europeu para um melhor coeficiente aerodinâmico, o Polo BlueMotion apesar de ser 1,6 ficou praticamente com o mesmo 0 a 100 conforme o texto da matéria POLO BLUEMOTION OU “4+E”, O RETORNO; –
    “O carro poderá ficar mais lento, poderão alguns pensar, mas não fica. O 0 a 100 km/h, por exemplo, é de 11,1 segundos no BlueMotion e 11,2 segundos no modelo de série (os 26 kg a menos e a melhor aerodinâmica ajudam, é bom lembrar). Nas ultrapassagens na faixa de 100 a 130 km/h o “4+E” é muito mais conveniente, ao alcançar 126 e não 109,8 km/h. Graças à quinta bem longa consegui fazer, pelo computador de bordo, 21,7 km/l com consistência por um percurso plano de cerca de 30 quilômetros a 100~110 km/h, isso com ar-condicionado ligado.”.

    Caso fique muito lento pode se usar o diferencial 4,059:1 citado no comentário do Bob ou o do Fox 1,6 de relação 4,188:1 citado na matéria
    FOX BLUEMOTION: A EXCELÊNCIA DO 4+E.
    Aí vão dois links para cálculos de câmbio:

    http://www.scagnolato.com.br/v1000/calculo.html

    http://www.sapinhocambios.com.br/calculos03.html

    • Domingos

      Como perderam 26 quilogramas no BlueMotion??

  • Bera Silva

    Que legal. Também tenho uma planilha eletrônica e fiz a mesma coisa. A vantagem da planilha é poder alterar os dados sempre que se quiser. Comparei com a minha tabela, e ficou exatamente igual ao seu gráfico, muito bom. Se quiser deixe seu email que te mando a minha planilha.

    • m.n.a.

      Beleza! Pode mandar!

      Utilizo uma calculadora HP com as equações dentro pra facilitar, hehe….é que gosto de desenhar mesmo ! !

      sevlaalves@yahoo.fr

  • Maycon Correia

    Gostei e já pus na linha de desejos! Agora só falta que eles aceitem meus opcionais desejados (2 portas e teto solar)

    • Gustavo73

      Torça por um GTI, pois 2 portas não tem nas versões oferecidas.

  • Ilbirs

    E já tem vídeo do speed up!:

  • Lucas Pereira

    Em relação a essa bomba d’água elétrica, tem algum outro carro que utiliza esse tipo de bomba? Fiquei pensando no caso de pane desse componente. Ao contrário de uma bomba d’água mecânica, que da sinais (ruídos) de que está na hora de ser substituída, uma bomba elétrica deve simplesmente parar de funcionar do nada, e aí só de pensar no prejuízo…

    • Lucas Pereira,
      Desconheço; em qualquer tipo de problema no sistema de arrefecimento só haverá prejuízo se o motorista não atentar para o termômetro ou luz de aviso de que há superaquecimento e insistir na marcha.

  • Lucas Santana,
    Relação de diferencial 3,625:1 seria simplesmente inviável no up! de motor aspirado. É comum nos abstrairmos de que, em desempenho, um motor como o do up! TSI não é de 1 litro, mas de 1,7 ou 1,8 litro. Tenho certeza de que depois de dirigir esse up! turbo você esquecer tudo o que disse no seu comentário.

    • Lucas Sant’Ana

      Bob o que quis dizer é que poderiam fazer uma versão BlueMotion no up! aspirado, OK, é inviável um diferencial com rel. 3,625:1, mas será que o de 4,188:1 seria viável ou outro próximo? Minha pergunta é meio off topic pois estou sugerindo algo no up! aspirado, de qualquer maneira pode-se testar por conta própria algumas relações de diferenciais e ver uma mais longa que case bem no aspirado. Tenho certeza que o up! TSI é um carro espetacular, injeção direta, sensor que identifica o combustível, velas apontadas para o jato da injeção e principalmente o turbo é um super combo em um carro só, os contadores de feijões passaram longe desse motor!

  • Gustavo73,
    Acho que a VW numa mais usará essa sigla (GTI) num produto, pois as espertas das seguradoras se valem disso para elevar o valor do prêmio por ser “carro de alto risco”. Coisas de um país de gente com mentalidade retrógrada, “abençoado por Deus”, como canta o Jorge Ben Jor, que por falar mentira devia ser preso.

    • Gustavo73

      Infelizmente é verdade Bob. Já contei em outras ocasiões, minha história com um Gol TSi 2.0 em 1997. Quase não comprei o bicho por essa história de esportivo. O carro custava 24 mil 0km . já tinha fechado a compra ia dar o sinal no dia seguinte. Fui ver os valores do seguro na minha seguradora BB. Chegando lá o chute nas partes baixas 5mil de seguro anual. Eu perguntei: como? E o corretor é carro esportivo blablabla. Por coincidência uma outra pessoa estava segurando um A3 T 150cv alemão na época. O carro custava o dobro ou pouco mais e o seguro era de 5 mil! Aí eu perguntei, o dele anda mais, é importado e custava o dobro (idades dos condutores parecidas). Liguei para a vendedora dizendo que pelos valores do seguro não poderia comprar o carro. Ela me pediu um tempo e falou que falaria com a corretora da CSS. No final o seguro saiu por 2500 reais. Caro! Mas eu podia bancar.
      Realmente é algo que mata os esportivos aqui. Uma pena para quem cresceu ouvido nomes como GT,GTE e GTi, XR3 e por aí vai. É um trite fim ser limitado pelas seguradoras.

    • $2354837

      Bob, não sei se essa estupidez é exclusividade nossa… Nos EUA as seguradoras forçaram aqueles para-choques horrendos dos anos 70, assim como praticamente acabaram com o mercado de esportivos japoneses naquele país. Sem falar dos absurdos da DOT, como faróis Sealed Beam e recuados, sem máscara, e os tanques de combustível metálico.

      • MArcio

        Os EUA sempre tentaram segurar a indústria automobilística japonesa no tapetão. Só comparar este último caso de falhas de ignição da GM com o de falhas no airbag da Takata… A GM tomou uma multa de US$ 30 milhões e praticamente ficou só por isso. Já a Takata e suas clientes tiveram até que pedir desculpas públicas por causa de um dispositivo de segurança passiva… Isso sem falar do absurdo do caso dos tapetes escorregadios da Toyota, que causaram recall mas era instalados de maneira independente pelas lojas. Vai entender.

  • Ilbirs,
    É claro que tudo pode ser melhorado, mas depende do custo-benefício. No caso desta nova versão do up! não vejo necessidade, e acredito que você chegará à mesma conclusão quando dirigir um.

  • Leonardo Daminelli,
    O consumo medido e informado pelo Inmetro muitas vezes é maior do que o obtido no mundo real, e nisso a correção de 29% no consumo de estrada contribui. Assim, obtive consumo melhor (19,7 km/l) do que o dado oficial para gasolina que consta da ficha técnica, que é de 16,1 km/l.

    • Leandro Daminelli

      Entendi, obrigado mestre!

  • Manu,
    Obrigado. Seis marchas em nada mudariam as características e desempenho desse carro.

  • Manu,
    Obrigado. Seis marchas em nada mudariam as características e desempenho desse carro.

  • Lemming,

    Não vejo motivo. Dirigiu um ultimamente?

    • Lemming®

      Não caro Bob mas não vejo o que ele oferece a mais do que o Up! por exemplo ou o Fox que o deveria ter substituído…e que acabou embolando o meio de campo com o Polo que morreu, pelo menos por aqui.

  • Lemming,

    Não vejo motivo. Dirigiu um ultimamente?

  • Uber,
    Obrigado pela compreensão.

  • Luiz_AG
    Pelo projeto da rosca e precisão de sua usinagem.

    • $2354837

      Ok, mas tem que garantir que tanto a rosca do cabeçote quanto ao da vela sejam montadas exatamente na mesma posição. Seria necessário uma vela sob encomenda? Não tenho conhecimento se as roscas das velas começam sempre na mesma posição angular em relação ao eletrodo…

  • Razyr Wos

    Gostei muito! Espero que esse motor não fique “queimado” no mercado como o do Gol Turbo ficou…

  • Marcio,
    É só você decidir qual tipo de veículo deseja e comprá-lo. O Sandero R.S. ainda não foi lançado.

  • natan ravel

    Não entendi por que de a Volkswagen não chamou esse up! TSI de BlueMotion, ora , o Golf é 1,4 TSI é BlueMotion, por que não usar essa linha nesse carro?
    PS: Se alcanço 16 km/l na cidade com meu up! aspirado não duvido em nada que esse carro na versão TSI me surpreender novamente no consumo. up Tsi … Venha que quero lhe usar!!!

  • Caio Ferrari,
    Lembro-me bem de você no tempo do Best Cars. No caso de um test-drive desse up! específico, uma volta no quarteirão é mais que suficiente.

  • Jose Nunes,
    Sim, e por isso é só desligar o motor normalmente.

  • FCardoso

    Gostei muito de ver a descrição das alterações técnicas feitas no motor!

    Interessante haver a abertura do acelerador nas reduções. Reconheço que a possibilidade do freio-motor prejudicar a estabilidade é remota, mas já me aconteceu com um Mégane automático: entrei ligeiro na curva e, ao perceber ondulações no asfalto ao final dela, aliviei o pé direito. O câmbio reduziu para terceira, freando o eixo dianteiro, e a traseira do carro “foi embora”. Como havia boa área de escape asfaltada, tive espaço para corrigir a derrapada e terminar a curva. Senão, teria rodado e ido parar no mato.

    • guilhermecvieira

      Prezado FCardoso, a tendência da maioria dos carros na maioria das situações ao se tirar o pé no meio de uma curva é essa mesmo, de saída de traseira, por conta da transferência de peso para a dianteira. O resultado de um efeito frenante apenas nas rodas dianteira seria o inverso: um redução da aderência na dianteira, conforme explica o círculo de Khan.

  • Lucas Pereira

    Luiz, acho que aplicando o torque exato nas 3 velas estará garantida a mesma posição.

    • Thiagusss

      Exato, o “segredo” está no torque preciso. Quando ocorrer a troca das velas não pode ajustar de qualquer jeito!

  • Daniel Pessoa

    Espiritualmente, lembra um Golf GTI MK1: potência, tamanho, peso muito parecidos.

    E está aqui o duelo razão x emoção. Mas devo trocar o hatch médio 2-litros que tenho por esta up!.

    E Bob, parabéns pela matéria e pelos detalhes técnicos. Vai muito, mas muito além do que vemos em outros lugares, e é muito gratificante ver que, aqui no Autoentusiastas, vocês abordam o que realmente é importante para quem gosta de carro. Nada de quantas polegadas tem a telinha do painel ou tentar arrancar forro do teto.

    • dncmotors

      Haha bem falado. Sou fã diário do Ae.

  • WSR

    Hora extra? É um carro que evoluiu bastante desde o lançamento, ao contrário de Monza, Opala, Fusca e outros. Teria motivos para ser aposentado se ainda fosse o geração 1 ou geração 2.

  • Cláudio P

    Estou ansioso para fazer um teste drive no up! TSi. Já o considero forte candidato a ocupar um espaço em minha garagem. Achei fantástico que a VW não restringiu o motor a apenas uma versão cara. Foi uma volta aos velhos tempo, quando se podia, por exemplo, comprar um Gol CL, que básico era 1.6, mas se podia optar pelo 1.8 sem ter que pular para uma versão mais cara como o GTS, por exemplo, ou mesmo a Quantum que na versão de entrada, a CL, o motor 2000 era oferecido como opcional. Hoje em dia as fábricas dificilmente dão a opção de motor mais potente sem pular de versão de acabamento. Se quiser o motor mais forte tem que levar a versão top. “Esquecem” que pode-se querer apenas um melhor conjunto mecânico sem as firulas das versões mais caras. Junto com a novidade do motor TSi esse aspecto democrático da escolha foi das grandes notícias do nosso mercado. Eu tenho alguns amigos e parentes que trabalham na indústria automobilística e sempre digo a eles que o que as pessoas querem não é simplesmente um monte de equipamentos e mimos. As pessoas querem liberdade de escolha. Parece que a VW compreendeu isso com o up!. Tomara que isso se torne uma tendência no mercado.

  • Thales Sobral

    Estou torcendo para que no futuro lancem um câmbio automático (automático -> que troca as marchas sozinho) para ele. Sabe como é, joelho já dando sinais de problemas…

  • Lucas CRF

    Bacana, Bob. Muito legal. Um esmero tecnológico. Algumas observações.

    Muito do encantamento que se tem com esse up! é, em minha opinião, da associação de um motor de fato moderno ao câmbio manual. Poderíamos ter vários outros carros sensacionais se essa variante fosse a nós oferecida.

    O fato de ele ter “somente ” cinco marchas e ser tão acertado dinamicamente escancara o quanto é desarrazoado e desequilibrado os câmbios com 7, 8 e até 9 marchas que se tem utilizado em alguns carros com mais que o dobro de torque desse up!. Um carro de 1,5 tonelada com 40 mkgf de torque numa ampla faixa de mais de 3000 rpm teria ótimo desempenho e consumo com apenas 4 marchas. Ainda mais se lembrarmos que, se dotado de câmbio automático epiciclico, a patinagem do conversor de torque ainda permite que se coloque a rotação na faixa mais adequada, se necessário.

    O senso comum diz que as marchas desnecessárias que, se não ajudam, não atrapalham .Lembremos que uma caixa com inúmeras marchas é bem mais cara e que, no caso de manutenção, que não são raras, vide os absurdos casos dos Fusion de segunda geração, haverá um elevado gasto por parte dos proprietários. Mas aí o fabricante já terá vendido e não está “nem aí” para isso…

    Abraço

    Lucas CRF

  • Fat Jack

    Bob, por favor, tenho alguma dúvidas:
    Há duas informações técnicas que estão conflitantes com o publicado em outra (séria) fonte, me permita subscrever a resposta que eu tive ao questionamento dessas diferenças ao outro site:
    “…O redimensionamento dos freios foi apresentado pelo gerente de desenvolvimento de produtos da VW, José Loureiro, no workshop – 20 mm a mais de disco. A pressão do turbo a 0,9 é uma convenção à altitude de SP (aprox. 760 metros), este dado foi apresentado pelo gerente de powertrain da VW, Roger Guilherme, durante a mesma apresentação…”
    Obrigado Bob!

    • Douglas

      Fat Jack,
      Olhei nos catálogos da Fremax e Hipper Freios.
      Realmente os discos do UP! sempre foram ventilados de 256 mm.

      Já no texto do site de imprensa da VW diz que o sistema de freios e suspensão são novos.

      Ficou tudo muito confuso, a única certeza que tenho é que realmente os discos já eram ventilados de 256 mm.

      Depois que lançarem o carro vou num concessionário ver o catálogo de peças para ver se os amortecedores são diferentes mesmo.

      http://www.vwbr.com.br/ImprensaVW/Release.aspx?id=e3b1abe5-d3e7-4091-b320-bd427e7d0254

  • Fabricio Pereira

    Só uma correção Bob, o virabrequim da direita é o do TSI. O da esquerda é o do MPI.

  • Mazini

    Eu já estava interessadíssimo em comprar um up!, agora então…Parabéns à VW em ter acrescido no valor do carro apenas o preço do motor. ótima iniciativa. Meu único porém é que eu queria o meu com duas portas.

    • dncmotors

      Eu idem !

  • Fabricio Pereira
    Correto, notam-se o colos de biela maiores. Corrigida a legenda.

  • Fat Jack

    Eu estava presente (e atento ) a uma das apresentações de engenharia e em momento algum o José Loureiro falou em aumento de diâmetro dos discos de freio. Além disso, pelas fichas técnicas oficiais do MPI (aspirado) e TSI as dimensões de discos e tambores são as mesmas, disco de 256 mm e tambor de 200 mm. Mas amanhã (2ª) verifico isso com a VW. A pressão absoluta de superalimentação é 2,2 bar, que menos a pressão atmosférica normal de 1,01325 bar dá 1,186 bar, 1,2 bar arredondado. O Roger deu exemplo de pressão atmosférica em S. Bernardo do Campo.

    • Fat Jack

      Bob, agradeço seus esclarecimentos e atenção!!

  • Douglas

    Bob,
    Há também injeção indireta trabalhando em conjunto com a direta?

  • Davi Reis

    Também não gostava muito, até ter um. O Fox também é muito bom de chão, dá para levar ele aos limites e os controles de estabilidade e tração nem ensaiam entrar em ação. Mas o Gol ainda é um pouco melhor, mas não a ponto de anular as outras vantagens do Fox.

    • WSR

      Eu fiz umas viagens com o novo Gol no ano passado e tirando o motor 1,0 que não atendeu as minhas expectativas, achei o conjunto muito bom, principalmente em curvas. Só acho que falta uma suspensão traseira estilo ford Focus no Gol, mas isso é algo impossível no Brasil, rs.

      • Davi Reis

        Até do motor 1,0 eu gosto no Gol. Acho ele bem elástico, silencioso e suave, tem um desempenho honesto. O que me irrita nele (pelo menos no TEC) é a calibragem do acelerador eletrônico (não sei se é bem ele ou algum outro componente). Na hora da troca de marcha, quando se pisa na embreagem, o giro não cai como deveria e dá-lhe tranco. Me lembro que inclusive foi uma crítica do teste de 30 dias do Best Cars na época de lançamento, e quando conheci o carro, achei esse aspecto pior do que imaginava. É o tipo de coisa que desanima no carro, mesmo que todo o conjunto seja mesmo muito agradável. O Gol é carro feito para quem gosta muito de dirigir.

        • WSR

          Pois é, senti que se esticasse a marcha, segunda ou terceira e precisasse aliviar um pouco o pé, o carro reagia com um tranco (na verdade, um coice) desproporcional. O 1,0 em si não é ruim, sobretudo na cidade, mas acho que o gol casa melhor com o 1,6.

          • Davi Reis

            Isso com certeza. Tive um 1,6 8V e já era muito bom, queria um com o motor 16V mas o preço estava muito alto. Com esse motor novo com certeza fica ótimo.

  • Edvanio Menezes

    Com certeza o VW up! TSI será meu próximo carro, já estou ansioso pra fazer o teste drive e levar esse precioso pra casa. Apesar de que, há pouco tempo atrás, após uma pesquisa detalhada sobre carros no valor de até 50 mil, eu estava prestes a comprar um Etios 1.5 hatch. Minha mãe acabou sendo a cobaia, pois ela, assim como eu, estava querendo trocar de carro e acabei escolhendo o carro pra ela.

    Meu Deus do céu !!! acreditem se quiser!! consegui 0-100 em 10s nesse Etios… Duvida? Veja o vídeo em anexo nesse texto, como exemplo https://youtu.be/iQvtcYNQ8z0 … Carro para mim é isso: 0 a 100 abaixo dos 10 segundos, maior torque em baixa rotação (13,9 kgfm a 3100 rpm), dirigibilidade macia ( direção elétrica ), economia (categoria A em consumo 12,2(G) cidade e 13,8(G) estrada – INMETRO).

    Desde que ouvi falar no Up turbo fiquei ancioso e permaneci confiante. O Etios era o carro na faixa dos 50k que tinha o diferencial que eu buscava (não cito aqui design, isso pra mim tem pouca relevância).

    Agora a coisa muda, pois esse up! TSI supera a minha exigência:

    Excelente consumo 13,8 (G) cidade e 16,1 (G) estrada (INMETRO).
    Torque “excitante” : 16,8 kgfm a 1.500 rpm com a potencia de 105 cv (A) e 101 cv (G)

    Parabéns VW!

    • Gabriel Porfírio

      Não deve ser confundido o 0-100 medido em laboratório com equipamentos que medem o diâmetro da roda e via GPS com um 0-100 filmado do painel em que há diferença de velocidade na mostrada e a real, além do combustível não ser o mesmo.

      • Cadu

        Inclinação, temperatura, umidade, erro do painel e de medida do tempo…Tudo isso influi muito

        • Edvanio Menezes

          Muita teoria … Como já citei, eu posso afirmar na prática o que o Etios é capaz … carrinho honesto, e o up! TSi, honestíssimo.

          • Cadu

            Exatamente. Muita teoria para você afirmar com tanta certeza algo tão difícil de medir no “olho”

          • Julio

            Acho que você está certo mesmo!
            O tempo passa mais rápido para quem está dentro do carro daquele que está medindo o tempo com um cronômetro do lado fora (e também controlando os outros fatores). Teoria da relatividade… Imagino que as grandezas estão em anos-luz, o tempo medido em ms…

      • Edvanio Menezes

        Entendo que nesse caso há uma “perfeição” amigo, mas o resultado não será de diferença enorme … Falo isso pois eu fiz o teste, eu dirigi o carro. Não estou “achando” que ele faz esse tempo, o carro realmente é “esperto”, seu torque máximo já aparece nos 3.000 rpm, além de ser um carro leve (945 kg).

    • Uba

      Não faz não, desculpe a sinceridade.

      • Edvanio Menezes

        Sua sinceridade se baseia em que ?

  • Luke

    Para ficar melhor a VW poderia ter trabalhado as suspensões para ficarem de acordo com cada versão: mais alta e robusta na Cross e mais baixa e firme na Speed. Do que jeito que estão, são apenas estética. De resto, parabéns à VW pela ousadia de trazer um motor tão sofisticado e eficiente ao segmento de carros de entrada.

  • João Martini

    Na Europa o up! tem uma caixa manual com relações finais que lembram a dos VW 1.6 EA111. Acho mais interessante do que a adotada no nacional.

  • fabio

    Bob, sou leigo em questão de motor, mecânica ou carro, mas gostaria de fazer algumas perguntas, mesmo que seja criticado por alguns que vão dizer que não entendo nada, então lá vai:
    1º) Por que esse carro é um 4+E e por que os motoristas terão que reaprender a dirigi-lo se abstendo da 5ª marcha? Se estiver a 70 km/h, por exemplo, não seria mais econômico andar em 5ª marcha do que em 4ª?
    2) Meu carro é 1,4 turbo de fábrica também, e no manual diz que a velocidade máxima admissível para 3ª marcha é 134 km/h, então por que esse 1,0 TSI pode-se chegar a 160 km/h? Está bem, eu sei, esse motor é super moderno, todos estão falando bem, mas mesmo assim, o carro é uma máquina, e toda máquina pode dar defeito se forçá-la demais, e sei também que pode dar defeito mesmo se não forçá-la, mas ficar esticando a 3ª marcha a 160 km/h não seria exagerar o motor demais? Fazendo isso regularmente, isso não diminuiria a vida útil do motor? Será que no manual dele a máxima admissível vai estar mostrando 160 km/h? Penso que a máxima admissível para cada marcha, colocada no manual pelo fabricante, é porque eles não aconselham a passar disso, caso contrário, qual o sentido então de colocar isso no manual? Não sou daqueles que acha que não se deve NUNCA andar nem a 5.000 rpm porque vai estragar o motor, não sou assim. Numa ultrapassagem, por exemplo, é necessário acelerar até onde for preciso. Se for preciso chegar até 6.500 rpm, que chegue, mas citando o seu exemplo, se na estrada eu estiver em 5ª a 100 km/h, ou até mesmo a 70 km/h, no meu 1,4 turbo eu não reduzo para 3ª numa ultrapassagem, eu reduzo para 4ª, a não ser que o espaço para ultrapassagem seja muito pequeno, nesse caso eu reduzo para 3ª pra ultrapassar bem mais rápido por segurança, mas sinceramente, se for uma reta um pouco mais longa sem veículos vindo na direção contrária, o meu 1,4 turbo a 100 km/h em 5ª marcha acelera tão bem que nem sinto necessidade de reduzir. Mas tudo depende da situação, como eu disse acima. Então gostaria de saber por que você disse que no 1,0 TSI em 5ª marcha a 100 km/h nada de reduzir para 4ª e sim para 3ª. Isso se deve a relação de transmissão e do diferencial do câmbio exclusivamente do 1,0 TSI? Ou serve também para o 1,4 TSI do Golf? Ou serve também para o 1,4 T-Jet do Punto e Bravo?
    3º) Se no 1,0 TSI, por exemplo, o torque acaba a 4.500 rpm e a potência acaba a 5.000 rpm, qual a vantagem de continuar esticando a marcha (independente de qual seja) a mais do que 5.000 rpm? No gráfico de curva de torque e potência, quando ele estiver acima de 4.500 rpm o torque cai, então acima disso não vai mais estar usando os 16,8 kgfm, mas ainda não alcançou toda a potência máxima, a qual por sua vez será alcançada quando chegar a 5.000 rpm, e depois disso ela cai também. Sendo assim, a melhor coisa não seria trocar de marcha a 5.000 rpm para voltar para uma faixa de rotação onde se vai estar utilizando novamente os 16,8 kgfm plano e a potência vai estar subindo novamente ao invés de estar caindo, que é o que acontece depois dos 5.000 rpm? Caso você responda “sim”, então devo considerar que ir até o corte de 6.500 rpm foi apenas um TESTE que você fez mas que na prática não tem nenhuma vantagem em desempenho, consumo ou eficiência? Ou não? Vi num comentário alguém dizendo “motor foi feito para girar”, mas eu fico me perguntando: independente do carro/motor, adianta insistir em aumentar o giro para uma faixa em que ambos já alcançaram o seu máximo e agora estão caindo?
    Última pergunta: Deixando de lado os seguintes fatores: preço, tecnologia ou eficiência do motor, marca do fabricante do carro, estrelas adquiridas em teste de batida, beleza do carro. Pensando apenas em desempenho, ou seja, qual carro você consideraria mais divertido e rápido de dirigir? Up! 1,0 TSI, Punto T-Jet ou 500 Abarth? Qual você colocaria em 1º, 2º e 3º colocação?

    • Rubergil Jr

      O Bob com certeza vai responder melhor, mas vou dar uma adiantada:

      1) Se o objetivo é economia, sim, deve-se usar a marcha mais alta possível. Mas como a quinta do up! é bem longa, se você estiver acostumado a botar quinta, cravar o pé e esperar uma aceleração forte vai se desapontar. Como a maioria dos carros no BR são autênticos 5-marchas, pode ser necessário um certo reaprendizado sim.

      2) É tudo uma questão da relação da 3ª marcha e o diferencial. No caso do Golf 1,4 DSG (7 marchas, máxima em 6ª) e do Bravo T-Jet (6 marchas, máxima em 6ª)o escalonamento pode ser mais fechado, ou seja, o intervalo entre as marchas é menor, então a terceira geralmente tem um v/1.000 menor (popularmente, “marcha mais curta). Isso significa que estes modelos não conseguem alcançar velocidades muito altas na 3ª marcha. Já o up! TSI tem um escalonamento mais aberto. Ou seja, na hipotética redução de marcha a 100 km/h, se você colocar a 3ª marcha um up! TSI, você ainda vai poder aproveitar bem esta marcha, esticá-la até os 150 km/h; num Golf DSG e num Bravo T-Jet, você vai ter passar logo para a quarta, então compensa mais reduzir direto para a quarta. No Golf manual e no Punto T-Jet isso não se aplica, pois ambos tem uma relação de 3ª marcha mais longa.

      3) Se você passar marcha a 5.000 rpm, motor cairá em uma rotação muito abaixo da rotação de potência máxima. Para desempenho puro, deve-se passar a marcha acima da rpm de potência máxima, antes do corte limpo, pois aí na marcha seguinte o motor cairá num giro mais alto, com mais potência.

      Última) Essa é pessoal, e o Bob não pode responder por questões éticas. Eu vou dar meu pitaco. O up! não é exatamente um esportivo puro-sangue, não é o mais potente dos citados, é o típico carro para o dia-a-dia com excelente desempenho e consumo espetacular. Se a opção for unicamente desempenho, Punto T-Jet. Ou um Citroën DS3.

      • Alexander Arake

        Perfeitas suas respostas, Rubergil Jr

  • Luiz Otávio Rujner Guimarães

    Uma jóia de motor. Poderia ser estendido a linha Gol e Fox. VW está de parabéns pelo pioneirismo em nosso mercado.

  • Leonardo Mendes

    Esse motor é a credencial definitiva para o up! ganhar as pistas… fico daqui imaginando o quanto esse carrinho tem potencial para fazer bonito em autódromos.

  • Henrique Lopes

    Se os discos já eram de 256 mm não existe a necessidade de aumentar o diâmetro visto que são os mesmos do Fox e Gol, carros mais pesados e com potência equivalente, de fato no aspirado era superdimensionado, assim como a suspensão conforme o Bob citou.
    De tudo que vi sobre o TSI, o texto do Autoentusiastas foi o melhor, parabéns Bob!

  • Ilbirs

    Quando falei “preguiçoso”, obviamente pensei em alguém sem necessidades especiais. Obviamente que uma SQ200 (MQ200 robotizada) no TSI iria ajudar um bocado e continuo achando misterioso demais não a terem montado no up! nacional para darem preferência a uma SQ100 importada da Europa e nem de longe evoluída em um mercado que quer uma monoembreagem funcionando com a presteza de uma caixa automática convencional ou de duas embreagens, enquanto lá fora o único monoembreagem que funciona com mais rapidez chama-se Lamborghini Aventador (aqui com uma caixa que troca de marchas mais rápido que uma de duas embreagens).

    Ao ver essas dificuldades de acomodação de componentes mecânicos que o up! apresenta (já vi foto mostrando que a MQ200 de seis marchas não caberia porque a de cinco já fica bem perto da longarina dianteira esquerda), continuo crente que o erro ao fazer a NSF é o que está aqui: não terem dotado a base com o motor central-traseiro transversal que os protótipos originais apresentavam, o que teria permitido inclusive mais flexibilidade construtiva e facilitaria a montagem de diversos componentes (uma vez que as caixas de roda traseiras podem ser mais rasas por estarem desobrigadas de prever rodas esterçando), além de evitar que a base ficasse na sombra da menor medida possível da MQB, como ocorre hoje em dia. Acabaram perdendo um impacto que poderiam ter tido se mantivessem fidelidade ao projeto original, mas que preferiram deixar que Daimler AG e Renault tivessem, nas formas de novo forfour e Twingo III, respectivamente.

  • Thiagusss

    Quando o vídeo do “Autoentusiastas” vai ao ar?

  • Rubergil Jr

    Bob, fiquei empolgado em ver você fazer o gráfico dente de serra do Up e resolvi fazer também do meu March SV 1.6 que comprei em Março deste ano. Usei as informações do AutoEntusiastas na avaliação do March 1.6. Estou gostando muito do meu March, mas se tivesse o Up TSI na época que comprei o March… não sei não.

    Coloquei em um gráfico só o comparativo dos dentes de serra do Up TSI e do March SV 1.6, e deu pra perceber como o câmbio do March tem um escalonamento mais fechado, um autêntico 5 marchas, enquanto o Up é nítidamente um 4+E. Repare que a quarta do Up tem a mesma v/1000 da quinta do March.

  • francisco greche junior

    Me impressionou positivamente este UP!. Ainda mais por ver as fotos mostrando as diferenças de projeto entre os motores. Realmente este carro deve fazer valer centavo que custa e cada gota que consome de combustível.

  • Luiz F

    Bob, Parabéns pela excelente matéria. Como vai ficar com o I-Motion? Mesmo desempenho, mas menos prazer?

    • Humberto Riveron

      Fui à concessionária ver um. Câmbio I-Motion só no modelo aspirado.
      o TSI só tem disponível com câmbio manual 5-marchas.

  • Kar Yo

    Novidade interessante. Lançamento de muito respeito. Finalmente as montadoras estão parando de vender carro por metro. Muita gente necessita somente de um compacto, mas é obrigado a comprar um médio ou SUV se quiser algo mais em termos de segurança e/ou tecnologia. Mas mesmo assim, por que não oferecer o pacote completo de segurança? Pelo menos como opcional. De nada adianta a fantástica estrutura com aços nobres e tecnologia embarcada se numa colisão os passageiros baterem a cabeça. E, sinceramente, a falta do ESP me pareceu economia porca. Para o motorista médio brasileiro, motor forte, entre eixos curto, pista molhada e falta de controle de estabilidade não parece ser boa coisa visto o resultado dos antigos gol GTI e 1.0 turbo

  • JOSE SANTOS

    Caro Bob Sharp,

    Olhando para o dente-de-serra, não seriam (aproxte.) 4.470 (4.quatrocentos e 70) rpm em 5a, a 182km/h. JAMS

  • CASSIO

    Fantástico este motorzinho!

  • Uba

    A 100 km/h constantes e ar desligado esse up! turbo deve chegar a 24 ou 25 km/l com gasolina, pois o up! aspirado faz 22 km/l.

  • Marcio Rogério Dorigon

    Como esse motor se comporta com o uso de gasolina Podium ? Ele vai render mais com ela do que com a comum ? A central eletrônica dele consegue variar pressão, ignição, tempo de injeção quando detecta de algum modo que o combustível é melhor? E nos flex mais avançados, com taxas de compressão mais altas, com gasolina premium ou Podium resulta em alguma vantagem de economia ou potência/torque?

  • Bob, achei bem interessante o intercooler “às avessas”, com água circulando entre a peça que fica no pára-choque e a outra que fica no coletor de admissão, mas surgiu uma questão: o que acontecerá quando, depois de alguns anos de bons serviços entregando prazer e economia, surgir um vazamento de líquido do intercooler dentro do coletor de admissão?

  • Victor H
    Não tenho idéia, embora seja um possibilidade das mais remotas.

  • Marcio Rogério Dorigon
    Só experimentando se pode chegar a uma conclusão. Pela fábrica, o motor está mapeado para gasolina comum até E27 e não reagiria a gasolina de maior octanagem. De qualquer maneira, é um teste que o proprietário interessado pode fazer sem nenhum risco para a integridade do motor. Basta deixar o tanque ir até o fim e fazer pequenos abastecimentos de teste.

  • Daniel Antonio Fonseca Lucinda

    Bob,
    Sou apaixonado pelos motores TSI da VW, porém meu orçamento não me permite ter um. Eis que surge o up! com essa motorização.

    Com toda sua experiência e, inclusive, contando com a opinião dos demais leitores daqui, sem favorecimento de marcas e modelos, o senhor acha loucura eu, proprietário de um New Fiesta Hatch 1.6 SE 2014 trocar meu carro por um speed up!?
    A meu ver ficarei no prejuízo apenas quanto ao ar-condicionado digital, comando de voz, controle no volante e controle de estabilidade. No mais…excelente carro (minha esposa tem um up! MPI move up, adoramos o carro).
    Caso não fira seus princípios éticos em relação à preferência de marcas sobre outras, podendo me responder ficaria extremamente honrado.

    Abraço.

    • Danilo Pimenta

      Sim. O New Fiesta, mesmo com o Sigma 1,6, é uma lerdeza.

  • Daniel Antonio,
    Você já respondeu, não nos cabe indicar/sugerir/recomendar produto, justamente por questão de ética.

    • Daniel Antonio Fonseca Lucinda

      Bob,
      Grato pela atenção. Como já dito, entendo perfeitamente sua posição.
      Abraço.

  • Daniel Antonio,
    Você já respondeu, não nos cabe indicar/sugerir/recomendar produto, justamente por questão de ética.

  • Garfield

    Bob, por favor, cite-me algum defeito – por menor que seja – neste carro! Sem grana agora, preciso de algum argumento convincente para “atenuar” minha vontade comprá-lo! rsrs

    • Garfield
      Claro: conta-giros pequeno demais e dificuldade de se fazer o punta-tacco.

      • Garfield

        Muito obrigado pela resposta! Se são apenas estes os defeitos, minha vontade de adquirir este carrinho foi “turbinada”… rsrs

        • Vilmar Antônio Moccelin Júnior

          Garfield, fiz o teste hoje, já tinha gostado do up!, quando apertei o acelerador sem gana de 1ª numa rua bem íngreme, o carro deu aquela sensação de “não vai dar” e num piscar de olhos (você sente, mas passa MUITO rápido) o turbo encheu e aí foi marcha atrás de marcha. Tirei o pé e subi de 4ª a tal rua mas sem pé no fundo… Se apertasse ganhariA velocidade. No Sandero 1,6 da esposa (OK, mais pesado) para subir na mesma velocidade a 4ª agüenta, mas daquele jeito: no limite com pé no fundo (modo carga) e no final já começa a perder momento, já para aumentar a velocidade pede 3ª… Média em circuito misto (20% cidade) uns 13 a 14 km/l… Meu Gol G4 1.nada (nada mesmo, pelado de tudo) faz uns 13 km/l com 80% estrada boa (110~120 km/h o tempo tido). Resultado, Golzinho vai rodar logo logo para deixar papai andar com ar fazendo mais de 20 km/l, e a diferença com o gasálcool a R$ 3,59 vai pagar quase metade do que vou ter de financiar… Se conseguir o consumo que alguns estão falando (25 a 28 km/l, rodando o que eu rodo) vai pagar quase tudo!

          • Humberto Riveron

            Cara.
            Eu acho que para fazer 25 a 28 o cara tem que ser ninja.
            Mas numa média racional, dirigindo normalmente, tenho feito 18~19 num percurso de 80% rodovia com serra e a chegada em Sampa sempre com trânsito leve.

          • Vilmar Antônio Moccelin Júnior

            Eu também desconfio desses dados… Mas tem gente jurando que faz 20km/l no aspirado, se o consumo for menor como dizem não assustaria. O que eu percebi dirigindo no test drive (volta no quarteirão é nada para chegar a qualquer conclusão, mas…) é que o TSi pode até ser mais econômico, mas o “piloto” vai ter que tomar cuidado, ou então vai estar dirigindo esportivamente o tempo todo e aí adeus economia!

      • TDA

        Realmente esse conta-giros pequeno é um pecado. Para ficar perfeito a Volkswagen poderia ter utilizado um semi-círculo ao invés do círculo total.

    • Rodrigo Raymundini

      Um defeito pode também ser os vidros traseiros serem na maçaneta a abertura, mesmo na versão TOP de linha, não tem nem como opcional os vidros elétricos na traseira. Uma pena isso…

  • TDA

    Bob, não consegui compreender corretamente o gráfico dente de serra postado na matéria. Estou presumindo que o gráfico seja rotação versus velocidade, sendo assim a quarta marcha poderia atingir mais de 200 e a quinta passar de 250. Isso não é possível até porque a máxima do veículo é 184 km/h. Por favor, se puder me esclarecer ficarei muito agradecido.

    • TDA
      O gráfico mostra as velocidades alcançadas em cada marcha.e dá um visão de como é o escalonamento das marchas. Inclusive a rotação máxima é a de corte (6.500 rpm). A velocidade marcha não depende só das marchas, ou seria muito fácil aumentá-la. O que limita é a resistência aerodinâmica e a de rolamento dos pneus versus a potência disponível. A velocidade máxima desse up! é 184 km/h mesmo que o gráfico sugira que andaria mais em 5ª marcha.

      • TDA

        Bob, grato pelo esclarecimento.

  • Fernando Guimarães

    Gostaria de fazer uma pergunta: já andou num Ford Ka XR? Na sua opinião, anda junto? É mais divertido? É melhor em curvas?

  • Fernando Guimarães

    Ok, não precisa me responder, pois passei na concessionária e fiz o teste. Realmente, ele acelera tão bem quanto o XR. Mas, confesso que minha maior alegria foi descobrir que o meu KA continua insuperável em esportividade.Sim, pois na aceleração nua e crua o Up vai muito bem, mas as respostas nas retomadas só são rápidas na primeira e na segunda marcha. Testei ele a 40 km/h na quarta marcha, e constatei que ele pipoca e não responde tão ferozmente como o KA XR na mesma situação. Mesmo em terceira marcha, também a 40 km/h, ele apresentou um enorme turbo “lag”. Mas, se reduzir para segunda o coice é grande. Porém, não é agradável ter que reduzir de marcha para obter a resposta esperada. O Ka na quarta marcha, a baixos regimes, levanta a frente e decola, na terceira marcha ele literalmente pula para a frente. Quanto a suspensão, como foi dito na matéria, ela não prima pela esportividade, o que o coloca atrás do KA também no quesito curva rápida. Outro problema é a direção elétrica que é muito leve e passa insegurança nas mudanças rápidas de direção. Quero deixar claro que minha avaliação é pura e simplesmente baseada em esportividade. Logicamente, como o artigo mesmo expõe, o UP não é um carro desenvolvido para esse fim, e, sendo assim, é uma ótima opção pela oferta de tecnologia, segurança, e economia ou resumindo em uma só palavra: racionalidade. Em tempo: alguns comentaram aqui (inclusive o vendedor lá na concessionária) que o UP entrega 130cv, e que a Volkswagen não divulga esse dado por causa da legislação; Pelo que eu percebi isso é fantasia, pois se fosse verdade meu comentário seria muito mais entusiasmado. Afinal, eu sou um autoentusiasta!

  • FILLIPE VIEIRA

    De tanto o Bob Sharp elogiar o carro a VW subiu o preço em menos de 1 mês. Me ajuda aí Bob!!

  • Gustavo Albuquerque

    Carrinho excelente!!!

  • Orlando Motta,
    O retardo do fechamento da borboleta de aceleração faz parte do pacote de limitação de emissões do modelo, neste caso as de óxidos de nitrogênio. Não tem nenhuma relação com o i-VTEC e tampouco com as válvulas. O fechamento não imediato da borboleta de aceleração, que é de acionamento elétrico sob ordens do módulo de comando eletrônico, programado para dar essa “ordem”. Você continua a obter freio-motor normalmente, só que após alguns segundos. Francamente, não vejo motivo para insatisfação, é questão de se acostumar com a característica, dá para dirigir o carro normalmente, reduzir marchas etc. Não notei essa função no up! TSI.

    • Orlando Motta

      Valeu Bob, obrigado pela resposta ! Essa desconexão entre tirar o pé e sentir a reação imediata, me chateia no Civic. Ele parece solto, como se eu não tivesse controle, e não tenho mesmo. Por isso que dizem que pilotos de jatos comerciais pilotam ‘paulistinhas’ da vida nas horas de laser, para voltar a sentir o que é pilotar de verdade, Saem do casulo isolante dos ‘comandos programados’ que as vezes ignoram a presença do piloto.Esse é meu medo de trocar o Civic pelo up!, e, nesse quesito trocar 6 por meia dúzia.

  • Frederico Pessoa,
    só pode beneficiar o comportamento, uma vez que com altura de rodagem menor haverá menos tendência de patinagem de rodas. O controle não precisará atuar tanto.

  • Alberony Vasconcelos,
    um do pontos altos da versão é justamente o acerto do câmbio para as características do motor, está exato. Se houvesse melhora na aceleração seria desprezível, mas o consumo pioraria bem. Lembre-se, “câmbio certo não melhora, câmbio errado atrapalha.” É preciso lembrar que o motor do up! TSI não é de 1 litro, mas 1,7 ou 1,8 litro. Há softwares de predição de desempenho, que as fábricas têm.

    • Alberony Vasconcelos

      Grato pela atenção.
      Esqueci de dizer, excelente artigo.

  • Fabiana Crl

    Olá autoentusiastas!
    Eu tinha em mente adquirir um up! TSI, estava animada! Mas depois de ver relatos de donos do modelo em sites, como Autoesporte e fóruns de discussão, sobre problemas nos bicos de injeção eletrônica, desanimei… Vi donos de up! TSI afirmando que tiveram problemas antes mesmo de chegarem a 10 mil km rodados. Outros disseram estar esperando novos eletroinjetores para reposição, mas sem previsão da concessionária que também não tem previsão de fábrica e, enquanto isso, o carro fica parado no pátio… Simplesmente frustrante!

    • Fabiana, você é mais uma vítima do “cyberautoterrorismo”, a difamação sistemática dirigida contra um determinado modelo de automóvel por esse meio fácil que é a internet. Acredite no que digo. Temos incontáveis leitores plenamente satisfeitos com seus up! TSI. Pode comprar o seu sossegada.

  • Que legal, Fabiana!

    • Francisco Passarini Junior

      O BS sempre nos ajuda, Fabiana, os relatos dele me levaram à compra do meu up! TSI e te garanto, já são 20.000 km de muita alegria e economia com o up! TSI.

      • Percival Camargo

        Ontem fiz uma viagem de Franca até Araraquara (170 km) testando ao máximo a eficiência do meu up! TSI, o carro é 2017, rodou 4.000 km, ar-condicionado desligado, vidros fechados, peso mínimo = motorista e mochila, velocidade baixa, horário do meio-dia, aparentemente pouco vento, pneus calibrados com 3 libras acima do recomendado pelo manual (ficou meio seco mas as estradas de SP são lisas na minha região) fez (fora de brincadeira) média de 32,7 km por litro de gasolina comum Ipiranga, isso no computador de bordo do carro. Já testei na bomba e sempre deu aproximadamente um consumo otimista em um litro acima do real. Exagerando o desconto, se tirar 10% fica ainda +/- 30 km/l. O marcador estava abaixo de 1/4 que significa aproximadamente menos de 12 L no tanque (calculei de cabeça antes de sair haver uns 10 litros no tanque, margem segura para rodar 170 km), cheguei em casa e o marcador ainda não tinha chegado no fundo da escala, claro que estava aceso o alerta para abastecimento, porém sem piscar intermitentemente, corroborando que tinha bastante combustível da reserva (devo ter gasto menos de 6 litros de gasolina para rodar os 170km). Este teste extremamente desconfortável, um calor infernal por mais de 2 horas, confirma outro que fiz meses atrás, carro lotado com cinco pessoas e bagagens, ar-condicionado ligado no fim de tarde quente, gasolina e velocidade regulamentar (110, as vezes um pouco mais), fiz 16 km/l, na minha opinião bastante satisfatório ainda. Outra coisa que me chama atenção no up! turbo é ser silencioso demais; tirei o carro da garagem e esperei minha noiva, distraí-me falando com ela e dei partida novamente no carro já ligado, levei um sustão, para exemplificar o quanto o carro é livre de ruídos! inclusive na estrada a 110 km/h. Sou suspeito de falar do carro, porque analisei muitos concorrentes do up! antes de comprá-lo, fiz planilhas em Excel para comparar itens diversos, entre opcionais e mecânicos, tipo correia x corrente, com ou sem subtanque de partida a frio, qualidade, percepção da trocas de marchas (rodei com o Peugeot 208 1,2 novo um motorzaço talvez até melhor que o 3-cil VW, mas o câmbio dele deixou muito a desejar), seguro, NCAP, e por aí afora, no final das contas consegui um razoável desconto no preço de tabela para o carro zero e fechei a compra do up! padrão europeu.

        • Percival, obrigado pelas dicas. É um excelente carro, sim. Tem mais é que ficar satisfeito com ele. Parabéns!

  • DSG

    E aí, Victor? Decidiu?

  • Barbosa

    Caro Bob.

    Acabei de adquirir uma up! Move TSI, e notei que o turbo só aciona se eu enfiar o pé no acelerador, e não quando piso normalmente !!! Me disseram na concessionária que o turbo já aciona quando se sai em primeira marcha, sem pisar fundo no acelerador. Mas não é o que percebi, quando rodei com ele por aí. Se tiver que “enterrar” o pé no acelerador para ter o turbo agindo, isso piorará a economia de combustível. Pergunto:

    Afinal, é NORMAL o turbo só agir se “enterrar” o pé no acelerador? Ou existe alguma “regulagem” desse turbo, de modo que ele já seja acionado na saída do carro?

    Agradeço se puder me ajudar nisso.

    • Barbosa, no up! TSI o turbo entra em ação imediatamente, já em primeira, a concessionária informou corretamente. Convém alguém familiarizado com a versão dar uma opinião. Leve o carro à concessionária e peça um teste.

    • TDA

      Normal não é. O turbo entra mais ou menos pelas 1.800 rotações, independente de qual marcha estiver (óbvio que com marchas baixas vai sentir muito mais a pegada). Com pedal do acelerador a 30% já se sente o turbo entrando, não precisa “enterrar” o pé. Volte à concessionária e se possível dê uma volta no carro de test drive e veja se há diferença com o seu.

  • nei, pronto, o cyberautoterrorismo conquistou mais uma vitória. Sorte deles, azar o seu. Que pena.

    • nei

      rsrsrsrsrsrsr Sorte minha!