UP!, OU O PRAZER DE RODAR GASTANDO POUCO COMBUSTÍVEL

DSC02894

A Volkswagen gentilmente nos cedeu quatro carros especialmente para o ” I Passeio AUTOentusiastas”, realizado domingo último, para serem utilizados pelo Paulo Keller, pelo Bob, pelo Wagner e por mim. Como precisasse ir ao litoral norte na sexta-feira por questões particulares, aproveitei para andar um pouco com o “meu” carro, um high up!, uma viagem de 160 quilômetros para ir e outros tantos para voltar.

Câmbio manual, o carro não tinha nem mil quilômetros marcados no hodômetro total. Fui sozinho e ainda de dia. Não lhe poupei giros. Não busquei economia. Botei na cabeça que o motor estava precisando dar uma “soltada”, já que era novinho, e isso, além do agradável ronco que esse motor de 3 cilindros faz em alta, foram as justificativas que me faltavam para andar rápido.

Até agora, todos os 3-cilindros que peguei, sejam de carro ou moto, em alta me lembram o 6-cilindros boxer do Porsche 911. Mesmo assim solicitado, fez 17 km/l pelo computador de bordo. É fato que teve uma descida de serra, o que poupa combustível, embora ela seja curta, coisa de cerca de 13 quilômetros apenas.

Na volta, mesmo ritmo, só que à noite e com subida de serra, e ele fez 15 km/l. Portanto, fez média de 16 km/l. Muito econômico. Se as viagens tivessem sido no estilo papai-e-mamãe, não tenho dúvida de que ele faria média de 17 ou 18 km/l. Por sinal, subiu a Imigrantes a 100 km/h alternando entre 4ª e 5ª marchas. Poderia ir a mais, não fosse proibido.

 

Eficiência é sinal de modernidade

Eficiência é sinal de modernidade

E se a nossa gasolina não fosse “batizada” com 27% de álcool, e sim pura ou com no máximo 10%, como é mundo afora, o up! faria fácil 20 km/l, e nessa viagem de ida e volta, que deu 320 km, eu não teria gasto os 20 litros que gastei — menos de meio tanque de 50 litros — mas sim 16 litros. Nesses 4 litros de diferença lá se vão uns R$ 13,00 do bolso a troco de nada.

O mais chato é que além gastar esses R$ 13,00 a mais por nossa gasolina ser oficialmente batizada, é saber que dentro daqueles 20 litros gastos nos 320 km da viagem havia 5,4 litros (27%) de álcool que me venderam por preço de gasolina, autêntico gato por lebre. E já que a diferença, aqui em São Paulo, entre os preços desses combustíveis é de mais ou menos R$ 1,20, fui tungado em (5,4 l x R$ 1,20 = R$ 6,48), que somados aos R$ 13,00 que o carro gastou a mais por ter queimado um combustível batizado, somam quase R$ 20,00. Isso dá ao redor de R$ 1,00 por litro gasto. E aí já começa a incomodar, você já começa a coçar atrás da orelha, principalmente porque gastar 20 reais é uma coisa e ser sorrateira e oficialmente tungado em 20 reais, é outra.

Carros econômicos minimizam essa tungada que gira ao redor de R$ 1,00 por litro gasto. Se não fosse o parcimonioso up!, mas outro que, por exemplo, fizesse 10 km/l, o que não chega a ser considerado gastador, eu teria sido tungado em coisa de R$ 32,00. Então, viva o up! e outros vivas a esses econômicos motores 1-litro de 3 cilindros da Ford, Hyundai, Kia e Nissan. Espero que outros, já prometidos por outros fabricantes, logo cheguem.

 

Além de frugal é tímido. Escondeu-se atrás da folhagem.

Além de frugal é tímido. Escondeu-se atrás da folhagem.

Na cidade dificilmente ele faz menos que 12 km/l de gasolina. Dirigi-o pouco na cidade, mas é algo perto disso.

Com gasolina, bem…, melhor dizendo, a nossa “gasolina”, o motor do up! desenvolve 75 cv, e essa potência foi suficiente para que eu não passasse vontade na viagem. É certo que vez ou outra, numa ultrapassagem em pista simples, por exemplo, um pouco mais de potência viria bem, mas em pista dupla e estrada relativamente livre ele viaja muito bem e com folga na velocidade máxima permitida de 120 km/h. Viajaria bem também com o velocímetro marcando entre 140 e 150 km/h, se isso nos fosse permitido pela lei e pelas condições de segurança. Vai liso, em silêncio, e com consistência, subindo e descendo praticamente na mesma velocidade e raramente precisando redução de marcha.

Com álcool ele ganha 7 cv, vai para 82 cv, e esses 7 cv de ganho são sensíveis, já que é praticamente 7% a mais de potência. Não tive como experimentá-lo com álcool puro, pois não rodei o suficiente para secar o tanque, e olhe que rodei bastante. Tem gente que diz que esses motores de três cilindros vibram mais que os de  quatro. Não nego, pois posso ser menos sensível ou menos exigente. Todavia, sinceramente, não acho. Em marcha-lenta ele oscila um pouquinho mais que os de quatro, mas nada que incomode e assim que ele sai da lenta ele alisa totalmente, além de ser muito silencioso. Em suma, gosto desses motores e acho mais é que os 3-cilindros devem dominar o segmento de baixa cilindrada ou até mais um pouco, como o MINI 1,5-L de 3 cilindros, que já me disseram ser liso também por ter árvore contra-rotativa de balanceamento.

 

Design harmônico

Design simples porém harmônico

Pelos meus cálculos, um motor de 3 cilindros tem 13 % menos superfície de atrito entre o pistão e o cilindro que um 4-cilindros de mesma cilindrada. Bom, o leitor tenha paciência e, por favor, me permita que me explique melhor.  Os cilindros têm uma superfície que é varrida pelos pistões conforme eles se movimentam entre seus pontos mortos superior e inferior. Se você pegar dois motores de mesma cilindrada, a soma das áreas varridas pelos 3 pistões do motor de 3 cilindros é 13 % menor que a soma das áreas varridas pelos 4 pistões do motor de 4 cilindros. Essa menor área de atrito resulta em menor perda e, conseqüentemente, menor consumo. É mais ou menos como um cano d’água de maior diâmetro dar maior vazão que um de menor diâmetro, isso porque o de maior diâmetro tem menos superfície de atrito em relação ao volume de água que por ele passa. Tem lógica a coisa. Diminui também o atrito entre o virabrequim e os mancais, já que tem um mancal a menos, diminui atrito nos comandos, já que tem molas de válvulas a menos etc. A grande vantagem é, em linhas gerais, diminuir atrito.

O up! tem boa posição de dirigir. Os bancos dianteiros, apesar de não muito macios, são ergonômicos e confortáveis. Nada a reclamar deles, gostei. O banco traseiro, em vista do tamanho do carro, pensei que fosse pior, mas no passeio dos autoentusiastas, enquanto a nossa querida Nora Gonzalez dirigia o up!, fiz questão de ir no banco de trás. Seu simpático e sensato marido Ricardo foi à frente e não deixei que ele colocasse seu banco ainda mais à frente, pois eu queria que ele viajasse com conforto, e lhe sobrou bom espaço, e ele regula comigo, coisa de 1,80 m. E assim foi por uns bons 50 km de passeio e não me incomodei ali. Poderia viajar o tempo todo assim, ou com mais outro adulto. Dois adultos vão bem, mas três não. Viajei com o agradável casal e o maior peso não se fez sentir. O up! continuou ágil e bem disposto.

 

Final de tarde e final de passeio ao lado do avião

Final de tarde e final de passeio ao lado do Vickers Viscount

A abaixar o volante, que só tem a regulagem de altura e não de distância, eu deixava de enxergar o terço superior do velocímetro, mesmo com o banco, que tem regulagem de altura, na sua posição mais baixa. Fui assim mesmo, sem enxergar entre os 70 e 140 km/h, mas não abri mão de guiar com o volante na posição correta para mim. As ancoragens dos cintos de segurança dos bancos dianteiros não têm regulagem de altura. Tudo bem para quem dirige, já que o banco do motorista, como já disse, tem regulagem de altura, mas o do passageiro não a tem. Sendo assim, que o fabricante escolha em qual deles colocar uma regulagem, e a coloque, já que é muito importante ter o cinto de segurança na posição correta.

Gosto do up!. Gosto de design simples, harmônico e objetivo. Além disso, é um carro que em vista do pequeno porte surpreende pela maciez da suspensão, e está entre os menos caros do mercado. E faz curva muito bem. Agarrado nas curvas, bem comportado, ágil; em suma, divertido de curvar com ele. Pena que os pedais de freio e acelerador sejam tão distantes e dificultem o punta-tacco. Acertar isso na produção é fácil

 

Um Alfa Romeo 164 embelezou nosso passeio

Um Alfa Romeo 164 de câmbio manual embelezou nosso passeio

Nada mais a reclamar. Resta torcer para que ao menos no up! TSI, turbo, que chega nesses dias, tenham resolvido esse deficiência no punta-tacco. Afinal, esse certamente será um hot hatch de autoentusiasta, e certos detalhes a nossa confraria exige.

AK

Fotos: autor
(400 visualizações, 1 hoje)


  • Rafael Malheiros Ribeiro

    Fiz um test drive num up! meses atrás e adorei o carro, entrou definitivamente na minha lista de desejos para o dia a dia, junto com Fiat 500. Em breve decidirei minha compra, mas certamente após o lançamento da versão turbo do up!, vamos ver as condiçõe$…

    Aproveitando, alguém do Ae já andou em algum Fiat 500 com o motor de 2 cilindros 0,9L Twin Air de 85 cv? Tenho lido elogios sobre o mesmo na imprensa estrangeira, será que há chances de vir para o Brasil?

    • Rafael Malheiros Ribeiro,

      Sim, já andei e é excelente. Há uma matéria minha com impressões, mas não consegui localizá-la, apenas essa aí abaixo, que é mais uma notícia. Mas vou procurar com mais calma e depois lhe dou o link.
      http://autoentusiastas.com.br/2010/07/fiat-cinquecento-bicilindrico-turbo/
      Infelizmente a Fiat brasileira decidiu não tê-lo aqui.

      • Lorenzo Frigerio

        Provavelmente a árvore contra-rotativa aumenta o custo. Mas na Itália deve haver vantagem fiscal para esse motor.

  • Lemming®

    Bem que “desconfiei” que tinha muito up! com a equipe no passeio…hehe
    Haverá post comentando o passeio?

  • Fat Jack

    “…A Volkswagen gentilmente nos cedeu quatro carros especialmente para o ” I Passeio AUTOentusiastas”…”
    AK, permita-me a pergunta:
    Não seria uma forma de tentar promover o modelo junto ao público?
    Infelizmente não tive condição de participar do passeio, mas sem dúvida pretendo fazê-lo em outra oportunidade.
    E se vale uma sugestão para a próxima, levem os seus carros, porque com certeza será um prazer a mais ver ao vivo as escolhas pessoais de quem tão bem entende de carros.
    Quanto aos motores 3 cilindros, não tenho absolutamente contra eles, só acho que eles têm de representar uma evolução aos 4 cilindros (entendo que a maioria – inclusive este do up! – atende a esse quesito) e não somente aderir à “modinha”.

    • Lemming®

      O MAO foi com a perua BMW dele…e é um monstro! (como anda na mão de quem sabe o que está fazendo…ele…rs).

  • Wagner Bonfim

    Opa, se rodo 2200 Km todo o mês, e a gasolina (R$ 3,49/L) tivesse somente 10% de álcool, gastaria arredondados R$ 410,00, já que meu carro tem uma média de 15 km/l e passaria a 18 km/l. Atualmente, estou gastando R$ 510,00, já arredondando. Ou seja, R$ 100,00/mês a mais …

    Mas não acabou, se 27% dessa gasolina é composta por essa joça de álcool (R$ 2,79/L), ainda levo R$ 102,5 a mais de prejuízo todo o mês …

    Perto dos R$ 2200,00/ano, que seria o valor do meu seguro! Legal né?

    • Lucas Sant’Ana

      Olá a todos, vou colocar aqui os preços de combustíveis em Recife e mostrar algumas contas.
      GASOCOL= 3,50/L

      ÁLCOOL = 2,40/L.
      Então para saber o preço da gasolina pura: 100L custam 350 que tem 27L de alcool, dá 27*2,4= 64,8. Então 350-64,8=285,2 logo
      285,2 dividido por 73L de gasolina dá 3,9068~=3,90 (arredondando). Agora vamos ver o preço das misturas E10, E20 e E22 com gasolina pura a 3,90 e álcool a 2,40 (repito, preços de Recife) em um tanque de 100L

      E10-> 90L*3,90+10L*2,40=375 dividido por 100 dá R$3,75 o litro.
      E20-> 80L*3,90+20L*2,40=360, R$3,60/L
      E22-> 78L*3,90+22L*2,40=357, R$3,57/L.
      O retorno para E20 aumentaria só 10 centavos por litro mas traria a vantagem de maior autonomia de volta com o combustível padrão das fabricantes aqui no Brasil, esses 27% de álcool na GASOCOL só servem para enriquecer usineiros e eles financiarem campanhas eleitoras tanto da oposição como da situação.

  • Roberto Alvarenga

    Arnaldo e Bob, não é possível “customizar” a posição dos pedais para o punta-tacco? Acho que um mecânico habilidoso conseguiria adaptar a pedaleira, reposicionando o acelerador ou o freio.

  • Daniel Pessoa

    Uma das melhores pedidas para o dia-a-dia. Estou no aguardo da versão TSI. Se tudo der certo, será meu próximo carro.

    A equipe do autoentusiastas tem notícia se será lançado nesse fim de julho mesmo?

  • Fat Jack,
    Permita-me responder. Claro que essa é uma forma de promover produto, lícita e de baixo custo para a fábrica, como são os lançamentos em que dezenas de carros circulam ao mesmo tempo na região do evento. Foram dois high up! (AK e PK), um cross up! (Wagner) e um Gol Rock in Rio (eu). E, por favor, participe do próximo, que será ainda melhor.

    • Fórmula Finesse

      Promoção de produto e respeito a grande relevância do Ae para todos os que curtem carros. Parabéns ao fabricante!

    • Luiz_AG

      Posso ir de moto?

      • Luiz, boa pergunta. Vamos pensar nisso. Mas, a priori, não vejo porque não.

    • Davi Reis

      Também não pude ir nesse, mas já estou ansioso pelo próximo!

    • Luis Felipe Carreira

      Algum dos 3 Up!s possui câmbio robotizado? Será que aprimoraram-no em relação ao testado pelo Arnaldo?

    • Tiago Buccini

      Realmente, tinha bastante up! no passeio. Da VW é o carro que mais gosto. Ter uma versão dele turbo para o dia a dia e de vez em quando para um “trackday” seria interessante.

  • V_T_G

    Acho que não procede o raciocínio quanto a gasolina pois se ela tivesse menos álcool acredito que ela seria mais cara.

    • Lemming®

      Não deveria aumentar de preço mas de qualquer forma o veículo seria mais econômico sem o rabo de galo de 27% (possível 30%)…
      O problema é justamente o embuste que já está beirando 1/3…

  • CCN-1410

    A VW fez o que a Fiat não consegue fazer.
    Ao comparar a limpeza da carroçaria deste up!, que é topo de linha, percebe-se que a VW não o encheu de firulas como fez a Fiat no Uno testado aqui dia 20.
    O desenho do Uno também é bonito, mas a Fiat quando lança um carro com um pouquinho de acessórios, já mete um monte de enfeites para diferenciá-lo dos demais. É uma pena.
    Só posso elogiar e parabenizar a VW por isso.

  • Evandro

    Pergunta boba: um motor bicilíndrico então seria interessante para este caso, ou a redução na superfície de atrito não é significativa, além de terem outras implicações como durabilidade e vibração ?

    Que os pequenos sobrealimentados inundem nosso mercado !

    • Evandro,
      Pergunta nada boba. Motores de dois cilindros vingaram em carros como Citroën 2 CV, Dyna Panhard, Isetta BMW etc. Filosofia de projeto apenas. Têm seu lado positivo na questão de redução global de atrito e vibrações são controladas com projeto cuidadoso e adoção de árvore contra-rotativa de balanceamento, caso do Fiat 500 TwinAir que dirigi na Itália, muito bom.

    • Luiz_AG

      Tem muitas motos de 1, 2 3, 4 e até 6 cilindros. A partir de 3 cilindros você não sente diferença, como é o caso das Triumph e da nova MT-09 da Yamaha.
      O ideal seria sempre um boxer 2 cilindros, em que o equilíbrio é muito bom, vide o motor do Fiat 500 e das motos BMW 1200.
      Já comentei isso aqui e muitos foram contra mim, mas acho que deveriam ter lançado o Citroen 2CV. Muitos criticaram pela falta de potência, mas batem palmas para um BR-800 de desempenho similar.
      Nós não nadamos em dinheiro, e o grãozinho economizado cada dia faz diferença naquela viagem de fim de ano ou não entrar no cheque especial também.

    • Evandro

      Obrigado Luiz e Bob !

      Sendo assim, continuo aqui com a dúvida sobre o motivo de não os utilizarem nos carros novos, que estão adotando os 3 cilindros agora.. será que vai ser o próximo passo, nos aspirados ?

      Luiz, bem lembrado dos boxers das motos BMW, mas fico pensando aqui como uma jóia dessas caberia no cofre apertado de um carro pequeno como o Up! ou o 500..

      • $2354837

        Não imagine, veja:

      • Ilbirs

        Por ora, o que penso mesmo é em um Gurgel Supermini com o recente motor BMW boxer arrefecido a água e ar. Esse motor inclusive vem com a transmissão incorporada e poderia ser montado mais recuado que o original e, por ter rotações de potência e torque mais “automobilísticas”, seria mais questão mesmo de achar um diferencial que compense eventuais contextos motociclísticos.

  • Roberto Mazza

    Simpatizo com o Up como proposta de carro compacto, urbano, mas pro meu gosto há pecados que poderiam ser reviados, como ter botões para áudio no volante, e colocar a tradicional opção de sopro do ar condicionado voltado para o motorista em vez de virado para o parabrisa.

    A versão 1.0 turbo que está por sair parece ser interessante. Mas pra dizer a verdade eu queria mais, bem mais. Queria ver o câmbio DSG em toda a linha VW, e o motor 1.4 TSi também. Penso que isso vai acontecer, mas como demora.

    • Gustavo73

      O cofre do up! é ínfimo, simplesmente não cabe um 4-cilindros ali. Pelo que li o DSG também não.

    • Luiz_AG

      Roberto essa saída em cima do painel é espetacular. Ela direciona o ar gelado exatamente para o centro do carro, sem apontar para nenhum ocupante, deixando a temperatura homogênea dentro do carro.

      • Pedro Resende

        Mas e se for como no meu caso que ando sozinho 90% do tempo? Não preciso do carro todo gelado, só preciso que eu fique gelado. No caso do carro com 4 ocupantes pode funcionar bem, mas o up! é um carro urbano, geralmente leva apenas o motorista.

        • Domingos

          Também concordo. Quando o calor pega mesmo (40, 45º e sol batendo forte) é simplesmente necessário que as saídas se voltem diretamente aos passageiros.

          Seria nesse caso necessário um sistema de alta potência para conseguir resfriar o carro todo a contento com uma saída direcionada para a cabine e não aos passageiros.

          Tem gente que simpatiza com tudo que é meio errado, não ligue.

  • Leonardo Amaral

    Mas tinha pelo menos dois UPs não emprestados, um vermelho de um leitor do sul do país e outro prata de um leitor de SP…

    • Lemming®

      Realmente…notei isso e foi bem interessante…
      Estou muito curioso sobre a versão turbo…

    • Francisco Passarini Junior

      E tinha o meu, outro White Up! kkkkk

      • Antonio Ancesa do Amaral

        Se tivesse ido seria mais um, White Up! i-motion

  • Domingos

    Muito bom ver um carro novo econômico e que não seja chocho para isso.

    Rodar rápido e gastando pouco é realmente um grande prazer. É como se você pudesse fazer um grande cruzeiro sem limites de autonomia e sem desperdiçar ou gastar muito para isso.

    Todos os lançamentos parecem um regresso em consumo e poucos carros se aproximam da marca já atingida há tempos dos 15 km/l nos veículos de ciclo otto fora do Brasil.

  • CCN-1410

    “É certo que vez ou outra, numa ultrapassagem em pista simples, por exemplo, um pouco mais de potência viria bem”.
    O meu maior receio em ter um carro de 1-litro, são as ultrapassagens que preciso fazer em serras e pista simples, que predominam no estado em que moro.

    • Lemming®

      Acho que com a versão turbo isso deixará de ser problema…

  • VTG, o fato é que nos vendem como sendo gasolina. Nós aqui sabemos que não é, mas a maioria cai na conversa e compara o preço da nossa com a de outros países sem levar em conta a batizada oficial.

    • V_T_G

      Verdade

  • Sim, Roberto. Dá para ajeitar. Já fiz isso em carros que tive. Maçarico e boa, mas mexi só no do acelerador, já que com freio não se brinca…

  • CCN-1410

    Muitos discordam quando dou minha preferência para carros pequenos, então pergunto:
    Se cabem em média 40 palitos em uma caixa de fósforos, quantos caberiam se fossem cortados ao meio?

  • Fat Jack, emprestar carro para teste de imprensa também é.
    Qual o problema?
    Estamos com boas idéias para o próximo, muito boas…

    • Fat Jack

      Problema nenhum AK, se ficou esta impressão, destaco que a mesma não corresponde a minha opinião, inclusive pelo grande respeito, apreço e credibilidade que tenho por vocês.

  • Fórmula Finesse

    O up! é um carrinho genial, gostoso de guiar e moderno, nos remete a tudo aquilo que a gente conhece do comportamento dos Volkswagen atuais: direção afiada, caixa leve e positiva, suspensão que gruda bem nas curvas e um motor que parece que sempre têm um pouco mais de potência do que indica a ficha técnica. Delicioso e minimalista, um grande pequeno companheiro para ruas e estradas. Eu recomendo!

  • Carlos A.

    Testei o up! I-Motion no ano passado, mas não gostei pelo fato de não possuir o creeping. Fundamental na minha opinião, nas manobras. Hoje entrei no site da VW e notei que agora o I-Motion tem função Tiptronic no up! será que agora vem com creeping? Ou o que mudou em relação ao anterior?

    • Carlos A.
      Nada de creeping, infelizmente.

      • Carlos A.

        Obrigado Bob, é infelizmente mesmo.

    • Alvaro Guatura

      Também testei a versão I-Motion e não gostei

    • Carlos, também quero testar o robotizado do up!. Provavelmente deve ter melhorado. Todos têm evoluído.

      • Carlos A.

        Arnaldo, meu teste com o up! I-Motion foi em novembro de 2014, agora com o Tiptronic imagino ter evoluído sim, mas considero a falta do creeping um grave problema em minha opinião. Aproveitando, deixo aqui minha sugestão: Será que não caberia aqui no Ae, alguma matéria falando sobre a evolução desses câmbios, comentando sobre o sistema de cada fabricante? Lembro-me que em 2000 a Fiat equipou o Palio com um sistema ‘primitivo’ comparado aos atuais, a troca de marca era feita na alavanca de marchas de forma manual mas sem pedal de embreagem, esse era o Palio Citymatic.

        • João Carlos

          O nome Tiptronic é o nome dado à operação manual do câmbio, nada mudou. Esse nome pertence (ou pertencia se acabou a patente) à Porsche, por isso nos carros da PSA vinha escrito nas fichas técnicas nos carros com as antigas caixas AL4: Tiptronic System Porsche.

          Quanto à calibração da caixa, certamente vão evoluindo. Mas o creeping só se adotarem na Alemanha também. O creeping num automatizado é perfeito, pois não tem o incômodo de ter que ficar pressionando o freio um pouco mais forte quando parado.

  • Luiz_AG

    Aluguei esse carro e gostei muito dele, da simplicidade e até da saída do ar condicionado no painel. Achei o motor suficiente e econômico, nada vibrante… Mas isso não dá para levar em conta pois tenho uma moto monocilíndrica de 650 cm³ que faz você esquecer qualquer aspereza de motor.
    O que invalida a compra é o fato dos bancos dianteiros não terem cintos com regularem de altura. Meu filho de 10 anos se negou a andar no banco devido a o cinto roçar em seu pescoço.
    As opções superiores possuem regulagem de altura no cinto?

    • Diney

      Ola, tem regulagem sim, pequena, mas tem. Na concessionária é feito rapidinho.

      • Diney, mas é para acertar na hora que o sujeito senta no banco.

        • $2354837

          Exato, todos meus carros de 18 anos para cá tinham a regulagem, é uma coisa que nunca prestei atenção pois é uma coisa que você espero ter no carro, como um cinto de segurança ou um volante.
          Esqueci de citar em cima mas é no banco dianteiro sem regulagem.

      • Bera Silva

        Segundo o Forum do UP, a regulagem de altura do cinto, em duas posições fixas, pode ser feita em casa, se houver uma chave torx adequada:
        http://forum.vwupclube.com/thread-703-page-2.html

        • Ilbirs

          Isso lembra algo que existia nos VW BX, que tinham um parafuso em uma posição para a qual o passador do cinto poderia ser transferido se estivesse incômodo.
          Ainda assim, regulagem de altura dos cintos de segurança por meio de um passador que você pressiona e pode deixar em outra posição (na maioria deles há mais de duas posições possíveis, contemplando ainda mais tipos físicos) é uma daquelas coisas incompreensíveis nos tempos atuais. Para efeito de comparação, um concorrente do up! que existe há mais tempo tem isso de série:

          http://www.sensethecar.com/wp-content/uploads/2011/10/Kia-Picanto-2012-Interior-3.jpg

          Pergunto: é mesmo tão difícil ter um tipo de regulagem que qualquer Corsa B sempre teve?

    • João Carlos

      São estas pequenas “burradinhas” que afastam uma compra. Lembro da minha mãe, que não dirige, sentada com o sinto quase no queixo duma Livina na concessionária… E o Fiesta mundialmente vem sem alças de teto, eu como transporto muitos idosos e pessoas com menos mobilidade, sei que eles adoram segurar neles – não porque estão com medo da guiada – mas sei lá porque, e também para se acomodarem.

    • Antonio Ancesa do Amaral

      Existe regulagem, basta retirar o acabamento da coluna e ter acesso a ancoragem do cinto e alterá-la.

  • Luiz_AG

    ccn1410, te digo que nenhum carro hoje é impotente o suficiente para correr risco em uma ultrapassagem bem calculada. Sabendo os limites do motor dá para viajar sem problema algum. Sinta a alegria ao reabastecer no destino.
    Com esses limites das estradas brasileiras qualquer carro vendido hoje é suficiente para viagens.

    • Luiz, estou com você. É por aí, mesmo.

    • Concordo plenamente. Tem serra por aqui com vários pontos que poderiam permitir uma ultrapassagem segura de um caminhão lento, mas são todos com faixa dupla e aqui e ali a PRF a espreita no matinho.

  • Luiz_AG

    Teria que trocar os pedais, pois são de plástico ABS e não permite remoldagens.

  • Daniel Pessoa,
    Estamos a 29 horas do lançamento. Estarei lá.

    • Estevan Dario

      Também estou curioso pra ver o up! TSI!

  • Mr. Car

    Doido para ver o up! TSI sendo avaliado aqui no Autoentusiastas. Doido! Quando entrei no site e dei de cara com a foto do up!, por um breve instante pensei que era chegada a hora, he, he! Não que não goste dele como é, mas gosto mais ainda da idéia de “um pouco mais de potência para as ultrapassagens em pistas simples”, e por isto, o TSI seria (ou será?) o up! no “meu número”, como se diz. Mas branco, nem pensar. Vermelho Flash. Acho muito interessantes cores mais fortes em carrinhos pequenos. E depois…chega de preto/prata/branco. Pela volta do trânsito colorido dos anos 70. Já!
    Abraço.

    • Lorenzo Frigerio

      E para completar, DUAS portas.

  • BlueGopher

    Uma pena que o up! não ofereça um sistema de regulagem de altura dos cintos de segurança dianteiros.
    É um equipamento barato e que colabora muito para o conforto (e até a segurança) do motorista.
    Se não me engano, mesmo na Europa esta regulagem não está disponível.
    Economia boba.

    • Davi Reis

      Não faz sentido nenhum a VW não oferecer o item. Economia boba demais, imperdoável,

    • Antonio Ancesa do Amaral

      Regulagem existe, basta retirar o acabamento e ter acesso a ancoragem do cinto, economia porca.

      • Antonio, isso pra mim não vale. Tem que poder regular rapidamente. Se não cada um que entra tem que tirar isso e aquilo. Não vale.

      • Antônio do Sul

        Em um carro compartilhado por dois ou mais motoristas, essa operação fica complicada. Vai chegar uma hora em que, de tanto retirar e recolocar, esse acabamento irá se estragar.

  • Davi Reis

    Digam o que quiserem da VW, mas é mesmo notável como a marca tenta sempre manter uma boa relação com a imprensa, não é de hoje. Quem sabe um dia a GM resolva seguir o exemplo… Sobre o Up, é mesmo um carro maravilhoso. Fiquei um tempo sem carro e precisei alugar um veículo algumas vezes, e sempre fui atrás desse pequeno danado. Como anda bem, é confortável e extremamente econômico. Me lembro que o consumo médio, indicado pelo computador, e rodando com álcool + ar-condicionado ligado, foi de 11km/l, na cidade! Se quando eu tivesse comprado meu carro, já existisse a versão TSI, meu coração teria ficado abalado, seria uma opção tentadora.

    • Christian Sant Ana Santos

      Davi, que locadora dispõe de up! com computador de bordo? Infelizmente, os que alugo na Unidas não têm, nem os Ka 1,0 da Localiza. Aí fica muito imprecisa a média, sem poder fazer várias parciais.

      • Davi Reis

        Aluguei justamente na Unidas, por aqui parece que eles só têm do Move Up na frota.

  • Leonardo Amaral

    Também acabei dando uma volta com o MAO na BMW Touring. Foi realmente bem divertido, o carro é demais e o MAO sabe tirar todo o proveito da maquina… rsrsrs.

  • Thiago Teixeira
  • Gustavo França

    É eu também fiquei pensando… esses caras gostaram mesmo do Up! … rs

    • Gustavo, e o turbo a gente vai gostar ainda mais. Não é preciso nem andar nele pra saber.

      • Gustavo França

        Deve ser um foguetinho… bom seria um comparativo com o 500 Abarth…sugestão para o futuro…

      • Luciano Gonzalez

        Vocês vão babar!

  • Davi Reis

    O punta-tacco é mais difícil do que no Fox e no Gol, mas dá pra fazer sim. Ao invés de torcer o pé pra chegar no acelerador, tem que dar uma giradinha, mas isso já basta. No começo não é tão fácil, mas depois de alguns dias, sai tão naturalmente quanto antes.

  • Francisco Passarini Junior

    Sou o feliz proprietário de um White up! e assino embaixo de todos os comentários do AK, participei do 01º evento do AE e fiquei extremamente feliz de ter a oportunidade de conversar com o AK sobre as qualidades do up! e garanto a todos vocês, todos os integrantes da equipe do AE que tiveram a oportunidade de dirigir o up!, estavam extremamente contentes com o desempenho do carrinho, que venha a versão turbo 🙂

  • Aluguei o “bichinho” duas vezes, já… Uma, para ir de Maceió a São Miguel dos Milagres (cerca de 100 km) e outra, de Recife a Maragogi (125 km). Na primeira, a estrada não desperta muitas emoções, mas pude sentir o quão suave é o carro e quão esperto ele é, para fazer curvas…

    Agora, na segunda… Estradinha de mão dupla, cheia de sobe e desce e de curva para lá e para cá, no meio dos canaviais. Caminhões para serem ultrapassados, ônibus chatos, veículos trafegando com o Haddad mode ON e por aí, vai… E olha: taca-lhe pau no bichinho, que ele gosta, viu?!?!

    Uma pena que, só haja a versão 2 portas no Take Up! e no Move Up! O ideal seriam todas as versões terem opção para 2 portas que, na minha opinião, tem o desenho mais bacana.

    O que eu imagino de maldades em um Up! Turbo, 2 portas, não está no gibi.

    Espero, ansioso, a apresentação.

    Sei que a palavra de ordem, na VW é motor bom em carro discreto para que o “pai de família” possa se divertir sem ter que pagar um seguro alto e nem ter que chamar atenção, na rua.

    Mas que um GT Up! como aquele conceito, com duas portas, só com umas rodinhas 16″ e bancos parcialmente revestidos em alcântara ia ser um sucesso tremendo, eu não tenho dúvidas!

  • Lorenzo Frigerio

    É uma pena que, aparentemente, não cabe um motor de 4 cilindros nele. Dessa forma, o único upgrade possível é o TSi, e isso tem um custo. Acho que dificilmente o 3-cilindros alcançaria 1,4L sem obrigar a árvores contra-rotativas.

  • Ilbirs

    Por ora estou no aguardo do up! TSI e quero ao menos fazer test drive em um deles. Achei boa a ideia de todas as versões exceto a take terem esse motor como opcional, ressuscitando em parte o conceito de um mesmo carro poder ter várias combinações de motor e acabamento ao gosto do consumidor. Se o up! aspirado alvo desta postagem subiu serra na base de alternar entre quarta e quinta marcha e, ao que me parece, sem ir para a terceira nenhuma vez, vou crer que o TSI vá ter aquela agradável característica que vejo em muitos turbinados modernos de se poder ficar um longo tempo na última marcha e só ir compensando as reduções de velocidade (seja de trânsito ou aclives) mudando um pouco a angulação do acelerador.

    Ainda assim, é carro que está na situação de um produto que só precisa de uns pequenos ajustes para ser um sucesso, mais ou menos como aconteceu na mesma VW três décadas atrás com a primeira geração do Gol. Seguem as sugestões que não canso de dizer:

    1) Vidros elétricos traseiros para ontem. Isso já existe no mercado de acessórios:

    http://www.revistaautomotivo.com.br/auto/wp-content/uploads/2014/04/vidro-tragial-up.jpg

    http://www.atrasom.com.br/app/views/lojas/atrakits/img_prod/7679e91432798004840ec7c989d4f4ef.jpg

    É impossível que a VWB até agora não tenha desenvolvido uma solução OEM para seu carrinho;

    2) Dois difusores centrais direcionáveis complementando a ventilação, conciliados à saída central única e fixa já existente e que joga ar para cima. Talvez desse para fazer isso redesenhando o painel e jogando os controles de ventilação mais para baixo. É algo que terceiros já mostraram ser possível ao menos na parte de mudar os controles mais para baixo:

    http://s13.postimg.org/kihszaobr/image.jpg

    Também há quem tenha feito uma gambiarra para dar uma direcionada no ar que é cuspido para cima:

    Uma solução OEM poderia muito bem ficar com estética parecida com a do painel do atual Fusca:

    http://www.autobel.com.br/files/segurancas/novo-fusca-2013-interior-20_75957947.jpg

    Com duas saídas direcionáveis centrais para a frente e uma fixa jogando ar para cima, ficaria algo parecido com o que já existe no Grand Siena e melhoraria ainda mais a ventilação:

    http://cuyomotor.com.ar/wp-content/uploads/2012/03/interior-Grand-Siena.jpg

    3) Essa mudança dos controles de ventilação para baixo poderia permitir também um espaço duplo DIN, que ficaria sob medida para aquela central multimídia recém-estreada no Fox, que por si só é um belo argumento de vendas para qualquer carro que a tenha. No Velho Mundo, o mercado de acessórios já tem solução para montar duplo DIN no interior do carro, ainda que vá ficar tão embaixo quanto o rádio de um Corsa B:

    http://www.astina.dk/images/114/vw_up_2din_radioramme.jpg

    http://images.tcdn.com.br/img/img_prod/337949/715_1_20150418104106.jpg

    http://images.tcdn.com.br/img/img_prod/337949/715_2_20150420103448.jpg

    4) Um painel com mais instrumentos e um conta-giros maior, algo ainda mais importante se considerarmos que a versão TSI precisaria de um manômetro de pressão bem visível. Achei interessante a solução do conta-giros anti-horário do Uno reestilizado justamente por ocupar bem uma concha pequena. Que se compare isso com o conta-giros horário e totalmente redondo, mas de minúsculas dimensões e visibilidade difícil, que temos no painel do up!:

    http://1.bp.blogspot.com/-i2mqIv_s4AY/U_3RQM6H7MI/AAAAAAABdi4/fREFdF309Qk/s1600/Novo-Fiat-Uno-2015%2B(2).jpg

    http://imguol.com/2013/03/18/vw-up-1363623383671_956x500.png

    Como se pode ver, os números no painel do Uno são maiores e mais visíveis e fica mais mesmo questão de se acostumar à informação disposta de uma maneira diferente da normal.

    5) Forração completa nas portas, eliminando essas latas aparentes. É algo que a Fiat fez no Palio com o decorrer dos anos e que hoje podemos ver no Fire:

    http://img002.adimg.com/ImgAd/2010/04/19/1069830/palio-ex-2000_4.jpg

    http://imguol.com/c/entretenimento/f3/2015/06/23/fiat-palio-fire-2016-1435069515909_956x500.jpg

    6) Banco bipartido atrás. Pelo que já vi, o do up! europeu, que só leva quatro pessoas, é 60-40:

    http://static.mumsnet.com/images/reviews/originals/104/ii_15454_1342363281723.jpg

    Como esse carro só rebate o encosto e o assento fica fixo, seria ainda mais fácil dotar a versão nacional de tal benesse, uma vez que a parte do assento já está bem resolvida com os pontos de montagem do Isofix e os fechos dos três cintos de segurança bem fáceis de achar:

    http://imguol.com/c/entretenimento/2014/02/27/vw-red-up-2014-1393483615816_769x500.png

    Não creio que sejam ajustes tão difíceis de fazer e alguns deles poderiam ser incorporados em uma reestilização como forma de aumentar o número de argumentos de venda do modelo, que já vejo em boa quantidade aqui em São Paulo (aqui obviamente pela facilidade de estacionamento).

    • Alpha Delta Victor

      Legal! Comentários assim enriquecem o site.

    • Thiagusss

      acho que já li esse comentário em algum lugar…

    • Rafael Malheiros Ribeiro

      Acrescento às suas ótimas sugestões a “memória” no retorno dos bancos dianteiros nas versões 2 portas. É o que me faz não querer esta versão.

      • Ilbirs

        Aliás, não consigo entender que surto de burrice é esse que deu nos fabricantes. No passado os bancos de carros de duas portas tinham memória mecânica em seu conceito geral. Na maioria deles, era o encosto que rebatia e boa parte desses encostos basculavam tão bem que não era tão problema assim ingressar na fileira traseira. Tínhamos o caso da linha Uno, cujo banco deslocava-se por completo e, na volta, mantinha a posição originalmente regulada. Logo, não era tão difícil assim fazer as coisas direito, bastando ver os exemplos do passado.
        Aí quiseram fazer bancos que rebatem o encosto e deslizam sobre o trilho, de maneira a gerar um vão que não é maior que aquele de um Uno, Prêmio ou Elba. Esse tipo de rebatimento existe em nossas bandas por mais de 15 anos, uma vez que o primeiro veículo a tê-lo foi o Astra B hatch. E, pelo que me lembro, aqueles Preludes importados para cá no começo da década tinham memória mecãnica nos bancos justamente para manter a posição regulada. E eram bancos sem qualquer regulagem elétrica. Logo, pergunto se é tão difícil assim fazer um banco para carros de duas portas que mantenha a regulagem que foi feita.

    • Pra você ver como são os gostos. Eu acho terrível o painel no Uno, parece que tem um smartphone barato preso no centro do velocímetro. E gosto muito do painel do up pela simplicidade. Até o painel up sem conta -giros, que é extremamente minimalista me agrada.

      • Ilbirs

        No caso do painel do novo Uno, apenas apontei como boa a solução do conta-giros anti-horário, desconsiderando a tal telinha no centro do velocímetro. Apenas olhei a coisa considerando boas soluções que ocupam um espaço pequeno e, neste caso, prestei atenção ao tal conta-giros esquisitinho, mas mais legível que o do up!.

  • Carlos

    Acho que já trataram disso, mas não entendo porque o nosso UP não tem a porta traseira de vidro. O europeu, mesmo com quatro portas, tem. Agora completamente off-topic, um registro que fiz hoje perto dos estúdios da Abbey-Road, fui atrás da foto clichê e acabei achando essas duas Mercedes em pose pra foto uma quadra depois.

  • Felipe Rocha

    Concordo plenamente. Um Polo GT era igualmente mais harmonioso que o Punto T-Jet atual.

  • Fat Jack, poderia ser um Ford Ka, também, concorrente direto do up! e outro carrinho econômico, bom de chão, macio, etc. E obrigado por confiar na gente.

  • Vagnerclp

    No passeio até falei pro meu amigo que nunca tinha visto tanto UP! juntos, agora está explicado!!!!

  • Félix

    O up! de casa foi para a estrada pela primeira vez. O carrinho é valente, mesmo com 4 adultos e bagagem. Só fui com o pequenino porque o sedã está esperando peça, mas dá pra dizer que para duas pessoas não teria do que reclamar.

  • Rogério Ferreira

    Bonito, esse up! branco, o TSI será pura diversão, com a promessa de ter mesmo consumo. Compraria um, tranqüilamente, se não estivesse precisando de porta-malas. Mas aproveito o ensejo, e faço uma crítica à VW: tudo o que eu precisava era de um sedã com esse motor EA 211 e, inexplicavelmente, o Voyage não tem, e ninguém sabe se um dia vai ter… E se moderno engenho tricilíndrico deu ânimo novo e consumo comedido ao Fox, o que seria capaz de fazer com automóvel de 950 kg e Cx de 0,31, e baixa área frontal,.. Dada a excelência aerodinâmica, seria possível, até alongar um pouquinho as relações de 4ª e 5ªa. marchas, ou quem sabe, uma 6ª, para baixas rotações em velocidade de cruzeiro.(tal câmbio, inclusive, já existe, no Fox, com o mesmo motor, na versão 1,6 de 4 cilindros). Talvez eles tenham um certo receio de fazer um carro melhor que up! e o Fox. e possam-lhes oferecer uma concorrência caseira. Penso que Gol e Voyage, com este novo motor, talvez só numa próxima geração, que com certeza, virá mais alta, mais larga e com maior altura do solo… Ai me desanima: Por que sempre coloca bons motores, em carros que não tem tanta eficiência dinâmica e aerodinâmica? Motor 1,6 do EA 211 é outro bom exemplo que VW não quer ser a melhor, e discrimina produtos da própria linha. Por que só no Gol Rallye, e no Saveiro Cross? E por que estes ainda possuem câmbio de 5 marchas com relações curtas se o Fox (sempre privilegiado) recebe o mesmo motor, e um câmbio de 6 marchas, para baixas rotações em velocidade de cruzeiro? Motor TSI 1,0 no Gol? De jeito nenhum, eles não vão fazer isso, não querem nos oferecer este prazer sobre rodas. Vou esperar o Voyage, com o EA 211 até o ano que vem, se não vier, vou de Ka+ ou HB20s.

    • Davi Reis

      Rogério, ando lendo que no final do ano o Gol sofre uma reestilização e que agora os novos motores vão tomar conta da linha. É esperar pra ver, também acho que um Voyage com o EA-211 seria um ótimo carro.

  • Marcelo Dalla Rosa

    Também estava ansioso pela configuração TSi 2 portas, mas a VW capou a opção para o Move Up. Duas portas só no Take que não receberá o turbo.

  • Ricardo Kobus

    Bom dia!
    Por isso que eu sempre digo que a volkswagen tem a faca e o queijo na mão, e não aproveita seus produtos no mercado brasileiro, poderia ser líder de vendas, pois na “minha opinião” possui a melhor infra estrutura (leia-se, motores, câmbios, plataformas) melhores que a concorrência.

  • Carlos, está anotada a sugestão, que é boa, sim. Obrigado.
    Sobre a falta de creeping, não me faz falta. Fiz um no uso com um e me acostumei rapidinho. Sinceramente, acho que esse detalhe não deveria barrar sua escolha.

    • Carlos A.

      Legal Arnaldo, tomara que a sugestão resulte numa matéria sobre esse assunto.
      Sobre o creeping, espero outra oportunidade de teste no Up!, mas como é muito curto o teste drive no geral da concessionária, não há tempo suficiente para se acostumar. Estou habituado com os câmbio automático e por isso fez uma falta enorme na primeira experiência.

      • João Carlos

        Não sei se vc viu, mas no YouTube tem um rapaz de um blog (CarBlog acho) que comprou um white up! automatizado e ele faz várias simulações com ele.

        Você tem que testar no manobrar pra ver se a calibração do acelerador lhe incomoda. Ou sem rampas.

  • Luiz, que demais esse 2 CV!!!!
    Sou fã do carro e com esse motor ainda, minha nossa! Bárbaro!

    • $2354837

      Legal saber que também curte uma ratoeira modificada…
      Adoro o 2CV e acho que tinha potencial de ter o mesmo carisma que o fusca teve por aqui.

  • Luiz_AG

    Você tem direito de escolher aquilo que considera prioridade. São de apegue a meus comentários. Vento gelado na cara dá choque térmico e resfriados, gripes e problemas respiratórios. Nunca deveria ser jogado ar frio na cara da pessoa.
    Acho o ar condicionado da Boeing um absurdo. Melhor procedimento para ficar doente.

  • Leonardo Mendes

    Interessante – e louvável – a iniciativa a VW em ceder os carros para o passeio… acima de tudo é uma forma de mostrar e solidificar a imagem do produto junto ao público.
    Me remete ao lançamento do Santana 2000 (creio que o Bob vai lembrar dessa), quando algumas unidades do então recém-lançado modelo foram entregues a personalidades como Maguila e Ignácio de Loyola Brandão.

    Infelizmente não fui ao passeio… ou felizmente para os ouvidos do Wagner, pois certamente iria perturbá-lo até umas horas pra dirigir o Cross Up.

  • Tô contigo!

  • Carlos Eduardo Favoreto Milani

    Somos três então! Atual proprietário de um Fox 2Pts, não me sobra opção nenhuma sem as portas de trás no mercado que eu veja como acessível e que valha a pena…

  • Alexandre Cruvinel

    Gostei muito do up!, o motor responde muito bem em baixas rotações e vai liso até a faixa vermelha. A gente sobe marcha e ele continua disposto. Simples mas muito bem acabado, um urbano que beira a perfeição. Aguardando ansiosamente o turbo.

  • Lucas Peixoto

    a regulagem do cinto de segurança pode ser feita na concessionária; sobre o punta tacco, acho bom de fazer, melhor que no new fiesta

  • Antonio Ancesa do Amaral

    AK parabéns pelo post. Logo vê que o carro desperta discussões, os cintos possuem regulagem de altura , basta retirar o acabamento e mudar o lugar de ancoragem. Bem que poderiam ser como os demais, mas a VW quis poupar, lastimável.

  • Bucco

    Tão de zuera, né? Também acho que é possivel estar satisfeito com carros de baixa cipindrada. Por isso que rodo com Clio na faixa de 7 mil reais.

  • Bucco

    Seis marchas pra frente seria o ideal pra qualquer carro com câmbio manual tradicional. E deveria ser o mínimo pra qualquer automático ou automatizado de dupla embreagem. Automatizado com simples não deveria existir. A opção que existe, além, são os de variação contínua que tem espaço para e vão melhorar.

    Mas o maunal de 6 deveria ser o mainstream. Com a sexta equivalendo à uma quinta em carros de baixa potência pata permitir uma troca mais “violenta” das primeitas marchas, deixando o carro sempre esperto quando o motorista souber usar aquela alavanca que tem entre os bancos. hhhhh

  • Fernando

    Se formos pensar somente na lógica, seria assim.

    Mas a cada aumento na proporção de álcool nessa mistura, poucos notam que isso é uma forma de aumento escondida, afinal aumenta a proporção de álcool e o preço da mistura se mantém, logo… foi um aumento sim, na gasolina(já que o preço do álcool é outro). E olha que foram vários…

    Se acabasse logo essa palhaçada, vender gasolina com preço dela e pronto, álcool idem, e quem quer que coloque um, outro ou a proporção que quiser.

    • V_T_G

      Ai é que está, a prerrogativa do aumento da proporção é, teoricamente, justamente manter o preço frente ao aumento no mercado internacional.

  • Leo-RJ

    AK, como sempre, um ótimo texto!

    E muito agradável a gentileza da VW em ceder logo 4 veículos para o encontro.

    Abç!

  • Carlos A.

    João Carlos, testei o carro em manobras, ao retornar para a concessionária, coloquei o Up! numa vaga entre 2 carros, para teste mesmo em manobras e me incomodou a questão da falta do creeping. Obrigado pela dica.

  • André Castan

    Não sou contra os motores de 3 cilindros. Já dirigi e gostei, mas tenho muita curiosidade de saber como ficariam os 4 cilindros empregando toda essa tecnologia que está sendo usada nos de 3. Acredito que os 4 cilindros seriam bem mais potentes e “torcudos” em relação aos 3. Então dizer que os 3 cilindros estão alcançando a mesma potência que os de 4, acho um pouco injusto. Gostaria mesmo de ver essas duas configurações com a mesma tecnologia para poder comparar.

  • Állek Cezana Rajab

    Gostei muito do Up. Deixei o Corolla em casa e viajei com ele. De Vitória,ES para Viçosa,MG, 450 km pela BR 262. Com o tanque abastecido somente com etanol, ele fez, de Vitória a Viçosa, 12,5 km/l calculados e no painel marcou 12,7. E, na volta, 12,9 km/l. Estava variando entre 80 e 120 km/h e utilizava muito freio-motor, sobretudo nas descidas. O carro é impressionante mesmo, tem boa potência e é muito econômico. Estou louco para pegar o TSI. Ah! quase esqueci: é muito bom de curva também.