Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Telefone pareado? Podem dirigir seu carro por você! – Autoentusiastas

Telefone pareado? Podem dirigir seu carro por você!

 

Nos EUA dois hackers, um deles ex da midiaticamente famosa National Security Agency, a grampo-mundi, apostaram com o jornalista Andy Greensberg, da revista Wired, acessar os controles de seu carro via telefone celular.

Ante a dúvida e o receio, o jornalista foi com seu Jeep Cherokee 2014 para uma estrada em St. Louis.  Telefone celular pareado via Bluetooth, automóvel andando, os hackers Charlie Miller e Chris Valasek, de casa e com um laptop, entraram nos comandos do Cherokee. Ligaram o rádio, variaram o volume, acionaram os limpadores de pára-brisas, seu lavador — e desligaram o motor com o carro percorrendo a estrada — e, por invasão no sistema de ABS, deixaram-no sem freios.

Depois, em área de estacionamento, mostraram ser possível controlar o volante quando engrenado em marcha a ré – intrusão pelo sistema Park Assist, de manobrar o carro em vagas; e desligar o sistema de freios.

O desafio dos hackers faz parte de um trabalho a ser apresentado em conferência de segurança eletrônica em agosto, na cidade de Las Vegas.

Proteção

Contataram a FCA, fabricante do Cherokee, e auxiliaram criar antídoto contra a vulnerabilidade permissora da invasão através do sistema utilizado pela FCA, o Uconnect. O sistema conecta o veículo por celular à internet e está nos veículos Jeep, Chrysler e RAM.

Em velocidade de terror, cinco dias após o evento, a FCA fez chamada para atualização de software, oferecendo desenvolvimento em segurança e comunicação eletrônica, apto a ser baixados para bloquear as invasões.

Futuro

Questão não se limita às marcas FCA, e ao momento outros hackers devem tentar meios de interferir na infoeletrônica dos veículos de todas as marcas. Os de nível superior, com maiores facilidades eletrônicas, possivelmente liderarão os recordes de tentativas de intervenção.

É uma das novidades do convívio com a internet, e muitas histórias rolarão enquanto fabricantes, fornecedores do equipamentos de infotainment — a mescla de informação com entretenimento —, governos, companhias de seguro, não conseguirem apoiar e desenvolver um bloqueio às invasões.

Segundo Rafael Linhares, especialista em rede de dados junto ao Governo Federal, a melhor solução a ser adotada pelo proprietário de veículo com capacidade de conexão com a internet, é programa de atualização: “Da mesma forma que devemos manter atualizados nossos equipamentos de computação, estes agora estão embarcados nos automóveis e requerem o mesmo cuidado. Anti-vírus e firewalls passarão a fazer parte do pacote de atualização dos softwares que compõem as soluções tecnológicas dos automóveis ‘top de linha’. Assim como necessárias as execuções dos recall, passa a ser vital a atualização de tais sistemas operacionais.”

 

Para fãs do Sinatra

És fã de carteirinha do Francis Albert Sinatra? Tens a discografia, livros, cartazes, CDs com os últimos shows? Tens bala-na-agulha? Café-no-bule? Reservas pessoais acima do momento econômico nacional?

Se preenches as características e estás no clima de comemorar o centenário de nascimento de Sinatra, há dois brindes para acicatar o seu espírito: os automóveis ingleses, presentes de casamento trocados entre Frank e Barbara Marx, sua última mulher. Estarão em leilão californiano em agosto.

RR

For Barbara é o lote nº 4055, e foi o presente de Old Blue Eyes. Um Rolls-Royce 1976 Silver Shadow, curto em distância entre eixos, comprado ao revendedor da marca em Palm Spring, Ca.. Com todos os papéis, incluindo o de venda com o endereço do casal, na Frank Sinatra Drive, 1041, South Formosa, Hollywood.

O automóvel é em azul pavão — Peacock blue – com interior bege e debrum azul, cujo folclore das estórias do antigomobilismo diz ter sido inspirado na cor dos olhos do cantor …

O Silver Shadow, desde 1956 utilizando estrutura monobloco em lugar do chassi, tem baixa quilometragem e dito como tão perfeito quanto ao tempo de uso pelo casal.

Como em toda história de automóvel antigo valorizado pelo pedigree, novo dono recebe-lo-á com papéis, fotos, o livro de Kitty Kelley — Uma biografia não autorizada de Frank Sinatra — onde o par de automóveis aparece.

JAGUAR

For Frank é o lote nº 4056, presente de Barbara ao novo marido, um Jaguar XJS Coupé, com motor V-12 e todos os acessórios de época, incluindo bússola presa ao painel, e pioneiro telefone móvel GE — equipamento a rádio dentro do porta-malas. Documentação igualmente completa, com papéis de compra e venda, manual de proprietário; passe para estacionamento no aeroporto de Palm Spring. A combinação de verdes no automóvel se atribui, no mesmo folclore do gênero, à cor dos olhos de Barbara.

Negócio

Por si só como automóveis são de pouca simbologia e valor. Mas com certeza serão os de maior atratividade no leilão da Russo and Steele em Monterey, Califórnia, de 12 a 15 de agosto, parte dos eventos da semana antigomobilística em Pebble Beach. Não há preço de reserva — ou seja, não há valor mínimo para entrega —, e o leiloeiro de tudo fará para vendê-los no conjunto já chamado de His and Her.

Leilão será em frente ao Fisherman’s Warf, downtown Monterey, das 10h00, na quarta feira dia 12, até sábado, 15. Se você preencheu as condições listadas ao início do texto, saiba, é possível trazê-lo (s) ao Brasil em caso de arremate. Nossa legislação, a dita Lei Nasser, permite a importação de veículos com mais de 30 anos de produção para fins de coleção, embora os custos e impostos sejam desanimadores, multiplicando por três o valor de aquisição.

Como valor, unidades semelhantes são encontráveis a preço comum, circa US$ 20 mil cada. Entretanto, pela origem e pedigree, o céu será o limite.

Lembre-se, em caso de interesse, em hastas nos EUA há que fazer pré-cadastro para participar. Mais dados? www.russoandsteele.com

 

Foto Legenda 01 Coluna 3115 Sinatra

His and Her, carros de Sinatra em leilão

 

RODA-A-RODA

Líder – Grupo Volkswagen vendeu 5,04 milhão de veículos no primeiro semestre, contra 5,02 pela líder Toyota. Ambas somam todas suas marcas — exceto motos Ducati pela VW. A Volkswagen tem determinação de ser a mais vendida no mundo em 2018.

Tudo e nada – Diferença de 20 mil veículos em universo de 5 milhões significa 0,4%  e mostra disputa de muito fôlego pelo título mundial. Toyota deu o primeiro passo, mudando sua estrutura na América Latina, um dos mercados onde a VW tem maus resultados. GM, ex-primeira, é terceira posição.

Re call – Governo dos EUA pela NHTSA, entidade de segurança em rodovias, multou a FCA em US$ 70M por demora em chamamento para reparos de segurança e determinou readquirir mais de 500 mil Jeeps Liberty e Grand Cherokee usados! Seus tanques de combustível são expostos a acidentes, e cujos proprietários não atenderam a um recall de leniência — colocar engate de reboque para amenizar danos em pancadas.

Caminho – A FCA proporá aos proprietários destas unidades, recebê-las como parte de pagamento de novos Fiat, Jeep, Chrysler, Dodge, RAM, Alfa Romeo, Maserati ou Ferrari, marcas do grupo.

Dura Lex – FCA é o terceiro fabricante alcançado pela operação da NHTSA. Honda e GM já haviam sido multadas pelos mesmos atrasos.

União – Você imagina veículos Mercedes-Benz e Nissan feitos com as mesmas peças, na mesma fábrica, mesmos operários, saindo pelo mesmo portão, com formas e marcas diferentes? Pois acontecerá em Aguas Calientes, no México, pela COMPAS, joint venture entre as duas marcas. US$ 1B de investimento, produção Nissan em 2018 e MB em 2019.

Foi – Mitsubishi fechou a fábrica de Normal, Ill, EUA. Produção com prejuízos seguidos, aumentado por promoção para venda sem comprovação de renda, emprego ou patrimônio. Apesar da crescente demanda pelo modelo Outlander lá produzidos, a empresa japonesa decidiu apenas importar.

Caminho – Fechar fábrica, vender o pacote ou reexportar o maquinário não é novidade com japoneses nos EUA. Suzuki fez isto há poucos anos.

Negócios – Época ruim, mercado seletivo, causas gerais, duas operações de automóveis estão à venda nos EUA: Viper e Saleen. Primeira, pela FCA, é o tudo de fazer o Dodge Viper e seu motor V-10. Outro, o preparador de Mustangs elevado a fabricante de esportivos com seu nome.

 

Foto Legenda 02 Coluna 3115 Saleen

Saleen, em crise, fábrica à venda

Mais – GM dobrará investimentos no Brasil, com adição de R$ 6,5B para criar nova família em seis modelos sobre a mesma plataforma. Fábricas em São Caetano do Sul, SP, Gravataí, RS e Joinville, SC, receberão investimentos. É para 2019, substituindo a família de base, de Classic a picape Montana. Fazer câmbios automáticos pode estar no investimento.

Exceção – Fábrica em São José dos Campos, SP, ficou fora. Abrasões com o sindicato dos metalúrgicos, interrupções e prejuízos fizeram transferir para a Argentina o Projeto Phoenix, e agora incentivar as outras fábricas.

Futuro – Detalhes não foram anunciados, mas a coincidência nos comunicados dos investimentos na América do Sul e na Índia pode indicar complementariedade de operações. Para a GM, faturamento futuro virá de mercados com baixa relação habitantes/veículos.

Mercado – Tempos de vendas contraídas geram séries especiais para atrair compradores. Mitsubishi simplificou seu conceito de picape, colocou enfeites e vende o L 200 Triton HLS Chrome Edition: motor flex, 2,4; câmbio manual, tração simples, equipamentos como pequena tela tátil, 10 cm, pára-choques e grade, alguns etccc. R$ 88.900.

 

Foto Legenda 03 Coluna 3115 Triton

Triton Chrome Edition, especial

Acerto – Volkswagen na Argentina anunciou acertos no picape Amarok: reforços estruturais, vedação da correia dentada da distribuição, opcional de placas inferiores para proteger motor e transmissão, sangrador na linha de alimentação. E mudará o slogan do produto. Será Potência Inteligente.

Tecnologia – Mudanças eram necessárias para compatibilizar o produto, entre o projeto alemão, e o uso duro, extra manuais, encontrável na América Latina.

R&D – Hyundai lançou em Piracicaba, SP, onde tem fábrica, pedra fundamental de laboratório de pesquisa e desenvolvimento. Quinto no mundo, primeiro na América Latina. Inicialmente pesquisa com motores flex.

Diesel – Total, fabricando óleos lubrificantes no país, produziu o primeiro sintético para motores a diesel ou gás operando em condições pesadas. É o Rubia TIR 8900 10W40. Diz garantir limpeza dos pistões, reduzindo desgaste dos cilindros. Em baldes de 20 ou tambores de 200 litros.

Moto – KTM acertou com a manauara Dafra montagem de seu modelo 390 Duke, inspirada na linha 1290 Super Duke R. Tem a melhor relação peso-potência da categoria — 139 kg x 44 cv —, responsável pela excelente aceleração. Dupla personalidade, cidade e fora de estrada, com o DNA da marca. Em agosto a R$ 22 mil.

Gente – Leslie Kaiser Blueth, 69, pioneiro da Renault Brasil como diretor financeiro, passou. OOOO Holger Marquardt, 51, alemão, novo posto: diretor de vendas automóvel na Mercedes Brasil. OOOO Experiente, já operou no país na década passada. OOOO Cargo inclui operações de automóveis na América Latina. OOOO Posto importante, em especial com início de produção local dos automóveis Mercedes em 2016. OOOO Antecessor, grego Dimitris Psillakis, foi promovido a presidente e executivo-chefe da MB Coréia. OOOO Antônio Carlos Vischi, 53, matemático, mudança OOOO Diretor de Compras da Peugeot Citroën América Latina. OOOO Apesar dos maus resultados da companhia na região, a função é para integrar compras mundiais. OOOO Miguel Fonseca, presidente da Toyota Financial Europa e África, promoção. OOOO VP Executivo no Brasil: marketing, planejamento de vendas e produtos; relações públicas, relacionamento com imprensa e governo. OOOO Desafio. Quer piorar relações com a imprensa? Submeta-as aos interesses da área de vendas. OOOO

 

Mercedes faz campanha para manutenção

Redução das atividades industriais e comerciais no momento do país, causando diminuição de volume e valor nos fretes em caminhões, provocou a Mercedes-Benz a criar campanha em âmbito nacional para manter clientes e fazer outros. Batizou o conceito da operação de Pacotes de Manutenção com preços imperdíveis focando no oferecimento de peças e serviços de manutenção de caminhões a preços competitivos com o mercado, arrematando com garantia de 12 meses e a possibilidade de pagamento em até três vezes.

Ante o cenário do mercado de transportes, a oferta é bem focada, dirigindo-se aos caminhões leves, médios, semi pesados e extra-pesados, com mais de três anos de uso, de propriedade de empresas ou transportadores autônomos.

Pela situação econômica corrente optou por dividir os serviços para conter valores, focando em pacotes de manutenção em grupos definidos, dentre eles amortecedores dianteiros e traseiros, embreagem e bomba d’água remanufaturados pela empresa, lonas de freio dianteira e traseira, troca de óleos lubrificantes e elementos de filtragem.

O foco em operações específicas mira a redução de custos, e a campanha tem parceria com a rede de concessionários, buscando facilitar o acesso dos clientes ao amplo e maior portfólio de pacotes e serviços pós-vendas no mercado. Irá até o dia 30 de novembro.

RN

rnasser@autoentusiastas.com.br
A coluna “De carro por aí” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.

 

 

 



Sobre o Autor

Roberto Nasser
Coluna: De carro por aí

Um dos mais antigos jornalistas de veículos brasileiros, dono de uma perspicácia incomum para enveredar pelos bastidores da indústria automobilística, além de ser advogado. Uma de suas realizações mais importantes é o Museu Nacional do Automóvel, em Brasília, verdadeiro centro de cultura automobilística.

  • Mr. Car

    O máximo que eu vou ter do Sinatra serão os CDs mesmo. Mas adoraria o Rolls neste azul, com interior bege, e tendo sido do “The Voice”, ainda por cima. Em tempo: e pensar que a mesma terra que deu ao mundo um cantor como Sinatra e os compositores que fizeram seu repertório, hoje está infestada de rappers e seus lixos que nem mesmo consigo enquadrar como sendo aquilo que cresci conhecendo por música.

  • Domingos

    Nossa, que baboseira o mundo. Isso cheira a cretinice ou, ao menos, algo encomendado. Pode ser pura futilidade também.

    Ou seja, você pega 2 dos melhores hackers do mundo e manda eles encontrarem uma falha em um sistema.

    É claro que vão encontrar, também como da mesma forma isso deve ser tão remoto quanto a maioria das chances de invasão via certos bugs num computador.

    Com os sistemas de hoje, duvido a ponto de apostar que seja meramente algo bobo como saber o endereço IP do carro e então dar uns comandos.

    Deve precisar de um bom trabalho ou de acesso a algum software que a princípio apenas a fabricante tem.

    Ou seja, começaram a trazer as futilidades, loucuras e inutilidades do mundo gnóstico da internet para os carros.

    Credo, Deus que me livre de ter um “carro topo de linha” que tenha que “atualizar firewall”.

    Que mundo de fraldinha. Aposto que, como no mundo da informática, já tem um monte de trouxa disputando para ver quem tem o “sistema mais seguro” ou imaginando situações catastróficas e teorias da conspiração inférteis.

    A propósito, é importante lembrar que na indústria da informática foi exposto o esquemão chamado “safety” há uns anos atrás, mas que infelizmente continua ganhando força.

    O esquema era basicamente esse: gente de empresa de segurança – algumas FABRICANTES DE ANTI-VIRUS – que ficava explorando e desenvolvendo vírus e exploits para depois lançá-los em massa na internet e vender as soluções de prevenção e reparo.

    Além de um monte de imbecil eterno adolescente que ficava fazendo o mesmo trabalho porém de graça, em nome de levar o título de “maior hacker do mundo” ou de ficar queimando empresas de informática por mera ideologia.

    Infelizmente vivemos num mundo pós-moderno e publicitário, em que depois de um tempo virou moda as empresas fazerem concursos onde PAGAVAM e exibiam esse tipo de GENTINHA para tentar achar “falhas no sistema” – sempre de forma bem midiática, escondendo os maus resultados quando conveniente.

    É por esse motivo que você tem que remendar qualquer sistema operacional várias vezes por semana na forma de atualizações, as quais com o tempo inviabilizam usar uma máquina mais antiga com o mesmo sistema operacional que ela foi lançada.

    Para mim, a FCA não pagou o que esse jornal e esse desocupado hacker queriam e inventaram lá algum problema.