OS NOVOS AUDI Q3, PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Q3_ALTA-3

Na recente apresentação à imprensa dos novos suves Audi Q3, tive a oportunidade de dirigi-lo por 170 quilômetros, sendo que metade foi um Q3 com motor turbo 1,4-L de 150 cv, e a outra metade, o 2-litros, também turbo, de 180 cv.  A versão mais forte, 2-litros turbo de 220 cv, não foi disponibilizada.

O modelo recebeu pequenas mudanças no desenho das lanternas e tomadas de ar.

Vamos às primeiras  impressões ao dirigir e depois, num teste “no uso”, desceremos a mais detalhes.

 

Leva 5 adultos com silêncio e conforto

Leva 5 adultos com silêncio e conforto

Todas as três versões são aptas a viajar com segurança, tranquilidade e silêncio, em ritmo de Autobahn; até mesmo a dotada desse pequeno e valente motor canhãozinho de 1,4 litro TFSI ( sigla em inglês de turbocharged fuel stratified injection, injeção de combustível estratificada turboalimentado). Apesar de já ter guiado vários veículos, de diferentes modelos, tamanhos e pesos equipados com esses produtos da nova e acertada onda do downsizing — redução de cilindrada sem perder desempenho e consumindo ainda menos — ainda não deixo de me surpreender com o que andam, sua economia e elasticidade.

Esse 1,4-l é o mesmo motor que equipa o compacto Audi A1, só que no A1 de entrada ele desenvolve 122 cv e neste Q3, 150 cv de potência máxima, que não é um pico, mas um patamar que vai de 5.000 a 6.000 rpm. Seu torque máximo de 25,5 m·kgf é outro patamar, 1.500 a 3.500 rpm. Para este ano ele foi modernizado e entre outras melhorias perdeu 22 kg.

O resultado é que ao redor de 2.500 rpm este motor já tem potência bastante para manter um suve de 1.405 kg a 120 km/h, e num completo silêncio e suavidade mecânica. Em 6ª e última marcha, no modo manual de trocas, e a 2.000 rpm, basta uma acelerada mais funda e ele acelera tudo isso  sem a menor cerimônia. Para o leitor que ainda não os experimentou, e mesmo para este jornalista que já, custa crer que toda essa energia provenha de um motor de cilindrada tão pequena. A resposta, a retomada de velocidade é a de um 6-cilindros de pelo menos 200 cv, só que com consumo de um pequeno 4-cilindros ao se rodar tranqüilamente.

 

Motor 1,4-l turbo rende 150 cv e tem ampla faixa de torque máximo

Motor 1,4-l turbo produz 150 cv e tem ampla faixa de torque máximo

Segundo a fábrica, faz o 0-a-100 km/h em 8,9 segundos e atinge máxima de 204 km/h. Com certeza viaja liso e absolutamente estável a 180 km/h, o que demonstra que aos legais 120 km/h ele tem muita sobra, muita. Hoje, alguns dos suves já não representam mais veículos sem graça na estrada, e o Audi Q3 é um destes que estão bons de estrada, muito estáveis. Tem comportamento certo, rola pouco e tem atitude certa nas curvas. Rola o que deve rolar, já que é bom que o carro role algo, porque a rolagem é um aviso ao motorista.

Não houve condições de levá-lo a extremos e só foram captadas tendências iniciais. Mas é óbvio que o A3 sedã é ainda melhor… Vale ressaltar o cuidado que tiveram com a eliminação de ruídos aerodinâmicos, de rodagem e de motor. Roda na estrada em silêncio quase absoluto.

O câmbio robotizado de duas embreagens S tronic, de 6 marchas, funciona à perfeição, é rápido e suave. Quando no modo manual, em que se pode usar indiferentemente a alavanca ou  as borboletas atrás do volante, nas reduções o módulo de comando eletrônico do motor se encarrega de prover a mais precisa aceleração interina imaginável, para acoplamento final da marcha inferior com absoluta suavidade.  E essa aceleração se dá mesmo quando em operação automática. Muito bom.

 

Design limpo e de bom gosto

Desenho do interior limpo e de bom gosto

Há cinco modos de comportamento geral do carro, ajustáveis pela tela tátil no centro do painel. Eles vão do Efficiency, que é o calmo e econômico — mas que ao pisar fundo no acelerador ele responde com tudo, baixando marcha e acelerando forte –, ao Dynamic, no qual, como sugere o nome, ele fica mais atento e disposto. A tração é só dianteira. Nada de errado nisso, já que segundo pesquisas da Audi mais de 90% dos suves nunca haverão de pegar sequer um pozinho.

O porta-malas é bom, 460 litros. O tanque de combustível — gasolina, compre logo, antes que vire flex, pois o Q3 será fabricado no Brasil no ano que vem — é ótimo, 64 litros, e o espaço e conforto no “eu atrás de mim” é muito bom; atrás três “eus” viajam bem, sem cotoveladas. Pela tabela do Inmetro faz 10,5 km/l na cidade e 12,5 km/l na estrada.

O 1,4-l de entrada, o Attraction, tem preço sugerido de R$ 127.190 e o 1,4-l mais sofisticado, o Ambiente, R$ 144.190. Na matéria “no uso” será mais profundamente analisado, porque sua modernidade e recursos tecnológicos são bem interessantes. Por enquanto deixou boas impressões e nada a reclamar, a não ser que o volante, que tem posição regulável, bem poderia baixar um pouco mais.

 

Estes dois da foto pegaram estrada de terra, coisa que 90% deles nunca haverão de pegar.

Estes dois da foto pegaram estrada de terra, coisa que 90% deles nunca haverão de pegar.

Uma pequena inscrição Quattro à direita, abaixo do TFSI, é o que o diferencia por fora

Uma pequena inscrição quattro à direita, abaixo do TFSI, é o que o diferencia por fora

O motor 2.0 TFSI, 2-litros turbo, tem duas versões. A de 180 cv, cuja potência máxima vai de 4.000 a 6.200 rpm, e torque máximo de 32,6 m?kgf que vai de 1.400 a 3.900 rpm, e a versão de 220 cv, cuja potência máxima vai de 4.500 a 6.200 rpm e torque máximo de 35,7 m?kgf de 1.500 a 4.400 rpm. Antes produziam 170 cv e 211 cv, respectivamente.

Com motor de 2 litros turbo os Q3 já vêm com tração integral quattro e câmbio S tronic de 7 marchas. Em viagem rotineira sobre estrada de pista dupla, fora a disposição do motor, quase não se nota diferença de comportamento entre esses e o anteriormente dirigido e descrito. Como já disse, desses, só dirigi o de 180 cv. O motor tem 20% mais potência que o 1,4-Lturbo, e 28% mais torque, sendo que as respectivas faixas de torque máximo estão em rotações semelhantes, então, a maior diferença que se nota é na pegada em baixa. Na mesma baixa rotação o 2-litros já dispõe de potência bem maior, então a acelerada já se torna algo emocionante.

Segundo a fábrica, ele faz o 0 a 100 km/h em 7,6 segundos e atinge velocidadee máxima de 217 km/h. O de 220 cv, faz o 0 a 100 km/h em 6,4 segundos e máxima de 233 km/h.

 

O 2.0 TFSI, com 180 cv tem uma pegada de respeito

O 2.0 TFSI, com 180 cv tem uma pegada de respeito

Preços sugeridos da linha Q3:

Attraction (150 cv): R$ 127.190 a R$ 144.190
Attraction (180 cv): R$ 145.190
Ambiente (180 cv): R$ 165.190
Ambition (220 cv): R$ 190.190

 

AK

Fotos: divulgação
(168 visualizações, 1 hoje)