Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas EDITORIAL: O INFERNO É AQUI – Autoentusiastas

EDITORIAL: O INFERNO É AQUI

SP - TRÂNSITO/SP/MARGINAIS/VELOCIDADE - GERAL - Trânsito lento na Marginal Tietê, próximo à   Ponte das Bandeiras, em São Paulo, na   manhã desta segunda-feira (20). A partir de hoje os   motoristas que trafegam pelas Marginais do Tietê e do   Pinheiros terão que se adaptar aos novos limites de   velocidade. Na pista local, a velocidade máxima será de 50   km/h. Na pista central, o limite será de 60 km/h, ante os atuais   70 km/h, e na expressa será de 70 km/h, contra os atuais 90   km/h.    20/07/2015 - Foto: WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO

E fez-se a loucura. O prefeito Fernando Haddad e seu cupincha, o  secretário municipal de Transportes Jilmar Tatto, ambos pertencentes a uma estranha “raça” chamada petista, desta vez deram um passo gigantesco rumo ao que às escâncaras planejam, tornar a vida de quem vive ou vem a São Paulo o pior dos infernos. Fizeram-no por meio da redução desmedida da velocidade máxima nas duas marginais da cidade, como mostra a foto acima, de Werther Santana, do Estadão Conteúdo: 70 km/h na pista central, 60 km/h na intermediária e, não mostrado, 50 km/h na interna, desde ontem (20/7).

Tudo feito sem o menor embasamento técnico o que, de cara, configura-se como abuso de poder incontestável. Além do Ae estar estudando com um advogado (leitor) medidas legais cabíveis neste caso, a imprensa já noticiou que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) irá acionar a Prefeitura e, também, o Ministério Público Estadual (MPE) o fará.

Como se vê, a grita não é só de “autoentusiastas que querem fazer das ruas pistas de corrida”, como alguns leitores acham e comentaram, a maioria barrada de publicar tais idiotices, mas de quem tem noção de direito, como os dois órgãos citados.

E que com isso vêm-se disseminando pelo país essa “caça à velocidade”, tratando os cidadãos como marginais ao volante, desrespeitando-os sobretudo.

Pense o leitor comigo: se não se pode circular com um automóvel 24 horas por sete dias devido ao ilegal rodízio — ouviu, MPE? —, se o pouco estacionamento que havia foi estuprado por faixas (vermelhas…) para bicicletas, se ruas importantes de duas faixas tiveram uma delas  seqüestrada para servir a ônibus, se as velocidades-limite baixam em proporção inversa à colocação de medidores  de velocidade, se vias expressas perdem o direito de ter esse nome, se um prefeito diz que “as pessoas vão pensar duas vezes antes de tirar o carro da garagem”, se o prefeito, com a cumplicidade dos vereadores, vislumbra um plano diretor que limite o número de vagas para automóveis a uma por apartamento, para que comprar um carro?

Coincidência as vendas de automóveis terem despencado 20% no primeiro semestre? Seria ingenuidade achar que é. Isso tudo chega mesmo a parecer um movimento orquestrado para derrubar a economia do país.

Mas, surpresa: Fernando Haddad declarou hoje em entrevista à Rádio Estadão que a redução de velocidade nas vias é experimental (?) e que eventualmente irá revê-las, o que prova que tudo foi feito nas coxas, como se diz. Dá para ter idéia do que foi gasto com novas placas de limite de velocidade, enquanto hospitais municipais como o São Paulo, na Vila Clementino, está à míngua por falta de tudo que precisa para funcionar e só está atendendo emergências. A população que precisa desse hospital? Ora, a população…

O Ae desafia a CET a provar que os acidentes graves  nas marginais ocorreram em velocidade dentro das permitidas até então. Repete o desafio feito pelo editor-chefe Bob Sharp em duas rodadas de discussão pela Rádio Jovem Pan dentro do programa “Radioatividade” na semana passada, entre 16h30 e 16h45.

Como é, dona CET, vai responder ao desafio ou não?

Ou seja, a justificativa de “salvar vidas” é mais falsa que uma nota de 30 reais.

Mais idiotice ainda foi o secretário Jilmar Tatto ter justificado a redução de velocidade para reduzir os atropelamentos de vendedores ambulantes e moradores de rua…nas marginais! Vias expressas! Só mesmo sendo muito incompetente — ou gozador — para dizer uma asneira dessas.

Temos feito críticas constantes à CET pelos mais diversos motivos, mas uma coisa é certa e o Ae aposta nela: seus engenheiros e técnicos têm boa noção do que é dirigir e sabem que estas reduções de velocidade são impraticáveis. Não se pode, não se consegue trafegar abaixo da velocidade natural da via. Não se pode trafegar numa marginal a 70 km/h ou a 50 km/h em inúmeras avenidas como a Ibirapuera ou a radial leste. É irreal. Mas, coitados, são funcionários, recebem ordens do petista Tatto.

Ontem foi noticiado que outra “vítima” será o eixo norte-sul, compreendido pelas avenidas 23 de Maio, Rubem Berta e Moreira Guimarães, que de 70 km/h (impostos pelo prefeito Gilberto Kassab, era 80 km/h) baixará para 60 km/h.

Se ainda havia pessoas que não sabiam como seria ou onde é o Inferno, agora sabem: chama-se cidade de São Paulo.

Bob Sharp
Editor-chefe



Sobre o Autor

Autoentusiastas

Guiado por valores como seriedade, diversidade, emoção e respeito aos leitores, desde 2008 o Autoentusiastas tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo! Pratique autoentusiasmo.

  • Embora muitos por aqui não gostem, preciso lembrar que tudo o que acontece de insensato com a prefeitura de São Paulo tem um viés político de confronto e com intuito de chamar a atenção para desviar os olhos do realmente está acontecendo neste país: Ontem saiu a divulgação das mensagens entre o diretor da Odebrecht (preso!) e seu diretor jurídico…Embora a “grande mídia” não tenha comentado uma vírgula sobre o conteúdo explosivo das informações trocadas entre a dupla, posso afirmar que o mesmo, cujas provas são consideradas materiais e dispensam até a delação premiada do Sr. Marcelo Odebrecht, temos ali uma radiografia perfeita do que acontece hoje em São Paulo e o verdadeiro papel do atual alcaide petista…Paulistas, se liguem. Se não tiveram nenhum acesso até agora a estas informações, sugiro que acessem o blog do Diogo Mainardi e Mario Sabino ( http://www.oantagonista.com ) lá já aparece o papel do braço municipal em São Paulo da quadrilha que gerencia hoje nossas vidas… E não é impressão, são provas mesmo!

  • Roberto Eduardo Santonini Ceco

    Essa corja PRECISA cair! Todos eles!

  • Fabio Ueda

    Bob é realmente revoltante a forma dessa gente “administrar” a cidade. Só para complementar, notícia da Band News: “arrecadação com multas aumenta 61% em cinco anos” http://tinyurl.com/q5dqmar e do portal R7: “Prefeitura de SP nunca arrecadou tanto como em 2014” http://tinyurl.com/o2vnemd.
    Só em 2014 foram quase 900 milhões em multas. Foram aplicados onde?

  • Eduardo Silva

    Tudo muito suspeito. O que dizer da implantação de semáforos em lugares desnecessários então? Está nascendo um na entrada e saída da ponte dos Remédios, semáforo totalmente desnecessário. Quem ganha com isso? Certamente não eu, que pago por essa festa.

  • GFonseca

    Uso a marginal pinheiros em horário de pouco movimento, e já não bastasse os limites surreais, ainda há de se enfrentar a lerdeza de alguns motoristas, que talvez por medo dos novos limites e pela mania de “comprar” as faixas da esquerda, estejam andando abaixo dos ridículos limites. Hoje mesmo em alguns trechos a velocidade da expressa mal passava de 50 km/h, com trânsito tranquilo.

    E digo mais, é impossível andar a 50 km/h na pista local sem ter de prestar mais atenção no velocímetro do que na via, não precisa mais do que meio neurônio pra perceber que essa medida foi feita para arrecadar em cima daquele momento de distração, onde o carro foi a “criminosos” 60 km/h…

    • Fabio Toledo

      Que pena, eu estaria a 35k m/h! Ou 25 na local!

  • Jonas Jorge

    Tem uma matéria no Flatout que desconstrói o mito da “elevada” taxa de mortes nessas vias: http://www.flatout.com.br/reducao-de-velocidade-nas-marginais-de-sp-seria-por-seguranca-e-fluidez-sera/. São 0,6 mortes por 100.000 habitantes, e as 73 mortes são apenas 5% das ocorridas no trânsito de São Paulo. É um absurdo realizar uma redução sem critérios das vias, como também não existem estudos realizados para o estabelecimento da velocidade nas vias. Há vias aqui no Paraná que possuem limites ridiculamente baixos, como rodovias ótimas com limite de 80 km/h.

  • CorsarioViajante

    Perfeito. O FlatOut também publicou um texto muito bom sobre o assunto. O critério “técnico” é tão grande que mediram frenagem em metros… quadrados. Inacreditável.

    • Davi Reis

      Mediram em metros quadrados pois são antas ao cubo, só pode.

    • P500

      Está correto. Com essa nova velocidade, os metros lineares não mais existirão.

    • Domingos

      Vai ver é tão avançado esse pós-modernismo, esse pessoal cabeça aberta, que eles medem também o deslocamento vertical do carro ao frear.

      Aí eles atingem esse número aparentemente impossível somando a área toda que o carro levou para frear.

      Avançado esse pessoal.

    • Fat Jack

      Mais uma da séria série:
      “Parece mentira, mas não é!”

  • Lemming®

    +1
    Assino embaixo.

  • David

    Clap Clap Clap Clap. Eu digo que voltamos na época da charrete a cavalo ou os anos 1950 em que de “mais moderno” era o VW Fusca 1100 com freio a tambor nas quatro rodas. Realmente dirigir aqui em São Paulo virou um INFERNO.

    • Newton ( ArkAngel )

      Até o Fusca 1100 anda a mais de 70…daqui a pouco as charretes estarão mais rápidas que os carros.
      Em 1950 eu ainda não havia nascido, mas creio que pior do que hoje não era, pois o PT ainda não existia.

      • Domingos

        Moralmente, pode ter certeza que pior não era. Desde então foi só declínio e isso é universal.

  • Patric Cipriano

    critério técnico do Malddad foi o caixa baixo…

  • Fat Jack

    Aumento de arrecadação travestida como proteção aos pedestres que nem deveriam estar lá (relembrando, as marginais são vias de
    trânsito rápido, nas quais a travessia de pedestre é proibida). E ontem já era possível ver primeiro efeito colateral das reduções na marginal Pinheiros:
    Aumento de vendedores ambulantes nos corredores dos carros! Sim colegas…, já estão fazendo igual nos congestionamentos… junte-se a isso a velocidades que os motoqueiros passam…, prevejo mais mortes que antes (infelizmente)…
    Acho também lamentável (porém não surpreendente) as
    informações técnicas compradas, quero dizer apresentadas, totalmente distorcidas e irreais.
    Quanto a extensão da barbárie, digo, redução de velocidade, se me permitem os AE, segue a notícia veiculada no jornal Metro datado de hoje…

    • Andre Sousa

      Vale a pena ler a reportagem de novo e se atentar a alguns detalhes. A velocidade será 60 km/h onde não há faixa exclusiva de ônibus.

      O fato é que, de acordo com o que está aí, 75% da via expressa terá velocidade máxima permitida de 50 km/h!!

      Vamos à análise:

      1-) do trecho da Al. Jurema até a Saída da Av. Pedro Álvares Cabral (total de 3,4 km) o limite será de 60 km/h (não há faixa de ônibus)

      2-) da Saída da Pedro Álvares Cabral até o final do túnel do Anhangabaú, será de 50 km/h (há faixa de ônibus) (total: 5,2 km)

      3-) Indo para o Sul, da Al Jurema até a Vicente Rao, também há faixa de ônibus, portanto, 50 km/h (total: 4,5 km).

      • Domingos

        Já tem motorista de ônibus reclamando dos novos limites…

  • CorsarioViajante

    Agora você vai cair da cadeira, sabe qual a idéia destes semáforos? Que, quando a marginal estiver congestionada, eles ficarão fechados! Veja se dá para acreditar!

    • Domingos

      Ahahahahahaha, aí eles trancam a cidade, não é?

      Se fosse um controle de fluxo, indicando, por exemplo, a pessoa a evitar a marginal naquele momento, seria extremamente bom.

      Bons é que eles não são.

    • Lorenzo Frigerio

      Puxa, então como a Prefeitura acha que será, quando estiver chovendo e eles estiverem no amarelo piscante?

  • jr

    Isso me dá dor de estômago… O que resume o que eu penso está em três filmes:
    – Ideocracy (2006) (http://www.imdb.com/title/tt0387808/)
    – Brazil (the movie, 1985) (https://www.youtube.com/watch?v=4Wh2b1eZFUM)
    – Leviathan (2014) (http://www.imdb.com/title/tt2802154/)

    Para quem não conhece, o Ideocracy é sobre um tempo no futuro próximo onde os idiotas ascenderam ao poder. O segundo, Brazil, é um filme sobre um lugar onde se mistura o regime de violência da ditadura dominada pela burocracia inumana, imersa e baseada em tecnologia ultrapassada movida apenas pelos interesses escusos. O último, é sobre a força absoluta do poder que destrói e constrói o que quiser, apesar e acima de tudo e de todos.
    Acho que vivemos uma mistura destes três cenários.

    • $2354837

      Não veio nada de ideocracy… Não seria idiocracy?

      • jr

        Realmente, é idiocracy (governo dos idiotas).

  • Davi Reis

    A idiotice toma conta atropelando tudo e todos. Aqui em Belo Horizonte mesmo, reformaram já há algum tempo dois importantes corredores que ligam a região central da cidade à região norte, e resolveram derrubar todas as passarelas de uma dessas avenidas. O motivo que a BHTrans (seria melhor BHTranstorno) deu? Faixas de pedestre ajudam a conter a velocidade do tráfego e diminuir acidentes… É a mais pura burrice e canalhice destruindo qualquer resquício de lógica existente. Mais ignóbil, impossível.

    • Mr. Car

      Benza Deus! Esta está concorrendo ao top 10 da categoria “burrices cometidas em nome de um trânsito (supostamente) melhor”!!!

    • Marco

      Quando a gente pensa que a imbecilidade atingiu o ápice, me soltam uma dessa. Tirar passarelas para construir faixa…

    • Domingos

      Que Deus abençoe vocês. Olha, essa ganhou o prêmio imbecilidade do dia…

  • Henrique Lopes

    Investimento alto na confecção de placas e também na distribuição de radares pela cidade. Verba que poderia ser destinada a outras áreas como saúde, citada no texto, assim como na pavimentação das vias. O asfalto das marginais dura poucos anos, principalmente nas faixas dos veículos pesados (que poderiam ser reforçadas com asfalto diferenciado das outras faixas), mas ninguém percebe que a baixa qualidade da pavimentação também causa acidentes. Bom, vou resumir tudo em poucas palavras: está tudo errado!

  • Rafael Hessel

    A mais bela e escancarada demonstração de populismo do vosso prefeito. O problema é que dessa vez não deu certo, o povo não acatou como
    acata o rodízio e não aplaudiu como aplaude o tingimento de vermelho das vias de São Paulo. No que deu? Ele foi lá dizer que é só um teste. Mas se fosse um teste, porque já multar quem excede este limite teste?
    Este final de semana eu tive a oportunidade de dirigir na Avenida das Américas na cidade do Rio de Janeiro, na altura da Barra da Tijuca e Recreio. Esta avenida tem limite de 90 km/h, diversas faixas para pedestres e sinaleira/semáforo, chuto que a cada 1km, e é muito bem sinalizada quanto a fiscalização de velocidade. É impressionante como o transito era fluído a 90 km/h.

    Parece-me que os cariocas estão melhores servidos de gestão de tráfego do que os paulistas.

    • Andre Sousa

      Então subiram o limite para 90 km/h. Lembro-me que até pouco tempo era 80 km/h na pista central e 60 km/h e que na pista lateral tinha subido para 70 km/h – concluo que subiram para 90 km/h na pista central. É isso mesmo?

  • Malman
  • Daniel S. de Araujo

    Boa Bob!!!!!!!!!!!!
    “(…) pertencentes a uma estranha “raça” chamada petista, (…)”

    Essa raça, dentre outras caracteristicas taxonômicas peculiares padecem de falta de senso crítico, arrogância extrema em se acharem intelectualmente superiores aos demais seres pensantes (embora esta “raça” sofra da ausencia completa e absoluta de senso crítico e lógico), isso sem falar da presença de um comportamento estranho e indesejável que vem sendo recorrente, que é o comensalismo entre seres da mesma raça, sempre parasitando de maneira voraz, os trabalhadores de mesma espécie.

  • Marco Brito

    Somente estamos vivenciando o que já era previsto.É vergonhoso constatar que a maior cidade da América do Sul tenha permitido que essa corja de filhos de pais desconhecidos tenha sido colocada no poder. O grande problema é que os brasileiros vivem a pior crise institucional jamais vista. Em qualquer esfera do governo, nos deparamos com falta de ética, desonestidade e descumprimento do que se sabe como Lei. Esperemos pelo Ministério Público. Enquanto isso, vamos nos adequar à nova realidade!

  • Já te falei que aqui você não entra mais, imbecil. Desista!

  • Ilbirs
    • Lucas dos Santos

      Valeu a indicação. Estava curioso para ouvir…

    • André Andrews

      Pena que na hora em que o Bob ia explicar para a moça e todos os ouvintes a questão de como funciona o mecanismo de disparo da câmera para multa, acabou o tempo.

      O problema todo é esse. O pessoal achar que passar a 1 km/h de velocímetro acima da velocidade máxima já será multado. Quando é possível passar até 10 km/h de velocímetro acima do limite sem risco de multa. Mais informações: http://autoentusiastas.com.br/2014/09/enfrentando-o-inimigo-com-armas-legais/

      E o medo que foi expressado pela jornalista é o que gera o que vemos todos os dias, pessoal trafegando 10 a 20 km/h abaixo do limite.

    • Domingos

      Obrigado pelo link!

  • claudio fischgold

    Se valer gozação, a próxima redução de velocidade será para andar junto com as charretes, e a seguinte será para acompanhar tartarugas e lesmas. Depois só faltará ajustar a Ayrton Senna e a Carvalho Pinto.

  • marcus lahoz

    Este prefeito compete com o de Curitiba em estupidez, pelo menos o Gustavo Fruet deve sair ano que vem. Veja que maior obra do comuna aqui em Curitiba foi iluminar o estacionamento do terminal de ônibus do Pinheirinho (bairro da capital).

    Sinto por São Paulo, realmente virou um inferno dirigir ai, estive há pouco na cidade e vou falar, o que tem de radar e de lombada é fora da realidade.

    Triste Paulistano que votou no PT, e mais triste ainda aquele que agüenta sem ter votado.

    • Fat Jack

      Quem votou tem mais é que se lascar MUITO, para ver se aprende a votar (sempre comento, se as outras prefeitas petistas não elegeram sucessor, é por algum motivo!), pobre de quem não votou e tem que atuar esse “teatro dos horrores” que virou a administração paulistana.

  • Baptista

    Boa tarde a todos. Como o tema é trânsito, peço a opinião dos demais. A prefeitura de Goiânia/GO começou a implantar uns ziguezagues para diminuir a velocidade de algumas vias. A reportagem diz que já é comum em BH, Curitiba, Rio e até outros países. Isto realmente funciona?
    Atenciosamente, Baptista.

    • caique313131

      Na minha opinião, o melhor seria nada. As placas de velocidade devem conter números realistas e com embasamento técnico o suficiente para que seja seguro segui-las, e os motoristas devem ter preparo suficiente para não serem praticamente alheios à qualquer tipo de sinalização
      Porém, voltando à realidade, esses zigue-zagues me parecem uma escolha infinitamente melhor às lombadas. Há certos carros (o meu, por exemplo) que, dependendo da cidade (minha), não sobra um pedaço de tinta na parte inferior do pára-choque dianteiro, tudo por culpa das mesmas.

    • Domingos

      Chicanes? Olha, melhor que lombada.

      Mas não vou mentir que me divertiria com isso.

      • Lucas dos Santos

        Só faltou colocarem aquelas placas de frenagem (150… 100… 50…) antecedendo a “chicane”.

    • Fabricio Juarez

      Legal… Quando vou em condomínio com chicane eu já me divirto, mesmo estando a meros 30 por hora…(rs)
      Agora vou dizer qual o problema desse artifício:
      Para uma moto é possível passar a 200… 300…
      Para os carros gordos de hoje em dia isso ai é uma bela reduzida… creio que a maioria dos carros gordos teriam que reduzir para 40…
      Mas eu faria a 70, com meu carro pequeno e de entreeixos curto… (rs)
      Então ele só aumenta a discrepância no trânsito. Motos são muito rápidas, carros grandes são lentos e/ou atrapalham pelo maior volume, menor manobrabilidade, menor agilidade…

  • bdias
  • Viajante das orbitais

    No estudo da CET para frear um carro a 90 km/h é preciso 170 metros, e a 50 km/h, 65 metros.
    Aí eu me pergunto desde quando neva em São Paulo.

    • Roberto Alvarenga

      Só se for para frear o carro tipo Fred Flintstone, com os pés!!

    • Domingos

      Nossa, em 170 metros você atinge 90 km/h partindo do zero com um carro comum. Frear leva metade do tempo no máximo.

    • Lorenzo Frigerio

      São 70 metros. Na época da ditadura tinha um vídeo educativo que dizia que um carro a 100 km/h leva 75 metros para parar. Não lembro exatamente a finalidade do anúncio, mas provavelmente era para não andar colado.

  • c4vitesse

    Pelo menos é possível notar que toda a população rechaça a medida, e fica a esperança de que esse animal irracional não irá se reeleger nas próximas eleições. Vejo que as pessoas estão finalmente começando a enxergar os petistas como os desastres que realmente são.

    Ontem fui e voltei do aeroporto de Guarulhos pela marginal Tietê. Na volta o trânsito estava livre, e realmente é difícil manter os 70 km/h lá. Pior ainda são os 50 km/h da local.

    Como a velocidade é lenta, eu despendi minha atenção no velocímetro e também na localização dos radares, pois em nosso futuro sombrío será obrigatório decorar a localização de todos para que possamos andar em velocidades menos vergonhosas – fora que ficar passeando de carro e moto nessas velocidades de madrugada é bem desconfortável em termos de sensação de segurança.

  • Roberto Alvarenga

    O Haddad é tão cara de pau que a arrecadação com multas já faz parte do orçamento da cidade!

    • Lorenzo Frigerio

      Sempre foi assim. Um amigo que trabalhava na CET na época do Maluf me disse exatamente a mesma coisa. Portanto, além dos radares os marronzinhos têm que fazer suas “pegadinhas”.

    • Domingos

      Isso vem de tempos já. Mas ele é detestável mesmo, do tipo de gente que se você vê freqüentando um lugar você passa a não ir mais nele.

  • Diogo

    Nesse fim de semana dirigi nas marginais Pinheiros e Tietê seguindo as novas velocidades. Embora os radares só tenham começado a multar na segunda-feira, no fim de semana as placas já haviam sido trocadas, por isso todos já seguiam na nova velocidade. A primeira impressão, mais óbvia, é que é difícil manter a velocidade regulamentada, especialmente 50 km/h na pista local. É muito devagar mesmo, profundamente irritante. Uma observação mais interessante foi que, a 70 km/h na pista expressa, o trânsito de domingo, que normalmente flui bem, ficou muito adensado e ficou mais difícil e perigoso dirigir. Todos os carros andavam muito juntos e era praticamente impossível mudar de faixa, coisa que não ocorria antes. Minha opinião? O número de acidentes leves vai aumentar, causando muito mais obstrução no tráfego do que com a velocidade anterior.

    • Ilbirs

      Também fiz o mesmo, na madrugada de sábado, na Pinheiros. As placas estavam lá e, pelo sim, pelo não, segui as ditas cujas. Impressionante o tanto que se arrasta nessa via se a velocidade for de 50 km/h. Só não fiquei olhando para o velocímetro porque, como já disse outras vezes aqui, tenho no celular um aplicativo que soa um alarme de velocidade caso constate, via GPS, que se está indo acima da marca programada.
      Além disso, vi na expressa com velocidade reduzida para 70 km/h, o princípio de uma condição que em horário comercial geraria um belo congestionamento, com motoristas freando de maneira obsessiva-compulsiva e nessa, gerando acúmulo de número de veículos em um trecho em que normalmente o trânsito já iria ficar mais desimpedido. Simplesmente impressionante, ainda mais considerando-se o horário. Ainda vamos ver alguém colidindo com o carro da frente por ficar olhando o velocímetro várias vezes.

  • Fat Jack

    Os valores indicados da metragem necessária para frenagem beiram (se não ultrapassarem) o ridículo, veículos pesados de cerca de 30 anos atrás já não precisavam nem de 1/3 das distâncias indicadas (como neste comparativo de 1988 Caravan Diplomata x Quantum GLS); Gostaria de poder dizer que é incompetência e desconhecimento de causa, mas não é… é muito competência em busca da arrecadação…

    • Domingos

      Comentam que o código inglês usa e abusa de medidas de espaço de frenagem de carros de 40 ou 50 anos atrás para justificar todo o tipo de baboseira também.

  • Moisés_SP

    Não dá pra acreditar que ainda tem “gente” que defenda essa quadrilha no poder.

  • F A

    Volto a repetir, quem foram os imbecis que votaram num candidato do PT, depois de terem péssimos exemplos da Marta e Erundina. Apareçam aqui e digam que o prefeito está certo nessas reduções. Como pode? Ainda bem que nas eleições para governador o PT foi execrado de São Paulo.

  • Andre Sousa

    Caros Autoentusiastas,

    É simplesmente inacreditável o que foi, está sendo feito e, principalmente o que será feito.

    Ontem eu fiz questão de pegar a Marginal Pinheiros, na zona Sul, e andei a 35 km/h em um trecho de 4 km na pista local como forma de protesto, na faixa da direita, como havia sido sugerido aqui. Espero que muitos tenham e façam a sua parte também.

    Há canais na mídia que sugeriram que o trânsito melhorou após a redução da velocidade. Claro, estamos em pleno mês de férias escolares, isso era de se esperar. Pelo que vi, já houveram vários acidentes após a redução, mas os mesmos não foram veiculados.

    Apoio totalmente qualquer iniciativa de mobilização legal e fico à disposição para contribuir com os recursos que se fizerem necessários. Não vamos assistir calados a mais esse disparate. Escrever para canais de comunicação que não apoiam este abuso (Jovem Pan, Radio Bandeirantes), pré-candidatos a prefeito, vereadores, enfim fazer o que der para ser feito. A voz do povo tem que ser ouvida.

    Aqui já tem quase 4000 assinaturas:

    https://secure.avaaz.org/po/petition/EXCELENTISSIMO_SENHOR_PREFEITO_DA_CIDADE_DE_SAO_PAULO_CAPITAL_Revogue_a_decisao_de_reduzir_as_velocidades_das_marginais_/?pv=1

  • Mineirim

    É isso mesmo, Bob!

  • francisco greche junior

    Sim, certeza que o inferno é aqui (vermelho).

    Para mim essa frase aqui define muita coisa: “Isso tudo chega mesmo a parecer um movimento orquestrado para derrubar a economia do país.”

    Certamente que não somos uma nação soberana, estamos dentro de uma “vontade maior”, assim como o funcionários competentes do CET também estão e respondem a uma vontade maior. Digo mais, o mesmo se aplica a Polícia, o PM herói esta dentro dessa tal vontade maior e também não pode e nem tem condições para cumprir satisfatoriamente bem a sua função.

    Falando de PM, viram a Hilux que capotou saindo do quartel da ROTA estes dias? Na hora lembre do texto do Bob sobre as dicas dadas de como melhorar a estabilidade das Blazers. Agora, dizem que a Hilux é inferior a Blazer em estabilidade. Fica difícil assim.

  • francisco greche junior

    Obrigado pela dica, a muito tempo não leio o Diogo Mainardi. Lerei.

  • P500

    ()…não se consegue trafegar abaixo da velocidade natural da via.
    >>>Esse é o ponto. Quando não se “consegue” andar na velocidade natural da via, ali estarão os radares de última geração, apontados e engatilhados para flagrar o cidadão marginal e infrator.

  • P500

    Na zona sul, na ponte Transamérica, sentido centro na pista local, tem um semáforo recém instalado. A via tem a entrada a direita para sair da marginal e mais a frente a saída para quem vem de Santo Amaro entrar na marginal. Ou seja, sem neqessidade alguma.

    • Andre Sousa

      Pode apostar (e isso eu vi em entrevista): após infernizar a vida dos cidadãos com a velocidade (a última moda depois das ciclovias), o próximo inferno será a INSTALAÇÃO tresloucada de SEMÁFOROS: pode perceber, eles estão instalando semáforo para tudo que é lado e, em entrevista recente, o prefeito falou que a CET está estudando locais para colocar novos semáforos para tornar mais segura a travessia de pedestres…

      A sabotagem aos motoristas continua e eles não irão descansar até o último dia do ano seguinte.

      • Domingos

        Onde vai precisar ter semáforo não vai ter. Onde já tem, vai ter redundante que atrapalha o trânsito.

        Eita!

      • Lucas dos Santos

        Semáforos para tornar mais segura a travessia de pedestres? Se o motorista não pára nem para uma PESSOA, vai parar para uma LUZ? Se parar tem algo errado… com o motorista!

      • Marco

        Então..Se forem aqueles semáforos acionados somente por botão, é aceitável. Mas duvido que sejam desse tipo. Seria exigir muito…

        • Lorenzo Frigerio

          O semáforo pode ter botão, mas o botão não está ligado a nada. O botão é só para inglês ver.

          • Marco

            Alguns funcionam bem. Moro em São Bernardo do Campo e trabalho em Diadema. O corredor ABD (não sei onde você mora, por isso a explicação), que liga as cidades possui três faixas, limite de 60 km/h e trânsito constante. Existe um semáforo desse tipo. Ele fica verde direto. Se o pedestre apertar o botão, aí sim ele fica vermelho e pelo tempo exato de uma travessia. Quando vermelho, a fila de carros nunca é superior a 3 ou 4 carros. No local, se existisse somente a faixa, seria quase impossível atravessar, principalmente em horário de pico.

            Em São Bernardo do Campo também tem alguns desse tipo que funcionam bem. Evidentemente que na grande maioria você aperta o botão e nada acontece.

  • nrporto

    Pois é Bob, a coisa vai de mal a pior. Vejo nos relógios que foram registrados 1.400 acidentes, com 1.200 vítimas nas marginais Tietê e Pinheiros em 2.014. Será que é muito? Quantos carros trafegaram por estas vias em 2.014? Acredito que o número de acidentes não é significativo. Hoje, andando pela local da Tietê, vi que é muito difícil manter os 50, e parece também que os carros ficam ainda mais próximos um do outro. Não dá pra ficar assim.

    • Domingos

      1200 vítimas devem contar até estresse emocional nesse bolo…

    • JPaulo10

      Segundo li, o “pai dos pobres” (na verdade, amissíssimo dos ricos, Odebrecht um deles) disse: “gente inventa qualquer número; ninguém vai verificar se estão certos, mesmo.”

  • Fabio Toledo

    É para financiar a própria campanha ou o quê? Tristeza!

  • János Márkus

    No caso da Hilux capotada o defeito é claro: a pecinha entre o banco e volante. Como é que um sujeito minimamente habilitado faz um negócio desse? Até parece que queria capotar de propósito.

    • Ilbirs

      Já vi policiais da Rota dirigindo a SW4 logo que esse veículo passou a ser o padrão do batalhão em questão. O que deu para notar é que o tipo de pilotagem adotado para esse modelo é diferente daquele adotado na Blazer. Enquanto o modelo da Chevrolet (tração traseira) permite zigue-zagues nervosos e inclusive abordar curvas de um jeito mais ralizeiro (como já pude ver ao vivo uma Blazer da PM virando uma esquina e quem a dirigia jogando a traseira de propósito para recuperá-la mais adiante, isso na onda de protestos de 2013), a SW4 (tração integral permanente com diferencial Torsen) é dirigida de uma maneira mais suave, com as curvas sendo feitas de um jeito mais progressivo. É o tipo de veículo que se dá melhor com uma pilotagem “limpa”. É possível que o cara que capotou essa SW4 seja alguém muito acostumado com a forma mais nervosa de guiar a Blazer e nessa, feito besteira. Lembro-me de ter lido que, durante o treinamento da força policial, outra SW4 chegou a tombar. Imaginando que a tração integral permanente e a suspensão traseira de eixo rígido com molas helicoidais e quatro tirantes favoreça o comportamento dinâmico da SW4 em comparação a uma Blazer com tração só traseira e suspensão traseira de feixe de molas, pode ser também que o policial tenha abusado da maior segurança oferecida e nessa, ido a um limite bem além daquele que estaria acostumado com o modelo da Chevrolet.
      Também poderíamos aqui levar em conta altura geral do veículo. A Blazer tem 1,72 m de altura, enquanto a SW4, 1,86 m. Logo, pode ser que virando o volante mais rápido, o modelo da Toyota se torne mais “joão-bobo” que a Blazer. Infelizmente não achei a altura livre da Blazer para compará-la com os 22 cm da SW4, mas de qualquer forma estamos vendo que o modelo da Toyota balança os 1,74 m que tem do centro das rodas para cima em uma base que já está elevada, tudo isso sobre eixo rígido traseiro.

      • János Márkus

        Por isso mesmo que comentei esse fato desse jeito. Eu fui da PE (Polícia do Exército), também tínhamos diversos veículos para realizar patrulhas e diligências e uma das coisas em que o nosso chefe de garagem insistia veementemente era “conheça o veículo que vai conduzir ANTES de o conduzir”… Quando a PM migrou das antigas GM Veraneio para Blazer o estrago foi grande pois achavam que a Blazer sendo menor a estabilidade era melhor, o que os fatos demonstram são o contrário. O mesmo ocorre agora com a Hilux pois as características são diferentes. Mas volto a perguntar: precisava desse zigue-zague na reta, sem obstáculos?

    • francisco greche junior

      Engano seu. Eles são muito bem preparados e acostumados a dirigir aquela banheira em velocidades e situações que pessoas normais jamais fariam.

    • Marcelo Alonso

      János, moro próximo ao Batalhão Tobias de Aguiar, sede da Rota, e nas mudanças de turno, as viaturas chegam e saem em comboio e é comum ver as viaturas fazendo ziguezague, me parece que é para marcar presença. De maneira geral, são ótimos motoristas, imagine fazer perseguições com esse topo de veículos com um número relativamente baixo de acidentes.

  • Fabio Toledo

    Parabéns pelo desafio lançado mais uma vez Bob!!! Muito obrigado!

  • Rochaid Rocha

    Ano que vem tem eleição. Numa dessas o povo vota em outra coisa menos pior. E esse menos pior, por certo terá que criar o cargo de “secretário do desfazimento”. Desfazimento de m…rda.

    • Domingos

      Ministério essencial ao Brasil esse aí…

  • Lucas dos Santos

    Bob,

    Eu não canso de repetir aqui: o que mais me irrita nisso tudo é esse pessoal ignorar completamente o que prega o Manual Brasileiro de Sinalização – aprovado por Resolução do Contran, portanto com força de lei.

    Ninguém segue as diretrizes básicas para regulamentação da velocidade nas vias:

    http://i.imgur.com/K9dVjED.png
    http://i.imgur.com/nsDigo4.png
    Seria muito interessante citar isso nessa ação contra a medida tomada pela CET.

    • V12 for life

      Velocidade máxima permitida, isso não significa que ela não possa ser inferior, apenas não pode superar os 90 km/h, o cúmulo está em não se fazer estudos para a redução, o que no meu ponto de vista caracteriza uma indústria para arrecadar mais.

      • Lucas dos Santos

        O documento é bastante claro ao recomendar 80 OU 90 km/h (apenas uma dessas duas velocidades), a menos que alguma condição da via requeira limite mais conservador.

        E é justamente nesta condição que a CET se sustenta para tentar justificar as mudanças (“[…] trânsito de pedestres […] ao longo da via”), que, no fim das contas, vira uma “desculpa esfarrapada” para arrecadarem mais. Além posarem de “defensores dos fracos e oprimidos” (olha o populismo aí), tentando demonstrar preocupação com os pedestres que não deveriam estar lá.

        Só que aí eles caem em contradição, visto que outrora afirmaram que velocidades superiores a 40 km/h seriam altas o suficiente para causar acidentes fatais.

    • Domingos

      Infelizmente o código também dá aos municípios autonomia para a feitura de regras próprias.

      Isso é um resquício de terem copiado o código da Europa, coisa que passou na tradução e ficou por conveniência de ganhar dinheiro com leis locais confusas onde se pega muitos visitantes e moradores.

      Na Europa faz sentido essa lei pois as cidades possuem características muito heterogêneas. Enquanto umas são modernas, outras são cidades medievais onde mal passaria uma carroça. Ainda existem milhares que misturam essas duas coisas, precisando de leis específicas para os locais antigos etc.

      Aqui no Brasil quase não existem cidades assim. Aliás, não existe cidade aqui pensada para no máximo alguns cavalos circulando ao mesmo tempo pelas vias.

      Ao menos adequadas ao trânsito todas são.

      Essa norma foi a festa dos municípios em arrecadar e uma distorção monstruosa.

      Normas no nosso país quanto a trânsito deveriam ser federais e ponto. Pouca coisa poderia ser adaptada.

      • Lucas dos Santos

        Mas as normas de trânsito de nosso país SÃO federais. Está lá na Constituição:

        Art. 22. Compete privativamente à União legislar sobre:

        XI – trânsito e transporte.

        São poucas as áreas de trânsito em que os Municípios e os Estados podem atuar – normalmente limitadas a estacionamentos regulamentados e afins.

        Mesmo assim, vereadores e deputados estaduais conseguem aprovar leis de trânsito que, em tese, jamais poderia ser aprovadas, pois seriam inconstitucionais!

        • Domingos

          Bom, mas deixaram lá essa brecha legal, claro que seria aproveitada e fazem a festa.

          Não tem município querendo emplacar bicicleta, sendo que na norma federal não tem qualquer previsão para isso?

    • Marcelo Alonso

      Lucas, está explicado, “avaliar as características e condições do pavimento”, só aí temos que diminuir a velocidade em uns 20%. Agora sério, a lei não se aplica a nossas autoridades, só, aos cidadãos de segunda classe, ou seja nós.

    • MrBacon

      Perfeito!

    • Fat Jack

      Reação:
      _Ah…, quer dizer que a prefeitura também tem que obedecer a “essas lei” é?? Putz, aí “compricou”…

  • Waldemar Caldara Colucci

    Tudo isso nos leva a crer que todas essas medidas são a conjunção da desonestidade com a incomPeTência.

  • Guilherme

    Dois completos imbecis que não sabem nada de engenharia e fluidez de trânsito. Sempre e sempre os cargos-chave nas mãos de incompetentes. A verdade e uma só além da completa imbecilidade. Faturar alto com a milionária fábrica de multas.

  • F A S

    Também tenho trafegado frequentemente em velocidades reduzidas (a 35 ou a 40km/h). Contudo, penso que seria bacana pensarmos em outra forma de protesto.

    • Fabricio Juarez

      Eu sei… comprar Mobyettes! Elas custam barato e podem ir até 60 km/h!! É mais rápido do que os carros em São Paulo…

  • Lauro Agrizzi

    Os governantes de São Paulo devem ser os capetas em forma de pessoas que vieram para atazanar a vida de todo mundo e provocar o caos.Principalmente para aqueles que querem ter a liberdade de se locomover, característica principal do ser humano. Custa-me acreditar que a fúria arrecadatória possa simplesmente explicar uma atitude tão complexa tão mal explicada e justificada, pois se a segurança fosse assim tão importante e decisiva para a tomada de decisão teriam então que não apenas baixar o limite para 20k/h como também proibir as pessoas de saírem de casa, pois a violência fora do trânsito é muito maior. Uma coisa do demônio. vermelho.

    • Viajante das orbitais

      Esse pessoal tem a maldade na alma mesmo, vide a entrega do crucifixo comunista de Evo Morales ao Papa.

  • Fernando

    Podem passear entre São Paulo, São Bernardo e Santo André que notarão as mesmas coisas, afinal os prefeitos são todos do PT.

    O estrago não é pequeno não…

  • Armen Loussinian

    Caro Bob

    Concordo em gênero, número e grau quando um profundo conhecedor – como você – de tudo que se movimenta sobre rodas diz exatamente o que eu e a maioria da população pensa. Os “especialistas”, da noite para o dia, resolveram na canetada, no chute, reduzir as velocidades nas marginais, sem nenhum critério, já que devem detestar automóveis. Agora eles vêm com essa história de que podem rever os limites, como se nosso dinheiro fosse capim; o custo desses “ensaios” com a troca de placas, faixas, serviços e propaganda são muito altos para “bincá” de trânsito. Hoje, como ouvi no debate da Jovem Pan, somos obrigados a conduzir olhando para o velocímetro, para os radares e principalmente para o piso cheio de buracos. Esses burocratas sequer devem saber dirigir: devem se locomover nos carros oficiais no banco de trás, provavelmente cochilando. e não têm a menor noção do que é trafegar numa via expressa a 50 km/h. Trânsito é coisa séria e deve ser tratado por profissionais do ramo. Você, Bob, poderia se candidatar ao cargo!

    Grande abraço e parabéns (sempre!)

  • CCN-1410

    Guerra perdida. A inteligência neste país até poderá ganhar algumas batalhas, mas jamais ganhará a guerra contra a burrice no confronto final. Eles são maioria e caminham em formação avassaladora contra seu inimigo.
    Eu também perdi minha luta contra as pessoas que estacionam seus veículos de qualquer maneira, porque eles também são maioria e quando intimados a estacionar corretamente, nos chamam de chatos porque só vão ficar um minutinho, mas que muitas vezes duram horas.
    E isso acontece com todos os tipos de motoristas. Homens, mulheres, ricos, pobres, estudados ou semi-analfabetos.
    Como a coisa é geral. Desisti!

  • Rubem Luiz

    Onde andam os ecochatos nessa hora para protestar contra o gasto de combustível que rodar em baixa velocidade cria?

    Que eu tenha visto todo veículo moderno tem melhor consumo na só acima do 70 ou 80 km/h.

    Deixar de morrer atropelado e morrer de cãncer no pulmão não é uma troca tão boa.

  • Magrathiano

    (Seu comentário idiota foi eliminado e não adianta retrucar, irá para o lixo sem ser lido. Seu lugar definitivamente não é aqui. Vá andar de bicicleta que é melhor, mas não esqueça o capacete de dolicocéfalo, senão você não fica na moda, palhaço.)

    • Cristiano Reis

      Fiquei curioso para saber o que deixou o Bob tão furioso…

  • Adeilson Gois

    ‘Raça petista’ soa fascista.

    • Domingos

      Eita que gostoso! Se o fascismo fosse isso aí, que delícia.

      O problema é que o fascismo de verdade teve seus maiores expoentes na esquerda (Mussolini era um típico sindicalista).

      Se o que ela mesmo chama de fascismo é ser isso – ser contra isso, na verdade – que bom…

  • Vagnerclp

    Também foi noticiado que a ideia é expandir para toda a cidade o limite de 50 km/h. Trabalho na avenida Brás Leme, o limite ali é 60 e já é difícil de manter sem tirar o pé, imagine 50 km/h.

    • Paulo César_PCB

      Moro próximo a Eng. Caetano Álvares, ali é de 50 km/h, 3 pistas, transito muito mais “truncado” devido aos faróis/semáforos e raríssimos acidentes, leves diga-se. Tem lógica isso Arnaldo ?

      • Domingos

        Morei por aí na infância. O limite era de 60 km/h até poucos meses atrás!

        Imagine que a Marginal terá um limite menor que uma via que era quase local.

        E, realmente, poucos acidentes. Inclusive, tem poucos radares.

    • Andre Sousa

      Inclusive no corredor norte-sul, o que é pior, veja os novos anúncios de redução de velocidade envolvendo mais esta via expressa (terá de comportar 50 km/h em mais de 70% do seu trecho).

  • César

    Trabalho numa administração municipal, numa secretaria que lida diretamente com o estudo, aplicação e revisão do Plano Diretor. São Paulo vai absolutamente na contramão de qualquer decisão sensata e racional: em todos os outros municípios que conheço, a presença de vagas de estacionamento nas edificações é não só obrigatória, mas ainda em número ilimitado e inclusive as vagas em grandes quantidades são incentivadas.

    • jr

      Pois é César, que tipo de objetivo este novo Plano Diretor pretende alcançar? Eliminar recuos, obrigar os prédios a serem colados uns aos outros e eliminar garagens.
      Aumentar o adensamento? Em São Paulo?

      • Domingos

        É o sonho de mais uma metrópole (que nome horrível) para ter mais controle e eleitores.

        Te digo uma coisa: morar numa cidade com garagem em abundância e prédios e casas com recuo e separados – não muro a muro – vale mais que muita “coisinha bonitinha de primeiro mundo”.

        É muito ruim, especialmente para quem se acostumou, morar numa cidade com prédios todos colados.

        É visualmente repressivo inclusive. A sensação de morar num enorme presídio ou num gigantesco condomínio popular.

        • Andre Sousa

          Basta ver o que virou o centro antigo de São Paulo, que tem prédios assim bem colados, com comércio no térreo e déficit de garagem. Será que vale a pena repetir a experiência?

    • Marcelo Alonso

      César, trabalho na área imobiliária e me espanto com como administram a cidade. O que você disse se soma à implantação das ciclofaixas, que retiram vagas para estacionamento, estas ações indicam um claro direcionamento para tornar impossível para quem tem menos recursos possuir um automóvel, pois quem tem esses recursos não vai sequer cogitar comprar um imóvel sem vaga de estacionamento. Aí o pobre vai comprar um apartamento de 18 m² sem vaga, não pode estacionar na rua pois não tem aonde, então como comprar um carro? Em 2013 o governo do estado tentou aprovar um projeto de desapropriação de 160.000 m² para a construção de moradias populares, provavelmente montado com informações fornecidas pela PMSP que não foi para frente devido à grita dos afetados. Dentro da área a desapropriar, sabe quantos estacionamentos particulares sobrariam? Nenhum, todos a desapropriar. Como você trabalha na área, sabe a quantidade de absurdos do Plano Diretor de São Paulo. Parabéns por sua lucidez.

      • Lorenzo Frigerio

        Em outras palavras: eles querem que o pobre volte a andar de ônibus, enriquecendo a máfia das viações. Ou seja: não gostam de pobre; gostam de pobreza.

        • Andre Sousa

          Eles querem dificultar a vida do pobre (e do não pobre, ou seja qualquer um) que usa ônibus fechando avenidas, tais como a Paulista aos Domingos. A verdade é que todos estão ficando de saco bem cheio.

      • César

        Marcelo Alonso.
        A eliminação das vagas descobertas e gratuitas (portanto, as vagas disponíveis nas vias públicas) não é um instrumento do Plano Diretor. É, mais do que isso, um aspecto de planejamento de trânsito, uma tentativa – muitas vezes eficaz, por mais incrível que possa parecer – de desafogar eixos viários que servem como elemento de ligação a dois ou mais extremos de uma cidade. E por que é eficaz? Porque elimina a quase totalidade da famosa parada em fila dupla, seja para estacionar, seja para o embarque ou desembarque.
        As pessoas conseguem se adaptar, acredite. Longe de mim defender qualquer política “auto-abolicionista”. Moro numa cidade média (perto de 600.000 habitantes, embora extraoficialmente me parece que tenha muito mais), na qual impera uma relação na casa de 0,9 a 1 veículo emplacado para cada 3 habitantes (é um número quase exorbitante para os padrões brasileiros), e ainda na qual foram eliminadas na ordem de 80% das vagas disponíveis na região central (ainda que a maioria era paga por sistema de parquímetros). A erradicação dos congestionamentos ainda está longe de acontecer, mas melhorou muito, aliás fez-se uma proeza quase inacreditável.
        E para onde foram os automóveis que antes estacionavam nessas vias? Bem, na verdade ainda não descobri (evito ao máximo utilizar carro no centro – no máximo, um scooter, mas sou fã é de caminhar mesmo), mas me parece que as pessoas estão deixando mais o carro em casa, e isso não deixa de ser positivo.
        Quer ser autoentusiasta? Claro, eu também sou. Mas deixe para curtir seu veículo numa bela estrada, num sábado de sol. Não no centro de uma cidade sufocada pelo tumulto.
        Note que, até o momento, eu nem toquei no (delicado) assunto do transporte público. Na Europa ele é tão impopular quanto sói acontecer por aqui, embora por lá tenha muito mais qualidade. Ninguém gosta de depender de transporte público. No Velho Continente, as vagas de estacionamento são ainda mais escassas do que as nossas, isso eu afirmo com plena convicção. Mas se eles gerenciam o que está disponível, nós também podemos…

    • J Paulo

      Aliás, vejam os imóveis novos, especialmente os do minha casa minha vida: todos com uma vaguinha onde mal cabe um Uno. E tome bairros e empreendimentos a 1 ano luz do centro da cidade! Planejamento urbano zero!!

  • Marcelo Alonso

    Prezados, circula na Internet a seguinte imagem, que acho que é absolutamente injusta, o “brilhante” é muito PIOR que isso. Ela está circulando na Internet e nós podemos fazer nossa parte, divulgando para o maior número de pessoas.

    • Marcelo Alonso,
      Perfeito!

    • Fat Jack

      Definição melhor ainda não vi!!!

  • Marcelo R.

    “Pense o leitor comigo: se não se pode circular com um automóvel 24 horas por sete dias devido ao ilegal rodízio — ouviu, MPE? —, se o pouco estacionamento que havia foi estuprado por faixas (vermelhas…) para bicicletas, se ruas importantes de duas faixas tiveram uma delas seqüestrada para servir a ônibus, se as velocidades-limite baixam em proporção inversa à colocação de medidores de velocidade, se vias expressas perdem o direito de ter esse nome, se um prefeito diz que “as pessoas vão pensar duas vezes antes de tirar o carro da garagem”, se o prefeito, com a cumplicidade dos vereadores, vislumbra um plano diretor que limite o número de vagas para automóveis a uma por apartamento, para que comprar um carro?

    Coincidência as vendas de automóveis terem despencado 20% no primeiro semestre?”

    Eu confesso que sou um que se questiona por quê ter carro em um lugar como este e, para completar, só tiro o carro da garagem (“chorando”) quando não tem outro jeito…

    “Seria ingenuidade achar que é. Isso tudo chega mesmo a parecer um movimento orquestrado para derrubar a economia do país.”

    Bob,

    Eu cheguei a conclusão de que o cidadão em questão está pouco se importando com os “bicicleteiros” ou, com as pessoas que andam de ônibus. As respectivas faixas exclusivas estão sendo espalhadas pela cidade, com o mesmo intuito dos radares e das reduções dos limites de velocidade: Aumentar a arrecadação com as multas! Só que ele foi com muita sede ao pote, já ultrapassou o limite!

    “Não se pode trafegar numa marginal a 70 km/h ou a 50 km/h em inúmeras avenidas como a Ibirapuera ou a radial leste.”

    Eu tinha desistido de andar pela radial, pois quando o limite era de 70 Km/h eu já era obrigado a “brigar” com o carro para me manter dentro dele. A 60 km/h, então, nem se fala! Mas, agora, com essa palhaçada na Marginal eu não terei outra alternativa… Acho que vou atrás de um Fusca 1200, em bom estado. Assim será mais fácil “respeitar” estes limites ridículos de velocidade.

    “…a imprensa já noticiou que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) irá acionar a Prefeitura e, também, o Ministério Público Estadual (MPE) o fará.”

    Espero que isso dê em alguma coisa. Se bem que eu só ficarei feliz quando essa palhaçada for extinta da cidade inteira!

    Um abraço!

  • Domingos,
    O trânsito aqui se rege pelo CTB apenas. O que compete ao municípios está claramente definido, inclusive a questão da restrição à circulação, está prevista, porém só quando se tratar de reduzir a poluição. Reduzir tráfego nos horários de pico não está previsto, portanto o rodízio é ilegal.

    • Lorenzo Frigerio

      Fala baixo, que senão eles restringem a circulação o dia inteiro, para ficar legal.

    • Domingos

      Bob, verdade. Mas se criou tanto um resquício legal que não deveria existir – sempre que tem algo assim em leis, será utilizado para o mal – e também se criou jurisprudência onde na prática os municípios podem quase reinventar o código e nada fazem…

      Existe um artigo, não lembro qual, que falava em uma linha claramente que os municípios têm autonomia nas regras de trânsito.

      Por esse artigo que devem ignorar o que foi especificado que poderiam ou não mexer.

    • Newton ( ArkAngel )

      Creio que a cobrança de pedágio no rodoanel tambem seja ilegal. Se não me engano, existe uma lei da década de 1950 que proíbe a cobrança de quaisquer pedágios num raio de 35 km a partir do centro.

  • P500

    Isso não é mérito dele, já vem de alguns anos. Não lembro quando começou.

  • Lucas

    Só imagino que os dois citados aí devem estar faturando uma grana preta por baixo dos panos com essa fuzarca toda.

    • Lorenzo Frigerio

      O Tatto é preposto da máfia das viações, e já era assim na gestão da Marta. Sem novidades aí.

  • Adeilson Gois,
    É mesmo? Comunista se borra de medo de fascista.

    • Lorenzo Frigerio

      Como dizia aquele hino fascista: “Nós somos os fascistas/Terror dos comunistas…”.

    • Adeilson Gois

      Confirmado pelo Ibope.

  • MrBacon

    Bob, já falei isso em outras ocasiões mas me sinto feliz em não mais morar em São Paulo… mesmo com um trânsito horrível e todas as mazelas já escancaradas pela imprensa, o Rio é muito mais racional nisso.
    Hoje passei pela Rua Marques de Abrantes, no Flamengo, uma rua com duas faixas de rolamento, vagas de estacionamento em ambos os lados, e sabe qual é a velocidade máxima? 60 km/h. Como bem falou outro leitor, todas essas CETs das grandes cidades tem que respeitar o CTB, que pratica velocidades bastante coerentes com o que é praticado mundo afora.

  • Viajante das orbitais,
    Esse cocaleiro maldito, além de ladrão (se apoderou de uma refinaria da Petrobrás na Bolívia e o molusco nove-dedos ficou quietinho, ou então recebeu um bônus de volta) é um debochado. O Papa tinha de ter recusado solenemente aquela profanação.

    • CCN-1410

      Eu acho que o Papa agiu corretamente para evitar confronto e até no intuito de proteger os cristãos daquele país governado por malucos.

    • Domingos

      Ele deixou na própria Bolívia o “presente”, Bob, segundo o que falam.

      E a expressão de espanto dele já foi suficiente para deixar claro que ele não gostou daquilo, como deveria.

      Mas seria legal mesmo se ele tivesse recusado o presente, sem nem falar nada.

  • Fabricio Juarez

    Eu sei o motivo dele reduzir a velocidade, incentivar o transporte publico, bicicleta e andar a pé!!!
    Eu sei!!!
    Ele quer as avenidas cada vez mais vazias para promover mais paradas gay!!!

  • Fabricio Juarez

    Serio, eu não levava esse tanto nem com o Fusca 1969 com freio a tambor nas 4 rodas e sem assistência a vácuo.
    Acho quem nem um Scania caçambeira com 40 t de areia molhada leva isso.

  • Lorenzo Frigerio
  • Roberto

    Pior é a imprensa que se repete, do tipo que ouvi hoje de manhã em um programa de tv, onde falaram mais ou menos assim: ” apesar de São Paulo seguir o exemplo de várias cidades, a OAB e o ministério público estão questionando a redução da velocidade”. Ou seja, nota-se que opinam sobre algo que não possuem o menor conhecimento, como se não existisse uma dada “velocidade natural” do trânsito, como se não houvessem exemplos onde a velocidade-limite foi aumentada e o número de acidentes reduzidos (como em algumas rodovias dos EUA), como se as autoridades de trânsito não tivessem suas parcelas de culpa nos acidentes etc.

    • J Paulo

      Mandei um e-mail pra radio sulamerica trânsito criticando a postura “politicamente correta” deles.

  • CharlesAle

    Bob, o pior é que, com algumas exceções, a maioria da imprensa adotou como positiva. Inclusive se valendo da opinião de “especialistas” para justificar a medida da Prefeitura. Ai não dá!!!

  • xineis

    Esqueceram de avisar que o teste foi feito com carros sobrecarregados e sem freio.

  • Fat Jack

    Esta comparação chega a ser injusta com os fascistas…

  • Fat Jack

    Cena que cena degradante aquela!

  • Juvenal Jorge

    E para somar a tristeza em que vivemos: 20 de julho é a data em que o ser humano pela primeira vez pisou em um planeta além da Terra. Quarenta e seis anos atrás mostramos que há inteligência suficiente no cérebro humano para essa proeza, mas a burrice, ganância e raiva de alguns continuam prejudicando a maioria.

    • robson santos

      Juvenal,

      parabéns pela ousadia !
      Ia tirar um sarrinho, com todo respeito claro, quem sou eu…
      ia perguntar se esse planeta era Vênus, o mais próximo rsrsrs

      Mas antes, isso me motivou mais pesquisas, e essa é a finalidade do “ser” humano: questionar. Curiosidade move o mundo !

      Mas em minha defesa já te digo que isso nem era cogitado em 1969, é de uns anos pra cá que a tal de IAU está reestudando o assunto, e ainda está longe disso acontecer, celestialmente falando he,he,he…

      Grande abraço.

  • Juvenal Jorge

    Semana passada estive por dois dias em Curitiba. Havia mais de 20 anos que não dirigia por lá. É quase um Paraíso. Ruas largas, com quatro faixas, sentido único, com residências e comércio. Limite, 60 km/h. Rodei uns 50 km por essas vias, e não vi nenhum susto nem entre veículos, nem com pedestres. E há cruzamentos e travessias de pessoas.
    Mas o prefeito e seu idiota secretário se acham espertos. Que a terra lhes seja leve, e que venha em breve para ambos.

    • Lucas dos Santos

      Uma pena que o atual prefeito de lá tenha uma mentalidade muito parecida com a do “Malddad” – não é a tôa que o chamam de “fantoche do PT”.

      Transformaram a importante Avenida Sete de Setembro em “via calma”, com limite de 30 km/h – onde basta passar a 45 km/h para perder o direito de dirigir – e há planos para criar uma rua – uma espécie de “calçadão” – onde pedestres, ciclistas e veículos “compartilhariam” o mesmo espaço!

      A propósito, veja que interessante. A tal da “via calma”, ironicamente, é justamente onde ocorre o maior número de atropelamentos! E mesmo assim o “especialista” no trânsito de lá insiste em ignorar esse dado e em defender que limites baixos “evitam atropelamentos”:

      http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-2edicao/videos/t/curitiba/v/avenida-sete-de-setembro-e-onde-mais-acontecem-atropelamentos-em-curitiba/4308403/

      Mas, reconheço que as coisas por lá ainda estão (bem) melhores do que em São Paulo e o prefeito da capital paranaense provavelmente será defenestrado de lá nas próximas eleições!

      • Domingos

        Tomar Curitiba como exemplo é como tomar Suécia e Noruega como exemplo. Tem que tomar cuidado porque é uma vitrine interessante que vende um produto bem feio.

  • Juvenal Jorge

    Rubem Luiz,
    os ecochatos não tem o menor conhecimento técnico sobre motores de combustão interna. Não adianta esperar pela ajuda deles.

  • Fat Jack

    Eu só não digo:
    “É só o que nos faltava!” porque se alguém da prefeitura ouve…

  • Está circulando na Internet um modelo de veículo adequado às novas condições das marginais de São Paulo…

  • F A

    Bob, acha que teria como um tipo de união com os fabricantes de veículos para ir contra as loucuras dele?

    • F A
      Seria o ideal, mas essa união, que é a Anfavea, põe o rabo entre as pernas, fica quieta.

    • Certamente já existe uma união com os fabricantes de tinta.

  • Paulo César_PCB

    Estamos nas mãos de intelectualoides insanos e incompetentes e sem dúvida, mal intencionados. Certamente numa cidade com estrutura deficiente de transporte público, há uma estratégia de criar dificuldade para vender facilidade certamente. Vide caixa de primeiros socorros, extintores ABC e por aí vai. Quem paga sempre é o cidadão, pois os políticos criadores não são fiscalizados.
    O Prefeitinho era o “sinistro” da educação quando dos vazamentos das fraudes no ENEM, lembram ?
    Tudo na cidade na cidade está sendo feito com base em “estudos” quer seja da ciclovia ( moro próximo a uma que possui 6 km em cada sentido e nunca vi mais que 4 ciclistas circulando nos horários de pico ) e nesta mesma via existem dois radares um 50 metros depois do outro ( velocidade 50 km/h pista de 3 faixas…), ou a famigerada redução de velocidade nas marginais. Tudo é pegadinha, para multar e arrecadar.
    Infelizmente a cidade de São Paulo está cada vez mais insuportável, estes “administradores” públicos conseguem com suas geniais teorias destruir o pouco de ordem que ainda existem. A suposta convivência é implantada sem qualquer ajuste prévio. É definida, implantada e pronto !

    Agora se você falar mal da administração do prefeitinho petista num certo blog de um certo jornalista, ele vai te taxar de reaça, coxinha, fundamentalista, amante da ditadura, de tudo que seja relacionado ao que é “fora do pensamento” moderno. E olha que ele é colecionador de carros antigos. Quem lê entenda.

    Em breve eu, paulistano, estarei deixando a cidade porque não dá mais para viver aqui. Graças a aqueles que se rotulam como “salvadores” da cidade.

  • Paulo César_PCB

    Caro ccn1410, realmente a guerra está perdida. Cientificamente comprovado pelo exame PPA, onde constata-se que, se aplicado em 100% da população mundial, apenas 20% pensam “fora da caixa”, então a chance de um 80% estar sentado na cadeira que comanda o país, o estado, a cidade, a empresa em que você trabalha ou ser o seu chefe é muito maior. Também cansei da luta de tentar fazer com que as pessoas liguem antes o cérebro antes dos braços e das pernas, sem falar da língua. Não se preocupe pois deste jeito o mundo caminha para o fim, eles conseguirão.

  • Sr. norueguês,
    Se você não sabe fazer conta de dividir, o Ae lhe ensina. 11 / 7 = 1,57, o que significa ser 1,57 pessoas por veículo. Portanto, você falou uma grande asneira, uma vez ter e dirigir o próprio carro há muito deixou de ser individualismo. Esse tal de “socialismo”, coisa de quem é metido a intelectual, não tem lugar no AUTOentusiastas. Portanto, você é persona non grata aqui. Não tente vir aqui de novo.

    • Daniel S. de Araujo

      Isso ai, Bob. Aqui não é lugar de socialista metido a besta.

    • SergioCJr.

      Bob, com todo respeito e sem entrar no mérito ideológico, mas essa postura que você tem mostrado para alguns leitores em tópicos “políticos”, do tipo – “tem uma ideologia diferente da minha, então não é bem vindo” – creio, mostra-se absolutamente contrária aos próprios valores do Ae “paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores”.

      Acho saudável a divergência de opiniões enquanto mantido o respeito mútuo, aliás, tenho que este é o grande objetivo das seções de comentários, seja qual for o site.

      Não é porque alguém discorda de sua visão ou de algum post (de forma respeitosa) que, necessariamente, não seja um autoentusiasta e não aprecie as demais matérias postadas.

      Particularmente, discordo de alguns dos seus posts – não é o caso deste (ciclovias é um deles, por exemplo) – mas aprecio suas matérias automobilísticas (dos tempos das revistas e BCWS), bem como os posts dos demais colaboradores (caso do Arnaldo, que acompanho desde o SuperAuto e que já encontrei em algumas subidas de montanha).

      Neste sentido, antes de uma crítica, serve este apenas para reflexão, uma vez que quando tornamos públicas nossa opinião, estamos sujeitos às opiniões diversas e, esse, é realmente o espírito de uma sociedade livre, ou seja, como podemos criticar um partido ou pessoa de querer cercear a liberdade de opinião quando nós mesmos não aceitamos que as nossas sejam contrariadas?

      Grande Abraço e sinta-se à vontade para, querendo, responder em privado este comentário se não quiser publicá-lo.

  • Fórmula Finesse

    Desgoverno total…parece que sempre estamos nas mãos de gente incompetente e de moral torta!

  • AlexandreZamariolli

    Petista não é raça, Bob. É seita.

  • Arruda

    Perfeito o título do editorial, Bob!!!!

    Viram o presente do Malddad para o Papa?

    Racionais MC: ‘Sobrevivendo no Inferno’

    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/07/disco-dos-racionais-e-presente-da-prefeitura-de-sao-paulo-para-o-papa.html

    Só espero que o Papa não coloque para tocar…

    • Domingos

      Está bem no nível da esquerdada, que nem aquele “presentão” do Evo Morales para o Papa –o pajezão que já vai a também década de meia de governo sem alternância nenhuma, tipo cargo vitalício.

      A doença é coletiva mesmo. Acho que tem alguma obrigação contratual em vender a alma ao diabo que essas pessoas têm de se comportar bem igual e declarar bem suas intenções.

      E quem aceita, mesmo com isso declarado, já está lá vendidão para o capiroto e “nem sabe”.

      Dizem que o Francisco deixou na Bolívia mesmo aquela atrocidade. Esse LP seria legal se ele deixasse em alguma ciclovia daqui de São Paulo.

  • Kenzo

    A hipocrisia é tão grande que abrir mão de utilizar carros oficiais ninguém quer, sempre com a mesma justificativa de que seria difícil cumprir a agenda utilizando transporte coletivo, que é inseguro devido ao assédio e à exposição que o prefeito se submete etc.

    Ora, não estamos todos sujeitos a esses mesmos fatores?

  • J Paulo

    Está na hora de pegar essa turma de políticos, botar um uniforme laranja neles, botá-los numa jaula e afogá-los no rio Tietê!

    • Lemming®

      Calma colega!
      A sociedade de defesa dos animais e a policia florestal podem atuar por ser crime ambiental…hehe
      Mais poluição no Tietê não!

  • Domingos

    E para poder passar na faixa exclusiva dele, claro.

  • Domingos

    Nos aeroportos há tráfego de pedestres nas imediações das pistas.

    Proponho limitar a velocidade contra a carrocracia, as elites e sei lá mais o que.

    • AlexandreZamariolli

      Não dê idéia, senão daqui a pouco o Malddad vai querer colocar radar nas cabeceiras da pista de Congonhas!

  • Domingos

    By Antonio Gramsci. O negócio já é manjado, mas o pessoal insiste né…

  • Júlio Cesá

    Está bem difícil viver nesta cidade, em que a prefeitura faz de tudo para meter a mão no bolso de seus cidadãos – multá-los, taxá-los de criminosos.
    Ao meu ver, o maior problema é que a absurdo nunca terá volta: não imagino que venha algum prefeito decente e honesto a ponto de reverter esses abusos aos cidadãos, devolver a velocidade máxima na qual a via fora planejada e no máximo, criar o conceito de velocidade recomendada.

  • Lorenzo Frigerio

    O pior de tudo… um editorial na FSP de hoje apóia as medidas. Só pode ser matéria paga, ou troca de favores.

    • Lorenzo Frigerio,

      Claro, em troca de propaganda oficial. É mais do que evidente.

    • Michell Aristobolo de Mello

      FSP é notório apoiador do governo petista em troca de verba publicitária. Era o único jornal que lia até descobrir isso…

    • Domingos

      Não leia jornal. É perda de tempo e de 10, talvez 1 ou 2 não sejam comprados. Isso no mundo inteiro.

      Informação se dá como se faz aqui no Ae, numa conversa entre amigos, entre vizinhos etc.

      O resto é terceirizar a informação, tal como a democracia que conhecemos terceirizou o governo da sua rua, bairro etc. para um negócio afastado e abstrato que nem ao menos tem obrigação de prestar objetivos.

  • Aqui em Fortaleza a velocidade em TODAS as vias será de 40 km/h. Será o PT Fazendo escola?

    http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/cidade/limite-de-velocidade-muda-em-vias-da-capital-1.1344652?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=links-22-07-2015

    O pior é que a via em questão é uma via arterial, logo com velocidade máxima de 60 km/h, mas como passarela não dá voto e nem arrecadação, melhor encher a via de radares, que dá mais lucro.

  • Cesar Mora

    Embora percebo que ao menos em São Bernardo ainda há um mínimo de bom-senso, político malandro que é, e no berço do PT o Sr. Luiz Marinho não compra essas brigas que coloquem seu nome em evidência nesse momento crítico para todos de sua trupe, inclusive agradecendo aos céus por ter se livrado do cantor de gosto duvidoso que atende como cãozinho dos teclados lançado a seu vice na eleição. Pena o artifício ter funcionado e não ter permitido a eleição do Admir Ferro, político que fez muito pela educação na cidade quando vereador e secretário da educação. mas perto do Caos que se transformou São Paulo, e a vontade de aparecer de seu deslumbrado prefeito, estamos bem melhor em São Bernardo.

  • Cesar Mora

    Somente o altruísmo de um homem como o Papa Francisco para agir desta forma diante de tamanho descalabro.

  • Cesar Mora

    A Erundina ao menos comprou a ideia do Senna e com o apoio da Shell e da Vega Sopave trouxe a F1 de volta a interlagos, agora a Dona Marta e o Hadadd, não conseguem ter nem um pontinho positivo para citarmos…

  • Cesar Mora

    Já me lembrei da Variante Ascari e da Variante della Roggia em Monza… hahahaha

  • Lucas dos Santos

    Semáforos acionados pelo pedestre não deveriam sequer existir, na minha opinião!

    Se o motorista pára para uma luz vermelha, pode muito bem parar para o pedestre passar! Um semáforo desses só serve para “alimentar” a falta de educação dos motoristas no trânsito.

    Já que esse pessoal gosta de multar e arrecadar, que, no lugar de um semáforo com botoeira, coloquem um agente de trânsito multando quem comete a infração prevista pelo Artigo 214 do CTB. Aí sim estariam educando o motorista e prestando um bom serviço. Mas, como costuma dizer o Bob, isso dá um trabalho…

    Do contrário, veremos os semáforos com botoeira “evoluindo” para isto aqui: http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-2edicao/videos/t/curitiba/v/semaforos-para-idosos-comecam-a-funcionar-em-curitiba/4295018/

  • Dr. Traffic Calming

    A empresa de economia mista, travestida de órgão publico, que aplica multas em causa própria, que privatiza os lucros e socializa as despesas, entre várias bizarrices, transformou SP City na Capital Mundial das Placas de Trânsito, dos semáforos duplicados na mesma haste, com a mesma função,e parte agora para transformar SP city na Capital Mundial dos Radares… Muito bem pagos, como sempre. CUI BONO? Quem se beneficiaq com isso?

    • Lorenzo Frigerio

      Capital Mundial das Faixas de Canalização, e Capital Mundial dos Olhos de Gato, também.

  • Luis

    Vocês já viram Belo Horizonte ? A BHtrans é a prestadora de serviço público de organização de trânsito mais inútil da história. Recomendo que pesquisem e se puderem façam uma matéria sobre o caos que está o trânsito em BH. A cada dia instalam radares de velocidade e detector de tráfego em pistas exclusivas para ônibus em diversos locais, sem o menor pudor, virou uma verdadeira indústria da multa. Avenidas longas como a Cristiano Machado e Antônio Carlos é impossível desenvolver, a velocidade é limitada a 60 km/h.

  • Michell Aristobolo de Mello

    Mesmo que tenha deixado o presente na Bolívia, não foi o suficiente. Tinha que ter existido o simbolismo de recusar em público, na hora.

    • Domingos

      Concordo. Comentam que um Papa Benedito por exemplo teria jogado o negócio no chão.

  • Gui Br

    Eu sai de São Paulo há um ano! Melhor decisão da minha vida. Pego uma hora e meia de estrada do interior para São Bernardo, onde trabalho, todo dia. Sem reclamar. Os governantes estatistas em geral e o Haddad em particular são peritos em transformar nossas vidas em um inferno. Como se fosse fácil trabalhar, criar os filhos, cuidar dos pais…

    • WSR

      Escolha literalmente autoentusiasta. Parabéns.

  • Edu Silva
    • Lemming®

      Ou o nome do laranja que tem de responder pelos desmandos do prefeito e daquele outro…
      Além do que a Folha faz parte da turminha então me cheira a propaganda…ou melhor…controle social…

    • Andre Sousa

      Nome aos bois:

      1-) Sergio Tadeu Duarte Leite
      2-) Jilmar Tatto
      3-) Fernando Haddad

      O primeiro, diretor da CET e urbanista indicado pela atual gestão, ou seja, membro integrante da gangue.

      Agora um destaque sobre o assunto desta reportagem sobre o qual quero chamar a atenção:

      Não é de hoje que vejo entrevista dos dois primeiros acima dizendo que as marginais não “dialogam” (segundo eles) com a cidade e, assim, deveriam perder a sua função rodoviarista (é inacreditável, eu sei, mas procurem no google com estes termos). Elas deveriam falar, é isso? Achei que serviriam para ligar regiões distantes.

      Vou além: na cabeça destes e outros infames, as marginais seriam transformadas em avenidas. Entenda-se, perderiam a função de autoestradas urbanas , ou seja, poderiam ter faróis, faixa de pedestres, calçadas, virar uma boulevard, um parque ou mesmo serem desconstruídas/desativadas. Não entram em detalhes sobre como elas deveriam perder a função rodoviarista/virarem avenidas, mas é óbvio que a visão dos possíveis cenários é o que coloquei acima. Quer dizer, mal o segundo rodoanel fica pronto e estes imbecis querem desativar o primeiro, é basicamente isso. E como fica a ligação entre as estradas dentro da nossa imensa cidade de SP? Sim, porque a importante região do que se denomina centro expandido está bem distante do rodoanel e assim teríamos que dirigir por dentro dos bairros para chegar às estradas!! E as entregas, imagine caminhões, mesmo que de noite/fora dos horários de pico, passando por dentro dos bairros. Essa turma não pensa… E por fim, foi em uma AVENIDA, chamada Marginal Tietê, na qual foram investidos mais de 1 bilhão em 2010? Como uma vez ironizou o governador (à época) José Serra, quando um destes imbecis propôs a destruição das marginais: “iremos a Guarulhos no lombo de um burrinho?”

      Não sei, mas com tantos gaviões urbanistas como esse, de viés socialista e com esse tipo de visão, talvez o melhor cenário fosse a assinatura de um longo contrato de concessão das marginais, com um pedágio bem barato e, se for o caso, envolvendo a criação de mais pistas (as já existentes continuariam gratuitas), algo parecido com o que se tem em Santiago, no Chile e que já foi discutido em 2007. Assim pelo menos não corremos o risco de uns malucos como esses conseguirem transformar em avenida (entenda-se destruir) as marginais (o nosso primeiro rodoanel).

      Fiquemos de olhos bem abertos.

      • Lorenzo Frigerio

        Idealmente, as marginais deveriam ser destruídas sim, e o tráfego seguir por túneis, já que as mesmas nunca foram avenidas e sim vias expressas. Mas o custo disso seria absurdo. E tem mais, São Paulo já destruiu seus rios, retificando-os e transformando-os em canais de esgoto a céu aberto, então isso também teria que ser resolvido, do contrário a reurbanização das margens seria um desperdício. Basicamente o paulistano destriu sua cidade e sua qualidade de vida, em nome de uma falsa noção de progresso. Agora não tem volta, só resta abandonar o navio.

        • Andre Sousa

          Lorenzo,

          Concordo que, idealmente, os rios não deveriam ter sido retificados e haver vegetação em abundância ao redor. Além de melhor para a qualidade do ar e combate às ilhas de calor, seria um importante e natural meio de combater o problema das enchentes (que, de fato, é natural ocorrer na várzea destes dois rios). Idealmente também, a cidade deveria não deveria possuir favelas, ter tantos crimes,iluminação precária em muitos lugares, tanta sujeira nas ruas, tanta gente morrendo nos hospitais sem atendimento, asfalto, transporte público deficitário, enchentes, especulação imobiliária, tudo isso e muitos outros problemas, mais críticos que ar marginais, deveriam também ser destruídos. A sociedade nunca vai ser perfeita. Independente de qualquer coisa, as marginais são funcionais e possibilitaram o desenvolvimento da cidade e o transporte de boa parte da riqueza do país. São imprescindíveis.

          Ainda assim, pensando em se tomar uma medida de correção, já imaginou o custo para desmontar as marginais, restaurar a várzea dos rios e criar uma outra opção de ligação das rodovias em trajeto similar às marginais, circundando o centro expandido? (Sem alternativa não dá p/ ficar, numa cidade do porte de São Paulo). Tem uma boa análise do governo do estado de SP quando este assunto foi novamente trazido à pauta em 2009, depois de ataques de alguns “especialistas”. Você falou do custo absurdo, com certeza. Tanto que assim, destaco alguns números de uma análise do governo do Estado de 2009:

          1-) “Só em desapropriações, seriam 180 bilhões de reais, fora demolições, parque e novo sistema viário local” (note-se, não considerando a opção de túneis e sim um sistema viário local a 1,5 km de distância dos rios)

          São Paulo tem seus problemas, mas concentra boa parte das riquezas e oferece oportunidades. É uma cidade grande, toda cidade grande tem seus problemas, ultimamente sendo agravados por administradores incompetentes e apegados mais a ideologias/modismos/populismo do que a critérios técnicos (este atual é o melhor dos exemplos).

          É possível tornar as coisas menos piores quando se tem o mínimo de competência, análise da situação e critério técnico. Por exemplo, do texto que mencionei rebatendo as críticas ao “rodoviarismo”:

          2-) “O parque Várzeas do Tietê […] terá um papel decisivo na drenagem e contenção das águas de chuvas atípicas. Com 75 km de extensão e 107 km2 de área, será o maior parque linear do mundo[…] . Faz parte do licenciamento da Nova Marginal, como medida compensatória

          O texto que referenciei, na íntegra, pode ser visto em:

          http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=204704

  • Lemming®

    Pessoas competentes não se tornam chefes em repartições públicas e muito menos tem poder de implementar o certo ou correto.

  • Lemming®

    São José dos Campos também…menos grave mas…

  • Lemming®

    Talvez…mas uma hora tem de haver o basta…penso eu…

  • Danniel

    Aqui em Brasília tivemos algumas vias que tiveram a velocidade aumentada. Pena que a idéia não atingiu as demais vias citadas na matéria:

    http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL14797-5598,00-DETRAN+AUMENTA+LIMITE+DE+VELOCIDADE+NAS+VIAS+DE+BRASILIA.html

    Que eu saiba não houve alteração na quantidade de acidentes. Como dito por aqui, o que dá “B.O.” é andar muito acima do limite.

    Pena que volta e meia o papo de redução de velocidade vem à tona, especialmente quando um pedestre maluco atravessa seis faixas de rolamento com veículos a 80 km/h e não chega ao outro lado…

    • János Márkus

      Danniel, hoje, dia 24/07, já estão discutindo na CBN a redução de velocidade, seguindo o exemplo de cidades de referência, do tipo São Paulo e New York… Esse negócio “pega”!

  • Lucas Garcia

    palavras de quem esta dentro dessa loucura. (Urbanista Tadeu Leite Duarte, Diretor da CET)
    ‘Com a velocidade reduzida, é possivel entrar e sair da pista com uma velocidade que gera menos turbulência. Então um subproduto que d fato pode acontecer é melhorar um pouco a capacidade da via, escoar mais veiculos.’
    matéria completa: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/07/1659309-marginais-precisam-ser-tratadas-como-avenidas-diz-diretor-da-cet.shtml

    • JPaulo10

      Nosso iustre prefeito acaba de postar um video:
      Afirma que diminuir a velocidade permitida aumenta a velocidade média, porque vão acontecer menos acidentes. Cada acidente, diz ele, interrompe o tráfego de uma via, causa congestionamento. Se você anda devagar, não causa acidente e, por conseqüência, sua viagem é mais rápida.
      Assim é em Paris.

  • Leo-RJ

    Acabei de chegar, semana passada, de férias em Portugal. Lugar que vou bastante, pois minha sogra tem casa lá e, assim, não pago hospedagem 🙂

    Mesmo não sendo um dos melhores e mais sérios países da Europa, interessante ver como tudo lá é feito para melhorar, para progredir, e não o contrário.

    Nos últimos 5 anos os transportes públicos melhoraram sensivelmente, mas o “espaço” dos carros idem. Na região de Lisboa-Cascais sinais foram eliminados em prol de rotatórias, qualidade do asfalto melhorou muito e novas auto-estradas eliminarem grande fluxo de carros nas ruas de Cascais, Estoril, Belém em direção ao centro de Lisboa, vez que os motoristas optam pelas autoestradas.

    Mas aqui, parece, tudo anda na contra-mão…

  • Edu Silva
    • Andre Sousa

      Isso é relativo. Pediram explicações até agora, normal. Vamos ver no que vai dar.

  • Charles Cornell

    Bob Sharp, perfeito o seu texto! eu também partilho da mesma indignação! baixam-se os limites de velocidade da Vias, e com nosso dinheiro enchem-nas de Radares, uma bela forma desse Governo safado ganhar mais dinheiro, nosso dinheiro!… Ah! só pra constar, a tinta que está sendo usada para pintar as Ciclofaixas ( de vermelho…) está saindo da fábrica do sogro do Haddad!!!… (FdP@%%((&&%)…

  • Charles Cornell

    Galera parte destes absurdos que estão acontecendo em São Paulo e no país inteiro por parte destes políticos vagabundos, vocês sabem muito bem, é nossa culpa!… estamos pagando o preço pela nossa acomodação, omissão!… Dia 16 de agosto vamos nos mexer, político está lá para servir ao povo, lembrem-se, somos nós os patrões desses imundos, vamos fazer valer nossos Direitos!!!

  • Andre Sousa

    Olha isso. hahahahahah Finalmente a brincadeira virou realidade, bicicletas ultrapassando carros na marginal!!!!!!

    Sensacional, para não dizer outra coisa.

    • Roger Pellegrini

      Vejam essa, só mesmo numa cidade desgovernada pela máfia.
      É o zeitgeist atual, algo que daqui a 50, 100 anos será visto com
      incredulidade.

      • pedro

        Se daqui a 50 anos for visto com incredulidade, menos mal. O pior é se for visto com naturalidade.

    • Lucas dos Santos

      Haddad conseguiu o que queria. Agora ele poderá utilizar esse vídeo para fazer “ciclomarketing” e afirmar que um dos motivos para se trocar o carro pela bicicleta seria poder andar mais rápido na Marginal!

      Aliás, seria bom se esse vídeo fosse removido do YouTube, antes que ele chegue até o prefeito e este tenha a idéia de pintar uma ciclofaixa ali!

  • Mauro Schramm

    Inferno, na verdade, é uma cidade do tamanho de São Paulo depender quase exclusivamente de carros para deslocamento da população.

  • Mauro Schramm,
    Negativo, não nada mais agradável e cômodo do que o deslocamento em carros. Ou será que prefere andar espremido e de pé em ônibus e metrô? Se preferir, é masoquismo. Inferno é ter um trânsito gerido na idade da pedra e falta de estacionamentos subterrâneos, de que Paris, mesmo com uma fantástica de rede de metrô, é cheia. Sem contar essa idiotice do prefeito e do secretário municipal de transportes de ficar baixando velocidade..

    • Mauro Schramm

      Você mesmo matou a charada ao citar o exemplo de Paris: alternativas. Simplesmente não é possível que todos se desloquem de carro em uma grande cidade.

      • Mauro Schramm,

        Claro, mas isso não quer dizer que idiotas como esses dois petistas queiram patrulhar o que o cidadão deve fazer ou não. A seleção é natural, e havendo estacionamento farto e vias monitoradas para prover fluidez – e não para faturar como existe hoje, mais do que em qualquer tempo – mais o transporte em carro particular pode ser usado. O nosso sistema de gerenciamento de trânsito é completamente ultrapassado, é vergonhoso. Então não venha com essa conversinha socialista.Vamos tratar de resolver o que precisa ser resolvido primeiro.

        • Mauro Schramm

          Conversinha socialista? Não entendi nada…

          • Mauro Schramm
            Entendeu, sim.

          • Mauro Schramm

            Não, não entendi porque não faz sentido. Estou falando de alternativas, praticamente inexistentes em São Paulo. Como exemplo, cito a última vez que estive em Nova York não usei carro nenhuma vez, pois os outros meios (principalmente metrô) eram opção melhor. O que há de “socialista” nisso?

  • Mauro Schramm
    O transporte público nesse só era melhor porque em Nova York é difícil encontrar vaga e os estacionamentos são caros, é uma seleção (e escolha) de meio de transporte natural. Não como o petista Haddad, que ao criar faixas de ônibus a esmo e ciclofaixas para meia-dúzia de ciclistas, eliminando vagas artificialmente, disse, em público, que “o motorista vai pensar duas vezes antes de tirar o carro da garagem”. Esse é o pensamento socialista que torna São Paulo um inferno. Note que nas administrações municipais anteriores não havia esse sentido, nem com a petista Marta Suplicy.

    • Mauro Schramm

      Pois é, justamente a falta de opções é o problema a que estou me referindo. Em São Paulo não é possível (ou prático) chegar a alguns lugares sem carro, diferentemente do que em NY ou Paris, para ficar nos exemplos que usamos.

      Em suma, o que quero dizer é que a falta de alternativas ao carro torna o trânsito de São Paulo praticamente “inadministrável”. É como secar gelo.

  • Fabio Toledo

    Bob, semana passada tive a infelicidade de ouvir o Gilberto Dimenstein defendendo a prefeitura de São Paulo e ainda dando como exemplo a redução de NY, por favor estenda esse desafio para este esquerdalha.

  • Mineirim

    Bob, hoje saiu na Folha reportagem sobre o famigerado radar da Ponte das Bandeiras:
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/07/1660793-radar-campeao-aplica-375-mil-multas-em-um-ano-na-ponte-das-bandeiras.shtml
    Lamentável mesmo…

  • Edu Silva

    a boa notícia é alguém ou alguma associação questionar formalmente isso…..muitos falam mas poucos fazem..

  • Fernando Knapp

    Olha aí, mais uma: São Paulo poderá fechar vias expressas das marginais durante as madrugadas.
    Quando a gente acha que não tem como piorar…

    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/07/sp-podera-fechar-vias-expressas-das-marginais-durante-madrugadas.html

  • pedro

    Nem tudo são flores no velho mundo: em Lisboa deram ‘aquela’ esquerdada, proibindo carros do ano 2000 pra baixo (em alguns pontos). Motivo: reduzir a poluição e “promover” o uso do transporte público e o andar a pé.

    http://www.razaoautomovel.com/2015/02/mais-de-200-automoveis-anteriores-2000-protestaram-em-lisboa

    http://noticias.automoveis-online.com/lisboa-proibe-entrada-de-carros-anteriores-2000-e-1996/

    • Leo-RJ

      Caro Pedro,

      Isso é de 2014, com a criação das ZER (Zona de Emissão Reduzida), onde a “Zona 1” proíbe a circulação de carros anteriores ao ano 2000, e a “Zona 2”, mais restritiva, proíbe a circulação de carros anteriores a 1996.

      Contudo, o que as matérias não citam é que existe exceções, que são os carros de polícia, militares e ambulâncias e os carros dos residentes nessas áreas (no caso dos residentes, eles têm um dístico de residentes para circular e estacionar).

      Veículos históricos que estejam assim certificados pelas entidades oficiais também ficam liberados para circular nas ZER; da mesma forma que os veículos movidos à gás natural e motos; e, por fim, veículos pessoas com “mobilidades reduzidas” (deficientes físicos e assemelhados) também circulam livremente pelas ZER.

      Ou seja, existem exceções que a norma brasileira não prevê.

      Além disso as proibições funcionam apenas de segunda à sexta-feira, ficando os finais de semana livres.

      Essa é uma realidade que alcança algumas cidades de Europa, como Madrid e Paris (desde janeiro deste ano) e, no caso de Portugal, você conhecem, as alternativas são boas, com farto estacionamento ao redor das ZER, além de bondes elétricos, metrô, três e ônibus confortáveis.

      Muito particularmente eu também não gosta dessas medidas (até porque curto carros antigos), mas eu não disse que tudo são flores por lá, pelo contrário, comecei o comentário com uma crítica a Portugal, mas, ainda assim, se nem tudo por lá são flores, por cá é só espinho, especialmente no Rio e em São Paulo.

  • Claudio Antonio Cesario Dasilv

    O que mais me irrita são as justificativas de redução de velocidade nas marginais. Toda vez que passo por lá e vejo que não há motivo para alguém munido de boas intenções atravessar a pista sentido ao rio pinheiros me dá uma sensação de impotência enorme por que sou obrigado a ver este prefeito estragar a cidade e parece que não há nada que possa ser feito para impedir.Parece que ele está acima da lei