CET DE SÃO PAULO, ASSALTANTE À CÂMERA ARMADA

Assalto  CET DE SÃO PAULO, ASSALTANTE À CÂMERA ARMADA Assalto

Foram 375.021 autuações por desobediência à placa proibindo acessar a Ponte das Bandeiras, vindo pela marginal do Tietê sentido oeste, das 6 às 15 horas — isso somente no ano passado (e já é quase agosto de 2015). Por dia (descontando sábados e domingos, 2 dias x 52 semanas = 104 dias), portanto um ano “de multas” de 261 dias, foram 1.435 multas por dia, um total de R$ 47,2 milhões roubados dos cidadãos brasileiros.

Esse assombroso e revoltante número de autuações diárias pode ser maior, vai depender do dia em que o assalto começou, que não sei ainda. Fiz a conta imaginando que tenha começado em 1º da janeiro.

Revoltante também a proibição não considerar feriados, que a CET considera dia útil só para poder roubar o motorista que, usando de lógica, acha que o acesso é irrestrito.

A notícia foi publicada hoje na imprensa, acredito, mas essa, da qual tive ciência graças ao link enviado por um leitor (que pediu anonimato),  saiu no site do jornal Folha de S. Paulo, que obteve a informação mediante acesso assegurado pela Lei da Informação, segundo a reportagem. Também, esse radar é o campeão absoluto em flagras.

Esse indiscutível assalto à câmera armada foi denunciado pelo Ae em 10 de julho do ano passado quando um grande amigo me contou, indignado, ter recebido uma notificação de multa naquele acesso.

 

Trap  CET DE SÃO PAULO, ASSALTANTE À CÂMERA ARMADA Trap

Armadilha: quando o motorista vê a placa proibitiva não tem mais como abortar a manobra; o Honda Fit, para evitar a infração, teve de cometer outra, cruzar a linha branca contínua: vergonhoso, irresponsabilidade da CET

Sendo a CET subordinada à secretaria municipal de Transportes e seu titular sendo o petista Jilmar Tatto, sua exoneração imediata do cargo é o mínimo de decência que se espera do judiciário estadual ou — mais difícil — do seu chefe, o também petista prefeito Fernando Haddad, que o escolheu e, de certa maneira, é responsável por este indiscutível crime de extorsão contra o cidadão.

BS

Arte da abertura: http://www.protagon.gr/?i=protagon.el.article&id=30060

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas

  • Leandro

    Prezado editor, sempre considero suas colocações muito coerentes mas em relação a esse acesso a ponte das Bandeiras eu não pactuo do seu ponto de vista. Existe sinalização clara indicando a proibição da utilização do acesso. Acredito que a CET e a prefeitura de São Paulo tem feito mal uso de suas atribuições somente para lesar o cidadão paulista, mas no caso específico dessas infrações considero coerente a cobrança das multas. Se não aprendermos as respeitar as regras, mesmo as que não concordamos como iremos cobrar uma postura melhor das autoridades e políticos?

    • J Paulo

      Regras? Que regras? É uma ameaça à humanidade acessar uma ponte por uma alça CONSTRUIDA pra isso? É cada uma que leio…

    • Júlio Cesá

      A sinalização é clara, mas tardia: localizada somente após o veiculo iniciar o acesso. E como disse o Bob: para evitar a infração, o condutor terá que cometer outra…

    • Luiz_AG

      Leandro boa tarde, teria uma foto indicando a sinalização ANTES do acesso? Até porquê a partir do momento que você visualizou a placa você não pode mudar de faixa, pois a mesma é contínua…

      • Mendes

        Luiz_AG,
        De acordo com imagem obtida via Google Street View, há vários avisos que precedem o acesso (clique na imagem abaixo para ampliá-la):

        http://i.imgur.com/UDGu3OS.jpg
        Como não sou de São Paulo e nunca estive pessoalmente no local, não sei dizer se a sinalização é legível o suficiente em função da largura da via e da velocidade relativa do tráfego.

        • Diogo Rengel Santos

          O problema é que eles sinalizaram as proibições com faixas, o que numa situação de vento – inclusive mostrado na figura, pode levar a confusões na leitura…

          Neste caso a sinalização não é clara o bastante

          • $2354837

            Tem uma placa amarela… lembro sim de já tê-la vista lá. Na verdade não há nem a necessidade de ter a placa depois da entrada. Mas não lembro se essa placa continua lá, acho que essa é a reclamação.
            Outra coisa inexorável é não ter ao menos um bolsão para aguardar a liberação do horário do rodízio quando se chega das rodovias…

          • Domingos

            É reclamação constante dos caminhoneiros isso.

          • Lucas dos Santos

            Na minha opinião, creio que não tem como sinalizar de forma clara uma restrição que possui tantas variáveis. Em determinados dias pode, em outros não pode. Em alguns horários pode, mas em outros horários não. Observe que, junto às faixas, há placas fixas também, mas não são suficientes.

            Somente após o motorista tirar a sua atenção do trânsito para raciocinar “que dia é hoje?”, “que horas são?” é que ele poderá tomar uma decisão e até lá já pode ser tarde demais.

            A solução seria utilizar alguma sinalização dinâmica – painel eletrônico ou algo que possa mudar em função do horário – mas, por razões óbvias, chega a ser até utópico pensar em algo assim!

          • Domingos

            Essas faixas, em São Paulo, também são usadas geralmente para comunicar coisas temporárias ou de menor importância – como um evento ou uso da via para algum outro fim durante um dia específico.

            Leia-se: no trânsito do dia a dia ninguém as fica lendo, a não ser após passar muitas vezes pelo mesmo local. Isso é justamente a função delas, que é avisar moradores que vai ter alguma interrupção de tráfego por ali.

            Também posso afirmar que essas faixas só surgiram depois das constantes reclamações e que, por não serem fixas, vão mudando de lugar.

            Essa foto, por exemplo, está desatualizada. Não tem mais esse adesivo tosco na placa, que inclusive tampa o número da ponte.

            A faixa à direita, no poste, geralmente fica na ponte de forma horizontal – muito mais visível.

            O que acontece é que o lugar é propício a uma sinalização confusa e o próprio fato dela ficar mudando de mês em mês – ficando sem as faixas às vezes – é de declarada intenção de arrecadar.

            Além disso, o desenho da ponte permitiria uma faixa exclusiva aos ônibus perfeitamente. Usam a desculpa que depois os carros teriam de sair da faixa, porém isso é absolutamente normal.

            Até agora não colocaram uma única placa clara e em local correto, que é o que basta.

            A placa situada depois do radar, que é absurda e creio que ilegal, deveria estar logo antes do mesmo.

            Essa placa amarela deveria estar no padrão de sinalização – vermelho, preto e branco, MUITO mais legível – em tamanho apropriado na própria ponte.

            Vale lembrar ainda outra questão: nessa região existem eventos semanalmente, pois essa ponte está a poucos metros do sambódromo e do Anhembi – onde se faz o Salão do Automóvel, por exemplo.

            Faixas falando sobre dias de evento, estacionamento etc. com esse mesmo padrão que a prefeitura está usando são corriqueiras.

            Logo, a maioria não irá no meio do trânsito buscar informações de proibição de tráfego nessas faixas.

            Aliás, todas as placas de proibição de tráfego em São Paulo são brancas com letras pretas e vermelhas, como a colocada criminosamente DEPOIS do radar.

            Placa amarela costuma sinalizar obras ou atenção a algum problema da via.

            O que é isso aí, em poucas palavras: um estudo muito bem feito da prefeitura por um ponto onde poderia se enganar todo mundo e ainda assim saírem ilesos pois “deixamos umas faixas lá”.

            Faixas essas que, novamente, em dias de evento no Anhembi são trocadas por outras.

    • Eduardo Silva

      Leandro, sabe quem não comete infração ali? Quem já conhece a pegadinha. Não dá para, na surpresa, o incauto identificar o dia e hora enquanto está já na faixa de acesso.

      • Luciano Gonzalez

        Falou tudo Eduardo.. quem não comete a infração é quem já conhece a pegadinha… eu inclusive um dia desses, andando distraído, entrei e por sorte a multa nunca chegou…e eu conheço bem o trecho ali…

    • Leandro
      Desculpe, mas você falou bobagem. A placa está posicionada num ponto onde não é possível desistir de tomar o acesso. Ademais, é um acesso lógico para a ponte em que ninguém que dirige desconfia haver restrição. Ademais, há mais de um década ali havia uma porteira operada pela CET que fechava em determinado horário no período da manhã, à qual todo motorista se habituou. A porteira ainda está lá e óbvio que vendo-a aberta o significado é de acesso livre. Existe sim um placa de aviso bem antes informando a restrição, mas dificilmente quem dirige fica lendo avisos, pois a que o motorista é obrigado é observar a sinalização padronizada estabelecida pelo Contran, o que essas placas não são. O que a CET vem praticando é roubo escancarado.

    • Leandro, moro relativamente perto do local, e por lá circulo com regularidade. As placas realmente existem, porém o local é de trânsito confuso. Há muitas confluências e separações de fluxos de tŕafego, há entradas e saídas de ruas laterais, muitos veículos querendo trocar de faixa de trânsito…
      Para quem quiser ter uma noção, repare nesta animação feita a partir do Street View:
      http://www.brianfolts.com/driver/?origin=Av.+Morvan+Dias+de+Figueiredo,+175+-+Vila+Guilherme,+SP,+02047-020&destination=Av.+Santos+Dumont,+607-741+-+Luz,+SP&fps=1&travelmode=BICYCLING&rn=
      Ela parte bem antes do viaduto da Avenida Cruzeiro do Sul, onde com certeza a informação ainda não é fornecida ao motorista.
      Reparem como é difícil até mesmo identificar as placas de sinalização, quanto mais identificar o que está escrito nelas.

      Pelo menos 2 vezes por mês passo nesse ponto de madrugada, antes do horário de proibição. Pois prefiro dar a volta no Clube Espéria do que usar a alça, porque sei que é arapuca. Se eu passar às 5h30min e a CET disser que foi às 6h15min, a lei diz que a autoridade da CET tem fé pública. Vai provar que passei ali mais cedo.

    • Domingos

      Moro perto desse retorno, é alça de acesso comum até mesmo ao trânsito de bairro local.

      Te afirmo que a placa está já na parte de fora da curva de entrada da ponte, sendo que apenas vez ou outra colocam faixas na ponte propriamente dita – dando alguns metros para poder sair dessa faixa, o que na altura da placa é impossível.

      O retorno virou reservado aos ônibus sem motivo algum durante os horários de pico, sendo que poderia ser ao menos dividido entre carros e ônibus.

      Quem precisa aprender a respeitar as regras é essa prefeitura de gente doente.

  • CorsarioViajante

    Esse é um dos casos em que fica claro ser má-fé.

    • Lucas

      Verdade.
      E como gostam tanto de placas, por que não colocam uma 100 metros antes do tal acesso à ponte? Não escancararia tanto a má intenção.

  • Kenzo

    Revoltante é ver uma grande parte da imprensa e, consequentemente da população, defender que não existe uma indústria de multas. Utilizando o argumento simplista de que basta não cometermos nenhuma infração que essa suposta indústria irá à falência, não compreendem que muitas situações são forçadas para que você acabe cometendo alguma infração fácil de ser fiscalizada do jeito mais fácil (câmeras). Exemplo recente: bem no acesso (em frente ao Pirajá, para quem conhece) da Pedroso de Morais (60 km/h) para a Faria Lima (60 km/h) colocaram recentemente uma câmera e um novo limite de 40 km/h, em um trecho de 50 metros.

    Além de multas lavradas por agentes, cujo auto não apresenta imagem e você não tem recorrer. Como já aconteceu mais de uma vez comigo, sempre (coincidentemente?) no período Natal/Ano novo, em que chegaram multas como “Trafegar sobre faixa de contenção” ou “Passageiro sem cinto de segurança”, sendo dias em que eu sequer havia saído de casa. Como recorrer? Agora sempre procuro deixar meu carro em local que me possibilite documentação comprobatória durante esses dias.

    E a fiscalização ostensiva? Qual o impacto positivo e educativo não traria para o trânsito como um todo?

    Ontem fui assaltado por um agente de trânsito de São Bernardo do Campo. Os semáforos em frente ao Paço Municipal / Prefeitura / Pista de Skate estavam todos apagados. Alguns agentes de trânsito estavam controlando os cruzamentos.
    Como eu havia acabado de passar por ali meia hora antes, sabia da condição e, mesmo com os agentes, tomei uma maior cautela, pois a Avenida Pereira Barreto é movimentada e larga.

    Aí então, veio o assalto. Acessei a Pereira Barreto, parei para os pedestres, verifiquei o tráfego, não vi nenhum agente naquele semáforo e não escutei nenhum apito. Portanto, segui em frente. Qual não foi a surpresa quando olhei pelo retrovisor e vi um agente vindo correndo bem atrás do meu carro tirando o bloquinho?

    Certamente ele deveria estar nas faixas mais à esquerda, cuidando dos carros que vinham da Av. Lucas Garcez, e eu estava na primeira faixa da direita, descendo da Baeta Neves. São 5 ou 6 largas faixas de rolamento, para um único agente cuidar em um entroncamento.

    Já estou resignado de ter de pagar. Mas o que fico indignado é ver, por exemplo, carros estacionados em lugar proibido nas ruas ao redor do escritório, todos os dias. E não é que estão estacionados em um trecho pequeno de 10 metros da esquina, é um trecho inteiro de uma rua. Enquanto isso idiotas param nos estacionamentos.

    Andar no acostamento, na contra mão, fazer conversão proibida, não ligar os faróis, parar em fila dupla etc., tudo que seria melhorado com fiscalização ostensiva do trânsito.

    • Domingos

      ” ver uma grande parte da imprensa e, consequentemente da população, defender que não existe uma indústria de multas”

      Você quer dizer MAVs e petistas, não é? Parece na internet – E SOMENTE NA INTERNET – que tem muita gente defendendo isso porque tem gente PAGA pra fazer isso o dia inteiro.

      Gente que seria mais digna numa cadeia ou mendigando.

      Na vida real não vejo ninguém defendendo isso.

      • Lorenzo Frigerio

        Quem defende, não dirige e desconhece a dinâmica do trânsito.

        • Domingos

          Exato. Depois que vi motorista de ônibus reclamando, fica claro que só completo desconhecedor ou mal intencionado aprova isso.

    • Newton ( ArkAngel )

      Esse cara é fera, já conseguiu cancelar multa de radar fotográfico que tomei numa pegadinha (radar escondido ). Quase todas as multas possuem algum erro na aplicação.

      ricardo.adam@gmail.com

      Advogado especializado em trânsito.

  • Mr. Car

    Creio que todo mundo achou, mas quero ser o primeiro a dizer: esta fotografia da “câmera armada” ficou absolutamente sensacional!!! Coisa de ganhar prêmio jornalístico, he, he! A noticia, já tinha lido, inclusive alertei para ela em um off-topic no post do Paulo Keller, mais cedo. Dia 16/08, quem for de São Paulo aproveite para gritar também “Fora Haddad”!

  • Eduardo Silva

    Os motoristas simplesmente são induzidos a entrar nesse acesso. Não acredito que nem mesmo 5% dessas multas seja por má fé do motorista. E 100% é por má fé da prefeitura. Se esse radar quebrar duvido que o socorro a ele não chegue mais rápido do que a um pedestre que o raddard quer “salvar”.

  • Roberto Alvarenga

    Bob, passei aí hoje e vi que há uma placa afixada na própria Ponte das Bandeiras, antes da entrada, indicando a proibição do acesso.

    Aqui, no Google Street View, dá pra ver (não sei se o link funcionará): https://www.google.com.br/maps/@-23.518188,-46.629673,3a,75y,300.37h,86.06t/data=!3m6!1e1!3m4!1s3xkJAkAQtTz7mjXQLtuzMg!2e0!7i13312!8i6656

    É claro que isso não tira a razão dos que criticam a indústria da multa que funciona a todo vapor em São Paulo (e eu me junto a esses críticos), mas é importante dar a César o que é de César. Creio que esta placa ajuda o motorista desavisado a evitar esta infração.

    • robson santos

      Será ?

      Tanto a placa que você mostra, como a placa que o texto mostra, aparecem quando você já está sob linha branca contínua, ou seja não poderia sair desta faixa, e logo quando você passa abaixo da ponte já está sobre a manobra não permitida, ou seja está sem tempo para evitar a manobra, duas sinalizações que falham ao (tentar ) avisar o motorista sobre o que não é permitido fazer ali, pois na verdade você estava errado o todo tempo sem saber disso, essa é a pegadinha.
      E por acaso com aquela placa acima da ponte então a CET permite que você saia a tempo de sua faixa cruzando uma linha branca contínua ? Incoerência da CET isso ( novidade… )
      É como o Bob falou, seria uma infração para evitar outra, ou seja basta um “marronzinho” ali antes da ponte que ele vai te pegar do mesmo jeito.

      • Roberto Alvarenga

        Isso é verdade. De todo modo, é uma placa que dá pra ver antes de ingressar na faixa contínua.

  • Davi Reis

    Me lembra de uma multa (na verdade duas no mesmo lugar) que tomei ano passado. Eis a situação: você para em um sinal, no topo de uma descida, e arranca quando abre, velocidade de 60 km/h. Dois ou três quarteirões depois, existe outro sinal, coisa de 600 metros, talvez até menos, e logo junto do sinal, um radar, que julgava ser de avanço. Permanecendo a 60 km/h indicados, na hora que você chega no final da descida, o sinal fica amarelo justamente quando estamos prestes a passar por ele. A reação natural é acelerar, já que estamos muito próximos para frear, o que poderia causar um acidente. Mas eis a pegadinha, o radar é de velocidade, e não de avanço. Como é um declive, qualquer aceleração já faz o carro superar (bem) a velocidade permitida. E lá vai a multa. Junte-se isso às denúncias de que existem radares de avanço multando no amarelo por aqui e fica a certeza de que a arapuca está armada em todo canto. Recentemente vi alguma coisa na TV falando justamente desse radar onde fui multado, mas acabei não dando bola, acho difícil corrigirem isso.

    • Domingos

      Os radares hoje podem fazer qualquer tipo de multa. Claro, alguns são especializados, mas grande parte pode desde te dar multa de rodízio até multa de velocidade.

      Não confie em nenhum.

      • caique313131

        Se tem uma coisa que o Brasil pode dizer que tem de ponta, é tecnologia de radares de trânsito. Não sei como os governos esquerdistas populistas, que hoje em dia infestam todos os cantos do mundo, inclusive os países desenvolvidos, ainda não começaram a importar a tecnologia brasileira de multas.

        • Domingos

          Nem precisa. São empresas privadas da mais alta qualidade que fornecem esses equipamentos.

          Não sei se são empresas brasileiras, porém com certeza possuem tecnologia e competitividade para vender essas coisas em qualquer lugar do mundo.

          Nisso e nas propagandas nos relógios instaladas recentemente somos primeiro mundo mesmo.

          De madrugada TODA semana essas propagandas são trocadas e limpas, parece serviço público da Alemanha o negócio.

      • Davi Reis

        Aqui em BH esses radares multifunção ainda estão chegando, estão começando a funcionar essa semana. E ainda são bem poucos diante do número que instalaram.

        • Domingos

          Que bom que demorou para chegar aí… Infelizmente São Paulo vai dando um mau exemplo.

          A propósio, Minas foi o único estado que me deu ganho num recurso de multa. Levei uma multa de carro com placa clonada ou similar a minha há uns 2 anos, rodando por aí.

          Foi ligar para o órgão responsável, que não lembro o nome, e dar por e-mail mesmo um único comprovante que estava em São Paulo naquele dia e foi prontamente cancelada.

          Um sonho em comparação a São Paulo. Espero que ao menos isso continue.

    • joao

      A coisa mais comum é o semáforo estar programado para ficar amarelo quando se chega nele. Isso se o cidadão andou na velocidade normal da via. Quem arranca e ultrapassa a velocidade ainda consegue pegá-lo verde. Não sei o porquê disso…

      • robson santos

        Pegadinha essa implantada na divisa Santos-São Vicente em São Paulo, onde ali existem 3 semáforos, e nunca houve problemas quando você parava no primeiro semáforo ( no Emissário Submarino, na altura do Posto Salva-vidas 1, onde até costuma ficar uma viatura da polícia militar na travessia da pista ), e depois cruzava o segundo ( Rua Santa Catarina ). Hoje vejo que reduziram o tempo do semáforo para lhe pegar quando você cruzar o segundo, míseros 100 metros depois do primeiro. Tenho certeza que alguns devem dizer que foi para beneficiar quem sai da Rua Santa Catarina…

        Mas adivinha se não colocaram câmeras para cada faixa ali, além da que fica no poste monitorando a via ?
        Ah não, vão justificar que são os semáforos “inteligentes” que a prefeitura implantou na cidade, inteligentes mesmo, reduzem o tempo habilmente na principal via em favor da menor…

        Aí soma-se isto com a redução de 60 km/h para 50 km/h que São Vicente fez no seu lado, apesar de uma via larga, mas com a justificativa de reduzir acidentes, devia ser mesmo, pois a mesma não restaurava a pintura das faixas de rolamento, assim, fica mais fácil reduzir a velocidade, óbvio…

    • Roberto Neves

      Como diz o Bob: – Canalhas!

    • Gustavo França

      No meu bairro (Chácara Santo Antônio), quando se pega um sinal fechado, pega-se todos. Adoro andar na Amaro Guerra domingo… tudo vazio e tendo que parar em todos os cruzamentos (tem sinal em quase todos quarteirões!) e se mantiver a velocidade normal da via, passa em todos na virada do amarelo para o vermelho…. e não dá para ir mais rápido por causa dos buracos… pior que muita estradinha de terra.

  • Armen Loussinian

    Caríssimo Bob
    Como sempre, você acertou na mosca quando diz “assalto à câmera armada”. A sinalização é totalmente inadequada e confusa; a “vítima”, além de ter que prestar máxima atenção no trânsito confuso daquele trecho, é obrigado a ler e interpretar a tal placa em pouquíssimos segundos, com o veículo em movimento. Uma veredadeira “pegadinha”. É inacreditável a quantidade de multas diárias num só local; só me faz pensar que o objetivo é mesmo arrecadação. Se fosse por outro motivo, haveria sinalização adequada, maior e antecipada. Acredito até que a arrecadação com multas já é parte do orçamento da Prefeitura. Estamos na mão desses incompetentes e gulosos por dinheiro, o que é prática comum no meio político. Fora desse assunto, esse povo do executivo, apesar das muitas viagens ao exterior, só copiam o que não presta e saem alardeando por aí que uma determinada medida é usada em grandes capitais do primeiro mundo.

  • Bom..Até onde sei estes equipamentos são fornecidos por alguém que os instala, faz o monitoramento e repassa uma¨”beira” para as prefeituras…Seria interessante verificar quem está realmente se beneficiando disto além do alcaíde e seu secretário de obscenidades a frente da maquina de caçar níqueis… Tendo a origem que se conhece, nada se duvida desta turma…Aposto que tem algo beeeeem estranho.

  • Henrique Lopes

    O local é o recordista de multas e isso é de conhecimento da CET muito antes de sair na mídia, pois não acredito que ninguém tenha achado estranho tantas pessoas serem multadas no mesmo lugar, uma companhia séria teria tomado alguma medida preventiva, afinal as multas não são apenas punições, mas devem ter um caráter educativo. Uma simples faixa alguns metros antes orientando sobre o alto índice de multas ajudaria bastante, assim como colocam faixas alertando o alto índice de acidentes, número de mortes e etc.

  • Daniel S. de Araujo

    Anos atrás aqui em Garça, puseram nas proximidades do Distrito de Jafa, um radar móvel estrategicamente para pegar o motorista desprevenido. Assim o motorista vinha a estrada inteira a 110 km/h e de repente, a placa de 90 km/h e o radar.

    Durou 6 meses. Quebraram o radar com pauladas de cabo de enxada. Recuperaram mas na semana seguinte o aparelho foi novamente destruído, só que desta vez com um tiro de 12. Ai resolveram retirar o radar e o trecho voltou a ser 110 km/h, onde assim permanece há 8 anos.

    • lightness RS

      Na minha cidade aconteceu algo parecido a uns 7 anos atrás, instalaram um lombada eletrônica de 50 num trecho tranquilo da BR que tinha limite normal de 80, pelo distrito industrial da cidade, a primeira vez atropelaram, depois guincharam o infeliz, uns meses depois a prefeitura recolocou e ainda botou câmera para monitorar, era o único ponto com câmera na cidade, levaram a lombada e a câmera, então desistiram de vez.

      Hoje a população convive tranquilamente com 3 lombadas nesse trecho de 4 km, mas duas de 80km/h e uma de 60 ‘justificável’ pois passa por uma vila populosa e uma escola na beira da rodovia.

    • WSR

      Adoro estas subversões extremas. Isso lembra o caso notório do Killdozer Day:
      http://v8bits.blogspot.it/2010/06/4-de-junho-killdozer-day-uhuuuu.html

    • caique313131

      Na Castello Branco, é muito, mas muito comum esse tipo de armadilha. Há um grande trecho com limite de 120km/h, e em alguma parte após ele, o limite se torna, se não me engano, 100km/h. E costumeiramente, escondido pela própria placa, lá está o caça-níqueis, com apenas a câmera despontando pelo guard rail. Um verdadeiro absurdo. Se o motorista que trafega por lá não conhecer essa artimanha, é multa na certa.

      Inclusive, não sei nem como não é proibido, pois utilizando-se da lógica, uma placa modificar o limite de velocidade e, um metro adiante, exigirem que o motorista já esteja na velocidade, é impossível a redução de velocidade no tempo esperado. Para que o motorista não esteja acima da velocidade estipulada, é necessário que ele freie ANTES da placa que altera o limite de velocidade, ou seja, em zona, teoricamente, ainda limitada por uma velocidade maior.

      Quando se trata de impor obrigações à administração e seus lacaios/mandantes, ou garantir mais direitos à população, é muito comum a estipulação de prazos absurdos para adequação, vide prazo para aditivação da gasolina, obrigatoriedade do airbag e ABS, entre outros. Sempre quando se trata de uma imposição à população, praticamente não há margem para adequação.

    • Marco

      Lembro de assistir ao Top Gear e o Jay Leno, que era o convidado daquele episódio, comentar que em Los Angeles colocavam uns “copinhos” sobre os radares…

      Não que eu defenda quebradeira, mas tem hora que dá vontade, dá…

      Sobre os limites esdrúxulos. Outro dia, no trecho leste do rodoanel. 3 faixas, um tapete, ninguém à frente ou atrás. Limite: 80km/h. Mas lotado de “otoridades” escondidas atrás do guard rail.

      Ao passar por eles, ora eu piscava o farol, ora buzinava. Ficam p. da vida.

      E sempre que estou dirigindo e vejo um radar escondido, faço sinal aos outros motoristas.

      Mas a maior cachorrada (pra não dizer outra coisa e ser bloqueado pelo baixo nível) que vejo atualmente são os radares de 30km/h na Rod. dos Tamoios.

  • Marcos

    Olha outra pegadinha:
    – Cruzamento entre Ataliba Leonel x Voluntários da Pátria, existe uma placa de proibição de conversão à esquerda de 2ª a 6ª 16-21h e Domingo das 07-16h. O problema é que esta placa está “depois” do cruzamento. Na falta de atenção tem gente que vira ali.
    Amigo meu tomou multa neste cruzamento.
    Segue foto do Google Sreet View: http://i.imgur.com/yQPqjvS.jpg?1

  • RoadV8Runner

    Uma pergunta que não quer calar: por que raios o acesso é restrito para veículos em geral (exceto ônibus e táxi) entre 6 e 15 horas? Forma simplista de reduzir trânsito no local?

    • RoadV8Runner, se você olhar as fotos do Street View do local com atenção, verá que há um portão que impede o acesso à alça da ponte. Há um motivo para ela: em horário de pico, a alça congestiona e obstrui a Marginal Tietê.
      Há anos que a prática da CET era fechar esse portão em horários de pico para todos os veículos, obrigando-os a dar a volta no Clube Espéria. Curiosamente, parte desse trecho foi usado como pista para a Fórmula Indy, mas no sentido oposto.

      Ali há uma rua que aceita facilmente 3 faixas, incluindo ônibus e caminhões e é longa o bastante para reter um pequeno congestionamento de acesso à ponte sem interferir com a Marginal.

      A medida do uso do portão é racional e a mais indicada.
      O que foge à lógica é a forma como a alça é operada agora, incluindo o horário, que temina às 15 horas e deixa a alça livre no horário de pico da tarde.

      Se tem uma coisa que eu aprendi ao longo da vida é que político adora criar dificuldades durante uma obra pra quando ela for inaugurada ele poder dizer: “Olha quanto benefício esta obra trouxe para a região!!!”.
      Estou vendo o Haddad criar tantas dificuldades para o trânsito que acredito que lá na frente há planos de alguém reverter algumas dessas baboseiras e poder afirmar “olha quanto que a minha gestão melhorou o trânsito dessa cidade!!!”, sem que ninguém lembre que teve alguém ativamente agindo para estragá-lo.

      • Domingos

        Não duvido nada!

    • Domingos

      O acesso da ponte cai direto na Av. Tiradentes, na pista mais à direita. Essa pista ganhou uma faixa exclusiva de ônibus.

      Falam que iria atrapalhar os ônibus a questão dos carros tendo que convergir dessa faixa para as faixas normais, porém isso se resolveria com uma mera placa de preferência à passagem, por exemplo.

      Claro que é esquema. E claro que é para criar mais restrições.

      Logo adiante, 100 metros depois, tem a alça de saída da ponte. Essa, curiosamente, permite que os motoristas entrem na faixa exclusiva e façam uso da alça – não importando se eventualmente atrapalha o trânsito dos ônibus ou não.

      Ou seja… Escolheram o lugar que o radar fosse multar mais e trancaram a via para obrigar a passagem por ele.

  • André Andrews

    Isso é uma verdadeira guitarra, máquina de fazer dinheiro. Coisa de bandido!

  • Luiz Dranger

    Fora os 2 Ptistas já. São bandidos da pior espécie. Incompetentes, e só fazem besteira, vide os novos limites nas marginais. Deve ser para ajudar os ambulantes da mesma corja.

  • Eduardo Silva

    Conheço esse trecho. Não se justifica diminuir a velocidade ali uma vez que tem muro na rodovia, duas pistas laterais para quem vai entrar no povoado e também uma passarela. E olha que de um dos lados da rodovia só tem roça.

    • Daniel S. de Araujo

      Pois é Eduardo, mas fizeram isso nos idos de 2006. Eu mesmo levei uma multa ali.

      E como você bem lembrou, de um dos lados só tem roça. E do outro a mureta.

      O radar ficava junto ao letreiro de concreto “Jafa” pegando quem vinha Marilia

  • Lorenzo Frigerio

    Não tem como o Haddad exonerar o Tatto. O Tatto é que é o chefe do Haddad. E não poderia ser diferente. Ele é o homem da máfia das viações de ônibus na Prefeitura, desde a época da Marta, ou vocês acham que essa “revolução” nos transportes da Cidade de São Paulo tem caráter puramente ideológico, como eles tentam passar?

    • Roberto Alvarenga

      Esse é o ponto central.

    • Domingos

      Está aí explicado como mesmo com esse bla bla bla todo de transporte público, linhas são canceladas e a concentração de pessoas nos ônibus só aumenta.

      Foi assim também com o doente da Colômbia, que era fanático por esses ônibus onde cabem mais pessoas.

  • Roberto Aiello

    o codigo de transito trata deste assunto em seu art 90. não há motivos para a prefeitura não acatar o código, a não ser que o artigo tenha sido alterado.

    “Art. 90. Não serão aplicadas as sanções previstas neste Código por inobservância à sinalização quando esta for insuficiente ou incorreta.

    § 1º O órgão ou entidade de trânsito com circunscrição sobre a via é responsável pela implantação da sinalização, respondendo pela sua falta, insuficiência ou incorreta colocação.

    § 2º O CONTRAN editará normas complementares no que se refere à interpretação, colocação e uso da sinalização”

  • francisco greche junior

    Pois é, temos mais um enorme montante de dinheiro roubado da população pelos Petitas da e ninguém faz nada, segue o jogo. Vai entender. Acho que nada acontecerá a Lula e Dilma.

  • Luciano Gonzalez

    Esse tipo de situação me faz cada vez mais eu gostar menos de SP… essa pegadinha é criminosa.. as novas velocidades nas marginais são ridículas, as ciclovias, as faixas de ônibus feitas sem nenhum critério..
    Ano passado, no dia 1 de Maio (feriado do dia dos trabalhadores), fui multado por trafegar na faixa exclusiva de ônibus na Avenida 23 de maio.. recorri e perdi, recorri novamente e até hoje o recurso não foi julgado, somos tratados como verdadeiros palhaços, pagamos IPVA e demais impostos, andamos com os carros em ordem, somos cidadãos corretos e só pagamos pagamos pagamos.. é deplorável essa situação…
    Temos que dirigir prestando atenção no tráfego, no velocímetro, nos radares, nos ciclistas que andam nos meios dos carros e não respeitam a sinalização, nos motoboys que te quebram o retrovisor por nada, nos buracos que danificam nossos carros, no GPS, para tentar fugir do trânsito, que mais?
    Srs. Fernando Haddad e Jilmar Tatto, vocês são o câncer dessa cidade, pensei que jamais alguém conseguiria superar a Sra. Erundina e o Sr. Celso Pitta no quesito “ruindade” mas você Sr. Fernando e o vosso sancho pança estão de parabéns!

    • Domingos

      Recorrer de multa em São Paulo é lenda. Já tive uma multa cancelada por ser abuso policial, tendo sido um par de multas onde inventaram que passei um sinal vermelho (foi cancelada) e depois que estava sem cinto – nem quando dirigia sem carteira andava sem cinto.

      Essa última acabou vindo, no limite do prazo – estava no último dia!

      Mostrei no recurso que a multa foi expedida e cancelada, todo o processo e que ambas foram dadas na mesma ocorrência e pelo mesmo policial etc. mas a única coisa que responderam – nas duas tentativas – foi: mérito.

      Nem se dão ao trabalho de explicar. Acredito que apenas entrando com advogado possa ter alguma chance, porém já tendo pago o valor da multa.

      Ao menos ganhei uns 6 a 8 meses de não pagar a farsa.

  • Luciano Gonzalez

    SE tivéssemos pelo menos um transporte de massa de qualidade, eu fechava um olho para muita coisa que escrevi logo abaixo, mas não é o caso, longe disso…

  • Carlos Miguez – BH

    Prefeitura petista: assalto ao cidadão !!!
    Para se acabar com isso basta:
    1 – cortar parte de um pneu velho de modo a poder “abraçar” um poste de radar;
    2 – litro de gasolina;
    3 – fosforo;
    4 – vontade para faze-lo, se esta se sentindo roubado pela prefeitura;
    5 – Estar preparado para eventuais conseqüências.

  • Juvenal Jorge

    No Reino Unido havia uma organização que destruía câmeras de velocidade colocadas para faturar. Desrespeito de administração pública tem em todo lugar.
    Vamos ver se ali alguém “dá um jeito” na câmera. Com tanto hacker por aí duvido que alguém não saiba fazer uma maquininha que sirva para fritar esses aparelhos de roubar cidadão.

    • Andre Sousa

      Uma vez em Santos deram um jeito (entenda-se destruíram a balas) um radar na entrada da cidade. Depois o radar voltou, mas o limite de velocidade foi aumentado para um valor mais justo.
      Quanto ao hacker, isso seria ótimo (a ideia está no ar…)

  • Lucas Sant’Ana

    A foto de abertura parece um robô apontado uma arma futurista, será que a skynet um dia se tornará realidade? Não sei como a população ainda não quebrou essa câmera.

    • Domingos

      Contam com a movimentação muito grande de São Paulo, a falta das pessoas serem mais arraigadas com seus bairros pela imensidão da coisa.

      Tenho certeza que numa pequena cidade do interior isso aí estava resolvido.

    • Pablo N

      O objetivo da montagem na foto foi esse mesmo.

  • ccn1410

    Devido a péssima sinalização, o motorista do Fit até poderia provocar um acidente.

  • Guilherme

    Assalto,roubo,covardia o que se instalou no Brasil do PT. Essa corja tem que ser erradicada do poder e ir direto para a cadeia que e o lugar deles notadamente o filho e a filha de lenin.

  • vstrabello

    Vergonhoso demais.

  • Marcio

    A má-fé não está no fato de existir sinalização ou não. Ela está no fato de existirem tantas autuações,o que demonstra que a sinalização é ineficaz, e mesmo assim a prefeitura não tomar uma atitude para resolver o problema. Ou seja, se existisse uma preocupação real de que a alça seja usada da maneira estipulada pela prefeitura, ela já teria agido. Só que pelo jeito tanto faz esses carros entrarem ou não na alça nesses horários, o que importa é arrecadar. Me deixa os cabelos em pé (já são poucos!) quando vejo alguma notícia em que um órgão público compra X radares declarando o objetivo de chegar a Y de arrecadação em multas.

    • Roberto Neves

      Perfeito!

  • Fabio Toledo

    Esse item 5 que complica… Vontade não falta!!!!

  • Fabio Toledo

    Luciano, o que mais me revolta são os buracos, acho que mesmo não gostando dessa fiscalização eletrônica arrecadatória se andassemos em verdadeiros tapetes eu não reclamaria, mas não! O dinheiro a gente sabe bem pra onde vai!!!! Mas não vai adiantar gastar os tubos Haddad, você já era!

  • Fabio Toledo

    Lembrei das falas
    … “na cara não, vai estragar o enterro”
    … “dá a 12 aí!”

    Acho que perceberam que se insistissem nesse radar a próxima rajada poderia ter outro endereço.

  • Fabio Toledo

    Pena que caiu no vão! Depois que as coisas acontecem, as pessoas ainda chamam o pobre que foi desrespeitado inúmeras vezes de monstro.

    • WSR

      O vacilo dele foi ter deixado o radiador exposto. Vez ou outra bate a vontade de fazer algo assim no Espírito Santo, rs.

  • Marco

    Em SBC, no acesso da Av. Vergueiro à Lions, sentido paulicéia, existe um posto de combustíveis, com algumas vagas regulamentadas. No entanto, pouco mais à frente, há uma faixa branca e a placa de “exclusivo carros oficiais”. NUNCA, NUNCA tem agente de trânsito organizando qualquer coisa ali. Mas sempre tem uma S-10 do depto de trânsito e um funcionário que vai numa casa em frente. Tudo leva a crer que a faixa de carro oficial foi pintada para “quebrar o galho” do funcionário.

    São Bernardo também entrou na onda da redução de velocidade. A Faria Lima foi reduzida para 50km/h. Não é nenhum fim do mundo, mas a Lauro Gomes (ao lado do rio) também tem limite de 50km/h, que ninguém respeita mesmo. Quase todos andam a 70km/h.

    Se querem implantar (como adoram dizer) velocidade de cidades européias, que adotem também pavimentação e sinalização decente. E retirem valetas, lombadas, consertem semáforos.

    Edit. A prefeitura de SBC também é do PT, mas a burrice é generalizada e apartidária. Em São Caetano, quase em frene ao fórum, construíram uma lombada (que só SCS sabe fazer, aquelas porcarias que dão um tranco infernal no carro) na curva.

  • Andre Sousa

    Faz um ano que ouço reclamações sobre essa pegadinha na ponte das bandeiras. Milagre que ninguém (ainda) tenha dado uns tiros nessa câmera…

  • Andre Sousa

    Justo seria exonerar a corja toda.
    2016 está aí – #ficaadica

  • Andre Sousa

    Fato: a maioria da população está descontente sim, principalmente com esses limites ridículos nas marginais. Basta ver a popularidade deste imbecil que se diz prefeito e a quantidade de reclamações que escutamos todos os dias. Eu ainda não dei de cara com ninguém que, minimamente, defendesse isso.

    Alguns meios de comunicação tentam fazer uma lavagem cerebral, sabe-se lá por que. Anotem bem alguns deles:

    1-) http://super.abril.com.br/ideias/ideia-40-novos-caminhos-para-a-cidade (depois dessa, definitivamente, essa revista eu nem leio mais)

    2-) http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/reduzir-a-velocidade-das-marginais-em-sp-e-mesmo-tao-ruim (notem a sutileza em vender a ideia)

    3-) http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/07/1658064-com-nova-velocidade-nas-marginais-motorista-freia-para-driblar-radar.shtml (o motorista colocado como vilão , no final de toda reportagem todo tema, dizem que vai levar apenas 4 minutos a mais para percorrer a via toda com o novo limite)

    Tem mais uma reportagem da Folha, na qual foi feita uma entrevista ao presidente da OAB, não consegui recuperar o link da mesma, mas surpreende que o tom das perguntas ao presidente parecem estar defendendo a medida de redução de velocidade.

    É bom ter esses e outros meios de comunicação e essas reportagens em mente (em outras palavras, não merecem muita credibilidade).

  • robson santos

    Aposto que dá, com isso o certo então é o motorista nem pegar esse acesso, não é mesmo ? Pois a placa é de proibição ao acesso, é isso que dá para se perceber a distância… mas a placa contém mais de uma informação, assim quando você resolve continuar um pouco mais para ler toda a informação da placa, um direito seu e um dever da autoridade pública manter o motorista bem informado, não terá mais tempo pois se encontrará sob faixa branca contínua…

    De novo, muito justo isso…

    Assim pergunto: qual a finalidade de uma sinalização EFICIENTE? Questionado isso, é o que se propõe tal sinalização neste caso? Na minha opinião, essa suposta antecedência para visualização da informação desta placa é praticamente inútil, pois na verdade é mais de uma informação para uma mesma placa, quando todos realmente conseguirem perceber a situação em que se encontram irão acabar trancando o acesso para conseguirem sair desta faixa a tempo, ou coisa pior, gerando acidentes, deixando-a não só mais lenta mas bem mais lenta que as demais, congestionamento mesmo fora do horário de pico, bonito isso…

    • Roberto Alvarenga

      Concordo que não é a melhor sinalização. Mas eu passei lá ontem e vi a placa com bastante antecedência, pelo menos uns 100 metros. Principalmente a seta cortada indicando à direita, que demonstra que, a priori, o acesso é proibido. E olha que tenho 3 graus de miopia (inclusive, na minha CNH, está previsto o uso obrigatório de lentes corretivas). Com o novo limite de 50 km/h fica ainda mais fácil enxergar a placa com a antecedência necessária para sair da faixa.

      Ocorre que grande parte dos motoristas não presta atenção na sinalização das placas brancas da Marginal Tietê. Isso porque, depois das últimas “reformas” das Marginais, os acessos às pontes e trocas de pista ficaram tão complexos que ficou praticamente impossível dirigir ali sem se guiar pelas placas verdes. O resultado é que todo mundo só olha pras placas verdes, porque perder uma entrada na Marginal pode significar ter que andar quilômetros num trânsito terrível até chegar no primeiro retorno. Talvez haja a necessidade de reformular completamente a sinalização das marginais. Usar painéis eletrônicos, tecnologia. Mas aí é pedir demais. Nosso prefeito é mais amigo dos radares que das placas.

      • robson santos

        Roberto, a única coisa visível ao longe é a sinalização de proibição, isso parece ser consenso, Foi como questionei e você chegou à mesma conclusão que o certo então é evitar a manobra, mas é muito “justo” isso com os motoristas que tem a necessidade de pegar tal acesso não é mesmo? Isso é a defesa total da proibição dessa manobra, um absurdo, tempo de percepção e reação varia de motorista para motorista… E ainda em outra foto postada por outro colega ( visível pelo mesmo link que você postou, é só “andar” um pouco pra trás) mostra que na verdade existe uma placa amarela ainda um pouco antes, num ponto exatamente onde começa a linha branca contínua… mas tal placa não quer dizer muita coisa para quem não conhece o local, afinal não caracteriza a proibição de conversão à direita logo à frente, como a placa branca acima da ponte mostra, “já em cima da hora”…

        Sei lá, mesmo pela placa amarela deve ter uns 100 metros apenas até a realização da manobra.

        Mas em relação à placa amarela, qual será sua percepção? Só quem trafega habitualmente ali sabe o que se passa à frente, deve cair muita gente nessa todos os dias…

  • Christian Bernert

    No Contorno Sul (mais conhecido como “transtorno sul”) aqui em Curitiba, a velocidade indicada varia de 110 km/h para 80 km/h, mas não fica claro se os 80 km/h são só onde está a placa ou ao longo de quantos metros ou quilômetros. Porém no trecho que eu passo diariamente existem três pontos onde a velocidade é reduzida para 60 km/h. Em dois deles há um radar com painel digital indicativo de velocidade – a tal ‘lombada eletrônica’. O problema é que no terceiro ponto há apenas uma placa de 60 km/h e um radar do lado direito da pista. Porém sem o painel digital existente nos outros dois pontos. Isto induz o motorista ao erro até mesmo porque a placa de 60 km/h pode ficar encoberta pela carroceria de algum caminhão e o motorista sequer consegue ver a placa.
    Deve dar um lucro fabuloso.
    Sem contar que as marcas de pneu antes do radar acusam que motoristas surpreendidos pela arapuca são levados a frear repentinamente, em uma manobra potencialmente causadora de acidentes. Então o radar passa a ser um fator de risco, ao invés de prevenir acidentes.

    • Roberto Neves

      Recentemente li um editorial do Bob na revista Carro, chamado “Sinalização correta não é favor” (cito de memória), que mostra exatamente isso. A sinalização deve, em primeiro lugar, ser um fator de segurança. Quando seu objetivo primário se torna aumentar a arrecadação e, pior ainda, quando cria condições inseguras, a incompetência e a má fé dos administradores se torna patente.

    • Lucas dos Santos

      […] a velocidade indicada varia de 110 km/h para 80 km/h, mas não fica claro se os 80 km/h são só onde está a placa ou ao longo de quantos metros ou quilômetros“.

      Christian,

      Na dúvida, siga o que diz a legislação:

      http://i.imgur.com/fALbwhT.png
      http://i.imgur.com/MLLts8g.png

      Sendo o Contorno Sul uma via rural e o limite de até 80 km/h, você deve manter essa velocidade pelos próximos 10 km ou até que apareça outra placa que modifique a velocidade.

      Se, após esses 10 km, não surgir nenhuma outra placa, o limite passa a ser de 110 km/h, conforme previsto pelo Art. 61 do CTB para vias rurais.

      • Christian Bernert

        Obrigado Lucas dos Santos pelo esclarecimento.
        Cá entre nós, convenhamos, 10 km de vigência é um exagero total. Sem contar que eu receio que menos de 1% dos motoristas conheçam esta regra. E haja memória para contar os quilômetros a partir de cada placa. Em síntese: mais uma regra absurda.

        • Lucas dos Santos

          Também acho exagerado. Ao meu ver, 2 km nas rodovias e 1 km na cidade já estaria de bom tamanho.

          E também acredito que sejam poucos os motoristas que conhecem essa regra.

          Quem fosse segui-la à risca teria de consultar o hodômetro do carro e adicionar 10 km para saber quando poderá voltar a acelerar. Ou, nos casos mais extremos, utilizar o hodômetro parcial (rs)!

          Mas, se é para não tomar multas o jeito é “enfrentar o ‘inimigo’ com ‘armas’ legais”, como costuma dizer o Bob.

          Se analisar bem, isso é, na verdade, uma forma de permitir que a autoridade com circunscrição sobre a via gaste pouco (economizando “porcamente”) com sinalização. Dessa forma, ao invés de colocarem uma placa a cada um ou dois quilômetros, fazem com que uma única placa seja válida por 10 ou 15 quilômetros, ficando à cargo de quem cuida da sinalização decidir se utiliza intervalos mais curtos (mais placas) ou não. Enfim, “coisas de Brasil”…

  • Roberto Neves

    O mais esdrúxulo, no meu entender, é que miríades de infrações absurdas, perigosas, que podem causar danos físicos a terceiros não são punidas. Almoço todo dia, aqui no Rio de Janeiro, num restaurante vegetariano na rua da Carioca (ótimo, recomendo a quem gosta de comida vegetariana) que fica em frente à faixa de pedestres. Pois é uma dificuldade atravessar! Os ônibus param sobre a faixa, os carros avançam o sinal vermelho! Às vezes um carro da PM estaciona sobre a calçada e os policiais ficam olhando, sem tomar qualquer providência. Nem falo mais com policial, infelizmente, apesar de admirar quando fazem um bom trabalho: fui fazer uma pergunta a um PM outro dia e ele levou a mão à arma. Tive que acalmá-lo, explicando que só queria conversar com ele. Fico pensando que se pusessem um guarda nesse semáforo 3 dias por semana arrecadariam legitimamente uma nota preta e disciplinariam os maus motoristas, mas não: preferem usar meios escusos como o mostrado neste artigo.

    • Roberto Neves
      Terra de ninguém. ninguém quer nada com o trabalho, ninguém é sério.

      • Roberto Neves

        Hoje fui almoçar. O sinal estava fechado para mim e por isso fiquei a esperá-lo abrir. Um ônibus parou exatamente onde deveria, antes da faixa, porque não havia espaço para ir à frente, e o motorista ficou calmamente esperando. Quando o sinal abriu, atravessei, parei junto a ele, chamei-o e lhe disse: – Você está de parabéns! Parou antes da faixa, corretamente, coisa que quase ninguém mais faz! O motorista abriu um sorriso e disse: – Pois é, não pode! E saímos ambos felizes, que coisa boa!

    • Domingos

      Na rua paralela à da minha casa, por uma semana ficou uma viatura da CET.

      Uma árvore estava tampando um sinal, na frente de uma autoescola. Vários carros e ônibus estavam furando o sinal, que é cruzamento com uma ladeira onde os carros passam bem devagar devido a uma valeta.

      Bom, a viatura simplesmente não multou e nem alertou ninguém. Ficou assim o dia inteiro, até que estava passando na rua e meu pai foi avisar – depois de ter visto só naquele momento uns dois carros e um ônibus avançando o sinal por esse motivo.

      Aí sim foi feita alguma coisa, com o CET passando a sinalizar.

      Acho que não era dia de arrecadar, não é mesmo…

  • Lucas dos Santos

    Caíque,

    É isso mesmo que deve ser feito quando houver redução de velocidade: reduzir a velocidade ANTES de passar pela placa.
    De acordo com a Resolução 160/04 do Contran – que substitui o Anexo II do CTB – a velocidade regulamentada passa a valer a partir do ponto onde está a placa.

    http://i.imgur.com/fALbwhT.png

    Isso significa que o motorista deve começar a reduzir assim que avistar a placa, para já chegar nela em velocidade igual ou inferior à regulamentada a partir daquele trecho. Por isso é importante que a placa esteja visível a partir de uma distância que permita ao condutor efetuar a redução em tempo hábil. Do contrário, cabe recurso com base no Art. 90 do CTB.

    http://i.imgur.com/ZjlcHGK.png

    Independentemente disso, concordo contigo que o radar citado por você, mesmo estando dentro da legislação, é uma verdadeira “armadilha” estrategicamente posicionada com função unicamente arrecadatória! Na minha opinião, reduções de velocidade deveriam ser fiscalizadas somente por lombadas eletrônicas, nunca por radar. Mas é óbvio que jamais fariam isso, sob pena de queda nas arrecadações.

  • Gustavo França

    Se não tiver um caminhão na sua frente…

  • Gustavo França

    Uma vez tomei uma multa por passar no sinal vermelho na Faria Lima, em São Paulo. A multa veio sem foto. Lavrada por um agente de tráfego. Detalhe na época estava trabalhando e morando em Belo Horizonte. Para minha sorte tinha comprovantes inúmeros (inclusive do estacionamento em que o carro estava) e consegui recorrer. Eles devem pensar, “vai que cola…”

  • Rodrigo oliveira

    Uma dúvida, em imagem observada

    pelo google street view, ( foto de Jun 2015 ) percebe-se algumas placas antes do acesso a ponte, uma amarela olhando-se para cima

    uma a direita em um poste de metal e uma na própria ponte,

    gostaria de entender se tais placas estão de acordo com legislação

    vigente ou se não são suficientes.

    envio tais imagens em anexo.

    • Rodrigo
      É muito para ler, mensagem longa demais. Fora que não existe isso de placas informativas avisando que há alguma restrição adiante e que nem todos sabem o que é Ponte das Bandeiras. A que o motorista está habituado a ver são as placas de trânsito, as que efetivamente determinam o que se pode ou não fazer, como proibido efetuar conversão à direita ou à esquerda. Se a CET fosse honesta colocaria a placa de proibido dobrar antes de se começar a acessar e eliminaria a linha branca, podendo o motorista cancelar a manobra e seguir em frente. É o que ocorre normalmente, vêm-se por uma rua, quer-se dobrar e aí vê-se placa de sentido de mão ou a de proibição e segue-se em frente, isso é rotina no nosso dia-a-dia. Ali uma armadilha das mais bem boladas, coisa de gente safada mesmo. Assalto de verdade.

      • Roberto Alvarenga

        Bob, tem uma placa azul dizendo “Ponte das Bandeiras” bem grande ali do lado direito da pista. Concordo que não é a sinalização mais simples e objetiva do mundo (e sinalização de trânsito, por definição, deve ser simples, objetiva e universal), mas, como disse em meu comentário, passei aí há 2 dias atrás e não vi dificuldade em entender que o acesso é proibido.

      • Rodrigo oliveira

        Concordo, a placa de proibido converter à direita

        deveria ser mais clara e maior do lado direito (está na esquerda ) pois é natural que o motorista se mantenha a direita para fazer a conversão.

        Mas acredito que “eles” estão se legitimando com tais placas insuficientes e mal posicionadas.

        • Domingos

          Cada foto aparecem as placas em um lugar diferente e nunca no lugar/tamanho certo.

          Claro que estão fazendo isso.

      • Domingos

        Essa placa amarela até na foto é de legibilidade ruim, ela some em relação a todas as outras.

        Justo no lugar dela é que era para estar uma única e bem feita placa de restrição branca como é o padrão.

        O detalhe da outra placa colocada no barranco é muito bom também. No fim, de 4 “placas” dessa foto, apenas 1 está mais ou menos legível – a colocada na ponte, que está meio errada também.

  • Lucas dos Santos
    Tudo errado. A sinalização alemã tem essa placa, que indica fim do limite exibido e que se pode voltar para o geral, o que havia antes da redução Não há nada mais simples. Mas como o brasileiro é “muito inteligente”, só pode dar a caca em que estamos.

    • Lucas dos Santos

      Bem lembrado, Bob. Uma solução extremamente simples e que não deixa margem a dúvidas.

      Por aqui, é aquela velha história: “Para que simplificar, se dá para complicar?“.

  • RoadV8Runner
    No período da manhã o volume de tráfego que chega a São Paulo é muito grande. A alça de acesso à ponte congestionava e se formava fila na faixa da direita pelos carros que aguardavam entrar no acesso, eliminando uma faixa, portanto. Para resolver, hã mais de 10 anos, ou talvez mais, o acesso era fechado, digamos, das 7 às 10 horas, por meio de uma porteira. Com ela fechada seguia-se em frente sem dificuldade; estando aberta, pegava-se o acesso à ponte. A porteira está até hoje lá, mas nunca mais foi usada. Com está aberta permanente, a “presa” entra instintivamente e só vê a placa proibindo depois que não dá mais para desistir. Aí, já sabe, “plin, plin” caixinha obrigado. Coisa de bandido.

  • Noticia fresquinha:Gerson Almada, da Engevix, disse aos investigadores da Lava Jato que encaminhou ao seu operador de propinas, Milton Pascowitch, uma lista com os candidatos que deveriam ser bancados pela empreiteira.

    Todos eles pertencem ao PT:

    “Vicente Cândido, Maria do Rosário, ‘Mirian’ (que o depoimento não identifica), os deputados estaduais do PT Rio Grande do Sul Altemir Tortelli, Marcos Daneluz e Nelsinho Metalúrgico, além dos irmãos Nilto Tatto e Enio Tatto, deputado federal e deputado estadual por São Paulo”.

    • Domingos

      Maria do Rosário? Eita, essa cara é a doença em pessoa. Deveria ter arrancado o Maria do nome dela, é uma ofensa maior que qualquer outra prevista em lei.

      Uma pena que não deve dar em nada. Seria legal ver ela apodrecer na cadeia.

  • Roberto Alvarenga
    É claro que sabendo dessa roubalheira depois de tanto ler a respeito aqui no Ae, há mais de um ano, você conseguiu ver a sinalização. O estranho seria se você não a visse. Quem não conhece esse assalto, mesmo sendo paulistano, cai nessa.

    • agent008

      Bob, Roberto Alvarenga: e os visitantes que vêm à Terra da Garoa? A CET não deve mesmo gostar de turistas ou visitantes, afinal de contas temos de cuidar até o dia da semana em que circulamos pela Capital sob pena de tomarmos multa por conta do rodízio… Sem contar a imensidão de radares com velocidades inferiores às da via (a velocidade cai repentinamente e logo em seguida tem um elevado ou passarela ocultando as famigeradas câmeras)…

  • Caio Ferrari

    Não, crime não é.

    Discordo de você, Bob. É falta de caráter e vergonha na cara.

    Se a conversão não deve ser feita e há tantas infrações, deve se colocar fiscalização alí, orientando o trânsito para que haja EDUCAÇÃO, e não aumento de arrecadação com multas.

    • Marcelo

      Pelo visto você não conhece esse lugar.
      A placa de proibição é bem pequena e num lugar que quando você viu, já é tarde para sair.

  • Danniel

    André, aqui em Brasília volta e meia liberam a faixa exclusiva de ônibus na pista expressa que eu uso para me deslocar até o trabalho. Normalmente quando há greve de motoristas de ônibus, mas neste momento está liberada, no sentido Plano Piloto, devido a obras em uma adutora. Eu que não tenho coragem de pegar estas pistas, pois se alguém esquecer ou “esquecer” de configurar o sistema, é multa na certa – a fiscalização é feita eletronicamente.

    Olha só um caso.. Pelo menos este erro foi reconhecido..

    http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2015/07/radar-multa-7-mil-que-passaram-abaixo-do-limite-na-w3-sul-no-df.html

  • Antonio Pacheco

    Bob, e não para por aí. Viu a notícia fresquinha de hoje? O Secretário de Transportes vai fechar a pista rápida da marginal no período da 0 as 5 da manhã ainda esse ano, para evitar acidentes. É mole ou quer mais? Fonte: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/07/sp-podera-fechar-vias-expressas-das-marginais-durante-madrugadas.html

  • Bruno L. Albrecht
  • Edu Silva
  • Pablo Nascimento
  • Ilbirs

    Mais uma da prefeitura paulistana: querem fechar a pista expressa das Marginais de madrugada. Só fico aqui pensando como será ingressar na Castelo ou ir a certas partes de Osasco só acessíveis pelas pistas expressas.
    E seguem as dicas que dou para 2016, com alguns complementos:

    1) Não votar em nenhum candidato do PT;

    2) Não votar em nenhum candidato de partido do Foro de São Paulo (PT, PSB, PDT, PPS, PC do B, PCB, PPL);

    3) Não votar em nenhum candidato de partido que seja linha auxiliar do Foro de São Paulo (PSOL, PSTU, PCO);

    4) Não cair no canto de sereia de nenhuma passeata “espontânea” e “apartidária” que na prática muito serve para ajudar a subir o candidato mais favorável que o Foro tenha posto para concorrer. Em 2012 o paulistano caiu como um pato nas passeatas pedindo “mais amor” e que na prática eram “mais amor ao Foro de São Paulo” e cujos líderes foram recompensados a posteriori;

    5) Se vocês acharam estranho o Datena falar que é candidato, estranhem ainda mais de ele o fazer por um partido que faz parte da base do governo (PP), cuja principal figura em São Paulo é Paulo Maluf (que na eleição passada hipotecou apoio a Haddad) e também o fato de o apresentador do Cidade Alerta dizer-se fã do Lula. Pode ser que essa seja uma candidatura “cristianizada” (usando o jargão político brasileiro histórico), feita justamente para perder, não sem antes dividir o eleitorado antipetista e contrário ao Foro de São Paulo e nessa, fazer um segundo turno só com candidatos de esquerda.

    Abaixo, para descontrair um pouco, um “separados ao nascer”:

    http://veja3.abrilm.com.br/assets/images/2012/3/70558/fernando-haddad-candidato-pt-20120314-size-598.jpg?1331753891

    http://i.ytimg.com/vi/zKB0LCouNjA/hqdefault.jpg

  • Dirigir na faixa de ônibus agora é infração gravíssima; veículo pode ser apreendido – http://carplace.uol.com.br/dirigir-no-corredor-de-onibus-agora-e-infracao-gravissima/

    • Domingos

      Legal, agora desviar de um carro ou moto através da faixa é gravíssimo.

      É também mais grave que furar um cruzamento, coisa que pode ter conseqüências fatais.

  • MGregolin .

    A única forma de protesto que nos resta agora é ter extremo cuidado, fazer com que os radares não multem ninguém, assim o custo de manter o radar funcionando não se justifica…