SONHO REALIZADO – POR CARLOS C. KEMPIS – 31/05/15

fiat 147 original (1)

Meu 147 original

Um fiat 147 modelo Europa ano 1981 na cor verde Amalfi foi o meu primeiro carro, isto em 1985.

Fiquei com ele por uns bons anos e com dor no coração me desfiz dele para comprar outro carro mais novo. Ah, se fosse hoje em dia…

Mas o fato é que encasquetei, depois de vários carros seminovos e outros 0-km, em ter novamente meu querido Fiat 147. Pesquisa básica no Detran do Paraná, pela placa, da qual obviamente jamais esqueci, concluí que infelizmente ele já não estava entre nós.

Porém com o auxílio de uma bela e incentivadora esposa comecei a correr vários sites de carros usados atrás de um (impossível) Fiat 147 Europa de mesmo ano e cor que o meu. Os que estavam acessíveis aqui em Curitiba, fui vê-los na intenção de transformá-los no meu inesquecível primeiro automóvel. Depois de quase desistir pela precariedade de todos os visitados, eis que surge um do mesmo ano, porém de (óbvia) outra cor, porém pareceu-me íntegro.

Após testá-lo (delicioso, depois de décadas sem andar em um 147) fechei negócio. Do ato da compra fui direto para a oficina do antigo latoeiro (N.d.E: funileiro, lanterneiro e chapista em outras regiões do país) do Fiat original e já o deixei lá para a devida desmontagem e troca de cor, para o lindo verde Amalfi. Para a minha satisfação, após a remoção da pintura original (branco) constatou-se que o carro nunca foi batido e toda a fiação/parte elétrica era original e estava perfeita!

Que experiência boa! Acabei conhecendo todos os ferros-velhos de Curitiba atrás de um ou outro detalhe, como também o Mercado Livre. Um garimpo maravilhoso que recomendo a todos.

Do Fiat original só falta o engate para reboque. Todos os outros detalhes como bancos Procar, rodas Cruz de Malta (mosca branca), interruptor do farol com iluminação violeta (outra mosca branca), entre outros detalhes, consegui, como tento reproduzir nas fotos.

 

fiat atual1

Meu novo 147 Europa

Deu tudo certo!

CCK

Mais fotos:

 

 

ooooo



  • Mr. Car

    Boa história! Parabéns pelo carro, pela determinação, e pela esposa, afinal, muitas esposas torceriam o nariz para um sonho como o seu, ao invés de incentivar, he, he!

    • Carlos

      Viva a Dona Angélica! hehehehe

  • Jefferson

    Parabéns pela persistência em remontar este pequeno italiano! Divirta-se com a “macchina”!

    • Carlos

      Jefferson,
      obrigado e tenho me divertido bastante.

  • Meu sonho é um Fusca que foi do meu pai. Como fazer para procurar um carro pela placa amarela?

    • Carlos

      Jeremia,
      faça a busca no Detran.

  • Roberto Neves

    Meu primeiro carro também foi um Fiat 147 1980, em 1992.

    • Carlos

      Que belo início, não é, Roberto?

  • Sérgio

    Engate para reboque? Eu, hein!!! Cruz-credo!

    • Carlos

      Sergio,
      sobre o engate respondi ao Rafael. (há um motivo)

  • RoadV8Runner

    Essa parte de garimpar peças é muito boa! O mais bacana é que, no processo, aprendemos muito sobre o carro em reforma. Parabéns pelo bom trabalho!

    • Carlos

      RoadV8Runner,
      sim foi realmente um grande aprendizado!

  • Luciano Gonzalez

    Têm dois carros que eu gostaria muito de encontrar: um é um Brasilia 78 verde Mantiqueira, interior monocromático, desembaçador, ar quente, relógio, tirada 0-km por meu pai, o qual ficou 10 anos com ela, placas KC-3106… não faço idéia como rastrear esse carro… o outro foi o meu primeiro carro, um Gol LS AP 1600 1985, bege metálico, interior monocromático, motor com leve preparação, placas CFL-6048 (este eu sei que se encontra licenciado em São Paulo, mas também não tive êxito em rastreá-lo… se alguém tiver uma dica de como fazer isso eu agradeço…

    • Domingos

      Se você tem o Renavam do Gol, pode consultar quem pagou os últimos DPVATs no site do mesmo. Lá aparece o nome de quem pagou nos últimos anos a taxa e assim fica bem mais fácil achar onde está.

      Ainda mais hoje que você pode tentar jogar o nome da pessoa numa rede social!

      • Luciano Gonzalez

        Não tenho o Renavam 🙁

    • Carlos

      Luciano,
      o rastreamento foi feito no Detran, desejo sorte em sua busca.

    • Francisco Assis Neves

      Luciano Gonzalez, se você tem a placa e o renavam do Gol é só entrar no aplicativo CheckPlaca que você tem acesso aos dados do veículo e do proprietário. Depois é só jogar no Google + Facebook que você acha o atual dono do carro.

      Tentei te ajudar e vi que está em São Paulo. Agora é só procurar no meio desses 5,4 milhões de automóveis registrados lá que fica fácinho, hahaha.

  • João Guilherme Tuhu

    Pena que eu jamais poderei fazer isso…o primeiro carro que dirigi foi um Dart Gran Sedan. E o primeiro a possuir: um 1800 vinho… Mas não tenho essas recaídas: digo adeus mesmo. Muito interessante a matéria.

  • cleyton faria

    Parabéns pelo carro, o 147 não foi meu primeiro carro mas foi nele que aprendi a dirigir,

    • Carlos

      Valeu Cleyton.

  • Gosto muito dessas histórias de reforma e preservação automobilística. Todo carro merece um fim digno! Parabéns pelo 147!

    Bob, acrescente na lista dos profissionais de lanternagem, o chapista, utilizado no nordeste.

    • Carlos

      Aléssio,
      obrigado!

    • MrBacon

      Olá Aléssio, em que parte específica do NE? Sou de Pernambuco e lá falamos lanternagem…
      Abs

      • Bahia e Sergipe. Inclusive, quando trabalhava lá, recebi um orçamento: “Carro com problema na lanternagem”. O eletricista quis dizer que as lanternas não acendiam…

  • Christian Bernert

    Que show! A foto do volante também mostra abaixo os pedais pequenos e muito próximos. Falava-se na época que para guiar um 147 era necessário curso de datilografia – com os pés – hahaha.
    Parabéns pelo excelente trabalho Carlos!

    • Carlos

      Hehehe, essa para mim é novidade Christian.
      Valeu a força!

  • Fat Jack

    Porque a gente é assim???
    Ainda trago para minha garagem um legítimo representante da linhagem do meu primeiro carro (a cor até passa), do mesmo modelo e carroceria (2 portas)…

    • Carlos

      Fat Jack,
      belíssimo Opala.

      • Fat Jack

        É perfeitamente idêntico ao que eu tive (inclusive a cor e as “garras” no pára-choque), um 78, poderia ser também um 79, pelo fato deste ter o freio de estacionamento “tradicional” entre os bancos enquanto os anteriores tem “tipo Kombi”, a direita do volante.

  • Fat Jack

    Muitas para não dizer praticamente todas…

  • Danilo Grespan

    Parabens pelo carro! Pelas fotos ele está mesmo impecável, inclusive o interior está muito bom.

    • Carlos

      Valeu Danilo!

  • Aléssio,
    Essa eu não conhecia; já acrescentei.Obrigado!

  • Rafael Malheiros Ribeiro

    Bela história! O “garimpo” é a parte interessante da restauração, a parte mais difícil é a mão de obra. Quando se tem um profissional de confiança com preço justo, tudo se encaixa e o hobby vira uma “cachaça”. Se me permite uma sugestão, não coloque o engate…

    • carlos

      Rafael,
      o engate não é pelo modismo atual, era para transportar minha primeira moto (que ao contrário do Fiat ainda existe e pretendo adquiri-la)

  • Carlos A.

    Parabéns Carlos pela matéria e persistência até conseguir o objetivo. Seu novo 147 ficou maravilhoso!! Felizmente, o primeiro carro que dirigi, um Fusca, está comigo até hoje, duas décadas depois da minha habilitação! Junto a ele na minha garagem já passaram modelos seminovos, usados e zero-km, mas o Fusca fica! Varias ofertas já recebi por ele e tive muitas oportunidades de vendê-lo, mas nunca tive (e não tenho) coragem. Certamente se tivesse vendido estaria arrependido! Meus amigos na grande maioria, hoje estão arrependidos por ter vendido o primeiro carro. Impressionante como atualmente é enorme a busca por esse reencontro. Não estamos sozinho nisso!

    • Carlos

      Carlos A.
      invejo e admiro sua resistência parabéns!

  • Leonardo Mendes

    O carro que eu quero um dia encontrar é o Opala Divisão 1 que meu pai teve nos anos 70 e foi pilotado pelo Edgard Mello Filho numa corrida em Interlagos onde ele venceu o Maverick de Estanislau Franco na última curva da última volta… placas WI-0642.

  • Esses “reloginhos” extras no painel sugerem algum “fôlego extra” ao 147?

    Lindo demais esse carro!

    Aprendi a dirigir num 1050 77, azul “calcinha”.

    • Carlos

      Mike,
      quando o carro estava em processo de desmontagem/pintura, eu já havia mencionado que estava atrás das rodas Cruz de Malta, isso foi de boca em boca até que alguém viu as rodas para vender em uma loja de bairro e me avisou.
      Os instrumentos são similares aos que havia no carro original,(que foram presente do meu pai que era representante da VDO), portanto sem fôlego extra.

      • Opa, valeu pela explicação!!

        Parabéns pelo carro, está lindo.

  • Essas rodas “Cruz de Malta” eram o sonho de todo mundo que tinha 147 antigamente.
    Nunca vi uma roda casar tão bem com um carro.

  • Jorge Diehl

    Em SC é chapeador! E azar meu, pois meu sonho é uma Simca Jangada 🙁

  • Carlos A.

    Obrigado por essa ‘inveja’ rsrsrs . Espero que fique com o 147 por muitos anos! Na realidade é gosto e prazer pelo carro, além disso o Fusca pra mim foi uma ‘escola’ aprendi e faço os reparos quando precisa (raros por sinal) e só preventivos até hoje. Sabendo cuidar dura muito!

    • Carlos

      Ele vai ficar na família c/ certeza!
      abs

  • Cristiano

    Que legal! Eu ainda sonho em comprar novamente o fuscão 75 “azul calcinha” que meu pai reformou completamente em 85 e inclusive descemos com uma carretinha prá ubatuba com ele… 4 adultos e 3 crianças.
    Tinha até friso na lateral e aqueles refletivos na porta para não amassar em vagas apertadas que no primeiro dia no apartamento foram surrupiados.
    Ele está tão perto, na minha cidade com o avô de meu primo que comprou ele do meu pai na época, mas quem tira o fusca do cara, hehe

  • Luciano Gonzalez

    Essa informação da imagem acima eu tenho, o problema é a falta do Renavam 🙁

  • vstrabello

    Bela história! Lembro de um fórum na Internet que freqüento e sua história está lá. Duvido minha esposa ajudar caso eu vender o meu, que está há 5 anos na família. Show!

    • Carlos

      Vstrabello,
      valeu!!

  • FocusMan

    Aqui na Bahia é chaparia o serviço e o profissional é o chapista.

  • Marcio Rocha

    Só uma observação, na época as placas eram amarelas e de duas letras, como conseguiu descobrir as letras da nova placa cinza e então concluir que o veículo não estava mais ativo? E mais, considerando ter conseguido esta informação, a consulta no Detran do Paraná não vai localizar o cadastro caso o mesmo esteja registrado no Detran de outro estado… Não sei o nível de busca que realizou, pode ser até que estou falando bobagem… Mas enfim, foi o que pensei aqui neste momento.

  • Carlos

    Marcio, busca feita via placa amarela, (dado que eu tenho) nos registros do Detran obviamente vinculado ao Renavam (que eu não tinha). Pela análise feita não havia mais registros do mesmo, levando a conclusão que o carro não mais circula. (oficialmente)