Foi o leitor “RoadV8Runner” que nos avisou: foi publicado no jornal Folha de S. Paulo  desta sexta-feira (29/5) que  a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), subordinada à Secretaria Municipal de Transportes, esta por sua vez à Prefeitura de São Paulo, instalou sete detectores de velocidade na importante rua Henrique Schaumann, no bairro de Pinheiros, em cada sentido. Perderam o resquício de juízo que tinham, enlouqueceram de vez. Colocar um trambolho horroroso desses numa via urbana, para esse finalidade, só pode ser coisa de débil mental.

O que será que nós paulistanos fizemos para merecer isso?

O motivo alegado, segundo a reportagem — nem precisava dizer — é flagrar infrações tipo excesso de velocidade e desrespeito ao rodízio nas oito faixas (são quatro de cada lado) por todos os tipos de veículos. Note bem o leitor: são SETE detectores para QUATRO faixas!

Essa excrescência, que junto com as lombadas passa a ser o novo dejeto viário, só que  em posição elevada, começará a operar em 90 dias, segundo nota da CET ao jornal.

Disse a “companhia” que o local escolhido deve-se a ele ser “uma área de grande fluxo de veículos durante vários períodos do dia” e que já há estudos para instalação de vários detectores desse tipo em outros pontos da cidade, sem especificar quais. Estão do gozação.

O jornal apurou que as multas por excesso de velocidade passaram de 3.137.072 no ano passado contra 3.149.729 em 2013 e que entre janeiro e março deste ano já somam 844.000. Ou seja, anualizando o número serão mais de 3.300.000 em 2015.

A sanha arrecadatória da Prefeitura petista parece mesmo não ter limites.

Onde estão o Ministério Público Estadual, a Ordem dos Advogados do Brasil? Ambos têm o dever de defender os interesses da população ou não?

Ae/BS



  • André Andrews

    Bob, na Av Aricanduva já há isso aí nos dois sentidos.

    Lembra da minha tentativa de mobilizar o MP contra o rodízio? Deu em nada.

    • André Andrews,
      Inacreditáveis as duas coisas que você conta.

  • CorsarioViajante

    Um chute: sete radares para multar quatro pistas e três “corredores” de motos. Quer apostar quanto?

    • Dieki

      Exato.

      • Domingos

        Será que é mesmo necessário? Além do que, a prefeitura costumava nem ligar para multas de moto.

        Aposto numa coisa aí que foi a primeira que me bateu na cabeça quando vi a foto: desperdício de dinheiro do município, obviamente para fins de caixa duplo.

        Esperem por mais coisas ainda mais estapafúrdias agora que o b***inha da USP não pode mais ser reeleito e não sobra nem a compra de urnas como alternativa.

        Vão aproveitar para pegar da maior cidade da América Latina um monte de grana para o Foro de São Paulo e o partido, um esquema que chuto ser de alguns trilhões de reais.

    • Claudio Abreu

      Elementar, meu caro. na mosca!

    • RoadV8Runner

      Além das motos, ainda pega um incauto que mudou de faixa acima da velocidade justamente na posição dos pardais. Eficiência 100% de cobertura da via para tungar todos os motoristas distraídos…

  • Lucas CRF

    Bob, também encheram Brasília desse dejeto. Lamentável é pouco.

    Abraço

    Lucas CRF

    • xineis

      Em Brasília é mais discreto, mas tem um por quilômetro.

      • Danniel

        Os radares do DER ainda são os discretos, do modelo “antigo”. O DETRAN que anda instalando esses novos que não dependem de sensores indutivos no asfalto. E um por quilômetro é muito, na EPTG tem um a cada 400m

  • Christian Bernert

    Já que está tão fácil assim identificar placas e velocidades, proponho que o Ministério Público em defesa dos interesses dos cidadãos obrigue a cidade de São Paulo a identificar todas as placas de carros que circulam em situação de congestionamento.
    Cada veículo registrado nesta situação passará a contar com um crédito referente aos 70% a mais de combustível que o cidadão é obrigado a gastar por este motivo. O crédito deverá ser abatido do valor do IPVA. Garanto que rapidamente toda a frota da cidade passará a rodar com isenção total do imposto.
    Quem sabe assim o governo acorda e faz algo realmente útil com a medição de velocidade. Aliás, se for possível circular por todas as vias de São Paulo, o tempo todo em velocidade entre 50 e 60 km/h, eu até posso passar a concordar com fiscalização de velocidade em 100% das vias. Seria uma troca justa digamos.

  • Bob, Este alcaíde está jogando com um olho na platéia e o outro no “padrinho”…Precisando de verba, qualquer simulacro de tunga eletrônica vem a calhar…Seria interessante saber quem está colocando todo este aparato e por quanto…Aposto que aparecerão surpresas e obviedades!

  • Marco Antonio

    Na Radial Leste, junto ao viaduto Guadalajara estão instalando o mesmo trambolho!

  • Lauro Agrizzi

    Vai ser pichado, com muita razão,.

    • Diogo Rengel Santos

      Já viu radar pichado??? Eu não, porque quando picham ou depredam limpam e consertam rapidinho

      • Domingos

        Concessão… Mesma coisa com a publicidade em relógios e outros.

        Quem dera a cidade tivesse a mesma preocupação e eficiência com o que importa.

  • Janos Markus

    Trata-se de um “portal da insensatez”. Um monumento a isso.

  • CharlesAle

    Na Anchieta, sentido Santos, alguns metros depois do viaduto do km 18 (Bairro Planalto) há um trambolho desse já há um bom tempo. Mas de qualquer maneira, com mais esse fato, mostra como esse prefeito é um dos piores que São Paulo já teve….

    • robson santos

      Charles,

      não lembro desse monstro estar instalado ali em São Bernardo do Campo no ponto citado, ali naquela junção do viaduto km 18 com a Rodovia Anchieta, sentido Baixada Santista, só há (ainda) um pardalzinho de 90 km/h, e é o único tipo fixo até chegar na altura de Riacho Grande quando a velocidade normaliza a 110 km/h … mas o que me tira do sério mesmo é a quantidade dos radares móveis e seus policiais rodoviários soturnos, ou “agentes” CET, que de vez em quando aparecem com suas viaturas nos gramados, espreitados atrás das placas, subseqüentes, desde o km 18 passando pelos viadutos km 21 (CENFORPE), saídas 23-A (Demarchi/Batistini ) e 23-B (Ferrazópolis), 26 altura do Rodoanel etc.. só faltam me parar e mandar levantar as mãos!
      Ali não há jeito, ou você viaja olhando direto o velocímetro se segurando contra a velocidade natural do local, ou toma multa, isso só demonstra o terrorismo que estão nos submetendo nas estradas…

  • Ilbirs

    Devem ter instalado isso da noite para o dia, pois passei por aí há pouco e não vi esse troço. Além de ter sete radares para quatro faixas, é um poleiro ótimo para aves deixarem suas assinaturas em tetos, capôs e vidros dos veículos que estiverem parados no semáforo da Henrique Schaumann. O outro detalhe é o tanto de poluição visual que essa estrutura com metais trançados gera a um lugar que sofria pouco com esse problema.
    Como já disse em outras ocasiões e digo de novo, sugiro que dirijam com o GPS de seus celulares ligado, mesmo que não estejam usando o Waze para navegar (pode até deixar ligado, como forma de ir alertando o resto do pessoal dos problemas que encontrar pela via). Sugerirei que instalem algum programinha que dá a velocidade real do carro e soa um alarme assim que se passe um determinado limite. Para quem tem Android, vou sugerir este que instalei recentemente e de que gostei muito. Dá para deixar os limites pré-programados e selecioná-los assim que se ingressa na via. Os limites são programáveis com qualquer número e eu tenho dado 4 km/h de tolerância sobre o limite da via, ficando assim 3 km/h antes da margem de 7 km/h do radar. Como já havia relatado anteriormente, quando não usava GPS eu já era mais rápido que a média do trânsito, sem em momento algum desrespeitar o limite das placas. Após usar o GPS e ver a velocidade real, constatei que estou ainda mais veloz que a média, também sem em momento algum desrespeitando as placas. Agora que programei uma tolerância inferior à dos radares então…

    Seguem imagens do tal aplicativo para que vejam a interface e constatem que é bem intuitiva:

    http://lh3.googleusercontent.com/tqOowlr9j8XJ0dBHMUqdnK8AAyrBBalp5gEmrK3dqlqLlNLhahljcEAkX7zrQjxjtHmE=h900

    http://www.sqzsoft.com/speedalarm/images/1.png

    http://www.sqzsoft.com/speedalarm/images/2.png

    Como observaram, dá para ter alerta por alarme sonoro (ainda que este fique disparando quando se perde o sinal do GPS), voz humana (com direito a programar a mensagem que se vai ouvir) e a luz do flash da câmera do celular (aqui útil para quem tem crianças e não quiser que elas acordem com algum som vindo do nada do celular). Logo, é altamente personalizável e por ora posso dizer que estou gostando, mais do que um anterior que usei e não tinha limites pré-programados e que só dava para ir de 5 em 5 km/h.
    Por que estou falando tanto para o pessoal instalar esse tipo de aplicativo que dá alarme captável tanto pelos ouvidos quanto pela visão periférica (no caso o flash)? Porque podemos, por assim dizer, “naturalizar” os limites artificialmente baixos que Haddad, Tatto e cia. nos impõem, bem como a parafernália de vigilância que estão instalando. Quanto mais pessoas estiverem indo pela tolerância do radar, mais veloz fica o trânsito e ao mesmo tempo eles ficam sem nossos caraminguás. Sequer é preciso saber onde o radar está, pois se sabe a velocidade em que se está por um ruído e, assim que ouvido, é só tirar o pé do acelerador um pouquinho. Por vezes você acaba sacando em que velocidade está e acaba ficando sem soar o tal apito.

    O que nós paulistanos fizemos para merecer isso? Bom, sendo “nós” uma primeira pessoa do plural e envolvendo uma coletividade, aviso que sou a parte do “nós” que não votou nesse cara. Porém, o que ocorreu para que isso acontecesse foi o fato de porcentagens significativas desse “nós” compreendido nestes 1.600 km² de município e que tenham título de eleitor nele terem sofrido com o seguinte:

    1) Cair na esparrela das manifestações “apartidárias” pedindo “mais amor” que depois foram recompensadas com seus organizadores sendo alçados a um posto no Conselho da Cidade;

    2) À época, baixo grau de informação a respeito de coisas como Foro de São Paulo e corrupções de matiz estrutural (diferentes daquelas com cunho de enriquecimento pessoal ilícito, uma vez que são maiores e precisam sê-lo para financiar esquemas de tomada de poder). Passados três anos, tanto o Foro já está na boca do povo como também estão Mensalão e foi descoberto o Petrolão, podendo pipocar, vai saber, o BNDESão ou até mesmo o Futebolão (dependendo dos desdobramentos do recente escândalo da Fifa);

    3) Promessas como descentralização do setor comercial de serviços de certas áreas (o tal Arco do Futuro), que não se concretizaram e logo foram deixadas de lado, uma vez que cumpriram seu propósito de atrair eleitores. Era mais importante para a etapa seguinte usar ciclistas como inocentes úteis.

    Vamos considerar esse período que estamos passando como o escândalo necessário para vir, mas ai daqueles que pelas mãos o escândalo veio. Falta um ano para a eleição municipal e temos de fazer o seguinte:

    1) Não votar no PT, ainda que essa seja a parte mais fácil;

    2) Não votar em partidos que façam parte do Foro de São Paulo. Além do PT temos PC do B, PDT, PPS e PSB, entre outros;

    3) Estranhar toda vez que surgir alguma passeata “apartidária” que por um acaso é contra um candidato e seu efeito beneficia justamente um candidato concorrente a quem os organizadores dizem não estar ligados, mas que se pode constatar fuçando, por exemplo, as verbas que financiam o movimento. Além de estranhar, rechaçar completamente a reação que os manifestantes querem induzir no geral da população, pois muitas vezes é uma reação que vai na base do ato-reflexo e joga em cima de sentimentos naturais de qualquer pessoa;

    4) Só depositar voto em candidato que seja pragmático. Se países sofrem com devaneios negacionistas da estrutura da realidade, uma cidade sofre ainda mais e as consequências disso ficam muito mais próximas do dia a dia de qualquer um;

    5) No caso específico das políticas de transporte, ver se o candidato irá apoiar iniciativas que de fato melhorarão a fluidez do trânsito. Corredores de ônibus são algo que devemos apoiar desde sempre, pois quando bem feitos ajudam não só a reduzir o número de carros no trânsito como também melhoram a vida dos motoristas de ônibus, que ficam desobrigados de ter de lidar com o resto do tráfego.

    No caso específico da mobilidade com carros particulares, que se prestigie o candidato que declarar claramente que irá revogar esses limites irrealmente baixos, algo que por tabela também beneficia os ônibus. No caso de ciclovias, que se prestigie o candidato que falar de ciclovias que prestem (leia-se segregadas do fluxo de veículos motorizados) e que não demandem manutenção frequente, como é o caso dessas feitas na base da tinta passada no chão;

    6) Prestigiar candidatos que prometam reduzir não só o tamanho da máquina como também que irão parar com esse lance de termos empresas particulares que andam muito junto ao poder público, uma vez que uma redução de máquina pública pode na prática acabar sendo a delegação a particulares de funções que tungam a grana do contribuinte, vide essas empresas de radar.

    Enfim, daria para falar mais coisas, mas são as de que me lembro agora.

    • Claudio Abreu

      E já tá bom demais, amigo. Valha-me tanta lucidez. Que muitos te ouçam.

  • Jonas Jorge

    Bob, gostaria de tirar uma dúvida. Eu realizei um comentário ontem, mas foi removido. Foi acidental?

  • Félix

    Pior é aqui na minha cidade (e nem é do PT…) que colocaram radar a 60 km/h na rodovia de 2 pistas! É trecho urbano, mas exageraram na dose.

    • Lucas dos Santos

      Na minha tem radar de 60 km/h em trecho urbano de rodovia com TRÊS pistas!

      http://i.imgur.com/uTL2o6B.jpg

      Aliás, o limite desse trecho todo é de 60 km/h. Acidentes – a maioria com mortes – são frequentes ali! Não tenho como afirmar a causa dos acidentes, mas costumo presumir que boa parte deles ocorre quando um motorista que ignora esse limite (demasiadamente restritivo) se encontra com um que respeita “religiosamente” essa velocidade.

      Acredito que se aumentassem esse limite para uns 80 km/h esses acidentes diminuiriam, já que a diferença de velocidade entre os que respeitam e os que não respeitam seria menor, havendo maior fluidez no trânsito. Mas se eu falar isso para quem quer que seja aqui, dirão que estou louco!

  • RoadV8Runner

    Trânsito no Brasil virou terra de ninguém, cada órgão de trânsito faz o que quer e nada acontece. Presta-se mais atenção ao velocímetro do que ao trânsito em si. Por conta disso, outro dia tomei um sustinho, pois estava dirigindo tranquilo numa avenida aqui de Sorocaba-SP quando me deparei com um novo pardal, ainda não incluído no Waze. Freei de leve e baixei os olhos para consultar o velocímetro. O que aconteceu? Assim que voltei os olhos para a via, vi o carro à minha frente quase parando, em plena pista da esquerda! O motorista provavelmente foi também surpreendido pelo novo dejeto e freou sem dó, baixando demais a velocidade, de uns 70 km/h para menos de 40 km/h. Resultado: tive que dar uma bela de uma juntada no freio para evitar o toque (ainda bem que não tenho o péssimo hábito de andar colado no carro à frente…).

    • CorsarioViajante

      Aliás RoadV8Runner, como está difícil dirigir em Sorocaba! Radar para todo lado, sem nenhum critério!

  • Robertom

    Imagine quanto de propina não receberam os que aprovaram a instalação deste trambolho…

  • petrafan

    o PT e Fernando Haddares odeiam São Paulo. não consigo entender o porquê, mas odeiam.

  • Lorenzo Frigerio

    Pela localização do “varal”, a finalidade maior deve ser multar quem fica preso no cruzamento (com a av. Rebouças) depois que o sinal ficou vermelho. E violação ao rodízio, naturalmente.
    É bom lembrar que é fato notório que a PMSP desde sempre e sem qualquer consequência viola a lei que obriga as multas a serem investidas na infra-estrutura viária: vai tudo para o “caixa único da Prefeitura”.
    Um cara comentou na FSP: “esperemos o primeiro caminhão-basculante com a caçamba levantada passar por ali”.

  • Lucas

    Pior é quando alegam que a infração mais verificada é o excesso de velocidade. Claro, não fiscalizam mais nada além disso!!

  • Reginaldo Ferreira Campos

    Enquanto o Haddad enche a cidade de moderníssimos radares anti-tufão, seguem os semáforos desligando no primeiro pingo d´água.

    Quem votasse em petista, para síndico que fosse, deveria sofrer esses estercos em dobro.

  • Fat Jack

    Ele avisou que tornaria a vida dos motoristas da capital um inferno, e está cumprindo.
    Você é motorista e deu-lhe um voto?
    Que tal além de lamentar, reclamar também (sim, prezado companheiro, você tem este direito!) e repensar sua atitude para a próxima eleição para prefeito? Já é ano que vem! Só não vale votar na”ex”, ok?!

  • V12 for life

    Toda vez que o PT está na prefeitura, alguma caca é feita e o prefeito seguinte mantém, desde de as Martaxas que estão ai até hoje, agora melhorar o transporte público para incentivar-nos a deixar o carro em casa que é o correto, cadê?

  • Lorenzo,
    Tive a mesma idéia, com uma diferença: torço para que aconteça!

  • petrafan,
    Falta um, o secretário municipal de Transportes Jilmar Tatto.

    • petrafan

      Muito bem lembrado, caro Bob. Desse eu me lembro de algo relacionado a vans no governo Martaxa. É certamente outro que odeia São Paulo

  • RoadV8Runner

    Alguém por aqui não teria, por acaso, um caminhão basculante? Rsss…

  • Jonas Jorge
    Nenhuma remoção é acidental.

  • Lucas dos Santos

    Apenas uma correção: a menos que algo tenha mudado e eu não esteja sabendo, o fim da reeleição no Executivo não afetará quem se elegeu em 2012 e 2014. Portanto, se for isso mesmo, esse “sujeito” poderá se reeleger sim, infelizmente!

    • Lucas dos Santos,
      Se for isso mesmo, corrobora-se o que eu venho dizendo: Brasil decente e viável, só reformatando o HD.

      • Lucas dos Santos

        Pois é, Bob.

        Não afirmo isso com certeza pois faz um tempinho que não vejo o noticiário e estava meio por fora do que estava acontecendo. Quando falaram aqui nos comentários do Ae sobre o fim da reeleição, fui pesquisar e vi essa observação.

        A menos que tenha havido alguma alteração no texto do projeto, ainda poderá haver reeleição em 2016 e 2018, pela última vez.

      • vstrabello .

        Ou puxa o cabo da rede que vem toda essa infâmia hehehe

    • Domingos

      Sei que valia para todos no Executivo, então prefeito valia. Mas se só começar a valer em 2016 será o cúmulo.

      Ouvi uma entrevista depois da aprovação do fim da reeleição onde o tal sujeito diz pretender eleger um sucessor dele.

      Ainda não li tão a fundo, mas espero que já esteja valendo na próxima eleição.

      Se for entrar só em 2016, quem entrar provavelmente vai derrubar a medida.

      • Lucas dos Santos

        Dei mais uma pesquisada e é isso mesmo:

        “Se aprovada, a medida valerá para os prefeitos eleitos em 2016. Presidente e governadores que ganharem as próximas eleições, isto é, em 2018, também não poderão ser reeleitos.

        Isto significa que prefeitos e governadores que foram eleitos em 2012 e em 2014 para o primeiro mandato poderão tentar a reeleição na próxima eleição”.

        Extraído de: 3 fatos sobre o fim da reeleição que você precisa saber

  • Dr. Traffic Calming

    A empresa de economia mista que socializa as despesas e privatiza os lucros, e que entre várias bizarrices transformou SP city na Capital Mundial das Placas de Trânsito (trocadas com freqüência suspeitíssima) ao invés de limpá-las e dos semáforos duplicados na mesma haste e com a mesma função. A empresa ignora solenemente o Principio da Suficiência estabelecido pelo DENATRAN . Agora, na época da comunicação/informação digital, “enfaixa” a cidade com faixas (também trocadas com freqüência suspeita) com informações em sua maioria inócuas ou inúteis. Sem falar nas campanhas publicitárias de alto custo e baixo retorno. Lembram-se, por exemplo, da estenda o bracinho para atravessar (e ganhe um atropelamento…), lembram-se dos limites de velocidade irresponsáveis de 70 km/h em diversas avenidas, como a Paulista p. ex.? Agora corrigem o erro e se isentam de responsabilidades informando que estão reduzindo o limite por motivo de segurança. Um limite por ela estabelecido, responsável por acidentes e fatalidades. Tudo sempre muito bem pago pelos contribuintes. Cui bono? Quem se beneficia? Só uma CPI pode diminuir a atuação das diversas máfias nessa empresa travestida de órgão público.

  • J Paulo

    Já que é assim, deveriam revogar todos os artigos do Código de Trânsito e deixar só o que fala da velocidade. Só se ouve e se fala disso no bananão. E o povo aplaude! “Mais segurança né..?”

    • Lucas dos Santos

      É como dizia um extinto blog de trânsito de Curitiba, parafraseando um leitor: “Cada qual maneja (sic) como quer, desde que respeite o limite de velocidade“! É mais ou menos assim que povo e administração pública pensam(?) hoje em dia.

  • Roberto

    Bem lembrado. Cansei de levar fechada ou de ser quase atropelado por gente pendurada no celular ou com películas escuras nos vidros e raramente ouço que alguém foi multado por conta dessas infrações.

    • Thales Sobral

      E o estacionamento em local proibido, uma das infrações mais simples de detectar por fiscalização humana, mas que praticamente não é fiscalizada? Aí tome faixa tripla virar dupla porque uns bonitinhos acham que devem estacionar onde querem…

  • Domingos

    Seria o máximo e as fotos seriam uma delícia de ver.

  • vstrabello .

    Quanta insanidade.

  • Leonardo Mendes

    Quando vi a foto juro que num primeiro momento pensei que eram holofotes… só lendo o texto é que a ficha (bem como o queixo) caiu.

    E eu aqui reclamando do radar na av. Ana Costa que tranca o trânsito em 50 km/h nos dois sentidos…

    • János Márkus

      Caro Leonardo, são holofotes também. De luz infravermelha para fotografar melhor à noite e em chuva.

  • Daniel S. de Araujo

    O Brasil tem me causado nauseas ultimamente. E não são apenas os políticos, a população anda me enojando. Por que se essa corja chamada PT está ai, a corja da malandragem, do jeitinho, ela representa um pouco daquilo que temos de pior: Uma população deturpada e deformada onde ser correto é ser coxinha e o “jeitinho brasileiro” é que é o bacana.

    • francisco greche junior

      Daniel, estou contigo nessa, de verdade, a população, as pessoas vêm me enojando também. Tomemos por exemplo as manifestações de 20 centavos, foi estranha, veio as do Fora Dilma, foi mais estranho ainda, virou evento, pessoas postando foto no Facebook tomando cervejinha na Av. Paulista, depois agora assumem que roubaram bilhões da Petrobrás e nada.
      O problema do Brasil começo a achar que seja o brasileiro.

  • Danilo K

    Hipoteticamente falando, se todos de uma hora para outra passassem a respeitar esses limites esdrúxulos e todas as outras leis de trânsito, o prefeito Arrecadando Haddad ficaria feliz ou triste?

    • André Andrews

      O problema é que o limite é anti-natural. Um limite adequado é com base no percêntil 85, que está na própria Resolução do Contran. No caso do rodízio, nem sempre é possível respeitá-lo, as pessoas tem compromissos, emergências de saúde etc. Do modo que a coisa vai, atingir 20 pontos em 1 ano é coisa fácil, só com o rodízio, por isso é bom ter o carro em nome de quem não tem habilitação. Mas já tem um deputado querendo acabar com essa manobra, e adivinha de que partido é o tal de Pepe Vargas? Manobra essa, vale dizer, absolutamente legal, assim como a de aproveitar a “tolerância” do limite para se andar um pouco mais rápido, que já foi até tema do Ae.

      • Domingos

        E ainda há de se revelar e admitir uma coisa: a vasta maioria dessas multas deve ser de gente distraída ou incauta que passou a 70 onde era 60.

        Quem passa a bem mais raramente é multado. A velocidade anti-natural é fundamental para continuar arrecadando, já que se depender de quem realmente corre não vai ter nem 10% das multas.

    • Marcos Namekata

      Considerando que as multas são como uma droga viciante e a Prefeitura o viciado, difícil fazê-la aceitar a viver sem a arrecadação habitual de multas… Muito longe de educar ou de organizar o trânsito, virou instrumento de arrecadação municipal, do mesmo modo que um IPTU. Se todos respeitarem, eles partirão para a fiscalização de novas infrações… e culminar até na criação de novas infrações. A ganância desses políticos não tem limites.

    • Diogo Rengel Santos

      A partir do cumprimento das leis o que um péssimo governante faria???? Apertaria ainda mais em cima dos seus cidadãos. Seja por fins arrecadatórios ou meras demonstrações de poder…

      Este é o modus operandi desta gente

  • Henrique Lopes

    Agora entendi a estrutura instalada na radial leste próxima ao Belém, logo recebe esssa parafernalia.

  • Domingos

    Bom, vamos rezar então para que nem comprando muita urna o postão consiga algo.

    Ou que, melhor ainda, ele já esteja estudando colocar algum outro no lugar para essas eleições, onde vai fracassar lindamente.

  • Juvenal Jorge

    Cretinos ladrões no poder.
    Que a terra lhes seja leve.

  • Newton ( ArkAngel )

    A prefeitura age como os parasitas, sugam a população até matar aquele que os mantém vivos…

    A quem interessar:

    http://www.transitobr.com.br/index2.php?id_conteudo=87

  • Renato Braga

    Galerinha, se você pagar seus tributos e andar na velocidade correta, garanto não chegar nenhuma multa em sua casa. Simples assim. Não há o que discutir. É lei, tem que ser cumprida.

    • Renato Braga,
      Não é simples assim coisa nenhuma, você está defendendo o indefensável. Toda lei, sem exceção, tem que ter razoabilidade e atender os interesses da maioria. As velocidades que a prefeitura petista (esperar o quê…) está impondo são irreais e anti-naturais e são verdadeiras armadilhas para tungar o bolso do cidadão. Disse bobagem, coisa de quem nada ou pouco sabe de automóvel e trânsito.

      • robson santos

        Desculpe Bob, mas ao contrário do que você insinua ao infeliz comentário não filtrado acima, pode não haver nada de ignorância técnica, ou até mesmo intelectual e social por parte desse sujeito, na verdade há muito interesse por cada palavra que ele postou, com isso o comentário dele foi trollagem pura, uma armadilha, jamais mereceria uma resposta sua. Minha opinião, apesar da democracia, e de você ser o editor-chefe da casa, que com certeza está vacinado contra esse tipo.
        Me desculpe por esse meu protesto, é que o sujeito acima jamais mereceria uma resposta sequer de alguém que aprecia este site, somente “dislikes”, no máximo…

      • Bob, há muito tempo leio o Ae, mas só agora resolvi interagir… coisa de gente de exatas, sabe? São Paulo está cada vez mais intransitável e hoje ouvi no rádio que a prefeitura (CET) vai reduzir a velocidade das marginais de 90 para 70 km/h… isso é absolutamente contra o conceito da “velocidade natural da via”, tema já abordado anteriormente… mesma coisa para a Régis Bittencourt, onde um trecho que antes era de 100 km/h (km 279 ao 283) foi reduzido a 80 km/h… resultado: trânsito lento todo dia no trecho… depois, entre o 283 e o 284, volta a 100 km/h para, no 285 ser reduzido a 60 km/h (ok, fiscalização da PRF) e logo em seguida, no 286 voltar a 100 km/h, para logo em seguida, no 287 voltar para 80 km/h, depois 60 km/h no 289 e 80km/h no 290, retornando a 100 km/h no 292… como não ficar “doido” numa salada dessas?

    • Newton (ArkAngel)

      E se reduzirem a velocidade para 20 km/h? Então tudo bem?
      Em alguns países do Oriente Médio a mulher é culpada quando é estuprada; é certo isso? Ora, mas é a lei, tem de ser cumprida.

    • Domingos

      Olha, eu pago meus tributos muito bem pagos. Como todo brasileiro, pago esse roubo que é equivalente aos impostos de Dinamarca e países similares sem choro. Pessoalmente acho que qualquer governo onde cerca de 50% entre consumo e renda são pegos sob forma de impostos deveria sair, se necessário à bala.

      Mas enfim, pago. E mesmo andando na velocidade certinha, ontem fui presenteado pela maravilhosa prefeitura de São Paulo com falta de sinalização.

      Na região da Barra Funda existe o delírio de pessoas como você, que gostam da atual gestão e acham que pagar bastante imposto, andar bastante devagar e colocar bastante dialética nas coisas é o caminho a ser seguido.

      Ali existe uma profusão de ciclofaixas por ruas residenciais, muitas mal apagadas e mudadas de lugar por várias vezes. A região tem um número enorme de cruzamentos e a loucura ciclística (proposital a provocar o caos) de haddadinho e companhia fez algumas surpresas por lá.

      Entre elas, a região parece um hot-dog com catchup e mostarda. Faixas vermelhas passando por cima de faixas de preferencial e de cruzamento, junto com uma porrada de placas inúteis de “preferência ao ciclista” somadas com um asfalto acabado.

      Pois bem que, andando a cerca de 40 Km/h e reduzindo nos cruzamentos, encontro feliz um carro na minha frente.

      O resultado foi ter perdido a dianteira do meu carro e feito um outro rodar, tudo a ser pago pela minha seguradora.

      A sinalização da região está tão ruim que NINGUÉM sabe onde se deve parar e quais são ao certo as preferenciais.

      A sinalização horizontal de PARE não existe mais, sendo substituída pela inútil pintura vermelha das ciclofaixas.

      As placas de PARE, comumente no meio do poste e de altura muito visível, foram trocadas pelas igualmente inúteis e erradas placas de preferência ao ciclista (que preferência se possuem uma “via” exclusiva? podem furar cruzamento então?).

      Foram então colocadas há MAIS DE 7 METROS DE ALTURA nos postes, essa no caso mais precisamente ATRÁS DA COPA DE UMA ÁRVORE.

      Foi necessário um morador da região procurar POR CINCO MINUTOS a placa, de forma a finalmente estabelecer quem tinha ou não a “culpa”.

      Eu paguei imposto para isso? Teria sido muito melhor, também, trafegar em alta velocidade sabendo corretamente onde deveria parar do que em baixa, porém furando preferenciais por não ter sinalização correta.

      Na delegacia os acidentes na região devido a isso não são novidade, inclusive vitimando os próprios ciclistas.

      A lei que deveria ser cumprida era a militar. Governo impostão deposto e governo lunático, como o da prefeitura, arrancado do gabinete com prisão para todo mundo.

      E pode me chamar de “defensor da ditadura”. Acho que o exército está aí para isso mesmo. Defender a pátria. Nação não é lugar de experimento social.

    • Arruda

      É verdade Renato, que tal as autoridades agirem com correção também? No caminho que faço diariamente o DER recapeou a pista (simples) recentemente.
      Colocaram uma “placona” daquelas quadradas com “FISCALIZAÇÃO ELETRÔNICA – 50 km/h”.
      Ótimo, né? Ninguém pode falar que não sabia. Mas…. a 30 metros dos radares em curva tem uma “plaquinha” daquelas redondinhas com “40 km/h”. De tempos em tempos as plaquinhas ficam cobertas pelo mato. Será que é coincidência?
      Exemplos como esse existem aos milhares no Brasil.

      • Arruda, por acaso vc está falando da SP-228 (Rodovia Armando Salles), que liga o centro de Itapecerica da Serra à rodovia Régis Bittencourt (BR-116), na saída do “Rampas”, km 288? Passo nessa pista todo dia… realmente depois que recapearam a pista o asfalto ficou muito bom e antes o limite na via era de 60 km/h… pensei que só eu tinha reparado nisso… por que não colocaram a placa de 40 km/h de uma vez, não? Já tiveram vezes que quase passei a 50 km/h no radar por pura distração mesmo, por causa da placa… a propósito, se tomarmos uma multa, não cabe recurso?

        • Arruda

          Vinicius, exatamente aí. O engraçado é que fizeram isso nos dois sentidos, não dá para falar em “descuido” do DER. No sentido contrário, subindo, é bizarra a sinalização de velocidade, muda o tempo todo: 50 > 40 > 60 > 30 > 40

          Por falar nisso a prefeitura também anda aprontando com dois novos multômetros na XV de Novembro sentido BR onde mal há sinalização do limite de velocidade. Um fica bem escondido na descidinha um pouco depois do supermercado Dia, o outro perto da Madereira em frente ao Cruzeiro.
          Por falar nisso, o trecho da Régis entre Embu e Itapecerica, que era 100 km/h,coincidentemente baixou para 80 km/h (60 para caminhões) após instalarem a fiscalização eletrônica. Como tem sempre um caminhão passando o outro por ali eles reduzem para 50 km/h e o fluxo trava. Nos horários de pico agora vem um pára e anda praticamente desde o largo do Taboão da Serra.
          Por falar nisso…. podia escrever um livro aqui se tivesse tempo para enumerar tudo que tenho na memória sobre as trapalhadas e desmandos que estão cometendo no trânsito, não só da região, mas de todo o Brasil.

          Quanto às multas, claro que cabe recurso, o problema é que o órgão que julga é o mesmo que aplica a multa. Eu recorri apenas uma vez por cruzar o semáforo vermelho em Itapecerica mesmo – havia um ônibus cruzando bem na minha frente – e tive sucesso.

          Edit: agora li seu comentário sobre a Régis mais abaixo sobre o mesmo trecho que comentei, é exatamente isso, sem tirar nem pôr. O pior é que esse padrão de velocidade “indefinida” se estende até Curitiba! Coisa de doido mesmo!

          • Arruda, esses multômetros da XV eu já vi o da madeireira… ali, pista dupla, limite de 40 km/h… e o do mercado Dia ainda não reparei… tenho ido para o trabalho pelo Pq. Paraíso e já saio na PRF lá no 285… evito radar (não sei por quanto tempo… já tem radar na Niterói e logo logo com certeza vão colocar ali na descida de quem vem da prefeitura e na 9 de julho (indo para a Bristol)…

            na BR, já vi mesmo… fui até a divisa de Miracatu em Juquitiba… e fica 110 > 60 > 80 > 110 > 100 > 60… é dose!!!

          • Arruda

            Pois é, eu também tenho descido pelo rota do caminhões pelo Parque Paraíso, apesar do asfalto péssimo, principalmente para evitar o tráfego na XV que está cada vez pior.
            O outro radar fica mais para baixo do Dia, quase em frente onde era o antigo “Ponto de Encontro” e está bem escondido pelas árvores. Se não me engano é exatamente onde retiraram uma lombada há algum tempo. O inferno anda cheio de boas intenções, rs.

    • János Márkus

      É Renato, eu também pensava assim. Aqui em Brasília também temos esses controles nivelados por baixo, bem medíocres. Estava me acostumando com esse ritmo até que comecei a ter problemas com as “pegadinhas” na sinalização e nas regras. Aí dá para ver que mesmo sendo extremamente cuidadoso, os erros ocorrem. E aí adivinha só, quem paga a conta? E nem adianta recorrer pois “o agente de trânsito goza de fé publica” ou seja o que ele diz (ou registra) é a verdade.

    • Andre Mondino

      Isso mesmo. É de pessoas iguais a você que governos autoritários e corruptos se alimentam, se elegem e se reelegem. Esses urubus reduzem arbitrariamente a velocidade máxima das ruas e avenidas à limites impraticáveis para nos assaltar e truncar o fluxo de carros e você vem falar de velocidade correta? Faça me rir!

    • Fat Jack

      Provavelmente o conformismo é uma bênção, não?

  • robson santos
    Liberei o comentário desse sujeito intencionalmente, quando poderia ter dado comando de excluir. Foi só para ele tomar uma. Se ele replicar será devidamente “calcinado”, esteja certo disso.

  • braulio

    Que a metrópole é uma reunião de 11 milhões de malucos já sabia há tempos: Só mesmo um doido viveria num ambiente tão surreal. O que impressiona é que ninguém tenha perguntado como pode haver verba para fazer uma traquitana dessas e não sobra para uma estrutura metálica que sirva de passarela elevada, já que a própria prefeitura considera suas ruas tão perigosas que os atropelamentos são inevitáveis (se não fosse isso, não haveria justificativa para continuar baixando o limite de velocidade das vias).

  • Filipe Machado

    Direto tomo susto e fico achando que levei multa de velocidade… pelo jeito essa sensação é em qualquer cidade média/grande do Brasil

  • Filipe Machado

    Quem vai pra Peruíbe sabe bem como é ridículo dirigir pela Rodovia Padre Manuel da Nóbrega – 2 pistas em cada sentido e a rodovia é praticamente uma “reta infinita” e por ser praticamente toda em perímetro urbano tem velocidades que alteram entre 80 e 60 km/h a todo momento e por uma extensão de uns 60 quilômetros… tem que andar atento demais

  • Sergio

    Mais uma pegadinha do Haddad: https://www.facebook.com/100002848835854/videos/672066482898307/ nos comentarios tem fotos que mostram que tem placa antes, mas esta do video devia estar um pouco antes.

  • Ozirlei

    Bom, se minha interpretação estiver correta, boa parte dos radares da cidade de São Paulo estão irregulares. Procurei pela Lei de Cidade Limpa, que rege poluição visual… Fizeram ela mais por causa de anúncios, mas deixaram ela meio ampla… No final pelo que entendi, o executivo não pode determinar a instalação de coisas que agridem o espaço público, que possam agredir: visualmente, a funcionalidade ou mesmo não se enquadrar na lei.
    Vamos a Lei 14223
    Art. 2º. Para fins de aplicação desta lei, considera-se paisagem urbana o espaço aéreo e a superfície externa de qualquer elemento natural ou construído, tais como água, fauna, flora, construções, edifícios, anteparos, superfícies aparentes de equipamentos de infra-estrutura, de segurança e de veículos automotores, anúncios de qualquer natureza, elementos de sinalização urbana, equipamentos de informação e comodidade pública e logradouros públicos, visíveis por qualquer observador situado em áreas de uso comum do povo.

    Art 6 VIII – mobiliário urbano é o conjunto de elementos que podem ocupar o espaço público, implantados, direta ou indiretamente, pela Administração Municipal…

    Art. 23. Os elementos do mobiliário urbano não poderão:
    II – obstruir a circulação de pedestres ou configurar perigo ou impedimento à locomoção de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida;
    IV – estar localizado em ilhas de travessia, exceto pontos de ônibus e relógios/termômetros digitais;
    V – estar localizado em esquinas, viadutos, pontes e belvederes, salvo os equipamentos de informação básica ao pedestre ou de denominação de logradouro público.

    Parágrafo único. A instalação do mobiliário urbano nos passeios públicos deverá necessariamente observar uma faixa de circulação de, no mínimo, metade de sua largura, nunca inferior a 1,50m (um metro e cinqüenta centímetros); nos calçadões, a faixa de circulação terá 4,50m (quatro metros e cinqüenta centímetros) de largura.

    Vamos lá… se isso estiver correto, a Prefeitura de São Paulo não pode colocar radar (mobiliário urbano, pela própria definição da lei) em: ilhas de travessia, em esquinas, em viadutos, pontes e belvederes… E também não pode instalar em caçadas com largura inferior a 1,5 metros (hahahahahaha)
    Não sou advogado, mas ao meu ver boa parte dos radares são ilegais.

    • Domingos

      Essa lei na prática foi derrubada, podendo inclusive ter outdoor de publicidade (desde que com parceria do governo…).

      Mas a proibição às sacolinhas gratuitas voltou. Muito bom mesmo viu!

  • Domingos,
    Não acredito que você seja favorável a cobrar sacolas. Não existe coisa mais louca do que isso. Quem vende alguma coisa tem obrigação moral de prover algum meio de levar o produto.

    • Andre Sousa

      Bob, com certeza foi no sentido irônico.
      O Domingos me parece ter muito bom senso, pelo que vejo nos comentários dele.

    • Domingos

      Foi ironia mesmo, como o Andre comentou.

      Acho essa uma das maiores estupidezes européias e um dos maiores métodos de dialética do socialismo, enfiando culpa onde não tem e criando uma polêmica inútil com força de lei e força “moral” (portanto quebrando a razão nas pessoas e levando-as a aceitar absurdos desconexos).

      Infelizmente foi importada para cá. Quis dizer que o Haddad tirou a interessante lei cidade limpa, meio ideológica também mas com boa utilidade, para proibir as úteis sacolinhas…

      Muito preocupado com o povo esse governo.

      • Domingos,
        Ah, bom, que susto você me deu!

  • NICKS31

    Este câncer já esta se espalhando, tem um aqui na Av. São Miguel altura do n° 7300 sentido centro-bairro, o mais interessante é que esta uns 150 metros após um radar de velocidade. Agora, “dizem” que este tipo “lê” qualquer tipo de irregularidade, como IPVA ou licenciamento atrasados placas no rodízio ou mesmo veículo roubado (este último eu duvido).

    • Na Av. Morumbi colocaram, na altura do nº 6.000, a mais ou menos 1 km da ponte, em ambos os sentidos… e lá eles (pórticos) ficam escondidos no meio das árvores… dica: para ver onde tem radar, se você vir uma placa redonda de limite de velocidade, sozinha de velocidade em um pórtico, pode ter certeza que a menos de 300 metros terá um radar… constatei isso depois de reparar bem na Marginal Pinheiros, Av. Santo Amaro, Av. dos Bandeirantes, Av. Atlântica (antiga Kennedy) e Av. Guarapiranga (além da Morumbi). Em tempo: tem mais um trambolho desses novinho em folha na Av. Padre Lebret, um pouco depois do Einstein, sentido estádio do Morumbi…