Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas GENERAL MOTORS COMEMORA PRODUÇÃO DO 500.000.000° VEÍCULO – Autoentusiastas

GENERAL MOTORS COMEMORA PRODUÇÃO DO 500.000.000° VEÍCULO

Mary

A presidente executiva da General Motors Company Mary Barra discursa na fábrica Fairfax da GM, em Kansas City, hoje, dia em que a empresa comemora o 500.000.000° veículo produzido (foto washingtonpost.com)

A General Motors comemora hoje a marca de 500 milhões de veículos produzidos globalmente. A empresa, formada em 1908, produz veículos comercializados com as marcas Chevrolet, Cadillac, Baojun, Buick, GMC, Holden, Jiefang, Opel, Vauxhall e Wuling em 30 países e tem operações comerciais em 140 mercados, entre eles o Brasil.

A comemoração dos 500.000.000° veículo produzido ocorre simultaneamente em vários mercados como um gesto de gratidão a todos os clientes da companhia ao longo de seus 106 anos de existência. Toda a comunicação do evento foi padronizada e traz a mensagem “500 milhões de obrigados”.

No Brasil, a cerimônia ocorreu na sede da Associação Brasileira de Concessionários Chevrolet (Abrac).

A Chevrolet é a marca preferida dos consumidores na América do Sul, onde é líder de vendas com 16,6%. Na região já foram produzidos mais de 21 milhões de veículos GM.

Em crescimento

Durante evento hoje no Kansas, nos Estado Unidos, a presidente Mary Barra agradeceu aos consumidores dos 500 milhões de GM.

“Em 2015, esperamos vender mais de 1.000 novos veículos por hora, 24 horas por dia. São aproximadamente 10 milhões de veículos, o maior volume de nossa história. Eu analiso este número como 10 milhões de oportunidades de provar que tipo de empresa nós somos e de dizer muito obrigada’’, disse Mary Barra.

Barra salientou que parte desta conquista deve-se às diversas inovações tecnológicas inauguradas pela companhia, que tornaram os carros mais seguros, confortáveis e práticos.

“Uma delas é o motor elétrico de partida, em 1912, que possibilitou que as mulheres pudessem dirigir sem ter que girar uma pesada manivela”.

A suspensão dianteira independente (1934), o câmbio totalmente automático (Oldsmobile, 1940), o primeiro carro de série com motor turbo  (Oldsmobile F-85,1962), a bolsa inflável, (1974) e o carro elétrico de autonomia estendida (Volt, 2011) também estrearam em veículos GM.

Modelos mais produzidos pela GMB, por família*

Corsa – 3 milhões de unidades
Celta – 1,8 milhão de unidades
Chevette – 1,4 milhão de unidades
Opala – 1 milhão de unidades
*não inclui CKD

Produção acumulada da General Motors no mundo

1964 – 100 milhões de unidades produzidas
1978 – 200 milhões de unidades produzidas
1991 – 300 milhões de unidades produzidas
2003 – 400 milhões de unidades produzidas

Investimentos

A General Motors/Chevrolet comemorou em janeiro deste ano 90 anos de atividades no Brasil e a produção de 14,5 milhões de veículos, que simbolizam um marco relevante tanto para o setor automobilístico como para o toda a indústria nacional.

Recentemente a empresa anunciou o maior plano de investimentos de sua história no país, no montante de R$ 6,5 bilhões (2014 a 2018).

O investimento contempla a atualização da linha de veículos, o desenvolvimento de novos produtos e tecnologias ligadas à eficiência energética e conectividade – segmento no qual a GM é referência com os carros da marca Chevrolet.

O Brasil, aliás, é o terceiro maior mercado da empresa no mundo, depois de China e Estados Unidos. No ano passado, foram emplacados aproximadamente 580 mil automóveis Chevrolet no país, colaborando para que a marca se tornasse, pelo segundo ano consecutivo, líder absoluta no segmento de varejo. Os produtos de maior destaque no período foram o Onix e o Prisma, que bateram recordes de vendas.

Globalmente, desde 2009, a GM tem anunciado investimentos em instalações da empresa no mundo, totalizando aproximadamente 36,7 bilhões de dólares.

Chevrolet no Brasil

A Chevrolet completou nove décadas de operação com a mais completa linha de automóveis do país. Ao todo são 14 modelos dos mais variados segmentos, do sedã compacto Classic 1-L, o mais acessível da gama, até o superesportivo Camaro SS V8, o mais potente, com 406 cv.

Já o Spin é o líder do segmento dos monovolumes, enquanto o Cruze 2015 aparece como o mais recente grande lançamento. Tanto a versão hatch como a sedã foram reestilizadas e passaram por evoluções mecânicas; ambas chegaram simultaneamente na virada do ano.

Desde a montagem do primeiro Chevrolet em um galpão no bairro paulistano do Ipiranga, em 1925, até o início de janeiro 14,5 milhões de veículos GM foram produzidos no país. Isso representa aproximadamente um quarto do montante total de automóveis feitos localmente.

O primeiro carro nacional de passeio da Chevrolet foi o Opala, apresentado em 1968. Outros modelos de sucesso foram lançados posteriormente, como o Chevette, a D20, o Monza, o Kadett, o Corsa, o Vectra, o Omega e o Astra.

A GM chegou a produzir paralelamente outros tipos de produtos, como baterias, aparelhos de ar-condicionado e até refrigeradores – as famosas Frigidaire. Mais de 2.000.000 delas foram feitas dos anos 1950 aos 1970.

Ae/BS

Fonte: General Motors do Brasil



Sobre o Autor

Autoentusiastas

Guiado por valores como seriedade, diversidade, emoção e respeito aos leitores, desde 2008 o Autoentusiastas tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo! Pratique autoentusiasmo.

  • Mellivora Capensis

    1 dos 500.000.000 foi meu. Se arrependimento matasse…..

  • BlueGopher

    Comigo aconteceu o contrário, já tive mais de 15 GMs, a maioria deles passou fácil dos 100.000 km rodados e nunca tive problemas.

    • Eduardo Mrack

      Aqui também, se contar a família toda, pai, eu e meu irmão, foram mais de 40 GM’s, dos quais ainda mantemos ( tenho que fazer a conta ) 6.

  • Bera Silva

    Parabéns a GM. Espero que em breve a linha de produtos GM no Brasil seja tão boa quanto a que existiu na década de 90 com produtos atualizados e de ótima qualidade.
    Desejo que a empresa olhe com mais carinho para o mercado brasileiro, oferecendo mais opções aos seus clientes.
    Que também não repita o erro de sucatear as ferramentas de estamparia do Opala, olhando com mais respeito o consumidor que possui um carro mais datado, como Astra, Vectra, Corsa, e que ainda ostentam na grade o símbolo da marca. Que melhore as estratégias, não repetindo o equívoco de lançar o Omega A com seu estilo datado, ao invés de esperar o lançamento do B, unificando as linhas de produção e permitindo que este permanecesse no mercado por mais tempo.

    Parabéns por ter lançado o Carro T seis meses antes aqui do que na Europa, com um motor melhor que o usado além Atlântico, embora usando cabeçote de ferro, fazendo com que seu desempenho fosse pior que os motores VW MD à época.
    Faço um pedido que a GMB, em respeito à sua própria história, e à memória de todos os empregados (desde os copeiros, passando pelos metalúrgicos, engenheiros, fornecedores e também diretores), faça um museu da empresa aqui no Brasil. Todos vão ganhar com isso.

  • Eduardo Mrack

    Minha duplicata ao comentário.

    Acredito que sem o retorno de produtos com DNA Opel, não teremos nada melhor do que os que aí estão hoje no catálogo de novos. Uma pena.

  • Lucio

    Parabéns a GM.
    Aliás, gostaria de sugerir ao time Autoentusiastas uma matéria sobre a picape D20 ou C20.
    É difícil encontrar detalhes sobre o projeto do ponto de vista do projetista, detalhes e fotos da linha de produção são raríssimos.
    Que tal? Quem conhece o “cara da GM” para fazer uma matéria?

  • Offspring

    Meu pai era Chevroleteiro. Teve mais de dez Opalas/Caravans, umas cinco C10/D10/D20 e dois Monzas, além de uma S10 4.3 V6, o último Chevrolet que tivemos na família. O último carro de passeio foi o Monza, já que depois vieram Santanas, Civics, Marea, Audis, Corollas, setc… Eu tive um Cruze e gostava muito. Mas o melhor sempre foi a Jardineira modelo Capitol AA de 1928… O xodó número 1 da família.