ELIMINATOR, O CARRO-SÍMBOLO DO ZZ TOP

Pixgood.com

Um clássico, divulgado ainda hoje graças ao bom rock (Pixgood.com)

fresno artsO Ford 1933 cupê três-janelas é um dos ícones do design, e chama atenção  principalmente pelo desenho da grade do radiador, muito provavelmente a mais bela de todas dessas décadas iniciais do século XX, e que só foi feita exatamente assim nesse ano. Em 1934 o contorno permaneceria o mesmo, mas a parte inferior levemente curvada para cima, como uma pá, passou a ser reta numa vista lateral. Oficialmente era o Model B com motor 4-cilindros, e Model 18 com o V-8, designações usadas apenas pelos especialistas, sendo muito mais normalmente chamados pelos anos, e pelo número de janelas e tipo de carroceria.

Foi usado em grande número para gerar hot rods de todos os tipos, e verdadeiras obras-primas nasceram desse carro que entrou para a história como um V-8 de Henry Ford. O motor foi lançado no ano de 1932, mas com um modelo A revisado. O 1933 veio com estilo completamente novo e mais moderno, e muitas diferenças mecânicas, se afastando do carro que deu rodas ao mundo, o Ford Modelo T.

Mas há um 33 especial no mundo de quem gosta de carros e de rock and roll básico, e esse é o Eliminator, que aparece em diversos vídeos de músicas do grupo texano ZZ Top,  banda que já conta com quarenta e seis anos de estrada, literalmente.

 

Os três membros da banda, quando o carro era novinho, 1983 (coolrain44.com)

Os três membros da banda, quando o carro era novinho, 1983; Billy Gibbons ao centro (coolrain44.com)

O cantor, guitarrista e barbudo William Frederick Gibbons é o feliz dono da idéia de fazer um carro para ser utilizado em vídeos das músicas da banda, no período em que a estação de televisão MTV — Music Television — era novidade e se tornara uma febre nos Estados Unidos. Ter bons vídeos e aparecer nesse canal era garantia quase absoluta de fazer sucesso comercial, e Gibbons tinha certeza que o tipo de fã do ZZ Top era justamente quem mais poderia gostar do carro, e somar a fome com a vontade de comer.

A gênese do Ford batizado de Eliminator (eliminador) aconteceu após Billy  assistir ao filme intitulado “California Kid”, o mesmo nome do Ford cupê modificado  para andar como um carro moderno. Na película, o cupê rouba a cena do ator principal do filme, Martin Sheen, que vai investigar a morte de seu irmão, e descobre um policial  que fazia seus próprios julgamentos e sentenciava criminosos do trânsito. O filme é ótimo e mostra dualidades entre certo e errado que valem hoje, mais do que nunca, quando qualquer pessoa que goste de acelerar um pouco mais que a lerdíssima maioria é tido como um fora-da-lei.

O carro que deu origem ao Eliminator foi comprado em Tucson, no estado do Arizona, de uma senhora que adquiriu  o carro zero-milhas, usou pouco e com muito cuidado. Vendeu o carro para Billy Gibbons em fins da década de 1970 em condições excelentes, e cinco anos de trabalho trouxeram ao mundo um dos mais famosos carros da música de todos os tempos até agora, e muito provavelmente de sempre, já que carros estão se transformando em vilões e os que sobrarem, serão heróis.

Pete Chapouris era o dono do Ford California Kid, e Gibbons o contatou para ir trocando idéias a respeito do que fazer com seu imaculado 33, após conhecê-lo e saber que ele era sócio na empresa chamada Pete and Jake’s Hot Rod Repair, onde o principal artista do metal  se chama Don Thelan. O trabalho foi iniciado nessa empresa, mas Thelan saiu e formou a Buffalo Motor Cars. Foi ele que fez a maior parte do trabalho no carro, por isso algumas fontes dizem que foi na sua empresa que nasceu o Eliminator, mas não é 100% verdade.

O carro ficou pronto em 1983, e aparece na capa do álbum lançado a seguir com o mesmo nome do carro.

 

A capa do vinil de 1983. (ZZTop.com)

A capa do vinil de 1983. (ZZTop.com)

O primeiro vídeo em que o carro apareceu foi na música Gimme All Your Lovin. A foto abaixo é de divulgação desse saboroso e marcante vídeo.

 

ZZ-Top-Gimme-All-Your-Lovin

Gimme All Your Lovin (ZZ Top.com)

Gibbons fez questão que para a viagem de gravação do vÍdeo dessa música, a primeira em que o carro aparece, tanto Pete Chapouris quanto Jake Jacobs participassem do passeio. Pete seguiu com o California Kid, e Jake com um outro cupê, esse um 34 amarelo imaculado.

Após o trabalho, foram para o centro artístico de Los Angeles, a Sunset Boulevard, onde causaram alvoroço, sendo parados pela multidão e até mesmo pela polícia, tudo antes de chegarem ao Spago, o restaurante para onde se dirigiam para um jantar comemorativo.

O carro combina perfeitamente com a banda. Rock básico provindo do blues, de guitarra (Gibbons), bateria (Frank Beard) e contrabaixo (Dusty Hill), som pesado e melódico, como o ronco do V-8.

O trabalho foi extenso, e o Eliminator tem um chassis próprio, com suspensões muito superiores às primitivas originais, quatro barras na frente e na traseira o eixo rígido mais robusto de todos que a própria Ford fabricava, o popularmente (lá), conhecido como Nine Inch, devido ao diâmetro de nove polegadas da coroa. Hoje há outros fornecedores que reproduzem esse eixo sob licença.

A carroceria teve as colunas das janelas cortadas em cerca de 12 cm, baixando o teto, numa moda antiga e ainda hoje empregada em hot rods com capota. É chamada de chopped top, teto fatiado.

Outro artista do metal da oficina, Steve Davis, fez a tampa do motor com tomadas de ar laterais, e Kenny Youngblood desenhou pela primeira vez, os gráficos  “ZZ” que se tornaram um emblema da banda desde então. Ou seja, a decoração do carro passou a ser a marca visual da banda. Só faltam os pêlos das barbas.

As lanternas traseiras são mais modernas, de um modelo 1939, e os faróis de um 1934, montados mais baixos. A tampa do porta-malas foi alterada para a placa ficar embutida e o conjunto todo ficou ótimo, mostrando que bastante conversa, planejamento  e tempo trazem bons resultados.

O motor não é Ford, mas sim um small block Chevrolet, 350 polegadas cúbicas (5,7 litros)  mas com comando do Camaro Z-28, dutos de admissão polidos, carburador quadrijet, acoplado a um câmbio Turbo Hydramatic 350. Para dar um toque de capricho, as tampas de válvulas tem o emblema ZZ usinadas, trabalho de Eric Vaughn.

 

gunsbase com

Faixas formam o ZZ na porta (gunsbase.com)

Após o uso nos vídeos, o carro passou a ser usado em viagens de promoção e numa travessia de Los Angeles a Nova York em 1989, dirigido por Billy e acompanhado por Kimberly Herrin,  uma das três garotas que ocupam o Eliminator nas músicas, surgindo para resolver situações problemáticas, ajudando rapazes e garotas  vítimas de cafajestes de ambos os sexos, tipo de gente sempre combatida e humilhada nesses vídeos.

Depois disso, o Eliminator foi entregue ao Museu e Hall da Fama do Rock and Roll, que fica em Cleveland, estado de Ohio, e lá está exposto. Tem sua importância por ajudar na repopularização da cultura hot rod, que estava com influência diminuída na década de 1980, e cujas palavras de Tony Thacker, que foi o diretor da 6ª reunião da NHRA explicam claramente a importância: “Este é o carro que expôs os hot rods a uma nova geração e reacendeu o sonho para tantos outros”.

Veja também as fotos que nosso editor Milton Belli tirou do Eliminator e de outro carro de Gibbons, o Cadzilla, nesta matéria.

As solicitações de aparições para o Eliminator foram tantas que um outro carro igual foi construído, dessa vez pela California Street Rods, e esse carro é o que Gibbons tem em sua garagem, já que o original está em empréstimo permanente.

Como ele mesmo disse certa vez, ” melhor ter e não precisar do que precisar e não ter “. Sábias palavras desse vegetariano do Texas, a terra do barbecue!

No vídeo abaixo, um pouco do Eliminator e muito som !

 

JJ

 

(686 visualizações, 1 hoje)


  • $2354837

    ” melhor ter e não precisar do que precisar e não ter “.
    Estou seguindo a tendência ao contrário. Tudo que me toma tempo e dinheiro sem me retornar nada, seja funcional ou prazer, considero estorvo. Estou eliminando tudo da minha vida que não tem uso, fazendo um “downsizing”.

    Menos coisa, menos custo fixo, mais tempo livre, mais tempo para curtir…
    “tenha somente o necessário” ou “se preocupe somente o que pode carregar em seus braços” já dizia Buda.

    De resto ótima reportagem JJ.

    Como estamos em 2015, vale lembrar do 3° filme “De volta para o futuro”, onde eles vão para o passado. A banda que toca no velho oeste é exatamente o ZZ Top. Brilhante! Vale o filme só por essa cena.

  • Excelente JJ, este é um dos maiores ícones da música e dos hot rods!
    Parabéns!

  • Fat Jack

    “…O motor não é Ford, mas sim um small block Chevrolet, 350 polegadas cúbicas (5,7 litros)…”
    Com uma infinidade tão grande de motores Ford que certamente poderia render o mesmo ou até mais, só me resta a pergunta:
    Por quê?? Por quê??

    • Mr. Car

      Também achei. Uma coisa que prezo em modificações (que aliás, precisam ser muito bem feitas para eu gostar, tanto no sentido estético quanto no da excelência de engenharia), é que se mantenha uma mecânica “dentro de casa”.

      • Fat Jack

        Perfeitamente!
        Se não há opção, ou se o carro em questão é um “urbaninho” básico, com questões que envolve diretamente a viabilidade financeira pra alteração (mesmo assim não gosto, mas) ainda passa., mas num caso desses não é o caso…

    • Fabio Toledo

      Também não curti isso, e o motor do carro que ele usa, sabe se é um 350 GM também?
      Outra foi essa história do texano ser vegetariano… piada!

  • Leonardo Mendes

    Juvenal, permita-me requisitar uma correção:
    Onde se lê “Charlie Sheen” o correto é “Martin Sheen”… o Charlie tinha apenas nove anos quando o pai protagonizou o filme.

    Antes da MTV, tínhamos o Som Pop (Cultura), FM TV (Manchete) e o Super Special (Bandeirantes) e os clips do ZZ Top passavam a exaustão nesses programas… tinha um que o Eliminator virava nave espacial.

  • NICKS31

    E depois ganhou asas e foi para o espaço ao som de Rough Boy do disco Afterburner.

  • petrafan

    Chopped top é teto cortado mesmo.
    to chop heads = cortar cabeças.
    e por aí vai.
    O que não empana o brilho deste artigo em nada.

  • CorsarioViajante

    Também chorei ao chegar nesta parte!!

  • RoadV8Runner

    Como fã de carteirinha do ZZ Top que sou, só posso dizer que babei litros nesse texto! O Eliminator e o Cadzilla ficaram muito legais. Os vídeos do ZZ Top são muito bons. Obrigado por compartilhar conosco a história do Eliminator.

  • WSR

    Gostei de saber que é um motor GM num Ford. Mas, se fosse meu, colocaria um Chrysler… 🙂

  • Juvenal Jorge

    Leonardo,
    correto ! obrigado pela lembrança, esqueci e confundi mesmo o pai com o filho.

  • Juvenal Jorge

    Luiz AG,
    concordo com você, a frase está lá apenas para entender melhor porque foi feito um segundo carro igual.

  • Fabio Toledo

    Acho que o problema aí é ter e não poder usar…
    Também tento ser o mais minimalista que consigo.

  • Juvenal Jorge

    Milton,
    me inspirei na sua matéria. Obrigado digo eu.