Conselho Subaru  SUBARU INSTITUI CONSELHO CONSULTIVO COM CLIENTES DA MARCA NO BRASIL  Conselho Subaru

Os conselheiros (falta um) com Flávio Padovan, diretor geral da Subaru, ao centro; atrás e à direita de Padovan, Tiago Kfouri, gerente de marketing da Subaru do Brasil; o quarto da esquerda para a direita é Danilo Rodil, diretor de vendas, e o terceiro, da direita para a esquerda é Ricardo Tadashi, diretor de planejamento

A Subaru, em uma ação inovadora e inédita, acaba de instituir no Brasil um conselho consultivo formado por clientes apaixonados pela marca. O objetivo é compartilhar informações, por meio do contato direto com os clientes mais apaixonados pela marca no País e assim desenvolver ações cada vez mais alinhadas às suas necessidades.

O primeiro encontro do conselho ocorreu durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro de 2014. Um grupo de clientes que há anos são fiéis aos modelos Subaru visitou o estande da marca para um encontro descontraído no qual puderam relatar suas experiências e compartilhar opiniões e informações.

O pioneirismo desta ação está relacionado ao novo momento da marca no País, conta o diretor da geral da Subaru no Brasil, Flávio Padovan: “Estamos desenvolvendo ações inéditas e queremos estar cada vez mais próximo dos subaristas, para entender profundamente o que pensam e o que esperam dos nossos serviços e produtos. Estamos reformulando a operação Subaru no Brasil e este contato mais direto com nossos clientes é primordial para o sucesso das nossas ações futuras. ”O conselho é formado por 15 clientes, profundos conhecedores dos mais diversos assuntos que envolvem a Subaru, seja produto, competições ou ações desenvolvidas em outros países. “Eles são realmente apaixonados pela marca”, comenta Tiago Kfouri, gerente de marketing da Subaru no Brasil.

Kfouri ressalta que, embora cada um dos conselheiros tenha experiências bem singulares com seus carros, eles têm alguns fatores comuns: vários Subarus na garagem, alguns com mais de cinco veículos, anos de fidelidade à marca, enorme conhecimento histórico e técnico e uma grande relação sentimental tanto com seus produtos quanto com a identidade da marca. “Temos famílias inteiras de clientes que acumulam 30 veículos ao longo dos últimos anos, que sabem detalhes técnicos dos produtos e que são de verdadeiros fãs apaixonados.”

Em fevereiro aconteceu a segunda reunião do conselho em São Paulo, na sede da Caoa, importadora oficial da marca no País, na qual estiveram presentes, além dos clientes, executivos da Subaru no Brasil das áreas de Marketing e Desenvolvimento de Rede. Neste encontro foram apresentadas com exclusividade aos conselheiros as ações de propaganda e marketing da marca criada pela nova agência, a F. Biz. “Queremos estar cada vez mais perto dos nossos clientes, saber o que eles pensam, aprender com eles. Por isso estamos preparando muitas novidades para este ano, começando pela nova campanha publicitária da marca”, completa Flávio Padovan. (Subaru)

Ae/BS

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas

  • Daniel Pessoa

    Que venham WRX – com câmbio manual – e BRZ para o Brasil. A Subaru sempre foi subaproveitada por aqui. Está na hora disso mudar.

    • Michell Aristobolo de Mello

      BRZ está em exposição na loja de Moema a algum tempo… Testando a recepção, foi o que o gerente da loja me disse. O problema é que está lá a quase um ano!

  • Juvenal Jorge

    Genial iniciativa. Um show da Subaru, tomara que outras a copiem.

    • Bob Sharp

      Também achei!

    • CorsarioViajante

      Se não me engano a Mitsubishi também tem um programa de relacionamento bem rico, tanto para o público off-road como para corridas e tal.

  • Ilbirs

    A Subaru parece ter notado que os fãs de carteirinha são parte importante de suas vendas e geradores de compras feitas por quem usa um carro para ir do ponto A ao B. Essa ponte é importante e ajuda a evitar diluição da marca, ainda mais se considerarmos que ela é atualmente a única marca de ampla produção com veia entusiasta, uma vez que a BMW resolveu cortar o acesso mais em conta a um carro de tração traseira que possa ser usado para todo e qualquer uso de um modelo de passeio normal, aqui contando o longo prazo, em que o Série 1 também vai passar a ter tração dianteira e a coisa mais barata que tracione as rodas típicas de algo da marca de Munique vai ser o Série 3, maior, mais caro e cuja proposta pode não servir a quem quer um hatch médio-pequeno.
    E nessa, também estamos naquele óbvio de que a combinação de estilo e soluções mecânicas específicas gera um grau identitário maior que o estilo puro e simples. Não fosse pelo motor boxer combinado à tração integral, dificilmente alguém reconheceria um Subaru pelo estilo, ainda mais considerando o quanto que ele variou durante esses anos todos e foi tendo elementos subtraídos (vide o fim das portas sem moldura de vidro).

    Logo, encaro isso de maneira muito positiva e espero que a marca das Plêiades esteja fazendo isso não só em nível brasileiro como mundial, de maneira a não se perder no caminho como temo que a BMW vá se perder.

  • Luiz Otávio Rujner Guimarães

    Também aplaudo a iniciativa, como disse o Ae Juvenal, que sirva de exemplo para outras fabricantes. A propósito, enviei o link da matéria para meu cunhado, que é proprietário de um Subaru e ele adorou.

  • CorsarioViajante

    Muito legal. Tomara que seja mesmo uma nova postura da marca e de sua posição no Brasil.
    Mas eu sempre me pergunto se, mais importante que ouvir quem já é cliente, não deveriam também ouvir quem ainda NÃO é cliente.
    Aqui vai minha dica: continuem trazendo o Impreza hatch normal, não só o XV, e de preferência com câmbio manual.

  • Leo-RJ

    Será que já posso comprar meu Subaru Outback ano 2000 (os 1998-2000 são os meus preferidos), com câmbio manual? Será que a marca vai me ouvir e prestar assistência?? 🙂

    Leo-RJ

  • Rafael D’amico D’amico

    Por hora ainda não posso ser afiliado ao SUBARU club, más este velho logo, logo realizará seu sonho de consumo . Digo qualidade.