DSC01905  EXTRA: HONDA MOSTRA TRÊS NOVIDADES EM PRÉVIA DO SALÃO DE GENEBRA DSC01905

(Genebra, Suíça) Pela segunda vez —  a primeira foi por ocasião do Salão de Detroit, em janeiro — a Honda organizou um evento na véspera do primeiro dia de imprensa do Salão de Genebra (abre para o público no dia 5 agora) para mostrar suas novidades. Para isso montou uma mostra festiva chamada Honda Preview Night num espaço para shows (foto acima) na cidade suíça, ocasião em que foram mostrados o novo cupê esporte NSX, agora híbrido sem carregar pela tomada, o McLaren MP4/30-Honda que marca a volta da marca à F-1, como fornecedora de motor, depois de ter saído em 2011 (reflexo da crise financeira mundial de 2008/2009), e o Civic Type R , um hatchback de alto desempenho com motor 2-litros turbo de 310 cv.

 

DSC01881  EXTRA: HONDA MOSTRA TRÊS NOVIDADES EM PRÉVIA DO SALÃO DE GENEBRA DSC01881

O novo Honda NSX, mostrado esta noite em Genebra

O novo NSX, versâo atualizada do primeiro, de 1990, terá motor V-6 traseiro-central acoplado a motor elétrico montado entre o V-6 e o transeixo com câmbio robotizado dupla-embreagem de nove marchas, e dois motores elétricos na dianteira, totalizando 550 cv. Os dois motores dianteiros são controlados individualmente para produzir vetoração por torque e a tração é integral.

O novo NSX tem nacionalidade americana por ter sido desenvolvido no centro técnico da Honda em Raymond, no estado de Ohio, e ser produzido em nova fábrica Honda em Marysville, no mesmo estado. Pedidos começam a ser aceitos a partir do verão do hemisfério norte e as entregas estão previstas para começar mais para o final do ano. O preço anunciado é US$ 150.000. Ainda não foram divulgado dados de desempenho e nem de autonomia em modo elétrico, mas foi adiantado que está será pequena. Foi passado também à imprensa que a produção será limitada, sem continuidade, embora o número não tivesse sido informado.

 

DSC01876  EXTRA: HONDA MOSTRA TRÊS NOVIDADES EM PRÉVIA DO SALÃO DE GENEBRA DSC01876

O Mclaren MP4/30-Honda de F-1 apresentado por Jenson Button, que terá Fernando Alonso como companheiro de equipe na temporada de 2015 que começa no fim de semana 13-15 de março em Melbourne, na Austrália

Presente para falar do novo McLaren com motor Honda estava o campeão mundial de 2009, o afável Jenson Button, que falou da grande expectativa da equipe para o campeonato de 2015 e da satisfação de ter novamente um motor Honda às costas, que era o que propulsionava o Brawn GP que ele pilotava.

 

DSC01888  EXTRA: HONDA MOSTRA TRÊS NOVIDADES EM PRÉVIA DO SALÃO DE GENEBRA DSC01888

Civic Type R, para enfrentar Mégane R.S. e Golf R — dois tração dianteira e um tração integral

O motor 2-L VTEC do Civic Type R desenvolve 310 cv a 6.500 rpm com torque de 40,8 m·kgf a 2.500 rpm. Já foi cronometrado nos testes a 270 km/h. O transeixo dianteiro é de seis marchas manuais e o carro foi bastante testado — só podia ser —  no Nordschleife de Nürburgring. Pneus são 235/35R19. Os freios são Brembo com discos dianteiros de 350 mm de diâmetro combinados com pinças de quatro pistões.

A Honda está mesmo partindo para o caráter esportivo com força total. Nada mais normal de uma fabricante cujo fundador era apaixonado por carros de corrida: Soichiro Honda.

BS

Fotos: autor

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas

  • Daniel S. de Araujo

    A Honda está inovando, heim! Dá gosto de ver!

  • Lucas Garcia

    ótimo extra, Civic Type R vai ser muito potente e vai ter uma boa briga com seus concorrentes.
    correção na 3ª foto.(Civic Type R, para enfrentar Mégane R.S. e ”Gol R”— dois tração dianteira e um tração integral)

  • Marcio

    Realmente, tais lançamentos fazem justiça à memória do Sr. Honda. Espero que com o novo presidente as coisas não mudem. E se me permite, só duas correções: o Formula 1 da foto é o MP4/28, o carro da Mclaren de 2013, só que com as cores atuais, e o motor que impulsionava a Brawn GP era um Mercedes, motivo pelo qual a equipe foi comprada para o campeonato do ano seguinte. Button pilotou os motores Honda na Honda, antes da Brawn GP ser de Ross Brawn.

  • Guilherme Keimi Goto

    Alguém tem que fazer os caras da Mercedes-Benz e Honda pararem com isso nos 2.0 turbo. Esses caras fazendo bruxaria pra tirar tanta potência e torque desses motores, só pode.

    • Portuga Goleta

      VW tem bruxarias mais pesadas como o Golf R400

  • Portuga Goleta

    O Type-R deve ser um belo carro ao volante, mas ele é feio na minha visão, ainda prefiro o Megâne se tratando de tração dianteira.

  • Eduardo

    Button andava com motor Honda quando pilotava para a Honda, mas esta caiu fora da F1, Brawn GP assumiu os equipamentos da Honda, exceto o motor que foi substituído pelo Mercedes, e marcou história com sua existência fulgaz mas vitoriosa.

  • CorsarioViajante

    Um detalhe: na legenda consta “Gol R”, não seria “Golf R”?

  • Roberto Alvarenga

    O Civic Type R ficou muito interessante, hein? Um hot hatch autêntico!!!

  • agent008

    Ótimas notícias, Bob. Seria sonhar muito, pensar na trinca japonês-francês-alemão vendidos aqui, competindo pelas emoções dos autoentusiastas brasileiros? Aproveito para apontar que faltou a letra ‘f’ no nome do Golf, na legenda da foto do type R.

  • Ilbirs

    Se estou certo, essa transmissão de duas embreagens e sete marchas do NSX deve ser basicamente a mesma que vemos no Fit Hybrid da atual geração, o que significa que o pessoal de Suzuka deve ter aprendido muito com o que viram no CVT, uma vez que a marca possui apenas um tipo de transmissão que serve a uma ampla gama de modelos da marca, partindo do Fit.

  • Guilherme Keimi Goto

    É esperar sair do papel, especialmente considerando o histórico da VW com Golf W12, que também havia promessa de aparecer no mercado (europeu), mas não saiu do conceito.

    • Adam Lewis Charger

      A VW não tinha concorrentes nessa faixa, o Golf R mandava sozinho a algum tempo, mas agora os rivais encostaram, Focus RS, Civic Type-R, Megane RS.
      Ela vai querer tomar o posto se soberana dos Hothatchs, e já vi notícias que iria pra produção.

      • Guilherme Keimi Goto

        O W12 também entraria em produção. Não entrou.
        Quando o próximo R sair a especulação termina. Enquanto isso é só especulação mesmo.

  • F A

    Não são 9 marchas?

    • Ilbirs

      Dá para ver que a Honda entrou com a sola de um coturno no ramo das duas embreagens: sete marchas para o Fit Hybrid, oito com conversor de torque para o Acura ILX e agora nove para o NSX.

      Acabei aproveitando para ver mais sobre essa transmissão do novo NSX e achei estas fotos simplesmente fantásticas do trem de força dele:

      http://www.speedhunters.com/wp-content/uploads/2015/01/NSX_Powertrain___Top_View-800×450.jpg

      http://www.newcars2015-2016.com/wp-content/uploads/2015/01/2016-Acura-NSX-Price-3.jpg

      Como se vê, é o primeiro Honda de motor longitudinal desde a descontinuação do S2000 (e, por ser transmissão com diferencial incorporado à carcaça, alguns irão se lembrar do Legend e seu motor longitudinal dianteiro). A bateria é em T, como a de um Volt, ainda que bem menor, pois falamos de um híbrido. Que se veja também o quão bem acomodados estão os motores elétricos dianteiros, que não só compartilham uma mesma carcaça como também ficam distante das rodas para não gerar mais massa não-suspensa. Além disso, parece-me que a transmissão tem o diferencial mais para a frente do que estaria normalmente em um transeixo do tipo, o que torna o conjunto todo bem compacto. A coisa toda não ocupa mais espaço do que ocuparia um conjunto de direção mais as rodas e um conjunto motor-transmissão central-traseiro longitudinal convencional. Na verdade usa espaços que seriam naturalmente mortos na montagem de propulsão convencional.