Duas ciclotaixas  EXTRA: SEM PALAVRAS, PARA A IDIOTICE ELAS SÃO DESNECESSÁRIAS Duas ciclotaixas

Av. Lineu de Paula Machado, em São Paulo (foto de Almir Orem)

Dois leitores nos enviaram essa foto, Eduardo Luann e Juscelino Pereira.

Esse cara, o mesmo que quando Ministro da Educação autorizou livro escolar que diz que  “nós pega o peixe” é correto porque é popular, está zombando de nós e, pior, com o nosso dinheiro.

Ae/BS

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

Publicações Relacionadas

  • Domingos

    Já chega. Está claro que esse cara está aqui para fazer revanchismo com São Paulo e ver as coisas desmoronando.

    Aqui na minha rua/quarteirão o asfalto chegou num nível onde 20 por hora é ver o carro batendo no chão com verdadeiras depressões no asfalto, as quais podem perfeitamente derrubarem um ciclista ou uma moto.

    A rua inteira está assim. E as cercanias não andam muito melhores, pois estão fazendo muitas obras de construção (autorizadas pelo Haddad onde antes não podia) que estão deixando buracos enormes igualmente.

    Sabe o que o imbecil fez, mesmo faltando dinheiro para a prefeitura? Vai fazer uma ciclofaixa daquelas de verdade, com rebaixo no asfalto e tudo, onde a mesma DÁ UMA VOLTA NO QUARTEIRÃO e não liga lugar nenhum com porcaria nenhuma!

    Detalhe que enquanto a ciclofaixa está sendo feita, com o rebaixo no asfalto, nada se faz com as ruas intransitáveis. E outra: vai ser feita numa rua de pouco trânsito e com casas muito antigas que não possuem garagem.

    Por que será que a ciclovia, que não dá seu percurso por lugar algum útil e mesmo inútil, está sendo feita justo no lado das casas sem garagem?

    Prevejo já a a abertura de algum estacionamento bem caro, como tem sido costume.

    E isso aí, Bob, não é novidade. O ciclista estúpido padrão NÃO USA ciclofaixa nem ciclovia, para o deleite dos Haddad e companhia limitada. Eles, mesmo com a estrutura feita, preferem andar na rua mesmo, isso quando não na contramão.

    São Paulo precisa expulsar esse cara. É como colocar um anti-semita para governar Israel.

    E os moradores de rua só aumentando em forma explosiva, enquanto os amigos da militância ganham 840 reais por mês.

    • Augusto Janiscki Junior

      Brasil rumo ao bolivarianismo !!!!

      Deus tenha piedade dos verdadeiros cidadãos deste pobre país…..

      • Domingos

        Acho que Deus já tem. Compare as besteiras que fazemos e onde estamos no mundo. Agora veja uma Argentina ou Venezuela, vindas de muito mais riquezas que nós, onde estão…

        Espero que ao menos a gente pare no estágio Argentina, porque se com o atual cenário o PT conseguir colocar um PSOL ou PSTU no governo, aí você pode esquecer.

        Vai ser gente passando fome na rua enquanto pederasta vive com 2 ou 3 salários do governo, igual ao que já é feito em São Paulo.

        • cesar

          O PT ainda não conseguiu transformar o Brasil em um Venezuela por conta do STF, mas não se preocupa não que neste mandato da Presidanta ela consegue, pois vai ter 10 dos 11 ministros do STF comprometidos com a causa. Ou conseguimos o Impedimento desta turma ou vamos estar lascados logo logo.

  • Guilherme Jun

    Lá no campus da USP as coisas estão medonhas: da direita para a esquerda, temos: ciclofaixa, faixa de ônibus e faixa para automóvel. Fico curioso para ser como será isso operacional, se é que é possível. E para completar, alguns longos trechos de “zona 40”. Acho que nunca senti tanto sono na vida ao dirigir, e quase esqueci das lombadas.

  • Fabio Vicente

    Idiotice parece ser uma tendência mundial na gestão do trafego, vide as medidas que as prefeituras de Paris e Nova York estão implantando, reduzindo a velocidade e restringindo cada vez mais a circulação de automóveis.
    Bob gostaria de tirar uma dúvida: qual seria a maneira ideal para a policia patrulhar as ruas? Pois não raro, me deparo com viaturas circulando na faixa da esquerda e em baixa velocidade. Isso além de irritante, acho que infringe o código de trânsito. Mas pergunto a você que conhece bem o quesito trânsito e também diversos países, pois não quero ser injusto ao criticar o modus operandi da Policia Militar.

    • Marcio

      O amigo só esqueceu de dizer que lá o metrô tem uma cobertura muito maior que em São Paulo, ou seja, mesmo sem carro dá para se fazer bastante coisa. Agora aqui… Só para o ônibus passar, espera-se trinta minutos, aí é um deus nos acuda para conseguir embarcar para se fazer o percurso com a cara enfiada no sovaco de outrem. Acho que a mensagem do prefeito é clara: SP está sendo modificada somente para possibilitar morar na Vila Madalena e trabalhar no Itaim Bibi, e que se dane o resto da cidade. Se os planos desse cara se concretizarem, no prazo de 20 anos teremos vários campeões da Volta da França, pois com tanta gente vindo da Zona Leste para Pinheiros de bicicleta, logo despontam talentos maiores que o Armstrong ou o Contador…

      • Domingos

        Isso mesmo. E vamos ter também uma população bem raquítica e pequena, adequada a ser espremida no nosso maravilhoso transporte.

        Ainda por cima o morador desses bairros, do qual o prefeito também faz parte (apesar de ser um marxista… que novidade), ainda terá que agüentar coisas como a cracolândia chique e o carnaval na “vila madá”.

        Acho que só tem um bairro que o Haddad não coloca a mão com a sua fúria e vontade de vingança: os Jardins. Também, se meter a mão ali é capaz de sair na semana seguinte.

      • Roberto

        Se for pensar de uma forma mais geral, em termos de Brasil, essas excentricidades não são novidades há muito tempo. Um bom exemplo são as ferrovias, que foram sucateadas pois o discurso da época era que todo o transporte seria por meio terrestre, coisa que com certeza em termos de Brasil é inviável. Um bom sistema de transporte não é aquele que tenta propor uma solução única para tudo, e sim aquele que propõe alternativas mais adequadas para cada situação. Como indicado no comentário anterior, no caso das ciclovias, é inegável que ela é uma boa alternativa somente para trajetos curtos e planos.

      • jrgarde

        A Vila Madalena também está em declínio…
        Tem que morar no prédio ao lado do trabalho, ai se vai a pé…mas cuidado para nao ser atropelado ou assaltado!

    • Domingos

      Deus me livre de Paris com a sua prefeita igualmente histérica, a qual já resultou em pesados protestos da população parisiense – que adora cair no conto do progressismo.

      E Deus me livre mais ainda de NY. Tenho orgulho de ser paulistano e tenho pena de quem trabalha a vida inteira pra ganhar o equivalente a 20-40 mil por mês para ter que viver ensardinhado em transporte público, viver de aluguel (imóveis ficam caríssimos com tanta concentração de gente) e viver uma vida no melhor estilo “1984”.

      Ainda por cima, como bem disse o Márcio, nós sequer temos a estrutura de transporte que eles têm. E sequer fazemos as simplórias ciclovias, obras das mais descomplicadas, com mínima qualidade e adequação.

      Que o Haddad vá governar lá junto com a prefeita de Paris. Eles gostam, nós ainda temos aqui mais de 80% da população com alguma coisa entre as pernas.

      Tudo bem que desses 80% muitos são arrependidos, pois foram os mesmos que colocaram o tralha no poder. Melhor tarde do que nunca…

    • jr

      Pois é. Eu estava em Paris exatamente nos dias em que começaram a usar as bicicletas (não me lembro se eram do município ou de alguma empresa privada). Acabei vendo pela TV a secretária não-sei-do-quê perambulando tropegamente de bicicleta na “inauguração”. Conclusão: o número de acidentes com atropelamento de ciclistas por veículos maiores aumento em 10 vezes. O número de pedestres atropelados por ciclistas, idem. Ciclistas são mal educados no mundo todo.

      Cansei de ver polícia dando bronca em ciclista em Amsterdã, e não era ciclista turista, não.
      Paris, Nova York pelo menos são cidades essencialmente planas. Difícil dizer o mesmo de São Paulo e Belo Horizonte, não é? Mas são cidades grandes com trânsito intenso, exatamente o que não é adequado para enfiar bicicleta no meio. Em Amsterdã praticamente se inviabilizou o uso do carro. Não há onde parar e os estacionamentos são caríssimos. Foi onde paguei o estacionamento mais caro que até hoje. E lá o transporte público é caro, eles andam de bicicleta ou a pé pois falta tutu no bolso mesmo.
      E a nossa mobilidade é muito mais complexa que a de qualquer país europeu.

    • Avatar

      Fábio Vicente,

      Sobre a sua dúvida, podemos fazer analogia à conduta da Polícia Militar e Polícia Penitenciária ao transferir presos através de rodovias: eles são instruídos a circular sempre de forma a não permitir que passe um veículo pela esquerda do comboio, pois isso dificulta que, em uma eventual tentativa de resgate, os bandidos acertem o motorista da viatura e com isso tirem a viatura e todo o efetivo transportado nela do “páreo”. Se você visualizar que a viatura está escoltando um caminhão de transporte de presos em rodovia, passe pela direita de forma discreta e vá embora, pois ficar seguindo o comboio por muito tempo também poderá não ser uma boa idéia, já que os policiais poderão pensar outra coisa de você…

      Contudo, para um patrulhamento a 20 km/h em ruas da cidade, acredito que essa postura seja somente desrespeito às leis e abuso de autoridade, pois muitas vezes, nem as luzes de posição estão acesas à noite, como se elas fossem chamar muuuita atenção…

  • robson santos

    A faixa “Domingo” é para quê ? Pedestrianismo, “burrismo” ou qualquer outra coisa que aconteça todos os domingos?
    Ou pelo visto o que deveria acontecer não acontece, pois nota-se “intenso” movimento ali e na ciclofaixa…
    A conclusão é que “errado” é quem passa ali de carro, numa via que deveria ser a “equino-faixa”, por tratar-se do famoso local, assim estariam todos em seus devidos lugares, os pedestres, os ciclistas e os equinos de São Paulo. Lamentável!

    A foto é bem curiosa mesmo… se é pra ter ciclo-faixa, por que é que então a mesma não foi feita margeando o canteiro central ???

    • Domingos

      Equino não, o progressista moderno é contra a “exploração dos animais”.

      O transporte a cavalo seria muito mais adequado em São Paulo que todas essas blasfêmias que estão sendo aprovadas, o que deixa a absurdez da situação bem clara.

  • Lucas dos Santos

    É, Bob. Cenas como essa me fazem perder as esperanças a cada dia…

    E o pior é que tem (muita) gente que aplaude isso – e que nem ciclista é.

    • Domingos

      Normal do nosso mundo politicamente correto e de gente histérica.

      As pessoas nunca foram tão fúteis, mas ao mesmo tempo nunca foram tão “preocupadas” em “serem corretas”. Aliás, em PARECEREM corretas.

      Essa é a problemática hoje. E por isso que você vê uns 15 a 20% do eleitorado que ainda insiste em apoiar esse governo, o qual vai ser provavelmente o último a usar as ciclofaixas.

  • Mr. Car

    Dia 15/03 dá para fechar um pacote e pedir o impeachment deste retardado junto? Todos às ruas!

    • Domingos

      Deus te ouça. No Brasil não sei se teríamos apoio da população, mas em São Paulo se forem pesquisar eu aposto que dá positivo para o impeachment.

      • Acyr Junior

        Onde assino???

  • Lucas

    A impressão que dá é que o poder público trabalha contra a população….. Eleito para ser um inimigo…..

    • Lucas dos Santos

      O pior é que a “população” nem se dá conta disso e acha tudo “lindo”…

    • Domingos

      Foi precisamente esse o papel dele em São Paulo. Como se fosse o “presente de despedida” do PT, que arrisca as calças de não ter sequer presença significante na câmera nas próximas eleições.

  • Reginaldo Ferreira Campos

    2 + 2 ainda são 4 em qualquer parte do mundo, então Bob, vamos fazer as contas…

    Anos atrás, Paulo Maluf e Luís Inácio tem um bate-boca memorável, onde um chamou o outro de ladrão, e este por sua vez chamou seu ajuntamento de pulhas de gafanhotos.
    +
    Maluf, o estuprador que não mata, tem suas contas nas ilhas Jersey descobertas e arrestadas pela justiça daquele país, sendo condenado em sequência.
    +
    Codinome “Barba”, o delator, deseja emplacar seu novo poste em SP.
    +
    Junto ao seu candidato a alcaide da terceira maior metrópole do planeta, Lula, o mestre dos gafanhotos, busca o apoio do ladrão que faz
    +
    A Eucatex, empresa em nome do testa-de-ferro biológico de Maluf diversifica seu portfólio e passa a fabricar, além de seus tradicionais paíneis de madeira aglomerada, tintas.
    +
    Justiça de Jersey aceita devolver parte do assalto aos cofres da PMSP
    +
    Haddad é eleito com o auxílio do seu mais novo mentor e se torna o “Menino Malufinho”.
    +
    PMSP recebe em seus cofres os milhões que foram levados pelas águas espraiadas.
    =
    Ciclofaixas à meio-milhão o metro.

    • Domingos

      Já eu acho que com dinheiro ou não os dois se juntavam. Para mim é tão previsível quanto Kassab no governo federal ou Levy Fidelix como ministro.

      Só esquerdista nível principiante que se ilude com isso. O resto já sabe e não tem o menor pudor. Uma pena o comunismo ter sido aliado dos EUA, pois deveria ter sido criminalizado junto com todos os eufemismos para comunismo tal como foi o nazismo.

      Bando de pagão.

  • RoadV8Runner

    Adaptando um antigo ditado popular, que já foi apresentado aqui em outras ocasiões, mas que define exatamente a situação em que vivemos atualmente: ou o Brasil acaba com o PT ou o PT acaba com o Brasil…

  • Mingo

    São Paulo fracassou como cidade. Infelizmente isso aqui não tem mais jeito não.

    • Domingos

      Aposto mais na gente que em centros como Londres, os quais já estão tão arraigados na nulidade que só recolonizando a cidade para mudar alguma coisa.

      Não tem jeito, somos todos humanos e a média da coisa é sempre meio que lá por baixo – ainda mais com a tendência atual de degradação do homem.

      Se você combina compra de votos por bolsas duvidosas, programas sociais questionáveis, passar mão na cabeça de “pequenos crimes” e outras medidas manjadas com a troca de liberdade por esse dinheiro fácil e esse olho grosso a maioria vai acabar aceitando medidas absurdas e ainda comprando ideologias (droguismo, feminismo, estatismo, capitalismo ideológico, homosexualismo incentivado) como forma de “viver uma vida fácil”.

      E se você ainda combina isso com massas de gente vindos dos lugares mais pobres do planeta, acabou. Poucos hoje em dia têm a rigidez de moral para se negar a uma coisa dessas. Aliás, a imigração hoje em dia vai buscar JUSTAMENTE quem não vai fazer a menor oposição a isso.

      Quando os indianos se mostraram muito ordeiros, muito orgulhosos de si, Londres começou a buscar corrupto Russo e gente das partes mais miseráveis e desgraçadas da África.

      Você pega uma população local espremida, acovardada e tornada impotente (por leis, por polícia que não vai atrás de quem faz besteira, por politicamente correto) e junta com uma população ingressante dessas e se bobear uns 70 a 80% tem rabo preso com o governo.

      Não se muda nada assim. Só se piora, afinal o objetivo é esse mesmo: mais poder na mão dos governantes e pouco questionamento.

      São Paulo ao menos ainda tem uns 40 a 50% de pessoas com algo de melhor a fazer da vida que abrir as pernas para medidas esdruxulas em nome de um programinha social aqui, uma ajudinha ali, uma bolsinha em outro lugar etc.

      OBS: Isso não vale para quem se usa desses programas por necessidade, porém não tem como objetivo de vida se usar deles e ainda pedir que existam sempre mais e mais e por qualquer motivo estúpido.

  • c4vitesse

    Que idiotice. Eu passo nessa avenida todos os dias de semana e nem imaginava que faziam isso no domingo.

    Sobre a ciclovia em si, essa avenida é um caso onde a inclusão não impactou o trânsito, o que é ótimo, afinal a avenida tinha faixas bem largas e aproveitaram o espaço.

    O problema é que, desde que a instalaram há uns meses, se eu vi no máximo 3 ciclistas utilizando é muito. E, como falei, de segunda a sexta eu passo aí no horário de pico. Não entendo de onde vem o cálculo de demanda deles e questiono as vezes a necessidade de tantas ciclovias em detrimento ao investimento em outras áreas.

  • Daniel S. de Araujo

    Gostem ou não gostem do Mário Covas, São Paulo não tem prefeito desde que ele deixou a prefeitura em 1985!

    Jânio já estava fora do ar, Erundina sofria o fogo amigo do PT, Maluf queria mesmo era ser governador, Pitta….quem foi esse cara? Marta se preocupou com a cor do uniforme escolar, Serra, com a candidatura a governador e a presid6encia da República, Kassab em fundar o PSD e o Haddad…é o Celso Pitta 2.

    Ultimamente meu mau humor anda relacionado com as barbaridades que o PT anda fazendo nesse país.

    • Lorenzo Frigerio

      Mário Covas foi um dos piores prefeitos de São Paulo. Ele nos legou o famoso “atropelódromo” da Av. Santo Amaro, que não terminava nunca, totalmente desprovido de sinalização enquanto era construído. O Secretário Municipal de Esportes, Caio Pompeu de Toledo, chegou a “chapar” de noite numa daquelas floreiras. E o pior, o corredor “fez escola”… vejam aí nosso prefeitinho.
      Em termos de prefeitos pós-ditadura, o menos ruim foi paradoxalmente a Martaxa (que mesmo assim foi péssima).
      Na época da ditadura a coisa era melhor: Olavo Setúbal, Figueiredo Ferraz, Faria Lima e até o repeteco de Prestes Maia. E até com Maluf, Reynaldão e Curiati ainda funcionava.

  • marcus lahoz

    Que absurdo!

  • CorsarioViajante

    Agora os ciclistas tem opções em dobro! rs

  • jrgarde

    Esse cara ai é o castigo do Lulladeus para as zelites brancas de óios azuis paulistanas.

    • Lorenzo Frigerio

      de ZÓIOS azuis

    • Domingos

      Perfeito. E, no melhor estilo esquerda, vinda de um cara que mora em bairro nobre.

  • Fórmula Finesse

    Rsrsrsrs…já estão vacinados para futuros congestionamentos de bicicletas!

  • lombroso

    Alguém já pesquisou quantos ciclistas temos e quantos estariam dispostos a de fato utilizar tais ciclofaixas, todos os dias, mesmo com chuva, frio, de terno e gravata, salto alto, mais de 60 anos, sem local para trocar de roupa ou tomar banho no emprego, será que iriam mesmo de bicicleta todo dia? E se todos forem ao mesmo tempo trabalhar de bicicleta, vamos precisar de carrofaixa?

  • churchillean

    Amigos, que tal a idéia de um curso superior de administração municipal, onde apenas os diplomados disputariam um concurso público de provas e títulos. Não haveria mais eleição para prefeitos e sim concurso entre os profissionais habilitados. E nada de uma pessoa só governar uma cidade de milhões de habitantes, cada concursado exerceria mandato sobre uma área de no máximo um milhão de habitantes, sem possibilidade de prorrogação ou recondução. Deixaríamos os cargos executivos eletivos para a esfera estadual e nacional apenas. Para os cargos legislativos municipais, distritos com eleição majoritária entre moradores com dez anos de residência contínua no distrito. Profissionalizar a gestão municipal e exercer a política em âmbito distrital. Que tal? Estou sonhando?

    • Lorenzo Frigerio

      Não, Londres é apenas uma denominação postal (exceto a “City”). O prefeito de Londres apenas supervisiona políticas interdistritais, como transporte, saneamento etc. O resto está tudo nas mãos de conselhos locais eleitos diretamente, cada um com um Líder que gerencia os serviços públicos da região.
      Mas o brasileiro, devido à ditadura, se ilude com a falsa idéia de democracia proporcionada pela eleição de um prefeito para o todo da metrópole, não percebendo que tudo o mais é pouquíssimo transparente. E os políticos não querem mudar isso, pois são fascinados pela concentração de poder que representa dominar uma megacidade com milhões de eleitores como São Paulo.

      • Domingos

        Mas lá essa concentração de poder já começa a ocorrer também. É o sonho de todo político.

        Com a imigração, os políticos lá se têm utilizado da técnica de ganhar votos de forma mais remota (não se tem mais os moradores de bairros ou distritos e sim os “cidadãos do mundo”) que ao mesmo tempo lhes dão um poder mais generalizado sobre a cidade.

        Esse poder vai acumulando e logo o prefeito e o seu partido vão ganhando e aprovando medidas que aumentem seu poder de forma mais abrangente e que ouça menos à democracia direta – a única que funciona, o resto é fachada.

        Na Itália, quando a crise veio e a Alemanha começou a mexer seus pauzinhos, acabaram com os governos de comunes. Só sobraram um pouco dos governos regionais, o resto está igual ao que acontece aqui.

        Não é questão de resquício de ditadura, é de tendência da polícia mesmo.

        • Lorenzo Frigerio

          Na Europa o voto é distrital. Não existem políticos eleitos por voto genérico. A democracia lá funciona a varejo. Se precisar, você vai e reclama com o seu representante.

    • Juvenal Jorge

      churchillean,
      boa idéia, e tenho outra: título de eleitor apenas para quem tem curso superior. Pessoas sem muitos anos de escola não deveriam poder votar.
      E mesmo assim estaríamos em risco, dadas as “facurdades” que temos em cada esquina, fora os incríveis “cursos a distância”

      • Eduardo Mrack

        Discordo JJ. Conheço inúmeras pessoas com diploma de curso superior que não são cultas, competentes, inteligentes ou ainda capazes de fazer um bom julgamento e nem têm bom senso. Não acredito que apenas instituições de ensino por si só possam formar alguém com excelência. Vejo muita gente formada que não sabe interpretar uma leitura e muito menos escrever de maneira razoável, só para citar um exemplo bem comum.

        • Antônio do Sul

          Concordo com você. Às vezes, o conhecimento dessas pessoas é restrito à área específica de sua formação profissional. Eu conheço muita gente que não fez nenhum curso superior e tem uma visão de mundo muito mais ampla do que a de alguns que fizeram faculdade.

      • Lorenzo Frigerio

        Antigamente, analfabeto não podia votar, por razões óbvias. Mas criar obstáculos anti-igualitários não é republicano.

      • Domingos

        Aliás, lembrando agora outra coisa: se a eleição presidencial fosse feita só na USP, teria ganhado o PSOL… Daí que é mais importante uma população esclarecida e de bom tom que um bando de formadinho.

        Melhor não deixar voto na mão só de diplomeiro não.

      • Antônio do Sul

        Tem muito “diplomado”, inclusive com mestrado e doutorado, que se acha politizado…O próprio Haddad é um.

  • CorsarioViajante

    E não é que é mesmo? Acho que andam vendo a prefeitura só como trampolim ou como tampão.

    • Lorenzo Frigerio

      Como trampolim, a Prefeitura de São Paulo não funciona. Depois de Adhemar de Barros, nenhum prefeito de São Paulo que tenha cumprido integralmente um mandato jamais se elegeu para qualquer outro cargo executivo. Serra e Covas se safaram porque não cumpriram mandatos plenos; o mesmo vale para Kassab, que assumiu e se elegeu após a saída de Serra.
      A Cidade de São Paulo é o verdadeiro túmulo dos políticos.
      Nóis sofre mais nóis goza… que nunca mais vejamos Serra, Kassab, Marta, Maluf e Malddad em nenhum cargo executivo, e a Eru, pela idade, também não encararia.

  • Fat Jack

    Vou comprar quadriciclo, será que ele pode???

    • Domingos

      Seria legal… Vai que ainda por cima não precisa ser emplacado.

      Mas não está no ritmo do governo atual. Teria que ser movido a “sangue humano”.

  • PTquiupariu! Este cara só pode estar de gozação com os paulistanos… Será que é complexo de inferioridade?

  • CharlesAle

    Chega de tirar o traseiro do povo da reta. Se este canalha do Haddad está lá, fazendo carnaval em bairros totalmente impróprios para isso, se faz ciclovia como um insano e inviabilizando muitas vias importantes da capita, foi porque o povo o elegeu e este mesmo povo tem de sentir na pele o que é eleger um irresponsável! E desculpe o desabafo!!!

    • Domingos

      As partes mais pobres daqui já aprenderam. Não vejo o pessoal elogiando o Haddad não e muito menos apoiando essas medidas, as quais tem bairro que o elegeu que já chegou a protestar contra.

      O problema é que a mentalidade que “de repente cai alguma coisa do governo pra nóis” acaba com tudo, inclusive faz com que pessoas que repudiam esse governo de acabarem votando novamente nele.

      Isso acontece em todo o lugar do mundo. O Berlusconi na Itália, mesmo sendo “de direita”, também se manteve no poder por um período inacreditávelmente longo mesmo com todas as denúncias porque dava dinheiro e um monte de coisa para grande parte da população.

      A compra de votos é… compra de votos. Programa social tinha que ser definido e regulamentado pela Constituição e fim de papo. Novos programas ou mudanças APENAS com aprovação majoritária absoluta da câmera e após referendo, devendo serem propostas pela própria população ou também por maioria parlamentar.

  • Christian Bernert

    Do jeito que a coisa vai não falta muito para a cidade inteira ser exclusiva para circulação de bicicletas e ônibus. Seria mais econômico pintar as ‘auto-faixas’ ao invés das ciclo-faixas.
    Melhor fugir o quanto antes.

  • Poomah

    É no mínimo esquizofrênico. A cidade inteira foi concebida ou ajustada durante anos para o uso de automóveis, privilegia os deslocamentos por este tipo de modal e de uma hora para outra uma gestão decide que “tá tudo errado”. Se invocarem com o metrô vão fazer o quê? Aterrar ou transformar em atração turística?

    • Domingos

      Vão fazer um JarDIm EnCaNtAdO dA DiVeRsIdAdE

  • Antônio do Sul

    E hoje, na nossa democracia, muita gente não votaria em alguém do porte do Olavo Setúbal só por ele ser rico e banqueiro, o que é politicamente incorreto…Bom mesmo é votar em orelhudo que não consegue nem administrar o seu próprio patrimônio, mas que é ligado às causas “sociais”.

    • Domingos

      De repente ele poderia fazer o papel do banqueiro progressista e seria eleito. Eike Batista tentou no seu auge dar uma desse tipo, inclusive de assumido amigo do “governo do povo”.

      Mas, convenhamos, o cara se for bom mesmo não vai fazer isso…

  • Roberto Mazza

    Realmente lamentável. Temos MUITO a fazer para sermos uma sociedade mais decente.

  • Juvenal Jorge

    Tem que existir uma maneira de remover o entulho que ocupa a cadeira de prefeito da cidade de São Paulo.
    Não é possível que não exista um único advogado útil numa hora dessas.

  • Bob Sharp

    Lipe
    Concordo com tudo o que você diz, mas acabar com o PT resolveria 80% dos nossos problemas. Esse partido é um verdadeiro câncro. Exala falcatrua.

    • Domingos

      Bob, cuidado. O PT e as esquerdas não são burros. Quer dizer, eles precisam de eleitores e apoiadores burros – e por isso mesmo gostam de drogados, gente que ganha um diploma qualquer e se acha “emancipado” e por aí vai.

      Lá nas alas de comando eles são muito inteligentes e trabalham sem qualquer princípio ético, realmente como um cancro.

      O PT sabe que hoje, por exemplo, se ele deixar de ganhar eleições vai ter muito “gente do bem” que agora está “decepcionada com o PT” que vai votar em partidos ainda mais metidos com o esquema absolutamente doentio do progressismo e dos partidos de esquerda.

      Tem muita gente aí transferindo votos pra Luciana Genro e outros tipos que fazem Dilma e Lula parecerem boas pessoas.

      Se hoje reclamamos que dão bolsa para travestis enquanto os moradores de rua explodem em número e ficam sem auxílio (aqui na minha região já tem mutirão de pessoas que estão dando comida para eles, por exemplo), amanhã com um partido desses no poder nós vamos ser CENSURADOS de reclamar de uma absurdez dessas.

      Aliás, é na hora da verdade que se mostra quem é quem. Aqui com os moradores de rua são pessoas religiosas, pessoas de iniciativa própria, que são os únicos a colaborarem.

      Essas pessoas seriam chamadas no dia-a-dia por esse pessoal nojento, esse pessoal drogado que nos governa, de conservadoras, de reacionárias, de preconceituosas e até de burras.

      Só que os “gente do bem”, os “tolerantes”, os “modernos” (como o Haddad gosta de se chamar), os “progressitas” e todas as suas bolsas, coitadismos e falas “bonitas” não são os que ajudam aqueles que não têm lugar para dormir enquanto quem meramente decidiu se vestir de outro sexo ganha mais do que uma pessoa dessas ganharia num mês inteiro de trabalho…

    • Ozirlei

      Digo o mesmo dos outros partidos.
      O problema não é o partido, por isso a opinião do Lipe esta corretíssima. É a forma como os poderes são gerenciados o problema.
      E de onde vem o problema?
      Percepção de corrupção, países lusófonos:
      32º – Portugal
      41º – Cabo verde
      73º – Brasil
      100º – São Tome e Príncipe
      120º – Moçambique
      154º – Guiné-Bissau
      168º – Angola

      Não é mera coincidência, acompanho diariamente as notícias de Portugal, e lá tal como cá são quase diárias as notícias de escândalo, de corrupção. Note que estamos falando de um dito país de “primeiro mundo”, de um país europeu.
      O problema é cultural, e tivemos um bom professor, não é culpa deles porque eles são assim, é um país pequeno que foi muito “abusado” pelos vizinhos, é um mecanismo de defesa que no fim virou-se contra eles mesmos.
      A solução passa pelo que o Lipe disse, porém há que se lembrar que a corrupção acontece em todo lugar, em todo momento no Brasil… O jeitinho brasileiro é o maior exemplo. Não existe bicho mais folgado que brasileiro, mais desrespeitoso… Não é à toa que é a maioria é odiado como turista e como imigrante nos países de “primeiro mundo”. Agora até na web… BR!
      A segunda coisa, é que o brasileiro tem preguiça de averiguar e ler. Em todas as esferas, novamente. Qualquer boato é fato, se de fato parecer fato!
      Ex: Me disseram que domingo ia subir a gasolina, que era para eu ir correndo abastecer, porque agora ia passar de 4 reais!! E Dilma pra lá, Dilma pra cá…
      Ok, uma rápida pesquisa no Google… e.. é verdade, vai subir de novo… ok! Só que 0,15 centavos…
      E a culpa é de quem… ICMS… opa, isso não tem a ver com a Dilma… Tem mais a ver com o governador de São Paulo, que aproveitou a onda para aumentar e causar mais revolta no povo e favorecer seu partido que clama por impeachment…
      A terceira coisa é que ainda não perdeu o complexo de vira-lata. Ele é alimentado diariamente pelas revistas, jornais e principalmente pela Globo.
      A imprensa brasileira passa por um ciclo constante, repare que em qualquer jornal é assim:
      – Matéria de revolta (choque, é como uma anestesia local; servem como anestésicos: estado islâmico, Ucrânia, corrupção na Petrobrás, quebra-quebra, arrastão ou enchentes)
      – Política (com a anestesia dada, agora é só falar qualquer besteira, não vão nem raciocinar, vão engolir a seco, pode operar o que quiser aqui, é só pôr nas entrelinhas que vira verdade – explico abaixo como, é sutil)
      – Esporte (pronto, sutura feita, o circo que alimenta o conformismo)
      – Notícias internacionais, boas ou nem tanto, mas geralmente melhores do que as que temos aqui, pelo simples fato de mostrar que o tratamento desses problemas lá é VIP, não que nem a coisa não terminada e malfeita típica de Brasil que eles mostraram lá na etapa 2.
      Ex: Depois da notícia de um escândalo qualquer da Casa Branca, já se fala logo em seguida: O porta-voz da Casa Branca disse que o FBI, a CIA, a força nacional de segurança e os cachorros do presidente estão averiguando o fato. O presidente Obama disse que essa é uma questão delicada, mas que receberá todo rigor que a situação exige e que não medirão esforços até punir os culpados.
      E daqui?
      Depois de jogarem a notícia…– pausa de 2 segundos com cara de reprovação do âncora –…. “o ministro da fazenda disse que o PIB esta dentro das expectativas e das metas do governo! A presidente Dilma Rousseff (note, não se cita o presidente Obama como Barack Hussein Obama, fica muito impessoal… Ele é nosso amigão, e ele é confiável!! Nossa presidente… Não!… Só faltam dizer.. Vossa Excelência, Dilma Vana Rousseff ‘se pronunciou’ dizendo… (e se você é um brasileiro ignorante que não sabia nem o nome do meio da presidenta, nem ouse falar sobre política, você no mínimo mostra que nem o nome do presidente do seu país você sabe!)
      Ah, sim… Você sabia? Então sabe que estranhamente Vana (búlgaro: Вана) significa banheira nas línguas eslavas, também entra no pacote de não sabe de nada. É estranho, é estranho, mas é coisa da cultura deles (eslavos)… é comum usar algo do cotidiano ou com que se trabalha ou que ache sonoro ou mesmo palavras religiosas e fazer fusão com alguma outra palavra que indica força, beleza etc…
      Rusév, provavelmente, é algo ligado aos russos, (руски) ‘ruski’. Então, talvez Pétar Rusév tinha alguma descendência russa. Note, isso na Europa toda não quer dizer nada… Foi constatado que geneticamente o povo europeu não tem nem 3% de diferenças entre si, graças aos grandes impérios, a miscigenação foi muito grande no passado…
      (Eta, caramba… onde eu estava mesmo…) ah, sim, se você leu até aqui e não se lembra, eu disse que os tratamentos das notícias são diferentes, lá mesmo que o Obama coma lixo, vira flores na boca do William Bonner… Já aqui mesmo a melhor notícia do mundo vira lixo, muda um pouquinho as palavras e já muda o sentido… A UPP, por exemplo, era um negócio muito bom, mas desde o início foi mostrado pela imprensa com temerosidade, com descrédito… E óbvio, deu no que deu… faz a população que vive ali não acreditar, faz o policial não acreditar, e pior, faz o bandido acreditar que pode tudo, e assim mantém o ciclo de notícias ruins para eles colocarem nas manchetes.
      – Aí fala da previsão do tempo… (às vezes inverte, caso a notícia internacional seja muito boa)
      Assim, dá uma idéia de ciclo, que amanhã você vai ver notícia ruim do Brasil, depois de amanhã, e depois de depois de amanhã…
      Como eu disse, às vezes dá uma invertida em alguns itens mas sempre para passar a mesma idéia (choque, lavagem cerebral, circo, conformismo, ciclo infinito)
      Agora concluindo:
      Para mim o primeiro passo para cada brasileiro, todos, passa por ser honesto. A mentira, o ‘jeitinho’, a folgação, a mania de Gérson, têm que acabar.
      O segundo passo, não ter preguiça de ler, aprender, reconhecer seus erros, se despir da ignorância e arrogância de saber tudo e não acreditar em boatos sem fontes e sem confirmação.
      E o terceiro passo, acreditar. Acreditar em si, que você pode melhorar… Acreditar no povo brasileiro. E até acreditar nos políticos. Todos podem melhorar. Imagino agora a sua cara… Mas explico: duvido que em outro país de primeiro mundo você ouça a cada canto tanta lamentação… lamentação da corrupção, dos preços, disso, daquilo… Pode estar uma porcaria, o carro que eles fabricam pode ser uma porcaria, o país pode ser feio, sujo, nevar metade do ano, ter furacões, a comida ser horrorosa… Mas eles não reclamam, valorizam o que têm (morrendo de inveja dos outros países em silêncio, mas valorizam, nunca dão o braço a torcer, compram seu produto nacional, fazem turismo interno, e se alguém pergunta, o país dele é o melhor do mundo!)
      Como funciona: o que pode ser mudado é estudado, procuradas as alternativas e feito doa a quem doer… O que não pode é, de fato, um item nacional imutável e até de orgulho. (Ex: passei minha infância inteira com minha mãe falando que a maçã da Argentina era melhor, que era grande e bonita… uma ova! Depois que cresci percebi que a nossa é pequena, feia… mas é muito mais saborosa!)
      Não importa se é uma ponte com 343 metros de altura, um túnel embaixo do “mar” ligando 2 países, uma mudança de governo… Estuda, planeja, executa…
      E aqui, bem… aqui quando vai para alguma etapa, vai logo para o executa… e se fizer o estudo, já declara que é inviável…

    • Lorenzo Frigerio

      Cancro é o sistema que permite e incentiva isso. Se eu vier aqui e chamar a Anfavea de “cancro”, você vai descer o taco de beisebol na minha cabeça. Mas tanto a Anfavea e as “montadoras”, como o PT e todos os outros partidos defendem os seus interesses num sistema viciado. Não podemos culpar exclusivamente a Anfavea pelos preços dos carros no Brasil.
      A insatisfação que levou ao golpe de 64 não foi apenas contra João Goulart ou o medo do comunismo, mas com o caos que começou a se instalar, com diversos grupelhos prostituindo o sistema para puxar a sardinha para o seu lado, e dispostos a tudo e qualquer coisa para fazer valer os seus interesses, beirando a guerra civil.
      Culpar o PT por um problema que é institucional, do Brasil, é miopia. Precisamos fazer a Revolução. Não um golpe, mas uma revolução democrática que substitua o sistema por outro mais eficiente, previsível, confiável, transparente e justo, para que possamos nos libertar das amarras do terceiro-mundismo e entrar no séc. XXI.

  • Domingos

    O problema é que falar isso e não falar nada é a mesma coisa. Você está certo em grande parte da sua percepção, só que todo político é de carreira. E isolar por partidos também não leva a nada, já que a estrutura é sempre a mesma.

    Se a pessoa não for de carreira política, ao entrar ela vai se tornar. A não ser que tenha poder para isso e para peitar as instituições, algo que nossa constiuição politizada não permite.

    O que precisava ter fim é a política. Em lugar algum isso deu certo e eu rio da gente que se acha muito superior por não ser governada por reis ou por feudos. A gente é mais enganado assim, com a ilusão da participação e da política.

    E nos países mais desenvolvidos o jogo só é melhor, um pouco mais são.

    Político não presta para nada. Todos deveriam ser funcionários públicos empregados e escolhidos pelo povo como se fossem uma empresa de serviços.

    No máximo deveria ser eleito um presidente. E o ideal mesmo seria um rei com verdadeiro amor à pátria, o qual estabeleceria as melhores bases e caminhos para o país seguir sem interferência de um monte de babaca.

    Esse daria o tom para a visão do país e os seus desenvolvimentos, sendo a política no sentido estrito. Não no sentido de carreira, de negociação e de toda a mentira que chamamos hoje de politica.

    Os funcionários, fazendo o papel das pessoas que hoje são eleitas para governarem contra os nossos interesses e fingirem que não trabalham para nós (afinal, “ganharam o privilégio” através dos nossos votos de estarem lá) meramente obedeceriam um combinado realmente democrático: as principais metas do país junto com as demandas da população, expressadas através da contratação ou não dos seus serviços.

    Fim.

    • Eduardo Mrack

      Os melhores textos sociais, políticos e econômicos eu leio aqui no Ae, tanto dos editores como dos que comentam. Este site concentra o que há de melhor em termos de pessoas esclarecidas e cultas. Uma pena que isto se limite a apenas um site dos muitos que frequento.

      • Domingos

        Realmente o Ae tem a dádiva e a característica de reunir ao mesmo tempo editores e comentaristas que realmente entendem muito de carro como pessoas com esclarecimento e o mais importante: boa vontade.

        Talvez a poda que o Bob dê ajude a não dar espaço aqui aos zoneiros e aos que postariam apenas para defender um ou outro partido, mas parece algo naturalmente bom daqui essa reunião!

  • Domingos

    Gosto dessa proposta, mas seria ainda mais rígido: cargo por eleição só na esfera Federal.

    E não sei se deveríamos exigir algo como um curso superior. Qualquer pessoa de boa vontade poderia, após uma formação específica (que não precisaria de tantos anos de estudo), ser contratada.

    Deixar por concurso pode dar margem à cultura dos concurseiros, como a que já acontece em alguns cargos, os quais passam décadas estudando para depois sentarem a burrinha num cargo garantido e não fazerem muita coisa…

    Melhor que sejam contratados diretamente pela população.

  • Domingos

    Justamente por esse motivo não faria essa exigência. E, olhando para o passado, a tal cultura do estudo não passou de um bom tanto de culturismo.

    Nossos avós e muitos dos que fizeram com as próprias mãos países como Alemanha e Japão jamais pensavam em “fazer faculdade”.

    O estudo é bom até o ponto que formaliza e esclarece as coisas. Como uma boa formação técnica. Como uma certificação.

    Quando começa o papo de “ser formado”, “ter diploma”, “crescer na vida”, “o professor vai mudar o mundo” e outras palhaçadas, o estudo começa a ser só para colecionar papéis e impor uma visão de mundo – geralmente bem ruim.

    É a cultra do estudo. Deu “muito certo” na Europa, com uma geração de pessoas diplomadas que são ao mesmo tempo sub-medíocres e não conseguem pela situação populacional e econômica de seus países um mísero emprego de base.

    Se fosse possível, portanto, voto seria só para quem tem boa vontade.

  • Domingos

    A necessidade é de fazer política, agradar a histérico e seguir o plano de babaquizar e destruir São Paulo.

  • Domingos

    E pensar que o Joaquim Barbosa, quando saiu, foi “presenteado” pelo PT com uma declaração racista de verdade onde falaram que ele era ingrato, como de quem quer dizer que ele não teria estado lá por sua própria capacidade se não fosse a mão do PT.

    Agora, realmente, já está tudo aparelhado. A sorte é que ainda temos tempo, já que a coisa para a próxima eleição dever ser ainda mais tensa. A população está acordando e dessa vez deve exigir mais até mesmo de um patido mais normal.

    • Antonio Ancesa do Amaral

      O povo acordando, onde….basta Pão e Circo e e plebe dará continuidade ao caos.

  • Paulo Salim Maluf

    O PT é realmente um partido capitalista!

    Vejam bem, compraram tinta vermelha, tinta amarela, branca, cones, placas ininteligíveis e fora dos padrões, com seus respectivos postes e cameras fotográficas.

    Até que a rua ficou bonitinha para a foto, toda decorada, imagina no Natal com luzinhas…

    Tudo com licitação, pelos menores preços, na maior lisura….

    Assim, capitalizaram alguém que comprou tudo isso com o dinheiro do contribuinte.

  • Eduardo Mrack

    Resumo perfeito, o triste é que para cada um que vê isto e compreende, há pelo menos nove que não enxergam ou ainda não se importam. Nunca vai mudar, ordem e progresso, aqui na selva, são palavras de mero enfeite.

  • Lucas dos Santos

    Enquanto isso, no interior do Paraná, olha só o que fizeram no meio-fio de uma rua para “proteger a árvore”:

    http://i.imgur.com/c1c7TZ5.jpg

    Fonte: http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-1edicao/videos/t/curitiba/v/cidade-do-parana-modifica-projetos-para-preservar-arvores/3977806/

    É ou não é de se perder as expectativas? Estamos testemunhando um “emburrecimento” geral das “autoridades” e das pessoas que as cercam…

  • Lorenzo Frigerio

    A melhor maneira de melhorar isso é adotar o voto distrital puro ou misto, com parlamentarismo. Assim, cada político vai representar apenas uma determinada região, e o primeiro-ministro será o líder do partido ou coligação vencedora, que automaticamente terá o número maior de cadeiras. Assim, tornamos os políticos mais “profissionais” no sentido real da palavra. E fujamos da proposta de “distritão” que o PMDB está tentando nos empurrar goela abaixo, e que não representa mudança alguma, e nada mais é que um “golpe branco” com a finalidade de “mexicanizar” o Brasil.

  • Ozirlei

    Quem disse que não vai dar pra andar em São Paulo com o carro??
    http://www.ghettoredhot.com/wp-content/uploads/2011/09/car-on-bicycle.jpg

  • RoadV8Runner

    O problema é que quem não elegeu esse banana de pijama para prefeito e tampouco concorda com seu (des)governo sofre também as conseqüências. E muitos que o elegeram e estão sentindo na pele seus desmandos sequer percebem que o cabra é totalmente despreparado para fazer qualquer coisa útil à cidade… Ou então fazem vista grossa por ser cumpanhero.

  • Bob Sharp

    Lorenzo
    Pior que analfabeto poder votar é poder fazê-lo a partir de 16 anos, uma insanidade total. Só mesmo num país “abençoado por Deus” pode-se eleger o presidente da República, ser “protegido” pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, mas não se pode dirigir com 16 anos.

    • Domingos

      Isso eu também acho um absurdo tremendo e é clara manipulação.

      Aliás, voto aos 21 seria o ideal. Adolescente é louco para trocar voto por maconha, bolsa para fazer viagem ou para eleger candidato que nem para caricatura serve.

      Se não há responsabilidade para beber, dirigir ou sequer fazer qualquer coisa sem autorização dos pais, votar e decidir o futuro de um país, nem pensar…

  • Ivan

    É algo que não consigo entender. Elegeram ele. Como,quem, aonde, como? Tem alguém contente com esse asno?

  • Domingos

    Tivemos 48% de eleitores. Isso aí não é só um grupo de insatisfeitos reunidos num site de carros.

    É quase metade da população desse país. Infelizmente ainda não surgiu um candidato realmente opositor, realmente fora do joguinho.

    Faltava um bom candidato conservador, um bom político que representasse mesmo o nosso ideal e não um “menos pior” como o Aécio – cuja única virtude é a importante virtude de não ser esquerda assumida, evitando a argentinização do Brasil.

    Mas ainda com isso conseguimos quase vencer. E em São Paulo, que parecia perdida, temos um prefeito que consegue no máximo 16% de firmes apoiadores.

    Entre aprovadores, a coisa não fica muito longe, não passando muito dos 30%.

    Mesmo com todo o pão e circo, vamos mudar esse quadro aqui em São Paulo pelo menos.

    Deus dá um jeito dos amigos do alheio irem se revelando tanto que mesmo os mais imorais passam a se revoltar. Só quem já vendeu a alma que não tem mais jeito mesmo…

    • Lucas dos Santos

      Já que o assunto são números, a minha última esperança reside nesses dados (olha eu “torturando os números”, como diria a Nora):

      Resultados do Segundo Turno:

      Eleições 2002:
      1º – Luiz Inácio Lula da Silva (PT): 61,28% dos votos;
      2º – José Serra (PSDB): 38,72% dos votos

      Eleições 2006:
      1º – Luiz Inácio Lula da Silva (PT): 60,83% dos votos;
      2º – Geraldo Alckmin (PSDB): 39,17% dos votos.

      Eleições 2010:
      1ª – Dilma Rousseff (PT): 56,05% dos votos;
      2º – José Serra (PSDB): 43,95% dos votos

      Eleições 2014:
      1ª – Dilma Rousseff (PT): 51,64% dos votos;
      2º – Aécio Neves (PSDB): 48,36% dos votos.

      A cada eleição, os resultados ficam cada vez mais apertados. Espero que essa tendência signifique alguma coisa…

  • Domingos

    Agora estão passando a existir, Lorenzo. Algumas partes ainda podem manter isso, mas o desmantelamento dessa estrutura é claro.

    O voto genérico lá é terem passado de representantes de pequenas unidades a representantes de enormes regiões e cidades, como acontece aqui.

    Ainda existe uma ou outra coisa melhor, mas parece ser questão de tempo…

    Como disse, governo e voto de comune não tem mais na Itália. Só tem agora representante regional, o resto é como aqui. Voto por tabela nunca teve mesmo, felizmente. Aposto que na Grécia também cortaram isso, com a desculpa da crise (custa manter essas estruturas…).

    • Lorenzo Frigerio

      Sei que no Reino Unido houve um plebiscito que rejeitou a “representação proporcional”, projeto dos liberal-democratas. A representação ali é distrital pura. É daí que vem a soberania do Parlamento.
      Quando um político de alto nível se aposenta, costuma ganhar um assento na Câmara dos Lordes, para poder continuar contribuindo na capacidade que puder.
      Alguns políticos “puristas” rejeitam a regalia, mesmo quando monarquistas.
      Implantar representação proporcional num país desses seria catastrófica, pois os políticos deixariam de representar os cidadãos para representar causas genéricas. Os britânicos são muito tolerantes, mas estão de olho nos imigrantes muçulmanos. Imagine se lá todo mundo começar a exigir “derêitchios”, como aqui.
      Para o Brasil, creio que o voto distrital misto (com uma pequena fração elegendo candidatos de bom nível e ruins de voto escolhidos pelos partidos) seria ideal.
      Rejeitemos a idéia do “distritão, é trocar 6 por meia-dúzia.

  • Domingos

    Diplomado e com toda a pompa, afinal é da USP.

    Aliás, uma coisa que tinha que acabar junto com emprego público (entenda-se bem: emprego em que o governo contrata e não a população diretamente) é ensino público.

    Que fosse disponibilizada uma quantia mensal para os estudos, poderia ser uma bolsa compulsória mesmo.

    Instituição de ensino público parece que sempre vai na tendência da insanidade, quanto mais se sobe nelas é pior ainda.

    Um Haddad deveria ter o diploma cassado se ensino público, em especial o superior, fosse sério.

  • Domingos

    Significa sim, Lucas. Infelizmente a hora certa de uma mudança de governo teria sido em 2010, mas esses 6% aí impediram que continuássemos a ter crescimento e melhorias no país por mais uma década.

    Na próxima acho que os 2 a 3% que faltam vão vir…

  • Vital

    Na cidade de Santo André o mesmo

  • Matheus S. Bueno

    Leitura. Serve para este texto, serve para tantos outros publicados no site.

    http://cidadesparapessoas.com/2013/12/10/resposta-aberta-a-revista-epoca-sao-paulo/

  • Cláudio Luiz Esteves

    Esse prefeitinho é um idiota completo. Agora, além de todos os desmandos, pretende e vai conseguir reduzir a velocidade nas marginais sob o pretexto de conter os atropelamentos de vendedores autônomos que por lá ficam quando o transito para. Ora, se esta cidade fosse em qualquer lugar do mundo que não aqui neste paizinho de terceir ou quarto mundo, o comércio deveria ser proibido em vez de baixar a velocidade.
    Aliás, outro argumento do prefeitinho é que, reduzirá os acidentes. Todavia o idiota não analisa que os acidentes graves ocorrem à noite ou de madrugada, quando a cidade é de ninguém, não há policiamento e nem os agentes da CET, que só sabem multar.