Ciclofaixa impede estacionamento  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO Ciclofaixa impede estacionamento

(Foto de autor desconhecido)

Pode até parecer implicância o Ae pegar no pé da CET, a Companhia de Engenharia (?) de Tráfego de São Paulo, e do prefeito da cidade, mas não é. Não param de chegar mensagens de leitores apontando erros grosseiros de quem cuida do trânsito da cidade. caso, por exemplo, das ciclofaixas. Veja a  foto acima. A ciclofaixa simplesmente acabou com possibilidade de estacionar veículos em frente ou próximo às moradias. Há milhares de casos como esse, tudo devido ao alcaide petista querer transformar São Paulo numa Amsterdã, algo totalmente inviável.

Vaga para idoso: há uma em frente a duas vagas de um estabelecimento comercial. Se um idoso estacionar ali, ninguém pode usar as duas vagas da loja; ou quem as usar não poderá sair se um idoso estacionar no lugar autorizado. Essa aberração por acaso quem viu fui eu, fica na Av. Pavão, em Moema, defronte do número 322.

 

20150120_114318  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO 20150120 114318

(Foto do autor)

O endereço acima citado é o do laboratório Cura Imagem e Diagnóstico, unidade Moema. Do outro lado da rua de mão única, de onde fiz a foto, há uma ciclofaixa. Resultado: ao se chegar ao laboratório não há lugar para desembarcar caso o estacionamento no recuo esteja lotado. Só parando no lado onde está a vaga de idoso. E por ser um laboratório de análises clínicas, é grande o número de pessoas idosas, que terão de atravessar a rua por o carro ter de parar no lado direito. O prefeito, na sua idéia fixa e tresloucada acerca de Amsterdã, passou por cima das necessidades da população neste e em muitos outros casos.

Falar de Fernando Haddad, o tal de “nós pega o peixe”, não é pegar no seu pé, mas simples constatação de como esse petista vem tomando medidas completamente sem sentido.

Hoje a Folha de S. Paulo publicou reportagem sobre esse cara ter autorizado grafitar — melhor dizendo, lambuzar— um patrimônio histórico da cidade de quase 100 anos, as paredes sob os Arcos que ficam abaixo da rua Jandaia  Segundo o jornal, Haddad disse em frente aos Arcos ontem (1/2) que “Sempre há alguns conservadores que não aprovam, mas eles serão convencidos (de) que o grafite é uma realidade favorável a São Paulo.” O quê? Realidade? E favorável???

Esses arcos. diz a reportagem,  foram construídos na década de 1920,  mas acabaram ficando encobertos por cortiços construídos no seu entorno. Na década 1980, sob administração Jânio Quadros, a região foi revitalizada e revelou, trouxe de volta o monumento à cidade e sua população, quase uma descoberta arqueológica. O nome do prefeito foi incorporado à estrutura: Arcos do Jânio.

O mais grave desse desmando do petista foi ignorar lei municipal de 2002 que considerou os Arcos patrimônio municipal, segundo o Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio (Conpresp). Mas se vale mexer na língua portuguesa, não tem nada de mais desfigurar patrimônio, não é?

Aliás, os grafiteiros estão emporcalhando a cidade a uma taxa jamais vista e o poder público, em vez de coibir esta nefasta ação, a estimula, como nesse caso.

De volta à CET, mais uma safadeza do órgão. O leitor Newton Schwindt nos enviou foto de uma placa de regulamentação de estacionamento que é um ofensa ao cidadão que paga o salário desses inúteis. Veja a placa:
 

Pinheiros  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO Pinheiros

O local é a rua Teodoro Sampaio, no bairro de Pinheiros. Pegadinha de pior espécie, pois o que se lê de imediato, por chamar a atenção, é o “E” dentro do círculo especificando que ali é zona de estacionamento permitido porém pago (Zona Azul). A pegadinha está por escrito, o que já é um absurdo em si mesmo, pois sinalização deve ser uniforme sempre. Além disso, com essa “obra” da CET, quem estacionar após 19 horas terá que tirar o carro da vaga de manhã cedo — que se vire, ora, problema dele! — para não ser multado, ou seja, molecagem mesmo. Coisa de gente maldosa, safada. E tem mais, como em vários outros casos, se um feriado cai no meio da semana, o fato não é considerado, vale como dia útil, o que contraria toda a lógica. Mas cabeça de safado não tem lógica para o bem, só para o mal.

O leitor que assina com pseudônimo “Campopiano” (conhecemos seu nome verdadeiro) nos trouxe um assunto que não é de ciclofaixa, mas tem a ver com o criar coisas que não dão para entender, no caso uma passagem de pedestres numa ponte . Veja: 

Viaduto2  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO Viaduto2

Essa outra “obra” fica na rua Comandante Taylor, no bairro do Ipiranga. A ponte passa sobre  a rua das Juntas Provisórias e o córrego Sacomã, ligando o Ipiranga à “comunidade” (para quem não sabe, é o novo nome de favela) de Heliópolis. Há uma passarela próxima e apesar disso o “imperador César” mandou fazer ou deixou que fizessem esse absurdo, criar uma passarela numa ponte, com evidente risco para os pedestres. Trabalho porco, que além de desnecessário tinha que ter muro de proteção de concreto ou tipo defensa metálica. Qualquer carro pode voar por cima desses pré-moldados. Uma total irresponsabilidade.

Lembra-se da matéria do dia 31 dezembro, a última do ano passado, em que citei a construção de ciclofaixa na rua Caetano Álvares, no bairro do Limão, deixando perigosos tachões na pista destinada a bicicletas e suas rodas finas? A foto nos foi enviada pelo leitor Robert0 M. Besser.

Pois bem, passados alguns dias o leitor passou por lá e viu que os tachões haviam sido removidos, fez foto e nos mandou. Ou seja, serviço porco para pintar a ciclofaixa, mais porco ainda para remover os tachões.

 

Ciclofaixa sobre tachões r  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO Ciclofaixa sobre tach  es r2

Serviço porco para pintar e…

 

Sem tachões r  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO Sem tach  es r

…e para retirar os tachões

Ainda falando de ciclofaixas, volto a um assunto da máxima gravidade, o uso errado da sinalização “Pare”. Sabe-se que aos domingos estabelecem-se ciclofaixas temporárias, das 7h às 16 horas. Claro, elas incluem os diversos cruzamentos da cidade. Quando o sinal fecha, funcionários que pelo jeito são terceirizados, exibem bandeirolas com o desenho da placa “Pare” (placa R-1):

 

DSC01601  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO DSC01601

Essa aplicação da sinalização de “Pare” é completamente errada e desvirtuada e influi negativamente na formação do motorista (muitos dos ciclistas ainda o serão). Essa placa é estática, fixada em suporte próprio, como um poste, jamais móvel em forma de bandeirola. Segundo, mais importante, ela é de parada, não de permanência parado. Se os “gênios” da CET achassem por bem exibir alguma sinalização para os ciclistas diante de um semáforo, que fosse um ideograma deste com a luz vermelha destacada, jamais a placa “Pare”, tudo bem. Quem conhece um pouco de trânsito sabe da sua capital importância.

É por isso que se vê com freqüência no país inteiro uso errado desta placa, que tem como conseqüência funesta o seu total desrespeito e os acidentes disso decorrentes, e que são muitos.

Caso dessa placa “Pare” num acesso do tipo protegido, ou seja, os carros que vêm pela via a tomar não estão na faixa em que se vai entrar:

 

DSC01597  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO DSC01597

Placa “Pare” totalmente desnecessária, nada impede que se entre direto (foto do autor)

Cheguei a reclamar algumas vezes com a CET e placa foi retirada, para minha surpresa. Ficou só o poste e a lâmina onde a placa é aparafusada. Mas não faz muito tempo a placa voltou, evidência de que havia sido roubada e não retirada pelo órgão. O local é o retorno sobre a av. Moreira Guimarães para quem pega a rampa da av. Indianópolis, em Moema. Esse é o tipo do caso em que se “aprende” a desrespeitar a placa “Pare” por ela ser desnecessária. Mas um dia, em outro local, pode não ser.

Outro grave erro dos órgãos de trânsito (até nos EUA, já vi) é o tal do “cruzamento perigoso”, como se houvesse dois tipos de cruzamento, o “perigoso” e o “seguro”.

 

DSC01595  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO DSC01595

Um dos maiores erros é achar que há cruzamento perigoso e cruzamento seguro. Todo cruzamento é perigoso (foto do autor)

Todo cruzamento é perigoso, é inaceitável que uma autoridade de trânsito pense diferente. Isso me lembra um caso de aviação, passado nos EUA, conforme li há muitos anos numa revista especializada. O piloto de um avião pequeno pediu pouso à torre e operador respondeu: “Pouso autorizado, pista x, vento do quadrante y de tantos nós, primeiro terço da pista está em obras, pouse com cuidado.” O piloto formalizou um protesto ao órgão responsável pela aviação no país (o FAA) argumentando que todo pouso dever ser feito com cuidado, que não é porque a pista está livre na totalidade que que não se precisa se pousar com cuidado. A torre, neste caso, deveria apenas informar a condição da pista, a de comprimento útil menor, dizendo  “primeiro terço em obras”.

Esse é o conceito, é preciso o máximo cuidado para não fazer progredir a “fábrica de idiotas” no trânsito, algo de que já falei bastante aqui, por exemplo, as lombadas e os comboios na rodovia dos Imigrantes quando há nevoeiro. Se o motorista da região, acostumado ao guarda-chuva do comboio, pegar o fenômeno meteorológico em outra estrada, ficará perdido sem saber o que fazer. No caso da lombada, se não tem pode acelerar à vontade. Responsabilidade zero.

 Ânsia de faturar

Um velho amigo, Raul Machado Carvalho, jornalista, minha idade aproximadamente,  me escreveu outro dia contando essa história que prova que a “indústria da multa” existe:

“Cenário: Av. Olívia Guedes Penteado, na região do bairro do Socorro, dia 23 de setembro de 2014. Horário: entre 7h30 e 8h40. Congestionamento de quilômetros nessa avenida e na sua continuação Av. Rio Bonito, até o autódromo de Interlagos. Tudo por causa de máquinas sendo manejadas nas pistas, em função das obras de construção do terminal de ônibus na Praça Victor Manzini e, na ponte do Socorro, com trânsito estrangulado por acidente.

Trânsito parado por 1 hora e meia. Centenas de carros, caminhões e ônibus presos no congestionamento, com motores desligados. Eu tentava entrar na Olívia Guedes Penteado, a partir da rua Antônio Francisco França, na altura do nº 267 dessa avenida.

Depois de longa espera, consegui entrar nessa avenida em direção à ponte do Socorro. Como não era possível transpor a primeira faixa, a reservada aos ônibus, ficou impossível atingir a segunda faixa e sair da faixa exclusiva de ônibus.

No meio do caos surgiu um agente de trânsito, marronzinho. Percebi que estava com uma prancheta na mão e fazendo anotações. Parado na sua frente, perguntei se ele estava multando. A resposta foi ‘tô’ e do alto da sua autoridade foi multando dezenas e dezenas de carros parados, impossibilitados de sair da referida faixa.

Como tudo estava parado por mais de uma hora, decidi fazer algumas fotos do local e do tal agente fazendo pose de autoridade.

Ora, numa situação caótica como aquela, o correto, o bom senso, diria que o “agente” deveria estar ajudando a reduzir o problema, talvez orientando os motoristas a não fechar os cruzamentos, ou ajudando pedestres a atravessar a avenida, pois tudo estava desarrumado.

Ao invés disso, o agente, numa falta de respeito para com os motoristas que não tinham outra opção e estavam parados, portanto não trafegando pela faixa, mas esperando uma oportunidade para sair dela, foi multando, feliz da vida.

As fotos anexas dizem tudo em relação ao que aconteceu naquele dia, uma notória injustiça promovida por um agente de trânsito despreparado e agindo com tamanha arbitrariedade. Tem horas que o trânsito e os motoristas precisam de ajuda e não de multas que, no caso, não são educativas, pois não havia alternativa para se sair da faixa de ônibus. Essas são as típicas multas para promover arrecadação, tão comentadas na imprensa.

Recorri ao DSV apelando para ‘erro flagrante de impossibilidade do cometimento da infração, devido a um congestionamento, onde diversas ambulâncias também ficaram paradas provocando uma maior revolta ainda nos que estavam no local, onde uma “autoridade de trânsito” devidamente credenciada, não atendeu aos apelos dos motoristas que lá estavam no sentido de ajudar de alguma forma a desfazer o nó de tráfego que aconteceu, sem culpa alguma dos motoristas.

Tudo em vão, pois o recurso foi indeferido e a Prefeitura arrecadou R$ 42,56 de muitos carros presos num congestionamento. Parados e multados sem opção para sair da faixa dos ônibus.”

Multa Raul 0  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO Multa Raul 0

Multa Raul  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO Multa Raul

Multa Raul 2  CET & "HADDADICES" JOGAM CONTRA SÃO PAULO Multa Raul 2

O posudo agente da autoridade de trânsito como que girando a manivela da caixa registradora,em vez de ajudar os motoristas (foto do autor da nota)

Mais uma vez, desculpas ao leitor ou leitora de fora de São Paulo por tratar de um assunto local, mas entendo que lhe sirva de alerta para o que vem acontecendo no Brasil.

BS

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas

  • Henrique Lopes

    A CET agora tem uniforme com detalhes verdes? Ou são agentes da SPtrans?

    • P500

      O da foto é da SPTrans. Deram o poder de multar a eles ?

  • Andre Sousa

    Bob, tem mais uma coisa do Nero Nós Pega o Peixe que você esqueceu: o Bolsa Travesti. Procure saber, será dado um incentivo de R$ 840 mensais aos travestis por serem pessoas discriminadas e “que merecem mais oportunidades”. Incrível, mas é sério.

  • Rodrigo Costa

    Trabalho na rua que beira os Arcos do Jânio e posso afirmar, assim como a 23 de maio, que ficará horrível. Antigamente, lugares com esta aparência eram apenas locais abandonados, degradados. Hoje, com a inversão de valores promovida pela revolução gramciana é “arte”. Sinceramente, grafiteiro é pichador que aprendeu a desenhar. Não adianta os esquerdistas de plantão falaram… é horrível, de mau gosto. Na 23 de Maio, inclusive há uma dessas pichações representando um bandido encapuzado… ou seja…

    • Domingos

      Pegou perfeitamente. É que quanto mais nos acostumamos com uma estética doentia, mais fácil são aceitos esses governos demoníacos.

      A glorificação de bandidos e toda uma estética criminosa é essencial para isso.

      Isso é conhecimento padrão entre os altos escalões da esquerda. Assim como se sabe que liberação sexual é para fazer mães solteiras dependentes do Estado e que liberação de drogas é para fazer jovens doentes que votarão eternamente nesse tipo de partido.

      Por exemplo, o funk ostentação serviu para muita menininha de classe média e alta se envolver com traficante de bairro e “mudar a cabeça” em relação a essas coisas.

      O funk e a ostentação eram escurraçados pela esquerda, mas como essa quer apenas o poder (e não ter sentido), assim que essa “oportunidade de ouro” foi reconhecida, passou-se a se defender o funk ostentação como baluarte da justiça e da ascenção social.

      No aniversário de SP o Haddad promoveu o funk.

      O problema maior não é nem o ficar feio. É que se fizesse uma pesquisa ninguém ia querer e mesmo assim o governo foi lá e fez.

      Deveriam se limitar aos espaços deles.

    • CorsarioViajante

      Depende… Na própria 23 tem (ou tinha, não sei) um mural muito bonito, se não me engano do Kobra, logo antes do Tùnel do Ibirapuera (sentido centro -bairro). Aqui um pedaço dele:
      http://viagemempauta.com.br/wp-content/uploads/2014/09/12_mural-eduardo-kobra-23-de-maio.jpg

      • Domingos

        Mas um grafite desses vão chamar de conservador hoje, como se conservador fosse crime…

  • jr

    Bom, a mesma lógica (?) aplicada neste trânsito foi aplicada à gestão da energia (elétrica, petróleo, etc.). E agora?

    • Domingos

      Agora é aumentar preços e impostos para todos, colocando a culpa na classe média fascista e dizendo que se está fazendo justiça social.

      Assim, quando tudo ficar bem caro, o problema “se resolve”. Os mais pobres não poderam usar o carro e terão que aceitar sem reclamar o ônibus a 3,50 – que será o único meio de transporte.

      Assim como foi na copa, com as passagens aéreas. Os “aeroportos do povo emancipado” não estavam prontos? Que se subam as passagens, assim não haverá falta de estrutura e nem de vôos.

  • Daniel S. de Araujo

    Bob, as sandices de transito estão tomando proporções catastróficas. Está tudo uma porcaria. Recentemente indo para Riviera – Bertioga (SP) deparei-me com o tráfego parado no rodoanel. Graças a um estratégico pedágio colocado na saída do Rodoanel para a Imigrantes, bem em uma curva, pasmem! E 3 boxes apenas para receber. Achei um crime, primeiro porque entope o trânsito de uma via expressa e segundo, porque se não tem trânsito, um desconhecido vem a 90 km/h, faz a curva e logo topa com o pedágio bem na sua frente.

    Trânsito no Brasil é sinônimo de piada pronta!

    • Domingos

      Sem contar os preços absurdos do litoral paulista e a típica podridão enaltecida dele com coisas como ostentação, ladrãozinhos, muita promíscuidade e tudo mais.

      Sei que muita gente do interior prefere passar férias no litoral de outros estados porque acaba saindo o mesmo preço e é muito melhor.

      Ainda bem que há muito tempo eu, como muitos, se livraram de ter qualquer coisa por lá. Me sentiria tendo jogado dinheiro no lixo.

    • CorsarioViajante

      E bem na quina da curva tinha um radar de 40 km/h. Ou seja, imagine só!

  • $2354837

    Bom, só li parte do texto, até para não me irritar com os absurdos. Não sei nem se deveria me preocupar com isso, já que a cidade está em colapso iminente: Falta de água, risco de apagão, níveis de insegurança nunca antes visto, trânsito cada vez mais caótico e prefeito populista e demagogo. Não tem como dar certo. Talvez daqui a 20 anos, quando o êxodo paulistano estiver concluído volte a ser uma cidade habitável como foi nos anos 60 e 70.

    • Domingos

      Parece que vai tomar esse caminho mesmo.

      E naquela época havia aqui progresso, oportunidade e boa vida para qualquer tipo de pessoa – desde que com boa vontade.

      Irônicamente a São Paulo dos “mais amor, por favor”, da bicicletinha, do piche e das causas sociais vai excluir em massa muita gente porque falta água, luz, limpeza, mobilidade urbana (seja indicidual ou coletiva) e porque a cidade está insuportável – e MUITO cara.

      Aliás, eu NUNCA vi tanto mendigo, prostíbulo e gente drogada pelas nossas ruas. O que vai de encontro aos estudos que apontam que a pobreza tem crescido muito, apesar do “cunho social” dos atuais governos.

  • Maurilio Andrade

    Esta administração PT/Haddad é um verdadeiro câncer para a cidade de São Paulo. Pior prefeito que vi nestes 20 anos que moro nesta terra.

    Fico impressionado com o fato de o Ministério Público não fazer nada contra este ogro, que a cada dia só toma medidas que fazem da nossa vida um (maior) inferno.

    • Domingos

      Pior que nem da população que ele deveria ter apoio ele está tendo. Nos bairros pobres é comum as casas não terem garagens e as pessoas precisarem estacionar seu único carro – geralmente bem velho ou humilde – na rua.

      Pois bem que em certas ruas a ciclo-faixa, feita do dia para noite, acabou com um dos únicos confortos desses moradores – que não atrapalhavam ninguém.

      Já teve protesto contra isso e tudo mais. E nessas regiões o pessoal costuma estacionar em cima da faixa mesmo – e os CET e policiais não são loucos de multar.

  • Marcelo R.

    Bob,

    Essa da passagem de pedestres ele fez pior na Rangel Pestana, naquele viaduto que termina no Largo da Concórdia…

    https://www.google.com.br/maps/@-23.544601,-46.619444,3a,75y,44.08h,89.34t/data=!3m4!1e1!3m2!1szyWzr2_2Bh3QcGDYTSWEiw!2e0!6m1!1e1?hl=pt-BR

    Na extrema direita é a passagem de pedestres (sendo que já tem uma calçada para eles passarem ali!), do lado da passagem a faixa de ônibus, depois duas faixas para os carros e, na extrema esquerda, a ciclofaixa… Não preciso nem dizer que aquilo é um caos (que fica pior nos horários de pico), até para quem passa por ali de ônibus, enquanto a ciclofaixa está livre, livre… Eu até mudei o meu trajeto para não ter que passar mais por ali…

    Mas, como se não bastasse isso, veja a última da criatura:

    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/02/prefeitura-vai-desapropriar-garagens-das-viacoes-que-operam-em-sp.html

    O que será que vai virar o transporte público?? Será que teremos todos que andar de bicicleta??

    • Domingos

      Hahahahahaah ele vai desapropriar as garagens para fazer o que? Espaços para uso de drogas dos estudantes da USP?
      Os ônibus vão estacionar onde, nas ruas?
      Esse cara ainda corre o risco de não terminar o mandato e ser espancado em alguma manifestação. Eu não teria pena.

  • CorsarioViajante

    A crise está feia e alguém tem que pagar a conta. Além disso, Haddad tenta fazer o jogo do soft power, andando de “bike”, incentivando o grafite etc, ou seja, “permitindo coisas” que não custam quase nada à prefeitura e criam, na cabeça de alguns, uma “São Paulo com amor” e outras bobagens, o que até faz sentido uma vez que pegou a prefeitura quebrada pelo Kassab.
    No fundo, os problemas reais continuam, mas o brasileiro é viciado na piada do sofá, e o Haddad anda fazendo muito bem este papel, de quebra sabe perfeitamente como jogar os grupos sociais uns contra os outros.

    • Domingos

      Amor deveria dar cadeia de ser usado nesse tipo de contexto.

  • Newton ( ArkAngel )

    Bob, hoje em dia as pessoas estão cada vez mais parecidas com robôs, e isso é extremamente oportuno para aproveitadores como o CET, pois basta “programar” os agentes que eles farão exatamente o que for ordenado. Bom senso e ponderação? Atualmente, utopia.
    Mas essa “robotização” das pessoas é algo que atinge quase tudo; só para dar um exemplo, citarei algo que aconteceu comigo há umas três semanas atrás:
    Estava parado no semáforo atrás de um veículo, em um aclive, e na hora de sair, a motorista do tal carro deixou o carro descer e bateu de leve em meu carro. A mesma desceu e veio me acusando de ter batido na trseira dela. Obviamente, e ironicamente, perguntei se não havia notado que estávamos em um aclive, e a motorista respondeu: “Não quero saber, quem bate atrás é culpado e pronto”
    Vai entender…

    • Domingos

      Essa é antiga… Aí não é ser robô, é ser filho da mãe. Um eleitor de Haddad já fez isso comigo mas, como estava bêbado, assumiu a culpa e quase implorou para que eu não chamasse a polícia.
      Perfilzinho é o mesmo de sempre: maconheirinho, carinha de eterno estudante universitário e grande “apoiador das causas sociais”. Como todo bom mentiroso e FDP, pois é isso que eles são e não passam disso, acabou fugindo da responsabilidade depois.
      Hoje eu aprendi a processar esse tipo de pessoa. É delicioso porque ao mesmo tempo que a justiça é feita, você obriga um cara que vive acusando os cidadãos normais de serem “assassinos, racistas, fóbicos” – enquanto que ele é o pior tipo de pessoa, inclusive o mais discriminatório – a pagar por suas próprias palavras.
      Nem perca tempo discutindo, xinga o cara, anota a placa e entra com processo. A carinha deles de “injustiçado” é típica quando eles têm que pagar pelas próprias besteiras.

      • Newton ( ArkAngel )

        Hahaha, gostei! Bem a cara daqueles que ficaram o máximo de tempo possível na USP só pra aproveitar o CEPEUSP. Só saíram jubilados.

        • Domingos

          Tá louco, tem cara que entra lá já calculando quantos anos pode levar para se formar. Tem uns que até fazem conta pra ver se compensa se casar, porque dá para ficar mais alguns anos…

  • Silvio

    Bob, quanto ao viaduto da Cte Taylor, essa via é muito utilizada por pedestres, apesar das inúmeras passarelas na região. Apesar de não aprovar mais de 90% das intervenções da CET, essa não é das piores.

    Atualmente não passo mais por essa via, principalmente pela alto índice de ocorrências policiais na região da Almirante Delamare, mas ao menos criando esse espaço imagino que os pedestres o utilizarão, e é menos pior do que pedestres dos dois lados da via.

    • Domingos

      Poderiam fazer uma calçada de verdade então, com defensers, no lugar de mais uma obra porca com cores berrantes que parecem serem feitas de propósito para irritar.

      • Silvio

        Essa administração tem feito tanta obra porca, que essa é quase um espetáculo da engenharia rs

        • Domingos

          Um dia vamos olhar pra trás e rir muito disso. Tanto um engenheiro quanto um arquiteto iam gargalhar com a avenida próxima da minha casa…

    • jrgarde

      Concordo com você que não foi uma má idéia, porem foi mal planejada, já que poderiam ter feito uma defensa mais alta, não essas tartarugas, que acabam sendo perigosas para os pedestres também.

    • Lucas dos Santos

      Não sou de São Paulo, mas a julgar apenas pela imagem, o problema não foi terem criado a passagem para pedestres, mas sim o terem feito de modo a deixá-los desprotegidos.

      No lugar daqueles tachões altos – prismas -, que, segundo o CTB, deveriam ser utilizados apenas temporariamente fazendo o papel de meio-fio, deveria haver uma mureta ou algo que impedisse que um veículo descontrolado fosse diretamente para cima dos pedestres.

  • Bob Sharp

    Votar nesse cara? É por isso que digo sempre que a democracia é suicida. É o que o Populismo cria, eleitores como você. Lamentável.

    • Eduardo Silva

      Bob, também não voto, não votarei e não votaria no Haddad, mas se o que ele está fazendo na cidade vem ao encontro do que o Claudio espera e para ele está melhor, em quem ele deveria votar, em alguém que ele discorda? Qual regime é o bom então? O ditatorial governado por um ditador inteligente, justo, coerente e amigo do povo? Aí fica fácil hein.

      • Domingos

        Puts cara, depois de uma certa idade a gente começa a pensar como o Bob ou qualquer um que tenha algo na cabeça: essa histórinha de democracia é pra bobo né…

        Sabe o que ficaria fácil? Se um sujeito desse não votasse. Fim de papo.

        Ah, faça me o favor que esse conceito de democracia é algo bonito vai…

        O certo mesmo eram as organizações de pequenos grupos, como nas regiões da Europa, como no federalismo americano e como até mesmo no feudalismo.

        Ali se reuniam, a opinião mais decente era acatada e boa. Não tinha esse “políticamente correto” de ficar dando voto e ouvido a imbecil que nem sabe o que fala.

        Aliás, a democracia de verdade; a democracia grega; era por participação de idéias e debates e não exatamente por votos.

        Voto funciona bem no BBB, que é algo estúpido. A democracia indireta por voto é exatamente a mesma estupidez e só serviu para dar voto a gente que vomita mentalmente como o cidadão que “não apoia tudo do Haddad”, mas no fim concorda com tudo e diz alegre que votará nele.

        Faça-me o favor. O cara não faz sentido nem no mesmo parágrafo.

        • Lucas dos Santos

          Voto funciona bem no BBB (…)

          Pessoal que gosta de Reality Show deveria acompanhar as sessões da câmara de vereadores de seu respectivo município, dos deputados estaduais e federais, do senado… Costumam ser transmitidas ao vivo, via internet. Garanto que não há “Show” mais “Reality” que esse.

          É sério. Eu mesmo, por exemplo, costumava votar em branco para vereador porque não fazia a mínima idéia de como funcionava esse cargo. Não sabia quem eram os vereadores da minha cidade, o que faziam exatamente, quem merecia ser reeleito, quem merecia entrar para o Legislativo.

          A partir do meio do ano passado comecei a acompanhar as sessões da Câmara da minha cidade e hoje tenho uma opinião bastante concreta sobre os assuntos políticos e sobre os problemas da cidade – que não costumam sair nos jornais com muitos detalhes. Ano que vem, certamente, não votarei em branco para esse cargo. Sei exatamente quem merece continuar lá e qual o perfil necessário para quem quiser entrar. Esse ano pretendo acompanhar as sessões – ou ao menos ler as respectivas atas – da Assembleia Legislativa, Câmara Federal e Senado.

          Tenho certeza que, se o pessoal acompanhasse essas sessões, ao menos votaria com um maior embasamento. Em, em momento algum as achei “chatas”. Pelo contrário, é muito interessante.

          • Domingos

            Se sua cidade é pequena, isso é muito mais fácil de fiscalizar e acompanhar.
            Já um TV Câmara aqui de São Paulo você pode passar meses assistindo sem ver todos os vereadores – e vai ver que a maioria do tempo é gente dando discursinho falso e não fazendo nada.
            É muita gente exercendo basicamente o mesmo cargo, na verdade… Aí começa a enrolação.
            Nisso que insisto: organização e governo devem estar bem próximos ao povo, em pequenas instituições com poucas pessoas.

      • Bob Sharp

        Eduardo
        Não há nada errado com o regime, o povo é que precisa saber votar, senão a democracia se suicida, que é dar o que deu no caso da cidade de São Paulo e do Palácio do Planalto, neste caso pior ainda, pois o Brasil está como um navio com os motores e o leme quebrados.

    • André K

      “[Até o século XIX] o idiota era apenas o idiota e como tal se comportava. E o primeiro a saber-se idiota era o próprio idiota. Não tinha ilusões. Julgando-se um inepto nato e hereditário, jamais se atreveu a mover uma palha, ou tirar um cadeira do lugar. Em 50, 100 ou 200 mil anos, nunca um idiota ousou questionar os valores da vida. Simplesmente, não pensava. Os “melhores” pensavam por ele, sentiam por ele, decidiam por ele. Deve-se a Marx o formidável despertar dos idiotas. Estes descobriram que são em maior número e sentiram a embriaguez da onipotência numérica. E, então, aquele sujeito que, há 500 mil anos, limitava-se a babar na gravata, passou a existir socialmente, economicamente, politicamente, culturalmente etc. houve, em toda parte, a explosão triunfal dos idiotas”

      Nélson Rodrigues

      • Domingos

        Olha aí um bom motivo para ter orgulho do Brasil: Nelson Rodrigues arregaçando na análise histórica, real e política da participação do idiota.

        Excelente trecho e que se aplica muito bem aqui. Obrigado!

  • Vinicius

    Isso tudo sem falar nos “semáforos de açúcar”, que param de funcionar assim que começa a chover, nos pontos de ônibus mal posicionados, na falta de manutenção dos túneis (o túnel Tribunal de Justiça é uma verdadeira vergonha, iluminação precária, exaustão inexistente, infiltrações… isso na região mais valorizada da cidade! O Maria Maluf é outro absurdo…), e na buraqueira que toma conta das ruas…

  • Bruno Rezende

    São Paulo está extrapolando, mas o problema das estupidez das autoridades e da indústria da multa é nacional.
    É difícil elogiar argentino, mas semana passada conclui uma viagem de carro pelo sul do continente, passando por Uruguai e Argentina.
    Em ambos os países, não passei por uma só lombada e em ambos os países não vi um só radar fotográfico, os campeões da indústria da multa no Brasil.
    Na Argentina, em estradas bem inferiores a uma Carvalho Pinto, Bandeirantes ou Castello Branco, a velocidade máxima variava de 120 km/h a 130 km/h, totalmente adequadas e permitindo uma grande média horária de deslocamento.
    Mais, os carros sempre trafegavam pela direita e utilizavam a faixa da esquerda apenas para ultrapassagem. O único carro que vi trafegando pela esquerda, por desgosto, ao me aproximar, verifiquei a placa do Brasil….
    Essa minha experiência prova a existência da indústria da multa e a falta de educação dos brasileiros no trânsito, em que pese sempre nos considerarmos muito superiores aos nossos hermanos.
    Em conclusão, ao retornar para o Brasil, por Uruguaiana, velocidades de 60 km/h a 80 km/h, lombadas e radares (estes, sempre forçando escandalosamente a velocidade para baixo)…
    Está cada dia mais difícil ser brasileiro (falta dágua, falta de luz, inflação, corrupção, violência e até elevação de queda de raios no país….)

    • Domingos

      O trânsito é o maior reflexo de um pais. Sempre foi e sempre será. A coletividade é anônima e burra por padrão. Aquilo que as pessoas fazem individualmente mas num meio coletivo, como é essencialmente o trânsito, que diz quem é quem realmente.
      Nossas ruas e trânsito doentios, repressivos e orwellianos – cheios de manipulações e novilínguas para sustentar malandragens e abusos – só revelam que temos um governo e uma sociedade no mesmo caminho.
      Mas, do jeito que andam as coisas, nem com muito suborno e compra de professores, acadêmicos e da opinião pública esses governos atuais se mantém no Brasil. Logo o povo muda de postura como conseqüência, ao menos um pouco…

  • Luiz_AG

    Estou imaginando o Louvre com grafite… Enfim sobre começar de algum jeito, que tal do jeito certo?

    • Domingos

      Perfeito. Mas cuidado porque a moda está pegando. Se propuser o Louvre com grafite, já vai vir deformado mental defendendo e achando o máximo. Achando justiça social.

      Eita mundão trouxa.

  • Carlos A.

    Sempre gostei de dirigir em São Paulo (moro no interior) nas poucas vezes que circulei por bairros mais tranquilos o trânsito fluiu muito bem e com harmonia e sincronismo dos motoristas. Porém fazem anos que não rodo de carro por essa cidade, infelizmente com esses absurdos e regras de trânsito ‘particulares’, acho que vou precisar de um “manual do trânsito de São Paulo” – Edição atualizada!!
    Obrigado por manter a todos atualizados sobre as ‘novidades’ de São Paulo!

    • Domingos

      Nem venha para cá, o interior está infinitamente mais agradável de dirigir com ruas em condições decentes e que não parecem um cobertor de retalhos de tanto serviço porco e faixas azuis, vermelhas e amarelas. Só vem palavrão na cabeça quando eu olho o que fizeram com uma bonita avenida que tinha aqui por perto…
      E o motorista médio de São Paulo está retardado, do jeito que a esquerda gosta. Isso de harmonia e sincronismo, que existia mesmo e era marcante de São Paulo, já terminou.

      • Carlos A.

        Obrigado pelo conselho, em caso de necessidade irei de carona, aí poderei apreciar as “obras” dos grafiteiros. A propósito, não existe aí a tal Lei da cidade limpa?

        • Domingos

          Você tocou um ponto interessantíssimo e que também me veio à cabeça.

          Essa lei meio que caiu com a entrada do Haddad. Ele fechou parceria com uma grande empresa francesa de publicidade para instalar propaganda nos pontos de ônibus e nas cercanias destes.

          As propagandas são trocadas impecávelmente toda semana durante as madrugadas, numa operação de constância e qualidade que gostaria de ver com algum serviço público mais importante – como arrumar buracos ou cuidar das praças e jardins da cidade.

          Quero eu esperar que foi em troca dos novos pontos de ônibus que ao menos possuem alguns assentos e uma cobertura…

          Com isso, a lei meio que ficou por isso mesmo. Já vejo os grandes letreiros de concessionárias e negócios voltando a aparecer. Eles estavam proibidos também.

          A lei era meio exagerada, afinal o Kassab não deixava de ser um projetinho de petista – até cantei a bola para um amigo pestista que ele logo entrava no esquemão do governo e aí está ele como Ministro das Cidades…

          No entanto, a cidade ficou sim mais limpa visualmente. O Haddad meio que, como todo bom esquerdão, negou o que ele mesmo pregava em nome de fazer o que quer ao chegar ao poder.

          A Lei não cobria arte ou pichação, porém seria mais que justo que cobrisse. E que, com ela, o que ficasse tão em evidência aos olhos (seja propaganda, arte ou qualquer coisa) fosse proibido.

          Mas com o fim dela na prática, assim como foi com a inspeção (perdeu a empresa que fazia e nada foi feito para colocar outra no lugar), se existia essa possibilidade agora ela é remota.

          Se for nos visitar, escolha um dia de feriado ou venha de madrugada. Vazia essa cidade revela a sua grandiosidade e seu espírito bom – e você também verá mais facilmente os assassinatos cometidos com ela.

          Eu já tenho feito o caminho contrário. Minha diversão é ir ao interior e, além de aproveitar para andar em ruas onde é possível dirigir tranqüilo sem fugir de buracos o tempo todo, acabo gastando o mesmo entre a viagem e os custos do que gastaria aqui.

          A mulherada aí anda bem mais bonita também. Vale a pena.

    • Fat Jack

      Saudades do meu tempo morando no interior de SP e SC. Aquilo era guiar, isto é sadomasoquismo…

  • CCN-1410

    Com as devidas proporções, pouca muda por aqui com apenas
    10.000 habitantes e a culpa não é só dos governantes, mas do próprio povo que só respeita a sinalização se souber que se fizer o contrário será multado.

  • Nicolas Fernandes de Sousa

    Na cidade onde moro (Maranguape-CE) e na cidade vizinha Maracanau-CE) é a mesma coisa. Agentes sem preparo algum, escondidos prontos para multar. Ontem vindo com minha esposa do shopping na cidade vizinha, avistei dois agentes de trânsito parados numa rua paralela, devidamente montados em motos (300 cilindradas) e com a viseira aberta. ao me verem passar com a viseira aberta pois estava um pouco embassada, eles simplesmente acenderam uma luz estromboscópica e nem ligaram a moto. Tô só aguardando a multa chegar e eles alegarem “veiculo em movimento”. Detalhe: minha moto é uma simples moto de 150 cilindradas, ou seja, não me abordaram porque não quiseram.

    • Domingos

      Abordar dá um trabalho…

  • robson santos

    Bob,

    algumas dúvidas em relação a essa placa de permissão de estacionamento regulamentado sob zona azul, mas com proibição entre 07 e 09hs, eu também nunca vi isso… mas afinal o que acontece ali nesse horário que seja importante esta proibição ? O que é exatamente este local ? Ou na verdade essas questões nem importam, afinal zona azul é zona azul, certo ? A CET pode fazer isto sob a ótica da lei ?

    • Lucas dos Santos

      Não conheço o local e acho realmente estranho uma proibição de estacionar ali entre esses horários.

      Eu até achei que, nesse período, o local reservado ao estacionamento daria espaço a uma faixa de rodagem adicional, mas, nesse horário, não faz sentido…

      • Newton ( ArkAngel )

        Lucas, naquela rua existem muitos prédios antigos que não possuem garagem, então o pessoal deixa os carros na rua. Agora vão ter de retirar os carros toda manhã e colocar em alguma rua próxima para não tomar multa. Olha a trabalheira: levanta antes das 7, tira o carro, procura vaga, volta pra casa pra tomar café, sai de novo pra pegar o carro.

  • Cesar Augusto

    Bob,
    A oportunidade de vocês ficarem livres é o ano que vem. Aqui em Brasília, já pusemos o nosso para correr. Obviamente, antes ele acabou com a cidade.

  • Domingos

    Essa do “vão ser convencidos” é a mesma coisa que falar: vão engolir goela abaixo o meu mandato que desrespeita leis de tombamento e desrespeita o patrimônio histórico em nome do fascismo de esquerda que deve manipular o gosto pessoal das pessoas.
    Aceitando “lindezas” como piche (grafite o c*….), maconha e outros lixos, o cidadão médio tende a aceitar mais um governo que está aí para ferrar com todo mundo na sua sanha por mais e mais poder.
    Para mim o mundo se divide em dois: humanos e a sub-raça, que são todos aqueles com pensamento ou ideologia de esquerda.
    Se tem alguém que acha as obras atuais algo bom, que acha que um bonito arco como esse da matéria ficou melhor pichado com esse padrão estético doentio ou que uma vaga de idosos absolutamente bizarra (parece coisa feita por robô mal programado) dessas é algo bom, é um deformado mental e não deveria ser ouvido.
    Porém, esperança colegas, o diabo cava o próprio buraco. Com um governo municipal desses, o PT e as esquerdas não governarão o estado de São Paulo JAMAIS e o PT está destruindo um candidato que poderia ser candidato à presidência.

  • Daniel S. de Araujo

    Investimentos do Haddad em São Paulo melhorando a vida do cidadão??? A unica coisa util que esse placebo de politico fez foi acabar com a inspeção veicular (uma máfia, sendo que uma das proprietárias do CONTROLAR é uma empreiteira envolvida no escandalo da Lava Jato).

    De resto é tudo amadorismo. Essa historia de ciclofaixa é coisa para agradar classe média alta pseudoengajada.

    • Domingos

      O pior foi chamar de investimentos. Investimento do que? 3 latas de tinta que, ainda por cima, apagam em poucos meses?

  • Danilo Grespan

    Podem notar aqui e em outros forums: a moda da petezada agora é falar que não é petista, não tem preferencia por partido, etc, mas elogiar os atos do partido… certamente isso foi marcado por eles, até mesmo porque seria idiotice demais admirar o que está sendo feito em São Paulo sem ter algum interesse.

    • Domingos

      Percebeu bem. Infelizmente hoje a percepção boa é tratada como burrice ou até como preconceito, pois a governança nossa precisa de muita imbecialidade para governar e se manter no poder.

      Isso que você percebeu são os chamados “ponderados” ou “isentões”. O cara não levanta bandeira e nem defende tudo, mas concorda com tudo e fala que votará alegremente nele.

      Ainda bem que ainda existe gente no mundo.

    • Lucas dos Santos

      Verdade. O PT recebeu a maioria absoluta dos votos nas eleições presidenciais, mas “ninguém” votou na candidata do partido. É… deve ter havido algum tipo de fraude nas eleições mesmo…

      • Eurico Junior

        Agora a moda é dizer que votou no Eduardo Jorge no primeiro turno e anulou no segundo…

    • Eurico Junior

      Também já percebi isso. Eram tantos há quatro meses atrás, sumiram todos. E ao mesmo tempo, surgiu esse batalhão de “apartidários”. Sei…

  • Danilo Grespan

    O que vai ter de gente esperta virando a mão por aí só pra ganha uns trocados… até mesmo porque, qual a prova que a prefeitura vai pedir? Teste do sofá?

    • Domingos

      Muitos deles são bem espertinhos já…

      Existe ainda a bolsa família estendida aos estrangeiros, algo que é plenamente eleitoreiro e ilegal ao regulamentar um programa federal por lei de município sem autorização.

      Mas fazer batida nas confecções com trabalho escravo os “defensores dos pobres e oprimidos” não querem.

      • Eurico Junior

        Tão espertinhos que embolsarão o tal auxílio e continuarão faturando na prostituição.

        • Domingos

          Isso é absurdo. Por mais que poderia se estudar alguma ajuda a essas pessoas, como fica então a questão da prefeitura estar quebrada?

  • Ciro Margoni

    Noooosssssa, Cláudio. Teu português e educação estão num bom nível. Pena que teu senso crítico deixa, muito, a desejar.

    • Domingos

      Isso que ele deve ser da parte dos esquerdizados que ainda prezava pela enganação do “bom escrever”. Ao menos revirava menos o estômago.

      Graças a Deus ainda não apareceu um verdadeiro defensor por completo do Haddad, que ainda escreveria tudo errado e nos acusaria de preconceitchu caso o assassinato da nossa língua nos causasse transtorno.

  • Marco de Yparraguirre

    As tais ciclofaixas também proliferam por aqui meu caro Bob. Nosso louco alcaide que só se preocupa com o porto maravilha e os blocos carnavalescos,criou muitos quilômetros dessas famigeradas faixas,sem eira nem beira como tudo é feito no Brasil.E o Renan Calheiros foi eleito mais uma vez.

  • Domingos

    Você faz parte do chamado “ponderados”, que são pessoas que falam assim: “ah, olha, eu não concordo com tudo, mas tudo o que foi feito é necessário e está bom”.

    É a mesma coisa dos “isentos”, que falam assim: “eu não levanto bandeiras, mas apoio tudo que essa bandeira faz”.

    Vamos por partes:

    – Você acha que vão retirar a faixa de idoso numa cidade onde o mesmo governo não poda árvores e se recusa a cancelar multas indevidas?

    – As ciclofaixas são usadas por quantas pessoas e com qual qualidade ela foi feita? A mobilidade urbana só piorou com o governo Haddad que, inclusive, se preocupa mais em fazer cilo-faixas em locais inúteis do que obras de verdade em locais úteis – pois essas custam caro e não contam como 800 MILHÕES DE BILHÕES DE QUINTILHÕES de KM de ciclofaixas.

    – Você acha mesmo que ele vai conseguir se livrar da multa? E também deve achar que para tudo se dá um jeito, paz e amor e tal…

    – Paris não é exemplo. França não é exemplo. Se fosse pelos franceses, nossos governantes seriam Haddad de vereadores até a presidência eternamente, pois para eles é a isso que se deve sujeitar um país de terceiro mundo (LEIA-SE: AO ESQUERDISMO DOENTIO QUE ELES CRIARAM).

    – “A evolução tem que começar em algum lugar” – sim, tem que começar sempre ferrando o povo e a classe média. Nunca os amigos e militantes do partido e nunca as empresas aliadas a eles. Bela evolução, aliás, que deixou nossa cidade mais travada ainda e com cara de penteadeira de p*ta.

    – Já andei de ônibus em trajeto longo e as “faixas em cima de faixas” melhoraram em uns 5 minutos o trajeto, 10 no máximo. Para quem mora em bairro que não tem transporte público bom, acho que caberia exigir que existisse e não achar bonito pintar faixa – que não resolve nada.

    – “É óbvio que o trânsito fica um pouco a deseijar”. Um pouco? Poxa, você não levanta bandeira e realmente é muito ponderado. Até agora apoiou TODOS os assassinatos do governo. Mas assim, você está sendo comedido, racional etc… Verídico mesmo.

    – Achar os grafites bonitos num monumento TOMBADO historicamente e que era muito agradável e diferente, trocando sua estética por uma estética de ladrãozinho e drogadinho, é bem ao baixo nível que esse governo apela.

    – Achar que a cidade com esse “colorido maravilhoso” está mais bonita e humana é a mesma coisa que achar que uma cidade apinhada de outdoors é linda.

    – “Os investimentos do prefeito Haddad estão transformando São Paulo, fazendo uma cidade melhor para se viver. E se eu tiver a oportunidade no ano que vem, votarei nele.” E você ainda quer que acreditemos que;

    1 – Você é neutro, não apóia tudo e não levanta bandeiras.

    2 – Que você pensa.

    3 – Que sua opinião é digna.

    4 – Que você não é militante pago ou um boçal, me perdoe a franca verdade, de esquerda que aceita e encontra desculpas para absolutamente todos os assassinatos que essa faz.

    Olha, com essa sua até dá para mandar uma assim: “eu não apoio tudo o que o terceiro reich fez, mas foi necessário e se eu tiver a oportunidade, voto nele”.

    Só não xingo porque o site é de outro perfil e outro objetivo. Não vale a pena poluir esse espaço. Isso é coisa para quem acha pichação de monumentos algo bonito.

    • Eurico Junior

      Alguém anotou a placa desse caminhão? Hahaha!

  • Juvenal Jorge

    Contran não existe ou está de conluio com os ladrões das multas.

  • Fat Jack

    São Paulo está uma calamidade pública no que se refere ao trânsito…, a CET a meu ver se algum dia funcionou de acordo com as suas obrigações eu não tive o prazer de ver.
    Poucos sabem, por isso mesmo gosto de divulgar:
    Você viu uma bela obra em frente a um empreendimento novinho (como o Shopping Tietê, junto a marginal de mesmo nome), e pensou:
    “_Nossa, enfim a CET investiu algo na melhoria do tráfego, aleluia!”
    Detesto ser estraga prazer, mas a CET só contribuiu com uma coisa AS EXIGÊNCIAS: tudo, absolutamente tudo que foi feito, do projeto, a obra finalizada, NADA saiu da conta da CET, o empreendimento (legalmente definido como Pólo Gerador de Tráfego) foi OBRIGADO A BANCAR TUDO, caso contrário não consegue a liberação do Alvará de funcionamento …
    Voltando a cidade, conseguiram o que parecia impossível, tudo piorou, todo tipo de descalabro vem sendo permitido e cometido, nem parece já haver um Código de Trânsito Brasileiro que rege, regulamenta e normatiza o trânsito, pois aqui ele é desconhecido (duvido, mas…) ou ignorado por conveniência. Se o prefeito desta “República Bolivariana Paulistana”, decidiu a CET implementa, só espero que ninguém dê a ele a ideia de termos “mão inglesa” por aqui, por senão…

  • Cesar Augusto

    Bob,

    Uma pergunta: Cade o IPHAN ( Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), IAB (Instituto de Arquitetos do Brasil), CAU ( Conselho de Arquitetura e Urbanismo) e etc que permitem estre tipo de atrocidade?

    Será que não existe um único paulista para entrar com uma representação contra o digníssimo?

    • Domingos

      Provável que sejam lotados de acadêmico que mama para o PT e que jamais vão reclamar disso.

      Agora, se alguém for demolir um prédio velho e nojento no centro pra fazer coisa melhor, pode acreditar que vão aparecer falando da “arquitetura” e do “patrimônio cultural” da cidade.

  • FabioH

    Ué, você critica o projeto do metrô de São Paulo sem ter conhecimento que existe um planejamento com horizonte para 25 anos, com pesquisa origem-destino realizada a anos, planejamento das linhas, um investimento que chega a bilhões em uma única linha, que nem dá pra comparar com o que tem sido feito com ciclofaixas e faixas exclusivas de ônibus em São Paulo, faixas onde não cabem os coletivos, sem ponto de ultrapassagem, sem sinalização decente indicando seu início ou término, sem adequação da via para as mesmas, e outros absurdos, mas pra quem tem uma visão rasa sobre os problemas de locomoção dessa cidade está tudo ótimo, “ganhei” 20 minutos no meu trajeto então está bom.

    • Domingos

      Matou a pau. Apesar da lentidão ser óbvia e de terem culpa com o Metrô, é incomparável a qualidade da solução dele em comparação aos arremendos do governo municipal.

  • R5GT

    “Mais uma vez, desculpas ao leitor ou leitora de fora de São Paulo por tratar de um assunto local, mas entendo que lhe sirva de alerta para o que vem acontecendo no Brasil.”
    Não precisa mais não, todo mundo sabe o que vem acontecendo no Brasil, porque a burrice e o mau gosto são padronizados, o Brasil é todo igual, do Oiapoque ao Chuí, uma bosta, como qualquer país subdesenvolvido de história recente, nem mais nem menos especial, somente igual. Ainda tem gente que acredita que isso vai funcionar um dia…

  • Rogério Ferreira

    Haddad tem seus dicípulos, como Sr. Paulo Garcez, prefeito de Goiania, do partido “Perda Total”, que está implantando “haddadices” muito semelhantes na capital goiana: Criou uma faixa exclusiva de ônibus na Av. 85 (uma das mais importantes da cidade) à direita, eliminando assim o estacionamento de veículos no local. A avenida tinha um grandioso comércio… Tinha, no passado mesmo, pois sem possibilidade de estacionar, muitos lojistas foram obrigados a fechar as portas. Tinha todas as condições de implantar tal faixa à esquerda, mas por uma questão de custos fizeram a “gambiarra” e vieram à imprensa, com a maior pompa do mundo, anunciando a fabulosa “solução”. Agora as pragas das ciclofaixas, começa a tomar conta da cidade. Ciclovia de verdade, nem pensar, mesmo havendo plenas condições de serem implantadas mas, novamente, por uma questão de não querer gastar o dinheiro do povo com o povo, acham melhor tentar resolver tudo com tinta de demarcação viária.

    • DJUNIOR

      Maceió tem o “excelentíssimo” Rui Palmeira, que autorizou no ano passado a SMTT daqui a implantar faixas exclusivas para ônibus no trecho final da BR-104 que corta a capital (fora isso a “obrigatoriedade” de ter ciclofaixas em avenidas com sentido de tráfego reformulado e/ou quando esta é recém-construída- neste último ponto, como ela é projetada, ainda dá pra aceitar, mas na avenida criada recentemente ela possui aclive/declive bem acentuados para ciclistas “normais”) , e o trânsito das 6h30 até às 22h (isso quando não acontece algo em outras avenidas daqui) é simplesmente infernal… E querem implantar esta “obra Haddadiana” em outras 3 avenidas importantes daqui da cidade, mas com uma pequena diferença: Elas já têm um trânsito horrível de pesado e estas possuem duas faixas apenas… Relutei e muito, mas concordei com a mudança da família para Marechal Deodoro (vizinha à capital), que a sua principal via de acesso já sofre com esse trânsito obsceno, mas por enquanto, este efeito é causado por turistas a passeio e apenas nos fins de semana… Se aqui que não tem um décimo da população e a frota de SP capital, quero não conhecer pessoalmente o inferno que eles vivem, infelizmente.

  • francisco greche junior

    Tudo o que vem dos governos está convergindo ao caos. Pior que grande parte da população, acéfala de modo geral acaba aderindo e achando bacana. Triste fim.

  • P500

    O grafite nos arcos, é o menor dos problemas. O famoso pancadão, onde seres estranhos ligam o som do carro em volume ridiculamente alto e junta um amontoado de pessoas em meio a rua, na cabeça do desgraçado prefeito, é cultura popular, e não pode ser proibida. Quem mora na periferia, simplesmente não consegue dormir mais em silencio. Onde eu moro, por ex, é longe uns 2 km de uma favela, e mesmo assim, o eco, chega em minha casa.

    Sobre os tachões, deveria ser proibido qualquer tipo de obstáculo na via. Do jeito que está, os acidentes serão certeiros. Imagino uma ambulancia ou uma viatura batendo o pneu em um desses… Não quero imaginar.

    • Domingos

      Sim, o mesmo prefeito que criminalizava o pessoal por ter som alto agora veio com essa.

  • Domingos

    Além do termo Haddadices, deveria haver o Haddadas, cujo significado é óbvio.

  • Edu Silva

    Como brasileiro sinto vergonha das barbaridades que esses energúmenos incompetentes, estão fazendo com a cidade de São Paulo.

  • Rafael Malheiros Ribeiro

    A instalação inadequada de placas de “Pare” é uma praga nacional, que deseduca e leva os condutores a desrespeita-las sistematicamente. Minha filha acaba de obter sua CNH e tenho orientado ela a ter cuidado em todos os cruzamentos, com ou sem sinalização, assim como a identificar e respeitar as placas de “Pare” corretamente instaladas, interpretando as desnecessárias como “Dê a preferência”.

  • Mr. Car

    Sem falar que estas burradas todas custam dinheiro do contribuinte para serem implantadas (superfaturamento incluso na conta).

    • Domingos

      E a troca de placas 2 vezes por mês também. E ainda falam que a prefeitura está quebrada…

  • Lucas dos Santos

    Não. O que ele vai fazer é passar as garagens para o “nome” do município, transformando-as em “garagens públicas”.

    Dessa forma, as empresas que pretendem atender o município, mas não possuírem um espaço para guardar os ônibus, poderão utilizar a “garagem pública”. Já as empresas que deixarem de atender ao município, estas precisarão encontrar outro lugar para guardar seus veículos.

    • Domingos

      Interessante, mas ao mesmo tempo troca 6 por meia dúzia. Além de ser um roubo, provávelmente orquestrado. A não ser que seja para liberar concorrência de empresas de outros municipios, o que acho improvável.

      • Lucas dos Santos

        Esses pormenores eu já não sei ao certo. A reportagem indicada pelo colega se limita a dizer que “Com a desapropriação, uma empresa que não tem um terreno grande na cidade para guardar os veículos pode também entrar na concorrência“…

        • Domingos

          Porque então não fazem um estacionamento público, no lugar de desapropriar esses locais?
          Me cheira a acordo com alguma empresa de fora da cidade, embora uma concorrência seria mesmo muito boa.

  • joao

    Evidente que os problemas relatados são da mais alta gravidade, requerendo total atenção das autoridades “competentes”. Mas, pelo jeito, problemas ainda mais graves estão por vir, como a falta de água que se agrava e agora a falta de energia elétrica, isso sem falar na nossa crise do petróleo. Tá cada dia mais difícil ser brasileiro…

  • Fabio Vicente

    Bob Sharp não sei o que dizer…

    Eu não moro em São Paulo mas vou com freqüência à cidade. E não preciso dizer que realmente tá muito esquisito andar por esses lados.
    Mas vamos colocar estes problemas em âmbito geral. Vejo vários leitores reclamando de cagadas (perdoe a grosseria, mas estou em um ponto da minha vida que não consigo mais ser tão cordial) em suas cidades, onde moro tem várias dessas – sem contar o péssimo estado de conservação das ruas e do transporte público (que por sinal é uma m… e custa R$ 3,50) – mas tá difícil demais! Gostaria de sair do Brasil, mas já não tenho mais idade ou condição financeira para me aventurar fora do país. Então penso, ou melhor pensava, que com meu voto e minhas atitudes conseguiria mudar pelo menos o meio social em que vivo. Preciso dizer que não está adiantando? E esse cenário de crise econômica, uma crise desnecessária que o PT e sua corja criou? Eles complicaram tudo sozinhos, já que a oposição anda a míngua. Se traçarmos um paradigma autoentusiasta a esta crise, era mais ou menos como o finado Andrea de Cesaris, que conseguia a proeza de rodar ou bater sozinho quando estava sozinho na pista. E eu nem vou colocar aqui as inúmeras vezes que presenciei pessoas comportando-se feito animais em restaurantes, aeroportos, supermercados, etc. Talvez comente isso em outra oportunidade.
    Então não sei… não sei o que dizer, não sei o que fazer.
    É uma pena. Não sei se o objetivo da dupla Haddad/Alckmin (sim, este último também tem uma parcela enorme de responsabilidade em inúmeras dificuldades pela qual passa o Estado de São Paulo) é sucatear São Paulo, não sei se o objetivo do PT é sucatear o Brasil (pobre Brasil, nação alegre, mas muito sofrida). Não sei o que pensam os políticos e autoridades dessa nação. Alguns amigos dizem que a ideia é deixar o país a patamares de Cuba, Somália… talvez eles estejam certos. Mas não vou desistir de fazer o que estiver a meu alcance para tentar amenizar todos esses males, como tenho certeza que você e todos os frequentadores deste site também continuarão nesta luta. Somos muito melhores do que essa gente que nos maltrata.

    • Domingos

      A educação do nosso povo sumiu. Quando você falou dos supermercados e restaurantes, me identifiquei na hora e já me veio na cabeça: é por isso que estamos assim.

      Político, polícia e governo é mero reflexo do povo. Eu já rompi um monte de amizade com gente que, apesar das oportunidades na vida, falava e agia como se fosse fazer o mesmo na vida pública.

      E é assim em qualquer classe social.

      Sair de noite nem é mais um prazer. Se você vai num lugar caro, encontra um monte de c*zão (realmente tem hora que não tem outro nome…) que às vezes nem é mesmo bom de bala e age como maloqueiro. Te rouba lugar em fila, disputa a mulher do próximo, arruma briga e não tem a menor educação.

      Se você vai num lugar barato, parece que caiu em algum filme de terror. O pessoal não tem mais medo de ser desleixado e aí além da falta de educação você vê coisas humilhantes – apesar que também se começa a ver nos lugares que eram para ser um pouco melhores.

      O plano deve ser mesmo um sucateamento do país e, principalmente, de nossas mentalidades.

      Mas, como você disse, sempre na luta!

  • Andre Mondino

    Bob, nós somos vizinhos em Moema e utilizo o retorno sobre a Av. Moreira Guimarães quase que diariamente e há anos me revolta aquela placa PARE. Eu nunca parei lá pelo motivo óbvio que você explicou no texto. Porém, eu respeito as placas PARE corretamente instaladas e já paguei caro por isso quando fui abalroado na traseira por uma senhora que achou um absurdo eu parar “do nada” no cruzamento. Mostrei à ela a placa PARE e ela disse: “Mas ninguém pára nesta placa, por isso que eu bati na sua traseira!” Um fato curioso em relação à placa do retorno da Moreira Guimarães foi que uma vez ao fazer o retorno sem parar, um carro que vinha pela direita (na posição do Fiesta branco da sua foto) mudou repentinamente de faixa, indo para a esquerda e quase se chocando contra o meu carro. E ainda me xingou e disse: “Você não viu a placa PARE?” Certamente ele era da região, conhecia a
    placa PARE e se utilizou dessa placa desnecessária para fazer uma mudança de faixa abrupta e inconsequente. Mais surreal que isso é o toco de ferro demarcando o início da ciclovia em algumas ruas e avenidas. Discutir com quem acha as ciclovias Haddadianas “a coisa certa” é chutar cachorro morto. Pura perda de tempo.

  • Bob Sharp

    Rafael
    Recomendo instruir sua filha no sentido de que “Pare” só tem um significado: parar o carro. Fazer isso sempre, para que um dia, por distração, ela não deixe de fazer a parada obrigatória. Nenhum agente de trânsito multa (pelo menos nunca vi), mas não parar o carro totalmente é infração de mesmo teor que avanço de sinal. O Art. do CTB é o mesmo, o 208.

    • Lucas dos Santos

      Penso da mesma forma, Bob.

      Por mais errada que esteja a sinalização de parada obrigatória, não cabe à nós desrespeitarmos apenas porque “não concordamos” com ela. Não temos essa prerrogativa.

      O máximo que podemos fazer é recorrer a quem tem o poder de alterá-la e solicitar sua correção ou remoção, como você fez. Nem sempre seremos atendidos, mas é o que está ao nosso alcance.

      Em muitos locais, o trânsito só flui porque a maioria dos motoristas não respeita a placa de parada obrigatória erroneamente instalada. Mas isso faz com que a placa continue lá. Se todos a respeitassem, causando um “nó no trânsito”, talvez as autoridades vissem o que causaram e tentassem corrigir (ou talvez não!).

    • André K

      Bob, eu já fui multado por essa infração. Faz muito tempo, em 1990, na saída da Ponte Eusébio Matoso para entrar na Av. Vital Brasil, indo pra USP. Reduzi a velocidade, olhei e vi que não vinha ninguém e prossegui sem parar. Algumas semanas depois me chega a multa. Nem posso reclamar, eu estava errado.

    • Rafael Malheiros Ribeiro

      Bob, as que eu considero como desnecessárias, são como as da foto acima por exemplo. Parar numa situação dessa em algumas vias pode até causar um acidente, pois o senso comum já as entendeu como equivocadas. Tem uma aqui em Petrópolis que se você parar, ficará eternamente estático, pois foi instalada tão antes do local correto que você precisa andar mais de 15 metros para enxergar a outra via. É tanta incompetência que certas vezes não há alternativa, a não ser desrespeitar a lei. Como ultrapassar pela direita quando o “dono” da faixa esquerda não dá ultrapassagem mesmo depois de aguardarmos pacientemente seu deslocamento, deixando nosso carro ligeiramente mais esquerda ou, em último caso, dando uma “piscada” de farol.

  • Bob Sharp

    Corsário
    Pode até ser bonito, mas ali não se trata de patrimônio municipal como os Arcos do Jânio.

    • CorsarioViajante

      Sem dúvida Bob, naõ estou defendendo grafitarem os Arcos, só estou mostrando que não podemos generalizar como se toda “pintura mural” fosse um “horrível, de mau gosto”.

      • Rodrigo Costa

        Oi Corsário.

        Realmente esse mural não é feio. E sabe por que? Não segue a estética do grafite. Minha grita é com uma estética que antigamente era considerada marginal, até criminosa.

        Abs!

  • Lucas dos Santos

    É, Bob, realmente desanimador ver tudo isso.

    Bom senso não existe mais. Não é só em São Paulo. As entidades de trânsito aplicam sinalizações do jeito que bem entendem, utilizam-nas para fins totalmente diversos dos quais foram projetadas e ainda “inventam” sinalizações à torto e a direito!

    O que dizer daquelas faixas de pedestre na diagonal? Não estão previstas no CTB e nem nas resoluções complementares, tampouco possuem deliberação no Contran permitindo o seu uso em caráter experimental. Simplesmente “fazem o que dá na telha”!

    As regras, critérios e padrões para sinalizar uma via, bem como para a criação de novas soluções para o trânsito estão lá, todas bem documentadas no Contran. Mas ninguém as segue, pois sabem que NINGUÉM fiscaliza isso! Daí surgem as aberrações como a citada vaga de estacionamento para idosos, demarcada justamente em frente a uma guia rebaixada(!).

    Agentes de trânsito “robotizados” são outra aberração. Uma das principais vantagens da fiscalização presencial seria justamente o (suposto) poder de discernimento e bom senso do agente. Mas, se eles continuam aplicando as multas de forma autômata, como faria um radar, é melhor substituí-los de uma vez por uma máquina. Ao menos não precisaríamos mais pagar os salários desse pessoal pelo seu desserviço.

    Enfim, a cada dia que passa vou perdendo as esperanças. Não vejo mais uma luz no fim do túnel.

    • Domingos

      Acho que a falta de água e de luz é um começo. Estão cortando primeiro nos bairros onde fazem ligações clandestinas, que não raro é o bairro do eleitor nova classe média do PT que poderia e deveria pagar por esses serviços – mas a cultura e a mentalidade são sempre paupérrimas e por isso mesmo votaram nesse cara.

      Quem sabe assim não vão embora os únicos que devem gostar dessa zona, porque só vejo gente insatisfeita com esse governo desde quem está lá embaixo até quem está lá em cima. Só os roleiros, os artistinhas, os profersorzinhos e os militantes gostam dele.

      Nas próximas eleições devemos ver coisas bizarras como eles perdendo de 70 ou 80% e ficando atrás até de candidatos nanicos, o que inclusive nos dá a chance de eleger alguém diferente das duas opções de sempre.

  • Ravelho

    Bob, esta foto do acesso da av. Moreira Guimarães com a av. Indianópolis é perfeita, sempre achei uma imbecilidade esta placa PARE. Quantas vezes fiquei atrás de algum motorista perdido que fica parado e espera todos os carros passarem para entrar. Mas também existem os espertinhos que vem da Indianópolis, entram ali e passam por cima da faixa contínua e já pegam a faixa da esquerda, quase causando acidentes. Logicamente para isso não existe fiscalização por parte da maravilhosa CET.
    Um grande abraço!

  • Lucas dos Santos

    Exatamente. Se analisarmos friamente, lombadas – e outros tipos de “redutor de velocidade” – só existem porque as autoridades NÃO CONFIAM nos motoristas.

    Sabem que se não houver esses aparatos, o pessoal vai “fazer besteira”, com potencial de atingir quem não tem nada a ver com isso.

    Basta ver as tais “Áreas 40”, cuja velocidade máxima foi determinada com base em um “estudo” em que um pedestre atropelado em velocidade moderada sofre bem menos danos à sua integridade física. Ou seja, as autoridades já contam que alguém, inevitavelmente, será atropelado a qualquer momento(!), então, antecipadamente, já tentam amenizar as consequências.

  • Lorenzo Frigerio

    Grafite é coisa bem de terceiro mundo; pode até ser artístico, mas é coisa do terceiraço. O Malddad provavelmente liberou naquele lugar porque senão logo estaria tudo pichado. Este é um País que vai pra frente, ououououou!……
    Lembrando que aqueles arcos nada têm de excepcional; estiveram enterrados a maior parte do tempo e só foram redescobertos e evidenciados na 2a. gestão de Jânio Quadros. Mas num País onde ninguém sabe nem assentar tijolo mais (é tudo bloco baiano ou de concreto com reboco por cima), as pessoas passam ali e acham que estão na Europa… fala sério!

    • Domingos

      Não cai nessa, Lorenzo. Grafite é arte de quem é terceiro mundo na mentalidade. O Europeu e o Americano também amam uma porcaria dessa, sendo os asiáticos (na sua teimosia e persistência) os únicos que não deixam essa arte que ninguém pediu pra ser colocada lá – e de estética doentia em 99% das vezes – existir nas suas ruas.

      E você falou bem. Não tem nada demais alí, porém era uma construção agradável aos nossos olhos e diferente num bom sentido. Uma pausa numa cidade com concreto bruto sem nenhuma graça ou então com artes igualmente desgraçadas.

      Era tombado e, portanto, pichadores por alí deveriam ser presos e combatidos.

      Uma outra coisa que noto é que a praga dos pichadores tem voltado a São Paulo, após passar um bom tempo diminuindo.

      O prefeiteco deve fazer olho grosso, para parecer moderninho, ao mesmo tempo que deve adorar ver a cidade um lixo.

      Gente doente assim é bom debaixo da terra e bem longe de um governo. Infelizmente costuma ser o contrário…

  • Eduardo Mrack

    É praseroso né, processar aos outros quando estamos absolutos em nossos direitos e somos violados, é puro deleite, além de tudo é muito fácil, pois a maioria desconhece completamente as leis mais básicas. Eu adoro um processo judicial, principalmente contra lojas e supermercados, nestes casos sou especialista. Não penso no que vou ganhar vencendo os processos, não me faz falta, penso sim em ser chato, cri-cri, pé no saco mesmo, para os que estão acostumados a não seguir as regras tenham um pouco de problemas com isto e quem sabe aprendam do jeito mais incômodo, mexendo no bolso. Tenho processos movidos contra a administração pública também, já abri ação por um pneu do carro que se avariou devido a uma tampa da rede de água/esgoto que se sobressaía do asfalto e não pude desviar. O jeito é esse pessoal, infelizmente, pode ser despendioso, mas é o único jeito de mostrarmos que não estamos satisfeitos.

    • Domingos

      Hahahaha, prazeiroso mesmo, como você bem fez a ironia, não é… Porém quando você ganha, o alívio e a sensação são boas sim.

      E tem que ser chato mesmo. Eu também comecei a fazer o mesmo contra empresas e negócios e aprendi que é realmente fácil – ao menos em causas menores ou mais claras – e que é a única forma de fazer as coisas andarem às vezes.

      Aqui em SP seria tão bom se processassem por roda amassada e suspensão com problemas… Você está certíssimo!

      O porém é a perda de tempo e, vez ou outra, os gastos. E nisso boa parte da população que não tem como, acaba sem seus direitos.

      Ainda assim é ótimo fazer o que se pode. Tanto empresas quanto orgãos públicos e pessoas físicas, ao tomarem uma série de chumbadas pela justiça, numa próxima oportunidade acabam pensando 3 vezes antes de cometer o mesmo erro – e aí todos se beneficiam.

    • Lucas dos Santos

      Está certíssimo, você. Eu também estou começando a “acordar” para isso.

      A minha primeira “vítima” foi uma prestadora de serviços que, para não entrarmos em detalhes, cometeu uma prática abusiva. Corri atrás dos meus direitos e, vou ser sincero: o que eu gastei de dinheiro e tempo com isso, para mim seria mais vantajoso deixar como estava. Mas eu pensei “não, isso está errado” e fui em frente.

      A sensação de “colocar a empresa em seu devido lugar” vale mais do que qualquer dinheiro ou indenização que se possa ganhar. Agora vai ser assim. Fez errado? Vai arcar com as consequências!

  • Lorenzo Frigerio

    Pode crer que a Renata Falzoni e a turma dela não serão suficientes para reelegê-lo. Aliás, desde a redemocratização e já muito antes, nunca um prefeito paulistano que cumpriu um primeiro mandato integralmente conseguiu se reeleger para o cargo, ou para governador, ou para qualquer outro cargo no Executivo. A Cidade de São Paulo é não só o túmulo do samba, como das carreiras políticas.

  • Ramz Fraiha

    Sempre me perguntei “E se as placas PARE fossem substituídas por ‘Dê a Preferência’ “? Na cidade onde moro (uma capital) ao menos, nunca vi necessidade real de placas PARE em muitos dos cruzamentos que trafego. Nunca dirigi, por tempo suficiente, em outra cidade (seja maior ou menor) pra ter outros referenciais. Entretanto creio que na maioria dos cruzamentos poder-se-ia utilizar tranquilamente a placa de “Dê a Preferência”, visto que, um dos principais requisitos para um bom fluxo (e segurança) no tráfego, é saber onde e quando dar a preferência em cruzamentos.

    • Lucas dos Santos

      Exatamente! A própria Resolução 180 do Contran – que eu sempre cito aqui – dá a entender que a placa PARE deveria ser utilizada somente em casos especiais:

      [O uso do sinal R-1] deve se restringir às situações em que a parada de veículos for realmente necessária, sendo insuficiente ou perigosa a simples redução da velocidade, ou quando ocorrer uma das condições abaixo:

      • onde o risco potencial, ou a ocorrência de acidentes, demonstre sua necessidade;
      • nas interseções sem controle por semáforo, em área que tenha grande número de interseções semaforizadas;
      • nas passagens de nível não semaforizadas;
      • em vias transversais, junto a interseções com vias consideradas preferenciais, devido suas condições geométricas, de volume de tráfego ou continuidade física;
      • em interseções em que a via considerada secundária apresenta visibilidade restrita.

      O problema é que a maioria dos órgãos de trânsito desconhece a diferença entre as duas placas e as considera “tudo a mesma coisa”.

      Em um mundo (ou país) ideal, bastaríamos solicitar a revisão e a substituição da sinalização pela placa correta, usando como base a já citada resolução do Contran.

      Mas, como dificilmente o cidadão tem voz nesses casos e a fiscalização inexiste, fica do jeito que está: tudo errado. Aí os motoristas se acostumam a desrespeitar a placa Pare e, como disse o Bob, acabam deixando de fazer a parada onde realmente é necessário.

  • Nora Gonzalez

    Andre Mondino, não tenho certeza se vi direito, mas me parece que a faixa branca é contínua. Se for, o indigitado que quase abalroou você estava errado, pois não poderia ter mudado de trajetória. Se é pontilhada, me parece sem sentido, pois há demarcados duas faixas claramente, uma para quem vem de cada direção. O certo seria que fosse contínua por alguns metros. O que não significa que a placa de Pare não seja estúpida. Ela é.

  • Lucas dos Santos

    Esse negócio de bater na traseira do carro da frente por não esperar que ele vá parar é o retrato do despreparo dos nossos motoristas! Acidente totalmente evitável por parte dessa senhora. SEMPRE deve-se contar com uma possível parada do carro da frente e estar preparado para essa situação. Espera-se que ela tenha aprendido essa lição!

    Batida na traseira é o acidente que eu mais temo quando estou no trânsito. Fico extremamente apreensivo quando olho no retrovisor e vejo alguém “colado” à minha traseira. Como eu ando de moto, um acidente desses tem potencial de ir além dos danos materiais…

    Isso também vale para engavetamentos que, em sua maioria, seriam totalmente evitáveis se os motoristas dirigissem com mais cuidado.

  • Alfredo

    Robson, o único lugar que vi uma placa dessas foi perto de uma entrada de escola onde, imagino, das 7h00 às 9h00 haja entrada de alunos e fluxo maior de veículos…

    • robson santos

      Entendo, é uma justificativa, mas pensando assim o que dizer então do final do período escolar, seja matutino ( por volta de meio-dia ), ou vespertino ( por volta de 17hs ), também há o mesmo fluxo, certo ?

  • guest

    “Campuseiro” do PT, só pode ser…

  • Erwene

    Cara, vai antes conferir o que é a vida de um travesti e depois a gente conversa… É fácil, para nós, héteros, vestir a camisa da conformidade (afinal, formos ‘premiados por deus’ pela nossa opção sexual). Eu falo porque tenho amigos travestis e sei da batalha que foi, desde em casa, para tentar sobreviver. Eu sei que são socialmente desajustados – eles mesmo reconhecem, e os próprios gays ‘certinhos’ discriminam os traves – mas entenda como alguém totalmente à margem da sociedade. Merecem, sim, tratamento especial como os doentes mentais e demais incapacitados.

    • Bob Sharp

      Erwene
      Certo, mas antes de dar ajuda financeira aos travestis há que se pensar em alguns milhares de famílias sem teto por toda São Paulo, morando embaixo de viadutos, nas marginais, abrigando-se com sacos de lixo, sem se alimentarem, isso sim é trágico. E quem disse que travesti não pode trabalhar? Tratamento médico e psicológico é outras história.

      • Domingos

        Perfeito Bob. O problema dos programas sociais não são os programas sociais. Se esse dinheiro fosse dado para quem mora embaixo da ponte ou fosse usado para fazer abrigos (estamos precisando pois o número de moradores de rua aumentou muito), não teria problema.

        Só que dar mais que um salário mínimo a um travesti meramente por ser travesti é esfregar na nossa cara que:

        – Pessoas em dificuldade real não importam. Ao menos não tanto quanto pessoas que dão votos e são aliados da militância.

        – Por ser mais que um salário mínimo, convém mais ao travesti votar PT eternamente e não trabalhar.

        – Que ser travesti é um problema superior aos tantos outros problemas comportamentais, como o Bob bem disse. Isso, claro, por serem a bola da vez.

        Outra coisa: os heterosexuais são sim a opção normal e natural e isso é sim um presente de Deus que não devemos recusar.

        Opção sexual são as demais formas de se relacionar e geralmente essas que são construções sociais e escolhas pessoais.

        Não se deve culpar o heterosexual por ser normal, é a mesma coisa que culpar alguém por não ser doente.

        E nem se deve cair no conto que fora da heterosexualidade existe um mar de normalidade que apenas espera perder o preconceito para viver normalmente.

        Apenas uma minoria muito pequena, que muitas vezes nem se sabe que é, tem comportamentos sexuais fora do heterosexualismo sem ser por: influência do meio, problemas e traumas ou até doenças.

        Se eles são incapacitados mereceriam ajuda de programas sociais em âmbito federal e também, entre outras coisas, não poderiam votar – até para evitar a exploração dos mesmos.

        A discussão se são incapacitados ou não vai longe e acho que meramente dar 840 Reais por mês para quem se declarar travesti é óbviamente uma distorção completa no momento.

    • Eurico Junior

      Uma amiga psicóloga já fez trabalho de inclusão social com travestis me contou que 99% deles simplesmente não têm interesse em procurar um emprego normal, com salário idem. Preferem a grana fácil e farta da prostituição, onde gastam tudo em noitadas, bugigangas, roupas e drogas. Muitos vão para a Europa, onde um programa não sai por menos de 200 euros. Via de regra, também sustentam gigolôs. Depois que a fase áurea acaba, surge o discurso de “vítima do preconceito”. Há raríssimos com a cabeça no lugar, que adquirem imóveis ou abrem negócio próprio… e não ficam chorando por aí!

      • Domingos

        O problema é a mentalidade doentia, que é prato farto para a esquerda.
        Precisamos parar de nos sentirmos culpados ou com pena e começar a enxergar que esse discurso é:
        – Procurando justamente as pessoas piores e mais manipuláveis da sociedade, para conseguir votos.
        – Colocando essa mentalidade nas pessoas e nos governos, de forma a cair o nível para o pior possível e sermos mais extorquidos com mais facilidade.

    • FabioH

      Melhor inclusão social é o trabalho.

  • André K
  • Cristiano Reis

    Uma vez vi algum texto, mas não lembro de foi do Tite ou do Roberto Agresti, falando que ao dirigir nos EUA e passar devagar numa placa de STOP foi abordado por um policial e multado, ao tentar alegar que estava devagar e não vinha ninguém o policial respondeu: – a lei manda parar.

  • RoadV8Runner

    No que depender das otoridades, o trânsito desta terrinha torta vai ficar cada vez pior. Ontem à noite mesmo, voltando para Sorocaba-SP (onde moro), descobri três novos pardais em algumas avenidas por onde passei. Desnecessário dizer que todos, sem exceção, ficam em pontos onde o carro naturalmente tende a andar pouco mais rápido que o limite da via e jamais se pensaria haver uma porcaria dessas para te flagrar a 10 ou 15 km/h perigosamente acima da (baixa) velocidade permitida… É um absurdo isso, precisamos prestar mais atenção ao velocímetro do que no trânsito em si.

  • Lucas dos Santos
  • Valter

    Esta cidade está muito vermelha, não merece essa praga do ataque das tintas.
    Na próxima eleição essa cor comunista precisa ser extirpada, para o bem do nosso futuro. E que não volte jamais.
    Em bom português: quanta cagada com nossa querida São Paulo !

  • CorsarioViajante

    Fui para Sorocaba recentemente e é chocante a quantidade de radares… ALém disso meu amigo, cuidado pois está tendo um surto de dengue, só na nossa família são cinco pessoas com dengue em Sorocaba!

    • Domingos

      Bom saber. Mas lá não é nada perto da fiscalização exagerada que temos em São Paulo.
      Inclusive, você acaba relaxando e aí acaba arriscando tomar multas naqueles radares de ladeira bem típicos de Sorocaba.
      Ao menos eles são bem visíveis.

    • RoadV8Runner

      Pois é, não bastassem os radares em profusão, este anos ainda temos o brinde da dengue por aqui. No serviço já houve duas pessoas afastadas por causa de terem contraído dengue.

  • CorsarioViajante

    Putz genial este texto hein! Até eu que não suporto a Veja dou o braço a torcer.
    Falar que ele tenta converter uma metrópole num vilarejo foi a melhor definição que já vi.

    • André K

      O Augusto Nunes é genial. É como os textos do Nascer aqui no AE, demora para se acostumar, mas depois..

  • Eurico Junior

    O cara faz esse manifesto apaixonado em defesa do Malddad, aproveita pra alfinetar o Alckmin… e diz que “não carrega bandeira”! Então tá…

  • RoadV8Runner

    Os radares já foram mais visíveis, pois os últimos instalados não estão mais com os postes pintados em amarelo. E cuidado, pois alguns radares estão agora logo no início da descida ou no início da subida. Neste último caso, praticamente posso apostar que os cabras posicionaram o pardal no ponto exato de maior velocidade na transição descida-subida…

    • Domingos

      Já notei isso. Nunca tinha visto os postes amarelos, acho que quando visitei a cidade pela primeira vez já era como você fala. Ou ao menos nunca notei.
      Mas as placas de aviso ainda estão colocando, não?
      A última vez que fui acho que só não tomei uma multa pela margem oficial de 7 Km/h, porque não vi placa, nem poste e tinha um justamente um pouco antes da transição para o plano – no trecho de maior velocidade, como você fala.

  • Lucas dos Santos

    O Carlos Maurício Farjoun também relatou isso certa vez aqui no Ae: http://autoentusiastas.com.br/2012/11/dirigindo-nos-eua/

  • Lucas dos Santos

    Realmente, são 23 vereadores, com sessões às segundas e quartas-feiras. Dá para acompanhar bem.

    O bom é que dá para traçar o perfil dos vereadores. Aqui é raro faltarem. Melhor dizendo, sempre tem alguém faltando em alguma sessão, mas nunca é a mesma pessoa. E tem perfis de todo tipo.

    Tem vereadores participativos, que sempre estão protocolando novos projetos, indicações de moradores, sempre fazem uso da palavra para discutir um projeto, dar uma opinião etc. Alguns dão opiniões sólidas e bem embasadas, com conhecimento de causa. É sempre interessante ouvir o que o bloco de Oposição tem a dizer, pois isso passa uma visão mais crítica da realidade do município.

    Outros até participam, mas tudo na base do “achismo”. Demonstram não ter qualquer conhecimento sobre o que estão falando e sempre sai “abobrinha”.

    E tem um pessoal que, apesar de comparecer a todas as sessões, simplesmente não participa. Não protocola projetos, não comenta os projetos em votação, não utiliza a tribuna quando tem a oportunidade. Enfim, só estão lá para “ocupar uma cadeira” e, no máximo, dizer “sim” ou “não” na hora de votar um projeto.

    Enfim, gostaria muito que a população se interessasse mais a ficasse sempre à par do que ocorre lá dentro. Isso certamente pesaria nas eleições.

    Há pouco tempo atrás, um jornal local fez uma pesquisa interessante. Certo dia, publicaram no site deles uma enquete perguntando se, na opinião dos leitores, os vereadores estavam trabalhando pela cidade. Mais que 90% respondeu “Não”. No dia seguinte, o jornal perguntou se o leitor, alguma vez, já conversou com um vereador para solicitar ou cobrar algo. As resposta da maioria – também em torno dos 90% – foi “Não”! Ou seja, o pessoal não participa da gestão da cidade e mesmo assim reclama do trabalho dos vereadores, sem o menor embasamento.

    • Domingos

      Interessante. Porém, imagine que já com 23 talvez no máximo uns 10 tenham o perfil ideal (esse de participador e conhecedor que você descreveu).
      Os outros 13, maioria, estão entre o perfil que você descreveu que ou não faz nada ou fala abobrinha para enrolar, que é o grupo que mais noto no TV Câmera aqui de São Paulo.
      Conclusão: imagine quantos milhares de vereadores não são absolutamente inúteis, além de prejudiciais, numa cidade média ou grande.
      E no caso não adiantaria muito a população correr atrás. Na sua cidade mesmo, ainda deveria sobrar uma turminha que ainda assim iria continuar só batendo ponto. Imagina em São Paulo, RJ, Brasília…

  • Domingos

    Numa próxima pode ter certeza que mal vai precisar reclamar. Eles guardam quem entra com recurso e logo fazem acordo ;).

  • Domingos

    Pra mim, quem fez isso é pior que quem votou na Dilma. Muito pior. Eduardo Jorge e Luciana Genro são os canditatos “Tiririca Gourmet”, que basicamente são palhaços sem plano nenhum de governo e que só servem para avançar causas de esquerda sem nenhum benefício ao resto do pais (mais de 90% da população nesse caso), porém com uma roupagem de “gente que pensa”.
    Nesses eu olho com desprezo mesmo e corto a conversa.

  • Domingos

    Exatamente. Aposto que entre a grande maioria dos grafiteiros essa obra na 23 de Maio deve ser considerada atrasada, conservadora, feia e alienante.
    Arte para gente de estética doente tem que ser ruim. Não que vá mudar nada, só piora. Mas é porque eles são ruins da cabeça mesmo.

  • Absalão Bussamra

    Sinto um cheirinho azedo de MAV no ar…

  • Jandrep

    Com relação ao ultimo caso, na Av. Olívia Guedes Penteado, existe algo pior. Nessa calçada onde está o rapaz metido a Senhor Todo Poderoso do Transito, há um ponto de ônibus. Logo após esse ponto, a avenida acaba, e os ônibus que estão na faixa da direita entram na av. Atlântica, mas precisam ir para o corredor de ônibus na faixa da esquerda.
    Resultado: ônibus articulados atravessando e travando todos os carros que seguem pra ponte do socorro.

    Quanto aos grafites, concordo que patrimônio histórico deve ser preservado e mantido original. Mas quanto aos viadutos e muros, iguais aos da 23 de maio, não consigo ver problema. É muito melhor um desenho do que aquela cor cinza deprimente. Nem todos são unanimidade de beleza, mas ainda são melhores que um paredão cinza, sujo e com pixações de maloqueiros.

  • Domingos

    Fim.

  • Mingo

    Não seria Haggadas?

  • Barba

    Sou ex-ciclista, acho interessante ciclofaixas em determinados lugares, Paulista, Faria Lma e afins, porém em muitos lugares sequer há ciclistas, realmente são pintadas faixas ao acaso, como na praça Vilaboim, Higienópolis, com restaurantes em ambos os lugares, foi remarcada para o outro lado, com menos restaurantes, porém mesmo assim atrapalhando a passagem, não há mais locais para descerem os passageiros …

  • guest

    Um sinal de sensatez do judiciário: liminar determina a remoção da esdrúxula ciclofaixa da Rua Madre Cabrini!

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/02/1593026-justica-manda-prefeitura-de-sp-retirar-ciclovia-da-frente-de-colegio-particular.shtml

  • Gabriel

    Haddad e CET formaram uma união perfeita, nasceram um para o outro. Começarei a registrar diariamente as arbitrariedades cometidas pela CET que claramente está aqui apenas para complicar a nossa vida e nos extorquir.