Coluna 0615      4.fev.2015       [email protected]      

 

Fiat já vende o Bravo em versão 2016. Fácil identificá-lo: o visual foi aprimorado, com ênfase em soluções de estética para valorizar esportividade e implementação de conteúdo. São quatro versões em decoração — Essence, Sporting, BlackMotion e T-Jet. Três versões de suspensão, incluindo troca de molas, amortecedores, rodas e pneus, para melhor aproveitar a dinâmica ou a exigência de condução prazerosa; dois tipos de motores, 1,8, 16 válvulas, aspirado, flex, 130/132 cv de potência gasálcool e álcool, e o 1,4 16v, turbo, a gasolina, 152 cv. Dois tipos de câmbio, cinco marchas manual ou automatizado Dualogic Plus, e seis marchas, exclusivo no T-Jet.

Busca atingir amplo leque de clientes esclarecidos, tanto os apreciadores de automóveis, acomodação e rendimento, quanto os exigentes pelas atuais modas periféricas, os sistemas eletrônicos. O motor turbo mantém um adjutório extra-performance por alteração de regulagem eletrônica. Tal sistema, dito Overboost, aumenta a pressão do turbo e faz gerar adicional 1,9 m·kgf de torque, com imediata resposta em aceleração.

Caminho

O novo visual frontal adotou novo pára-choque, molduras de lanternas e faróis, a moda mundial da barra cromada em V no pára-choque, e detalhes como rodas para cada uma das versões. No posterior, idem: pára-choque redesenhado com defletores de ar, lanternas, spoiler. Ajustes enfatizaram o estilo, realçando a forma de cunha. Na versão Sporting o adesivo lateral é longitudinal, traço elegante, ajuda com tal sensação. No conjunto liderado pelo alemãp Peter Fassbinder, obteve-se bom resultado.

Interior marca-se pela preocupação de aconchego, boa receptividade, e aplicação de materiais com jeito de refinamento visual e ao toque, mudanças na grafia do painel de instrumentos, apóia-braço rebatível com porta-copos.

A tecnologia embarcada fez progressão em conectividade, largo conteúdo com ênfase ao sistema Uconnect Touch, mundialmente utilizado pela FCA — novo nome de Fiat e Chrysler —, em Jeep, Chrysler, RAM, Alfa Romeo e Fiat. A nova central multimídia aumenta a conectividade, inclui câmera de ré, e o coloca à frente dos concorrentes principais, Chevrolet Cruze, Peugeot 308 e VW Golf, ao permitir opção com GPS atualizado fornecido pela TomTom. Apesar do conteúdo extra, o Bravo 2016 tem menor preço ante concorrentes.

Mercado

No mercado desde 2010, já vendeu 24 mil unidades, e Lélio Ramos, o experimentado diretor comercial da Fiat, imagina que as demandas por versões sejam 50% Essence, 30% Sporting e restantes entre BlackMotion e T-Jet.

 

Quanto custam R$
Essence 61.990
Sporting 67.990
BlackMotion 68.990
T-Jet 78.490

 

Foto Legenda 01 coluna 0615 - Novo Fiat Bravo

Bravo 2016, melhor

RODA-A-RODA

Freio – Após desvalorização de 20%, a GM suspendeu produção de Opel Astra e Chevrolet Cruise na Rússia, informa Automotive News Europe. Suas vendas caíram 26% ano passado — mercado encolheu 10% —, e projeta-se redução de 30% neste exercício. Ford e VW também escrituraram perdas.

Retorno – Para mostrar ter tomado a estrada de volta aos bons resultados, Mitsubishi japonesa aproveitará Salão de Genebra para exibir nova geração do crossover ASX. Na mostra, o conceito será elétrico só a bateria. Vendas em 2017.

 

Foto Legenda 02 coluna 0615 - Mitsubishi ASX

Mitsubishi ASX

 

Foto Legenda 03 coluna 0615 - Alpine

Alpine, em cima, inspirou o R.S. 01

Marca – Renault resolveu fazer carro esportivo, o R.S. 01, sem o simplório caminho de vestir a base mecânica do GT-R da sócia Nissan. Quer aproveitar a imagem da Alpine, que adquiriu e fechou. Mágica em rendimento por aerodinâmica e baixo peso.

Junta – Associou-se com britânica Caterham, produtora do Lotus 7 atualizado, e rápida capacidade de desenvolver soluções e peças para  desempenho. Não deu certo, assumiu tudo, sobrou para o designer-chefe Laurens van der Acker acertar as linhas do ex-projeto comum.

Alpine – Grosso modo, conceito de peso mínimo com motor forte. Assim, muito compósito de fibra de carbono na estrutura leve, motor Nissan GT-R com imaginados 550 cv, entre eixos e câmbio de sete marchas.

Corridas – Quer integrá-lo à Renault Sport em nova categoria de  automobilismo. Talvez seja amenizado, ganhe confortos e vendido a público, reeditando a dupla personalidade dos míticos Alpine da era do criador Jean Rédélé.

Q da Questão – Não está bem parada a questão de a Audi batizar como Q1 seu próximo SAV. O registro é da Alfa Romeo. O Q1 ou nome a ter, é um Audi mini, baseado na boa plataforma do VW Polo.

Confiança – PSA, holding Peugeot Citroën, em dificuldade de caixa e esforço para retornar à competitividade no mercado, abriu subscrição de ações da empresa aos funcionários. Ótimas respostas, superando expectativas.

Muda – Toyota marcou data para o novo Etios: início de 2016, quando terá aumentada a capacidade industrial de 74.000 a 108.000 unidades/ano e atualizará o produto, inicialmente repelido pelo mercado.

De novo – Etios foi lançado para competir com Gol, Palio, Onix, na base do mercado, mas ficou distante em vendas em 2014. Nova versão, lançada na Indonésia como Etios Valco retocou grade e detalhes. Aqui deve mudar por dentro, especialmente pela ventilação errada, para carros com volante de direção à direita.

Fugaz – Nissan anunciou, quando iniciar as vendas do March com novo motor 1-L de três cilindros, terá deixado fazer o Active, modelo antigo, recém-exumado e ora descontinuado. Terá sido o produto com a vida mais curta no mercado.

Costume – Tradição besta, este caminho de ter os veículos de menor vida no mercado. Foi assim com o primeiro picape Frontier feito no Brasil, e com o SUV XTerra. Mau costume, deixa o cliente em suspenso. Quem comprou o Active com financiamento ficou órfão em prazo curto e pagará por amplo período.

Início – Volkswagen inicia vender ainda neste mês o novo Jetta vindo do México, motores 2-L comum, atmosférico, e 16V, injeção direta, turbo. Se a  fim, adiante-se. Será produzido no Brasil, porém com motorização 1,4-L.

Pílula – Boa medida do acirramento da competição na faixa dos SAV, os Sport Activity Vehicles, onde estão EcoSport, Duster, Tracker, Peugeot 3008, Honda  iniciou divulgação homeopática de seu HR-V, da especialidade. Não o tem à venda, mas quer atrapalhar os outros.

+ Para sanção presidencial o aumento da adição de álcool à gasolina simples. De 25% para 27%, mais 2% de variação, pode arranhar 30%.

Bom? – Acima de 25% de álcool na gasolina o motor não o aproveita como aditivo oxigenador. Apenas aumenta o consumo. É bom — para os usineiros. Anfavea, associação dos fabricantes de veículos, não endossa tecnicamente e recomenda uso da gasolina Premium, sem o adicional.

Será? – Conselho Nacional de Trânsito (Contran) exigirá, a partir de 1º de.maio, exame toxicológico aos motoristas das categorias C, D e E, na renovação ou ascensão na CNH. É Resolução 517/15 e pelo exame quer saber quem usou substâncias psicoativas, maiores causadoras de acidentes de caminhões e ônibus.

Ocasião – A fim de Ford EcoSport ou Renault Duster? Bons negócios no horizonte. Para peitar a novidade do Jeep Renegade prometendo assumir liderança do segmento, Eco e Duster, atuais líderes, terão atualizações. Antes, redução de preços e oferecimento de vantagens.

Topo – Revenda apenas para motos de elevada cilindrada. É a Hiuri, no Alto de Pinheiros, São Paulo, vendedora acima de 500 cm³ e scooters. É o conceito Dream, projeto da Honda em implantar no país inteiro, separando classes por endereço, instalações e especialização. Sub-rede chic já tem 82 revendas.

Ocasião – Feira profissional para aproximar fornecedores de fabricantes de componentes, concessionários, oficinas, enfim, todo o segmento, Automec será realizada em São Paulo, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, de 7 a 11 abril. Atração, oficina de alta qualidade, tipo modelo a seguir. Mais? www.automecfeira.com.br

Turbo – Mercado em baixa exige criatividade. Ford estendeu facilidades do Plano Sazonal, para produtores rurais, a interessados em adquirir o Ranger diesel. Entrada de 54%, 6 pagamentos semestrais, juros de 6% a.a.

De fora – Em meio à polêmica sobre a real utilidade de portar extintor de incêndio e o adiar da fiscalização sobre novo modelo, um aviso: pela Resolução do Contran Nº 157, de 22 de abril 2004, veículos antigos, de coleção, identificados pela placa preta, estão dispensados do equipamento.

Precaução – Se do seu caso, copie e tenha em mãos a Resolução nº 157/04 para evitar conversinhas de guardas mal informados.

Furto – Larápio subtraiu picape F-75 de colecionador paulistano. Fácil identificar. Se parado, cor laranja avermelhado e placas BLG 4663/SP. Se em movimento, anda muito com motor Ford 2,3 turbo. Viu, avise o dono: Toni (11) 99609-0765.

Gente – Rodrigo Tramontina, jornalista, outro ladoOOOO Bom de serviço na Peugeot por largo período, integra edição do programa especializado Auto+, no portal Terra e na BandSports. OOOO Chico Lelis, jornalista ex-GM e ex-Diário do Comércio, idem. OOOO Empresta talento à editora Motorpress Brasil. OOOO Frédéric Sebbagh, francês tropicalizado, diretor da Continental de pneus, promoção. OOOO Presidente Brasil e Argentina. OOOO Michael Kuester, estadunidense, executivo da DAF Caminhões, promoçãoOOOO Era diretor e agora presidente da empresa no Brasil. OOOO Marco D´Ávila, brasileiro, ex presidente da DAF local, ascensãoOOOO Vice-presidente da Paccar para operação latino-americana. É a holding que abriga a DAF.

 RN

 A coluna “De carro por aí” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.

 

 

 

(44 visualizações, 1 hoje)